CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 1
Olá al...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 2
O mate...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 3
Outra ...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 4
Dica: ...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 5
técnic...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 6
evidên...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 7
Inicia...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 8
rudime...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 9
determ...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 10
CRÍTI...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 11
admin...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 12
(Figu...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 13
conse...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 14
(Figu...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 15
mais,...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 16
O gra...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 17
Teori...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 18
despe...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 19
TEORI...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 20
(Figu...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 21
mais ...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 22
CRÍTI...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 23
7. Co...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 24
( ) p...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 25
operá...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 26
7. De...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 27
b) ao...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 28
a) as...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 29
a res...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 30
e) El...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 31
pois ...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 32
um cl...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 33
(B) o...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 34
Próxi...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 35
20. F...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 1
Olá al...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 2
o nome...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 3
organi...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 4
(Tabel...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 5
proced...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 6
3 – Re...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 7
Ausênc...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 8
organi...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 9
A Teor...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 10
o “ho...
CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP
PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO
www.pontodosconcursos.com.br 11
Algum...
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Administracao icms
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Administracao icms

569 visualizações

Publicada em

Administracao icms

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
569
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Administracao icms

  1. 1. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 1 Olá alunos! Em primeiro lugar, quero dizer que é um prazer tê-los conosco nesses encontros onde estaremos falando sobre a administração geral e pública, formatado especialmente para o concurso de Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo (ICMS/SP), cuja banca examinadora será a Fundação Carlos Chagas. Meu nome é José Carlos Oliveira de Carvalho. Sou mestre em Ciências Contábeis pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ (área de concentração: Auditoria) e Doutorando em Administração pela Fundação Getúlio Vargas - FGV. Especialista em Docência Superior pela FABES, graduei-me em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Atualmente, sou auditor-geral e diretor do Departamento de Fraudes Contábeis do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, cedido pelo Tribunal de Contas do Rio de Janeiro, onde sou auditor (concursado). Já ocupei os cargos de auditor-fiscal (concursado), de oficial do exército e de técnico em contabilidade (concursado) na Prefeitura do Rio de Janeiro. Leciono na Fundação Getúlio Vargas - FGV, no Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro – CRCRJ e em diversos cursos preparatórios para concursos no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Amazonas, São Paulo e Brasília. Também sou auditor independente e consultor de empresas no Rio de Janeiro e no Espírito Santo. Nosso curso terá, além desta aula, mais cinco aulas, onde abordaremos de maneira simplificada e direta o conteúdo programático constante do edital e, ainda, incluiremos questões de concursos anteriores relativas aos temas apresentados com o respectivo gabarito. A formatação foi preparada para que você se sinta apto e estimulado a compreender e aproveitar da maneira adequada tudo o que lhe for apresentado, sentindo-se confiante a fazer uma boa prova sem nervosismos. É importante que você não sinta vergonha em expor suas dúvidas no nosso “fórum de debates”, uma vez que a dúvida de hoje pode aparecer em forma de questão no dia da prova! Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, os professores gostam muito de responder às dúvidas dos alunos, porque provam que eles estão estudando e se esforçando para fazer o seu melhor. Antes de começar a estudar, você precisa realmente querer estudar. Isso faz toda a diferença. Dedique seu tempo, atenção e concentração e não se preocupe em ser apenas mais um entre milhares de pessoas que estão se inscrevendo para a prova do concurso. Faça a sua parte. Se você quiser, você pode e será um grande vitorioso! E então? Aceita o desafio? Então comece agora mesmo seus estudos e faça parte do nosso time de vencedores! PDF processed with CutePDF evaluation edition www.CutePDF.comPDF processed with CutePDF evaluation edition www.CutePDF.comPDF processed with CutePDF evaluation edition www.CutePDF.com pág.:1 pág.:1
  2. 2. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 2 O material apresentado a seguir refere-se a um resumo da evolução do pensamento administrativo ao longo dos anos. Neste nosso primeiro encontro, estudaremos parte das diversas Teorias de Administração, a contribuição de cada uma delas para a Ciência da Administração, seu enfoque e variáveis, baseados na obra do autor Idalberto Chiavenato. Vale ressaltar que se trata de material de uso pessoal, não podendo ser repassado a terceiros, em caráter gratuito ou oneroso, seja impresso, por e-mail ou qualquer outro meio de transmissão sob risco de violação do estabelecido na Lei n. º 9.610/1998 e no Código Penal. Desde já agradecemos a compreensão e estamos abertos para qualquer dúvida ou pendência, tanto sobre o material quanto para qualquer outro assunto relacionado ao concurso em questão. AULA ZERO: INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO GERAL Vamos começar nossos estudos conversando sobre as Teorias Gerais de Administração, que correspondem à Natureza e evolução do Conhecimento Administrativo constante em nosso edital do ICMS/SP. Grande parte do restante do conteúdo programático está incluso no estudo destas Teorias, mesmo encontrando-se descritos