SlideShare uma empresa Scribd logo
1
Ministério da Justiça
Secretaria Executiva
06 de junho de 2014
1º BOLETIM DE SEGURANÇA PÚBLICA
Este boletim é uma atualização de informações preliminares divulgadas pelo Ministério da
Justiça em novembro de 2013 sobre a evolução dos investimentos em segurança pública.
O objetivo deste documento é apresentar dados com histórico de despesas empenhadas em
custeio e capital pelas unidades vinculadas ao MJ diretamente relacionadas às atividades de
Segurança Pública, a saber: Departamento de Polícia Federal, Departamento de Polícia
Rodoviária Federal, Secretaria Nacional de Segurança Pública, Departamento Penitenciário
Nacional, Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos e Secretaria Nacional
de Política sobre Drogas.
É importante esclarecer que até o ano de 2013 os valores informados são referentes ao
empenho de despesas. Como o ano de 2014 ainda está em curso, considerou-se o valor
previsto para execução. Todos os valores apresentados estão em bilhões e já atualizados de
acordo com o IPCA-E (IBGE). Os esclarecimentos técnicos sobre os valores considerados
encontram-se ao final deste documento.
O Gráfico 1 apresenta uma evolução do total de despesas investidas em segurança pública
pelo MJ durante o Governo Dilma (2011-2014). Os valores apresentados estão em bilhões e,
assim como nos demais gráficos, já estão atualizados de acordo com o IPCA-E (IBGE).
Gráfico 1 - Despesas MJ 2011-2014
(em bilhões de reais)
2
O Gráfico 2 expande a análise anterior, ao considerar valores de despesas investidas em
segurança pública pelo MJ desde 1995.
Gráfico 2 - Despesas MJ 1995-2013
(em bilhões de reais)
1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014
0,5 0,6 0,7 0,9 0,7 1,8 2,7 1,9 1,8 1,9 1,9 2,1 2,9 3,7 3,3 3,7 3,0 3,7 3,9 3,8
Pela leitura do gráfico, percebe-se que os investimentos mantiveram-se abaixo da casa do R$ 1
bilhão até 1999, a partir de quando se verificou um crescimento significativo até alcançar, em
2001, um pico de R$ 2,7 bilhões, estabilizando-se nos anos seguintes pouco abaixo da casa de
R$ 2 bilhões. Como ficará evidenciado nos gráficos seguintes, este acréscimo se justifica em
grande medida pelo aumento de investimentos realizados pela Secretaria Nacional de
Segurança Pública e pelo Departamento Penitenciário Nacional.
Observa-se um novo ciclo de crescimento a partir de 2006, quando o valor total de
investimento em segurança pública do MJ passa a registrar – com pequenas variações para
mais ou para menos – entre 3 e 4 bilhões de reais. Este novo ciclo de crescimento decorre, em
um primeiro momento, da instituição do pagamento de Bolsas-Formação1
a agentes de
segurança pública dos Estados no âmbito do Programa Nacional de Segurança com Cidadania
(Pronasci).
A partir de 2011 verifica-se um novo momento de crescimento, caracterizado pelo grande
aporte de recursos em despesas de capital decorrentes dos investimentos direcionados ao
1
O Bolsa-Formação é uma transferência direta de renda, com condicionalidades, que beneficia profissionais de segurança pública
e justiça criminal em todo país, que atendam a todas as condições prescritas no programa (inclusive estar matriculado ou ter
participado de curso oferecido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública).
3
aparelhamento de instituições vinculadas à Segurança Pública em Grandes Eventos e também
em ações de Informação e Inteligência.
O Gráfico 3 decompõe os mesmos valores trazidos acima, dividindo-os em despesas de custeio
e de capital.
Gráfico 3 - Despesas MJ “Custeio x Capital”
(em bilhões de reais)
GND 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014
Custeio 0,3 0,4 0,4 0,4 0,5 0,6 0,9 0,9 1,0 1,0 1,1 1,0 1,7 2,1 2,4 2,8 2,3 2,0 2,1 2,1
Capital 0,2 0,2 0,3 0,5 0,1 1,2 1,7 1,1 0,8 0,9 0,8 1,1 1,2 1,6 0,9 0,9 0,7 1,8 1,9 1,7
Como já mencionado, o aumento nas despesas de custeio a partir de 2007 devem-se à
instituição do programa Bolsa-Formação, que se reduz a partir de 2011. Por outro lado,
percebe-se um aumento de mais de R$1 bilhão em despesas de capital empenhadas entre
2011 e 2012, mantendo-se esses investimentos próximos de R$2 bilhões nos anos de 2013 e
2014. Esse acréscimo está diretamente relacionado ao investimento em aparelhamento das
instituições de Segurança Pública vinculadas à Segurança de Grandes Eventos, com destaque
para a aquisição de equipamentos para o Sistema Integrado de Comando e Controle.
O Gráfico 4 também decompõe os valores totais de investimentos do MJ em segurança pública
trazidos no Gráfico 1, agora dividindo por Unidades do Ministério.
4
Gráfico 4 - Despesas MJ por Unidade
(em bilhões de reais)
Unidade 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014
DEPEN 142 135 234 324 71 347 598 278 228 250 252 455 293 316 133 114 109 466 353 334
PF 204 259 310 327 369 563 766 710 742 869 921 829 1016 1034 851 1035 1031 1070 1015 907
PRF 166 194 138 280 225 262 333 223 252 244 338 298 354 314 337 358 481 552 629 486
SENAD 1 8 17 11 12 8 16 21 26 10 6 16 15 16 15 113 20 78 171 247
SENASP 0 14 12 10 4 634 947 714 583 495 394 520 1238 1977 1944 2094 1320 1055 935 1159
SESGE 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 477 633 428
DEMAIS 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 143 160 215
Novamente, percebe-se no gráfico o pico de gastos da Secretaria Nacional de Segurança
Pública (SENASP) entre os anos de 2007 e 2010 – que como já explicamos se justifica pelo
pagamento de Bolsas-Formação. Outro movimento também já evidenciado é o crescimento
das despesas da Secretaria Extraordinária para Grandes Eventos a partir de 2012. Por fim, cabe
destacar nesse gráfico o crescimento dos investimentos da Secretaria Nacional de Política
sobre Drogas e da Secretaria Nacional de Segurança Pública.
5
Gráfico 5 - Despesas MJ por Modalidade de Aplicação
(em bilhões de reais)
O Gráfico 5 decompõe os investimentos em segurança pública em modalidades de aplicação.
1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014
Transferências
a Estados e ao
Distrito
Federal
67 964 1439 923 740 523 300 472 530 1344 506 356 251 865 717 789
Transferências
a Municípios
0 0 42 13 19 43 30 22 64 235 187 217 70 58 89 44
Aplicações
Diretas
580 808 1111 952 997 1237 1503 1539 2199 1944 2479 3004 2599 2739 3048 2963
Outros 35 43 69 60 75 64 77 83 124 133 107 138 40 66 73 28
Pelo gráfico percebe-se que, cada vez mais, o Ministério da Justiça tem optado por
executar suas despesas por meio de aquisições centralizadas pelo próprio Ministério, ao invés
de se limitar à transferência de recursos para Estados e Municípios. Esta opção é resultado do
diagnóstico técnico de que aquisições centralizadas com posterior doação aos entes federados
permite otimizar os processos licitatórios, promovendo maior eficiência na execução das
despesas com redução dos custos e maior transparência orçamentária. Ou seja, essa redução
não significa menos investimento em segurança pública do MJ nos Estados. Significa uma
mudança na forma de fazer esses investimentos, com prioridade para as aquisições
centralizadas com posterior doação. Exemplos desse modelo são os equipamentos adquiridos
pela Secretaria Extraordinária de Segurança Pública para Grandes Eventos, que foram doados
6
aos 12 Estados que sediarão jogos da Copa, somando um total de R$910 milhões entre 2011 e
2014.
Esclarecimentos Técnicos
Esclarecendo aspectos técnicos deste Boletim, são consideradas como custeio as despesas
com manutenção de serviços, material de consumo, conservação e reforma de bens de posse
do poder público, entre outros gastos desta natureza. Já despesas de capital são aquelas
destinadas a execução de obras, aquisição de bens, entre outras ações que implicam
investimentos, inversões financeiras ou transferência de capital. Como mencionado acima,
tanto despesas de custeio quanto de capital foram consideradas para as análises deste
Boletim.
Não são consideradas na análise, porém, as despesas do Ministério da Justiça com pessoal.
Isso não quer dizer, é claro, que esses gastos executados pelo MJ não repercutam na qualidade
das atividades de segurança pública desempenhadas pela Pasta. A opção por excluir os gastos
com pessoal desta análise se justifica, no caso, pela opção por dar maior destaque às despesas
discricionárias, ficando a análise sobre gastos com pessoal para Boletim futuro.
Recortes Metodológicos
1º) Todas as Despesas Correntes e de Capital (OCC), exceto Pessoal e Serviços da Dívida
(*Despesas Empenhadas nos Grupos de Naturezas de Despesas correntes - 3(Custeio) e de
capital - 4(Investimentos) e 5(Inversão Financeira) ): GND=3, 4, 5 (inclusive Benefícios)
2º) Toda a Função 06 – Segurança Pública (Classificação Funcional de acordo com o Manual
Técnico de Orçamento), dentro do MJ (Órgão 30) exceto Denatran/FUNSET, DPU, SDH;
3º) Todas as Despesas das unidades PF, PRF, Senasp/Pronasci/FNSP, Depen/Funpen e SESGE,
independente da Função 06, inclusive Senad/FUNAD quando pertencia à Presidência da
República (Unidade Orçamentária 20926);
4º) As Despesas alocadas no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para Segurança
de Grandes Eventos vinculadas ao Ministério da Justiça;
5º) As Despesas categorizadas como “demais” referem-se aos valores empenhados na função
06 de outras unidades do Ministério da Justiça, que foram agregadas com o objetivo de
melhorar a visualização gráfica dos dados.
6º) Em 2014, foi considerado o valor de PLOA, menos as emendas supressivas, mais as
emendas individuais de execução obrigatória (art.52 da LDO).
7º) Eventuais divergências entre os valores considerados individualmente e os respectivos
somatórios devem-se aos arredondamentos utilizados a partir da segunda casa decimal.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentacao fonac
Apresentacao fonacApresentacao fonac
Apresentacao fonac
fonacrj
 
