A web 2.0 e a educação

328 visualizações

Publicada em

Powerpoint sobre a possibilidade da aplicação dos recursos da Web 2.0 na Educação Cidadã.

Publicada em: Educação, Tecnologia, Turismo
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

A web 2.0 e a educação

  1. 1. A WEB 2.0 e Educação:possibilidades e aplicações. PIGEAD – UFF AVMC 01 -2011 Silvia Monteiro
  2. 2. Para começar...A Web 2.0 não pode ser considerada apenasque tecnologia, é, antes de tudo, uma questãode atitude.Atitude é aqui entendida como realizar algoinovador e não repetir o que já foi feito.Tudo isso voltado para o usuário,ou melhor,para facilitar a vida daqueles que farão uso dassuas ferramentas.
  3. 3. E como tudo isso pode estar a serviço da Educação?
  4. 4. Para que a mesma dê conta dos objetivospropostos as estratégias utilizadas devemestar a serviço dos usuários.Devem ser simples, de fácil acesso eproporcionar momentos de prazer aosseus usuários conduzindo-o peloscaminhos que levem ao conhecimento.Para tanto devemos elaborar algumasestratégias educacionais que colaborempara que esse percurso seja o maisagradável possível.
  5. 5. As estratégiascotidianas são inerentes aos seres humanos e ...
  6. 6. ... a Web 2.o não pode estar para aEducação como a caixa preta está para o avião.
  7. 7. Aliás.....Alguém sabe porque a caixa preta é laranja?????
  8. 8. Para poder ser encontrada, ser vista.... E... Tentando traçar um paralelo com o nosso tema....
  9. 9. Para que tantos recursos se nãosoubermos aplicá-los a favor dademocratização dosconhecimentos????
  10. 10. Redefinindo nossos papéis....
  11. 11. CRIATIVIDADE....INOVAÇÃO..... Póvoa (2007) oferece uma síntese dos principais padrões que são considerados como parte do grupo de tendências desta segunda geração Web, a saber:
  12. 12. A Web como plataforma:A Web foi criada para exibir documentos enão aplicações.Entretanto, na Web 2.0 os sites deixam depossuir uma característica estática para setornarem verdadeiros aplicativos,funcionando como os softwares querodam no computador.
  13. 13. Simplicidade: Estes “sites aplicativos” visam uma integração mais eficiente com o usuário, com interfaces mais intuitivas. Acessar e utilizar deve ser um prazer enão uma tortura de cliques infinitos.
  14. 14. Redes sociais:Recentemente, houve uma explosão daaudiência em sites que formam ecatalisam comunidades, tais como o Orkute o Facebook, dentre outros, ampliando osespaços de comunicação e trocas deexperiências.
  15. 15. Flexibilidade no conteúdo:Esta característica ressalta a autonomia dousuário, que passa a gerar conteúdo (porexemplo, o YouTube), classificá-lo e editá-lo.As “Wikis” são talvez a forma maisexpressiva de edição colaborativa .
  16. 16. Tentando concluir.... As possibilidades que a web 2.0 nosoferece são infinitas, mas...
  17. 17. Precisamos estar atentos a todo o potencial que podemos extrair desse imenso “leque” de possibilidades que se abre para nós, PROFESSORES.... que por si só.... ...já não dão mais conta ...VER OUVIR FALAR
  18. 18. Precisamos criar o “elo” necessário para que as ferramentasdisponibilizadas na Web 2.0 não sejam apenas....
  19. 19. ferramentas!
  20. 20. Estas ferramentas devem ,sim,transformarem-se em instrumentos afavor da educação de qualidade,proporcionando as maisinteressantes experiênciaseducativas aos nossos alunos e a nóspróprios, professores.
  21. 21. Desse modo concordamos com Boaventurade Souza Santos (2005) de que : “Estamos numa fase de transição. Duvidamos suficientemente do passadopara imaginarmos o futuro, mas vivemos demasiadamente o presente para podermos realizar nele o futuro. Sabemo-nos a caminho mas não exatamente onde estamos na jornada.”
  22. 22. Mas de uma coisa podemos ter certeza.... Pensamos....existimos... e...
  23. 23. ...nada será como antes.... WEB 2.0
  24. 24. ...pois......A educação que apenas reproduz oconhecimento já descoberto é pobre....É necessário incentivar a criação dopróprio conhecimento....É necessário que saibamos “oquê”,”por que” e “para quem” estamosproduzindo o conhecimento e quetenhamos clareza de propósitos.
  25. 25. Desse modo, nos remetemos a Morin(2004):“... a educação deve contribuir para a auto formação da pessoa(ensinar a assumir a condição humana, ensinar a viver) e ensinar como se tornar cidadão. Um cidadão é definido, em sua democracia, por sua solidariedade e responsabilidade em relação a sua pátria , o que supõe nele um enraizamento de identidade nacional.” (2004, p. 65)
  26. 26. Como professores devemos estarcomprometidos com uma escola dequalidade para todos, sem distinção,além de nos assumirmos tambémcomo sujeitos de formação e(in)formação, que sem a devidamediação não chegará a setransformar em CONHECIMENTO.E é exatamente isso que esperamosque toda a tecnologia disponibilizadana Web nos proporcione:
  27. 27. CONHECIMENTO...Para que possamos ter um
  28. 28. Um futuro melhor, bem melhor.... Que forme cidadãos plenos deconhecimentos e valores necessários avida em sociedade, que contribua para formação de ...Pessoas felizes!
  29. 29. Referências:Costa, Rosa Maria E. M. Marins, Vânia.Aula 2 - Interfaces – AmbientesVirtuais e Mídias de Comunicação,Pigead /UFF, 2011.Morin.Edgar. Cabeça Bem - Feita :repensar a reforma ,reformar opensamento. RJ, .Bertrandl,2004.Póvoa, M. (2007) O que é web 2.0 ?Webinsider, Disponível emhttp://webinsider.uol.com.br/2006/10/30/o-que-e-web-20, visitado em maio 2011.
  30. 30. Pozo.J.I. Aprendizes e mestres: a novacultura da aprendizagem. PortoAlegre.Artmed, 2002.Santos. Boaventura Souza . Pela mão deAlice: O social e o político na pós –modernidade. S P. Cortez,2005.

×