SlideShare uma empresa Scribd logo
Catástrofes Naturais e de Origem
Antrópica
Ciências Naturais
3ºCiclo
CATÁSTROFES NATURAIS
São acidentes que ocorrem sem a intervenção
do Homem, com consequências graves para o
equilíbrio dos ecossistemas e para as
populações humanas.
Catástrofes
Naturais
origem climática origem geológica
VulcõesSismos
Secas Incêndios
InundaçõesTempestades
podem ser de
por exemplo por exemplo
Secas: diminuição da água das
chuvas, da qual resulta, por exemplo,
a desertificação.
Incêndios: provocados por descargas
elétricas de trovoadas e combustões
espontâneas, afetam todo o
ecossistema.
Tempestades: perturbações da
atmosfera caracterizadas por chuva
intensa, vento e trovoada, podendo
ocorrer a formação de tufões, tornados
e furacões.
CATÁSTROFES NATURAIS
Inundações: grande quantidade de água
acumulada pode causar graves danos,
como, por exemplo, chuvas diluvianas e
subida do nível das águas dos grandes
rios, que, transpondo as margens, têm
grande poder destrutivo.
Sismos e Vulcões: tremores de
terra e erupções vulcânicas
podem, pela sua violência,
alterar os ecossistemas,
incluindo a população humana.
Constituem um dos mais
evidentes riscos naturais.
CATÁSTROFES NATURAIS
CATÁSTROFES DE ORIGEM
ANTRÓPICA
São catástrofes originadas diretamente pelo Homem, com
consequências drásticas para os ecossistemas e para as populações
humanas.
Catástrofes de origem antrópica
Poluição Desflorestação Incêndios Invasões
biológicas
podem ser
POLUIÇÃO
Consiste na degradação do meio ambiente provocada por
agentes que perturbam o equilíbrio natural dos
ecossistemas. Esses agentes, que, em determinada
concentração, afetam o meio ambiente, chamam-se
poluentes.
Tipos de
Poluição
Poluição do
ar
exemplos
Poluição do
solo
Poluição da
água
Entre as mais graves consequências da poluição atmosférica
destacam-se o aquecimento global, as chuvas ácidas e a
diminuição da camada de ozono.
Aquecimento global
Fontes de
poluição
Agentes poluentes Consequências
Emissões de gases
lançados pelos carros e
indústrias.
Pecuária
Dióxido de carbono;
Metano;
Degelo e consequente destruição de zonas
costeiras;
Grandes períodos de seca.
Alterações climáticas
Chuvas ácidas
Consistem na precipitação acidificada sob a forma de chuva, neve
ou granizo. Os poluentes emitidos para a atmosfera pela atividade
humana combinam-se com o vapor de água e formam ácidos, que
atingem a superfície terrestre através das chuvas ácidas.
Camada de ozono
A camada de ozono situa-se na
estratosfera e protege os seres vivos
das radiações ultravioleta
provenientes do Sol.
O “buraco de ozono” traduz-se numa
rarefação na camada de ozono que
envolve a Terra.
(2007)
Buraco da camada
de ozono a azul.
Fontes de poluição Agentes
poluentes
Consequências
Aparelhos de refrigeração,
aerossóis (sprays) e
secantes.
C. F. C. ‘s
(Clorofluorcarbonetos)
Menor desenvolvimento das plantas e
do fitoplâncton;
Podem surgir problemas de cegueira e
de cancro de pele.
Poluição da água
Fontes de poluição Agentes
poluentes
Consequências
Derrames de petróleo;
Descargas industriais;
Detritos de zonas
urbanas (esgotos);
Atividades recreativas
diversas;
Agricultura.
Petróleo;
Metais pesados;
Detergentes;
Detritos
orgânicos.
Fertilizantes;
Pesticidas
(DDT);
Destruição de habitats; Morte de seres
vivos; Marés negras; Degradação das
praias;
Toxicidade para os seres vivos através
das cadeias alimentares, atingindo,
inclusive, o Homem (bioampliação);
Problemas ao nível da saúde pública
(gastroenterites, otites, perturbações
intestinais,…).
Poluição do solo
É menos visível do que a poluição
do ar ou da água, mas é igualmente
perigosa.
Fontes de
poluição
Agentes
poluentes
Consequências
Agricultura
(intensiva);
Indústrias;
Urbanização;
Exploração mineira.
Inseticidas e Herbicidas;
Adubos e fertilizantes;
Resíduos domésticos e
industriais;
Escombreiras.
Perda da produtividade do solo;
Contaminação dos aquíferos;
Destruição de habitats;
Morte de seres vivos;
Problemas ao nível da saúde
pública.
Nota: A degradação do solo, tornando-o infértil, está na origem do processo
de desertificação.
DESFLORESTAÇÃO
Eliminação de vastas áreas florestais; é
responsável por modificações climáticas e pelo
desaparecimento de habitats, conduzindo, deste
modo, ao desaparecimento de muitas espécies
animais e vegetais.
INCÊNDIOS
São catástrofes que alteram profundamente o
equilíbrio dos ecossistemas porque, para além de
destruírem a biodiversidade, afetam a qualidade
do ar, da água e do solo e interferem com os
ciclos biogeoquímicos.
Acácia, Acacia
mearnsii, uma das
100 espécies mais
invasivas do
mundo.
Existe uma invasão biológica
quando uma espécie invasora
se estabelece e persiste numa
determinada área, onde, até aí,
não tinha habitado. Esta
espécie reproduz-se,
causando prejuízos nos
ecossistemas. Não tendo
inimigos naturais nos
territórios colonizados, podem
transmitir doenças, destruindo
os habitats (como é o caso
dos vegetais).
INVASÕES BIOLÓGICAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A poluição dos solos
A poluição dos solosA poluição dos solos
A poluição dos solos
Aninha Morais
 
