SlideShare uma empresa Scribd logo
PRODUTIVIDADE DO CAFÉ CONILON CONDUZIDO COM DIFERENTES POPULAÇÕES DE HASTES POR ÁREA E COM USO DA PODA PROGRAMADA DE CICLO AUTORES Abraão Carlos  VERDIN FILHO,  Marcelo Antonio  TOMAZ,  Romário Gava  FERRÃO,  Maria Amélia Gava  FERRÃO,  Aymbiré Francisco Almeida  DA FONSECA , Paulo Sérgio  VOLPI,  José Antonio  LANI,   Aldo Luiz  MAURI,  Rogério Carvalho  GUARCONI
P ODA  P ROGRAMADA DE  C ICLO PARA O  C AFÉ  C ONILON
LAVOURA  1ª a 4ª COLHEITA
LAVOURA  APÓS 4ª. COLHEITA
LAVOURA  REVIGORADA COM 1 ANO
PRINCIPAIS VANTAGENS Redução média de 32% de mão-de-obra no período de 10 colheitas; Facilidade de entendimento  e execução;  Maior uniformidade das floradas e da maturação dos frutos; Aumento superior a 20% na produtividade média da lavoura; Maior estabilidade de produção por ciclo e melhor qualidade final do produto .
OBJETIVO O objetivo deste estudo foi avaliar a produtividade de cafeeiros conilon cultivados em diferentes espaçamentos com o mesmo número de hastes por planta, utilizando a poda programada de ciclo (PPC).
MATERIAL E MÉTODOS O estudo foi realizado na F.E.M. (Incaper), localizada a 19º24' S; 40º32' W, região norte do Estado do Espírito Santo; A região apresenta topografia ondulado-acidentada, com  (pma) 1.147 mm, temperatura média anual de 24,2 ºc.
MATERIAL E MÉTODOS O delineamento utilizado foi em blocos casualizados, com esquema de parcelas subdividas no tempo ao longo de 3 anos (2008, 2009 e 2010), com quatro repetições; Foi utilizada a cultivar EMCAPA 8111; O trabalho foi conduzido sem a utilização de irrigação.
MATERIAL E MÉTODOS Foram testados quatro populações de hastes por hectare (Tabela 1), obtidos em diferentes espaçamentos da lavoura; As plantas foram mantidas com três  hastes por planta. Trat. Espaç. Número de hastes por planta População de hastes por hectare 1 2,0 x 1,0 3 hastes 15.000 2 2,5 x 1,0  3 hastes 12.000 3 3,0 x 1,0 3 hastes 10.000 4 3,0 x 1,5 3 hastes 6.667
 
MATERIAL E MÉTODOS Foi efetuada a colheita nos anos de 2008, 2009 e 2010;  Os dados foram submetidos à análise de variância, e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey e ou submetidas à análise de regressão; Foi utilizado o software estatístico ‘Programa GENES’ (CRUZ, 2006).
RESULTADOS E DISCUSSÃO Houve interação no comportamento do número de hastes por hectare para cada uma das safras; Na safra 2009, ocorreu alta restrição hídrica, ocorridas no período de abotoamento floral até a granação do café; Também neste período houve influência da bienalidade na cultura, ocorrendo queda na produção.
PRODUTIVIDADE MÉDIA ANUAL EM FUNÇÃO DA DENSIDADE DE HASTES 2,0 x 1,0 3,0x 1,0 2,5 x 1,0 3,0 x 1,5
A análise de regressão para cada um dos anos é apresentada na Tabela 2. RESULTADOS E DISCUSSÃO ANO EQUAÇÃO DE REGRESSÃO R² SIGNIFICÂNCIA 2008 Ŷ = 0,0041X - 4,0372 0,79 * 2009 Ŷ = -0,0015X + 31,7618 0,88 * 2010 Ŷ  = 0,0046X - 2,2919 0,65 *
Figura 2 –  Regressões para produtividade em função do número de hastes por hectare para os anos de 2008. 2008 3,0 x 1,5 2,0 x 1,0
Figura 2 –  Regressões para produtividade em função do número de hastes por hectare para os anos de 2009. 2009 3,0 x 1,5 2,0 x 1,0
Figura 2 –  Regressões para produtividade em função do número de hastes por hectare para os anos de  2010. 2010 3,0 x 1,5 2,0 x 1,0
CONCLUSÕES O adensamento de lavoura, associado à poda programada de ciclo, tem efeito positivo na produtividade de lavoura de café conilon, nas condições avaliadas; O déficit hídrico e a bienalidade pode inverter o comportamento de produtividade em função do adensamento de lavoura.
Tel: (27) 3724-1182 / (27) 9957-1028 email: verdin.incaper@es.gov.br  www.incaper.es.gov.br   OBRIGADO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra sustentabilidade na cafeicultura
Palestra sustentabilidade na cafeiculturaPalestra sustentabilidade na cafeicultura
Palestra sustentabilidade na cafeicultura
Revista Cafeicultura
 
Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os SAFs como indutor do desenv...
Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os SAFs como indutor do desenv...Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os SAFs como indutor do desenv...
Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os SAFs como indutor do desenv...
cbsaf
 
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURAINTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
Geagra UFG
 
Alternativas de manejo para a cafeicultura de montanha josé braz matiello – f...
Alternativas de manejo para a cafeicultura de montanha josé braz matiello – f...Alternativas de manejo para a cafeicultura de montanha josé braz matiello – f...
Alternativas de manejo para a cafeicultura de montanha josé braz matiello – f...
Manejo Da Lavoura Cafeeira
 
Agricultura de Precisão
Agricultura de PrecisãoAgricultura de Precisão
Agricultura de Precisão
Portal Canal Rural
 
Agricultura de Precisão - Gerenciando Informações
Agricultura de Precisão - Gerenciando InformaçõesAgricultura de Precisão - Gerenciando Informações
Agricultura de Precisão - Gerenciando Informações
Faculdade de Tecnologia de Marília - Campus Pompéia
 
Arranjo em parcela sub dividida
Arranjo em parcela sub divididaArranjo em parcela sub dividida
Arranjo em parcela sub dividida
Mario Lira Junior
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
Irrigação
Dil J. Messias
 
06 apresentação oral produção
06 apresentação oral  produção06 apresentação oral  produção
06 apresentação oral produção
Revista Cafeicultura
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Daniel Staciarini Corrêa
 
Apresentação Agricultura Irrigada
Apresentação Agricultura IrrigadaApresentação Agricultura Irrigada
Apresentação Agricultura Irrigada
Valmont / Valley
 
AdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De PastagensAdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De Pastagens
João Alberto Teló
 
01 matiello mecanização dos tratos em cafezais ba
01 matiello mecanização dos tratos em cafezais ba01 matiello mecanização dos tratos em cafezais ba
01 matiello mecanização dos tratos em cafezais ba
Revista Cafeicultura
 
Simulado milho
Simulado milhoSimulado milho
Simulado milho
Denysson Amorim
 
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
AgroTalento
 
Novos Negócios: Cultivo de Agrião em Sistema de Hidroponia
Novos Negócios: Cultivo de Agrião em Sistema de Hidroponia Novos Negócios: Cultivo de Agrião em Sistema de Hidroponia
Novos Negócios: Cultivo de Agrião em Sistema de Hidroponia
Rural Pecuária
 
Safra de grãos 2009/2010
Safra de grãos 2009/2010Safra de grãos 2009/2010
Safra de grãos 2009/2010
paulof10
 
Características de crescimento capim braquiarao
Características de crescimento capim braquiaraoCaracterísticas de crescimento capim braquiarao
Características de crescimento capim braquiarao
Holosgreen - Soluções para Agronegócios
 
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
Geagra UFG
 

Mais procurados (19)

Palestra sustentabilidade na cafeicultura
Palestra sustentabilidade na cafeiculturaPalestra sustentabilidade na cafeicultura
Palestra sustentabilidade na cafeicultura
 
Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os SAFs como indutor do desenv...
Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os SAFs como indutor do desenv...Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os SAFs como indutor do desenv...
Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os SAFs como indutor do desenv...
 
