SlideShare uma empresa Scribd logo
2
Mas afinal, o que é qualidade
Definir qualidade nem sempre é fácil.
Sobretudo, quando se busca um suporte conceitual
válido nos dias de hoje, ou seja, um conceito atual,
moderno.
Vejamos o termo moderno que significa novo, mas
pode significar , também, atual, contemporâneo, que
se referem ao momento em que vivemos, então ,em
pouco tempo o moderno pode virar velho, obsoleto.
3
fazendo uma viagem no tempo...
Quando confrontamos o significado da qualidade para
um artesão e trabalhadores de diversas épocas
posteriores até os dias atuais, será que obteremos as
mesmas respostas?
O artesão era um especialista que tinha domínio
completo de todo o ciclo de produção, desde a
concepção do produto ate o pós-venda.
4
fazendo uma viagem no tempo...
O artesão procurava atender as necessidades do
cliente, pois sabia que a comercialização de seus
produtos dependia muito da reputação da qualidade,
que, naquele tempo, era comunicada boca a boca
pelos clientes satisfeitos.
Por outro lado, ainda era embrionários os conceitos
importantes para a área de qualidade moderna, tais
como: confiabilidade, conformidade, metrologia,
tolerância e especificação.
5
A Revolução Industrial
Esse padrão se manteve até o final do século XIX,
quando a maior montadora de automóveis da época, a
Panhard e Levassor (P&L), montava seus veículos
atendendo as necessidades dos abastados clientes.
(não havia dois carros iguais – “susto dimensional”)
Veio então a Revolução Industrial, que trouxe
nova ordem produtiva, em que a customização foi
substituída pela padronização e a produção em larga
escala.
6
O Taylorismo
O modelo de administração taylorista (Administração
Científica) retirou dos trabalhadores as etapas de
concepção e de planejamento.
Nessa época surgiu a função do inspetor, responsável
pela qualidade dos produtos.
Da linha de montagem da Ford, no período de 1908 a
1927, saia somente um modelo, o Ford T (Ford Bigode)
e, em uma única cor, a preta – mais de 15 milhões de
unidades vendidas.
7
O Fordismo
Essa foi uma época de grande evolução do conceito de
controle da qualidade.
Para viabilizar sua linha de montagem, Ford investiu
muito na intercambiabidade das peças e na facilidade
de ajustes, adotando um sistema padronizado.
Embora nessa época o foco do CQ ainda fosse a
inspeção, já se encontravam elementos importantes do
que viria a ser o conceito de qualidade que priorizava
uma abordagem voltada a produção e a conformidade.
8
A evolução do CQ
Na década de 1930, o CQ evoluiu bastante, com o
desenvolvimento do sistema de medidas, das
ferramentas de Controle Estatístico do Processo (CEP)
e do surgimento de normas (britânicas e americanas).
Em 1946 é fundada a American Society for Quality
Control (ASQC), atualmente American Society for
Quality (ASQ), com a participação de importantes
nomes da área de qualidade, como Joseph M. Juran.
9
Década de 1950
Criada a associação japonesa de cientistas e
engenheiros, a JUSE , com importante papel na área
da qualidade.
Surgem preocupações da área da qualidade quanto
aos impactos nos custos, sendo proposta a primeira
abordagem sistêmica.
Juran publicou o Planning and Practices in Quality
Control, que apresentava um modelo que envolvia
planejamento e apuração dos custos da qualidade.
10
TQC
Armand Feigenbaum foi o primeiro a tratar a qualidade
de forma sistêmica nas organizações, formulando o
sistema de Controle da Qualidade Total (TQC - Total
Quality Control), que influenciou fortemente o modelo
proposto pela International Organization for
Standardization (ISO), ou seja, a série ISO 9000.
No final dessa década, em 1957, Philip B. Crosby
lançou os elementos que criaram o programa Zero
Defeito.
11
Enquanto isso, no outro lado do mundo...
O Japão lutava pela reconstrução no período pós-guerra.
Foi quando dois importantes teóricos da área da qualidade
estiveram no Japão, W. Edwards Deming e J. M. Juran, os
quais influenciaram na criação do modelo japonês.
Em 1951, surgiu o Prêmio Deming, atribuído a empresa
que mais se destacasse na área da qualidade em cada ano.
Só no final da década de 1980 surgiu algo similar nos
Estados Unidos, o Prêmio Malcom Baldrige (1987), e
posteriormente, na Europa, o Prêmio Europeu da
Qualidade (1991), e também no Brasil, Prêmio Nacional da
Qualidade - PNQ (1992).
12
Lean Production
Taiichi Ohno, um dos grandes idealizadores do modelo
Toyota de produção, que ficaria conhecido como
produção enxuta ou lean production, influenciou a
qualidade, sobretudo pela aversão ao desperdício.
Em sua luta contra o desperdício, um dos alvos foi
eliminação da inspeção e, para tal, precisou devolver
aos trabalhadores a responsabilidade pela qualidade
do que produziam, para que pudessem interromper a
produção caso uma não conformidade ocorresse no
sistema, intervindo em tempo real e evitando a
produção de pecas defeituosas.
13
CWQC (TQC Japonês)
Shigeo Shingo também colaborou para a eliminação de
desperdícios da qualidade com a proposição de
dispositivos a prova de erros (ou poka-yoke, termo em
japonês), bem como desperdício de tempos de preparação,
com seu modelo de troca rápida de ferramenta (SMED).
Kaoru Ishikawa teve também importante papel no modelo
japonês, contribuindo na formulação do Company Wide
Quality Control (CWQC), o qual trouxe vários elementos
novos à Gestão da Qualidade. Contribuiu para a difusão
das sete ferramentas da qualidade, que viriam a ser
amplamente utilizadas pelos Círculos de Controles da
Qualidade (CCQs).
14
TQC – SGQ
Na década de 1970, o sucesso do modelo japonês já
mencionava a aferição dos defeitos em partes por
milhão, enquanto no ocidente as métricas ainda eram
calculadas em porcentagens.
Em 1987, em meio à expansão da globalização, surgiu
o modelo normativo da ISO para a área de Gestão da
Qualidade, como a sério 9000, Sistemas de Garantia
da Qualidade (SGQ).
15
Gestão da Qualidade - GQ
Desde então, iniciou-se um resgate da importância dos
clientes e a percepção da qualidade como um critério
competitivo, passível de fornecer vantagem competitiva.
O programa mais recente de Gestão da Qualidade surgiu
no final da década de 1980, na Motorola, chamado Seis
Sigma.
Uma tendência que desponta é a gestão integrada dos
sistemas de qualidade e das normas de sustentabilidade.
Um conjunto de quatro normas gerenciais, quando
adotadas em conjunto nas organizações, permitem a
iniciativa com o comprometimento de uma gestão voltada
para a sustentabilidade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Auditoria da qualidade
Auditoria da qualidadeAuditoria da qualidade
Auditoria da qualidade
Andressa Ribeiro
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
O que é qualidade
O que é qualidadeO que é qualidade
O que é qualidade
ELAINESILVEIRA
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Carlos Sousa
 