Cheias e inundações
Cheias e inundaçõesCheias e inundações
Cheias e inundações
Carlos Henrique Tavares
 
Rochas solo tr
Rochas solo trRochas solo tr
Rochas solo tr
Tânia Reis
 
Problemas Ambientais
Problemas AmbientaisProblemas Ambientais
Problemas Ambientais
Emília Cabral
 
Catástrofes naturais
Catástrofes naturaisCatástrofes naturais
Catástrofes naturais
Cristina Coelho
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
Andreia Pereira
 
Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)
alsferreira
 
Desastres naturais
Desastres naturaisDesastres naturais
Desastres naturais
Mariana Cordeiro
 
Química ambiental ( smog fotoquímico )
Química  ambiental ( smog fotoquímico )Química  ambiental ( smog fotoquímico )
Química ambiental ( smog fotoquímico )
Adrianne Mendonça
 
Poluição do ar ( slide) apresentação
 Poluição do ar ( slide) apresentação Poluição do ar ( slide) apresentação
Poluição do ar ( slide) apresentação
JJRBOL
 
Interferência do homem no ecossistema
Interferência do homem no ecossistemaInterferência do homem no ecossistema
Interferência do homem no ecossistema
Angela Boucinha
 
Slides aquecimento global
Slides aquecimento global   Slides aquecimento global
Slides aquecimento global
JUCIANO PEREIRA DOS SANTOS
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
Tânia Reis
 
Furacões e tornados
Furacões e tornadosFuracões e tornados
Furacões e tornados
Ilda Bicacro
 
Poluição e saúde pública
Poluição e saúde pública Poluição e saúde pública
Poluição e saúde pública
Lewis Sophia
 
Buraco na Camada de Ozônio
Buraco na Camada de OzônioBuraco na Camada de Ozônio
Buraco na Camada de Ozônio
Pedro Klein Garcia
 
O Efeito de Estufa
O Efeito de EstufaO Efeito de Estufa
O Efeito de Estufa
guest6226ea1
 
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemasA influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
Leonardo Alves
 
Desastres Naturais
Desastres NaturaisDesastres Naturais
Desastres Naturais
guest00ce198
 

Mais procurados (20)

A poluição dos solos
A poluição dos solosA poluição dos solos
A poluição dos solos
 
Cheias e inundações
Cheias e inundaçõesCheias e inundações
Cheias e inundações
 
Rochas solo tr
Rochas solo trRochas solo tr
Rochas solo tr
 
Problemas Ambientais
Problemas AmbientaisProblemas Ambientais
Problemas Ambientais
 
Catástrofes naturais
Catástrofes naturaisCatástrofes naturais
Catástrofes naturais
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
 