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIALPROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
SindicatoSJBV
 
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Ministério da Economia
 
Apresentação – O desafio do ajuste fiscal (16/08/2016)
Apresentação – O desafio do ajuste fiscal (16/08/2016)Apresentação – O desafio do ajuste fiscal (16/08/2016)
Apresentação – O desafio do ajuste fiscal (16/08/2016)
Ministério da Economia
 
Apresentação - O desafio do ajuste fiscal estrutural (12/08/2016)
Apresentação - O desafio do ajuste fiscal estrutural (12/08/2016)Apresentação - O desafio do ajuste fiscal estrutural (12/08/2016)
Apresentação - O desafio do ajuste fiscal estrutural (12/08/2016)
Ministério da Economia
 
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Ministério da Economia
 
Everson Costa - Conjuntura Econômica
Everson Costa - Conjuntura EconômicaEverson Costa - Conjuntura Econômica
Apresentacao Joaquim Levy no Bank of America
Apresentacao Joaquim Levy no Bank of AmericaApresentacao Joaquim Levy no Bank of America
Apresentacao Joaquim Levy no Bank of America
Palácio do Planalto
 
Orçamento 2014 - Projeto de Lei
Orçamento 2014 - Projeto de LeiOrçamento 2014 - Projeto de Lei
Estratégia de crescimento num cenário mundial adverso guido mantega
Estratégia de crescimento num cenário mundial adverso   guido mantegaEstratégia de crescimento num cenário mundial adverso   guido mantega
Estratégia de crescimento num cenário mundial adverso guido mantega
Jose Aldemir Freire
 
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Ministério da Economia
 
Transparência das informações das contas públicas brasileiras
Transparência das informações das contas públicas brasileirasTransparência das informações das contas públicas brasileiras
Transparência das informações das contas públicas brasileiras
Ministério da Economia
 
Em busca da Qualidade do Gasto Público: monitoramento, avaliação e sustentabi...
Em busca da Qualidade do Gasto Público: monitoramento, avaliação e sustentabi...Em busca da Qualidade do Gasto Público: monitoramento, avaliação e sustentabi...
Em busca da Qualidade do Gasto Público: monitoramento, avaliação e sustentabi...
Ministério da Economia
 
Apresentação – 20 mitos sobre a reforma da Previdência (08/05/2017)
Apresentação – 20 mitos sobre a reforma da Previdência (08/05/2017)Apresentação – 20 mitos sobre a reforma da Previdência (08/05/2017)
Apresentação – 20 mitos sobre a reforma da Previdência (08/05/2017)
Ministério da Economia
 
Ldo sefaz seplan 2014 versão 6.0
Ldo sefaz   seplan  2014 versão 6.0Ldo sefaz   seplan  2014 versão 6.0
Ldo sefaz seplan 2014 versão 6.0
Wagner Cunha e Torre Torres
 