separadamente no edital. Os outros assuntos referem-se à Gestão de Pessoas, Comportamento Organizacional, Administração Pública e atualidades da abordagem administrativa moderna. Como o conteúdo programático é muito extenso, eu entendo que vocês podem ter alguma dificuldade para recordar todos os tópicos das matérias que iremos estudar, por isso, durante o curso, vou mostrando algumas dicas de pontos que vocês não podem esquecer no dia da prova, e, a partir daí, fica mais fácil deduzir a resposta de questões que vocês não conseguirem se lembrar na hora. O estudo da Administração não é difícil, mas tem muitos nomes de personagens que marcaram época, princípios de cada abordagem, inovações... Enfim, felizmente tudo isso tem uma seqüência lógica e que se vocês conseguirem entender (e não decorar!) os principais pontos, é muito possível que consigam responder às questões com o seu bom senso, porque, excluindo as abordagens que fizeram parte da História, os assuntos atuais nós estamos vivenciando, estamos lendo nos jornais todos os dias, nas revistas, nos jornais internos das empresas que trabalhamos, e, principalmente, no nosso dia-a-dia. pág.:2
  3. 3. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 3 Outra dica importante é ler e responder a prova inteira antes de passar as respostas para o cartão definitivamente, isso porque, o enunciado de alguma questão pode te ajudar a lembrar a resposta de outra que você estava em dúvida. Nós que somos professores especializados em concursos estamos sempre estudando as provas, as questões abordadas, tudo com o intuito de preparar aulas que sejam mais voltadas para os assuntos que costumam se repetir, já que temos pouco tempo e muita matéria para estudar. Nossa grande missão é facilitar a vida dos alunos, de forma que eles estudem a coisa certa e da maneira certa. ADMINISTRAÇÃO GERAL Em uma época de complexidades, mudanças e incertezas como a que atravessamos hoje, a Administração tornou-se uma das mais importantes áreas de atividade humana. Vivemos em uma civilização onde o esforço cooperativo do homem é a base fundamental da sociedade. Sendo assim, a tarefa básica da Administração é a de fazer coisas por meio de pessoas. Administrar significa interpretar os objetivos propostos pela organização e transformá-los em ação organizacional, por meio do planejamento, organização, direção e controle de todos os esforços realizados em todas as áreas e em todos os níveis da organização, a fim de alcançar tais objetivos da maneira mais adequada (eficiente). A Administração, tal como a encontramos hoje, é o resultado histórico e integrado da contribuição comunicativa de numerosos precursores, filósofos, físicos, economistas, estadistas e empresários que, no decorrer dos tempos, foram cada qual no seu campo de atividades, desenvolvendo e divulgando suas obras e teorias. Assim, como combinamos no início, a fim de efetuarmos uma abordagem completa, a evolução do pensamento administrativo, estudaremos as diversas Teorias de Administração. A contribuição de cada uma delas para a Ciência da Administração, seu enfoque e variáveis. pág.:3
  4. 4. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 4 Dica: Esse quadrinho abaixo é de extrema importância para sua prova!! É um resumo do mínimo que você precisa saber para começar a pensar em fazer uma prova de administração! Ênfase: Teorias Administrativas: Principais enfoques: Nas tarefas Administração Científica Racionalização do trabalho no Nível Operacional Teoria Clássica Teoria Neoclássica Organização formal. Princípios Gerais da Administração Funções do administrador. Na estrutura Teoria da Burocracia Organização Formal Burocrática. Racionalidade Organizacional. Teoria Estruturalista Múltipla abordagem: Organização formal e informal Análise Infra-Organizacional Análise Interorganizacional Teoria das relações humanas Organização Informal. Motivação, liderança, comunicações e dinâmica de grupo. Nas pessoas Teoria do Comportamento Organizacional Estilos de Administração. Teoria das decisões. Integração dos Objetivos Organizacionais e Individuais. Teoria do Desenvolvimento Organizacional Mudança Organizacional Planejada. Abordagem de Sistema Aberto. No ambiente Teoria Estruturalista Teoria Neo-estruturalista Análise Infra-Organizacional e Análise Ambiental Abordagem do Sistema Aberto Teoria da Contingência Análise Ambiental (imperativo ambiental) Abordagem de Sistema Aberto Na tecnologia Teoria da Contingência Administração da Tecnologia (imperativo tecnológico) (Tabela 1.1 – As Principais teorias administrativas e seus principais enfoques, pág.07 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus). Considerando a complexidade das organizações nos dias de hoje, a tarefa de administrar (condução racional das atividades de uma entidade) requer um aparato de pessoas estratificadas em diversos níveis hierárquicos que se ocupam de incumbências diferentes. Nesse sentido, três são as habilidades necessárias para que o administrador possa trabalhar eficazmente: • Habilidade técnica: consiste em utilizar conhecimentos, métodos, pág.:4
  5. 5. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 5 técnicas e equipamentos necessários para a realização de tarefas específicas, por meio da experiência. • Habilidade humana: consiste na capacidade e discernimento para trabalhar com pessoas, comunicar, compreender suas atitudes e motivações e desenvolver uma liderança eficaz. • Habilidade conceitual: consiste na habilidade para lidar com idéias e conceitos abstratos. Esta habilidade permite que a pessoa faça abstrações, desenvolva filosofias e princípios de ação. A combinação dessas habilidades varia à medida que a pessoa sobe na escala hierárquica, de posições de supervisão a posições de alta direção. À medida que se sobe para os níveis mais elevados da organização, diminui a necessidade de habilidades técnicas, enquanto aumenta a necessidade de habilidade conceitual. Nos níveis inferiores, os supervisores precisam de habilidade técnica para lidar com as tarefas. Nos níveis mais altos, os executivos precisam de habilidades conceituais para decidir sobre os destinos de sua organização. INFLUÊNCIA DOS FILÓSOFOS Platão (429 a.C.-347 a.C.), filósofo grego, discípulo de Sócrates, preocupou-se com os problemas políticos e sociais inerentes ao desenvolvimento social e cultural do povo grego. Em sua obra, A República, expõe o seu ponto de vista sobre a forma democrática de governo e de administração dos negócios públicos. Aristóteles (384 a.C.-322 a.C.), discípulo de Platão, deu enorme impulso à Filosofia, abrindo as perspectivas do conhecimento humano na época. No seu livro, Política, estuda a organização do Estado e distingue três formas de administração pública, a saber: 1. Monarquia ou governo de um só (que pode redundar em tirania). 2. Aristocracia ou governo de uma elite (que pode descambar em oligarquia). 3. Democracia ou governo do povo (que pode degenerar em anarquia). René Descartes (1596-1650), filósofo, matemático e físico francês, é o fundador da Filosofia Moderna. Criou as coordenadas cartesianas e deu valioso impulso à Matemática e Geometria da época. Na Filosofia, celebrizou-se pelo livro, “Discursos do Método”, onde descreve o “método cartesiano”, cujos princípios são: 1. Princípio da Dúvida Sistêmica ou da Evidência: Consiste em não aceitar como verdadeira coisa alguma, enquanto não se souber com pág.:5