Palestra sobre impactos ambientais urbanos
Palestra sobre impactos ambientais urbanosPalestra sobre impactos ambientais urbanos
Palestra sobre impactos ambientais urbanos
 
Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)
 
Desastres naturais
Desastres naturaisDesastres naturais
Desastres naturais
 
Química ambiental ( smog fotoquímico )
Química  ambiental ( smog fotoquímico )Química  ambiental ( smog fotoquímico )
Química ambiental ( smog fotoquímico )
 
Poluição do ar ( slide) apresentação
 Poluição do ar ( slide) apresentação Poluição do ar ( slide) apresentação
Poluição do ar ( slide) apresentação
 
Interferência do homem no ecossistema
Interferência do homem no ecossistemaInterferência do homem no ecossistema
Interferência do homem no ecossistema
 
Slides aquecimento global
Slides aquecimento global   Slides aquecimento global
Slides aquecimento global
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
 
Furacões e tornados
Furacões e tornadosFuracões e tornados
Furacões e tornados
 
Poluição e saúde pública
Poluição e saúde pública Poluição e saúde pública
Poluição e saúde pública
 
Buraco na Camada de Ozônio
Buraco na Camada de OzônioBuraco na Camada de Ozônio
Buraco na Camada de Ozônio
 
O Efeito de Estufa
O Efeito de EstufaO Efeito de Estufa
O Efeito de Estufa
 
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemasA influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
 
Desastres Naturais
Desastres NaturaisDesastres Naturais
Desastres Naturais
 

Semelhante a 09 catastrofes1

Desiquilibrio Ambiente
Desiquilibrio AmbienteDesiquilibrio Ambiente
Desiquilibrio Ambiente
Sérgio Luiz
 
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas 8 ano
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas 8 anoPerturbações no equilíbrio dos ecossistemas 8 ano
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas 8 ano
Ana Tapadinhas
 
Seminário sobre poluição
Seminário sobre poluiçãoSeminário sobre poluição
Seminário sobre poluição
Fernanda Scaramboni
 
Alteraã‡ã•Es Do Ambiente Global[1]
Alteraã‡ã•Es Do Ambiente Global[1]Alteraã‡ã•Es Do Ambiente Global[1]
Alteraã‡ã•Es Do Ambiente Global[1]
minedu
 
Fenômenos Naturais e impactos socioambientais.pptx
Fenômenos Naturais e impactos socioambientais.pptxFenômenos Naturais e impactos socioambientais.pptx
Fenômenos Naturais e impactos socioambientais.pptx
AndressaCosta90
 
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemasPerturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Leonardo Alves
 
Perturbaesnoequilbriodosecossistemas 120512063425-phpapp01
Perturbaesnoequilbriodosecossistemas 120512063425-phpapp01Perturbaesnoequilbriodosecossistemas 120512063425-phpapp01
Perturbaesnoequilbriodosecossistemas 120512063425-phpapp01
Pelo Siro
 
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemasPerturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Leonardo Alves
 
Aula 2 Impactos Ambientais
Aula 2 Impactos AmbientaisAula 2 Impactos Ambientais
Aula 2 Impactos Ambientais
Carlos Priante
 
Viver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O PlanetaViver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O Planeta
guest0cc75a5
 
Viver sem destruir o planeta
Viver sem destruir o planetaViver sem destruir o planeta
Viver sem destruir o planeta
FERNANDAPRATAS
 
Viver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O PlanetaViver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O Planeta
isabelsilveira
 
Viver sem destruir o planeta
Viver sem destruir o planetaViver sem destruir o planeta
Viver sem destruir o planeta
Geografias Geo
 
Viver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O PlanetaViver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O Planeta
guest0cc75a5
 
Viver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O PlanetaViver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O Planeta
guest13903fa1
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Power Point Pinto
Power  Point  PintoPower  Point  Pinto
Power Point Pinto
elvira.sequeira
 
Poluição do ar e suas consequências
Poluição do ar e suas consequênciasPoluição do ar e suas consequências
Poluição do ar e suas consequências
Geandre Costa Costa
 
A atmosfera como fonte de recursos úteis aos
A atmosfera como fonte de recursos úteis aosA atmosfera como fonte de recursos úteis aos
A atmosfera como fonte de recursos úteis aos
Sandy Mirella
 
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
Leonor Vaz Pereira
 

Semelhante a 09 catastrofes1 (20)