PEC 241 - Austeridade
PEC 241 - AusteridadePEC 241 - Austeridade
PEC 241 - Austeridade
Carlos Eduardo
 
Road show infraestrutura_no_brasil_2013
Road show infraestrutura_no_brasil_2013Road show infraestrutura_no_brasil_2013
Road show infraestrutura_no_brasil_2013
FIA Business School
 
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
Ministério da Economia
 
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Ministério da Economia
 

Mais procurados (19)

Apresentacao fonac
Apresentacao fonacApresentacao fonac
Apresentacao fonac
 
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIALPROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
PROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL
 
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
 
Apresentação – O desafio do ajuste fiscal (16/08/2016)
Apresentação – O desafio do ajuste fiscal (16/08/2016)Apresentação – O desafio do ajuste fiscal (16/08/2016)
Apresentação – O desafio do ajuste fiscal (16/08/2016)
 
Apresentação - O desafio do ajuste fiscal estrutural (12/08/2016)
Apresentação - O desafio do ajuste fiscal estrutural (12/08/2016)Apresentação - O desafio do ajuste fiscal estrutural (12/08/2016)
Apresentação - O desafio do ajuste fiscal estrutural (12/08/2016)
 
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
 
Everson Costa - Conjuntura Econômica
Everson Costa - Conjuntura EconômicaEverson Costa - Conjuntura Econômica
Everson Costa - Conjuntura Econômica
 
Apresentacao Joaquim Levy no Bank of America
Apresentacao Joaquim Levy no Bank of AmericaApresentacao Joaquim Levy no Bank of America
Apresentacao Joaquim Levy no Bank of America
 
Orçamento 2014 - Projeto de Lei
Orçamento 2014 - Projeto de LeiOrçamento 2014 - Projeto de Lei
Orçamento 2014 - Projeto de Lei
 
Estratégia de crescimento num cenário mundial adverso guido mantega
Estratégia de crescimento num cenário mundial adverso   guido mantegaEstratégia de crescimento num cenário mundial adverso   guido mantega
Estratégia de crescimento num cenário mundial adverso guido mantega
 
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
 
Transparência das informações das contas públicas brasileiras
Transparência das informações das contas públicas brasileirasTransparência das informações das contas públicas brasileiras
Transparência das informações das contas públicas brasileiras
 
Em busca da Qualidade do Gasto Público: monitoramento, avaliação e sustentabi...
Em busca da Qualidade do Gasto Público: monitoramento, avaliação e sustentabi...Em busca da Qualidade do Gasto Público: monitoramento, avaliação e sustentabi...
Em busca da Qualidade do Gasto Público: monitoramento, avaliação e sustentabi...
 
Apresentação – 20 mitos sobre a reforma da Previdência (08/05/2017)
Apresentação – 20 mitos sobre a reforma da Previdência (08/05/2017)Apresentação – 20 mitos sobre a reforma da Previdência (08/05/2017)
Apresentação – 20 mitos sobre a reforma da Previdência (08/05/2017)
 
Ldo sefaz seplan 2014 versão 6.0
Ldo sefaz   seplan  2014 versão 6.0Ldo sefaz   seplan  2014 versão 6.0
Ldo sefaz seplan 2014 versão 6.0
 
PEC 241 - Austeridade
PEC 241 - AusteridadePEC 241 - Austeridade
PEC 241 - Austeridade
 
Road show infraestrutura_no_brasil_2013
Road show infraestrutura_no_brasil_2013Road show infraestrutura_no_brasil_2013
Road show infraestrutura_no_brasil_2013
 
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
 
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
 

Destaque

Boletim Força Nacional 2013
Boletim Força Nacional 2013Boletim Força Nacional 2013
Boletim Força Nacional 2013
Ministério da Justiça
 
O refúgio em minha vida
O refúgio em minha vidaO refúgio em minha vida
O refúgio em minha vida
inovaDay .
 
Declaracao do Brasil - Cartagena + 30
Declaracao do Brasil - Cartagena + 30Declaracao do Brasil - Cartagena + 30
Declaracao do Brasil - Cartagena + 30
Ministério da Justiça
 
Boletim Consumo e Finança - Senacon e BC
Boletim Consumo e Finança - Senacon e BCBoletim Consumo e Finança - Senacon e BC
Boletim Consumo e Finança - Senacon e BC
Ministério da Justiça
 
Guia de Formação para Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas
Guia de Formação para Rede de Enfrentamento ao Tráfico de PessoasGuia de Formação para Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas
Guia de Formação para Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas
Ministério da Justiça
 
Entenda o Anteprojeto de Lei de Migrações
Entenda o Anteprojeto de Lei de MigraçõesEntenda o Anteprojeto de Lei de Migrações
Entenda o Anteprojeto de Lei de Migrações
Ministério da Justiça
 
Cadernos Temáticos sobre Tráfico de Pessoas Volume 2: Migração e Tráfico de P...
Cadernos Temáticos sobre Tráfico de Pessoas Volume 2: Migração e Tráfico de P...Cadernos Temáticos sobre Tráfico de Pessoas Volume 2: Migração e Tráfico de P...
Cadernos Temáticos sobre Tráfico de Pessoas Volume 2: Migração e Tráfico de P...
Ministério da Justiça
 
Resolução Conatrap | Tráfico de pessoas nos Grandes Eventos
Resolução Conatrap | Tráfico de pessoas nos Grandes EventosResolução Conatrap | Tráfico de pessoas nos Grandes Eventos
Resolução Conatrap | Tráfico de pessoas nos Grandes Eventos
Ministério da Justiça
 
Caderno de Propostar da Comigrar
Caderno de Propostar da ComigrarCaderno de Propostar da Comigrar
Caderno de Propostar da Comigrar
Ministério da Justiça
 
O que é o Atlas de Acesso à Justiça?
O que é o Atlas de Acesso à Justiça?O que é o Atlas de Acesso à Justiça?
O que é o Atlas de Acesso à Justiça?
Ministério da Justiça
 
Comigrar | Caderno de Proposta
Comigrar | Caderno de PropostaComigrar | Caderno de Proposta
Comigrar | Caderno de Proposta
Ministério da Justiça
 
Pesquisa Classificação Indicativa -
Pesquisa Classificação Indicativa - Pesquisa Classificação Indicativa -
Pesquisa Classificação Indicativa -
Ministério da Justiça
 
O tempo do processo de homicídio doloso em cinco capitais
O tempo do processo de homicídio doloso em cinco capitaisO tempo do processo de homicídio doloso em cinco capitais
O tempo do processo de homicídio doloso em cinco capitais
Ministério da Justiça
 
