SlideShare uma empresa Scribd logo
NUTRIÇÃO E QUALIDADE
ALIMENTAR
Introdução ao Desenvolvimento de Novos produtos
wilson.semedo@us.edu.cv
Universidade de Santiago
O FUTURO AO TEU ALCANCE
Objetivos
¨ Conhecer os principais processos de conservação de alimentos,
convencionais e emergentes;
¨ Identificar e compreender os diferentes métodos/etapas do
processamento dos produtos alimentares de referência;
¨ Identificar e compreender os efeitos do processamento sobre o valor
nutricional e o tempo de prateleira dos produtos alimentares de
referência;
¨ Conhecer as principais técnicas e os materiais de embalagem
utilizados na indústria alimentar.
Conteúdos:
Desenvolvimento de novos
produtos;
¨ Conceito de novos produtos;
¨ Categoria de novos
produtos;
¨ Ciclo de vida de um produto;
¨ Matriz BCG e ANSOFF;
Introdução à Tecnologia dos
Alimentos;
q Introdução à̀ engenharia alimentar;
q O conceito de alimento e sua
evolução ao longo dos tempos;
q Diversidade de alimentos;
q Qualidade dos alimentos;
q Objetivos e finalidades da indústria
alimentar;
q Classificação dos alimentos;
Conteúdos:
Deterioração dos Alimentos;
¨ Microbiologia dos alimentos;
¨ Deterioração de leites e derivados;
¨ Deterioração de carnes e derivados;
¨ Deterioração de frangos;
¨ Deterioração de pescados e frutos do mar;
¨ Deterioração de alimentos enlatados e envasados;
¨ Deterioração de produtos de origem vegetal;
¨ Deterioração de cereais, farinhas e produtos de panificação;
¨ Deterioração de açucares e doces;
Conteúdos:
Introdução às Fases/Etapas do Processamento dos Alimentos;
¨ Beneficiação;
¨ Elaboração;
¨ Conservação:
¨ Armazenamento;
Introdução à segurança alimentar (HACCP)
¨ Higiene alimentar;
¨ Segurança alimentar;
¨ Passos da implementação do sistema HACCP;
Conteúdos:
Métodos de Conservação;
¨ Pela Acão do calor;
¨ Pela Acão do frio;
¨ Pelo controlo da humidade/aW;
¨ Por fermentação;
¨ Por modificação da atmosfera;
¨ Por adição de aditivos;
¨ Pelo uso da irradiação;
¨ Pelo uso de elevadas pressões;
Conteúdos:
Introdução à Tecnologia e Processamento de Alimentos;
¨ Tecnologia e processamento de carnes, produtos cárneos e derivados;
¨ Tecnologia e processamento de leite e derivados;
¨ Tecnologia e processamento das bebidas alcoólicas;
¨ Tecnologia e processamento de frutas e hortaliças;
¨ Tecnologia e processamento do pescado e derivados;
¨ Tecnologia e processamento de óleos e gorduras comestíveis;
Conteúdos:
Técnicas emergentes de processamento de alimentos;
Técnicas e materiais de embalagem;
Estudo do tempo de prateleira dos alimentos.
Aulas práticas e TP
¨ Hambúrguer –
Produção de
hambúrguer de carne
e de peixe. POSTER
+ PPT (Grupo 2
alunos) –10%.
¨ Queijo coalho e
requeijão cremoso
-
- POSTER + PPT
(Grupo 2 alunos) –
10%.
¨ Elaboração e avaliação
sensorial da geleia -
POSTER + PPT (Grupo
2 alunos) – 10%.
Avaliação
CF = 0,5 ×CT + 0,4 × CP + 0,1×AD
Ø Componente teórica (CT) – Um teste, com a contribuição de 50% na nota final. A
aprovação nesta componente obter-se-á com classificação mínima de 10 valores.
Ø Componente prática (CP)- Realização de trabalhos elaborados em grupos, com o
peso de 40% na nota final (4 trabalhos). A aprovação nesta componente faz-se com
classificação mínima de 10 valores.
Ø Assiduidade e desempenho do aluno (AD) - com o peso de 10% na nota final da
unidade curricular.
DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS
• “Produto novo” refere-se a um produto ou conceito, totalmente novo
para o mercado, ou a um produto novo para a empresa, apesar de
produtos semelhantes já existirem no mercado (Panwar, Dhananjay,
2007).
• No atual mundo globalizado o ritmo de inovações e lançamentos no
mercado é muito grande, e produtos concorrentes poderão surgir em
qualquer parte do mundo. As classificações gerais para lançamento de
novos produtos são: otimização de custos, melhorias de
produto, extensões de linha, extensões de mercado,
extensões de marca, e produtos novos ao mundo (Panwar,
Dhananjay, 2007).
DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS
O conceito passa, basicamente, por um método de pesquisa com base em dados, etapas
produtivas e viabilidade comercial, que resulta em um produto finalizado, concreto e
tangível.
Ø DNP não se trata apenas do produto final, pronto e
embalado para o consumidor, mas o desenvolvimento
desde a descoberta até como se chegar ao produto final
desejado.
Ø O foco de DNP não está em como produzir os
produtos a serem vendidos, mas em como desenvolver
produto que satisfaçam às necessidades dos
consumidores sempre.
CONCEITO DE NOVOS PRODUTOS
• Essenciais para a viabilidade de uma empresa.
• Novos produtos: novas versões ou mudanças no
processo de produção.
Em qualquer setor, para crescer a
empresa deve aprender a pesquisar
INOVAÇÕES e ter agilidade para
alcançá-las de forma pioneira no
mercado.
O QUE É INOVAÇÃO?
O desenho, invenção, desenvolvimento e/ou implementação de produtos novos ou
alterados, serviços, processos, sistemas, estruturas organizacionais, ou modelos de
negócios com o objetivo de criar novo valor para os clientes e retorno financeiro
para o empresário ou empresa.
A indústria de
alimentos é
principal setor
da Europa
Embora a indústria alimentar é classificado como
“Low Tech”, as empresas deste setor exibem alta
tendência de inovação com milhares de novos
produtos lançados no mercado todos os anos.
CONDIÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE NOVOS
PRODUTOS
Segmentação do Mercado (Estudo de mercado)
Seleção dos Clientes-Alvo
Entendimento das Necessidades
Desenvolvimento de Novos Produtos
Ø DESENVOLVIMENTO: entrar em um novo mercado como