  6. 6. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 6 evidência – ou seja, clara e distintamente – aquilo que é realmente verdadeiro. Aceita-se apenas como certo aquilo que seja evidentemente certo. 2. Princípio da Análise ou de Decomposição: Consiste em dividir e decompor cada dificuldade ou problema em tantas partes quantas sejam possíveis e necessárias à sua melhor adequação e solução, e resolvê-las cada uma separadamente. 3. Princípio da Síntese ou da Composição: Consiste em conduzir ordenadamente os pensamentos e o raciocínio, começando pelos objetivos e assuntos mais fáceis e simples de se conhecer, para passar gradualmente aos mais difíceis. 4. Princípio da Enumeração ou da Verificação: Consiste em fazer recontagens, verificações e revisões tão gerais que se fique seguro de nada haver omitido ou deixado de lado. INFLUÊNCIA DA ORGANIZAÇÃO MILITAR A primeira contribuição da organização militar é a hierarquia (escala hierárquica, cadeia hierárquica ou cadeia escalar), cujas principais características são: 1. Princípio da Unidade de Comando (pelo qual cada subordinado só pode ter um superior). 2. Variação dos Níveis de Autoridade e Responsabilidade (de acordo com a posição ocupada na hierarquia). 3. Centralização do Comando (decisões são tomadas em sua maioria na cúpula da organização). 4. Descentralização da execução. Vale ressaltar que o Estado-Maior (Staff, órgãos de assessoramento) também tem sua origem na organização militar (Frederico II, O Grande, a criou para aumentar a eficiência de seu exército). Marechal Aspirante a oficial Sub-Tenente 1º Sargento 2º Sargento 3º Sargento Cabo Soldado pág.:6
  7. 7. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 7 Iniciaremos agora o estudo da Teoria da Administração, começando pela abordagem clássica. Sua origem remonta às conseqüências da revolução industrial, podendo ser resumida em 2 fatos: 1. O crescimento acelerado e desordenado das empresas e; 2. A necessidade de aumentar a eficiência e competência das organizações. É nesse momento pós-revolução industrial que surge a divisão do trabalho entre os que pensam e os que executam. O panorama industrial vigente (variedade de empresas em tamanhos diferenciados, problemas de baixo rendimento, concorrência intensa, elevado volume de perdas, insatisfação dos operários, decisões mal formuladas etc.), inspirou a criação de uma Ciência da Administração, que substituísse o empirismo e a improvisação, até então dominantes. (Figura III.1 – Desdobramento da abordagem clássica, pág. 28 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus). ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA A abordagem típica desta escola é a Ênfase nas Tarefas. O nome é dado à tentativa de aplicação dos métodos da ciência nos problemas da Administração, a fim de alcançar eficiência industrial. Frederick Taylor, seu fundador, propunha uma repartição da responsabilidade. A administração (gerência) fica com o planejamento (estudo do trabalho do operário) e a supervisão (assistência ao trabalhador), enquanto o trabalhador fica com a execução. Isso se deve ao fato de Taylor considerar o trabalhador como um ser sem capacidade, formação ou meios para analisar cientificamente seu trabalho. A substituição de métodos (de execução das tarefas) empíricos e Abordagem Clássica da Administração Administração Científica Teoria Clássica Ênfase nas Tarefas Ênfase na Estrutura Taylor Fayol pág.:7
  8. 8. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 8 rudimentares por métodos científicos recebeu o nome de Organização Racional do Trabalho, cujos princípios são os seguintes: 1. Estudo de Tempos e Movimentos (Motion-Time Study) – consiste na análise do trabalho, divisão e subdivisão dos movimentos necessários à execução de uma tarefa. Através da observação metódica e paciente, Taylor decompunha cada tarefa em uma série de movimentos, eliminando aqueles desnecessários e racionalizando os demais. Com isso, uma economia de tempo e esforço era proporcionada ao operário, além da padronização do método de execução de uma tarefa. Como decorrência do Motion-Time Study surge um medidor de eficiência utilizado no processo produtivo: o tempo-padrão. Entende-se por tempo-padrão o tempo médio necessário para execução de uma tarefa, de uma maneira pré-estabelecida (teoricamente, a melhor – the best way), adicionados os tempos-mortos (necessários à satisfação das necessidades fisiológicas, por exemplo). 2. Divisão do trabalho e especialização – contrapondo-se ao método de execução pré-revolução industrial (onde todos participavam de todas as fases do processo produtivo), a divisão do trabalho resultou em uma estruturação das operações industriais, onde cada operário passou a ser especializado em uma única tarefa. A idéia básica era de que a eficiência aumenta com a especialização. Quanto mais especializado for, maior será sua eficiência. 3. Desenho de cargos e tarefas – consiste na definição e estabelecimento racional dos cargos e tarefas de uma organização. Desenhar um cargo é especificar seu conteúdo (tarefas), os métodos de execução e as relações com os demais cargos existentes. 4. Conceito de Homo Economicus – baseia-se em uma estreita visão da natureza humana. Segundo Taylor, o homem é motivado a trabalhar pelo medo da fome e pela necessidade de dinheiro para viver. Sendo assim, o homem trabalha não porque gosta, mas pelo salário que o trabalho proporciona. 5. Incentivos salariais e prêmios de produção – analisado o trabalho, racionalizadas as tarefas e padronizado o tempo para sua execução, restava fazer com que o operário colaborasse com a empresa. Dentro da visão do homem econômico, os autores da Administração Científica desenvolveram incentivos salariais como forma de motivá-lo. Na medida em que o operário produzia acima do padrão estabelecido, ao seu salário era acrescido um plus (prêmio de produção). 6. Supervisão funcional – A especialização do operário deve ser acompanhada da especialização do supervisor, em vez de uma centralização de autoridade. A supervisão funcional corresponde à existência de diversos supervisores, cada qual especializado em pág.:8
  9. 9. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 9 determinada área, e que tem autoridade funcional (relativa somente a sua especialidade). A supervisão funcional é a aplicação da divisão do trabalho e especialização no nível de supervisores e chefes. O outro “ícone” da Administração Científica chama-se Henri Ford. Seu sucesso deve-se aos princípios aplicados em sua fábrica, a Ford Motor Co., que continuam sendo utilizados, no todo ou em parte, até os dias de hoje. Vamos a eles: 1. Concentração vertical – Corresponde à presença da companhia em todas as fases do processo produtivo, produzindo desde a matéria-prima até o produto final acabado. Hoje em dia, temos uma tendência que aponta para outra direção, por exemplo, com a terceirização de algumas atividades da empresa. Um outro exemplo seriam as empresas automobilísticas, que são, na verdade, muito mais montadoras que produtoras. 2. Concentração horizontal- significa um monopólio a nível horizontal, em determinado nível, apenas. Ford comercializava seus automóveis apenas através de agências próprias. 3. Linha de produção – são os três aspectos que suportam o sistema: • A progressão do produto de forma planejada, ordenada e contínua; • O trabalho é entregue ao trabalhador em vez de obrigá-lo a ir buscá-lo (o que era uma novidade na época), e; • As operações são analisadas em todos os seus elementos. 4. Princípio da intensificação – emprego imediato da mão-de-obra e matéria-prima, com a rápida colocação do produto no mercado. 5. Princípio da economicidade – Reduzir ao mínimo o volume de estoques da matéria-prima em transformação. A velocidade de produção deveria ser rápida. 6. Princípio da produtividade – aumentar a capacidade de produção através da especialização do operário e da linha de montagem. 7. Princípio da exceção – corresponde à técnica de administração onde o administrador deve basear-se não no desempenho médio, mas nas exceções ou desvios dos padrões normais. Sendo assim, somente os desvios positivos e negativos deveriam ocupar a atenção da administração, não devendo ater-se àquilo que ocorre dentro dos padrões normais. pág.:9
