SlideShare uma empresa Scribd logo
CLASSIFICAÇÃO DOS SERES
VIVOS
BIOLOGIA I – PROF.: MARCOS AURÉLIO
1º ANO
A DIVERSIDADE DA VIDA
 Em todo o mundo já foram identificadas cerca
de 2,0 milhões de espécies


Atualmente cerca de 15.000 novas espécies
são descritas por ano.



Como muitas regiões ainda não foram
estudadas, acredita-se que possa existir ao todo
no planeta cerca de 30 milhões ou mais de
espécies diferentes.
A DIVERSIDADE DA VIDA
• Não podemos esquecer...


Que na busca por mais espaço e recursos
naturais o homem vem causando grandes
modificações e danos ao meio ambiente.



Calcula-se que atualmente cerca de 74
espécies estejam desaparecendo por dia.
A DIVERSIDADE DA VIDA
• Mundo = diversidade dos seres vivos;
HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA
• Sistemática – é o estudo dos organismos, sua
diversidade, evolução no tempo e no espaço e
suas classificações;
• Tem início na Grécia Antiga = Aristóteles +
Teofrasto.
HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA
1. Aristóteles (384 – 322 a. C) – classificação
dos seres vivos em animais:
HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA
2. Teofrasto (372 – 322 a.C) – classificou as
plantas em arbustos e árvores.
 Com o fim da idade Média e início do
Renascimento ocidental:
1. John Ray (1627 – 1705) – primeiro naturalista
a utilizar o termo espécie;
2. CARL VON LINEÉ OU LINEU : lança a
classificação e nomenclatura dos seres vivos.
 Crença no FIXISMO – PRINCÍPIO DA
HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA
• LINEU: publicou a obra – SYSTEMA NATURAE
– regras da nomenclatura científica:

• Segundo Lineu, animais são da mesma espécie
quando possuem características anatômicas
semelhantes.
• Lineu é o fundador da Taxonomia.
HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA
• LAMARCK século XVII = espécies não são
fixas;
• Darwin + Wallace = presença de ancestral
comum – evolução e adaptação.
• A classificação dos seres vivos era feita a
partir das relações com as características
morfológicas, fisiológicas e moleculares =
filogenia.
• SISTEMÁTICA = TAXONÔMIA +
FILOGÊNIA
CLASSIFICAÇÃO DE LINEU
NOMENCLATURA BINOMIAL:
• Gênero + Epíteto específico: Homo sapiens
CLASSIFICAÇÃO HIERÁRQUICA (EGFOCFR):
• ESPÉCIE: características semelhantes;
• GÊNERO: espécies semelhantes:
- Leopardus wiedii, tigrinus e pardalis;
- Panthera leo, tigris, onça, pardus.
• FAMÍLIA: agrupamento de gêneros
semelhantes – Leopardus + Panthera = Família
Felidae
CLASSIFICAÇÃO DE LINEU
• ORDEM: agrupamento de famílias semelhantes:
Felidae e Canidae  ordem carnívora;
• CLASSE: engloba ordem diferentes com
características semelhantes: ordem Carnívora,
Cetácea (baleias e golfinhos), Proboscidae
(elefantes), Primata(lemures, társios, macacos,
humanos), Sirenia (peixes-boi), Artiodactyla
(cabras, boi, carneiros, hipopotámos, porcos) –
todos tem glândula mamária= classe
Mammália.
CLASSIFICAÇÃO DE LINEU
• FILO: agrupamento de classes diferentes:
classe Myxine (peixes-bruxas), Petromyzontida
(lampréia),
Condricthyes
(tubarão),
Actinopterygii
(sardinhas, etc), Actinista
(celacanto –
genero Lamiteria),
Dipnoi
(pirambóia – Lepidosiren paradoxa), Amphibia
(crãs, salamandras, cobras-cegas, etc), Reptilia
(cobras, lagartos, tartarugas e jacarés), Aves
(tucanos e beija-flor), Mammália - na fase
embrionária possuem notocorda= filo Chordata
CLASSIFICAÇÃO DE LINEU
• REINO: é o agrupamento de filos: Porifhera,
Cnidários, Platyhelminthes, Nematelminthes,
Mollusca, Annelida, Artrópodes,
Echinodermata e Chordata – organismos
dotados de blástula, eucariontes,
pluricelulares e heterotrófos por ingestão =
Reino Metazoa ou Animália.
• Para classificação pode-se inserir:
-super = acima dos níveis básicos
- Infra ou sub = abaixo dos níveis básicos.
CLASSIFICAÇÃO DE LINEU
 As categorias taxonômicas de Lineu
I. Lineu organizou as espécies em táxons ou
grupos.
Táxon

Característica

Espécie

Conjunto de indivíduos que compartilham estruturas típicas
ausentes em outras espécies.