mercados/produtos mais atraentes.
Ø MANUTENÇÃO: manter o posicionamento da empresa no
mercado.
TIPOS DE NOVOS PRODUTOS
1. Produtos novos para o mundo
2. Novas categorias de produtos
3.Adicionais a linhas de produtos
4. Melhorias em produtos
5. Reposicionamentos
CARACTERIZAÇÃO DE NOVOS PRODUTOS
Tipo de novos produtos Carateristicas Exemplos
EXTENSÕES DE LINHA
“mais do mesmo”
• Poucas exigências.
• Não há necessidade de
aquisição de equipamentos
• Não há necessidade de
alterar estratégia de
marketing.
o Alteração de um
aromatizante a um
alimento
o Adição de uma salada de
feijão a uma linha de
produção de feijão
enlatado.
PRODUTO EXISTENTE
REPOSICIONADO
“novos usos para velhos
produtos”
• Poucas exigências.
• Manufatura não é afetada
• Marketing e estratégias
de vendas terão de ser
reavaliadas.
o Bolacha com elevado teor
de fibra
CARACTERIZAÇÃO DE NOVOS PRODUTOS
Tipo de novos produtos Carateristicas Exemplos
NOVO FORMATO OU
TAMANHO DE
PRODUTO EXISTENTE
• Impacto considerável.
• Pode envolver investimento
significativo em equipamentos
• Reprogramação de vendas e
marketing.
o Aumentar a
embalagem de
queijo de 200g
para 700g.
REFORMULAÇÃO DE
PRODUTO EXISTENTE
“fórmula melhorada”
• Pouco impacto em equipamentos e
marketing/vendas.
• Investimento variável consoante
reformulação
o Colocar pedaços
de frutos em
iogurtes
aromatizados.
CARACTERIZAÇÃO DE NOVOS PRODUTOS
Tipo de novos produtos Carateristicas Exemplos
PRODUTOS
INOVADORES
• Elevado investimento
• Tempo de desenvolvimento pode ser
extenso.
•Pode requerer uma nova planta de
processamento (ou mesmo desenvolvimento
de equipamento especifico)
•Revisão total de estratégias de marketing
•Elevado risco de insucesso
CARACTERIZAÇÃO DE NOVOS PRODUTOS
Melhorias de
produtos existentes
( 26% )
Produtos
novos para
o mundo
( 10% )
Novas linhas
de produto
( 20 %)
Reduções
de custo
( 11% )
Acréscimo
Linhas
Existentes
( 26 % )
Reposicionamento
( 7% )
Taxa de
Sucesso
RAZOES PARA DESENVOLVIMENTO DE NOVOS
PRODUTOS
qMudanças de necessidades, hábitos e gostos dos
consumidores;
qSurgimento de novas tecnologias (produtos substitutos);
qCiclos de vida dos produtos cada vez mais curtos;
qAmbiente de competição cada vez mais acirrada;
qAltos investimentos no desenvolvimento de protótipos;
ESTUDOS RECENTES INDICAM TAXA DE
FRACASSO DE CERCA DE 75%.
A velocidade no desenvolvimento de um novo produto é um componente
muito importante da capacidade de passar à frente da concorrência.
Fatores que contribuem significativamente para o êxito de um novo produto
PORQUÊ OS NOVOS PRODUTOS FRACASSAM ?
ØOs executivos deixam de levar em consideração os resultados das
pesquisas de marketing
ØSuperestimar demanda ou o potencial de crescimento do mercado
ØPolítica de preços elevados demais para a realidade do mercado, junto
com estrutura de custos pouco competitiva
ØErros de projeto dos produtos
ØPosicionamento incorreto, não levando em consideração as reais
necessidades dos clientes
ØEstratégia de comunicação equivocada
ØCiclos de vida dos produtos cada vez mais curtos
ØAlta rivalidade entre as empresas, levando a reações extremas
TAXA
DE
75%.
CAUSAS DE FRACASSO
Ø Avaliação de mercado inadequada 45 %
Ø Problemas no produto 29 %
Ø Mix de marketing inadequado 25 %
Ø Custos maiores que os esperados 19 %
Ø Reação da concorrência 17 %
Ø Momento inadequado de lançamento 14 %
OUTRAS CAUSAS DE FRACASSO
“Interpretação
das Informações
Mercadológicas”
“Perda de Foco
em Inovações”
“Erros de Projeto
Descobertos Tarde
de Demais”
“Má
Comunicação”
“Estratégias
Inadequadas ao
Mercado Alvo
“Projetos Demais -
Lançamentos Sucessivos”
Higiene Alimentar
A Higiene Alimentar tem como objetivo estudar os métodos de: produzir, preparar
e apresentar alimentos sãos e de boa qualidade. Pode eliminar ou minimizar a presença
de agentes patogênicos evitando a ocorrência de doenças de origem alimentar.
Assim, a higiene alimentar envolve todas as medidas
necessárias para garantir a segurança e a salubridade
dos alimentos durante a preparação, processamento,
fabrico, embalagem, armazenamento, distribuição,
manuseamento e oferta para venda ou para fornecer
ao consumidor.
Higiene Alimentar
A Higiene Alimentar tem como objetivo – estudar os métodos:
Produção Preparação Apresentação
Alimentos sãos e
de boa qualidade.
A higiene dos alimentos pode eliminar ou minimizar a presença de agentes patogênicos evitando a
ocorrência de doenças de origem alimentar.
Higiene Alimentar
■ Rejeitar alimentos contaminados ou de fontes pouco confiáveis;
■ Descontaminar os alimentos, por exemplo, através da sua lavagem;
■ Proteção dos alimentos do risco de contaminação por vários agentes através da
higienização das instalações, equipamento, requerendo exigentes normas de higiene pessoal
e formação dos colaboradores.
Higiene Alimentar
■ Prevenir a multiplicação de vários organismos numa extensão que expõe os
consumidores ao risco, ou como resultado de uma decomposição prematura dos
alimentos;
■ Destruição de bactérias nos alimentos através do processamento ou cozedura;
Segurança Alimentar
A FAO define segurança alimentar como: “uma situação na qual todas as pessoas
(independentemente de raça, religião, sexo ou região), durante todo o tempo,
possuam acesso físico, social e económico a uma alimentação suficiente, segura e
nutritiva, que atenda a suas necessidades diárias e preferências alimentares para uma
vida ativa e saudável”.
Uma família é considerada em situação de
segurança alimentar a partir do momento em
que nenhum dos membros passa fome.
Prática capaz de assegurar que os géneros
alimentícios são seguros, ou seja que:
1. Não causam nenhum dano à saúde dos