  10. 10. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 10 CRÍTICAS As seguintes críticas podem ser feitas à Administração Científica: 1. Teoria mecanicista – assim ficou conhecida, pois concedia a organização como um arranjo estático e rígido de peças, uma máquina. Em nenhum momento considerou a organização informal (como veremos mais adiante); 2. Abordagem incompleta – na medida em que ignorou a vida social dos participantes , atendo-se somente aos aspectos formais da organização, ao trabalho no nível de execução. 3. Abordagem de sistema fechado – a Administração Científica visualiza as empresa como se estivessem no vácuo, autônomas, hermeticamente fechadas. Ela não considera as variáveis extrínsecas (ambientais, econômicas, políticas e sociológicas). SUMÁRIO A Administração Científica, fundada por Taylor e seus seguidores, constitui a primeira tentativa da Teoria da Administração. A preocupação em criar uma Ciência da Administração começou com a experiência concreta e imediata do trabalho de operários e com a ênfase nas tarefas. No primeiro período de sua obra, Taylor voltou-se para a racionalização do trabalho dos operários, estendendo-se no segundo período à definição de princípios de administração aplicáveis a todas as situações da empresa. A organização racional do trabalho se fundamenta na análise do trabalho operário, no estudo dos tempos e movimentos, na fragmentação das tarefas e na especialização do trabalhador. Busca-se a eliminação do desperdício, da ociosidade e a redução dos custos de produção. A forma de obter a colaboração dos operários foi o apelo aos planos de incentivos salariais e de prêmios de produção, com base no tempo padrão (eficiência = 100%) e na convicção de que o salário constitui a fonte de motivação para o trabalhador (homem econômico). O desenho de cargos e tarefas enfatiza o trabalho simples e repetitivo das linhas de produção e montagem, a padronização e as condições de trabalho que assegurassem a eficiência. Verificou-se que não adiantava racionalizar o trabalho do operário se o supervisor e o chefe continuavam a trabalhar dentro do mesmo empirismo anterior. Para envolver os escalões mais elevados, os engenheiros se preocuparam com os princípios da pág.:10
  11. 11. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 11 administração para balizar o comportamento dos gerentes e chefes. Contudo, inúmeras críticas podem ser feitas à Administração Científica: o mecanicismo global e universal da empresa, inaugurando uma abordagem anatômica e estrutural que rapidamente suplantou a abordagem analítica e concreta de Taylor. Dica: Palavras-chaves importantes sobre a Administração Científica: Frederick Taylor, ênfase nas tarefas, estudos dos tempos e movimentos (ORT), “The best way”, “homo econômicus”, linha de montagem. TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Na medida em que a Administração Científica de Taylor tomava conta dos E.U.A., a Teoria Clássica se desenvolvia na Europa através de Henri Fayol. Fayol, assim como Taylor, percebeu a ineficiência então dominante e elaborou uma ciência administrativa, só que sob um enfoque diferente de Taylor. Fayol acreditava que a eficiência organizacional seria alcançada através da análise da estrutura da empresa, dos órgãos que a compõem. Nesse sentido, a Teoria Clássica tem ênfase na estrutura, correspondendo a uma abordagem clássica estruturalista. Para Fayol, seis são as funções básicas de qualquer empresa: 1. Funções técnicas – relacionadas com a produção de bens ou de serviços da empresa. 2. Funções comerciais, relacionadas com a compra, venda e permutação. 3. Funções financeiras – relacionadas com a procura e gerência de capitais 4. Funções de segurança – relacionadas com a proteção e preservação dos bens e das pessoas. 5. Funções contábeis – relacionadas com inventários, registros, balanços, custos e estatísticas. 6. Funções administrativas – relacionadas com a integração das outras cinco funções. As funções administrativas coordenam as demais funções da empresa, pairando acima delas. pág.:11
  12. 12. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 12 (Figura 4.1 – As seis funções básicas da empresa, pág. 56 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus). A função administrativa, segundo Fayol, se reparte por todos os níveis da hierarquia da empresa, não sendo privativa da alta cúpula. Há, contudo, uma proporcionalidade em relação às demais. À medida que se sobe na hierarquia, mais importante ela se torna. A fim de aclarar a função administrativa, Fayol reparte em cinco subfunções, ou elementos do processo administrativo, a saber: 1. Prever – visualizar o futuro e traçar o programa de ação. 2. Organizar – constitui o duplo organismo material e social da empresa. 3. Comandar – dirigir e orientar o pessoal. 4. Coordenar – ligar, unir, harmonizar todos os atos e todos os esforços coletivos. 5. Controlar – verificar que tudo ocorra conforme as regras estabelecidas e as ordens dadas. Dica: Esses elementos do processo, ou também chamados de princípios gerais de administração são geralmente cobrados em prova. Guarde-os em sua cabeça!! Como toda ciência, a Administração também deve se basear em leis. Nesse sentido, Fayol elencou os “14 Princípios Gerais de Administração”, dos quais destacamos os seguintes: 1. Divisão do trabalho – consiste na especialização das tarefas e das pessoas para aumentar a eficiência. 2. Autoridade e responsabilidade – autoridade é o direito de dar ordens e o poder de esperar obediência. A responsabilidade é uma Funções Administrativa Funções Técnicas Funções Comerciais Funções Financeiras Funções de Segurança Funções Contábeis pág.:12
  13. 13. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 13 conseqüência natural da autoridade e significa ter o dever de prestar contas. Ambas devem estar equilibradas entre si. 3. Centralização – refere-se à concentração da autoridade no topo da hierarquia da organização. 4. Cadeia escalar – é a linha de autoridade que vai do escalão mais alto ao mais baixo. Vale ressaltar que Fayol se interessou pela organização linear (a mesma utilizada pelo exército). Nesse modelo de organização ocorrerá a supervisão linear, baseada na unidade de comando, que é o oposto da supervisão funcional utilizada por Taylor. Na organização linear os órgãos de linha dedicam-se exclusivamente às suas atividades especializadas. Nesse sentido, tornam-se necessários outros órgãos prestadores de serviços especializados estranhos às atividades dos órgãos de linha. Chamamos esses órgãos de Staff ou Assessoria. Tais órgãos não estão no organograma da empresa, nem possuem autoridade de comando sobre os órgãos de linha. Sua finalidade é fornecer conselhos, recomendações, assessoria e consultoria, que os órgãos de linha não tem condições de prover por si próprios. CRÍTICAS As críticas são as mesmas feitas à Administração Científica, diferenciando-se, apenas, o enfoque do trabalho. Taylor Fayol Administração Científica Teoria Clássica Ênfase nas Tarefas Ênfase na Estrutura pág.:13