Slides - Técnica dos 5 porquês
Slides -  Técnica dos 5 porquêsSlides -  Técnica dos 5 porquês
Slides - Técnica dos 5 porquês
Orlando Lima Treinamentos
 
Modelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidadeModelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidade
Sandra Silva
 
Apresentacao mudanças ISO 9001:2015
Apresentacao mudanças ISO 9001:2015Apresentacao mudanças ISO 9001:2015
Apresentacao mudanças ISO 9001:2015
Adeildo Caboclo
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
Celso Alfaia Barbosa
 
Guia Prático - 7 Ferramentas da Qualidade com MS Excel 2007
Guia Prático - 7 Ferramentas da Qualidade com MS Excel 2007Guia Prático - 7 Ferramentas da Qualidade com MS Excel 2007
Guia Prático - 7 Ferramentas da Qualidade com MS Excel 2007
Ivan Luizio Magalhães
 
Gestão de qualidade (slides)
Gestão de qualidade (slides)Gestão de qualidade (slides)
Gestão de qualidade (slides)
Roberto Luna Mendes Monteiro Filho
 
Revisão geral ISO 9001
Revisão geral ISO 9001Revisão geral ISO 9001
Revisão geral ISO 9001
Rogério Souza
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Laura Inafuko
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Alexandre Porto Araujo
 
Aula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de ProduçãoAula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Adriano Pereira
 
Aula 02 02 SGQ ISO
Aula 02 02 SGQ ISOAula 02 02 SGQ ISO
Aula 02 02 SGQ ISO
Claudio Bernardi Stringari
 
Aula 2 controle da qualidade total
Aula 2  controle da qualidade totalAula 2  controle da qualidade total
Aula 2 controle da qualidade total
institutocarvalho
 
Administração de recursos humanos
Administração de recursos humanosAdministração de recursos humanos
Administração de recursos humanos
Universidade de Pernambuco
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
Fabricio Pangoni
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
Fernanda Paola Butarelli
 

Mais procurados (20)