Gênero

Conjunto de espécies semelhantes

Família

Conjunto de gêneros semelhantes

Ordem

Conjunto de famílias semelhantes

Classe

Conjunto de ordens semelhantes

Filo

Conjunto de classes semelhantes

Reino

Conjunto de filos semelhantes
CLASSIFICAÇÃO DE LINEU
• Exemplo de classificação.
CONCEITO DE ESPÉCIE
• DIVERSIDADE DA VIDA = EVOLUÇÃO
• Lineu = conjunto de seres vivos em que os
individuos apresentam grandes semelhanças
físicas e padrão morfológico comum de um
grupo – conceito tipológico.
• O CONCEITO TIPOLÓGICO:
1.Individuos que compartilham mesma “essencia”
2. Cada espécie tem características próprias;
3.As espécies são constantes;
4.A variação das espécies é bastante limitada.
CONCEITO DE ESPÉCIE
• A partir de Lamarck e Darwin = o conceito
tipológico é enfraquecido;
• Darwin – espécies não são constantes!!
• Novo conceito para definição: Isolamento
reprodutivo, CONCEITO BIOLÓGICO 
espécies iguais = descentes férteis; espécies
diferentes = não descendentes ou inférteis.
CONCEITO DE ESPÉCIE
• Conceito biológico = proteção e o equilíbrio dos
genótipos.
• ERNEST MAYR: “Espécie é um grupo de
populações cujos indivíduos são capazes de se
cruzar e produzir descendentes férteis, em
condições naturais, estando reprodutivamente
isolados.
• Espécie biológica  populações que se
acasalam coexistem no mesmo local.
CONCEITO DE ESPÉCIE
• O conceito biológico possui 2 problemas:
• Primeiro: populações que se reproduzem
assexuadamente;
• Segundo: populações de espécie iguais em
ambientes diferentes = Isolamento Geográfico
• Isolamento Geográfico  Irradiação
adaptativa = subespécie, ou seja, raça – mesma
espécie, mas com características particulares.
• Subespécie pode levar ao isolamento
reprodutivo
REGRAS DE NOMENCLATURA
• Lineu estabeleceu as regras do sistema binomial de
nomenclatura: o epíteto de gênero e um de espécie.
• A língua escolhida fora o latim, em 1842, ficaram
definidas as normas e regras:
Os nomes propostos para animais, vegetais e microorganismos devem ser distintos;
Os o nome dos níveis de taxonomia devem ser
distintos;
Não são reconhecidos os nomes anteriores a “Lineu”;
Os nomes científicos devem ser latinos ou latinizados,
em itálico ou sublinhado;
REGRAS DE NOMENCLATURA
 Todo nome científico (espécie) deve ter pelo menos
dois nomes: epíteto de gênero e espécie. Ex: Homo
sapiens;
 O nome do gênero deve ser escrito com a letra
Maiúscula (Homo) e o epíteto específico com letra
minúscula (sapiens);
 Quando o nome é homenagem: ao homem – acrescenta
a letra i ao sobrenome para o epíteto específico,
Tripypanosoma cruzi; mulher acrescenta ae ao
sobrenome para o epíteto específico;
 Lei da prioridade – prevalece o primeiro nome mesmo
que esteja errado;
 Abreviatura sp ou plural spp é usada quando não
identifica a espécie.
REGRAS DE NOMENCLATURA
 Nos trabalhos científicos após o nome das espécies deve ser
acrescido o nome do autor;
 Quando existir subespécie, o nome fica com letra minúscula:
Homo sapiens sapiens;
 O nome do subgênero é escrito com letra maiúscula e entre
parênteses;
 Se uma espécie for transferida de gênero, após seu nome
deve colocar entre parêntese o cientista responsável;
 Superfamília= gênero + desinência oidea;
 Família= gênero + idae;
 Subfamília= gênero + inae
 Tribo= ini
 Em BOTÂNICA: ORDEM (dessinência ales); FAMÍLIA
(acea)
Classificação dos Seres Vivos
Nomenclatura de espécie: binominal

 Primeira letra refere-se ao nome do gênero (inicial
maiúscula)
 Segunda letra refere-se ao nome específico (inicial
minúscula)
 Deve ser escrito em itálico e/ou sublinhado.