consumidores, incluindo os mais sensíveis (curto a
longo prazo).
2. Não se encontram impróprios para o consumo
humano por motivos de contaminação interna ou
externa, deterioração ou decomposição (Reg. (CE)
n.o 178/2002).
Segurança Alimentar
•Higiene: medidas e condições que são essenciais à Segurança Alimentar.
•Segurança Alimentar: controlo de perigos específicos, através do HACCP.
PRINCIPAIS OPORTUNIDADES ECONÓMICAS E DE INOVAÇÃO
Inovação das embalagens: imagem melhorada e menores dimensões;
Inovação em produtos com alvo a saúde;
Sabonetes naturais e cremes hidratantes feitos com leite fresco de cabra;
Leite e
Lacticínios
Azeite
Azeite de melhor qualidade (virgem e extra virgem)
Desenvolvimento de marcas: marcas com reputação e história
Embalagens com novos formatos
Produtos certificados: DOP
Azeite com adição de ervas aromáticas (tomilho, orégão) e algas
marinhas
Embalagens pequenas para saladas prontas a consumir
Paté de azeite com ervas aromáticas
PRINCIPAIS OPORTUNIDADES ECONÓMICAS E DE INOVAÇÃO
Produtos 4a gama (embalado e pronto a comer)
Produção biológica certificada
Desenvolvimento de embalagens diferentes (crianças, babyfood)
Venda de produtos frescos para consumidores mais exigentes
Venda de cabazes de produtos da época
Produtos
Hortofrutícolas
Carnes
Quantidades menores
Prontos a comer
Embalagem: soluções para preparação simples
Sal
Certificação do produto
Novas embalagens (menos quantidade, melhor design)
Associação com outros produtos (com ervas aromáticas, flores, arroz)
PRINCIPAIS OPORTUNIDADES ECONÓMICAS E DE INOVAÇÃO
Certificação do produto (DOP)
Aperfeiçoamento da espécie (genética)
Aposta em produto Premium (excelente qualidade) para nicho Explorar
novos canais de venda e mercados alvo
Embalagens de tamanho menor
Bebidas
Alcoólicas
Mel
Produtos diferentes: mais saudáveis e com diferentes aplicações
Novas variedades (sabores e amoras)
Certificação do produto
Novas embalagens (menos quantidade, melhor design)
Associação com outros produtos (com ervas aromáticas, medronho)
PRINCIPAIS OPORTUNIDADES ECONÓMICAS E DE INOVAÇÃO
Quantidades menores
Aromáticas frescas em vaso
Design de Embalagem:
Mistura de ervas ou combinação com outros produtos (azeite), sal,
produtos cosméticos
Extração de óleos essenciais
Ervas
aromáticas
Produtos de
Pastelaria
Reformulação da receita (ingredientes e sabores)
Apresentação (dimensão, forma e acabamento)
“Novo” ingrediente que confira um sabor e aroma mais apelativo Design
com ideias e desejos individuais de cada cliente
TENDÊNCIAS DE CONSUMO
1 - Doce e salgado
A Food Dive revelou que muitos produtores optaram por “misturar doce e salgado” no mesmo
produto para fazer face à tendência de “redução do consumo de açúcar”. Em 2016, o mercado
assiste à entrada de novos produtos com esta mistura, que “atrai e entusiasma o consumidor”.
Exemplos que já́ existem são “caramelos com sal” ou “iogurtes com pepino”.
2 - A etiqueta clara
A transparência da etiqueta ganha importância acrescida nos últimos anos. As marcas seguem
tendência de reportar a origem dos ingredientes e os métodos de produção dos bens
alimentares para aumentar a confiança dos seus clientes.
3 - Estevia: o novo açúcar
A FDA recomendou a ingestão diária de açúcares presentes nos alimentos inferior a 10%. O que
fez “muitas empresas” reformularem os seus produtos ao nível dos adoçantes.
TENDÊNCIAS DE CONSUMO
4 - Atenção às Gorduras
Desde 2016, a visão dos azeites e gorduras alterou-se. O consumidor está consciente do
conteúdos das gorduras e sabe distinguir os tipos de gordura que os alimentos contém e
quando representa no consumo diário.
5- Refeições semi-vegetarianas
Muitos consumidores estão a optar por substituir a proteína animal por alternativas como algas,
grãos e feijões. Ainda que muitos não pretendam deixar de comer carne, começam a substituí-
la ocasionalmente para variarem nas suas refeições.
6 - Valor acrescentado
O consumidor procurará valor acrescentado nos produtos que consome. Vão procurar
benefícios para a digestão, para o coração ou para o sistema imunológico, por exemplo, com
qualidade a um preço acessível.
CICLO DE VIDA DE UM PRODUTO
Evolução da aceitação do produto (em volume de vendas ou lucros
obtidos) ao longo do tempo, desde o lançamento até à sua extinção
Fatores que influenciam o ciclo de vida de um produto:
q Economia
q Demografia
q Segurança
q Saúde e nutrição
q Tecnologia
q Estilo de manufatura
q Gestão de qualidade
CICLO DE VIDA DE UM PRODUTO
LANÇAMENTO DE NOVOS PRODUTOS
QUANDO ?
q Entrar antes?
q Em paralelo?
q Entrar depois?
COMO ?
ONDE ?
PARA QUEM ?
q Novos usuários?
q Heavy-users?
q Líderes de opinião?
q Acessíveis pela mídia?
q Cidade / Região?
q Nacional?
q Internacional?
Produto
Preço
Praça
Promoção
q Estratégia de
lançamento
1 TA parte 1- Introducao ao DNP.pdf
1 TA parte 1- Introducao ao DNP.pdf
1 TA parte 1- Introducao ao DNP.pdf
1 TA parte 1- Introducao ao DNP.pdf
1 TA parte 1- Introducao ao DNP.pdf
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
• Cooper, R; Kleinshmidt, E.“An Investigation into the New Product Process: Steps,
Deficiencies, and Impact”. Journal of Product Innovation Management; 1986 (3); 71-
85.
• Moskowitz H. R, Saguy I. S, Straus T. 2009.An Integrated Approach to New Food
Product Development.Taylor and Francis Group, LLC, 6000 Broken Sound Parkway
NW, Suite 300 Boca Raton, FL 33487-2742.
• Panwar; Bapat, Dhananjay (2007).“New Product Launch Strategies: Insights from
distributers’ Survey”. South Asian Journal of Managment 14 (2), 82- 91
• Duvidas e Perguntas?
q Email: wilson.semedo@us.edu.cv
q Tel: + 238 5292327