Auditoria da qualidade
Auditoria da qualidadeAuditoria da qualidade
Auditoria da qualidade
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
O que é qualidade
O que é qualidadeO que é qualidade
O que é qualidade
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Slides - Técnica dos 5 porquês
Slides -  Técnica dos 5 porquêsSlides -  Técnica dos 5 porquês
Slides - Técnica dos 5 porquês
 
Modelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidadeModelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidade
 
Apresentacao mudanças ISO 9001:2015
Apresentacao mudanças ISO 9001:2015Apresentacao mudanças ISO 9001:2015
Apresentacao mudanças ISO 9001:2015
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
 
Guia Prático - 7 Ferramentas da Qualidade com MS Excel 2007
Guia Prático - 7 Ferramentas da Qualidade com MS Excel 2007Guia Prático - 7 Ferramentas da Qualidade com MS Excel 2007
Guia Prático - 7 Ferramentas da Qualidade com MS Excel 2007
 
Gestão de qualidade (slides)
Gestão de qualidade (slides)Gestão de qualidade (slides)
Gestão de qualidade (slides)
 
Revisão geral ISO 9001
Revisão geral ISO 9001Revisão geral ISO 9001
Revisão geral ISO 9001
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Aula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de ProduçãoAula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de Produção
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Aula 02 02 SGQ ISO
Aula 02 02 SGQ ISOAula 02 02 SGQ ISO
Aula 02 02 SGQ ISO
 
Aula 2 controle da qualidade total
Aula 2  controle da qualidade totalAula 2  controle da qualidade total
Aula 2 controle da qualidade total
 
Administração de recursos humanos
Administração de recursos humanosAdministração de recursos humanos
Administração de recursos humanos
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
Produtividade e Qualidade
Produtividade e QualidadeProdutividade e Qualidade
Produtividade e Qualidade
 

Semelhante a 02 histórico da gestão da qualidade

Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptxAula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
AlexandreLisboadaSil
 
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptxAula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
ALEXANDRELISBADASILV
 
04. sistema de gestã£o da qualidade
04.   sistema de gestã£o da qualidade04.   sistema de gestã£o da qualidade
04. sistema de gestã£o da qualidade
mauricio freire
 
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Daebul University
 
Metalurgia i, segurança iii gestão e qualidade - 105 pag
Metalurgia i, segurança iii   gestão e qualidade - 105 pagMetalurgia i, segurança iii   gestão e qualidade - 105 pag
Metalurgia i, segurança iii gestão e qualidade - 105 pag
Fabricio Gabriel
 
Iso 9000 e séries
Iso  9000 e sériesIso  9000 e séries
Iso 9000 e séries
R Gómez
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Denilson Cintia
 
Apostila controle processo
Apostila controle processoApostila controle processo
Apostila controle processo
nigr0 s
 
AULA 1 - INTRODUÇÃO.pptx
AULA 1 - INTRODUÇÃO.pptxAULA 1 - INTRODUÇÃO.pptx
AULA 1 - INTRODUÇÃO.pptx
Alice Gonçalves
 
Controle de Qualidade
Controle de QualidadeControle de Qualidade
Controle de Qualidade
Luiz Silva
 
Capitulo1 Qualidade
Capitulo1  QualidadeCapitulo1  Qualidade
Capitulo1 Qualidade
2309
 
Docslide.com.br gestao da-qualidade-trainee
Docslide.com.br gestao da-qualidade-traineeDocslide.com.br gestao da-qualidade-trainee
Docslide.com.br gestao da-qualidade-trainee
MARCELA PEREIRA
 
Apresentação qualidade
Apresentação   qualidadeApresentação   qualidade
Apresentação qualidade
Ulisses Cavalcante
 
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_spFerramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Silvana Fontes
 
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas FerramentasArtigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Cleber Chagas
 
Gestao da qualidade em logistica
Gestao da qualidade em logisticaGestao da qualidade em logistica
Gestao da qualidade em logistica
Josane Souto
 
Oriente e Ocidente - A busca pela competitividade através do WCM
Oriente e Ocidente - A busca pela competitividade através do WCMOriente e Ocidente - A busca pela competitividade através do WCM
Oriente e Ocidente - A busca pela competitividade através do WCM
Jose Donizetti Moraes
 
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
taniabayer
 
Evolução da qualidade
Evolução da qualidadeEvolução da qualidade
Evolução da qualidade
Bruno Lagarto
 
Qualidade e excelência organizacional
Qualidade e excelência organizacionalQualidade e excelência organizacional
Qualidade e excelência organizacional
daianadelima
 

Semelhante a 02 histórico da gestão da qualidade (20)

Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptxAula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
 