Espécie Humana
Cachorro
Gato
Milho

Homo sapiens
Canis falimiaris
Felis catus
Zea mays
Classificação dos Seres Vivos
 Nomenclatura de subespécie
 Trinominal
 Nome do gênero + nome específico + nome
subespécie.
Crotalus terrificus
terrificus
Rhea americana alba
Pinus nigra nigra
Pinus nigra caramanica
Pinus nigra pallasiana

Cobra cascavel brasileira
Ema branca
Pinheiro negro austríaco
Pinheiro negro turco
Pinheiro negro da Crimeia
Classificação dos Seres Vivos
 Quando se quer citar uma espécie qualquer
situada dentro de um gênero – usa-se a
terminação “sp.” Polystira sp.
Significa: qualquer espécie do gênero Polystira.
Obs: o termo sp. é escrito em minúsculo, não itálico e não grifado.
 Quando se quer citar várias espécies situadas
dentro de um gênero – usa-se a terminação “spp.”
Polystira spp.
Significa: várias espécies do gênero Polystira.
Obs: o termo spp. é escrito em minúsculo, não itálico e não grifado.
Classificação dos Seres Vivos
 Táxons acima de espécie: nomenclatura uninominal
 Inicial maiúscula em latim.
 Não é necessário itálico ou grifo.
Família
Ordem

Classe
Filo

Reino

Felidae (gatos), Canidae (cães), Fabaceae
(Leguminosas), Rosaceae (rosas).
Carnivora (cão, gato, urso), Primata (homem,
chimpanzé, gorila), Fabales (vagem, feijão, soja),
Asterales (girassol)
Mammalia (mamíferos), Reptile (répteis),
Amphibia (anfíbios).
Chordata (cordados), Pteridophyta
(samambaias), Mollusca (moluscos), Arthropoda
(artrópodes).
Animmalia (animais), Plantae (plantas), Fungi
(fungos)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução a biologia
Introdução a biologiaIntrodução a biologia
Introdução a biologia
Matheus de Paula Medeiros
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
Fatima Comiotto
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
infoeducp2
 
V.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologiaV.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologia
Rebeca Vale
 
Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivosRelações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos
Silvana Sanches
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
Nelson Costa
 
Composição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser VivoComposição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser Vivo
Killer Max
 
Células
CélulasCélulas
Células
Killer Max
 
Genética Introdução
Genética   IntroduçãoGenética   Introdução
Genética Introdução
Mateus Domingos
 
Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)
Gisele A. Barbosa
 
Reprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º anoReprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º ano
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Silvana Sanches
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
Killer Max
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
Gabriela de Lima
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
Matheus Faria do Valle
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
UERGS
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
Fabiano Reis
 
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º anoNíveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Marcia Bantim
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
Kamila Joyce
 
Tipos de reprodução
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reprodução
URCA
 

Mais procurados (20)

Introdução a biologia
Introdução a biologiaIntrodução a biologia
Introdução a biologia
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 
V.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologiaV.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologia
 
Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivosRelações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
 
Composição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser VivoComposição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser Vivo
 
Células
CélulasCélulas
Células
 
Genética Introdução
Genética   IntroduçãoGenética   Introdução
Genética Introdução
 
Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)
 
Reprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º anoReprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º ano
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
 
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º anoNíveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
 
Tipos de reprodução
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reprodução
 

Destaque

3º Ano - Classificação dos Seres Vivos
3º Ano - Classificação dos Seres Vivos3º Ano - Classificação dos Seres Vivos
3º Ano - Classificação dos Seres Vivos
Escola Modelo de Iguatu
 
I.2 características dos seres vivos
I.2 características dos seres vivosI.2 características dos seres vivos
I.2 características dos seres vivos
Rebeca Vale
 
Características dos seres vivos 1º ano
Características dos seres vivos 1º ano Características dos seres vivos 1º ano
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
LarissaVian
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
letyap
 
1° bimestre classificação dos seres vivos
1° bimestre   classificação dos seres vivos1° bimestre   classificação dos seres vivos
1° bimestre classificação dos seres vivos
santhdalcin
 
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivosAula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Lucia Virginio
 
Origem da vida na terra (1ª aula)
Origem da vida na terra   (1ª aula)Origem da vida na terra   (1ª aula)
Origem da vida na terra (1ª aula)
Blogzarife
 
I.3 classificação seres vivos
I.3 classificação seres vivosI.3 classificação seres vivos
I.3 classificação seres vivos
Rebeca Vale
 
I.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambienteI.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambiente
Rebeca Vale
 
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlosOrigem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Luiz Carlos
 
Gatinhos
GatinhosGatinhos
Artiodátilos
ArtiodátilosArtiodátilos
Artiodátilos
Alunos IFMA
 
A galinha do vizinho
A galinha do vizinhoA galinha do vizinho
A galinha do vizinho
Brincadeiras
 