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURAINTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
 
Alternativas de manejo para a cafeicultura de montanha josé braz matiello – f...
Alternativas de manejo para a cafeicultura de montanha josé braz matiello – f...Alternativas de manejo para a cafeicultura de montanha josé braz matiello – f...
Alternativas de manejo para a cafeicultura de montanha josé braz matiello – f...
 
Agricultura de Precisão
Agricultura de PrecisãoAgricultura de Precisão
Agricultura de Precisão
 
Agricultura de Precisão - Gerenciando Informações
Agricultura de Precisão - Gerenciando InformaçõesAgricultura de Precisão - Gerenciando Informações
Agricultura de Precisão - Gerenciando Informações
 
Arranjo em parcela sub dividida
Arranjo em parcela sub divididaArranjo em parcela sub dividida
Arranjo em parcela sub dividida
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
Irrigação
 
06 apresentação oral produção
06 apresentação oral  produção06 apresentação oral  produção
06 apresentação oral produção
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
 
Apresentação Agricultura Irrigada
Apresentação Agricultura IrrigadaApresentação Agricultura Irrigada
Apresentação Agricultura Irrigada
 
AdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De PastagensAdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De Pastagens
 
01 matiello mecanização dos tratos em cafezais ba
01 matiello mecanização dos tratos em cafezais ba01 matiello mecanização dos tratos em cafezais ba
01 matiello mecanização dos tratos em cafezais ba
 
Simulado milho
Simulado milhoSimulado milho
Simulado milho
 
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
 
Novos Negócios: Cultivo de Agrião em Sistema de Hidroponia
Novos Negócios: Cultivo de Agrião em Sistema de Hidroponia Novos Negócios: Cultivo de Agrião em Sistema de Hidroponia
Novos Negócios: Cultivo de Agrião em Sistema de Hidroponia
 
Safra de grãos 2009/2010
Safra de grãos 2009/2010Safra de grãos 2009/2010
Safra de grãos 2009/2010
 
Características de crescimento capim braquiarao
Características de crescimento capim braquiaraoCaracterísticas de crescimento capim braquiarao
Características de crescimento capim braquiarao
 
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
Análise de Solo e Recomendação para a cultura do milho (Safrinha)
 

Semelhante a 07 simpósio araxá ppc 2

ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
Armindo Rosa
 
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
Armindo Rosa
 
ESTUDO DA CULTURA DO "COURGETTE" INSTALADA EM DIFERENTES SUBSTRATOS DE LÃ DE ...
ESTUDO DA CULTURA DO "COURGETTE" INSTALADA EM DIFERENTES SUBSTRATOS DE LÃ DE ...ESTUDO DA CULTURA DO "COURGETTE" INSTALADA EM DIFERENTES SUBSTRATOS DE LÃ DE ...
ESTUDO DA CULTURA DO "COURGETTE" INSTALADA EM DIFERENTES SUBSTRATOS DE LÃ DE ...
Armindo Rosa
 
Estabilidade da produção de frutos e do teor e qualidade de óleo da macaúba (...
Estabilidade da produção de frutos e do teor e qualidade de óleo da macaúba (...Estabilidade da produção de frutos e do teor e qualidade de óleo da macaúba (...
Estabilidade da produção de frutos e do teor e qualidade de óleo da macaúba (...
AcessoMacauba
 
Artigo alface 04.11 completo
Artigo alface 04.11 completoArtigo alface 04.11 completo
Artigo alface 04.11 completo
Euvaldo Junior
 
