SlideShare uma empresa Scribd logo
“Pela fé, Noé, divinamente avisado das
coisas que ainda não se viam, temeu, e,
para salvação da sua família, preparou a
arca [...]” Hebreus 11.7
Apesar da corrupção generalizada do
mundo atual, é possível manter nossa
família nos padrões da Palavra de Deus.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Gênesis 7.1-12
1 - Depois, disse o SENHOR a Noé: Entra tu e toda a
tua casa na arca, porque te hei visto justo diante de
mim nesta geração.
2 - De todo animal limpo tomarás para ti sete e sete: o
macho e sua fêmea; mas dos animais que não são
limpos, dois: o macho e sua fêmea.
3 - Também das aves dos céus sete e sete: macho e
fêmea, para se conservar em vida a semente sobre a
face de toda a terra.
4 - Porque, passados ainda sete dias, farei chover
sobre a terra quarenta dias e quarenta noites; e
desfarei de sobre a face da terra toda substância que
fiz.
5 - E fez Noé conforme tudo o que o SENHOR lhe
ordenara.
6 - E era Noé da idade de seiscentos anos, quando o
dilúvio das águas veio sobre a terra.
7 - E entrou Noé, e seus filhos, e sua mulher, e as
mulheres de seus filhos com ele na arca, por causa
das águas do dilúvio.
8 - Dos animais limpos, e dos animais que não são
limpos, e das aves, e de todo o réptil sobre a terra,
9 - entraram de dois em dois para Noé na arca, macho
e fêmea, como Deus ordenara a Noé.
10 - E aconteceu que, passados sete dias, vieram
sobre a terra as águas do dilúvio.
11 - No ano seiscentos da vida de Noé, no mês
segundo, aos dezessete dias do mês, naquele mesmo
dia, se romperam todas as fontes do grande abismo, e
as janelas dos céus se abriram,
12 - e houve chuva sobre a terra quarenta dias e
quarenta noites.
Resistindo sistematicamente ao Espírito de Deus, o
mundo de Lameque depravara-se irreversível e
totalmente. A apostasia, agora, era universal. Adultos,
jovens e crianças; todos corrompidos. Por isso, o
Senhor anuncia um juízo também universal: o Dilúvio.
Em meio àquela geração, sobressai
a justiça de Noé. Divinamente
alertado, o patriarca constrói uma
arca, na qual sobrevive, com a sua
família, à grande inundação.
O mesmo desafio cabe hoje à
igreja do Senhor. Se por um lado,
cabe-nos proclamar o Evangelho
até aos confins da Terra, por outro,
devemos preservar nosso lar em
meio a uma sociedade que jaz no
maligno.
Em toda aquela geração, apenas Noé podia ser
considerado justo e íntegro. Por essa razão, Deus
anuncia-lhe o Dilúvio, instruindo-o a construir a arca
de salvação.
1. O anúncio do Dilúvio. Já decidido a destruir a Terra,
o Senhor acha graça em Noé (Gn 6.8). O patriarca
soube como preservar moral e espiritualmente a
esposa e os filhos. No entanto, pelo que inferimos do
texto sagrado, nada pôde fazer aos seus irmãos e
sobrinhos, pois estes também haviam se deixado
corromper pelo exemplo de Lameque.
Ao justo e íntegro Noé,
anuncia Deus o Dilúvio; "O fim
de toda carne é vindo perante
a minha face; porque a terra
está cheia de violência; e eis
que os desfarei com a terra"
(Gn 6.13). O patriarca sabia,
através da fé, que o juízo era
certo. Quanto aos seus
contemporâneos, preferiram
ignorar a iminência do castigo
divino.
2. Um juízo que
parecia improvável.
Se considerarmos
Gênesis 2.5,
concluiremos que,
naquele tempo, a
terra não era regada
pela chuva como nos
dias de hoje (Gn 2.6).
Portanto, como
acreditar no Dilúvio se
nem chuva havia?
Dessa forma, os "cientistas" da época devem ter
questionado sarcasticamente a Noé. Nossa geração
assim reage quanto à vinda de Cristo (2 Pe 3.4). O que
parece improvável, porém, está prestes a acontecer.
Jesus está às portas.
A fim de
escapar ao
Dilúvio, o
patriarca foi
orientado a
construir
um grande
navio.
Obediente,
ele levou o
projeto
adiante
1. A planta da arca. A salvação é pela fé, mas a fé
salvadora conduz-nos às boas obras (Ef 2.8-10). Por
isso Noé, movido por uma forte convicção quanto à
iminência do juízo divino, pôs-se a construir o grande
barco.
A planta da arca,
mesmo que
bastante simples,
era eficaz: "Faze
para ti uma arca
da madeira de
gofer; farás
compartimentos
na arca e a
betumarás por
dentro e por fora
com betume.
E desta maneira farás: de trezentos côvados o
comprimento da arca, e de cinquenta côvados a sua
largura, e de trinta côvados a sua altura. Farás na arca