RELAÇÕES ECOLÓGICAS DESARMÔNICAS
RELAÇÕES ECOLÓGICAS DESARMÔNICASRELAÇÕES ECOLÓGICAS DESARMÔNICAS
RELAÇÕES ECOLÓGICAS DESARMÔNICAS
KATIA CAVALCANTI
 
Aula 6 vicky 2011 anexos
Aula 6 vicky 2011 anexosAula 6 vicky 2011 anexos
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
elydef
 
A consolidação das correspondências letra – som no (1)
A consolidação das correspondências letra – som no (1)A consolidação das correspondências letra – som no (1)
A consolidação das correspondências letra – som no (1)
miesbella
 
O golfinho - o meu animal favorito
O golfinho - o meu animal favoritoO golfinho - o meu animal favorito
O golfinho - o meu animal favorito
Luís Gomes
 
Invertebrados
InvertebradosInvertebrados
Invertebrados
Keilha Barroca
 

Destaque (20)

3º Ano - Classificação dos Seres Vivos
3º Ano - Classificação dos Seres Vivos3º Ano - Classificação dos Seres Vivos
3º Ano - Classificação dos Seres Vivos
 
I.2 características dos seres vivos
I.2 características dos seres vivosI.2 características dos seres vivos
I.2 características dos seres vivos
 
Características dos seres vivos 1º ano
Características dos seres vivos 1º ano Características dos seres vivos 1º ano
Características dos seres vivos 1º ano
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
 
1° bimestre classificação dos seres vivos
1° bimestre   classificação dos seres vivos1° bimestre   classificação dos seres vivos
1° bimestre classificação dos seres vivos
 
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivosAula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
 
Origem da vida na terra (1ª aula)
Origem da vida na terra   (1ª aula)Origem da vida na terra   (1ª aula)
Origem da vida na terra (1ª aula)
 
I.3 classificação seres vivos
I.3 classificação seres vivosI.3 classificação seres vivos
I.3 classificação seres vivos
 
I.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambienteI.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambiente
 
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlosOrigem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
 
Gatinhos
GatinhosGatinhos
Gatinhos
 
Artiodátilos
ArtiodátilosArtiodátilos
Artiodátilos
 
A galinha do vizinho
A galinha do vizinhoA galinha do vizinho
A galinha do vizinho
 
RELAÇÕES ECOLÓGICAS DESARMÔNICAS
RELAÇÕES ECOLÓGICAS DESARMÔNICASRELAÇÕES ECOLÓGICAS DESARMÔNICAS
RELAÇÕES ECOLÓGICAS DESARMÔNICAS
 
Aula 6 vicky 2011 anexos
Aula 6 vicky 2011 anexosAula 6 vicky 2011 anexos
Aula 6 vicky 2011 anexos
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
 
A consolidação das correspondências letra – som no (1)
A consolidação das correspondências letra – som no (1)A consolidação das correspondências letra – som no (1)
A consolidação das correspondências letra – som no (1)
 
O golfinho - o meu animal favorito
O golfinho - o meu animal favoritoO golfinho - o meu animal favorito
O golfinho - o meu animal favorito
 
Invertebrados
InvertebradosInvertebrados
Invertebrados
 

Semelhante a 1º Ano - Classificação dos Seres Vivos

A Classificacao Dos Seres Vivos
A Classificacao Dos Seres VivosA Classificacao Dos Seres Vivos
A Classificacao Dos Seres Vivos
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Taxonomia 2
Taxonomia 2Taxonomia 2
Taxonomia 2
Vivi Alves
 
Nomenclatura zoológica Aula 2
Nomenclatura zoológica Aula 2Nomenclatura zoológica Aula 2
Nomenclatura zoológica Aula 2
Henrique Zini
 
Taxonomiabiologia
TaxonomiabiologiaTaxonomiabiologia
Taxonomiabiologia
PUC - PR
 
Taxonomia
TaxonomiaTaxonomia
Taxonomia
Fabiano Reis
 
classificaobiolgica-170222084845.pdf resumo
classificaobiolgica-170222084845.pdf resumoclassificaobiolgica-170222084845.pdf resumo
classificaobiolgica-170222084845.pdf resumo
BrunaLeal72
 
Taxonomia dos seres vivos
Taxonomia dos seres vivosTaxonomia dos seres vivos
Taxonomia dos seres vivos
Katia Valeria
 
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
MARCELOCOSTA261637
 
CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. bom demais pptx
CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. bom demais pptxCLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. bom demais pptx
CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. bom demais pptx
daianadecassialimapa
 
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidadeCáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
rafaelcef3
 
classificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicasclassificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicas
CelianeOliveira8
 
classificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicasclassificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicas
CelianeOliveira8
 
