ABCMCAssociação Brasileira de Centros e Museus de Ciência                Casa da Ciência  Centro Cultural de Ciência e Tec...
Coordenação Editorial    Fatima Brito    José Ribamar Ferreira    Luisa Massarani    Pesquisa    Carla Almeida    Carolina...
APRESENTAÇÃO, 5REGIÕES E ESTADOSCentro-Oeste, 7		    Distrito Federal 		      10                     Goiás 			            ...
A área de museus e centros de ciência é marcada porum expressivo crescimento a partir da década de 1990no Brasil. Enquanto...
Fundação Jardim ZoológicoDistrito Federal                                     de Brasília                        Inaugurad...
Jardim Botânico de Brasília                                                                                 Distrito Feder...
Museu AntropológicoGoiás              Criado em 1969, o Museu An-       tais como antropologia social e cul-        tropol...
Planetário da Universidade                Federal de Goiás                                                                ...
Mato Grosso do Sul                               Observatório Solar Indígena                         Inaugurado em 2009, o...
Museu de História Natural              O Museu de História Natural da           O museu contribui diretamente          Uni...
Usina Ciência     A Usina Ciência é um exemplo      mental e Médio, Programa de Popu-de como instituições de ensino su-   ...
Jardim Botânico de Salvador             A presença de um espaço             buídas três coleções – plantas na-        etno...
Museu Antares de Ciência                  e Tecnologia     No hall de entrada, uma répli-         Entre as diversas atraçõ...
Museu de Arqueologia                            e Etnologia             Um espaço tricentenário em               O museu t...
Museu de Ciência & Tecnologia                   da Bahia    Um dos primeiros museus in-             A proposta do museu é ...
Museu Geológico da Bahia             Uma visita ao Museu Geológi-             A instituição oferece cursos de        co da...
Universidade da Criança                 e do Adolescente    O diálogo entre ciência e arte        Além disso, realiza expo...
Zoológico de Salvador             Inaugurado em 1958, o Zoo-               Sua área verde é de cerca        lógico de Salv...
Museu do Eclipse    O Museu do Eclipse está situa-     brasileira e estrangeira que estive-do no local em que foram feitas...
Parque Botânico do Ceará             A implementação do parque,         tente. Todas as espécies florísticas        em 199...
Planetário Rubens de Azevedo     O Planetário Rubens de Aze-        metro e capacidade para 86 poltro-vedo oferece diversã...
Seara da Ciência            Experimentação, pesquisa, in-            O Salão de Exposição é o carro-        teratividade, ...
Laboratório de Divulgação             Científica – Ilha da Ciência     Cercada de ciência por todos              Hoje, faz...
Jardim Botânico de João Pessoa                       Benjamim Maranhão              Um imenso coração verde no            ...
Planetário da Fundação           Espaço Cultural da Paraíba     Pessoas de todas as idades e          Além das projeções n...
Vale dos Dinossauros               O Vale dos Dinossauros é                As pegadas fossilizadas variam          um dos ...
Espaço Ciência – Museu                  Interativo de Ciência     Um museu a céu aberto. Lo-         Exposições e um Centr...
Jardim Botânico do Recife                  Um testemunho vivo da bio-         tem plantas de diversas texturas e          ...
Parque Estadual Dois Irmãos    Um parque, um zoológico e um             Na área do parque, foi fundado,horto florestal for...
Fundação Museu do                           Homem Americano             Um encontro emocionante e           o percurso, o ...
Museu Câmara Cascudo    O Museu Câmara Cascudo tem        Em 1969, instalou-se na sede defi-por missão a conservação, inve...
Museu de Paleontologia                                       Vingt-Un Rosado                           O Museu de Paleonto...
Planetário de Parnamirim     O Planetário de Parnamirim               As visitas guiadas ao planetá-deu o pontapé inicial ...
Casa de Ciência e Tecnologia                       da Cidade de Aracaju               Integrante da mais nova ge-         ...
Museu de Arqueologia de Xingó    O Museu Arqueológico de Xin-            A unidade museológica é com-gó (MAX) foi criado p...
Centro de Pesquisas Museológicas                         Museu Sacaca             Vinte mil metros quadrados de       dos ...
Bosque da Ciência     Inaugurado, em 1995, como           de lazer com caráter sóciocientífi-parte das comemorações do 40º...
Zoo Tropical Manaus               Um zoológico no meio da flo-            Além de apresentar a fauna a-           resta, o...
Bosque Rodrigues Alves     Com 150.000 metros quadra-        pécies silvestres, especialmente asdos de extensão, o Bosque ...
Museu Paraense Emílio Goeldi            O século XIX foi o auge das        ciências da informação e oferece       expediçõ...
Parque de Ciências     Um museu interativo de ciência   sensibilizar a população para o usoque pudesse contribuir, por mei...
ESPÍRITO SANTO
Escola da Ciência                                     Biologia e História                      Democratizar a ciência e pe...
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Guia 2009 completo museus
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Guia 2009 completo museus

1.376 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Guia 2009 completo museus

  1. 1. ABCMCAssociação Brasileira de Centros e Museus de Ciência Casa da Ciência Centro Cultural de Ciência e Tecnologia da UFRJ Museu da Vida Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz
  2. 2. Coordenação Editorial Fatima Brito José Ribamar Ferreira Luisa Massarani Pesquisa Carla Almeida Carolina Macedo Colaboração Organização Catarina Chagas Luisa Massarani Museu da Vida/Fiocruz Texto Final Kátia Mansur Carla Almeida Caminhos Geológicos/DRM-RJ Produção Editorial Maria Helena Steffani Fatima Brito Planetário Prof. José Baptista Pereira Simone Martins Associação Brasileira de Planetários Projeto Gráfico e Maurício de Mattos Salgado Diagramação Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Não Formal Paula Wienskoski e Divulgação em Ciências Revisão Tânia Sampaio Pereira Fernanda Cupolillo Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro Simone Martins Rede Brasileira de Jardins Botânicos Ilustrações Viviane Rachid Garcia Mariana Massarani Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros” ABCMC – Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência www.abcmc.org.br • secretaria@abcmc.org.br Apoio Departamento de Difusão e Popularização da Ciência e Tecnologia Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão SocialFicha Catalográfica elaborada pela Divisão de Processamento Técnico - SIBI/UFRJ C397 Centros e museus de ciência do Brasil 2009. -- Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência : UFRJ. FCC. Casa da Ciência : Fiocruz. Museu da Vida, 2009. 232p.: il. ; 13 x 22,5 cm. 1. Museus de ciência - Brasil 2. Museus de ciência – Aspectos educacionais. I. Brito, Fatima (coord.). II Ferreira, José Ribamar (coord.). III. Massarani, Luisa (coord.). CDD: 507.40981Nota dos Editores: as informações contidas neste guia foram enviadas pelasrespectivas instituições, exceto quando indicada a fonte de pesquisa.