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 1 TA parte 1- Introducao ao DNP.pdf

VALOR: R$ 45,00 - LE CHEF GATÔ 2020 – ADMINISTRAÇÃO - WHATSAPP: 92984578066
VALOR: R$ 45,00 - LE CHEF GATÔ 2020 – ADMINISTRAÇÃO - WHATSAPP: 92984578066VALOR: R$ 45,00 - LE CHEF GATÔ 2020 – ADMINISTRAÇÃO - WHATSAPP: 92984578066
VALOR: R$ 45,00 - LE CHEF GATÔ 2020 – ADMINISTRAÇÃO - WHATSAPP: 92984578066
Acade Consultoria
 
Gestão e Desenvolvimento de Produtos e Marcas
Gestão e Desenvolvimento de Produtos e MarcasGestão e Desenvolvimento de Produtos e Marcas
Gestão e Desenvolvimento de Produtos e Marcas
Júnior Medeiros
 
VLR: R$45,00. INDÚSTRIA DE DOCES CASEIROS SABORES & SONHOS – LOGÍSTICA WHATSA...
VLR: R$45,00. INDÚSTRIA DE DOCES CASEIROS SABORES & SONHOS – LOGÍSTICA WHATSA...VLR: R$45,00. INDÚSTRIA DE DOCES CASEIROS SABORES & SONHOS – LOGÍSTICA WHATSA...
VLR: R$45,00. INDÚSTRIA DE DOCES CASEIROS SABORES & SONHOS – LOGÍSTICA WHATSA...
Acade Consultoria
 
Atpsempreendedorismo 130613073712-phpapp01 (1)
Atpsempreendedorismo 130613073712-phpapp01 (1)Atpsempreendedorismo 130613073712-phpapp01 (1)
Atpsempreendedorismo 130613073712-phpapp01 (1)
Christian Sousa
 
Cvp slides
Cvp slidesCvp slides
Cvp slides
Tiberio Barros
 
Gestao da produçao
Gestao da produçaoGestao da produçao
Gestao da produçao
amattos76
 
PadariaConceito-Sebrae.pdf
PadariaConceito-Sebrae.pdfPadariaConceito-Sebrae.pdf
PadariaConceito-Sebrae.pdf
ErbersonAlbuquerque
 
desenvolvimento-de-produtos-e-marcas-ld408.pdf
desenvolvimento-de-produtos-e-marcas-ld408.pdfdesenvolvimento-de-produtos-e-marcas-ld408.pdf
desenvolvimento-de-produtos-e-marcas-ld408.pdf
Ana Carla P. Silva
 
PespiCo Brasil - Plano de Marketing
PespiCo Brasil - Plano de MarketingPespiCo Brasil - Plano de Marketing
PespiCo Brasil - Plano de Marketing
Luiz Henrique Pinho de Sá
 
2trabalho normando
2trabalho normando2trabalho normando
2trabalho normando
Carvalho Junior
 
[Palestra] Reynaldo Titoff Salvador: Carne Angus - nosso aprendizado nesses 1...
[Palestra] Reynaldo Titoff Salvador: Carne Angus - nosso aprendizado nesses 1...[Palestra] Reynaldo Titoff Salvador: Carne Angus - nosso aprendizado nesses 1...
[Palestra] Reynaldo Titoff Salvador: Carne Angus - nosso aprendizado nesses 1...
AgroTalento
 
O caso do bolo Natural Cake - A presente proposta de Produção Textual em Grup...
O caso do bolo Natural Cake - A presente proposta de Produção Textual em Grup...O caso do bolo Natural Cake - A presente proposta de Produção Textual em Grup...
O caso do bolo Natural Cake - A presente proposta de Produção Textual em Grup...
HELENO FAVACHO
 
Gestão Estratégica das Organizações
Gestão Estratégica das OrganizaçõesGestão Estratégica das Organizações
Gestão Estratégica das Organizações
Kenneth Corrêa
 
ColdChainBrazil6
ColdChainBrazil6ColdChainBrazil6
ColdChainBrazil6
biasinger
 
[BeefSummit Sul] Miguel Goulart: Estudo de caso de um frigorífico focado em q...
[BeefSummit Sul] Miguel Goulart: Estudo de caso de um frigorífico focado em q...[BeefSummit Sul] Miguel Goulart: Estudo de caso de um frigorífico focado em q...
[BeefSummit Sul] Miguel Goulart: Estudo de caso de um frigorífico focado em q...
AgroTalento
 
Excelência operacional nas indústrias de embalagens e rótulos
Excelência operacional nas indústrias de embalagens e rótulosExcelência operacional nas indústrias de embalagens e rótulos
Excelência operacional nas indústrias de embalagens e rótulos
Eudes Scarpeta
 
Desenvolvendo uma Abordagem Estratégica para a Gestão de Portfólio.pptx
Desenvolvendo uma Abordagem Estratégica para a Gestão de Portfólio.pptxDesenvolvendo uma Abordagem Estratégica para a Gestão de Portfólio.pptx
Desenvolvendo uma Abordagem Estratégica para a Gestão de Portfólio.pptx
Coca Pitzer
 