uma janela e de um côvado a acabarás em cima; e a
porta da arca porás ao seu lado; far-lhe-ás andares
baixos, segundos e terceiros" (Gn 6.14-16).
O texto sagrado nos mostra que a Arca era um
enorme barco, e sem leme. A finalidade da arca não
era navegar, mas flutuar durante a grande inundação.
O patriarca cumpriu a vontade divina; em suas
promessas, repousou. Deus é o nosso piloto. Não se
aflija. Deus está no comando.
2. A construção da arca. Enquanto Noé e seus filhos
construíam a arca, apregoavam o juízo divino. Por
isso, ele é chamado de pregoeiro da justiça (2 Pe 2.5).
Assim faz a Igreja. Enquanto aguardamos a volta de
Cristo, proclamemos o Evangelho e o fim de todas as
coisas (1 Pe 3.20). O Senhor não tarda.
Concluída
a arca, Noé
e sua
família
entram na
formidável
embarcaçã
o.
Passados
sete dias,
veio o
Dilúvio.
1. O Dilúvio. Caiu uma
chuva torrencial
durante quarenta dias e
quarenta noites (Gn
7.12). Oceanos, mares e
rios confundem-se em
ondas
sucessivas, interminávei
s e destruidoras. O fim
de um mundo corrupto
e depravado havia
chegado.
Noé, porém, estava
seguro. Junto a ele, a
esposa, os três filhos
e suas respectivas
mulheres. Ao todo
oito pessoas (Gn 7.7).
E, para conservar a
vida sobre a nova
Terra, os animais: dois
de cada espécie,
macho e fêmea (Gn
6.19).
2. O Dilúvio foi local ou Universal? Em 26 de
dezembro de 2004, ocorreu um tsunami no Oceano
Índico, cujo epicentro deu-se na costa da Indonésia.
Apesar de local, o fenômeno foi sentido em várias
partes do mundo. O que não diremos do Dilúvio?
Acreditamos na universalidade da grande inundação.
A narrativa bíblica é bastante clara: "E as águas
prevaleceram excessivamente sobre a terra; e todos
os altos montes que havia debaixo de todo o céu
foram cobertos" (Gn 7.19).
Os contemporâneos de Noé tiveram mais de um
século para se arrependerem e voltar para Deus.
Fizeram-se, porém surdos à proclamação do juízo
divino.
1. Um juízo universal. A
inundação foi universal
como universal foi o juízo
divino sobre a Terra. O
relato bíblico é
impressionante e preciso: "E
expirou toda carne que se
movia sobre a terra, tanto
de ave como de gado, e de
feras, e de todo o réptil que
rasteja sobre a terra, e de
todo homem" (Gn 7.21).
Apenas Noé e a sua família,
bem como os animais que se
encontravam com eles na arca,
foram preservados. A geração
de Noé teve tempo para ouvir
sua mensagem e ver a arca
sendo construída, mas não deu
ouvidos à pregação e ao
trabalho daquele servo de
Deus, e foi destruída. O pior
juízo, contudo, achava-se no
além.
2. O juízo divino no inferno. Não
resta dúvida de que toda aquela
geração pereceu e foi lançada
no inferno, onde aguarda a
última ressurreição, a fim de
comparecer ao Juízo Final (Ap
20.11-15). Eles sabem que isso
acontecerá, pois o Senhor Jesus,
no interlúdio entre a sua morte
e ressurreição, esteve no Hades,
onde lhes proclamou a eficácia
da justiça divina.
Escreve o apóstolo Pedro: "Pois também Cristo
morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos
injustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na
carne, mas vivificado no espírito, no qual também foi
e pregou aos espíritos em prisão, os quais, noutro
tempo, foram desobedientes quando a
longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé,
enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a
saber, oito pessoas, foram salvos, através da água" (1
Pe 3.18-20 - ARA),
A geração de Noé recusou-se a ouvi-lo, mas viu-se
obrigada a escutar o Senhor Jesus que, além de
pregoeiro da justiça, apresentava-se, agora, como Rei
dos reis e Senhor dos senhores. Sua pregação não era
redentiva, mas vindicativa.
Os antediluvianos não deram crédito à pregação de
Noé. Viviam para pecar. Sua depravação não conhecia
limites. A Deus não restou alternativa senão condená-
los à destruição.
Nosso mundo caminha no mesmo sentido. Todavia,
se formos zelosos quanto à pregação do Evangelho,
levaremos muitas almas a Cristo, antes que venha o
grande e terrível dia do Senhor.
Sua família está segura? Jesus em breve virá.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 07- A família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 07- A família que sobreviveu ao dilúvioLição 07- A família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 07- A família que sobreviveu ao dilúvio
Regio Davis
 