  3. 3. APRESENTAÇÃO, 5REGIÕES E ESTADOSCentro-Oeste, 7 Distrito Federal 10 Goiás 12 Mato Grosso do Sul 14Nordeste, 15 Alagoas 18 Bahia 20 Ceará 27 Maranhão 31 Paraíba 32 Pernambuco 35 Piauí 38 Rio Grande do Norte 39 Sergipe 42Norte, 45 Amapá 48 Amazonas 49 Pará 51Sudeste, 55 Espírito Santo 58 Minas Gerais 64 Rio de Janeiro 80 São Paulo 117Sul, 171 Paraná 174 Rio Grande do Sul 193 Santa Catarina 207CIÊNCIA MÓVEL, 215ASSOCIAÇÕES, 217ÍNDICE GERAL, 224COMO PARTICIPAR, 232
  4. 4. A área de museus e centros de ciência é marcada porum expressivo crescimento a partir da década de 1990no Brasil. Enquanto na década de 1980 os dedos da mãoeram mais do que suficientes para contar os centros emuseus interativos do país, em 2005, na primeira versãodeste guia, o número chegou a várias dezenas. Se somarmos zoológicos, jardins botânicos, plane-tários, aquários, museus de história natural e outros es-paços que exploram a ciência e a tecnologia, esse númeroultrapassa 200, dos quais 190 estão registrados nestaversão atualizada do guia que está em suas mãos. Destaque-se que coletar informações sobre essasorganizações no Brasil é um trabalho de formigas. Háde esmiuçar Brasil afora para identificar as diversasiniciativas, especialmente aquelas em cidades menores.Certamente, muitas ainda ficaram de fora – as quais con-vidamos a entrar em contato para serem incorporadasà listagem. Um aspecto que chama a atenção, no entanto, éa distribuição desigual desses espaços de ciência nopaís: a região Sudeste concentra 112 das organizaçõeslistadas nesta edição; o Sul, 41. Já nas demais regiõeso número é bastante reduzido: Nordeste, 26; Centro-Oeste, 5; Norte, 6. Esperamos que este guia contribua para que essesespaços de ciência e lazer sejam valorizados e mais bemconhecidos. 5
  5. 5. Fundação Jardim ZoológicoDistrito Federal de Brasília Inaugurado em 1957, antes de a ao público em geral, o zoológico capital federal ficar pronta, o Jardim desenvolve projetos direcionados Zoológico de Brasília foi a primeira a pessoas com necessidades espe- instituição com fins ambientais cria- ciais, que encontram outras formas da no Distrito Federal. de apreciar e aproveitar as suas Com uma área de 140 hectares, atrações. Para levar alegria a quem abriga em distintos viveiros cerca não pode se locomover até o zoo- de 250 espécies de animais, entre lógico, a equipe de monitores e aves, répteis e mamíferos, em um voluntários da instituição faz visitas total de, aproximadamente, 1.300 semanais a unidades hospitalares bichos. Entre eles, destacam-se os ou casas de terapias. representantes da fauna da Amé- O zoológico localiza-se ao rica do Sul, alguns sob ameaça de lado do Santuário de Vida Silvestre extinção. Em três lagos artificiais do Riacho Fundo e do Parque das com ilhas, os visitantes podem ob- Aves. Ambos são geridos pela Fun- servar, ainda, macacos, marrecos, dação Jardim Zoológico de Brasília, garças e outros animais. com área total de 690 hectares. Além de visitas guiadas aos viveiros e à exposição permanente de animais empalhados, oferecidas Avenida das Nações Via L-4 Sul, Asa Sul Brasília, DF, CEP 70610-100 Tel. (61) 3345-2937 Fax (61) 3345-3093 www.zoo.df.gov.br presi@zoo.df.gov.br Visitação terça a domingo • 9:00h às 17:00h Entrada paga Associada à SZB 10 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  6. 6. Jardim Botânico de Brasília Distrito Federal Quando o arquiteto Lúcio Cos- A área de visitação públicata projetou Brasília, já estava nos possui 526 hectares, com plantasseus planos a implantação de um nativas e exóticas identificadas.jardim botânico. Mas a sua história Nesse espaço, o visitante é convi-antecede à fundação do Distrito Fe- dado a percorrer uma trilha ecoló-deral: antes de os homens chega- gica de, aproximadamente, 4.500rem com as máquinas para cons- metros, onde formações vegetaistruir a capital do país, o cerrado já típicas dos cerrados podem serestava lá. É justamente esse tipo de observadas.ecossistema que ganha destaque Há, ainda, o Orquidário, o Her-no Jardim Botânico de Brasília. bário, o Centro de Visitante e a Apesar disso, demorou um Casa de Chá. Em seu Laboratóriopouco a ser implementado na ci- Multidisciplinar, são desenvolvidasdade. O lugar para sua instalação pesquisas na área de botânica,foi repensado, pesquisadores fo- ecologia e manejo de recursosram buscar ajuda no Jardim Botâ- naturais, visando ao conhecimentonico do Rio... Até que, em 1985, e à preservação da vegetação donasceu a instituição, um espaço de Cerrado.pesquisa, educação ambiental elazer para a população. SMDB Conjunto 12, Lago Sul Brasília, DF, CEP 71680-120 Tel. (61) 3366-2141 Fax (61) 3366-3831 www.jardimbotanico.df.gov.br faleconosco@jardimbotanico.df.gov.br Visitação terça a domingo • 9:00h às 17:30h Entrada paga Centro-Oeste 11
  7. 7. Museu AntropológicoGoiás Criado em 1969, o Museu An- tais como antropologia social e cul- tropológico da Universidade Fede- tural, arqueologia, etnolinguística, ral de Goiás tem como objetivos educação indígena e museologia. principais apoiar e desenvolver a Possui, ainda, um rico acervo docu- pesquisa antropológica na insti- mental, constituído por fotos, ví- tuição e organizar o seu acervo, deos, áudios, imagens digitais, de- originário dessas pesquisas. senhos técnicos, produção carto- Desses objetivos, decorrem a- gráfica, livros, entre outros. ções de inventário, documentação, Parte desse acervo está expos- segurança, preservação, divulga- ta em dois salões do museu. Um ção do conhecimento científico e deles é destinado à exposição de comunicação de seu acervo a par- longa duração, Lavras e louvores, tir de recursos expográficos e de e o outro é reservado para mostras ações educativo-culturais. temporárias. Estão sob a guarda do museu coleções provenientes de coletas assistemáticas e de pesquisas cien- Fonte: tíficas realizadas em diversas áreas, www.museu.ufg.br Universidade Federal de Goiás Av. Universitária, 1.166 Setor Universitário Goiânia, GO, CEP 74605-010 Tel. (62) 3209-6010 / 3209-6371 Fax (62) 3521-1891 / 3521-1892 www.museu.ufg.br Visitação segunda a sexta • 9:00h às 17:00h Entrada franca 12 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  8. 8. Planetário da Universidade Federal de Goiás Goiás Quem visitar o planetário da um veículo de divulgação científi-Universidade Federal de Goiás vai ca e cultural por meio de cursos depoder acompanhar de perto os iniciação à astronomia para o pú-movimentos dos astros celestes. blico em geral, oficinas, seminários,O espaço conta com uma cúpula sessões de observação ao telescó-de 12,5 metros de diâmetro, onde pio, além das projeções do céu esão ministradas aulas e realizadas das palestras já mencionadas.projeções dos programas elabora- O objetivo principal do plane-dos pela equipe do planetário. tário é popularizar e democratizar Em volta da cúpula, há uma bi- o conhecimento da astronomia eblioteca, uma sala de exposição áreas afins, divulgando informaçãotemporária, uma sala de estudo e atualizada, de modo a contribuiruma sala de aula, com 60 lugares, com a formação científica dos maisonde acontecem cursos e palestras. diversos grupos sociais. O planetário, criado em 1970,desenvolve atividades de exten-são, ensino e pesquisa. Atua como Av. Contorno, s/n, Parque Mutirama Setor Central Goiânia, GO, CEP 74055-140 Tel./Fax (62) 3225-8085 / 3225-8028 www.planetario.ufg.br planetario@planetario.ufg.br Visitação escolas e outras instituições terça a sexta • 8:30h às 10:00h e 14:00h às 15:30h sábados • 11:00h público em geral domingos • 15:30h e 16:30h Entrada paga Centro-Oeste 13