  14. 14. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 14 (Figura 4.6 – Confronto das teorias de Taylor e Fayol, pág. 68 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus). SUMÁRIO O pioneiro da Teoria Clássica, Henri Fayol, é considerado, juntamente com Taylor, um dos fundadores da moderna Administração. Preocupou- se em definir as funções básicas da empresa, o conceito de administração (prever, organizar, comandar, coordenar e controlar), bem como os princípios gerais de Administração como procedimentos universais a serem aplicados a qualquer tipo de organização ou empresa. Para Fayol, existe uma proporcionalidade da função administrativa que se reparte proporcionalmente por todos os níveis da empresa. A Teoria Clássica formulou uma Teoria da Organização, tendo por base a Administração como uma ciência. A ênfase na estrutura faz com que a organização seja entendida como uma disposição das partes (órgãos) que a constituem, sua forma e o inter-relacionamento entre essas partes. Essa teoria da organização restringe-se à organização formal. Para tratar racionalmente a organização, esta deve se caracterizar por uma divisão do trabalho e correspondente especialização das partes (órgãos) que a constituem. A divisão do trabalho pode dar-se verticalmente (níveis de autoridade) e horizontalmente (departamentalização). À medida que ocorre divisão do trabalho e especialização, deve ocorrer coordenação para garantir a harmonia do conjunto e, conseqüentemente, a eficiência da organização. Além do Aumentar a eficiência da empresa por meio do aumento de eficiência ao nível operacional Aumentar a eficiência da empresa por meio da forma e disposição das órgãos componentes da organização e das suas inter-relações estruturais. Confronto das teorias de Taylor e Fayol pág.:14
  15. 15. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 15 mais, existem órgãos de linha (autoridade linear) e órgãos de staff (autoridade de staff para prestação de serviços e consultoria). Para conceituar Administração, os autores utilizam o conceito de elementos da Administração (ou funções do Administrador), que formam o chamado processo administrativo. A abordagem normativa e prescritiva da Teoria Clássica é visualizada por meio dos princípios de Administração, uma espécie de receituário de como o administrador deve proceder em determinadas situações. Entretanto, várias críticas podem ser atribuídas à teoria Clássica: a abordagem extremamente simplificada da organização formal, deixando de lado a organização informal; a ausência de trabalhos experimentais capazes de dar base científica às suas afirmações e princípios; o mecanismo de sua abordagem que lhe valeu o nome de teoria da máquina; a abordagem incompleta da organização e a visualização da organização como se esta fosse um sistema fechado. Contudo, todas as críticas feitas à Teoria Clássica não chegam a empanar o fato de que a ela devemos as bases de moderna teoria administrativa. Dica: Palavras-chaves importantes sobre a Teoria Clássica: Henry Fayol, ênfase na estrutura, divisão do trabalho e especialização dos órgãos, princípios gerais (prever, organizar, comandar, coordenar e controlar), organização formal, sistema fechado e mecanicista, separação da função administrativa das demais. Cuidado que algumas questões de concurso tentam induzir o aluno ao erro alternado a ordem e as ênfases entre Taylor e a Administração Científica e Fayol e a Teoria Clássica... Fique de olho, tá??? Estão percebendo como os temas seguem uma lógica?? Tentem lembrar de filmes antigos, novelas de época, quando mostram os trabalhadores nas grandes fábricas, as condições de trabalho, etc... Se tiver um tempinho, vale à pena assistir ao filme “Tempos Modernos” de Charlin Chaplin, é uma maneira divertida e diferente de sair da rotina de estudos maçantes e ao mesmo tempo, também estar estudando. ABORDAGEM HUMANÍSTICA Ocorre com a Teoria das Relações Humanas, a partir da década de 30, graças ao desenvolvimento das ciências sociais. A crise mundial causada pela grande depressão provoca uma verdadeira reelaboração de conceitos e uma reavaliação da Administração. Nesse sentido, o enfoque desta nova abordagem recai sobre os aspectos humanos no processo produtivo: a organização informal. pág.:15
  16. 16. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 16 O grande marco desta teoria foi a chamada experiência de Hawthorne. Em 1927, foi iniciada uma pesquisa na fábrica da Western Eletric Company, cujo objetivo era traçar uma relação a intensidade da iluminação e a eficiência dos operários. Seu coordenador, Elton Mayo, formou 2 grupos de trabalho, teoricamente de igual capacidade produtiva. Na 1ª fase, Mayo colocou lâmpadas de maior capacidade em um dos grupos, ansiando pelo aumento da produtividade. Um mês depois, nada aconteceu. Insistiu. Trocou as lâmpadas por outras mais fortes, ainda sem avisar aos participantes. Mais um mês, e nada. É nesse momento que “cai a maçã em sua cabeça”. Mayo inverte o processo. Troca as lâmpadas por outras maiores, de mesma intensidade, só que desta vez, comunica aos participantes. Um mês depois, Eureca! A produção aumenta em mais de 20%. Mayo descobre, então, a influência do fator psicológico sobre a produtividade, mudando o enfoque de seu trabalho. Na 2ª fase, coloca junto ao grupo experimental uma supervisora (democrática) escolhida pelos membros do grupo. Seu intuito era descobrir mais sobre a influência do aspecto psicológico no trabalho. Passados alguns meses Mayo descobre a existência de algo que iria revolucionar as teorias até então existente: a organização informal. Decorrências da experiência de Hawthorne: 1. Nível de produção é resultante da integração social, e não de sua capacidade física. São as normas sociais e expectativas que orientam sua eficiência. 2. Comportamento social dos empregados – os trabalhadores não agem isoladamente, mas como membros de grupos. Nesse sentido, sua quota de produção é estabelecida e imposta pelo grupo. 3. Recompensas e sanções sociais – constatou-se que os operários que produziram acima ou abaixo da norma socialmente determinada perderam o respeito aos colegas, ou seja, as pessoas passam a ser avaliadas pelo grupo em confronto com essas normas e padrões de comportamento. O homo economicus dá lugar ao homem social. 4. Grupos informais – enquanto os Clássicos se preocupavam com os aspectos formais da organização, os pesquisadores de Hawthorne se concentravam nos informais (comportamento social, crença, expectativas etc). A empresa passou a ser vista como uma organização composta de diversos grupos informais, cuja estrutura nem sempre coincide com a organização formal. Chamamos de organização informal a reunião dos grupos informais. pág.:16