Zoologia 01
Zoologia 01Zoologia 01
Sistemática e taxonomia 2.pptx
Sistemática e taxonomia 2.pptxSistemática e taxonomia 2.pptx
Sistemática e taxonomia 2.pptx
Biosapo
 
Biologia8 taxonomia
Biologia8 taxonomiaBiologia8 taxonomia
Biologia8 taxonomia
ajsmorais
 
Aula 1 sistema de classificação dos seres vivos
Aula 1   sistema de classificação dos seres vivosAula 1   sistema de classificação dos seres vivos
Aula 1 sistema de classificação dos seres vivos
Lucas Roberto
 
Sistematica%20classificacao%20e%20biodiversidade.pptx
Sistematica%20classificacao%20e%20biodiversidade.pptxSistematica%20classificacao%20e%20biodiversidade.pptx
Sistematica%20classificacao%20e%20biodiversidade.pptx
lucasprofreis
 
Apostila i de taxonomia 2021 cetep
Apostila i  de taxonomia 2021 cetepApostila i  de taxonomia 2021 cetep
Apostila i de taxonomia 2021 cetep
MarcosAntonioSilvaNe
 
classificação dos seres vivos - sistemática.ppt
classificação dos seres vivos - sistemática.pptclassificação dos seres vivos - sistemática.ppt
classificação dos seres vivos - sistemática.ppt
YuriMiloradKocman1
 
Nome científico
Nome científicoNome científico
Nome científico
unesp
 

Semelhante a 1º Ano - Classificação dos Seres Vivos (20)

A Classificacao Dos Seres Vivos
A Classificacao Dos Seres VivosA Classificacao Dos Seres Vivos
A Classificacao Dos Seres Vivos
 
Taxonomia 2
Taxonomia 2Taxonomia 2
Taxonomia 2
 
Nomenclatura zoológica Aula 2
Nomenclatura zoológica Aula 2Nomenclatura zoológica Aula 2
Nomenclatura zoológica Aula 2
 
Taxonomiabiologia
TaxonomiabiologiaTaxonomiabiologia
Taxonomiabiologia
 
Taxonomia
TaxonomiaTaxonomia
Taxonomia
 
classificaobiolgica-170222084845.pdf resumo
classificaobiolgica-170222084845.pdf resumoclassificaobiolgica-170222084845.pdf resumo
classificaobiolgica-170222084845.pdf resumo
 
Taxonomia dos seres vivos
Taxonomia dos seres vivosTaxonomia dos seres vivos
Taxonomia dos seres vivos
 
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
3º ano – Biologia –Taxonomia – Prof. Marcelo Costa – Aula 07.pptx
 
CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. bom demais pptx
CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. bom demais pptxCLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. bom demais pptx
CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. bom demais pptx
 
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidadeCáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
 
classificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicasclassificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicas
 
classificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicasclassificação dos seres vivos e caracteristicas
classificação dos seres vivos e caracteristicas
 
Zoologia 01
Zoologia 01Zoologia 01
Zoologia 01
 
Sistemática e taxonomia 2.pptx
Sistemática e taxonomia 2.pptxSistemática e taxonomia 2.pptx
Sistemática e taxonomia 2.pptx
 
Biologia8 taxonomia
Biologia8 taxonomiaBiologia8 taxonomia
Biologia8 taxonomia
 
Aula 1 sistema de classificação dos seres vivos
Aula 1   sistema de classificação dos seres vivosAula 1   sistema de classificação dos seres vivos
Aula 1 sistema de classificação dos seres vivos
 
Sistematica%20classificacao%20e%20biodiversidade.pptx
Sistematica%20classificacao%20e%20biodiversidade.pptxSistematica%20classificacao%20e%20biodiversidade.pptx
Sistematica%20classificacao%20e%20biodiversidade.pptx
 
Apostila i de taxonomia 2021 cetep
Apostila i  de taxonomia 2021 cetepApostila i  de taxonomia 2021 cetep
Apostila i de taxonomia 2021 cetep
 
classificação dos seres vivos - sistemática.ppt
classificação dos seres vivos - sistemática.pptclassificação dos seres vivos - sistemática.ppt
classificação dos seres vivos - sistemática.ppt
 
Nome científico
Nome científicoNome científico
Nome científico
 

Mais de Escola Modelo de Iguatu

Apostila Modelo no Ar
Apostila Modelo no ArApostila Modelo no Ar
Apostila Modelo no Ar
Escola Modelo de Iguatu
 
Era JK
Era JKEra JK
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
Escola Modelo de Iguatu
 
Globalização e os Blocos Econômicos
Globalização e os Blocos EconômicosGlobalização e os Blocos Econômicos
Globalização e os Blocos Econômicos
Escola Modelo de Iguatu
 