  9. 9. Mato Grosso do Sul Observatório Solar Indígena Inaugurado em 2009, o Obser- A atividade inclui o relato da vatório Solar Indígena da Univer- mitologia desses povos relacionada sidade Estadual do Mato Grosso do aos astros e suas constelações. Sul (UEMS) localiza-se em um es- O principal objetivo do obser- paço de 1.000 metros quadrados, vatório, que recebe crianças, jo- em frente ao prédio de adminis- vens e adultos, é divulgar o conhe- tração da universidade e próximo cimento astronômico das etnias a diversas aldeias da cidade de indígenas brasileiras e sua relação Dourados, onde vivem cerca de com o meio ambiente, aspectos da 13.000 índios. cultura indígena que vêm sendo Nesse espaço, são realizadas resgatados por pesquisadores da observações dos movimentos apa- universidade. rentes do Sol, diurno e anual, atra- vés da sombra de uma haste vertical (gnômon), para determinar o meio- dia solar, os pontos cardeais e as estações do ano, como faziam os indígenas que habitavam o Brasil. Rodovia Dourados Itahum, Km 12 Cidade Universitária Dourados, MS, CEP 79804-970 Tel. (67) 3902-2360 Fax (67) 3902-2364 www.uems.br psilva@uems.br Visitação diariamente • 8:00h às 12:00h e 14:00h às 18:00h Entrada franca 14 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  10. 10. Museu de História Natural O Museu de História Natural da O museu contribui diretamente Universidade Federal de Alagoas com alguns cursos da universidade, (UFAL) foi criado em 1990 como um oferecendo estágios por meio dos órgão suplementar da instituição programas de iniciação científica. de natureza técnico-cultural. O espaço conta com expo- Desde então, vem dando apoio sições permanentes que abrangemAlagoas científico e cultural às atividades os recursos naturais de Alagoas, a de ensino, pesquisa, extensão e flora, fauna, minerais e fósseis do cooperação técnica, no campo das estado. Possui, ainda, mostras itine- ciências naturais, aos estudantes, rantes de fósseis e de fotografias professores, pesquisadores, técni- da Caatinga. cos e à comunidade em geral. Fontes: www.abcmc.org.br/mhn www.ufal.edu.br/ufal Rua Aristeu de Andrade, 452, Farol Maceió, AL, CEP 57021-090 Tel. (82) 3221-2724 Fax (82) 3221-4172 Visitação segunda a sexta • 8:00h às 18:00h Entrada franca Associado à ABCMC 18 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  11. 11. Usina Ciência A Usina Ciência é um exemplo mental e Médio, Programa de Popu-de como instituições de ensino su- larização e Disseminação das Ciên-perior podem dar uma luz ao en- cias Naturais e Programa de Incen-sino de ciências nas escolas. Criado tivo à Experimentação em Ciências.em 1991, o centro tem sido um Nesses programas, são desenvol-importante canal de interlocução vidas várias ações visando à me- Alagoasentre a Universidade Federal de lhoria do ensino de ciências emAlagoas e a rede de ensino funda- Alagoas, tais como: empréstimosmental e médio do estado. de material didático (kits experi- Com uma infraestrutura básica mentais, fitas de vídeo, DVDs, li-– sala de exposições, núcleo de vros etc.), realização de shows deinformática, biblioteca, videoteca, química e de física, cursos de aper-laboratório de química e de física, feiçoamento de professores e ciclonúcleo de astronomia e salas de de palestras.aula –, recebe diariamente alunos Desde 1995, a Usina Ciênciae professores de todo o estado, é parceira do Centro de Estudosespecialmente da rede pública de Astronômicos de Alagoas na di-ensino. vulgação da astronomia. O centro Seus esforços estão concentra- vem ensinando os conceitos des-dos em atividades associadas a três sa área da ciência a todos os inte-programas principais: Programa de ressados, no estado e até mesmoAperfeiçoamento de Professores de fora de Alagoas.Ciências Naturais de Nível Funda- Rua Aristeu de Andrade, 452, Farol Maceió, AL, CEP 57021-090 Tel. (82) 3221-8488 Fax (82) 3326-4159 www.usinaciencia.ufal.br usina.ciencia@fapeal.br Visitação segunda a sexta 8:00h às 12:00h e 13:00h às 17:00h Entrada franca Associada à ABCMC Nordeste 19
  12. 12. Jardim Botânico de Salvador A presença de um espaço buídas três coleções – plantas na- etnobotânico, dedicado ao estudo tivas do culto afro-brasileiro, plan- e à exibição de espécies ligadas à tas tóxicas e jardim sensorial –, cultura afro-brasileira, é uma das que podem ser visitadas por meio características que conferem ao Jar- de duas trilhas. Ao percorrê-las, dim Botânico de Salvador uma sin- os visitantes entram em contatoBahia gularidade entre os jardins botâ- direto com a Mata Atlântica e nicos brasileiros. obtêm informações ambientais so- Inaugurado em 2002, tem co- bre a importância e a conservação mo objetivo estudar e preservar a desse bioma. flora baiana, sob os aspectos bo- Entre as principais atividades tânicos, históricos e culturais, pro- realizadas no Jardim Botânico de piciando meios para realização e Salvador, estão o levantamento das divulgação de pesquisas científicas características socioeconômicas e e sua aplicabilidade no cotidiano socioambientais das populações por meio da educação ambiental. do entorno e o levantamento e Em um total de 170.000 me- inventário da flora existente em tros quadrados, quase todo ocupa- sua área. do por Mata Atlântica, estão distri- Av. São Marcos, s/n, São Marcos Salvador, BA, CEP 41253-190 Tel./Fax (71) 3393-1266 www.jb.salvador.ba.gov.br/index.asp?pg=jb jardimbotanico@salvador.ba.gov.br Visitação diariamente • 8:00h às 17:00h Entrada franca 20 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  13. 13. Museu Antares de Ciência e Tecnologia No hall de entrada, uma répli- Entre as diversas atrações, es-ca do Meteorito de Bendegó – en- tão as palestras temáticas e as ati-contrado em 1784, por Bernardino vidades orientadas no planetário,da Motta Botelho, próximo à cida- nos laboratórios de física, química ede de Monte Santo, Bahia – dá biologia, nas exposições científicasas boas vindas aos visitantes do e itinerantes e nos telescópios. BahiaMuseu Antares. Em uma das exposições per- Projeto de ensino, pesquisa e manentes, o Espaço Natureza, osextensão universitária em desen- visitantes são apresentados a co-volvimento, desde 2007, no Ob- leções de ossos de répteis, anfí-servatório Astronômico Antares da bios, mamíferos, aves e peixes, queUniversidade Estadual de Feira de propiciam melhor compreensão daSantana (UEFS), o museu visa con- estrutura óssea desses animais.tribuir para melhoria, ampliação e O projeto inclui a construção devalorização do ensino de ciências um parque aeroespacial e de umae matemática nas escolas públicas série de experimentos temáticos ee privadas da Bahia. interativos de ciências. Rua da Barra, 925, Jardim Cruzeiro Feira de Santana, BA, CEP 44015-430 Tel./Fax (75) 3624-1921 www.uefs.br/antares museuantares@uefs.br Visitação segunda a sexta 8:00h às 12:00h e 14:00h às 18:00h Observações nos telescópios quarta a sexta • 19:00h às 21:00h Entrada paga (exceto instituições públicas) Nordeste 21
  14. 14. Museu de Arqueologia e Etnologia Um espaço tricentenário em O museu também organiza defesa da cultura, o Museu de Ar- exposições temporárias, promove queologia e Etnologia da Univer- ações educativas, oferece cursos à sidade Federal da Bahia (MAE/ comunidade e realiza pesquisas nas UFBA) está instalado no prédio áreas de arqueologia e etnologia. que abrigou, no século XVII, o Real Atendendo a demandas sociais Colégio dos Jesuítas.Bahia e empresariais, o museu realiza di- Tem um acervo composto por versos tipos de serviços e estudos seis coleções que ressaltam os ves- arqueológicos e antropológicos as- tígios da primeira escavação feita sociados a licenciamentos ambien- no estado, em 1959. Esse material tais para empresas, autarquias, pre- está distribuído em três exposições feituras, fundações, instituições de permanentes: de etnologia, com ensino e pesquisa. cerâmicas, cordões, tecidos, ador- nos, indumentárias, entre outros objetos; de arqueologia, composta de objetos utilitários, azulejos, te- lhas, cachimbos, urnas funerárias, Fontes: entre outros; de arte rupestre. www.ufba.br www.universia.com.br Terreiro de Jesus, s/n, Prédio da Faculdade de Medicina, Pelourinho Salvador, BA, CEP 40025-010 Tel. (71) 3283-5530 / 3283-5533 www.ufba.br/instituicoes/ufba/mae mae@ufba.br Visitação segunda a sexta • 9:00h às 18:00h sábados e domingos • 10:00h às 17:00h Entrada paga 22 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  15. 15. Museu de Ciência & Tecnologia da Bahia Um dos primeiros museus in- A proposta do museu é difun-terativos de ciência do Brasil come- dir o conhecimento nas áreas demora 30 anos de atividades, em ciência e tecnologia por meio de2009, com a inauguração de insta- atividades lúdicas, interativas elações e equipamentos. As novi- contextualizadas. Entre elas, des-dades incluem o auditório Profes- tacam-se as visitas monitoradassor Roberto Santos e um simulador à exposição permanente, mostras Bahiade terremoto. temporárias, sessões de filmes, Construído em uma área de peças teatrais, oficinas, debates,Mata Atlântica, o Museu de Ciên- palestras, bem como assessoria acia & Tecnologia da Bahia preser- feiras de ciência nas escolas.va parte de sua vegetação, fauna e Além disso, o museu, vinculadoespelhos d’água. Compondo o jar- à Universidade do Estado da Bahia,dim externo, a Praça da Descober- vem se consolidando como impor-ta abriga as maiores peças do mu- tante suporte ao ensino, à pesquisaseu. Já no espaço interno, a maior e à extensão da instituição, incitandoparte do acervo é distribuída em a curiosidade, promovendo o deba-salas de exposição e no hall central te e a democratização da informaçãodo Pavilhão de Ciências. entre a comunidade. Av. Jorge Amado, s/n, Imbuí Salvador, BA, CEP 41710-050 Tel./Fax (71) 3231-9368 www.museu.uneb.br mc&t@listas.uneb.br Visitação segunda a sexta • 8:00h às 11:30h e 14:00h às 17:30h Entrada franca Associado à ABCMC Nordeste 23