Fundamentos de administração 3
Fundamentos de administração 3Fundamentos de administração 3
Fundamentos de administração 3
Andrey Martins
 
CV Federico Kladt DQ
CV Federico Kladt DQCV Federico Kladt DQ
CV Federico Kladt DQ
Federico Alfredo Kladt Kladt
 
Modelo de negocio hortmix 6.2
Modelo de negocio hortmix   6.2Modelo de negocio hortmix   6.2
Modelo de negocio hortmix 6.2
Wagner Nascimento
 

Semelhante a 1 TA parte 1- Introducao ao DNP.pdf (20)

VALOR: R$ 45,00 - LE CHEF GATÔ 2020 – ADMINISTRAÇÃO - WHATSAPP: 92984578066
VALOR: R$ 45,00 - LE CHEF GATÔ 2020 – ADMINISTRAÇÃO - WHATSAPP: 92984578066VALOR: R$ 45,00 - LE CHEF GATÔ 2020 – ADMINISTRAÇÃO - WHATSAPP: 92984578066
VALOR: R$ 45,00 - LE CHEF GATÔ 2020 – ADMINISTRAÇÃO - WHATSAPP: 92984578066
 
Gestão e Desenvolvimento de Produtos e Marcas
Gestão e Desenvolvimento de Produtos e MarcasGestão e Desenvolvimento de Produtos e Marcas
Gestão e Desenvolvimento de Produtos e Marcas
 
VLR: R$45,00. INDÚSTRIA DE DOCES CASEIROS SABORES & SONHOS – LOGÍSTICA WHATSA...
VLR: R$45,00. INDÚSTRIA DE DOCES CASEIROS SABORES & SONHOS – LOGÍSTICA WHATSA...VLR: R$45,00. INDÚSTRIA DE DOCES CASEIROS SABORES & SONHOS – LOGÍSTICA WHATSA...
VLR: R$45,00. INDÚSTRIA DE DOCES CASEIROS SABORES & SONHOS – LOGÍSTICA WHATSA...
 
Atpsempreendedorismo 130613073712-phpapp01 (1)
Atpsempreendedorismo 130613073712-phpapp01 (1)Atpsempreendedorismo 130613073712-phpapp01 (1)
Atpsempreendedorismo 130613073712-phpapp01 (1)
 
Cvp slides
Cvp slidesCvp slides
Cvp slides
 
Gestao da produçao
Gestao da produçaoGestao da produçao
Gestao da produçao
 
PadariaConceito-Sebrae.pdf
PadariaConceito-Sebrae.pdfPadariaConceito-Sebrae.pdf
PadariaConceito-Sebrae.pdf
 
desenvolvimento-de-produtos-e-marcas-ld408.pdf
desenvolvimento-de-produtos-e-marcas-ld408.pdfdesenvolvimento-de-produtos-e-marcas-ld408.pdf
desenvolvimento-de-produtos-e-marcas-ld408.pdf
 
PespiCo Brasil - Plano de Marketing
PespiCo Brasil - Plano de MarketingPespiCo Brasil - Plano de Marketing
PespiCo Brasil - Plano de Marketing
 
2trabalho normando
2trabalho normando2trabalho normando
2trabalho normando
 
[Palestra] Reynaldo Titoff Salvador: Carne Angus - nosso aprendizado nesses 1...
[Palestra] Reynaldo Titoff Salvador: Carne Angus - nosso aprendizado nesses 1...[Palestra] Reynaldo Titoff Salvador: Carne Angus - nosso aprendizado nesses 1...
[Palestra] Reynaldo Titoff Salvador: Carne Angus - nosso aprendizado nesses 1...
 
O caso do bolo Natural Cake - A presente proposta de Produção Textual em Grup...
O caso do bolo Natural Cake - A presente proposta de Produção Textual em Grup...O caso do bolo Natural Cake - A presente proposta de Produção Textual em Grup...
O caso do bolo Natural Cake - A presente proposta de Produção Textual em Grup...
 
Gestão Estratégica das Organizações
Gestão Estratégica das OrganizaçõesGestão Estratégica das Organizações
Gestão Estratégica das Organizações
 
ColdChainBrazil6
ColdChainBrazil6ColdChainBrazil6
ColdChainBrazil6
 
[BeefSummit Sul] Miguel Goulart: Estudo de caso de um frigorífico focado em q...
[BeefSummit Sul] Miguel Goulart: Estudo de caso de um frigorífico focado em q...[BeefSummit Sul] Miguel Goulart: Estudo de caso de um frigorífico focado em q...
[BeefSummit Sul] Miguel Goulart: Estudo de caso de um frigorífico focado em q...
 
Excelência operacional nas indústrias de embalagens e rótulos
Excelência operacional nas indústrias de embalagens e rótulosExcelência operacional nas indústrias de embalagens e rótulos
Excelência operacional nas indústrias de embalagens e rótulos
 
Desenvolvendo uma Abordagem Estratégica para a Gestão de Portfólio.pptx
Desenvolvendo uma Abordagem Estratégica para a Gestão de Portfólio.pptxDesenvolvendo uma Abordagem Estratégica para a Gestão de Portfólio.pptx
Desenvolvendo uma Abordagem Estratégica para a Gestão de Portfólio.pptx
 
Fundamentos de administração 3
Fundamentos de administração 3Fundamentos de administração 3
Fundamentos de administração 3
 
CV Federico Kladt DQ
CV Federico Kladt DQCV Federico Kladt DQ
CV Federico Kladt DQ
 
Modelo de negocio hortmix 6.2
Modelo de negocio hortmix   6.2Modelo de negocio hortmix   6.2
Modelo de negocio hortmix 6.2
 

Último

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 

Último (20)

TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 

1 TA parte 1- Introducao ao DNP.pdf

  • 1. NUTRIÇÃO E QUALIDADE ALIMENTAR Introdução ao Desenvolvimento de Novos produtos wilson.semedo@us.edu.cv Universidade de Santiago O FUTURO AO TEU ALCANCE
  • 2. Objetivos ¨ Conhecer os principais processos de conservação de alimentos, convencionais e emergentes; ¨ Identificar e compreender os diferentes métodos/etapas do processamento dos produtos alimentares de referência; ¨ Identificar e compreender os efeitos do processamento sobre o valor nutricional e o tempo de prateleira dos produtos alimentares de referência; ¨ Conhecer as principais técnicas e os materiais de embalagem utilizados na indústria alimentar.
  • 3. Conteúdos: Desenvolvimento de novos produtos; ¨ Conceito de novos produtos; ¨ Categoria de novos produtos; ¨ Ciclo de vida de um produto; ¨ Matriz BCG e ANSOFF; Introdução à Tecnologia dos Alimentos; q Introdução à̀ engenharia alimentar; q O conceito de alimento e sua evolução ao longo dos tempos; q Diversidade de alimentos; q Qualidade dos alimentos; q Objetivos e finalidades da indústria alimentar; q Classificação dos alimentos;
  • 4. Conteúdos: Deterioração dos Alimentos; ¨ Microbiologia dos alimentos; ¨ Deterioração de leites e derivados; ¨ Deterioração de carnes e derivados; ¨ Deterioração de frangos; ¨ Deterioração de pescados e frutos do mar; ¨ Deterioração de alimentos enlatados e envasados; ¨ Deterioração de produtos de origem vegetal; ¨ Deterioração de cereais, farinhas e produtos de panificação; ¨ Deterioração de açucares e doces;
  • 5. Conteúdos: Introdução às Fases/Etapas do Processamento dos Alimentos; ¨ Beneficiação; ¨ Elaboração; ¨ Conservação: ¨ Armazenamento; Introdução à segurança alimentar (HACCP) ¨ Higiene alimentar; ¨ Segurança alimentar; ¨ Passos da implementação do sistema HACCP;
  • 6. Conteúdos: Métodos de Conservação; ¨ Pela Acão do calor; ¨ Pela Acão do frio; ¨ Pelo controlo da humidade/aW; ¨ Por fermentação; ¨ Por modificação da atmosfera; ¨ Por adição de aditivos; ¨ Pelo uso da irradiação; ¨ Pelo uso de elevadas pressões;
  • 7. Conteúdos: Introdução à Tecnologia e Processamento de Alimentos; ¨ Tecnologia e processamento de carnes, produtos cárneos e derivados; ¨ Tecnologia e processamento de leite e derivados; ¨ Tecnologia e processamento das bebidas alcoólicas; ¨ Tecnologia e processamento de frutas e hortaliças; ¨ Tecnologia e processamento do pescado e derivados; ¨ Tecnologia e processamento de óleos e gorduras comestíveis;
  • 8. Conteúdos: Técnicas emergentes de processamento de alimentos; Técnicas e materiais de embalagem; Estudo do tempo de prateleira dos alimentos.
  • 9. Aulas práticas e TP ¨ Hambúrguer – Produção de hambúrguer de carne e de peixe. POSTER + PPT (Grupo 2 alunos) –10%. ¨ Queijo coalho e requeijão cremoso - - POSTER + PPT (Grupo 2 alunos) – 10%. ¨ Elaboração e avaliação sensorial da geleia - POSTER + PPT (Grupo 2 alunos) – 10%.
  • 10. Avaliação CF = 0,5 ×CT + 0,4 × CP + 0,1×AD Ø Componente teórica (CT) – Um teste, com a contribuição de 50% na nota final. A aprovação nesta componente obter-se-á com classificação mínima de 10 valores. Ø Componente prática (CP)- Realização de trabalhos elaborados em grupos, com o peso de 40% na nota final (4 trabalhos). A aprovação nesta componente faz-se com classificação mínima de 10 valores. Ø Assiduidade e desempenho do aluno (AD) - com o peso de 10% na nota final da unidade curricular.
  • 11. DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS • “Produto novo” refere-se a um produto ou conceito, totalmente novo para o mercado, ou a um produto novo para a empresa, apesar de produtos semelhantes já existirem no mercado (Panwar, Dhananjay, 2007). • No atual mundo globalizado o ritmo de inovações e lançamentos no mercado é muito grande, e produtos concorrentes poderão surgir em qualquer parte do mundo. As classificações gerais para lançamento de novos produtos são: otimização de custos, melhorias de produto, extensões de linha, extensões de mercado, extensões de marca, e produtos novos ao mundo (Panwar, Dhananjay, 2007).
  • 12. DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS O conceito passa, basicamente, por um método de pesquisa com base em dados, etapas produtivas e viabilidade comercial, que resulta em um produto finalizado, concreto e tangível. Ø DNP não se trata apenas do produto final, pronto e embalado para o consumidor, mas o desenvolvimento desde a descoberta até como se chegar ao produto final desejado. Ø O foco de DNP não está em como produzir os produtos a serem vendidos, mas em como desenvolver produto que satisfaçam às necessidades dos consumidores sempre.
  • 13. CONCEITO DE NOVOS PRODUTOS • Essenciais para a viabilidade de uma empresa. • Novos produtos: novas versões ou mudanças no processo de produção. Em qualquer setor, para crescer a empresa deve aprender a pesquisar INOVAÇÕES e ter agilidade para alcançá-las de forma pioneira no mercado.
  • 14. O QUE É INOVAÇÃO? O desenho, invenção, desenvolvimento e/ou implementação de produtos novos ou alterados, serviços, processos, sistemas, estruturas organizacionais, ou modelos de negócios com o objetivo de criar novo valor para os clientes e retorno financeiro para o empresário ou empresa. A indústria de alimentos é principal setor da Europa Embora a indústria alimentar é classificado como “Low Tech”, as empresas deste setor exibem alta tendência de inovação com milhares de novos produtos lançados no mercado todos os anos.
  • 15. CONDIÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS Segmentação do Mercado (Estudo de mercado) Seleção dos Clientes-Alvo Entendimento das Necessidades Desenvolvimento de Novos Produtos