Palestra A poda para o “Safra Zero” - André luíz A. Garcia – Eng. Agr. Funda...
Palestra A poda para o “Safra Zero”  - André luíz A. Garcia – Eng. Agr. Funda...Palestra A poda para o “Safra Zero”  - André luíz A. Garcia – Eng. Agr. Funda...
Palestra A poda para o “Safra Zero” - André luíz A. Garcia – Eng. Agr. Funda...
Revista Cafeicultura
 
Caracteres morfológicos em macaúba sob adubação leandro brandão final
Caracteres morfológicos em macaúba sob adubação leandro brandão finalCaracteres morfológicos em macaúba sob adubação leandro brandão final
Caracteres morfológicos em macaúba sob adubação leandro brandão final
AcessoMacauba
 
Melancia em substrato de lã de rocha
Melancia em substrato de lã de rochaMelancia em substrato de lã de rocha
Melancia em substrato de lã de rocha
Armindo Rosa
 
Irrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementarIrrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementar
Manejo Da Lavoura Cafeeira
 
Cultura sem solo morango
Cultura sem solo   morangoCultura sem solo   morango
Cultura sem solo morango
Armindo Rosa
 
Syngenta Plene
Syngenta PleneSyngenta Plene
Syngenta Plene
Euroforte Agrociências
 
Revista de engenharia agrícola artigo de cana
Revista de engenharia agrícola   artigo de canaRevista de engenharia agrícola   artigo de cana
Revista de engenharia agrícola artigo de cana
Emlur
 
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
Armindo Rosa
 
Syngenta plene
Syngenta  pleneSyngenta  plene
Syngenta plene
euroforte
 
José Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiro
José Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiroJosé Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiro
José Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiro
equipeagroplus
 
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro roberto tomazielo
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro   roberto tomazieloFenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro   roberto tomazielo
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro roberto tomazielo
Revista Cafeicultura
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
itgfiles
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
itgfiles
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
itgfiles
 
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação. Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Grupo de Estudos em Cana-de-Açúcar (GECA)
 

Semelhante a 07 simpósio araxá ppc 2 (20)

ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
ESTUDO DA VIABILIDADE DO AUMENTO DA DENSIDADE DE PLANTAÇÃO, EM 5 CULTIVARES D...
 
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE DIFERENTES DOTAÇÕES DE REGA, EM CITRINOS...
 
ESTUDO DA CULTURA DO "COURGETTE" INSTALADA EM DIFERENTES SUBSTRATOS DE LÃ DE ...
ESTUDO DA CULTURA DO "COURGETTE" INSTALADA EM DIFERENTES SUBSTRATOS DE LÃ DE ...ESTUDO DA CULTURA DO "COURGETTE" INSTALADA EM DIFERENTES SUBSTRATOS DE LÃ DE ...
ESTUDO DA CULTURA DO "COURGETTE" INSTALADA EM DIFERENTES SUBSTRATOS DE LÃ DE ...
 
Estabilidade da produção de frutos e do teor e qualidade de óleo da macaúba (...
Estabilidade da produção de frutos e do teor e qualidade de óleo da macaúba (...Estabilidade da produção de frutos e do teor e qualidade de óleo da macaúba (...
Estabilidade da produção de frutos e do teor e qualidade de óleo da macaúba (...
 
Artigo alface 04.11 completo
Artigo alface 04.11 completoArtigo alface 04.11 completo
Artigo alface 04.11 completo
 
Palestra A poda para o “Safra Zero” - André luíz A. Garcia – Eng. Agr. Funda...
Palestra A poda para o “Safra Zero”  - André luíz A. Garcia – Eng. Agr. Funda...Palestra A poda para o “Safra Zero”  - André luíz A. Garcia – Eng. Agr. Funda...
Palestra A poda para o “Safra Zero” - André luíz A. Garcia – Eng. Agr. Funda...
 