  16. 16. Museu Geológico da Bahia Uma visita ao Museu Geológi- A instituição oferece cursos de co da Bahia é um convite a conhe- gemologia, design de jóias, joalhe- cer melhor o estado, por meio de ria e lapidação; realiza exposições seus cristais, minerais e pedras pre- itinerantes em escolas e centros ciosas. São cerca de 2.000 peças culturais; faz análises, consultorias, selecionadas do rico acervo do mu- laudos, avaliação técnica e comer-Bahia seu e distribuídas em diversas ex- cial e confere pareceres e certifi- posições dentro do espaço. Nos sa- cação de gemas e jóias. lões principais, encontram-se mos- Inaugurado em 1975, o museu tras permanentes de rochas orna- busca difundir o conhecimento so- mentais e de fósseis. bre as geociências, divulgar infor- O museu conta, ainda, com mações sobre os recursos minerais um auditório de 125 lugares, com disponíveis e explorados no estado, projetor de vídeo e cinema de 16 desenvolver pesquisas e mostrar a e 35mm. Esse é o ponto de partida necessidade de preservar os mo- das visitas guiadas, que começam numentos geológicos da região. com uma breve apresentação, se- Por fim, visa apoiar a produção e guida de vídeo sobre o tema a ser comercialização de gemas no es- abordado – uma escolha feita em tado, oferecendo suporte aos pro- conjunto com a escola agendada. dutores, consumidores, comercian- tes e órgãos públicos. Av. Sete de Setembro, 2.195 Corredor da Vitória Salvador, BA, CEP 40080-002 Tel. (71) 3336-3498 / 3336-6922 Fax (71) 3336-6689 pesquisa@mgb.ba.gov.br atendimento@mgb.ba.gov.br Visitação terça a sexta • 13:30h às 18:00h sábados e domingos • 13:00h às 17:00h Entrada franca 24 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  17. 17. Universidade da Criança e do Adolescente O diálogo entre ciência e arte Além disso, realiza exposiçõesé o alicerce da proposta da Uni- itinerantes em diversos espaços pú-versidade da Criança e do Adoles- blicos, como shoppings de gran-cente (UNICA). Por meio da arte, de circulação, articuladas com ao visitante estabelece uma relação Semana Nacional de Ciência emais próxima e lúdica com o co- Tecnologia, democratizando o co-nhecimento científico. nhecimento científico e instigan- Bahia O espaço foi inaugurado em do nos visitantes o interesse pelanovembro de 2000. Desde então, descoberta.mantém uma exposição perma- Em 2007, teve início o projetonente, com cerca de 50 expe- de ampliação da UNICA, que vairimentos interativos que exploram abranger novas áreas do conheci-conceitos de física. mento, como matemática, corpo humano, meio ambiente, química e energias sustentáveis. Rua do Queimado, 17, Liberdade Salvador, BA, CEP 40325-260 Tel./Fax (71) 3319-9730 www.oaf.org.br unica@oaf.org.br Visitação segunda a sexta • 8:30h às 11:30h e 14:30h às 17:30h Entrada franca Associada à ABCMC Nordeste 25
  18. 18. Zoológico de Salvador Inaugurado em 1958, o Zoo- Sua área verde é de cerca lógico de Salvador é hoje um cen- de 250.000 metros quadrados, in- tro de referência e base de apoio cluindo remanescente secundário a pesquisas relacionadas à fauna e de Mata Atlântica. Esse cenário de à flora. Entre as principais atrações, grande beleza natural pode ser vis- estão 760 animais, incluindo 45 es- to pelo visitante nos 3.000 metros pécies de aves, 38 espécies de ma- de pista de passeio do parque.Bahia míferos e 25 espécies de répteis. No espaço, são realizadas ati- O zoológico é uma opção de vidades de preservação e repro- lazer e refúgio ecológico no centro dução das diferentes espécies ani- de Salvador, reservado para a ex- mais; ações de conservação e en- posição de animais silvestres, em riquecimento do fragmento de especial os ameaçados de extinção Mata Atlântica, de paisagismo, de e pertencentes à fauna brasileira. ambientação de recintos e, em es- pecial, de educação ambiental. Rua Alto de Ondina, s/n, Ondina Salvador, BA, CEP 40170-110 Tel. (71) 3116-7954 www.zoo.ba.gov.br Visitação terça a domingo e feriados 8:30h às 17:00h Entrada paga Associado à SZB 26 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  19. 19. Museu do Eclipse O Museu do Eclipse está situa- brasileira e estrangeira que estive-do no local em que foram feitas as ram na cidade e instrumentos uti-observações da expedição britâni- lizados pelos cientistas.ca durante o eclipse solar de 1919, Uma luneta que pertenceu afundamentais para a comprovação Henrique Morize – astrônomo queda Teoria Geral da Relatividade, de chefiou a comitiva brasileira de CearáAlbert Einstein. 1919 em Sobral e diretor do Obser- Criado em 1999, pela Prefeitu- vatório Nacional na época – tam-ra Municipal de Sobral, para a co- bém está no museu, além de jornaismemoração dos 80 anos do fenô- de novembro do mesmo ano, commeno, o museu é um espaço de os resultados das observações dodivulgação histórica e científica da eclipse comprovando a teoria deRegião Nordeste. Einstein. A exposição permanente incluipainéis contendo mapas e fotosde Sobral na época do eclipse, Fonte:dos integrantes das expedições www.sobral.ce.gov.br Praça Oswaldo Rangel (Praça do Patrocínio), s/n Sobral, CE Tel. (88) 3695-5205 Visitação terça a sexta • 8:00h às 11:00h e 14:00h às 17:00h sábados e domingos 8:00h às 12:00h Entrada paga Nordeste 27
  20. 20. Parque Botânico do Ceará A implementação do parque, tente. Todas as espécies florísticas em 1998, resultou de um conjunto estão catalogadas com placas de de esforços. O primeiro passo foi identificação. dado pelo governo estadual do As datas alusivas ao meio am- Ceará, que destinou uma área de biente, como a Semana da Árvore 190 hectares para o empreendi- e o Dia do Meio Ambiente, são co-Ceará mento. Seguiu-se, então, uma memoradas em parceria com esco- busca junto às empresas cearenses las públicas e particulares, através para a arrecadação dos recursos da realização de palestras, oficinas, necessários para suas instalações. exposição de trabalhos e outras A primeira parceria veio da uni- atividades. dade local da Petrobras. A partir Com o objetivo de mostrar fon- de então, seguiram-se várias ade- tes alternativas de energia, dispõe sões e o Parque Botânico foi se de uma célula fotovoltaica para constituindo com recursos de em- iluminação por meio de energia presas privadas, sem ônus para o solar de um dos auditórios e um governo estadual. catavento como demonstração de O parque dispõe de centro de energia eólica. Entre seus objeti- visitantes, salão de exposições, vos, estão: proteger a fauna e a flo- espaço para piquenique perto do ra locais, servir como amostra dos espelho d’água e trilhas internas ecossistemas cearenses, fomentar revestidas em pedra. Conta com a cultura ecológica entre estudan- um orquidário, um viveiro de plan- tes e professores e propiciar à po- tas medicinais e viveiros para pulação um local de lazer e recre- produção de mudas nativas e de ação de caráter cultural. outras espécies. O circuito de visi- tação começa com uma explana- ção sobre o parque e projeção de filmes educativos. Em seguida, é iniciada a caminhada nas trilhas pa- ra observação da vegetação exis- Rodovia CE 090, Km 3 Caucaia, CE, CEP 60120-001 Tel. (85) 3342-3060 / 3421-5916 / 3421-5923 www.sfiec.org.br/meioambiente/parque_botanico.asp parquebotanico@uol.com.br Visitação terça a domingo • 8:00h às 17:00h Entrada paga (exceto alunos de escolas públicas, idosos e colaboradores do Sistema FIEC) 28 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  21. 21. Planetário Rubens de Azevedo O Planetário Rubens de Aze- metro e capacidade para 86 poltro-vedo oferece diversão com inclu- nas e mais dois lugares para pes-são social. soas com necessidades especiais. Além de realizar sessões pú- Além das sessões, o espaço ofere-blicas sobre temas relacionados à ce cursos de astronomia e obser-astronomia para crianças e adultos, vações noturnas com telescópios. Cearáo planetário tem uma sessão espe- O planetário, inaugurado emcífica para surdos e realiza ativida- 1999, integra um dos maiores com-des com portadores de necessi- plexos culturais do Ceará, o Centrodades especiais. Dragão do Mar de Arte e Cultura, As sessões são realizadas em localizado na Praia de Iracema, emuma cúpula com 11 metros de diâ- Fortaleza. Rua Dragão do Mar, 81 Praia de Iracema Fortaleza, CE, CEP 60060-390 Tel. (85) 3488-8639 Fax (85) 3488-8599 www.dragaodomar.org.br/planetario planeta@dragaodomar.org.br Visitação escolas quarta a sexta • manhã e tarde público em geral sextas, sábados e domingos 17:00h, 18:30h e 20:00h Entrada paga Nordeste 29