  • 16. Ø DESENVOLVIMENTO: entrar em um novo mercado como mercados/produtos mais atraentes. Ø MANUTENÇÃO: manter o posicionamento da empresa no mercado.
  • 17. TIPOS DE NOVOS PRODUTOS 1. Produtos novos para o mundo 2. Novas categorias de produtos 3.Adicionais a linhas de produtos 4. Melhorias em produtos 5. Reposicionamentos
  • 18. CARACTERIZAÇÃO DE NOVOS PRODUTOS Tipo de novos produtos Carateristicas Exemplos EXTENSÕES DE LINHA “mais do mesmo” • Poucas exigências. • Não há necessidade de aquisição de equipamentos • Não há necessidade de alterar estratégia de marketing. o Alteração de um aromatizante a um alimento o Adição de uma salada de feijão a uma linha de produção de feijão enlatado. PRODUTO EXISTENTE REPOSICIONADO “novos usos para velhos produtos” • Poucas exigências. • Manufatura não é afetada • Marketing e estratégias de vendas terão de ser reavaliadas. o Bolacha com elevado teor de fibra
  • 19. CARACTERIZAÇÃO DE NOVOS PRODUTOS Tipo de novos produtos Carateristicas Exemplos NOVO FORMATO OU TAMANHO DE PRODUTO EXISTENTE • Impacto considerável. • Pode envolver investimento significativo em equipamentos • Reprogramação de vendas e marketing. o Aumentar a embalagem de queijo de 200g para 700g. REFORMULAÇÃO DE PRODUTO EXISTENTE “fórmula melhorada” • Pouco impacto em equipamentos e marketing/vendas. • Investimento variável consoante reformulação o Colocar pedaços de frutos em iogurtes aromatizados.
  • 20. CARACTERIZAÇÃO DE NOVOS PRODUTOS Tipo de novos produtos Carateristicas Exemplos PRODUTOS INOVADORES • Elevado investimento • Tempo de desenvolvimento pode ser extenso. •Pode requerer uma nova planta de processamento (ou mesmo desenvolvimento de equipamento especifico) •Revisão total de estratégias de marketing •Elevado risco de insucesso
  • 21. CARACTERIZAÇÃO DE NOVOS PRODUTOS Melhorias de produtos existentes ( 26% ) Produtos novos para o mundo ( 10% ) Novas linhas de produto ( 20 %) Reduções de custo ( 11% ) Acréscimo Linhas Existentes ( 26 % ) Reposicionamento ( 7% ) Taxa de Sucesso
  • 22. RAZOES PARA DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS qMudanças de necessidades, hábitos e gostos dos consumidores; qSurgimento de novas tecnologias (produtos substitutos); qCiclos de vida dos produtos cada vez mais curtos; qAmbiente de competição cada vez mais acirrada; qAltos investimentos no desenvolvimento de protótipos; ESTUDOS RECENTES INDICAM TAXA DE FRACASSO DE CERCA DE 75%.
  • 23. A velocidade no desenvolvimento de um novo produto é um componente muito importante da capacidade de passar à frente da concorrência. Fatores que contribuem significativamente para o êxito de um novo produto
  • 24. PORQUÊ OS NOVOS PRODUTOS FRACASSAM ? ØOs executivos deixam de levar em consideração os resultados das pesquisas de marketing ØSuperestimar demanda ou o potencial de crescimento do mercado ØPolítica de preços elevados demais para a realidade do mercado, junto com estrutura de custos pouco competitiva ØErros de projeto dos produtos ØPosicionamento incorreto, não levando em consideração as reais necessidades dos clientes ØEstratégia de comunicação equivocada ØCiclos de vida dos produtos cada vez mais curtos ØAlta rivalidade entre as empresas, levando a reações extremas TAXA DE 75%.
  • 25. CAUSAS DE FRACASSO Ø Avaliação de mercado inadequada 45 % Ø Problemas no produto 29 % Ø Mix de marketing inadequado 25 % Ø Custos maiores que os esperados 19 % Ø Reação da concorrência 17 % Ø Momento inadequado de lançamento 14 %
  • 26. OUTRAS CAUSAS DE FRACASSO “Interpretação das Informações Mercadológicas” “Perda de Foco em Inovações” “Erros de Projeto Descobertos Tarde de Demais” “Má Comunicação” “Estratégias Inadequadas ao Mercado Alvo “Projetos Demais - Lançamentos Sucessivos”
  • 27. Higiene Alimentar A Higiene Alimentar tem como objetivo estudar os métodos de: produzir, preparar e apresentar alimentos sãos e de boa qualidade. Pode eliminar ou minimizar a presença de agentes patogênicos evitando a ocorrência de doenças de origem alimentar. Assim, a higiene alimentar envolve todas as medidas necessárias para garantir a segurança e a salubridade dos alimentos durante a preparação, processamento, fabrico, embalagem, armazenamento, distribuição, manuseamento e oferta para venda ou para fornecer ao consumidor.
  • 28. Higiene Alimentar A Higiene Alimentar tem como objetivo – estudar os métodos: Produção Preparação Apresentação Alimentos sãos e de boa qualidade. A higiene dos alimentos pode eliminar ou minimizar a presença de agentes patogênicos evitando a ocorrência de doenças de origem alimentar.
  • 29. Higiene Alimentar ■ Rejeitar alimentos contaminados ou de fontes pouco confiáveis; ■ Descontaminar os alimentos, por exemplo, através da sua lavagem; ■ Proteção dos alimentos do risco de contaminação por vários agentes através da higienização das instalações, equipamento, requerendo exigentes normas de higiene pessoal e formação dos colaboradores.
  • 30. Higiene Alimentar ■ Prevenir a multiplicação de vários organismos numa extensão que expõe os consumidores ao risco, ou como resultado de uma decomposição prematura dos alimentos; ■ Destruição de bactérias nos alimentos através do processamento ou cozedura;
  • 31. Segurança Alimentar A FAO define segurança alimentar como: “uma situação na qual todas as pessoas (independentemente de raça, religião, sexo ou região), durante todo o tempo, possuam acesso físico, social e económico a uma alimentação suficiente, segura e nutritiva, que atenda a suas necessidades diárias e preferências alimentares para uma vida ativa e saudável”. Uma família é considerada em situação de segurança alimentar a partir do momento em que nenhum dos membros passa fome.