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptxAula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
Aula 1 - Qualidade de Software - Introdução e História.pptx
 
04. sistema de gestã£o da qualidade
04.   sistema de gestã£o da qualidade04.   sistema de gestã£o da qualidade
04. sistema de gestã£o da qualidade
 
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
 
Metalurgia i, segurança iii gestão e qualidade - 105 pag
Metalurgia i, segurança iii   gestão e qualidade - 105 pagMetalurgia i, segurança iii   gestão e qualidade - 105 pag
Metalurgia i, segurança iii gestão e qualidade - 105 pag
 
Iso 9000 e séries
Iso  9000 e sériesIso  9000 e séries
Iso 9000 e séries
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Apostila controle processo
Apostila controle processoApostila controle processo
Apostila controle processo
 
AULA 1 - INTRODUÇÃO.pptx
AULA 1 - INTRODUÇÃO.pptxAULA 1 - INTRODUÇÃO.pptx
AULA 1 - INTRODUÇÃO.pptx
 
Controle de Qualidade
Controle de QualidadeControle de Qualidade
Controle de Qualidade
 
Capitulo1 Qualidade
Capitulo1  QualidadeCapitulo1  Qualidade
Capitulo1 Qualidade
 
Docslide.com.br gestao da-qualidade-trainee
Docslide.com.br gestao da-qualidade-traineeDocslide.com.br gestao da-qualidade-trainee
Docslide.com.br gestao da-qualidade-trainee
 
Apresentação qualidade
Apresentação   qualidadeApresentação   qualidade
Apresentação qualidade
 
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_spFerramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
Ferramentas da qualidade_-_apostila_senai_sp
 
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas FerramentasArtigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
 
Gestao da qualidade em logistica
Gestao da qualidade em logisticaGestao da qualidade em logistica
Gestao da qualidade em logistica
 
Oriente e Ocidente - A busca pela competitividade através do WCM
Oriente e Ocidente - A busca pela competitividade através do WCMOriente e Ocidente - A busca pela competitividade através do WCM
Oriente e Ocidente - A busca pela competitividade através do WCM
 
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
A gestão da qualidade total e conhecido como tqm e tambem citada como cqt ou ...
 
Evolução da qualidade
Evolução da qualidadeEvolução da qualidade
Evolução da qualidade
 
Qualidade e excelência organizacional
Qualidade e excelência organizacionalQualidade e excelência organizacional
Qualidade e excelência organizacional
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 