  22. 22. Seara da Ciência Experimentação, pesquisa, in- O Salão de Exposição é o carro- teratividade, arte, cultura, conhe- chefe da Seara. Nesse espaço, o vi- cimento. Nas atividades desenvol- sitante entra em ação, participando vidas pela Seara da Ciência, alu- de experimentos interativos de nos e professores do ensino mé- química e física. Além disso, é con- dio entram em contato com a vidado a conhecer algumas dasCeará ciência por meio dos mais variados principais características da Caatin- recursos pedagógicos. O concei- ga e ouvir os pássaros típicos da to de interdisciplinaridade sai do região, em um ambiente todo es- papel para ser literalmente manu- pecial que mimetiza um dos maio- seado pelos visitantes, seja nas res biomas do Brasil. exposições, nos laboratórios, nos Conta, ainda, com laboratórios cursos, na orientação e preparação para o ensino de química, física e de trabalhos para feiras de ciência biologia em cursos básicos, ofere- ou nas apresentações de teatro e cidos a 250 alunos por semestre shows científicos. (80 horas/aula). Mantém um cur- Fundado em 1999, o espaço de so de férias intensivo para alunos divulgação científica e tecnológi- e professores do ensino médio ca da Universidade Federal do Cea- e um grupo de teatro científico, rá procura estimular a curiosidade que apresenta peças em eventos, pela ciência, cultura e tecnologia, escolas etc. Também possui um mostrando suas relações com o grupo de shows de ciências itine- cotidiano e promovendo a inter- rante que se apresenta a convite. disciplinaridade entre as diversas áreas do conhecimento. Rua Paulino Nogueira, 315, bl. 1, térreo, Benfica Fortaleza, CE, CEP 60020-270 Tel. (85) 3366-7375 / 3366-7376 Fax (85) 3366-7282 www.seara.ufc.br seara@seara.ufc.br Visitação segunda a sexta • 8:00h às 12:00h e 14:00h às 18:00h (com agendamento) Entrada franca Associada à ABCMC 30 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  23. 23. Laboratório de Divulgação Científica – Ilha da Ciência Cercada de ciência por todos Hoje, fazem parte das ativida-os lados, essa ilha está longe de des, além do Mirim de Física, pa-ser isolada. Com uma programação lestras de divulgação científica, or-de divulgação científica que extra- ganização de exposições científi-pola os limites do estado, realiza con- cas, orientação para exposições eferências e mostras científicas em feiras de ciências e cursos de for- Maranhãobairros, shopping centers, escolas, mação para professores.congressos e aldeias indígenas. A Ilha da Ciência confecciona Vinculada ao Departamento de seu próprio material didático eFísica da Universidade Federal do constrói experimentos sob enco-Maranhão (UFMA), nasceu de uma menda para outros centros e mu-iniciativa em âmbito nacional de seus de ciência do país. Seu es-divulgação da ciência. Teve como paço é constituído de salão paraprimeira atividade, em 1992, o Cur- exposição permanente, sala deso Mirim de Física, com o objetivo computação e auditório. Quandode difundir o conhecimento cien- solicitada, leva seus experimentostífico na comunidade local, popu- para desenvolver atividades nolarizando e desmistificando a ciên- interior do estado.cia e a tecnologia. Av. dos Portugueses, s/n, Campus Universitário do Bacanga Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Depto. de Física, s. 101, bl. 3 São Luís, MA, CEP 75080-580 Tel. (98) 2109-8290 / 2109-8222 Fax (98) 2109-8200 www.abcmc.org.br/ilhadaciencia oliva@ufma.br Visitação segunda a sexta • 8:00h às 22:00h sábados e domingos • com agendamento Entrada franca Associado à ABCMC Nordeste 31
  24. 24. Jardim Botânico de João Pessoa Benjamim Maranhão Um imenso coração verde no Sua composição fitológica é meio da cidade. Essa é a imagem formada por um complexo florís- para quem vê do alto o jardim tico, em que há participação de botânico da capital paraibana, co- elementos não só da Mata Atlân- nhecido como Mata do Buraqui- tica, como também espécies da nho. Localizado próximo ao centro flora amazônica e da Hiléia Baia-Paraíba da cidade, na formação geológica na. Representantes da fauna brasi- do Baixo Planalto Costeiro, é o leira também habitam o local, prin- maior remanescente contínuo de cipalmente aves e insetos. Entre os Mata Atlântica da Paraíba. É cor- mamíferos, destacam-se preguiças, tado pelo rio Jaguaribe, que, repre- saguis, cutias, raposas e morcegos. sado, forma o Açude do Buraqui- No grupo dos répteis, as cobras e os nho, responsável por parte do lagartos apresentam considerável abastecimento de água de João variedade. Pessoa. Possui um prédio administra- Seus esforços estão concen- tivo, um centro de visitantes, um trados na conservação da Mata salão de exposições e uma casa Atlântica do Nordeste. Coordena onde funcionam o laboratório de e conduz ações e programas de botânica, o núcleo de educação pesquisa e educação ambiental, ambiental e a biblioteca. Os visitan- desenvolve e mantém coleções tes podem usufruir do espaço por documentadas de plantas da Ma- meio de incursões guiadas pelas ta Atlântica e outros espécimes 12 trilhas existentes no local. botânicos apropriados à zona cli- mática da região. Av. Pedro II, s/n, Mata do Buraquinho, Torre João Pessoa, PB, CEP 58040-440 Tel. (83) 3218-7880 / 3218-7883 Fax (83) 3218-5585 www.sudema.pb.gov.br maquino_jb@yahoo.com.br Visitação segunda a sexta • 8:00h às 17:00h sábados • 8:00h às 12:00h Entrada franca 32 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  25. 25. Planetário da Fundação Espaço Cultural da Paraíba Pessoas de todas as idades e Além das projeções na cúpu-de todos os níveis de escolaridade la, o espaço oferece exposições,estão convidadas a realizar uma oficinas, palestras e cursos infanto-viagem espacial. O embarque é fei- juvenis de astronomia.to na cúpula de 130 lugares do Pla- Desenvolve, ainda, a Semananetário da Fundação Espaço Cultu- de Astronomia e programas para Paraíbaral da Paraíba (Funesc). estudantes dos níveis fundamental Inaugurado em 1982, o plane- e médio e o público em geral.tário tem como finalidade principala divulgação e popularização daastronomia e das ciências afins. Av. Abdias Gomes de Almeida, 800, Tambauzinho João Pessoa, PB, CEP 58042-100 Tel. (83) 3211-6263 Fax (83) 3211-6209 www.paraiba.pb.gov.br planetariopb2@ig.com.br Visitação terça a sexta • 8:00h às 18:00h sábados e domingos • 14:00h às 18:00h Entrada paga Associado à ABP Nordeste 33