Desiquilibrio Ambiente
Desiquilibrio AmbienteDesiquilibrio Ambiente
Desiquilibrio Ambiente
 
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas 8 ano
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas 8 anoPerturbações no equilíbrio dos ecossistemas 8 ano
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas 8 ano
 
Seminário sobre poluição
Seminário sobre poluiçãoSeminário sobre poluição
Seminário sobre poluição
 
Alteraã‡ã•Es Do Ambiente Global[1]
Alteraã‡ã•Es Do Ambiente Global[1]Alteraã‡ã•Es Do Ambiente Global[1]
Alteraã‡ã•Es Do Ambiente Global[1]
 
Fenômenos Naturais e impactos socioambientais.pptx
Fenômenos Naturais e impactos socioambientais.pptxFenômenos Naturais e impactos socioambientais.pptx
Fenômenos Naturais e impactos socioambientais.pptx
 
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemasPerturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemas
 
Perturbaesnoequilbriodosecossistemas 120512063425-phpapp01
Perturbaesnoequilbriodosecossistemas 120512063425-phpapp01Perturbaesnoequilbriodosecossistemas 120512063425-phpapp01
Perturbaesnoequilbriodosecossistemas 120512063425-phpapp01
 
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemasPerturbaes no equilbrio dos ecossistemas
Perturbaes no equilbrio dos ecossistemas
 
Aula 2 Impactos Ambientais
Aula 2 Impactos AmbientaisAula 2 Impactos Ambientais
Aula 2 Impactos Ambientais
 
Viver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O PlanetaViver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O Planeta
 
Viver sem destruir o planeta
Viver sem destruir o planetaViver sem destruir o planeta
Viver sem destruir o planeta
 
Viver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O PlanetaViver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O Planeta
 
Viver sem destruir o planeta
Viver sem destruir o planetaViver sem destruir o planeta
Viver sem destruir o planeta
 
Viver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O PlanetaViver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O Planeta
 
Viver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O PlanetaViver Sem Destruir O Planeta
Viver Sem Destruir O Planeta
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Power Point Pinto
Power  Point  PintoPower  Point  Pinto
Power Point Pinto
 
Poluição do ar e suas consequências
Poluição do ar e suas consequênciasPoluição do ar e suas consequências
Poluição do ar e suas consequências
 
A atmosfera como fonte de recursos úteis aos
A atmosfera como fonte de recursos úteis aosA atmosfera como fonte de recursos úteis aos
A atmosfera como fonte de recursos úteis aos
 
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
 

Mais de ruiricardobg

13 urinario
13 urinario13 urinario
13 urinario
ruiricardobg
 
12 respiratorio
12 respiratorio12 respiratorio
12 respiratorio
ruiricardobg
 
11 sistema linfatico
11 sistema linfatico11 sistema linfatico
11 sistema linfatico
ruiricardobg
 
10 cardiovascular
10 cardiovascular10 cardiovascular
10 cardiovascular
ruiricardobg
 
08.3 sistema digestivo
08.3 sistema digestivo08.3 sistema digestivo
08.3 sistema digestivo
ruiricardobg
 
08.2 disturbios e alimentacao saudavel
08.2 disturbios e alimentacao saudavel08.2 disturbios e alimentacao saudavel
08.2 disturbios e alimentacao saudavel
ruiricardobg
 
08.1 alimentos e nutrientes
08.1 alimentos e nutrientes08.1 alimentos e nutrientes
08.1 alimentos e nutrientes
ruiricardobg
 
07 meio interno
07 meio interno07 meio interno
07 meio interno
ruiricardobg
 
09 sangue
09 sangue09 sangue
09 sangue
ruiricardobg
 
06 genetica1
06 genetica106 genetica1
06 genetica1
ruiricardobg
 
12 areas protegidas1
12 areas protegidas112 areas protegidas1
12 areas protegidas1
ruiricardobg
 
05 saude sit rep e contracecao
05 saude sit rep e contracecao05 saude sit rep e contracecao
05 saude sit rep e contracecao
ruiricardobg
 
04 fecundacao e gravidez
04 fecundacao e gravidez04 fecundacao e gravidez
04 fecundacao e gravidez
ruiricardobg
 
03 ciclos sexuais
03 ciclos sexuais03 ciclos sexuais
03 ciclos sexuais
ruiricardobg
 