  • 32. Prática capaz de assegurar que os géneros alimentícios são seguros, ou seja que: 1. Não causam nenhum dano à saúde dos consumidores, incluindo os mais sensíveis (curto a longo prazo). 2. Não se encontram impróprios para o consumo humano por motivos de contaminação interna ou externa, deterioração ou decomposição (Reg. (CE) n.o 178/2002). Segurança Alimentar
  • 33. •Higiene: medidas e condições que são essenciais à Segurança Alimentar. •Segurança Alimentar: controlo de perigos específicos, através do HACCP.
  • 34. PRINCIPAIS OPORTUNIDADES ECONÓMICAS E DE INOVAÇÃO Inovação das embalagens: imagem melhorada e menores dimensões; Inovação em produtos com alvo a saúde; Sabonetes naturais e cremes hidratantes feitos com leite fresco de cabra; Leite e Lacticínios Azeite Azeite de melhor qualidade (virgem e extra virgem) Desenvolvimento de marcas: marcas com reputação e história Embalagens com novos formatos Produtos certificados: DOP Azeite com adição de ervas aromáticas (tomilho, orégão) e algas marinhas Embalagens pequenas para saladas prontas a consumir Paté de azeite com ervas aromáticas
  • 35. PRINCIPAIS OPORTUNIDADES ECONÓMICAS E DE INOVAÇÃO Produtos 4a gama (embalado e pronto a comer) Produção biológica certificada Desenvolvimento de embalagens diferentes (crianças, babyfood) Venda de produtos frescos para consumidores mais exigentes Venda de cabazes de produtos da época Produtos Hortofrutícolas Carnes Quantidades menores Prontos a comer Embalagem: soluções para preparação simples Sal Certificação do produto Novas embalagens (menos quantidade, melhor design) Associação com outros produtos (com ervas aromáticas, flores, arroz)
  • 36. PRINCIPAIS OPORTUNIDADES ECONÓMICAS E DE INOVAÇÃO Certificação do produto (DOP) Aperfeiçoamento da espécie (genética) Aposta em produto Premium (excelente qualidade) para nicho Explorar novos canais de venda e mercados alvo Embalagens de tamanho menor Bebidas Alcoólicas Mel Produtos diferentes: mais saudáveis e com diferentes aplicações Novas variedades (sabores e amoras) Certificação do produto Novas embalagens (menos quantidade, melhor design) Associação com outros produtos (com ervas aromáticas, medronho)
  • 37. PRINCIPAIS OPORTUNIDADES ECONÓMICAS E DE INOVAÇÃO Quantidades menores Aromáticas frescas em vaso Design de Embalagem: Mistura de ervas ou combinação com outros produtos (azeite), sal, produtos cosméticos Extração de óleos essenciais Ervas aromáticas Produtos de Pastelaria Reformulação da receita (ingredientes e sabores) Apresentação (dimensão, forma e acabamento) “Novo” ingrediente que confira um sabor e aroma mais apelativo Design com ideias e desejos individuais de cada cliente
  • 38. TENDÊNCIAS DE CONSUMO 1 - Doce e salgado A Food Dive revelou que muitos produtores optaram por “misturar doce e salgado” no mesmo produto para fazer face à tendência de “redução do consumo de açúcar”. Em 2016, o mercado assiste à entrada de novos produtos com esta mistura, que “atrai e entusiasma o consumidor”. Exemplos que já́ existem são “caramelos com sal” ou “iogurtes com pepino”. 2 - A etiqueta clara A transparência da etiqueta ganha importância acrescida nos últimos anos. As marcas seguem tendência de reportar a origem dos ingredientes e os métodos de produção dos bens alimentares para aumentar a confiança dos seus clientes. 3 - Estevia: o novo açúcar A FDA recomendou a ingestão diária de açúcares presentes nos alimentos inferior a 10%. O que fez “muitas empresas” reformularem os seus produtos ao nível dos adoçantes.
  • 39. TENDÊNCIAS DE CONSUMO 4 - Atenção às Gorduras Desde 2016, a visão dos azeites e gorduras alterou-se. O consumidor está consciente do conteúdos das gorduras e sabe distinguir os tipos de gordura que os alimentos contém e quando representa no consumo diário. 5- Refeições semi-vegetarianas Muitos consumidores estão a optar por substituir a proteína animal por alternativas como algas, grãos e feijões. Ainda que muitos não pretendam deixar de comer carne, começam a substituí- la ocasionalmente para variarem nas suas refeições. 6 - Valor acrescentado O consumidor procurará valor acrescentado nos produtos que consome. Vão procurar benefícios para a digestão, para o coração ou para o sistema imunológico, por exemplo, com qualidade a um preço acessível.
  • 40. CICLO DE VIDA DE UM PRODUTO Evolução da aceitação do produto (em volume de vendas ou lucros obtidos) ao longo do tempo, desde o lançamento até à sua extinção Fatores que influenciam o ciclo de vida de um produto: q Economia q Demografia q Segurança q Saúde e nutrição q Tecnologia q Estilo de manufatura q Gestão de qualidade
  • 41. CICLO DE VIDA DE UM PRODUTO
  • 42. LANÇAMENTO DE NOVOS PRODUTOS QUANDO ? q Entrar antes? q Em paralelo? q Entrar depois? COMO ? ONDE ? PARA QUEM ? q Novos usuários? q Heavy-users? q Líderes de opinião? q Acessíveis pela mídia? q Cidade / Região? q Nacional? q Internacional? Produto Preço Praça Promoção q Estratégia de lançamento
  • 48. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: • Cooper, R; Kleinshmidt, E.“An Investigation into the New Product Process: Steps, Deficiencies, and Impact”. Journal of Product Innovation Management; 1986 (3); 71- 85. • Moskowitz H. R, Saguy I. S, Straus T. 2009.An Integrated Approach to New Food Product Development.Taylor and Francis Group, LLC, 6000 Broken Sound Parkway NW, Suite 300 Boca Raton, FL 33487-2742. • Panwar; Bapat, Dhananjay (2007).“New Product Launch Strategies: Insights from distributers’ Survey”. South Asian Journal of Managment 14 (2), 82- 91
  • 49. • Duvidas e Perguntas? q Email: wilson.semedo@us.edu.cv q Tel: + 238 5292327