  26. 26. Vale dos Dinossauros O Vale dos Dinossauros é As pegadas fossilizadas variam um dos mais importantes sítios de cinco centímetros – possivel- paleontológicos do mundo, com mente de dinossauros de tamanho cerca de 50 tipos de pegadas de semelhante ao das galinhas de animais pré-históricos, espalhadas hoje – até 40 centímetros de com- por toda a bacia sedimentar do primento – a exemplo das pega-Paraíba rio do Peixe, em uma extensão das de um iguanodonte de quatro de 700 quilômetros quadrados no toneladas, cinco metros de enver- alto sertão da Paraíba. gadura e três metros de altura. A Ali viveram estegossauros, a- maior parte das pegadas pertence lossauros, iguanodontes e inúmeras a dinossauros carnívoros. outras espécies de dinossauros, Uma das trilhas mais visitadas entre 250 e 65 milhões de anos a- pelos turistas e estudiosos que visi- trás. Eles desapareceram, mas seus tam o Vale dos Dinossauros está no rastros ficaram gravados no barro leito do rio do Peixe, na localidade de lagoas e na areia de rios em pe- denominada Passagem das Pedras, ríodos chuvosos. Na seca, as pega- no sítio Ilha, município de Sousa. das se solidificaram, resistiram às chuvas seguintes, ganharam novas camadas de areia e barro trazido pe- Fontes: las enchentes, e hoje, fossilizadas, www.valedosdinossauros.com.br contam a pré-história da região. http://acd.ufrj.br Alto Sertão Paraibano Sousa, PB (444km da capital) Acesso pela BR 230 Tel. (83) 3522-3055 / 3522-1724 9903-9814 (Secretaria de Turismo) www.valedosdinossauros.com.br Visitação diariamente • 7:00h às 16:00h Entrada franca 34 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  27. 27. Espaço Ciência – Museu Interativo de Ciência Um museu a céu aberto. Lo- Exposições e um Centro Educacio-calizado em uma área privilegiada nal equipado com laboratórios dede 120.000 metros quadrados, matemática, física, química, biolo-perto do mar e entre as cidades de gia e informática. Também possuiRecife e Olinda, em pleno mangue- dois observatórios astronômicos PERNAMBUCO Pernambucozal pernambucano, as principais localizados fora da sua sede – naatrações do Espaço Ciência são Torre Malakoff, no Recife Antigo, eoferecidas em área descoberta, em no Alto da Sé, em Olinda.contato com a natureza. Em uma concepção de edu- O espaço, que completou dez cação que vai além dos limites daanos em 2004, ganhou de aniver- sua sede, promove eventos, cur-sário a execução de um plano de sos, oficinas, feiras e encontros deexpansão de sua estrutura física. ciências em escolas, shopping cen-Está organizado em duas trilhas: ters, universidades, parques, hospi-a Ecológica e a da Descoberta. A tais e até nas ruas, atraindo grandeEcológica explora a beleza do público. A intenção é divulgar a pro-manguezal e os conceitos de meio dução científica nas escolas, capa-ambiente. citar professores e envolver comu- A Trilha da Descoberta é dividi- nidades, tratando de assuntos deda em cinco áreas temáticas: Água, interesse geral ou de temas atua-Movimento, Percepções, Terra e lizados em ciência, tecnologia eEspaço. Conta com um Pavilhão de meio ambiente. Complexo de Salgadinho Olinda, PE, CEP 53111-970 Tel. (81) 3301-6140 Fax (81) 3301-6141 www.espacociencia.pe.gov.br comunicacaoec@gmail.com Visitação segunda a sexta • 8:00h às 17:00h sábados e domingos • 13:30h às 17:00h Observatórios segunda a domingo • 16:00h às 20:00h Entrada paga Associado à ABCMC Nordeste 35
  28. 28. Jardim Botânico do Recife Um testemunho vivo da bio- tem plantas de diversas texturas e diversidade da Mata Atlântica, o aromas com placas de identificação Jardim Botânico do Recife foi cria- em braille. do, em 1960, a partir da reformu- Possui, ainda, um orquidário lação do Parque Zoobotânico do para visitação, produção e permutaPernambuco Curado, que fazia parte do antigo de orquídeas e um meliponário de Instituto de Pesquisa Agropecuária abelhas nativas. No viveiro, são do Nordeste. Desde 1979, é admi- produzidas mudas de essências nistrado pela prefeitura da cidade. florestais, principalmente nativas, Sua mata constitui parte de um para emprego na recuperação de “corredor” florestal de Unidades de áreas degradadas e arborização da Conservação Municipais. Desen- cidade. volve atividades em educação am- A instituição cumpre papel im- biental, como caminhadas ecoló- portante para o banco de germos- gicas, exposição permanente sobre plasma de mata atlântica da re- a Mata Atlântica, exibição de ví- gião. As realizações nas áreas de deos com temas ambientais e visi- pesquisa científica, conservação tas aos viveiros de plantas medi- e educação ambiental possibilita- cinais e florestais. ram a admissão do jardim na Rede O jardim botânico conta com Brasileira de Jardins Botânicos e, um jardim sensorial, voltado a pes- por intermédio dessa, na Botanic soas com necessidades especiais, Gardens Conservation International. que percebem o mundo de uma forma diferente, utilizando os ou- tros sentidos. Nesse jardim, exis- BR 232, Km 7, Curado Recife, PE, CEP 50000-230 Tel. (81) 3232-2529 www.recife.pe.gov.br/meioambiente/jb_apresentacao.php dirmam_rec@hotmail.com Visitação terça a sexta • 8:30h às 15:30h Entrada franca 36 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  29. 29. Parque Estadual Dois Irmãos Um parque, um zoológico e um Na área do parque, foi fundado,horto florestal formam o complexo em 1916, o Horto Florestal de Doisdo Parque Estadual Dois Irmãos, Irmãos, nas terras que pertenciamque ocupa uma área total de 387,4 ao Engenho Dois Irmãos, de Antô-hectares da cidade do Recife, em nio e Tomás Lins Caldas, um dos PernambucoPernambuco. primeiros fundados no Brasil, em Uma visita ao parque é um 1577.convite para conhecer melhor o Em 1939, foi criado o Jardimecossistema da região, com suas Zoobotânico de Dois Irmãos, pas-plantas e seus animais nativos, co- sando a se chamar Parque Doismo preguiças, saguis, quatis e uma Irmãos, em 1997. O parque se des-enorme variedade de pássaros. Ao taca, hoje, por suas atividades nastodo, são cerca de 850 animais, áreas de educação ambiental e re-entre aves, répteis e mamíferos de produção de animais em cativeiro.mais de 120 espécies. Praça Farias Neves, s/n, Dois Irmãos Recife, PE, CEP 52171-011 Tel. (81) 3301-6518 Fax (81) 3441-7696 www2.parquedoisirmaos.pe.gov.br/web/parque Visitação diariamente • 8:00h às 16:00h Entrada paga (exceto escolas públicas estaduais) Associado à SZB Nordeste 37
  30. 30. Fundação Museu do Homem Americano Um encontro emocionante e o percurso, o visitante conhece a imperdível com a pré-história. O história da escavação do Boquei- patrimônio arqueológico do Par- rão da Pedra Furada, sítio arqueo- que Nacional Serra da Capivara, lógico mais antigo das Américas. gerido pela fundação, é constituí- No mezanino, estão expostas pe- do por cerca de 700 sítios de pin- ças pré-históricas, urnas funerárias turas rupestres pré-históricas, com e esqueletos. Nas últimas salas, sãoPiauí até 12.000 anos, gravadas em pare- apresentados os ossos, as ima- dões de rocha. As pinturas repre- gens desenhadas e a descrição sentam aspectos do dia a dia, ritos da megafauna que viveu na re- e cerimônias dos antigos habitantes gião. A exposição se encerra com da região, além de figuras de ani- a biodiversidade atual. mais, alguns já extintos. Além de preservar o parque, a Declarado Patrimônio Mundial fundação, criada em 1998, desen- pela UNESCO, o parque foi criado, volve pesquisa sobre a interação em 1979, com a finalidade de pre- dos grupos humanos e o ambien- servar esse patrimônio arqueológico, te, desde a pré-história aos dias parcialmente aberto à visitação. atuais, e carrega a missão de sen- A exposição permanente se sibilizar a população para a pre- inicia com uma visão da evolução servação da região. Para isso, dos hominídeos, uma apresentação promove palestras, encontros e das teorias de povoamento das seminários. Américas, seguida da vida do ho- mem na região durante o Pleisto- ceno e no Holoceno. Continuando Centro Cultural Sérgio Motta, Campestre São Raimundo Nonato, PI, CEP 64770-000 Tel./Fax (89) 3582-1612 www.fumdham.org.br umdham@terra.com.br Visitação terça a domingo • 9:00h às 17:00h Entrada paga 38 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  31. 31. Museu Câmara Cascudo O Museu Câmara Cascudo tem Em 1969, instalou-se na sede defi-por missão a conservação, inves- nitiva, ocupando uma parte do ter-tigação, exposição e divulgação reno da Sociedade de Assistênciado patrimônio histórico, natural e aos Filhos de Lázaros, no bairro do Rio Grande do Nortecultural do Rio Grande do Norte Tirol.sob sua guarda. O museu presta serviços cien- Vinculado à Universidade Fe- tífico-culturais à comunidade localderal do Rio Grande do Norte, foi e aos visitantes de outras locali-fundado em 1961, como Instituto dades, por meio de suas atividadesde Antropologia, por iniciativa do de ensino, pesquisa e extensão,então reitor Onofre Lopes e dos bem como do atendimento aoprofessores Luís da Câmara Cascu- público em suas exposições. Seudo, José Nunes Cabral de Carvalho, acervo é formado principalmenteNivaldo Monte e Veríssimo de Melo. por coleções arqueológicas, geo- A ideia inicial era formar, na lógicas e paleontológicas e serveuniversidade, um grupo de trabalho de suporte ao desenvolvimentointeressado no estudo de algumas e atualização das atividades cien-áreas ainda pouco exploradas no tíficas e pedagógicas do estado.estado, como a paleontologia, ageologia do quaternário, a antro- Fonte:pologia cultural e a arqueologia. www.mcc.ufrn.br Avenida Hermes da Fonseca, 1.398, Tirol Natal, RN, CEP 59015-001 Tel. (84) 3222-0923 / 3215.2537 www.mcc.ufrn.br museucc@mcc.ufrn.br Visitação terça a sexta • 8:00h às 11:30h e 14:00h às 17:30h sábados e domingos • 13:00h às 17:00h Entrada paga (exceto estudantes e professores de escolas públicas) Nordeste 39