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
4º trimestre 2015 lição 07 adultos
4º trimestre 2015 lição 07 adultos4º trimestre 2015 lição 07 adultos
4º trimestre 2015 lição 07 adultos
Joel Silva
 
A familia que sobreviveu ao dilúvel
A familia que sobreviveu ao dilúvel A familia que sobreviveu ao dilúvel
A familia que sobreviveu ao dilúvel
ANTONIO CORDEIRO DA SILVA - ADORADOR
 
Livro de Daniel - Cap. 12
Livro de Daniel - Cap. 12Livro de Daniel - Cap. 12
Livro de Daniel - Cap. 12
Daniel M Junior
 
Comentário Bíblico: 2° domingo da quaresma - Ano C
Comentário Bíblico: 2° domingo da quaresma - Ano CComentário Bíblico: 2° domingo da quaresma - Ano C
Comentário Bíblico: 2° domingo da quaresma - Ano C
José Lima
 
Lição 1 - gênesis, o livro da criação - 4ª Trimestre de 2015
Lição 1 -  gênesis, o livro da criação - 4ª Trimestre de 2015Lição 1 -  gênesis, o livro da criação - 4ª Trimestre de 2015
Lição 1 - gênesis, o livro da criação - 4ª Trimestre de 2015
Andrew Guimarães
 
09 o evangelho do reino
09   o evangelho do reino09   o evangelho do reino
09 o evangelho do reino
Diego Fortunatto
 
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textosVendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Gerson G. Ramos
 
Daniel 10
Daniel 10Daniel 10
Daniel 10
Hezir Henrique
 
Remanescente 2 - De Noé a Lutero
Remanescente 2 - De Noé a LuteroRemanescente 2 - De Noé a Lutero
Remanescente 2 - De Noé a Lutero
Walter Mendes
 
Daniel 12
Daniel 12Daniel 12
Daniel 12
Hezir Henrique
 
Livro de Daniel - Cap. 10
Livro de Daniel - Cap. 10Livro de Daniel - Cap. 10
Livro de Daniel - Cap. 10
Daniel M Junior
 
2) princípio do fim as 70 semanas de daniel
2) princípio do fim   as 70 semanas de daniel2) princípio do fim   as 70 semanas de daniel
2) princípio do fim as 70 semanas de daniel
Jean Jorge Silva
 
Lição nº 01 4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
Lição nº 01   4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)Lição nº 01   4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
Lição nº 01 4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
CEILANDIA
 
70 SEMANAS DE DANIEL
70 SEMANAS DE DANIEL70 SEMANAS DE DANIEL
01 genesis o livro da criação divina
01  genesis o livro da criação divina01  genesis o livro da criação divina
01 genesis o livro da criação divina
Márcio Martins
 
Heróis do antigo testamento vol. 2 – enoque e noé – gordon lindsay
Heróis do antigo testamento vol. 2 – enoque e noé – gordon lindsayHeróis do antigo testamento vol. 2 – enoque e noé – gordon lindsay
Heróis do antigo testamento vol. 2 – enoque e noé – gordon lindsay
deusdetdfsoares
 
A família que sobreviveu ao dilúvio
A família que sobreviveu ao dilúvioA família que sobreviveu ao dilúvio
A família que sobreviveu ao dilúvio
Ailton da Silva
 
Capítulo 9 de daniel
Capítulo 9 de danielCapítulo 9 de daniel
Capítulo 9 de daniel
Diego Fortunatto
 

Mais procurados (20)

Lição 07- A família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 07- A família que sobreviveu ao dilúvioLição 07- A família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 07- A família que sobreviveu ao dilúvio
 
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
 
4º trimestre 2015 lição 07 adultos
4º trimestre 2015 lição 07 adultos4º trimestre 2015 lição 07 adultos
4º trimestre 2015 lição 07 adultos
 
A familia que sobreviveu ao dilúvel
A familia que sobreviveu ao dilúvel A familia que sobreviveu ao dilúvel
A familia que sobreviveu ao dilúvel
 
Livro de Daniel - Cap. 12
Livro de Daniel - Cap. 12Livro de Daniel - Cap. 12
Livro de Daniel - Cap. 12
 
Comentário Bíblico: 2° domingo da quaresma - Ano C
Comentário Bíblico: 2° domingo da quaresma - Ano CComentário Bíblico: 2° domingo da quaresma - Ano C
Comentário Bíblico: 2° domingo da quaresma - Ano C
 
Lição 1 - gênesis, o livro da criação - 4ª Trimestre de 2015
Lição 1 -  gênesis, o livro da criação - 4ª Trimestre de 2015Lição 1 -  gênesis, o livro da criação - 4ª Trimestre de 2015
Lição 1 - gênesis, o livro da criação - 4ª Trimestre de 2015
 