Formação Territorial
Formação TerritorialFormação Territorial
Formação Territorial
Escola Modelo de Iguatu
 
Era Vargas - Parte II
Era Vargas - Parte IIEra Vargas - Parte II
Era Vargas - Parte II
Escola Modelo de Iguatu
 
Desastre ambiental atualidades
Desastre ambiental   atualidadesDesastre ambiental   atualidades
Desastre ambiental atualidades
Escola Modelo de Iguatu
 
Aula - China
Aula - ChinaAula - China
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
Escola Modelo de Iguatu
 
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Escola Modelo de Iguatu
 
Separação de Misturas
Separação de MisturasSeparação de Misturas
Separação de Misturas
Escola Modelo de Iguatu
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
Escola Modelo de Iguatu
 
Leis ponderais
Leis ponderais Leis ponderais
Leis ponderais
Escola Modelo de Iguatu
 
Introdução à química
Introdução à químicaIntrodução à química
Introdução à química
Escola Modelo de Iguatu
 
Função oxigenadas e nitrogenadas
Função oxigenadas e nitrogenadasFunção oxigenadas e nitrogenadas
Função oxigenadas e nitrogenadas
Escola Modelo de Iguatu
 
Coloides
ColoidesColoides
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
Escola Modelo de Iguatu
 
Números complexos I – Gabarito
Números complexos I – GabaritoNúmeros complexos I – Gabarito
Números complexos I – Gabarito
Escola Modelo de Iguatu
 
Números complexos
Números complexosNúmeros complexos
Números complexos
Escola Modelo de Iguatu
 
Vetores
VetoresVetores

Mais de Escola Modelo de Iguatu (20)

Apostila Modelo no Ar
Apostila Modelo no ArApostila Modelo no Ar
Apostila Modelo no Ar
 
Era JK
Era JKEra JK
Era JK
 
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
 
Globalização e os Blocos Econômicos
Globalização e os Blocos EconômicosGlobalização e os Blocos Econômicos
Globalização e os Blocos Econômicos
 
Formação Territorial
Formação TerritorialFormação Territorial
Formação Territorial
 
Era Vargas - Parte II
Era Vargas - Parte IIEra Vargas - Parte II
Era Vargas - Parte II
 
Desastre ambiental atualidades
Desastre ambiental   atualidadesDesastre ambiental   atualidades
Desastre ambiental atualidades
 
Aula - China
Aula - ChinaAula - China
Aula - China
 
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
 
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
 
Separação de Misturas
Separação de MisturasSeparação de Misturas
Separação de Misturas
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 
Leis ponderais
Leis ponderais Leis ponderais
Leis ponderais
 
Introdução à química
Introdução à químicaIntrodução à química
Introdução à química
 
Função oxigenadas e nitrogenadas
Função oxigenadas e nitrogenadasFunção oxigenadas e nitrogenadas
Função oxigenadas e nitrogenadas
 
Coloides
ColoidesColoides
Coloides
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Números complexos I – Gabarito
Números complexos I – GabaritoNúmeros complexos I – Gabarito
Números complexos I – Gabarito
 
Números complexos
Números complexosNúmeros complexos
Números complexos
 
Vetores
VetoresVetores
Vetores
 

Último

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 

Último (20)