Anteprojeto novo estatuto_estrangeiro
Anteprojeto   novo estatuto_estrangeiroAnteprojeto   novo estatuto_estrangeiro
Anteprojeto novo estatuto_estrangeiro
Ministério da Justiça
 
Pesquisa Classificação Indicativa - Redes, fusos e o respeito à vinculação ho...
Pesquisa Classificação Indicativa - Redes, fusos e o respeito à vinculação ho...Pesquisa Classificação Indicativa - Redes, fusos e o respeito à vinculação ho...
Pesquisa Classificação Indicativa - Redes, fusos e o respeito à vinculação ho...
Ministério da Justiça
 
Comigrar | Manual do Participante
Comigrar | Manual do ParticipanteComigrar | Manual do Participante
Comigrar | Manual do Participante
Ministério da Justiça
 
Protegendo os Direitos dos Apátridas
Protegendo os Direitos dos ApátridasProtegendo os Direitos dos Apátridas
Protegendo os Direitos dos Apátridas
Ministério da Justiça
 
Classificação Indicativa -Artigo Final
Classificação Indicativa -Artigo FinalClassificação Indicativa -Artigo Final
Classificação Indicativa -Artigo Final
Ministério da Justiça
 
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
Ministério da Justiça
 
Boletim Consumo e Finanças - Pacotes e Serviços Bancários
Boletim Consumo e Finanças - Pacotes e Serviços BancáriosBoletim Consumo e Finanças - Pacotes e Serviços Bancários
Boletim Consumo e Finanças - Pacotes e Serviços Bancários
Ministério da Justiça
 

Destaque (20)

Boletim Força Nacional 2013
Boletim Força Nacional 2013Boletim Força Nacional 2013
Boletim Força Nacional 2013
 
O refúgio em minha vida
O refúgio em minha vidaO refúgio em minha vida
O refúgio em minha vida
 
Declaracao do Brasil - Cartagena + 30
Declaracao do Brasil - Cartagena + 30Declaracao do Brasil - Cartagena + 30
Declaracao do Brasil - Cartagena + 30
 
Boletim Consumo e Finança - Senacon e BC
Boletim Consumo e Finança - Senacon e BCBoletim Consumo e Finança - Senacon e BC
Boletim Consumo e Finança - Senacon e BC
 
Guia de Formação para Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas
Guia de Formação para Rede de Enfrentamento ao Tráfico de PessoasGuia de Formação para Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas
Guia de Formação para Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas
 
Entenda o Anteprojeto de Lei de Migrações
Entenda o Anteprojeto de Lei de MigraçõesEntenda o Anteprojeto de Lei de Migrações
Entenda o Anteprojeto de Lei de Migrações
 
Cadernos Temáticos sobre Tráfico de Pessoas Volume 2: Migração e Tráfico de P...
Cadernos Temáticos sobre Tráfico de Pessoas Volume 2: Migração e Tráfico de P...Cadernos Temáticos sobre Tráfico de Pessoas Volume 2: Migração e Tráfico de P...
Cadernos Temáticos sobre Tráfico de Pessoas Volume 2: Migração e Tráfico de P...
 
Resolução Conatrap | Tráfico de pessoas nos Grandes Eventos
Resolução Conatrap | Tráfico de pessoas nos Grandes EventosResolução Conatrap | Tráfico de pessoas nos Grandes Eventos
Resolução Conatrap | Tráfico de pessoas nos Grandes Eventos
 
Caderno de Propostar da Comigrar
Caderno de Propostar da ComigrarCaderno de Propostar da Comigrar
Caderno de Propostar da Comigrar
 
O que é o Atlas de Acesso à Justiça?
O que é o Atlas de Acesso à Justiça?O que é o Atlas de Acesso à Justiça?
O que é o Atlas de Acesso à Justiça?
 
Comigrar | Caderno de Proposta
Comigrar | Caderno de PropostaComigrar | Caderno de Proposta
Comigrar | Caderno de Proposta
 
Pesquisa Classificação Indicativa -
Pesquisa Classificação Indicativa - Pesquisa Classificação Indicativa -
Pesquisa Classificação Indicativa -
 
O tempo do processo de homicídio doloso em cinco capitais
O tempo do processo de homicídio doloso em cinco capitaisO tempo do processo de homicídio doloso em cinco capitais
O tempo do processo de homicídio doloso em cinco capitais
 
Anteprojeto novo estatuto_estrangeiro
Anteprojeto   novo estatuto_estrangeiroAnteprojeto   novo estatuto_estrangeiro
Anteprojeto novo estatuto_estrangeiro
 
Pesquisa Classificação Indicativa - Redes, fusos e o respeito à vinculação ho...
Pesquisa Classificação Indicativa - Redes, fusos e o respeito à vinculação ho...Pesquisa Classificação Indicativa - Redes, fusos e o respeito à vinculação ho...
Pesquisa Classificação Indicativa - Redes, fusos e o respeito à vinculação ho...
 
Comigrar | Manual do Participante
Comigrar | Manual do ParticipanteComigrar | Manual do Participante
Comigrar | Manual do Participante
 
Protegendo os Direitos dos Apátridas
Protegendo os Direitos dos ApátridasProtegendo os Direitos dos Apátridas
Protegendo os Direitos dos Apátridas
 
Classificação Indicativa -Artigo Final
Classificação Indicativa -Artigo FinalClassificação Indicativa -Artigo Final
Classificação Indicativa -Artigo Final
 
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
 
Boletim Consumo e Finanças - Pacotes e Serviços Bancários
Boletim Consumo e Finanças - Pacotes e Serviços BancáriosBoletim Consumo e Finanças - Pacotes e Serviços Bancários
Boletim Consumo e Finanças - Pacotes e Serviços Bancários
 

Semelhante a 1º Boletim de Segurança Pública - MJ

Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos FederaisRelatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
Ministério da Economia
 
Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...
Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...
Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...
Fundação Dom Cabral - FDC
 
Palestra Revista Algomais - Horizonte Econômico 2018/19 Candidatos e suas Pr...
Palestra Revista Algomais - Horizonte Econômico 2018/19  Candidatos e suas Pr...Palestra Revista Algomais - Horizonte Econômico 2018/19  Candidatos e suas Pr...
Palestra Revista Algomais - Horizonte Econômico 2018/19 Candidatos e suas Pr...
TGI Consultoria em Gestão
 
PEC nº 241/2016: o novo regime fiscal e seus possíveis impactos
PEC nº 241/2016: o novo regime fiscal e seus possíveis impactosPEC nº 241/2016: o novo regime fiscal e seus possíveis impactos
PEC nº 241/2016: o novo regime fiscal e seus possíveis impactos
Marcelo Bancalero
 