09 o evangelho do reino
09   o evangelho do reino09   o evangelho do reino
09 o evangelho do reino
 
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textosVendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
 
Daniel 10
Daniel 10Daniel 10
Daniel 10
 
Remanescente 2 - De Noé a Lutero
Remanescente 2 - De Noé a LuteroRemanescente 2 - De Noé a Lutero
Remanescente 2 - De Noé a Lutero
 
Daniel 12
Daniel 12Daniel 12
Daniel 12
 
Livro de Daniel - Cap. 10
Livro de Daniel - Cap. 10Livro de Daniel - Cap. 10
Livro de Daniel - Cap. 10
 
2) princípio do fim as 70 semanas de daniel
2) princípio do fim   as 70 semanas de daniel2) princípio do fim   as 70 semanas de daniel
2) princípio do fim as 70 semanas de daniel
 
Lição nº 01 4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
Lição nº 01   4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)Lição nº 01   4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
Lição nº 01 4º trimestre 2015 - cpad (gênesis, o livro da criação divina)
 
70 SEMANAS DE DANIEL
70 SEMANAS DE DANIEL70 SEMANAS DE DANIEL
70 SEMANAS DE DANIEL
 
01 genesis o livro da criação divina
01  genesis o livro da criação divina01  genesis o livro da criação divina
01 genesis o livro da criação divina
 
Heróis do antigo testamento vol. 2 – enoque e noé – gordon lindsay
Heróis do antigo testamento vol. 2 – enoque e noé – gordon lindsayHeróis do antigo testamento vol. 2 – enoque e noé – gordon lindsay
Heróis do antigo testamento vol. 2 – enoque e noé – gordon lindsay
 
A família que sobreviveu ao dilúvio
A família que sobreviveu ao dilúvioA família que sobreviveu ao dilúvio
A família que sobreviveu ao dilúvio
 
Capítulo 9 de daniel
Capítulo 9 de danielCapítulo 9 de daniel
Capítulo 9 de daniel
 

Destaque

Social-Security Part of Your Retirement
Social-Security Part of Your RetirementSocial-Security Part of Your Retirement
Social-Security Part of Your Retirement
Michael L. Schwartz, RFC, CWS, CFS
 
Resume
ResumeResume
Resume
Aman Singh
 
Resume Infographic
Resume InfographicResume Infographic
Resume InfographicAlex Parks
 
Cast list
Cast listCast list
Cast list
theresahackman
 
Shooting schedule
Shooting scheduleShooting schedule
Shooting schedulekstones95
 
Evidencias en excel 3 y 4
Evidencias en excel 3 y 4Evidencias en excel 3 y 4
Evidencias en excel 3 y 4
alexisgerardo1
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
pensamentosemanuel
 
agenda-PALTEX-AFRO-wdc-june010
agenda-PALTEX-AFRO-wdc-june010agenda-PALTEX-AFRO-wdc-june010
agenda-PALTEX-AFRO-wdc-june010
Thomé Nicocelli, MD, MBA
 
если за вами пришли
если за вами пришли если за вами пришли
если за вами пришли
John Connor
 
تقرير عن إمتداد الصوت1
تقرير عن إمتداد الصوت1تقرير عن إمتداد الصوت1
تقرير عن إمتداد الصوت1
عبدالله الشهري
 
2012 brand experience galland 2 voka_ln_summary
2012 brand experience galland 2 voka_ln_summary2012 brand experience galland 2 voka_ln_summary
2012 brand experience galland 2 voka_ln_summary
Galland.be bvba
 
Livro quebrando as cadeias da intimidação
Livro quebrando as cadeias da intimidaçãoLivro quebrando as cadeias da intimidação
Livro quebrando as cadeias da intimidação
ROSANGELA LISBOA
 
Capacidad aeróbica y capacidad anaeróbica
Capacidad aeróbica y capacidad anaeróbicaCapacidad aeróbica y capacidad anaeróbica
Capacidad aeróbica y capacidad anaeróbica
Catherynmdo
 
ACONEX Certificate (ACA)
ACONEX Certificate (ACA)ACONEX Certificate (ACA)
ACONEX Certificate (ACA)
Richard Macaraeg
 
Transtornos de la motilidad intestinal
Transtornos de la motilidad intestinalTranstornos de la motilidad intestinal
Transtornos de la motilidad intestinal
Heector Dlr
 
Exploracion espacial
Exploracion espacialExploracion espacial
Exploracion espacial
Manuel Antonio
 

Destaque (16)

Social-Security Part of Your Retirement
Social-Security Part of Your RetirementSocial-Security Part of Your Retirement
Social-Security Part of Your Retirement
 