  17. 17. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 17 Teoria Clássica Teoria das Relações Humana * Trata a organização como uma máquina. * Enfatiza as tarefas ou a tecnologia. * Autoridade centralizada. * Linhas claras de autoridade. * Especialização e competência técnica. * Acentuada divisão do trabalho * Confiança nas regras e nos regulamentos. * Clara separação entre linha e staff * Trata a organização como grupo de pessoas. * Enfatiza as pessoas. * Inspirada em sistemas de psicologia * Delegação plena de autoridade. * Autonomia do emprego. * Ênfase nas relações humanas entre as pessoas. * Confiança nas pessoas. * Dinâmica grupal e interpessoal (Quadro 5.1 – Comparação entre Teoria Clássica e Teoria das Relações Humanas, pág. 83 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus). SUMÁRIO 1. As origens da Teoria das Relações Humanas remontam a algumas décadas antes de seu aparecimento nos Estados Unidos, berço da democracia, do pragmatismo e da iniciativa individual. Efetivamente, porém, esta teoria surgiu como a Experiência de Hawthorne. 2. Sem o pretender, a Experiência de Hawthorne marca o início de uma nova teoria calcada em valores humanísticos, deslocando a preocupação voltada para a tarefa, para a estrutura e para a preocupação com as pessoas. 3. Com as conclusões iniciais tomadas a partir da Experiência de Hawthorne, novas variáveis são acrescentadas ao já enriquecido dicionário da Administração: a integração social e o comportamento social dos empregados, as necessidades psicológicas e sociais e a atenção para novas formas de recompensas e sanções não-materiais, o estudo dos grupos informais e da chamada organização informal, o pág.:17
  18. 18. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 18 despertar para as relações humanas dentro das organizações, a ênfase nos aspectos emocionais e não-racionais do comportamento das pessoas e a importância do conteúdo dos cargos e tarefas para as pessoas que os realizam e executam. 4. Dentro dessa abordagem humanística, um quadro maior se depara aos olhos dos pesquisadores: a própria civilização industrializada que leva as empresas a uma preocupação exclusiva com sua sobrevivência financeira e necessidade de eficiência para o alcance de lucros. Assim, os métodos convergem para a eficiência e não para a cooperação humana e, muito menos, para objetivos humanos. Daí o conflito industrial (objetivos das organizações versus objetivos individuais dos seus participantes) merecer um tratamento profilático e preventivo. 5. Assim, torna-se indispensável conciliar e harmonizar as duas funções básicas da organização industrial: a função econômica (produzir bens ou serviços para garantir o equilíbrio externo) e a função social (distribuir satisfações entre os participantes para garantir o equilíbrio interno). Dando continuidade à abordagem humanística, estudaremos algumas teorias que surgiram como decorrência da Teoria das Relações Humanas. TEORIA DE CAMPO DE LEWIN Lewin, ao explicar a importância da motivação do comportamento humano, nos diz que ele não depende somente do passado ou do futuro, mas do campo dinâmico atual e presente. Esse campo é o espaço de vida que contém a pessoa e seu ambiente psicológico, ou seja, o comportamento é dado em função da interação entre a pessoa e o ambiente que a rodeia. Se o ambiente é percebido pelo indivíduo como uma possibilidade de satisfação de suas necessidades, ele assumiria uma valência positiva, gerando um comportamento positivo. C = comportamento C = f (P,M) f = função P = Estrutura Psicológica M = Ambiente pág.:18
  19. 19. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 19 TEORIA DAS NECESSIDADES Segundo essa teoria, para compreendermos a motivação do comportamento humano faz-se necessário compreendermos suas necessidades. Tais necessidades são divididas em três grandes grupos, sendo que o homem procurará satisfazê-las sempre seguindo uma hierarquia. A – Necessidade primária – aquelas relacionadas com a sobrevivência do indivíduo. São inatas ou intuitivas. Como exemplo de necessidades fisiológicas temos a alimentação, o sono, a satisfação sexual etc. B – Necessidades secundárias (psicológicas) – são adquiridas e aprendidas no decorrer da vida, representando um padrão mais elaborado e complexo. Necessidade de afeto, participação e segurança são alguns exemplos. C – Necessidades terciárias (auto-realização) – são provenientes da educação e da cultura. É o impulso de realizar o próprio potencial, de estar em contínuo autodesenvolvimento. CICLO MOTIVACIONAL A motivação é a tensão persistente que leva o indivíduo a algum comportamento visando à satisfação de uma ou mais necessidades. Podemos entendê-lo da seguinte forma: o organismo humano permanece em estado de equilíbrio psicológico (equilíbrio de forças psicológicas, segundo Lewin), até que um estímulo o rompa e crie uma necessidade. Essa necessidade provoca um estado de tensão em substituição ao anterior estado de equilíbrio. A tensão conduz a um comportamento ou ação capaz de atingir alguma forma de satisfação daquela necessidade. Se satisfeita a necessidade, o organismo retorna ao seu estado de equilíbrio inicial, até que outro estímulo sobrevenha. Toda satisfação é basicamente uma liberação de tensão, uma descarga tensional que permite o retorno ao equilíbrio anterior. pág.:19
  20. 20. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 20 (Figura 6.1 – As etapas do ciclo motivacional, envolvendo a satisfação de uma necessidade, pág. 93 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus). LIDERANÇA É a influência interpessoal exercida numa situação e dirigida por meio do processo de comunicação humana à consecução de um ou diversos objetivos específicos. È dada em função das necessidades existentes em uma determinada situação e consiste numa relação entre um indivíduo e um grupo. O líder (natural) corresponde ao indivíduo percebido pelo grupo como possuidor dos meios para a satisfação de suas necessidades (do grupo). Sendo assim, três são os estilos de liderança: • Liderança autocrática – o comportamento dos grupos mostrou forte tensão, frustração e agressividade, de um lado, e nenhuma espontaneidade, iniciativa, ou formação de grupos de amizade. Não demonstraram satisfação com relação à situação. O trabalho somente se desenvolvia com a presença física do líder. Quando este se ausentava, as atividades paravam e os grupos expandiam seus sentimentos reprimidos, chegando a explosões de indisciplina e de agressividade. • Liderança liberal – embora a atividade dos grupos fosse intensa, a produção foi simplesmente medíocre. As tarefas se desenvolviam ao acaso, com muitas oscilações, perdendo-se muito tempo com discussões Equilíbrio Estímulo ou Incentivo Necessidade Tensão Comportament o ou ação Frustração Compensação Satisfação pág.:20
  21. 21. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 21 mais voltadas para motivos pessoais do que relacionadas com o trabalho em si. Notou-se forte individualismo agressivo e pouco respeito com relação ao líder. • Liderança democrática – houve formação de grupos de amizade e de relacionamentos cordiais. Líder e subordinados passaram a desenvolver comunicações espontâneas, francas e cordiais. O trabalho mostrou ritmo suave e seguro, sem alterações, mesmo quando o líder se ausentava. Houve um nítido sentido de responsabilidade e de comprometimento pessoal além de integração grupal, dentro de um clima de satisfação. Dica: Os estilos de liderança são muito cobrados em prova. Os três estilos de liderança. Autocrática Democrática Liberal (Talssez- tálre) * Apenas o líder fixa as diretrizes * As diretrizes são debatidas e decididas pelo grupo, estimulado e assistido pelo líder * Há liberdade completa para as decisões grupais ou individuais, com participação mínima do líder. * O líder determina as providências e técnicas para execução das tarefas, cada uma por vez, na medida em que se tornam necessárias e de modo imprevisível para o grupo. * O próprio grupo esboça providências e técnicas para atingir o alvo, solicitando aconselhamento técnico ao líder quando necessário. As tarefas ganham novas perspectivas com os debates. * A participação do líder no debate é limitada, apresentando materiais variados ao grupo, esclarecendo e fornecendo informações quando solicitados. * O líder determina qual a tarefa que cada um deve executar e qual o seu companheiro de trabalho. * A divisão das tarefas fica a critério do grupo e cada membro tem liberdade de escolher seus companheiros de trabalho. * Tanto a divisão das tarefas como a escolha dos companheiros fica totalmente a cargo do grupo. Absoluta falta de participação do líder. * O líder é dominador e é “pessoal” nos elogios e nas críticas ao trabalho de cada membro. * O líder procura ser um membro normal do grupo, sem encarregar- se de tarefas. O líder é “objetivo”e limita-se aos “fatos” em suas críticas e elogios. * O líder não tenta avaliar ou regular o curso dos acontecimentos. O líder faz comentários irregulares sobre as atividades dos membros quando perguntado. (Quadro 6.1 – Os três estilos de liderança, pág. 99 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus). pág.:21