Relatório de investimentos de estatais - maio 2014
Relatório de investimentos de estatais - maio 2014Relatório de investimentos de estatais - maio 2014
Relatório de investimentos de estatais - maio 2014
Giovanni Sandes
 
BNDES - Investimentos 2015 a 2018
BNDES - Investimentos 2015 a 2018BNDES - Investimentos 2015 a 2018
BNDES - Investimentos 2015 a 2018
Miguel Rosario
 
Artigo dívida liquida
Artigo dívida liquidaArtigo dívida liquida
Artigo dívida liquida
Aparecido Servadio
 
Governança na Gestão Pública
Governança na Gestão PúblicaGovernança na Gestão Pública
Governança na Gestão Pública
Luis Nassif
 
FGV / IBRE - Propostas para Regulação e Desburocratização da Infraestrutura n...
FGV / IBRE - Propostas para Regulação e Desburocratização da Infraestrutura n...FGV / IBRE - Propostas para Regulação e Desburocratização da Infraestrutura n...
FGV / IBRE - Propostas para Regulação e Desburocratização da Infraestrutura n...
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Pac ananindeua apresentaçao 2 fotos - oeiras
Pac ananindeua   apresentaçao 2 fotos - oeirasPac ananindeua   apresentaçao 2 fotos - oeiras
Pac ananindeua apresentaçao 2 fotos - oeiras
José Oeiras
 
Gestão de riscos fiscais do estado de alagoas 2014
Gestão de riscos fiscais do estado de alagoas 2014Gestão de riscos fiscais do estado de alagoas 2014
Gestão de riscos fiscais do estado de alagoas 2014
Wagner Cunha e Torre Torres
 
Novas medidas brasil maior
Novas medidas brasil maiorNovas medidas brasil maior
Novas medidas brasil maior
Juliana Sarieddine
 
Impactos lavajatoeconomia
Impactos lavajatoeconomiaImpactos lavajatoeconomia
Impactos lavajatoeconomia
Luiz Carlos Azenha
 
Relatório de Inflação - 201412
Relatório de Inflação - 201412Relatório de Inflação - 201412
Relatório de Inflação - 201412
DenizecomZ
 
Conjuntura brasil2
Conjuntura brasil2Conjuntura brasil2
Conjuntura brasil2
Lucas Barbosa Pelissari
 
ctb-2020-v1-publicacao.pdf
ctb-2020-v1-publicacao.pdfctb-2020-v1-publicacao.pdf
ctb-2020-v1-publicacao.pdf
ejedelmal
 
Curso Regular de AFO em Exercícios - Aula 07
Curso Regular de AFO em Exercícios - Aula 07Curso Regular de AFO em Exercícios - Aula 07
Curso Regular de AFO em Exercícios - Aula 07
Iolar Demartini Junior
 
FGV / IBRE - Anatomia da Desaceleração Recente da Economia
FGV / IBRE - Anatomia da Desaceleração Recente da EconomiaFGV / IBRE - Anatomia da Desaceleração Recente da Economia
FGV / IBRE - Anatomia da Desaceleração Recente da Economia
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Aula2 Parte A1r - Módulo2
Aula2 Parte A1r - Módulo2Aula2 Parte A1r - Módulo2
Aula2 Parte A1r - Módulo2
Hermes Lorenzon Nunes
 
Trabalhos Congesp 2010
Trabalhos Congesp 2010Trabalhos Congesp 2010
Trabalhos Congesp 2010
CONGESP
 

Semelhante a 1º Boletim de Segurança Pública - MJ (20)

Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos FederaisRelatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
 
Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...
Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...
Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...
 
Palestra Revista Algomais - Horizonte Econômico 2018/19 Candidatos e suas Pr...
Palestra Revista Algomais - Horizonte Econômico 2018/19  Candidatos e suas Pr...Palestra Revista Algomais - Horizonte Econômico 2018/19  Candidatos e suas Pr...
Palestra Revista Algomais - Horizonte Econômico 2018/19 Candidatos e suas Pr...
 
PEC nº 241/2016: o novo regime fiscal e seus possíveis impactos
PEC nº 241/2016: o novo regime fiscal e seus possíveis impactosPEC nº 241/2016: o novo regime fiscal e seus possíveis impactos
PEC nº 241/2016: o novo regime fiscal e seus possíveis impactos
 
Relatório de investimentos de estatais - maio 2014
Relatório de investimentos de estatais - maio 2014Relatório de investimentos de estatais - maio 2014
Relatório de investimentos de estatais - maio 2014
 
BNDES - Investimentos 2015 a 2018
BNDES - Investimentos 2015 a 2018BNDES - Investimentos 2015 a 2018
BNDES - Investimentos 2015 a 2018
 
Artigo dívida liquida
Artigo dívida liquidaArtigo dívida liquida
Artigo dívida liquida
 
Governança na Gestão Pública
Governança na Gestão PúblicaGovernança na Gestão Pública
Governança na Gestão Pública
 
FGV / IBRE - Propostas para Regulação e Desburocratização da Infraestrutura n...
FGV / IBRE - Propostas para Regulação e Desburocratização da Infraestrutura n...FGV / IBRE - Propostas para Regulação e Desburocratização da Infraestrutura n...
FGV / IBRE - Propostas para Regulação e Desburocratização da Infraestrutura n...
 
Pac ananindeua apresentaçao 2 fotos - oeiras
Pac ananindeua   apresentaçao 2 fotos - oeirasPac ananindeua   apresentaçao 2 fotos - oeiras
Pac ananindeua apresentaçao 2 fotos - oeiras
 
Gestão de riscos fiscais do estado de alagoas 2014
Gestão de riscos fiscais do estado de alagoas 2014Gestão de riscos fiscais do estado de alagoas 2014
Gestão de riscos fiscais do estado de alagoas 2014
 
Novas medidas brasil maior
Novas medidas brasil maiorNovas medidas brasil maior
Novas medidas brasil maior
 
Impactos lavajatoeconomia
Impactos lavajatoeconomiaImpactos lavajatoeconomia
Impactos lavajatoeconomia
 
Relatório de Inflação - 201412
Relatório de Inflação - 201412Relatório de Inflação - 201412
Relatório de Inflação - 201412
 
Conjuntura brasil2
Conjuntura brasil2Conjuntura brasil2
Conjuntura brasil2
 
ctb-2020-v1-publicacao.pdf
ctb-2020-v1-publicacao.pdfctb-2020-v1-publicacao.pdf
ctb-2020-v1-publicacao.pdf
 