Resume
ResumeResume
Resume
 
Resume Infographic
Resume InfographicResume Infographic
Resume Infographic
 
Cast list
Cast listCast list
Cast list
 
Shooting schedule
Shooting scheduleShooting schedule
Shooting schedule
 
Evidencias en excel 3 y 4
Evidencias en excel 3 y 4Evidencias en excel 3 y 4
Evidencias en excel 3 y 4
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
agenda-PALTEX-AFRO-wdc-june010
agenda-PALTEX-AFRO-wdc-june010agenda-PALTEX-AFRO-wdc-june010
agenda-PALTEX-AFRO-wdc-june010
 
если за вами пришли
если за вами пришли если за вами пришли
если за вами пришли
 
تقرير عن إمتداد الصوت1
تقرير عن إمتداد الصوت1تقرير عن إمتداد الصوت1
تقرير عن إمتداد الصوت1
 
2012 brand experience galland 2 voka_ln_summary
2012 brand experience galland 2 voka_ln_summary2012 brand experience galland 2 voka_ln_summary
2012 brand experience galland 2 voka_ln_summary
 
Livro quebrando as cadeias da intimidação
Livro quebrando as cadeias da intimidaçãoLivro quebrando as cadeias da intimidação
Livro quebrando as cadeias da intimidação
 
Capacidad aeróbica y capacidad anaeróbica
Capacidad aeróbica y capacidad anaeróbicaCapacidad aeróbica y capacidad anaeróbica
Capacidad aeróbica y capacidad anaeróbica
 
ACONEX Certificate (ACA)
ACONEX Certificate (ACA)ACONEX Certificate (ACA)
ACONEX Certificate (ACA)
 
Transtornos de la motilidad intestinal
Transtornos de la motilidad intestinalTranstornos de la motilidad intestinal
Transtornos de la motilidad intestinal
 
Exploracion espacial
Exploracion espacialExploracion espacial
Exploracion espacial
 

Semelhante a 07 a familia que sobreviveu ao diluvio

2015 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2015 4º trimestre adultos lição 07.pptx2015 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2015 4º trimestre adultos lição 07.pptx
Joel Silva
 
Janela de oração
Janela de oraçãoJanela de oração
Janela de oração
Pastor Robson Colaço
 
Leituras: O NATAL DO SENHOR, dia 24
Leituras: O NATAL DO SENHOR, dia 24Leituras: O NATAL DO SENHOR, dia 24
Leituras: O NATAL DO SENHOR, dia 24
José Lima
 
pregação familia.pdf
pregação familia.pdfpregação familia.pdf
pregação familia.pdf
prjmarcos
 
LIÇÃO 08 - O INÍCIO DO GOVERNO HUMANO
LIÇÃO 08 - O INÍCIO DO GOVERNO HUMANOLIÇÃO 08 - O INÍCIO DO GOVERNO HUMANO
LIÇÃO 08 - O INÍCIO DO GOVERNO HUMANO
Lourinaldo Serafim
 
O profeta do século xx
O profeta do século xxO profeta do século xx
O profeta do século xx
Comandodafe
 
estudos-sobre-o-livro-de-genesis-liao-n-7-a-familia-que-sobreviveu-ao-diluvio...
estudos-sobre-o-livro-de-genesis-liao-n-7-a-familia-que-sobreviveu-ao-diluvio...estudos-sobre-o-livro-de-genesis-liao-n-7-a-familia-que-sobreviveu-ao-diluvio...
estudos-sobre-o-livro-de-genesis-liao-n-7-a-familia-que-sobreviveu-ao-diluvio...
Tiago Silva
 
Natal dia 24 noite - Ano A
Natal dia 24 noite - Ano ANatal dia 24 noite - Ano A
Natal dia 24 noite - Ano A
José Lima
 
A arca de Noé.docx
A arca de Noé.docxA arca de Noé.docx
A arca de Noé.docx
prjmarcos
 
O inicio do governo humano
O inicio do governo humanoO inicio do governo humano
O inicio do governo humano
Márcio Martins
 
Lição 6 - Noé, para Salvação da Sua Família.pptx
Lição 6 - Noé, para Salvação da Sua Família.pptxLição 6 - Noé, para Salvação da Sua Família.pptx
Lição 6 - Noé, para Salvação da Sua Família.pptx
Élida Rolim
 
Leituras: Natal dia 24 noite - Anos A, B e C
Leituras: Natal dia 24 noite - Anos A, B e CLeituras: Natal dia 24 noite - Anos A, B e C
Leituras: Natal dia 24 noite - Anos A, B e C
José Lima
 
Lição 13 o tempo da profecia de daniel
Lição 13 o tempo da profecia de danielLição 13 o tempo da profecia de daniel
Lição 13 o tempo da profecia de daniel
Daniel Viana
 