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 

1º Ano - Classificação dos Seres Vivos

  • 1. CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS BIOLOGIA I – PROF.: MARCOS AURÉLIO 1º ANO
  • 2. A DIVERSIDADE DA VIDA  Em todo o mundo já foram identificadas cerca de 2,0 milhões de espécies  Atualmente cerca de 15.000 novas espécies são descritas por ano.  Como muitas regiões ainda não foram estudadas, acredita-se que possa existir ao todo no planeta cerca de 30 milhões ou mais de espécies diferentes.
  • 3. A DIVERSIDADE DA VIDA • Não podemos esquecer...  Que na busca por mais espaço e recursos naturais o homem vem causando grandes modificações e danos ao meio ambiente.  Calcula-se que atualmente cerca de 74 espécies estejam desaparecendo por dia.
  • 4. A DIVERSIDADE DA VIDA • Mundo = diversidade dos seres vivos; HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA • Sistemática – é o estudo dos organismos, sua diversidade, evolução no tempo e no espaço e suas classificações; • Tem início na Grécia Antiga = Aristóteles + Teofrasto.
  • 5. HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA 1. Aristóteles (384 – 322 a. C) – classificação dos seres vivos em animais:
  • 6. HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA 2. Teofrasto (372 – 322 a.C) – classificou as plantas em arbustos e árvores.  Com o fim da idade Média e início do Renascimento ocidental: 1. John Ray (1627 – 1705) – primeiro naturalista a utilizar o termo espécie; 2. CARL VON LINEÉ OU LINEU : lança a classificação e nomenclatura dos seres vivos.  Crença no FIXISMO – PRINCÍPIO DA
  • 7. HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA • LINEU: publicou a obra – SYSTEMA NATURAE – regras da nomenclatura científica: • Segundo Lineu, animais são da mesma espécie quando possuem características anatômicas semelhantes. • Lineu é o fundador da Taxonomia.
  • 8. HISTÓRICO DA SISTEMÁTICA • LAMARCK século XVII = espécies não são fixas; • Darwin + Wallace = presença de ancestral comum – evolução e adaptação. • A classificação dos seres vivos era feita a partir das relações com as características morfológicas, fisiológicas e moleculares = filogenia. • SISTEMÁTICA = TAXONÔMIA + FILOGÊNIA
  • 9. CLASSIFICAÇÃO DE LINEU NOMENCLATURA BINOMIAL: • Gênero + Epíteto específico: Homo sapiens CLASSIFICAÇÃO HIERÁRQUICA (EGFOCFR): • ESPÉCIE: características semelhantes; • GÊNERO: espécies semelhantes: - Leopardus wiedii, tigrinus e pardalis; - Panthera leo, tigris, onça, pardus. • FAMÍLIA: agrupamento de gêneros semelhantes – Leopardus + Panthera = Família Felidae
  • 10. CLASSIFICAÇÃO DE LINEU • ORDEM: agrupamento de famílias semelhantes: Felidae e Canidae  ordem carnívora; • CLASSE: engloba ordem diferentes com características semelhantes: ordem Carnívora, Cetácea (baleias e golfinhos), Proboscidae (elefantes), Primata(lemures, társios, macacos, humanos), Sirenia (peixes-boi), Artiodactyla (cabras, boi, carneiros, hipopotámos, porcos) – todos tem glândula mamária= classe Mammália.
  • 11. CLASSIFICAÇÃO DE LINEU • FILO: agrupamento de classes diferentes: classe Myxine (peixes-bruxas), Petromyzontida (lampréia), Condricthyes (tubarão), Actinopterygii (sardinhas, etc), Actinista (celacanto – genero Lamiteria), Dipnoi (pirambóia – Lepidosiren paradoxa), Amphibia (crãs, salamandras, cobras-cegas, etc), Reptilia (cobras, lagartos, tartarugas e jacarés), Aves (tucanos e beija-flor), Mammália - na fase embrionária possuem notocorda= filo Chordata
  • 12. CLASSIFICAÇÃO DE LINEU • REINO: é o agrupamento de filos: Porifhera, Cnidários, Platyhelminthes, Nematelminthes, Mollusca, Annelida, Artrópodes, Echinodermata e Chordata – organismos dotados de blástula, eucariontes, pluricelulares e heterotrófos por ingestão = Reino Metazoa ou Animália. • Para classificação pode-se inserir: -super = acima dos níveis básicos - Infra ou sub = abaixo dos níveis básicos.
  • 13. CLASSIFICAÇÃO DE LINEU  As categorias taxonômicas de Lineu I. Lineu organizou as espécies em táxons ou grupos. Táxon Característica Espécie Conjunto de indivíduos que compartilham estruturas típicas ausentes em outras espécies. Gênero Conjunto de espécies semelhantes Família Conjunto de gêneros semelhantes Ordem Conjunto de famílias semelhantes Classe Conjunto de ordens semelhantes Filo Conjunto de classes semelhantes Reino Conjunto de filos semelhantes
  • 14. CLASSIFICAÇÃO DE LINEU • Exemplo de classificação.
  • 15. CONCEITO DE ESPÉCIE • DIVERSIDADE DA VIDA = EVOLUÇÃO • Lineu = conjunto de seres vivos em que os individuos apresentam grandes semelhanças físicas e padrão morfológico comum de um grupo – conceito tipológico. • O CONCEITO TIPOLÓGICO: 1.Individuos que compartilham mesma “essencia” 2. Cada espécie tem características próprias; 3.As espécies são constantes; 4.A variação das espécies é bastante limitada.