Curso Regular de AFO em Exercícios - Aula 07
Curso Regular de AFO em Exercícios - Aula 07Curso Regular de AFO em Exercícios - Aula 07
Curso Regular de AFO em Exercícios - Aula 07
 
FGV / IBRE - Anatomia da Desaceleração Recente da Economia
FGV / IBRE - Anatomia da Desaceleração Recente da EconomiaFGV / IBRE - Anatomia da Desaceleração Recente da Economia
FGV / IBRE - Anatomia da Desaceleração Recente da Economia
 
Aula2 Parte A1r - Módulo2
Aula2 Parte A1r - Módulo2Aula2 Parte A1r - Módulo2
Aula2 Parte A1r - Módulo2
 
Trabalhos Congesp 2010
Trabalhos Congesp 2010Trabalhos Congesp 2010
Trabalhos Congesp 2010
 

Mais de Ministério da Justiça

Marco de Segurança no Futebol
Marco de Segurança no FutebolMarco de Segurança no Futebol
Marco de Segurança no Futebol
Ministério da Justiça
 
Sistema de refúgio brasileiro - Balanço até abril de 2016
Sistema de refúgio brasileiro - Balanço até abril de 2016Sistema de refúgio brasileiro - Balanço até abril de 2016
Sistema de refúgio brasileiro - Balanço até abril de 2016
Ministério da Justiça
 
Cartilha para Emendas Orçamentárias 2016
Cartilha para Emendas Orçamentárias 2016Cartilha para Emendas Orçamentárias 2016
Cartilha para Emendas Orçamentárias 2016
Ministério da Justiça
 
Refúgio no Brasil
Refúgio no BrasilRefúgio no Brasil
Refúgio no Brasil
Ministério da Justiça
 
Relatorio Trafico de Pessoas 2013
Relatorio Trafico de Pessoas 2013Relatorio Trafico de Pessoas 2013
Relatorio Trafico de Pessoas 2013
Ministério da Justiça
 
Relatório do Infopen - 2015
Relatório do Infopen - 2015Relatório do Infopen - 2015
Relatório do Infopen - 2015
Ministério da Justiça
 
Pesquisa Dar à Luz na Sombra
Pesquisa Dar à Luz na SombraPesquisa Dar à Luz na Sombra
Pesquisa Dar à Luz na Sombra
Ministério da Justiça
 
Balanço da Operação Rodovida da PRF - Carnaval 2015
Balanço da Operação Rodovida da PRF -  Carnaval 2015Balanço da Operação Rodovida da PRF -  Carnaval 2015
Balanço da Operação Rodovida da PRF - Carnaval 2015
Ministério da Justiça
 
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014 SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
Ministério da Justiça
 
Avaliação sobre o progresso do II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico ...
Avaliação sobre o progresso do II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico ...Avaliação sobre o progresso do II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico ...
Avaliação sobre o progresso do II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico ...
Ministério da Justiça
 
Cadernos temáticos sobre tráfico de pessoas
Cadernos temáticos sobre tráfico de pessoas Cadernos temáticos sobre tráfico de pessoas
Cadernos temáticos sobre tráfico de pessoas
Ministério da Justiça
 
Revista Diálogos sobre Justiça
Revista Diálogos sobre JustiçaRevista Diálogos sobre Justiça
Revista Diálogos sobre Justiça
Ministério da Justiça
 
Manual de Mediação e Conciliação para Defensoria Pública
Manual de Mediação e Conciliação para Defensoria PúblicaManual de Mediação e Conciliação para Defensoria Pública
Manual de Mediação e Conciliação para Defensoria Pública
Ministério da Justiça
 
Manual Mediação e Conciliação para representantes de empresas
Manual Mediação e Conciliação para representantes de empresasManual Mediação e Conciliação para representantes de empresas
Manual Mediação e Conciliação para representantes de empresas
Ministério da Justiça
 
Manual de Mediação de Conflito para advogados
Manual de Mediação de Conflito para advogados Manual de Mediação de Conflito para advogados
Manual de Mediação de Conflito para advogados
Ministério da Justiça
 
Manual de Negociação e Mediação para membros do Ministério Público
Manual de Negociação e Mediação para membros do Ministério PúblicoManual de Negociação e Mediação para membros do Ministério Público
Manual de Negociação e Mediação para membros do Ministério Público
Ministério da Justiça
 
Atlas de Acesso à Justiça - Indicadores Nacionais de Acesso à Justiça
Atlas de Acesso à Justiça - Indicadores Nacionais de Acesso à Justiça Atlas de Acesso à Justiça - Indicadores Nacionais de Acesso à Justiça
Atlas de Acesso à Justiça - Indicadores Nacionais de Acesso à Justiça
Ministério da Justiça
 
Federalização de Graves Violações de Direitos Humanos
Federalização de Graves Violações de Direitos HumanosFederalização de Graves Violações de Direitos Humanos
Federalização de Graves Violações de Direitos Humanos
Ministério da Justiça
 
Pesquisa Classificação Indicativa - Comportamento dos pais e filhos
Pesquisa Classificação Indicativa - Comportamento dos pais e filhosPesquisa Classificação Indicativa - Comportamento dos pais e filhos
Pesquisa Classificação Indicativa - Comportamento dos pais e filhos
Ministério da Justiça
 
Pesquisa Classificação Indicativa - Jogos Eletrônicos
Pesquisa Classificação Indicativa - Jogos Eletrônicos Pesquisa Classificação Indicativa - Jogos Eletrônicos
Pesquisa Classificação Indicativa - Jogos Eletrônicos
Ministério da Justiça
 

Mais de Ministério da Justiça (20)

Marco de Segurança no Futebol
Marco de Segurança no FutebolMarco de Segurança no Futebol
Marco de Segurança no Futebol
 
Sistema de refúgio brasileiro - Balanço até abril de 2016
Sistema de refúgio brasileiro - Balanço até abril de 2016Sistema de refúgio brasileiro - Balanço até abril de 2016
Sistema de refúgio brasileiro - Balanço até abril de 2016
 
Cartilha para Emendas Orçamentárias 2016
Cartilha para Emendas Orçamentárias 2016Cartilha para Emendas Orçamentárias 2016
Cartilha para Emendas Orçamentárias 2016
 
Refúgio no Brasil
Refúgio no BrasilRefúgio no Brasil
Refúgio no Brasil
 
Relatorio Trafico de Pessoas 2013
Relatorio Trafico de Pessoas 2013Relatorio Trafico de Pessoas 2013
Relatorio Trafico de Pessoas 2013
 
Relatório do Infopen - 2015
Relatório do Infopen - 2015Relatório do Infopen - 2015
Relatório do Infopen - 2015
 
Pesquisa Dar à Luz na Sombra
Pesquisa Dar à Luz na SombraPesquisa Dar à Luz na Sombra
Pesquisa Dar à Luz na Sombra
 
Balanço da Operação Rodovida da PRF - Carnaval 2015
Balanço da Operação Rodovida da PRF -  Carnaval 2015Balanço da Operação Rodovida da PRF -  Carnaval 2015
Balanço da Operação Rodovida da PRF - Carnaval 2015
 
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014 SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
SNJ - Balanço da Gestão 2011-2014
 
Avaliação sobre o progresso do II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico ...
Avaliação sobre o progresso do II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico ...Avaliação sobre o progresso do II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico ...
Avaliação sobre o progresso do II Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico ...
 