A Provisão de Deus em Tempos Dificeis
A Provisão de Deus em Tempos DificeisA Provisão de Deus em Tempos Dificeis
A Provisão de Deus em Tempos Dificeis
Márcio Martins
 
4 genesis 7 13
4 genesis 7 134 genesis 7 13
4 genesis 7 13
PIB Penha
 
Jesus: o Mestre das missões_Liç_Orig_732015 + textos
Jesus: o Mestre das missões_Liç_Orig_732015 + textosJesus: o Mestre das missões_Liç_Orig_732015 + textos
Jesus: o Mestre das missões_Liç_Orig_732015 + textos
Gerson G. Ramos
 
Leituras: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano CLeituras: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano C
José Lima
 
Casa Eterna
Casa EternaCasa Eterna
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 8 o início do governo humano.
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 8 o início do governo humano.EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 8 o início do governo humano.
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 8 o início do governo humano.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISELIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
Andrew Guimarães
 

Semelhante a 07 a familia que sobreviveu ao diluvio (20)

2015 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2015 4º trimestre adultos lição 07.pptx2015 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2015 4º trimestre adultos lição 07.pptx
 
Janela de oração
Janela de oraçãoJanela de oração
Janela de oração
 
Leituras: O NATAL DO SENHOR, dia 24
Leituras: O NATAL DO SENHOR, dia 24Leituras: O NATAL DO SENHOR, dia 24
Leituras: O NATAL DO SENHOR, dia 24
 
pregação familia.pdf
pregação familia.pdfpregação familia.pdf
pregação familia.pdf
 
LIÇÃO 08 - O INÍCIO DO GOVERNO HUMANO
LIÇÃO 08 - O INÍCIO DO GOVERNO HUMANOLIÇÃO 08 - O INÍCIO DO GOVERNO HUMANO
LIÇÃO 08 - O INÍCIO DO GOVERNO HUMANO
 
O profeta do século xx
O profeta do século xxO profeta do século xx
O profeta do século xx
 
estudos-sobre-o-livro-de-genesis-liao-n-7-a-familia-que-sobreviveu-ao-diluvio...
estudos-sobre-o-livro-de-genesis-liao-n-7-a-familia-que-sobreviveu-ao-diluvio...estudos-sobre-o-livro-de-genesis-liao-n-7-a-familia-que-sobreviveu-ao-diluvio...
estudos-sobre-o-livro-de-genesis-liao-n-7-a-familia-que-sobreviveu-ao-diluvio...
 
Natal dia 24 noite - Ano A
Natal dia 24 noite - Ano ANatal dia 24 noite - Ano A
Natal dia 24 noite - Ano A
 
A arca de Noé.docx
A arca de Noé.docxA arca de Noé.docx
A arca de Noé.docx
 
O inicio do governo humano
O inicio do governo humanoO inicio do governo humano
O inicio do governo humano
 
Lição 6 - Noé, para Salvação da Sua Família.pptx
Lição 6 - Noé, para Salvação da Sua Família.pptxLição 6 - Noé, para Salvação da Sua Família.pptx
Lição 6 - Noé, para Salvação da Sua Família.pptx
 
Leituras: Natal dia 24 noite - Anos A, B e C
Leituras: Natal dia 24 noite - Anos A, B e CLeituras: Natal dia 24 noite - Anos A, B e C
Leituras: Natal dia 24 noite - Anos A, B e C
 
Lição 13 o tempo da profecia de daniel
Lição 13 o tempo da profecia de danielLição 13 o tempo da profecia de daniel
Lição 13 o tempo da profecia de daniel
 
A Provisão de Deus em Tempos Dificeis
A Provisão de Deus em Tempos DificeisA Provisão de Deus em Tempos Dificeis
A Provisão de Deus em Tempos Dificeis
 
4 genesis 7 13
4 genesis 7 134 genesis 7 13
4 genesis 7 13
 
Jesus: o Mestre das missões_Liç_Orig_732015 + textos
Jesus: o Mestre das missões_Liç_Orig_732015 + textosJesus: o Mestre das missões_Liç_Orig_732015 + textos
Jesus: o Mestre das missões_Liç_Orig_732015 + textos
 
Leituras: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano CLeituras: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano C
 
Casa Eterna
Casa EternaCasa Eterna
Casa Eterna
 
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 8 o início do governo humano.
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 8 o início do governo humano.EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 8 o início do governo humano.
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 8 o início do governo humano.
 
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISELIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
 

Mais de Márcio Martins

Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.
Márcio Martins
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre Arbítrio
Márcio Martins
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.
Márcio Martins
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.
Márcio Martins
 
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
Márcio Martins
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Márcio Martins
 
A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.
Márcio Martins
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.
Márcio Martins
 
Uma Promessa de Salvação.
 Uma Promessa de Salvação. Uma Promessa de Salvação.
Uma Promessa de Salvação.
Márcio Martins
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.
Márcio Martins
 
O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.
Márcio Martins
 
A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.
Márcio Martins
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.
Márcio Martins
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
Márcio Martins
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
Márcio Martins
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
Márcio Martins
 
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus. A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
Márcio Martins
 
A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.
Márcio Martins
 
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Márcio Martins
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
Márcio Martins
 

Mais de Márcio Martins (20)

Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre Arbítrio
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.
 