Caracteres morfológicos em macaúba sob adubação leandro brandão final
Caracteres morfológicos em macaúba sob adubação leandro brandão finalCaracteres morfológicos em macaúba sob adubação leandro brandão final
Caracteres morfológicos em macaúba sob adubação leandro brandão final
 
Melancia em substrato de lã de rocha
Melancia em substrato de lã de rochaMelancia em substrato de lã de rocha
Melancia em substrato de lã de rocha
 
Irrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementarIrrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementar
 
Cultura sem solo morango
Cultura sem solo   morangoCultura sem solo   morango
Cultura sem solo morango
 
Syngenta Plene
Syngenta PleneSyngenta Plene
Syngenta Plene
 
Revista de engenharia agrícola artigo de cana
Revista de engenharia agrícola   artigo de canaRevista de engenharia agrícola   artigo de cana
Revista de engenharia agrícola artigo de cana
 
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
 
Syngenta plene
Syngenta  pleneSyngenta  plene
Syngenta plene
 
José Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiro
José Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiroJosé Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiro
José Basílio - Cultivo intensivo do cacaueiro
 
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro roberto tomazielo
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro   roberto tomazieloFenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro   roberto tomazielo
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro roberto tomazielo
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
 
18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp18.ago ametista 12.15_261_edp
18.ago ametista 12.15_261_edp
 
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação. Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
Estimativa de aumento de produtividade com o uso de irrigação.
 

Mais de Revista Cafeicultura

Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdfPanaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Revista Cafeicultura
 
Acb denuncia tc e mm 2019
Acb denuncia  tc e mm 2019Acb denuncia  tc e mm 2019
Acb denuncia tc e mm 2019
Revista Cafeicultura
 
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Revista Cafeicultura
 
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagensGotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Revista Cafeicultura
 
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
Revista Cafeicultura
 
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Revista Cafeicultura
 
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IACAdubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
Revista Cafeicultura
 
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
Revista Cafeicultura
 
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Revista Cafeicultura
 
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Revista Cafeicultura
 
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Revista Cafeicultura
 
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Revista Cafeicultura
 
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha  Palestra fale melhor e venda maisFernando cunha  Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
Revista Cafeicultura
 
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
Revista Cafeicultura
 
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Revista Cafeicultura
 
Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018
Revista Cafeicultura
 
Uso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agriculturaUso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agricultura
Revista Cafeicultura
 
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-caféCampanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Revista Cafeicultura
 
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Revista Cafeicultura
 
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Revista Cafeicultura
 

Mais de Revista Cafeicultura (20)

Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdfPanaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
 
Acb denuncia tc e mm 2019
Acb denuncia  tc e mm 2019Acb denuncia  tc e mm 2019
Acb denuncia tc e mm 2019
 
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
 
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagensGotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
 
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
 
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
 
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IACAdubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
 
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
 
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
 
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
 
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
 
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
 
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha  Palestra fale melhor e venda maisFernando cunha  Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
 
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
 
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
 
Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018
 
Uso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agriculturaUso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agricultura
 
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-caféCampanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
 