  • 16. CONCEITO DE ESPÉCIE • A partir de Lamarck e Darwin = o conceito tipológico é enfraquecido; • Darwin – espécies não são constantes!! • Novo conceito para definição: Isolamento reprodutivo, CONCEITO BIOLÓGICO  espécies iguais = descentes férteis; espécies diferentes = não descendentes ou inférteis.
  • 17. CONCEITO DE ESPÉCIE • Conceito biológico = proteção e o equilíbrio dos genótipos. • ERNEST MAYR: “Espécie é um grupo de populações cujos indivíduos são capazes de se cruzar e produzir descendentes férteis, em condições naturais, estando reprodutivamente isolados. • Espécie biológica  populações que se acasalam coexistem no mesmo local.
  • 18. CONCEITO DE ESPÉCIE • O conceito biológico possui 2 problemas: • Primeiro: populações que se reproduzem assexuadamente; • Segundo: populações de espécie iguais em ambientes diferentes = Isolamento Geográfico • Isolamento Geográfico  Irradiação adaptativa = subespécie, ou seja, raça – mesma espécie, mas com características particulares. • Subespécie pode levar ao isolamento reprodutivo
  • 19. REGRAS DE NOMENCLATURA • Lineu estabeleceu as regras do sistema binomial de nomenclatura: o epíteto de gênero e um de espécie. • A língua escolhida fora o latim, em 1842, ficaram definidas as normas e regras: Os nomes propostos para animais, vegetais e microorganismos devem ser distintos; Os o nome dos níveis de taxonomia devem ser distintos; Não são reconhecidos os nomes anteriores a “Lineu”; Os nomes científicos devem ser latinos ou latinizados, em itálico ou sublinhado;
  • 20. REGRAS DE NOMENCLATURA  Todo nome científico (espécie) deve ter pelo menos dois nomes: epíteto de gênero e espécie. Ex: Homo sapiens;  O nome do gênero deve ser escrito com a letra Maiúscula (Homo) e o epíteto específico com letra minúscula (sapiens);  Quando o nome é homenagem: ao homem – acrescenta a letra i ao sobrenome para o epíteto específico, Tripypanosoma cruzi; mulher acrescenta ae ao sobrenome para o epíteto específico;  Lei da prioridade – prevalece o primeiro nome mesmo que esteja errado;  Abreviatura sp ou plural spp é usada quando não identifica a espécie.
  • 21. REGRAS DE NOMENCLATURA  Nos trabalhos científicos após o nome das espécies deve ser acrescido o nome do autor;  Quando existir subespécie, o nome fica com letra minúscula: Homo sapiens sapiens;  O nome do subgênero é escrito com letra maiúscula e entre parênteses;  Se uma espécie for transferida de gênero, após seu nome deve colocar entre parêntese o cientista responsável;  Superfamília= gênero + desinência oidea;  Família= gênero + idae;  Subfamília= gênero + inae  Tribo= ini  Em BOTÂNICA: ORDEM (dessinência ales); FAMÍLIA (acea)
  • 22. Classificação dos Seres Vivos Nomenclatura de espécie: binominal  Primeira letra refere-se ao nome do gênero (inicial maiúscula)  Segunda letra refere-se ao nome específico (inicial minúscula)  Deve ser escrito em itálico e/ou sublinhado. Espécie Humana Cachorro Gato Milho Homo sapiens Canis falimiaris Felis catus Zea mays
  • 23. Classificação dos Seres Vivos  Nomenclatura de subespécie  Trinominal  Nome do gênero + nome específico + nome subespécie. Crotalus terrificus terrificus Rhea americana alba Pinus nigra nigra Pinus nigra caramanica Pinus nigra pallasiana Cobra cascavel brasileira Ema branca Pinheiro negro austríaco Pinheiro negro turco Pinheiro negro da Crimeia
  • 24. Classificação dos Seres Vivos  Quando se quer citar uma espécie qualquer situada dentro de um gênero – usa-se a terminação “sp.” Polystira sp. Significa: qualquer espécie do gênero Polystira. Obs: o termo sp. é escrito em minúsculo, não itálico e não grifado.  Quando se quer citar várias espécies situadas dentro de um gênero – usa-se a terminação “spp.” Polystira spp. Significa: várias espécies do gênero Polystira. Obs: o termo spp. é escrito em minúsculo, não itálico e não grifado.
  • 25. Classificação dos Seres Vivos  Táxons acima de espécie: nomenclatura uninominal  Inicial maiúscula em latim.  Não é necessário itálico ou grifo. Família Ordem Classe Filo Reino Felidae (gatos), Canidae (cães), Fabaceae (Leguminosas), Rosaceae (rosas). Carnivora (cão, gato, urso), Primata (homem, chimpanzé, gorila), Fabales (vagem, feijão, soja), Asterales (girassol) Mammalia (mamíferos), Reptile (répteis), Amphibia (anfíbios). Chordata (cordados), Pteridophyta (samambaias), Mollusca (moluscos), Arthropoda (artrópodes). Animmalia (animais), Plantae (plantas), Fungi (fungos)