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
 
A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.
 
Uma Promessa de Salvação.
 Uma Promessa de Salvação. Uma Promessa de Salvação.
Uma Promessa de Salvação.
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.
 
O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.
 
A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
 
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus. A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 
A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.
 
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
 

Último

O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 

Último (18)

O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 

07 a familia que sobreviveu ao diluvio

  • 1.
  • 2. “Pela fé, Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu, e, para salvação da sua família, preparou a arca [...]” Hebreus 11.7
  • 3. Apesar da corrupção generalizada do mundo atual, é possível manter nossa família nos padrões da Palavra de Deus.
  • 4. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Gênesis 7.1-12 1 - Depois, disse o SENHOR a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca, porque te hei visto justo diante de mim nesta geração. 2 - De todo animal limpo tomarás para ti sete e sete: o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois: o macho e sua fêmea. 3 - Também das aves dos céus sete e sete: macho e fêmea, para se conservar em vida a semente sobre a face de toda a terra.
  • 5. 4 - Porque, passados ainda sete dias, farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites; e desfarei de sobre a face da terra toda substância que fiz. 5 - E fez Noé conforme tudo o que o SENHOR lhe ordenara. 6 - E era Noé da idade de seiscentos anos, quando o dilúvio das águas veio sobre a terra. 7 - E entrou Noé, e seus filhos, e sua mulher, e as mulheres de seus filhos com ele na arca, por causa das águas do dilúvio.
  • 6. 8 - Dos animais limpos, e dos animais que não são limpos, e das aves, e de todo o réptil sobre a terra, 9 - entraram de dois em dois para Noé na arca, macho e fêmea, como Deus ordenara a Noé. 10 - E aconteceu que, passados sete dias, vieram sobre a terra as águas do dilúvio. 11 - No ano seiscentos da vida de Noé, no mês segundo, aos dezessete dias do mês, naquele mesmo dia, se romperam todas as fontes do grande abismo, e as janelas dos céus se abriram, 12 - e houve chuva sobre a terra quarenta dias e quarenta noites.
  • 7. Resistindo sistematicamente ao Espírito de Deus, o mundo de Lameque depravara-se irreversível e totalmente. A apostasia, agora, era universal. Adultos, jovens e crianças; todos corrompidos. Por isso, o Senhor anuncia um juízo também universal: o Dilúvio.
  • 8. Em meio àquela geração, sobressai a justiça de Noé. Divinamente alertado, o patriarca constrói uma arca, na qual sobrevive, com a sua família, à grande inundação. O mesmo desafio cabe hoje à igreja do Senhor. Se por um lado, cabe-nos proclamar o Evangelho até aos confins da Terra, por outro, devemos preservar nosso lar em meio a uma sociedade que jaz no maligno.
  • 9. Em toda aquela geração, apenas Noé podia ser considerado justo e íntegro. Por essa razão, Deus anuncia-lhe o Dilúvio, instruindo-o a construir a arca de salvação.
  • 10. 1. O anúncio do Dilúvio. Já decidido a destruir a Terra, o Senhor acha graça em Noé (Gn 6.8). O patriarca soube como preservar moral e espiritualmente a esposa e os filhos. No entanto, pelo que inferimos do texto sagrado, nada pôde fazer aos seus irmãos e sobrinhos, pois estes também haviam se deixado corromper pelo exemplo de Lameque.
  • 11. Ao justo e íntegro Noé, anuncia Deus o Dilúvio; "O fim de toda carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra" (Gn 6.13). O patriarca sabia, através da fé, que o juízo era certo. Quanto aos seus contemporâneos, preferiram ignorar a iminência do castigo divino.
  • 12. 2. Um juízo que parecia improvável. Se considerarmos Gênesis 2.5, concluiremos que, naquele tempo, a terra não era regada pela chuva como nos dias de hoje (Gn 2.6). Portanto, como acreditar no Dilúvio se nem chuva havia?
  • 13. Dessa forma, os "cientistas" da época devem ter questionado sarcasticamente a Noé. Nossa geração assim reage quanto à vinda de Cristo (2 Pe 3.4). O que parece improvável, porém, está prestes a acontecer. Jesus está às portas.
  • 14. A fim de escapar ao Dilúvio, o patriarca foi orientado a construir um grande navio. Obediente, ele levou o projeto adiante