02 histórico da gestão da qualidade

  • 1. 2 Mas afinal, o que é qualidade Definir qualidade nem sempre é fácil. Sobretudo, quando se busca um suporte conceitual válido nos dias de hoje, ou seja, um conceito atual, moderno. Vejamos o termo moderno que significa novo, mas pode significar , também, atual, contemporâneo, que se referem ao momento em que vivemos, então ,em pouco tempo o moderno pode virar velho, obsoleto.
  • 2. 3 fazendo uma viagem no tempo... Quando confrontamos o significado da qualidade para um artesão e trabalhadores de diversas épocas posteriores até os dias atuais, será que obteremos as mesmas respostas? O artesão era um especialista que tinha domínio completo de todo o ciclo de produção, desde a concepção do produto ate o pós-venda.
  • 3. 4 fazendo uma viagem no tempo... O artesão procurava atender as necessidades do cliente, pois sabia que a comercialização de seus produtos dependia muito da reputação da qualidade, que, naquele tempo, era comunicada boca a boca pelos clientes satisfeitos. Por outro lado, ainda era embrionários os conceitos importantes para a área de qualidade moderna, tais como: confiabilidade, conformidade, metrologia, tolerância e especificação.
  • 4. 5 A Revolução Industrial Esse padrão se manteve até o final do século XIX, quando a maior montadora de automóveis da época, a Panhard e Levassor (P&L), montava seus veículos atendendo as necessidades dos abastados clientes. (não havia dois carros iguais – “susto dimensional”) Veio então a Revolução Industrial, que trouxe nova ordem produtiva, em que a customização foi substituída pela padronização e a produção em larga escala.
  • 5. 6 O Taylorismo O modelo de administração taylorista (Administração Científica) retirou dos trabalhadores as etapas de concepção e de planejamento. Nessa época surgiu a função do inspetor, responsável pela qualidade dos produtos. Da linha de montagem da Ford, no período de 1908 a 1927, saia somente um modelo, o Ford T (Ford Bigode) e, em uma única cor, a preta – mais de 15 milhões de unidades vendidas.
  • 6. 7 O Fordismo Essa foi uma época de grande evolução do conceito de controle da qualidade. Para viabilizar sua linha de montagem, Ford investiu muito na intercambiabidade das peças e na facilidade de ajustes, adotando um sistema padronizado. Embora nessa época o foco do CQ ainda fosse a inspeção, já se encontravam elementos importantes do que viria a ser o conceito de qualidade que priorizava uma abordagem voltada a produção e a conformidade.
  • 7. 8 A evolução do CQ Na década de 1930, o CQ evoluiu bastante, com o desenvolvimento do sistema de medidas, das ferramentas de Controle Estatístico do Processo (CEP) e do surgimento de normas (britânicas e americanas). Em 1946 é fundada a American Society for Quality Control (ASQC), atualmente American Society for Quality (ASQ), com a participação de importantes nomes da área de qualidade, como Joseph M. Juran.
  • 8. 9 Década de 1950 Criada a associação japonesa de cientistas e engenheiros, a JUSE , com importante papel na área da qualidade. Surgem preocupações da área da qualidade quanto aos impactos nos custos, sendo proposta a primeira abordagem sistêmica. Juran publicou o Planning and Practices in Quality Control, que apresentava um modelo que envolvia planejamento e apuração dos custos da qualidade.
  • 9. 10 TQC Armand Feigenbaum foi o primeiro a tratar a qualidade de forma sistêmica nas organizações, formulando o sistema de Controle da Qualidade Total (TQC - Total Quality Control), que influenciou fortemente o modelo proposto pela International Organization for Standardization (ISO), ou seja, a série ISO 9000. No final dessa década, em 1957, Philip B. Crosby lançou os elementos que criaram o programa Zero Defeito.
  • 10. 11 Enquanto isso, no outro lado do mundo... O Japão lutava pela reconstrução no período pós-guerra. Foi quando dois importantes teóricos da área da qualidade estiveram no Japão, W. Edwards Deming e J. M. Juran, os quais influenciaram na criação do modelo japonês. Em 1951, surgiu o Prêmio Deming, atribuído a empresa que mais se destacasse na área da qualidade em cada ano. Só no final da década de 1980 surgiu algo similar nos Estados Unidos, o Prêmio Malcom Baldrige (1987), e posteriormente, na Europa, o Prêmio Europeu da Qualidade (1991), e também no Brasil, Prêmio Nacional da Qualidade - PNQ (1992).
  • 11. 12 Lean Production Taiichi Ohno, um dos grandes idealizadores do modelo Toyota de produção, que ficaria conhecido como produção enxuta ou lean production, influenciou a qualidade, sobretudo pela aversão ao desperdício. Em sua luta contra o desperdício, um dos alvos foi eliminação da inspeção e, para tal, precisou devolver aos trabalhadores a responsabilidade pela qualidade do que produziam, para que pudessem interromper a produção caso uma não conformidade ocorresse no sistema, intervindo em tempo real e evitando a produção de pecas defeituosas.
  • 12. 13 CWQC (TQC Japonês) Shigeo Shingo também colaborou para a eliminação de desperdícios da qualidade com a proposição de dispositivos a prova de erros (ou poka-yoke, termo em japonês), bem como desperdício de tempos de preparação, com seu modelo de troca rápida de ferramenta (SMED). Kaoru Ishikawa teve também importante papel no modelo japonês, contribuindo na formulação do Company Wide Quality Control (CWQC), o qual trouxe vários elementos novos à Gestão da Qualidade. Contribuiu para a difusão das sete ferramentas da qualidade, que viriam a ser amplamente utilizadas pelos Círculos de Controles da Qualidade (CCQs).
  • 13. 14 TQC – SGQ Na década de 1970, o sucesso do modelo japonês já mencionava a aferição dos defeitos em partes por milhão, enquanto no ocidente as métricas ainda eram calculadas em porcentagens. Em 1987, em meio à expansão da globalização, surgiu o modelo normativo da ISO para a área de Gestão da Qualidade, como a sério 9000, Sistemas de Garantia da Qualidade (SGQ).
  • 14. 15 Gestão da Qualidade - GQ Desde então, iniciou-se um resgate da importância dos clientes e a percepção da qualidade como um critério competitivo, passível de fornecer vantagem competitiva. O programa mais recente de Gestão da Qualidade surgiu no final da década de 1980, na Motorola, chamado Seis Sigma. Uma tendência que desponta é a gestão integrada dos sistemas de qualidade e das normas de sustentabilidade. Um conjunto de quatro normas gerenciais, quando adotadas em conjunto nas organizações, permitem a iniciativa com o comprometimento de uma gestão voltada para a sustentabilidade.