  22. 22. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 22 CRÍTICAS 1. Oposição cerrada à Teoria Clássica. 2. Concepção ingênua e romântica do operário: seus autores imaginavam um trabalhador feliz, produtivo e integrado no ambiente de trabalho, imagem essa que não foi confirmada por pesquisas posteriores. 3. Abordagem incompleta, pois considerou apenas a organização informal. SUMÁRIO 1. A partir da Experiência de Hawthorne, desenvolveu-se uma nova concepção a respeito da natureza humana: o homem social. Concomitantemente, verificou-se que a formação e os processos de grupos podem ser manipulados por meio de algum estilo de liderança e comunicação. 2. Com os primeiros estudos sobre a motivação humana (Teoria de Campo e o levantamento das necessidades humanas básicas), chegou-se à noção do ciclo motivacional e suas resoluções em termos de satisfação, frustração ou compensação. Com isso, chegou-se à noção de objetivos individuais e sua influência sobre o moral e a atitude das pessoas e grupos. 3. Experiências pioneiras sobre liderança e seus resultados quanto ao desempenho dos subordinados mostraram a excelência da liderança democrática. Outros estudos passaram a envolver outras variáveis além das características pessoais do líder e concluíram que o padrão de liderança deve ser escolhido em função de variáveis (forças no administrador, nos subordinados e na situação) 4. Também os estudos sobre as comunicações indicaram a importância da comunicação sobre os relacionamentos entre as pessoas e o seu desempenho. 5. A organização informal passou a ser pesquisada, tanto nas suas características como nas suas origens. Os autores humanistas deixaram a organização formal de lado para se concentrarem unicamente na organização informal. 6. A dinâmica de grupo e o interesse sobre os grupos informais foram outro aspecto típico da Escola das Relações Humanas. pág.:22
  23. 23. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 23 7. Como corrente de oposição, esta teoria apresentou distorções e limitações – uma visão inadequada dos problemas de relações industriais, limitação no campo experimental e parcialidade nas conclusões levaram gradativamente essa teoria a um certo descrédito. A concepção ingênua e romântica do operário e a ênfase exagerada nos grupos informais colaboraram rapidamente para que esta teoria fosse repensada e criticada acerbamente. O seu enfoque manipulativo e certamente demagógico não deixou de ser descoberto e identificado pelos operários e seus sindicatos. Recebendo tantas pedradas, a Teoria das Relações Humanas precisou passar por uma reelaboração sendo, contudo, inegável sua colaboração. Dica: Palavras-chaves importantes sobre a Teoria das Relações Humanas: Ênfase nas pessoas (romantismo), Experiência de Hawthorne, Elton Mayo, homem social, liderança, motivação, comunicação (como fenômeno social, enfatizando grupos e não o comportamento individual), organização informal, dinâmica de grupos (objetivos comuns entre os grupos). Prontos para responderem algumas questões de concursos já realizados?? Acredito que sim... Caso você queira se aprofundar nos assuntos que estudamos hoje, sugiro a leitura dos capítulos 01 ao 06 do livro “Teoria Geral de Administração, sétima Edição, do Professor Idalberto Chiaventao – Editora Campus”. As questões apresentadas a seguir, e também as que serão apresentadas nas próximas aulas, são questões da ESAF, do INPI, da Fundação Carlos Chagas, da Unicamp, Proderj, Funesp, PCI, UFRJ, Granjeiro, CESP, AFTN, e algumas elaboras por mim. Seja sincero com você mesmo e com seus estudos e não olhe o gabarito antes de responder às questões. Concentre-se e use todos os seus conhecimentos, aprendidos aqui, e os conhecimentos que você já traz consigo ao longo da vida... Nas questões de 01 a 08, coloque “V” para Verdadeiro, e “F” para Falso. 1. Podemos definir administração como: ( ) prever e prover a organização dos recursos necessários a consecução de seus objetivos, com base exclusivamente em estatísticas históricas. ( ) interpretar os objetivos propostos pela organização e transformá-los em ação por meio do planejamento, comunicação, direção, controle e avaliação, somente. pág.:23
  24. 24. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 24 ( ) prever, comandar, coordenar, controlar e aplicar o uso dos recursos a fim de alcançar os objetivos propostos. ( ) a função mais importante enunciada por Henry Fayol (Teoria Clássica) , pairando sobre as demais funções organizacionais (técnicas, comercias ,financeiras , contábeis e de segurança). ( ) gerir recursos materiais e humanos objetivando o cumprimento das metas estabelecidas pela organização. 2. Segundo Taylor : ( ) o “Motion – Time Study” baseia-se na análise do trabalho operário com vistas a descobrir a melhor maneira de se desempenhar uma tarefa; ( ) o tempo padrão, calculado após o “estudo de tempos e movimentos” corresponde ao tempo médio de execução de uma tarefa, adicionados os tempos mortos; ( ) alguns dos objetivos do “Motion-Time Study” são a eliminação do desperdício do esforço humano, a especialização do operário e o estabelecimento de normas de execução do trabalho; ( ) a eficiência pode ser definida como a relação entre o desempenho real e desempenho ideal representado, por exemplo, pelo tempo padrão; ( ) a divisão do trabalho conduz, inevitavelmente, à especialização do operário e maior eficiência 3. Sob a ótica da administração científica: ( ) o “desenho de cargo” significa especificar seu conteúdo (as tarefas) somente; ( ) os incentivos salariais e prêmio de produção são necessário e suficientes para o incremento da produtividade; ( ) a supervisão funcional baseia–se no princípio da unidade de chefia; ( ) a supervisão funcional corresponde à aplicação da divisão do trabalho e especialização no nível de supervisores e chefes. ( ) a linha de montagem, que permite a produção em série, foi desenvolvida por Henry Ford . 4. Julgue os itens abaixo. ( ) a produção em massa baseia-se na simplicidade, sendo 3 (três) os aspectos que suportam o sistema: a progressão dos produtos de maneira planejada, ordenada e contínua; a entrega do trabalho ao pág.:24