11 gestao residuos e agua1
11 gestao residuos e agua111 gestao residuos e agua1
11 gestao residuos e agua1
ruiricardobg
 
10 recursos e utilizacao
10 recursos e utilizacao10 recursos e utilizacao
10 recursos e utilizacao
ruiricardobg
 
08 sucessoes ecologicas
08 sucessoes ecologicas08 sucessoes ecologicas
08 sucessoes ecologicas
ruiricardobg
 
07 materia e energia
07 materia e energia07 materia e energia
07 materia e energia
ruiricardobg
 
06 ecossistemas e fatores abioticos
06 ecossistemas e fatores abioticos06 ecossistemas e fatores abioticos
06 ecossistemas e fatores abioticos
ruiricardobg
 
02 reproducao mod1
02 reproducao mod102 reproducao mod1
02 reproducao mod1
ruiricardobg
 

Mais de ruiricardobg (20)

13 urinario
13 urinario13 urinario
13 urinario
 
12 respiratorio
12 respiratorio12 respiratorio
12 respiratorio
 
11 sistema linfatico
11 sistema linfatico11 sistema linfatico
11 sistema linfatico
 
10 cardiovascular
10 cardiovascular10 cardiovascular
10 cardiovascular
 
08.3 sistema digestivo
08.3 sistema digestivo08.3 sistema digestivo
08.3 sistema digestivo
 
08.2 disturbios e alimentacao saudavel
08.2 disturbios e alimentacao saudavel08.2 disturbios e alimentacao saudavel
08.2 disturbios e alimentacao saudavel
 
08.1 alimentos e nutrientes
08.1 alimentos e nutrientes08.1 alimentos e nutrientes
08.1 alimentos e nutrientes
 
07 meio interno
07 meio interno07 meio interno
07 meio interno
 
09 sangue
09 sangue09 sangue
09 sangue
 
06 genetica1
06 genetica106 genetica1
06 genetica1
 
12 areas protegidas1
12 areas protegidas112 areas protegidas1
12 areas protegidas1
 
05 saude sit rep e contracecao
05 saude sit rep e contracecao05 saude sit rep e contracecao
05 saude sit rep e contracecao
 
04 fecundacao e gravidez
04 fecundacao e gravidez04 fecundacao e gravidez
04 fecundacao e gravidez
 
03 ciclos sexuais
03 ciclos sexuais03 ciclos sexuais
03 ciclos sexuais
 
11 gestao residuos e agua1
11 gestao residuos e agua111 gestao residuos e agua1
11 gestao residuos e agua1
 
10 recursos e utilizacao
10 recursos e utilizacao10 recursos e utilizacao
10 recursos e utilizacao
 
08 sucessoes ecologicas
08 sucessoes ecologicas08 sucessoes ecologicas
08 sucessoes ecologicas
 
07 materia e energia
07 materia e energia07 materia e energia
07 materia e energia
 
06 ecossistemas e fatores abioticos
06 ecossistemas e fatores abioticos06 ecossistemas e fatores abioticos
06 ecossistemas e fatores abioticos
 
02 reproducao mod1
02 reproducao mod102 reproducao mod1
02 reproducao mod1
 

Último

Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 

Último (20)

Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 

09 catastrofes1

  • 1. Catástrofes Naturais e de Origem Antrópica Ciências Naturais 3ºCiclo
  • 2. CATÁSTROFES NATURAIS São acidentes que ocorrem sem a intervenção do Homem, com consequências graves para o equilíbrio dos ecossistemas e para as populações humanas. Catástrofes Naturais origem climática origem geológica VulcõesSismos Secas Incêndios InundaçõesTempestades podem ser de por exemplo por exemplo
  • 3. Secas: diminuição da água das chuvas, da qual resulta, por exemplo, a desertificação. Incêndios: provocados por descargas elétricas de trovoadas e combustões espontâneas, afetam todo o ecossistema. Tempestades: perturbações da atmosfera caracterizadas por chuva intensa, vento e trovoada, podendo ocorrer a formação de tufões, tornados e furacões. CATÁSTROFES NATURAIS
  • 4. Inundações: grande quantidade de água acumulada pode causar graves danos, como, por exemplo, chuvas diluvianas e subida do nível das águas dos grandes rios, que, transpondo as margens, têm grande poder destrutivo. Sismos e Vulcões: tremores de terra e erupções vulcânicas podem, pela sua violência, alterar os ecossistemas, incluindo a população humana. Constituem um dos mais evidentes riscos naturais. CATÁSTROFES NATURAIS
  • 5. CATÁSTROFES DE ORIGEM ANTRÓPICA São catástrofes originadas diretamente pelo Homem, com consequências drásticas para os ecossistemas e para as populações humanas. Catástrofes de origem antrópica Poluição Desflorestação Incêndios Invasões biológicas podem ser
  • 6. POLUIÇÃO Consiste na degradação do meio ambiente provocada por agentes que perturbam o equilíbrio natural dos ecossistemas. Esses agentes, que, em determinada concentração, afetam o meio ambiente, chamam-se poluentes. Tipos de Poluição Poluição do ar exemplos Poluição do solo Poluição da água Entre as mais graves consequências da poluição atmosférica destacam-se o aquecimento global, as chuvas ácidas e a diminuição da camada de ozono.
  • 7. Aquecimento global Fontes de poluição Agentes poluentes Consequências Emissões de gases lançados pelos carros e indústrias. Pecuária Dióxido de carbono; Metano; Degelo e consequente destruição de zonas costeiras; Grandes períodos de seca. Alterações climáticas
  • 8. Chuvas ácidas Consistem na precipitação acidificada sob a forma de chuva, neve ou granizo. Os poluentes emitidos para a atmosfera pela atividade humana combinam-se com o vapor de água e formam ácidos, que atingem a superfície terrestre através das chuvas ácidas.
  • 9. Camada de ozono A camada de ozono situa-se na estratosfera e protege os seres vivos das radiações ultravioleta provenientes do Sol. O “buraco de ozono” traduz-se numa rarefação na camada de ozono que envolve a Terra. (2007) Buraco da camada de ozono a azul. Fontes de poluição Agentes poluentes Consequências Aparelhos de refrigeração, aerossóis (sprays) e secantes. C. F. C. ‘s (Clorofluorcarbonetos) Menor desenvolvimento das plantas e do fitoplâncton; Podem surgir problemas de cegueira e de cancro de pele.
  • 10. Poluição da água Fontes de poluição Agentes poluentes Consequências Derrames de petróleo; Descargas industriais; Detritos de zonas urbanas (esgotos); Atividades recreativas diversas; Agricultura. Petróleo; Metais pesados; Detergentes; Detritos orgânicos. Fertilizantes; Pesticidas (DDT); Destruição de habitats; Morte de seres vivos; Marés negras; Degradação das praias; Toxicidade para os seres vivos através das cadeias alimentares, atingindo, inclusive, o Homem (bioampliação); Problemas ao nível da saúde pública (gastroenterites, otites, perturbações intestinais,…).
  • 11. Poluição do solo É menos visível do que a poluição do ar ou da água, mas é igualmente perigosa. Fontes de poluição Agentes poluentes Consequências Agricultura (intensiva); Indústrias; Urbanização; Exploração mineira. Inseticidas e Herbicidas; Adubos e fertilizantes; Resíduos domésticos e industriais; Escombreiras. Perda da produtividade do solo; Contaminação dos aquíferos; Destruição de habitats; Morte de seres vivos; Problemas ao nível da saúde pública. Nota: A degradação do solo, tornando-o infértil, está na origem do processo de desertificação.
  • 12. DESFLORESTAÇÃO Eliminação de vastas áreas florestais; é responsável por modificações climáticas e pelo desaparecimento de habitats, conduzindo, deste modo, ao desaparecimento de muitas espécies animais e vegetais.
  • 13. INCÊNDIOS São catástrofes que alteram profundamente o equilíbrio dos ecossistemas porque, para além de destruírem a biodiversidade, afetam a qualidade do ar, da água e do solo e interferem com os ciclos biogeoquímicos.
  • 14. Acácia, Acacia mearnsii, uma das 100 espécies mais invasivas do mundo. Existe uma invasão biológica quando uma espécie invasora se estabelece e persiste numa determinada área, onde, até aí, não tinha habitado. Esta espécie reproduz-se, causando prejuízos nos ecossistemas. Não tendo inimigos naturais nos territórios colonizados, podem transmitir doenças, destruindo os habitats (como é o caso dos vegetais). INVASÕES BIOLÓGICAS