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
 
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
 

Último

Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 

07 simpósio araxá ppc 2

  • 1. PRODUTIVIDADE DO CAFÉ CONILON CONDUZIDO COM DIFERENTES POPULAÇÕES DE HASTES POR ÁREA E COM USO DA PODA PROGRAMADA DE CICLO AUTORES Abraão Carlos VERDIN FILHO, Marcelo Antonio TOMAZ, Romário Gava FERRÃO, Maria Amélia Gava FERRÃO, Aymbiré Francisco Almeida DA FONSECA , Paulo Sérgio VOLPI, José Antonio LANI, Aldo Luiz MAURI, Rogério Carvalho GUARCONI
  • 2. P ODA P ROGRAMADA DE C ICLO PARA O C AFÉ C ONILON
  • 3. LAVOURA 1ª a 4ª COLHEITA
  • 4. LAVOURA APÓS 4ª. COLHEITA
  • 5. LAVOURA REVIGORADA COM 1 ANO
  • 6. PRINCIPAIS VANTAGENS Redução média de 32% de mão-de-obra no período de 10 colheitas; Facilidade de entendimento e execução; Maior uniformidade das floradas e da maturação dos frutos; Aumento superior a 20% na produtividade média da lavoura; Maior estabilidade de produção por ciclo e melhor qualidade final do produto .
  • 7. OBJETIVO O objetivo deste estudo foi avaliar a produtividade de cafeeiros conilon cultivados em diferentes espaçamentos com o mesmo número de hastes por planta, utilizando a poda programada de ciclo (PPC).
  • 8. MATERIAL E MÉTODOS O estudo foi realizado na F.E.M. (Incaper), localizada a 19º24' S; 40º32' W, região norte do Estado do Espírito Santo; A região apresenta topografia ondulado-acidentada, com (pma) 1.147 mm, temperatura média anual de 24,2 ºc.
  • 9. MATERIAL E MÉTODOS O delineamento utilizado foi em blocos casualizados, com esquema de parcelas subdividas no tempo ao longo de 3 anos (2008, 2009 e 2010), com quatro repetições; Foi utilizada a cultivar EMCAPA 8111; O trabalho foi conduzido sem a utilização de irrigação.
  • 10. MATERIAL E MÉTODOS Foram testados quatro populações de hastes por hectare (Tabela 1), obtidos em diferentes espaçamentos da lavoura; As plantas foram mantidas com três hastes por planta. Trat. Espaç. Número de hastes por planta População de hastes por hectare 1 2,0 x 1,0 3 hastes 15.000 2 2,5 x 1,0 3 hastes 12.000 3 3,0 x 1,0 3 hastes 10.000 4 3,0 x 1,5 3 hastes 6.667
  • 11.  
  • 12. MATERIAL E MÉTODOS Foi efetuada a colheita nos anos de 2008, 2009 e 2010; Os dados foram submetidos à análise de variância, e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey e ou submetidas à análise de regressão; Foi utilizado o software estatístico ‘Programa GENES’ (CRUZ, 2006).
  • 13. RESULTADOS E DISCUSSÃO Houve interação no comportamento do número de hastes por hectare para cada uma das safras; Na safra 2009, ocorreu alta restrição hídrica, ocorridas no período de abotoamento floral até a granação do café; Também neste período houve influência da bienalidade na cultura, ocorrendo queda na produção.
  • 14. PRODUTIVIDADE MÉDIA ANUAL EM FUNÇÃO DA DENSIDADE DE HASTES 2,0 x 1,0 3,0x 1,0 2,5 x 1,0 3,0 x 1,5
  • 15. A análise de regressão para cada um dos anos é apresentada na Tabela 2. RESULTADOS E DISCUSSÃO ANO EQUAÇÃO DE REGRESSÃO R² SIGNIFICÂNCIA 2008 Ŷ = 0,0041X - 4,0372 0,79 * 2009 Ŷ = -0,0015X + 31,7618 0,88 * 2010 Ŷ = 0,0046X - 2,2919 0,65 *
  • 16. Figura 2 – Regressões para produtividade em função do número de hastes por hectare para os anos de 2008. 2008 3,0 x 1,5 2,0 x 1,0
  • 17. Figura 2 – Regressões para produtividade em função do número de hastes por hectare para os anos de 2009. 2009 3,0 x 1,5 2,0 x 1,0
  • 18. Figura 2 – Regressões para produtividade em função do número de hastes por hectare para os anos de 2010. 2010 3,0 x 1,5 2,0 x 1,0
  • 19. CONCLUSÕES O adensamento de lavoura, associado à poda programada de ciclo, tem efeito positivo na produtividade de lavoura de café conilon, nas condições avaliadas; O déficit hídrico e a bienalidade pode inverter o comportamento de produtividade em função do adensamento de lavoura.
  • 20. Tel: (27) 3724-1182 / (27) 9957-1028 email: verdin.incaper@es.gov.br www.incaper.es.gov.br OBRIGADO