  32. 32. Museu de Paleontologia Vingt-Un Rosado O Museu de Paleontologia da Desde então, muitos pesqui- Escola Superior de Agricultura de sadores brasileiros e estrangeiros Mossoró (ESAM) foi criado com o vieram a se interessar pelo estudo objetivo de expor as coleções de dos fósseis do estado.Rio Grande do Norte fósseis existentes nessa escola, O Museu de Paleontologia fruto de alguns anos de trabalho Vingt-Un Rosado ocupa, atualmen- de campo realizado pelo setor de te, o pavimento superior do Edifí- geologia. cio Ezequias Pegado Cortez, no Esses trabalhos foram viabili- campus da ESAM, e conta com cin- zados por iniciativa de Vingt-Un co salas, que ocupam uma área de Rosado, grande incentivador da 136 metros quadrados. Três dessas paleontologia no Rio Grande do salas são destinadas a exposições Norte. Em 1961, devido a seu em- e duas, a atividades de preparação penho, foi realizado o II Congres- de fósseis e pesquisa. so Brasileiro de Paleontologia, em Mossoró, ocasião em que foram fir- Fonte: madas as diretrizes da Sociedade http://acd.ufrj.br Brasileira de Paleontologia. Escola Superior de Agricultura de Mossoró Av. Francisco Mota, ed. Ezequias Pegado Cortez (Admin. Central) Mossoró, RN, CEP 59625-300 Tel. (84) 3315-1734 Visitação com agendamento Entrada franca 40 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  33. 33. Planetário de Parnamirim O Planetário de Parnamirim As visitas guiadas ao planetá-deu o pontapé inicial às suas ativi- rio são orientadas por um profes-dades em janeiro de 2009. Vin- sor astrônomo, que dá uma ver-culado à Prefeitura Municipal de dadeira aula de astronomia nas Rio Grande do NorteParnamirim, o espaço está prepara- sessões escolares e sessões espe-do para receber estudantes, profes- ciais – voltadas para pessoas comsores, turistas e público em geral. necessidades especiais. A institui- Realiza sob sua cúpula sessões ção também oferece programa deescolares, especiais e públicas e capacitação de mediadores.oferece cursos de astronomia pa-ra jovens, professores e o grandepúblico, no intuito de enriquecer oconhecimento científico e cultural,por meio de pesquisa, música, ci-nema e literatura. Av. Castor Vieira Régis, s/n, Cohabinal Parnamirim, RN, CEP 59140-840 Tel. (84) 3643-3931 nenaparnamirim@hotmail.com Visitação terça a sexta • 8:00h às 12:00h e 14:00h às 18:00h sábados • 15:30h às 17:00h Entrada paga (exceto escolas municipais e estaduais) Nordeste 41
  34. 34. Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju Integrante da mais nova ge- O outro é a Experimentoteca, ração de centros de ciência do que abriga um complexo de varia- Brasil, a Casa de Ciência e Tecnolo- dos experimentos interativos que gia da Cidade de Aracaju (CCTECA) abordam conceitos de diversas á- foi criada, em 2009, com o objetivo reas do conhecimento, entre elas de divulgar a ciência ao grande pú- a física e a matemática. Esse espa-Sergipe blico do estado de Sergipe. ço conta, ainda, com uma sala de Possui uma área total de 558 informática com dez computadores. metros quadrados, distribuídos em A CCTECA desenvolve ativida- dois espaços principais. Um deles des de educação científica voltadas é o planetário, com 31 lugares e ao grande público com o uso de projetor digital, onde os visitan- experimentos interativos e didáti- tes são apresentados aos conheci- cos, além de oferecer sessões diá- mentos e aos encantos do céu. rias em seu planetário. Av. Oviedo Teixeira, s/n, Jardins Aracaju, SE, CEP 49026-100 Tel./Fax (79) 3217-3370 ccteca.planetario@yahoo.com.br Visitação terça a sexta • 9:00h às 17:00h sábados e domingos • 14:00h às 17:00h Entrada franca 42 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  35. 35. Museu de Arqueologia de Xingó O Museu Arqueológico de Xin- A unidade museológica é com-gó (MAX) foi criado para estudar, posta, ainda, por um auditório, on-preservar e divulgar o conhecimen- de são exibidos vídeos e exposi-to sobre a pré-história do homem ções audiovisuais relacionados aosbrasileiro, especialmente daqueles temas tratados no museu, e umaque viveram na região do baixo São área para exposições temporárias SergipeFrancisco, muito antes da chegada sobre assuntos diversos.dos portugueses ao Brasil. Já a unidade de pesquisa de- O museu tem duas áreas prin- senvolve estudos arqueológicoscipais: a unidade museológica e a em várias linhas: “O São Francisco eunidade de pesquisa. Na primeira, seu povoamento pré-histórico”, “Auma exposição permanente conta, representação gráfica em Xingó”,de forma didática, um pouco sobre “Os sítios arqueológicos”, “Os ani-a cultura e os hábitos dos povos mais pré-históricos da região depré-históricos da região. Essa uni- Xingó”, entre outras. Os resultadosdade encontra-se dividida por as- dessas pesquisas constituem os in-sunto: arte rupestre (pinturas e gra- gredientes principais do que é ex-vações na pedra), material lítico posto no museu.(em pedra), material cerâmico ematerial malacológico (conchas e Fonte:ossos). www.max.org.br Rodovia Canindé, Piranhas, Trevo da UHE, Xingó Canindé do São Francisco, SE, CEP 43200-000 Tel. (79) 2105-6448 Fax (79) 2105-6453 www.max.org.br max@ufs.br Visitação quarta a domingo • 9:00h às 16:30h Entrada paga Nordeste 43
  36. 36. Centro de Pesquisas Museológicas Museu Sacaca Vinte mil metros quadrados de dos castanheiros, o monumento exposição a céu aberto e ambientes marabaixo, a casa da farinha, a casa diversos dão ao visitante do Mu- dos Waiãpi, a praça das etnias e a seu Sacaca a oportunidade de vi- praça do Sacaca, onde é possível venciar as diferentes realidades se deliciar com a comida e os sor- das comunidades tradicionais da vetes de frutas da região. Amazônia. Conta, ainda, com outras atra- Inaugurado em 2002, o museu ções, como a maloca multiuso, on- é também um espaço de divulgação de acontecem as sessões de cúpu- dos trabalhos realizados pelo Ins- la do planetário móvel Maywaka tituto de Pesquisas Científicas e Tec- e as apresentações do grupo cul- nológicas do Estado do Amapá. tural; a casa Aracy Mont’Alverne, Todas as ações que promove – pes- destinada à leitura e à pesquisa; a quisa, preservação e divulgação – casa das exposições, destinada a buscam a interação entre o saber mostras de curta e longa duração; e científico e o saber popular dos po- a casa da criação. Os projetos EntreiAmapá vos amazônicos. na Roda e Conhecendo o Museu e Entre os espaços de visitação, os ciclos de palestras ministradas destacam-se o sítio arqueológico por professores do instituto tam- Maracá, a casa do ribeirinho, a casa bém fazem parte das atividades. Av. Feliciano Coelho, 1.509, Trem Macapá, AP, CEP 68900-260 Tel. (96) 3212-5361 Fax (96) 3212-5362 www.iepa.ap.gov.br nubia.almeida@iepa.ap.gov.br Visitação terça a domingo • 9:00h às 18:00h Entrada franca Associado à ABCMC 48 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  37. 37. Bosque da Ciência Inaugurado, em 1995, como de lazer com caráter sóciocientífi-parte das comemorações do 40º co e cultural, propiciando aos visi-aniversário do Instituto Nacional de tantes interesse pelo meio ambien-Pesquisas da Amazônia (INPA), o te, além de atrativos turísticos eBosque da Ciência tornou realidade entretenimento – entre eles, tan-um antigo sonho do instituto: abrir que de peixe-boi, viveiro de arira-suas portas ao público. nhas e jacarés. O bosque foi projetado para fo- Com uma área de, aproxima-mentar e promover o desenvol- damente, 13 hectares, o bosquevimento do programa de Difusão possui trilhas educativas que dãoCientífica e de Educação Ambien- acesso às atrações do espaço etal do INPA, ao mesmo tempo pre- oferecem informações em relaçãoservando os aspectos da biodiver- à fauna, à flora e aos ecossistemassidade existente no local. amazônicos ali presentes. Um de seus objetivos é ofere- Amazonascer à população uma nova opção Fonte: http://bosque.inpa.gov.br Av. André Araújo, 2.936, Petrópolis Manaus, AM, CEP 69083-000 Tel. (92) 3643-3192 Fax (92) 3643-3192 http://bosque.inpa.gov.br/principal.htm bosque@inpa.gov.br Visitação terça a sexta • 9:00h às 12:00h e 14:00h às 17:00h sábados, domingos e feriados 9:00h às 16:00h Entrada paga (exceto grupos escolares com agendamento) Associado à ABCMC Norte 49