Cadernos temáticos sobre tráfico de pessoas
Cadernos temáticos sobre tráfico de pessoas Cadernos temáticos sobre tráfico de pessoas
Cadernos temáticos sobre tráfico de pessoas
 
Revista Diálogos sobre Justiça
Revista Diálogos sobre JustiçaRevista Diálogos sobre Justiça
Revista Diálogos sobre Justiça
 
Manual de Mediação e Conciliação para Defensoria Pública
Manual de Mediação e Conciliação para Defensoria PúblicaManual de Mediação e Conciliação para Defensoria Pública
Manual de Mediação e Conciliação para Defensoria Pública
 
Manual Mediação e Conciliação para representantes de empresas
Manual Mediação e Conciliação para representantes de empresasManual Mediação e Conciliação para representantes de empresas
Manual Mediação e Conciliação para representantes de empresas
 
Manual de Mediação de Conflito para advogados
Manual de Mediação de Conflito para advogados Manual de Mediação de Conflito para advogados
Manual de Mediação de Conflito para advogados
 
Manual de Negociação e Mediação para membros do Ministério Público
Manual de Negociação e Mediação para membros do Ministério PúblicoManual de Negociação e Mediação para membros do Ministério Público
Manual de Negociação e Mediação para membros do Ministério Público
 
Atlas de Acesso à Justiça - Indicadores Nacionais de Acesso à Justiça
Atlas de Acesso à Justiça - Indicadores Nacionais de Acesso à Justiça Atlas de Acesso à Justiça - Indicadores Nacionais de Acesso à Justiça
Atlas de Acesso à Justiça - Indicadores Nacionais de Acesso à Justiça
 
Federalização de Graves Violações de Direitos Humanos
Federalização de Graves Violações de Direitos HumanosFederalização de Graves Violações de Direitos Humanos
Federalização de Graves Violações de Direitos Humanos
 
Pesquisa Classificação Indicativa - Comportamento dos pais e filhos
Pesquisa Classificação Indicativa - Comportamento dos pais e filhosPesquisa Classificação Indicativa - Comportamento dos pais e filhos
Pesquisa Classificação Indicativa - Comportamento dos pais e filhos
 
Pesquisa Classificação Indicativa - Jogos Eletrônicos
Pesquisa Classificação Indicativa - Jogos Eletrônicos Pesquisa Classificação Indicativa - Jogos Eletrônicos
Pesquisa Classificação Indicativa - Jogos Eletrônicos
 