  • 15. 1. A planta da arca. A salvação é pela fé, mas a fé salvadora conduz-nos às boas obras (Ef 2.8-10). Por isso Noé, movido por uma forte convicção quanto à iminência do juízo divino, pôs-se a construir o grande barco.
  • 16. A planta da arca, mesmo que bastante simples, era eficaz: "Faze para ti uma arca da madeira de gofer; farás compartimentos na arca e a betumarás por dentro e por fora com betume.
  • 17. E desta maneira farás: de trezentos côvados o comprimento da arca, e de cinquenta côvados a sua largura, e de trinta côvados a sua altura. Farás na arca uma janela e de um côvado a acabarás em cima; e a porta da arca porás ao seu lado; far-lhe-ás andares baixos, segundos e terceiros" (Gn 6.14-16).
  • 18. O texto sagrado nos mostra que a Arca era um enorme barco, e sem leme. A finalidade da arca não era navegar, mas flutuar durante a grande inundação. O patriarca cumpriu a vontade divina; em suas promessas, repousou. Deus é o nosso piloto. Não se aflija. Deus está no comando.
  • 19. 2. A construção da arca. Enquanto Noé e seus filhos construíam a arca, apregoavam o juízo divino. Por isso, ele é chamado de pregoeiro da justiça (2 Pe 2.5). Assim faz a Igreja. Enquanto aguardamos a volta de Cristo, proclamemos o Evangelho e o fim de todas as coisas (1 Pe 3.20). O Senhor não tarda.
  • 20. Concluída a arca, Noé e sua família entram na formidável embarcaçã o. Passados sete dias, veio o Dilúvio.
  • 21. 1. O Dilúvio. Caiu uma chuva torrencial durante quarenta dias e quarenta noites (Gn 7.12). Oceanos, mares e rios confundem-se em ondas sucessivas, interminávei s e destruidoras. O fim de um mundo corrupto e depravado havia chegado.
  • 22. Noé, porém, estava seguro. Junto a ele, a esposa, os três filhos e suas respectivas mulheres. Ao todo oito pessoas (Gn 7.7). E, para conservar a vida sobre a nova Terra, os animais: dois de cada espécie, macho e fêmea (Gn 6.19).
  • 23. 2. O Dilúvio foi local ou Universal? Em 26 de dezembro de 2004, ocorreu um tsunami no Oceano Índico, cujo epicentro deu-se na costa da Indonésia. Apesar de local, o fenômeno foi sentido em várias partes do mundo. O que não diremos do Dilúvio? Acreditamos na universalidade da grande inundação.
  • 24. A narrativa bíblica é bastante clara: "E as águas prevaleceram excessivamente sobre a terra; e todos os altos montes que havia debaixo de todo o céu foram cobertos" (Gn 7.19).
  • 25. Os contemporâneos de Noé tiveram mais de um século para se arrependerem e voltar para Deus. Fizeram-se, porém surdos à proclamação do juízo divino.
  • 26. 1. Um juízo universal. A inundação foi universal como universal foi o juízo divino sobre a Terra. O relato bíblico é impressionante e preciso: "E expirou toda carne que se movia sobre a terra, tanto de ave como de gado, e de feras, e de todo o réptil que rasteja sobre a terra, e de todo homem" (Gn 7.21).
  • 27. Apenas Noé e a sua família, bem como os animais que se encontravam com eles na arca, foram preservados. A geração de Noé teve tempo para ouvir sua mensagem e ver a arca sendo construída, mas não deu ouvidos à pregação e ao trabalho daquele servo de Deus, e foi destruída. O pior juízo, contudo, achava-se no além.
  • 28. 2. O juízo divino no inferno. Não resta dúvida de que toda aquela geração pereceu e foi lançada no inferno, onde aguarda a última ressurreição, a fim de comparecer ao Juízo Final (Ap 20.11-15). Eles sabem que isso acontecerá, pois o Senhor Jesus, no interlúdio entre a sua morte e ressurreição, esteve no Hades, onde lhes proclamou a eficácia da justiça divina.
  • 29. Escreve o apóstolo Pedro: "Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito, no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão, os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água" (1 Pe 3.18-20 - ARA),
  • 30. A geração de Noé recusou-se a ouvi-lo, mas viu-se obrigada a escutar o Senhor Jesus que, além de pregoeiro da justiça, apresentava-se, agora, como Rei dos reis e Senhor dos senhores. Sua pregação não era redentiva, mas vindicativa.
  • 31. Os antediluvianos não deram crédito à pregação de Noé. Viviam para pecar. Sua depravação não conhecia limites. A Deus não restou alternativa senão condená- los à destruição.
  • 32. Nosso mundo caminha no mesmo sentido. Todavia, se formos zelosos quanto à pregação do Evangelho, levaremos muitas almas a Cristo, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor. Sua família está segura? Jesus em breve virá.