  38. 38. Zoo Tropical Manaus Um zoológico no meio da flo- Além de apresentar a fauna a- resta, o Zoo Tropical Manaus res- mazônica aos hóspedes do hotel e gata os animais que, por diferentes à comunidade local, o zoológico motivos, não podem retornar aos desenvolve um programa de edu- seus habitats naturais na selva. cação ambiental, visando à cons- Inaugurado em 1976, o zoo- cientização dos visitantes quanto lógico pertence ao Tropical Hotel à necessidade de conservação da Manaus, que construiu, em uma á- fauna local. rea de 22.000 metros quadrados, O espaço guarda algumas es- 15 recintos para abrigar os animais pécies em perigo de extinção, co- em exposição. O espaço conta, ain- mo a onça-pintada, a jaguatirica, o da, com uma área conhecida co- macaco-aranha-da-barriga-branca mo Praça das Águas, onde se en- e o mutum-cavalo. contram os répteis do zoológico.Amazonas Av. Coronel Teixeira, 1.320, Ponta Negra Manaus, AM, CEP 69037-000 Tel. (92) 2123-5246 Fax (92) 3658-3034 www.tropicalhotel.com.br dcampista@osite.com.br Visitação diariamente • 8:00h às 17:00h Entrada franca Associado à SZB 50 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  39. 39. Bosque Rodrigues Alves Com 150.000 metros quadra- pécies silvestres, especialmente asdos de extensão, o Bosque Rodri- que estão ameaçadas. O bosquegues Alves é uma importante possui, ainda, milhares de espé-reserva natural de espécies vege- cies cultiváveis de importância eco-tais da floresta de terra firme do nômica e seus correspondentes sil-estuário amazônico. É formado por vestres, como plantas frutíferas euma floresta primária de terra medicinais.firme preservada desde o final A fauna é constituída por es-do século XIX, representativa da pécies brasileiras, também encon-flora regional. A grande maioria tradas na região amazônica, abran-da vegetação é oriunda de mata gendo animais em liberdade, ca-virgem antiga e há, também, algu- tiveiro e semicativeiro. Entre as es-mas plantas exóticas, que foram pécies da fauna livre, estão aves,introduzidas posteriormente. mamíferos, répteis, anfíbios, inse- Entre as coleções, estão mais tos e moluscos.de 80.000 espécies de plantas A instituição desenvolve, por Parávasculares, principalmente orquí- meio de seus técnicos, pesquisasdeas, cactos e outras suculentas, em diversas linhas.palmeiras, bulbosas, coníferas e ár-vores de regiões temperadas e es- Av. Almirante Barroso, 2.453, Bairro do Marco Belém, PA, CEP 66093-020 Tel. (91) 3241-6332 / 3241-6169 Fax (91) 3242-0096 www.belem.pa.gov.br/semma/bosque gab.semma@cinbesa.com.br Visitação terça a domingo e feriados 8:00h às 17:00h Entrada paga Norte 51
  40. 40. Museu Paraense Emílio Goeldi O século XIX foi o auge das ciências da informação e oferece expedições de naturalistas à Ama- serviços educativos, para distintos zônia. Foi nesse contexto que inte- públicos, que abordam temas de lectuais interessados no estudo da ciência e cultura. natureza e da cultura amazônica O museu recebe, além da po- criaram, em 1866, em Belém, a As- pulação local, turistas e pesqui- sociação Philomatica, a primeira se- sadores de todo o país e do mundo. mente do Museu Paraense Emílio O grande atrativo é dar um passeio Goeldi. no amplo parque zoobotânico. É Atualmente, é um dos maiores nesse espaço que são realizadas museus brasileiros, com cerca de exposições de longa duração – 4,5 milhões de objetos tombados, que ficam em cartaz de dois a qua- reunidos em 17 grandes coleções. tro anos – e temporárias, além de Entre as diversas atividades que diversas mostras itinerantes ou realiza, destacam-se a pesquisa vinculadas a eventos científicos e científica, a pós-graduação e a con- de divulgação. Também possui umPará servação de acervos. campus de Pesquisa, em Belém, e Além disso, desenvolve proje- uma Estação Científica, na Floresta tos e estudos nas áreas de comu- Nacional de Caxiuanã. nicação, educação, museologia e Av. Magalhães Barata, 376, São Brás Belém, PA, CEP 66040-170 Tel./Fax (91) 3249-6373 www.museu-goeldi.br centrodevisitantes@museu-goeldi.br Visitação terça a domingo • 9:00h às 17:00h Entrada paga Associado à ABCMC 52 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009
  41. 41. Parque de Ciências Um museu interativo de ciência sensibilizar a população para o usoque pudesse contribuir, por meio correto da água potável.de diversas ações, para a melhoria Já o Incentivo à Iniciação Cien-do ensino de ciência e da qualidade tífica é destinado aos alunos quede vida das comunidades locais. voluntariamente integram o grupoFoi dessa demanda que nasceu, de guardiões do meio ambiente,em 1995, o Parque de Ciências, no qual recebem reforço de conhe-localizado em um espaço natural cimento em diversos assuntos vol-de 2,5 hectares de área verde, na tados à ciência.Vila dos Cabanos. O parque também oferece cur- As atividades desenvolvidas sos de astronomia e para formaçãosão variadas e atingem um públi- de monitores em centros e museusco amplo e diversificado. Na Aula de ciência; realiza exposições, pa-Passeio, professores e alunos do lestras em escolas e atividades cien-ensino fundamental e médio par- tíficas em praças públicas. Entre asticipam de atividades lúdicas, em atividades culturais, destaca-se a Paráque são trabalhados conteúdos apresentação de grupos e orques-extraclasse previamente elabora- tra de câmara.dos. O Movimento de Cidadaniapelas Águas é um passeio ciclís-tico, cujo objetivo é esclarecer e Av. Dom Romualdo Coelho, q. 372 Vila dos Cabanos Barcarena, PA, CEP 66447-000 Tel./Fax (91) 3252-3478 ciparque@yahoo.com.br Visitação terças, quintas, sábados e domingos 9:30h às 16:30h Entrada paga Associado à ABCMC Norte 53
  42. 42. ESPÍRITO SANTO
  43. 43. Escola da Ciência Biologia e História Democratizar a ciência e per- espaço, o visitante pode conhecer mitir, de forma lúdica e interativa, as características do relevo de o acesso da população aos conhe- Vitória, os sítios arqueológicos, as cimentos sobre os ecossistemas e áreas de aterro, as áreas verdes e o patrimônio histórico do Espírito miniaturas de prédios históricos, Santo. Com essa proposta, a Secre- que estão expostas em uma ma- taria Municipal de Educação con- quete. Artefatos arqueológicos, co- cebeu a Escola da Ciência – Biolo- mo lança, machadinha e outros gia e História, que funciona no Sam- instrumentos cortantes, compõem bão do Povo. o Espaço da Pré-História, que des- No primeiro andar do prédio, taca esse período da história de são representados, por meio de Vitória. uma exposição viva, três ecossis- Um dos objetivos principais da temas aquáticos do Espírito Santo. escola é estimular a consciência e São cinco aquários: dois de água as ações de preservação ambiental. salgada, dois de água doce e um Para isso, foi montado o Espaço da de manguezal, com simulação de Educação Ambiental, que, por meio maré. Nesse mesmo local, são re- de atividades diversas, envolve o criados ambientes de fauna e flora público de forma interativa. da Mata Atlântica e da Restinga, apresentando, inclusive, algumas espécies ameaçadas de extinção, como, por exemplo, a jaguatirica e o jacaré-de-papo-amarelo.Espírito Santo No segundo andar, a área está reservada aos aspectos históricos de Vitória e do Espírito Santo. Nesse Av. Dário Lourenço de Souza, 790 Sambão do Povo, Mário Cypreste Vitória, ES, CEP 29026-080 Tel. (27) 3332-1612 Fax (27) 3381-6994 www.vitoria.es.gov.br/ecbh ecbh@vitoria.es.gov.br Visitação terça a sábado • 8:00h às 12:00h e 14:00h às 18:00h domingos e feriados 14:00h às 18:00h Entrada franca Associada à ABCMC 58 CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA DO BRASIL 2009

×