1º Boletim de Segurança Pública - MJ

  • 1. 1 Ministério da Justiça Secretaria Executiva 06 de junho de 2014 1º BOLETIM DE SEGURANÇA PÚBLICA Este boletim é uma atualização de informações preliminares divulgadas pelo Ministério da Justiça em novembro de 2013 sobre a evolução dos investimentos em segurança pública. O objetivo deste documento é apresentar dados com histórico de despesas empenhadas em custeio e capital pelas unidades vinculadas ao MJ diretamente relacionadas às atividades de Segurança Pública, a saber: Departamento de Polícia Federal, Departamento de Polícia Rodoviária Federal, Secretaria Nacional de Segurança Pública, Departamento Penitenciário Nacional, Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos e Secretaria Nacional de Política sobre Drogas. É importante esclarecer que até o ano de 2013 os valores informados são referentes ao empenho de despesas. Como o ano de 2014 ainda está em curso, considerou-se o valor previsto para execução. Todos os valores apresentados estão em bilhões e já atualizados de acordo com o IPCA-E (IBGE). Os esclarecimentos técnicos sobre os valores considerados encontram-se ao final deste documento. O Gráfico 1 apresenta uma evolução do total de despesas investidas em segurança pública pelo MJ durante o Governo Dilma (2011-2014). Os valores apresentados estão em bilhões e, assim como nos demais gráficos, já estão atualizados de acordo com o IPCA-E (IBGE). Gráfico 1 - Despesas MJ 2011-2014 (em bilhões de reais)
  • 2. 2 O Gráfico 2 expande a análise anterior, ao considerar valores de despesas investidas em segurança pública pelo MJ desde 1995. Gráfico 2 - Despesas MJ 1995-2013 (em bilhões de reais) 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 0,5 0,6 0,7 0,9 0,7 1,8 2,7 1,9 1,8 1,9 1,9 2,1 2,9 3,7 3,3 3,7 3,0 3,7 3,9 3,8 Pela leitura do gráfico, percebe-se que os investimentos mantiveram-se abaixo da casa do R$ 1 bilhão até 1999, a partir de quando se verificou um crescimento significativo até alcançar, em 2001, um pico de R$ 2,7 bilhões, estabilizando-se nos anos seguintes pouco abaixo da casa de R$ 2 bilhões. Como ficará evidenciado nos gráficos seguintes, este acréscimo se justifica em grande medida pelo aumento de investimentos realizados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública e pelo Departamento Penitenciário Nacional. Observa-se um novo ciclo de crescimento a partir de 2006, quando o valor total de investimento em segurança pública do MJ passa a registrar – com pequenas variações para mais ou para menos – entre 3 e 4 bilhões de reais. Este novo ciclo de crescimento decorre, em um primeiro momento, da instituição do pagamento de Bolsas-Formação1 a agentes de segurança pública dos Estados no âmbito do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci). A partir de 2011 verifica-se um novo momento de crescimento, caracterizado pelo grande aporte de recursos em despesas de capital decorrentes dos investimentos direcionados ao 1 O Bolsa-Formação é uma transferência direta de renda, com condicionalidades, que beneficia profissionais de segurança pública e justiça criminal em todo país, que atendam a todas as condições prescritas no programa (inclusive estar matriculado ou ter participado de curso oferecido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública).
  • 3. 3 aparelhamento de instituições vinculadas à Segurança Pública em Grandes Eventos e também em ações de Informação e Inteligência. O Gráfico 3 decompõe os mesmos valores trazidos acima, dividindo-os em despesas de custeio e de capital. Gráfico 3 - Despesas MJ “Custeio x Capital” (em bilhões de reais) GND 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Custeio 0,3 0,4 0,4 0,4 0,5 0,6 0,9 0,9 1,0 1,0 1,1 1,0 1,7 2,1 2,4 2,8 2,3 2,0 2,1 2,1 Capital 0,2 0,2 0,3 0,5 0,1 1,2 1,7 1,1 0,8 0,9 0,8 1,1 1,2 1,6 0,9 0,9 0,7 1,8 1,9 1,7 Como já mencionado, o aumento nas despesas de custeio a partir de 2007 devem-se à instituição do programa Bolsa-Formação, que se reduz a partir de 2011. Por outro lado, percebe-se um aumento de mais de R$1 bilhão em despesas de capital empenhadas entre 2011 e 2012, mantendo-se esses investimentos próximos de R$2 bilhões nos anos de 2013 e 2014. Esse acréscimo está diretamente relacionado ao investimento em aparelhamento das instituições de Segurança Pública vinculadas à Segurança de Grandes Eventos, com destaque para a aquisição de equipamentos para o Sistema Integrado de Comando e Controle. O Gráfico 4 também decompõe os valores totais de investimentos do MJ em segurança pública trazidos no Gráfico 1, agora dividindo por Unidades do Ministério.
  • 4. 4 Gráfico 4 - Despesas MJ por Unidade (em bilhões de reais) Unidade 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 DEPEN 142 135 234 324 71 347 598 278 228 250 252 455 293 316 133 114 109 466 353 334 PF 204 259 310 327 369 563 766 710 742 869 921 829 1016 1034 851 1035 1031 1070 1015 907 PRF 166 194 138 280 225 262 333 223 252 244 338 298 354 314 337 358 481 552 629 486 SENAD 1 8 17 11 12 8 16 21 26 10 6 16 15 16 15 113 20 78 171 247 SENASP 0 14 12 10 4 634 947 714 583 495 394 520 1238 1977 1944 2094 1320 1055 935 1159 SESGE 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 477 633 428 DEMAIS 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 143 160 215 Novamente, percebe-se no gráfico o pico de gastos da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) entre os anos de 2007 e 2010 – que como já explicamos se justifica pelo pagamento de Bolsas-Formação. Outro movimento também já evidenciado é o crescimento das despesas da Secretaria Extraordinária para Grandes Eventos a partir de 2012. Por fim, cabe destacar nesse gráfico o crescimento dos investimentos da Secretaria Nacional de Política sobre Drogas e da Secretaria Nacional de Segurança Pública.
  • 5. 5 Gráfico 5 - Despesas MJ por Modalidade de Aplicação (em bilhões de reais) O Gráfico 5 decompõe os investimentos em segurança pública em modalidades de aplicação. 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Transferências a Estados e ao Distrito Federal 67 964 1439 923 740 523 300 472 530 1344 506 356 251 865 717 789 Transferências a Municípios 0 0 42 13 19 43 30 22 64 235 187 217 70 58 89 44 Aplicações Diretas 580 808 1111 952 997 1237 1503 1539 2199 1944 2479 3004 2599 2739 3048 2963 Outros 35 43 69 60 75 64 77 83 124 133 107 138 40 66 73 28 Pelo gráfico percebe-se que, cada vez mais, o Ministério da Justiça tem optado por executar suas despesas por meio de aquisições centralizadas pelo próprio Ministério, ao invés de se limitar à transferência de recursos para Estados e Municípios. Esta opção é resultado do diagnóstico técnico de que aquisições centralizadas com posterior doação aos entes federados permite otimizar os processos licitatórios, promovendo maior eficiência na execução das despesas com redução dos custos e maior transparência orçamentária. Ou seja, essa redução não significa menos investimento em segurança pública do MJ nos Estados. Significa uma mudança na forma de fazer esses investimentos, com prioridade para as aquisições centralizadas com posterior doação. Exemplos desse modelo são os equipamentos adquiridos pela Secretaria Extraordinária de Segurança Pública para Grandes Eventos, que foram doados
  • 6. 6 aos 12 Estados que sediarão jogos da Copa, somando um total de R$910 milhões entre 2011 e 2014. Esclarecimentos Técnicos Esclarecendo aspectos técnicos deste Boletim, são consideradas como custeio as despesas com manutenção de serviços, material de consumo, conservação e reforma de bens de posse do poder público, entre outros gastos desta natureza. Já despesas de capital são aquelas destinadas a execução de obras, aquisição de bens, entre outras ações que implicam investimentos, inversões financeiras ou transferência de capital. Como mencionado acima, tanto despesas de custeio quanto de capital foram consideradas para as análises deste Boletim. Não são consideradas na análise, porém, as despesas do Ministério da Justiça com pessoal. Isso não quer dizer, é claro, que esses gastos executados pelo MJ não repercutam na qualidade das atividades de segurança pública desempenhadas pela Pasta. A opção por excluir os gastos com pessoal desta análise se justifica, no caso, pela opção por dar maior destaque às despesas discricionárias, ficando a análise sobre gastos com pessoal para Boletim futuro. Recortes Metodológicos 1º) Todas as Despesas Correntes e de Capital (OCC), exceto Pessoal e Serviços da Dívida (*Despesas Empenhadas nos Grupos de Naturezas de Despesas correntes - 3(Custeio) e de capital - 4(Investimentos) e 5(Inversão Financeira) ): GND=3, 4, 5 (inclusive Benefícios) 2º) Toda a Função 06 – Segurança Pública (Classificação Funcional de acordo com o Manual Técnico de Orçamento), dentro do MJ (Órgão 30) exceto Denatran/FUNSET, DPU, SDH; 3º) Todas as Despesas das unidades PF, PRF, Senasp/Pronasci/FNSP, Depen/Funpen e SESGE, independente da Função 06, inclusive Senad/FUNAD quando pertencia à Presidência da República (Unidade Orçamentária 20926); 4º) As Despesas alocadas no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para Segurança de Grandes Eventos vinculadas ao Ministério da Justiça; 5º) As Despesas categorizadas como “demais” referem-se aos valores empenhados na função 06 de outras unidades do Ministério da Justiça, que foram agregadas com o objetivo de melhorar a visualização gráfica dos dados. 6º) Em 2014, foi considerado o valor de PLOA, menos as emendas supressivas, mais as emendas individuais de execução obrigatória (art.52 da LDO). 7º) Eventuais divergências entre os valores considerados individualmente e os respectivos somatórios devem-se aos arredondamentos utilizados a partir da segunda casa decimal.