Alfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papel

10.238 visualizações

Publicada em

2 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.238
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
599
Comentários
2
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papel

  1. 1. Alfabetização Matemática, ambiente alfabetizador e o papel do professor. Polo Quitandinha Formadoras: Cecilia Pinheiro Patricia Marinho
  2. 2. Memorial Para e pense um pouco sobre como você aprendeu matemática... ...como foi ensinado para você os conteúdos matemáticos? Registre com uma palavra esta recordação
  3. 3. Agora vamos fazer outro exercício! Como você ensina matemática? Registre uma palavra sobre esta reflexão.
  4. 4. AMBIENTE ALFABETIZADOR EM MATEMÁTICA Em grupos, reproduzam o que vocês acreditam que deve ter em um ambiente alfabetizador em matemática, usando o material que trouxeram.
  5. 5. Alfabetização matemática... Mas do que estamos falando?
  6. 6. Retomando conceitos de linguagem... Alfabetização ( código) Letramento ESCRITA LEITURA PRODUÇÃO ORALIDADE TEXTO GÊNERO DISCURSO
  7. 7. E NA MATEMÁTICA, EM QUE ESFERAS TRABALHAMOS ? Alfabetização ( código) ? ? ? ? ? ? ? ?
  8. 8. Para começar a pensar nas possibilidades que o trabalho de matemática nos oferece, que tal começarmos pela sala de aula? Sala de aula: espaço alfabetizador de aprendizagens de conceitos Matemáticos. Símbolos Imagens ObjetosInstrumentos
  9. 9. Organização da sala de aula? Uma atividade planejada?
  10. 10. Um ambiente problematizador estimula os alunos a: • ler e discutir matematicamente • levantar hipóteses • buscar indícios • observar regularidades • registrar resultados provisórios • compartilhar estratégias • Argumentar e investigar • variar procedimentos • generalizar • conceituar • ouvir argumentos • Investigar coletivamente
  11. 11. Ampliando conceitos... Letramento matemático / numeramento Alfabetização matemática
  12. 12. Para refletir e buscar compreender... Numa perspectiva adotada por alguns trabalhos na academia e em textos didáticos ou prescritivos no campo da Educação Matemática, “Alfabetização Matemática” é entendida como o aprendizado (inicial) da escrita matemática. O termo presta-se, então, a contemplar um aspecto da aquisição do conhecimento matemático veiculado principalmente pela abordagem escolar que é o domínio da linguagem matemática de registro escrito.
  13. 13. Nessa perspectiva, assume-se, como o faz Toledo (2003), que o Numeramento inclui um amplo conjunto de habilidades, estratégias, crenças e disposições que o sujeito necessita para manejar efetivamente e engajar-se autonomamente em situações que envolvem números e dados quantitativos ou quantificáveis (p.55), e se estabelece, dessa forma, a tal relação de paralelismo ou de analogia entre os conceitos de Letramento e Numeramento.
  14. 14. alfabetização matemática aquisição da linguagem matemática formal registro escrito letramento matemático / numeramento formas de uso, objetivos, valores, crenças, atitudes e papéis que estão ligados não apenas à escrita numérica, mas ao uso social práticas relacionadas às formas de quantificar, ordenar, medir e classificar existentes em um grupo num contexto específico
  15. 15. •Não se trata, portanto, de um fenômeno de letramento matemático, paralelo ao do letramento, mas de numeramento como uma das dimensões do letramento.
  16. 16. O papel do Professor ... diante da complexidade e da velocidade das mudanças que se processam no mundo, nas comunicações, nas relações de trabalho, nas relações sociais e no conhecimento, acreditamos que, reconhecendo a importância da ação do professor, o papel atribuído a este deve ser muito mais o de mediador do processo, contribuindo para torná- los protagonistas das suas próprias histórias.
  17. 17. PROTAGONISMO ESTE .... •Diante da liberdade de pensar e de agir, surge a necessidade do diálogo, do respeito ao tempo de cada um, sem que isto signifique deixar o fraco como fraco, porque é o seu tempo, mas partir do outro como uma pessoa que é um mundo de possibilidades e não um universo de limitações. Exige do educador ir além do seu conteúdo específico, situando este em um contexto mais amplo de questões identificadas com o aprender a aprender, aprender a ser, aprender a fazer e aprender a conhecer.
  18. 18. Propostas para o trabalho com matemática na perspectiva do letramento matemático/ numeramento •Organização da sala de aula •Organização do trabalho pedagógico •Olhar crítico e reflexivo sobre o planejamento ( anual, bimestral e semanal) •Conhecimento dos eixos e direitos de aprendizagem. •Atenção aos objetivos de cada tarefa proposta para que a intervenção seja pontual. •Trabalhar com projetos (modelagem matemática) •Trabalhar com sequências didáticas
  19. 19. • Buscar “textos matemáticos” e suas possibilidades de trabalho. • Ter preocupação com os enunciados e encaminhamentos, evitando uma falsa contextualização. • Pensar no que queremos desenvolver: Conteúdos ou conceitos?
  20. 20. • Explorar o: FECHAMENTO Todo o trabalho que foi planejado e desenvolvido em sala de aula necessita de um fechamento. • Momento de socialização ou entrega das produções - Socialização das ideias desenvolvidas pelos alunos. - Os alunos entregam suas produções escritas. - O congresso matemático como possibilidade de socialização de ideias. • Síntese final • A tarefa de casa • Avaliação, progressão e continuidade das aprendizagens
  21. 21. • A função do professor sempre foi e continuará sendo insubstituível, mesmo com tecnologias, métodos, manuais e programas supostamente adequados, só que tudo isso depende essencialmente da postura do professor, sem esquecer que tal trabalho docente depende também da forma de gestão e de coordenação da Escola.
  22. 22. Tarefa de casa • Planejar uma sequência didática a partir de um jogo de matemática. Não aplicar com a turma de atuação • Sugestão de leitura: Caderno de jogos.

×