  25. 25. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 25 operário, em vez dele ir buscá-lo e a divisão do trabalho. ( ) são características da administração de Ford: concentração vertical, horizontal e política de estoques. ( ) de acordo com o principio da exceção, o administrador deve ater-se somente aos desvios negativos, que fogem à região de normalidade. ( ) a administração científica ficou conhecida como “teoria da máquina” pois concebia a organização como um arranjo rígido e estático de peças. ( ) podemos considerar a teoria clássica da administração e a administração científica como dois baluartes da moderna administração, devido a sua abordagem completa sobre os preceitos organizacionais; 5. A teoria clássica, embora caminhe lado a lado com a administração científica, volta-se para outro aspecto: a organização, segundo Fayol: ( ) a empresa possui 5 (cinco) funções básicas, a saber: administrativa, técnica, comercial, financeira e de segurança. ( ) a proporcionalidade da função administrativa significa que, embora havendo preponderância dela na cúpula da empresa, ela se reparte por todos os níveis hierárquicos. ( ) são princípios gerais da administração: a divisão de trabalho, unidade de comando, cadeia escalar, disciplina e outros. ( ) a divisão de trabalho pode dar-se em duas direções: verticalmente e horizontalmente. 6. Marque “v” ou “f” nas questões abaixo: ( ) a divisão de trabalho horizontalmente é conhecida como departamentalização, podendo ser feita por função, processo, clientela ou localização geográfica. ( ) na organização linear de Fayol mostrou-se imperiosa a existência de órgão de apoio, de assessoria; chamamos esses órgãos de “órgãos de linha”; ( ) a teoria clássica, assim como a administração científica, descuidou- se da organização informal; ( ) a abordagem da teoria clássica é considerada “abordagem de sistema fechado” pois não considera as influências do “mundo exterior”; ( ) possibilitaram uma abordagem diferente, a partir da década de 30, dentre outros aspectos, a experiência de Hawthorne, o desenvolvimento das ciências humanas e a necessidade de se humanizar a administração. pág.:25
  26. 26. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 26 7. De acordo com a teoria das relações humanas. ( ) a produtividade, ao invés do que preconizava a teoria clássica, é determinada em função de normas sociais e expectativas; ( ) espera-se que a administração seja capaz de compreender a organização informal; ( ) o homem social “dá lugar ao “homus economicus”; ( ) segundo Lewin, o comportamento de operário é dado em função de como o indivíduo percebe o ambiente em que esta inserido; ( ) as necessidades psicológicas abrangem as de auto-realização. 8. Julgue os itens abaixo: ( ) para o indivíduo voltar ao estado de equilíbrio, é necessário que haja o “mecanismo” da satisfação, segundo o ciclo motivacional de maslow; ( ) a liderança é dada em função das necessidades de um grupo em determinada situação, e consiste numa relação entre um indivíduo e esse grupo. ( ) a liderança democrática caracteriza-se por forte individualismo dos membros do grupo e participação muito limitada do líder. ( ) a liderança autocrática caracteriza-se por ser a que apresenta maior produtividade se comparada com os demais tipos. ( ) são características da organização informal: relação de coesão/ antagonismos, status e colaboração espontânea. A partir de agora, marque as respostas de acordo com o solicitado no enunciado: 9. Embora a Escola de Relações Humanas tenha surgido para se contrapor à Escola Clássica, em algumas variáveis, seus estudos apresentam semelhanças. Pode-se afirmar que as duas escolas tinham posições semelhantes em relação a: a) a concepção de organização; b) como administrar os grupos informais; c) como motivar melhor os empregados; d) o conflito existe entre administração e empregado; e) a concepção da natureza humana. 10. Uma das críticas formuladas à Teoria da Administração Científica de Taylor, deve-se: a) à abordagem simplificada da organização formal; pág.:26
  27. 27. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 27 b) ao apego exagerado a regras e regulamentos; c) à ênfase demasiada nos grupos informais; d) à tendência à superespecialização do operário; e) à inexistência de métodos de trabalho previamente estabelecidos. 11. Segundo Fayol, uma das funções básicas da empresa é a: a) motivacional; b) organizacional; c) comercial; d) orçamentária e) produtiva 12. O processo de departamentalização, tanto em sentido vertical – determinado o aumento de níveis hierárquicos – quando em sentido horizontal – significando aumento de órgãos especializados e o reagrupamento mais eficiente das atividades em um mesmo nível – marcou durante décadas o formato e a estrutura das organizações. Esse processo vem sendo substituído por novas formas de organização do processo de trabalho nas organizações. Indique a opção abaixo que melhor retrata o desenho das organizações nesse final de século. a) Informalidade de relações hierárquicas, aumento da participação dos funcionários nos lucros e na definição da estratégia organizacional, inexistência de um sistema de sanções e recompensas dada a ausência de hierarquia. b) Reforço das linhas hierárquicas departamentais com a incorporação da departamentalização por cliente; planejamento, avaliação e controle centralizados e execução descentralizada. c) Extinção do processo de departamentalização e sua substituição por estruturas virtuais que se moldam a cada cliente e a cada processo de trabalho, de forma interativa e completamente autorizada. d) Descentralização e terceirização de todas as atividades da organização, que passaria a contar exclusivamente com uma unidade multifuncional de planejamento e controles de projetos multiuso. e) Inexistência de unidades estanques, trabalho em equipes multidisciplinares e multiareas, integração de atividades de planejamento, implantação, avaliação, controle e correção de procedimentos no cotidiano de todas as unidades. 13. A questão da resistência a mudanças acompanha todas as discussões a respeito da maior ou menor capacidade que têm as organizações de atuarem de modo pró-ativo, antecipando-se e adaptando-se às alterações em seu ambiente interno e externo. Em seu entendimento, essa resistência a mudanças poderiam ser explicadas como: pág.:27
  28. 28. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 28 a) as pessoas submetidas a processos intensivos de treinamento convencem-se de certos princípios e, ao defendê-los, impedem o desenvolvimento de novas idéias; b) apenas os indivíduos insatisfeitos e os que ocupam posições de chefia ou direção costumam resistir às inovações; c) a mudança organizacional ou institucional é sempre um processo complexo e custos, pois, entre outras coisas, tende a geral receios e inseguranças variadas entre os membros das organizações; d) organizações sem conflito e dirigidas por grupos reduzidos de chefes aderem com maior facilidade às mudanças; e) os membros de uma organização costumam sempre reagir positivamente à mudanças nas rotinas do trabalho, mas resistem a alterações nos vencimentos. 14. A organização formal é, classicamente, definida como aquela onde são determinados os padrões de inter-relação entre órgãos ou cargos, definidos logicamente através de diretrizes, normas e regulamentos visando ao alcance de seus objetivos. Em outras palavras, a organização é percebida como um conjunto de encargos funcionais e hierárquicos orientados para o objetivo da produção de bens e serviços. Suas principais características são: a) flexibilidade, padronização e comunicação; b) divisão do trabalho, especialização e hierarquia; c) integração horizontal e vertical, descentralização e autonomia das partes; d) competitividade, integração sistêmica e avaliação por resultados; e) interdependência operacional, desconcentração decisória e comandos horizontalizados. 15. Na estrutura linear ou militar, prevalecem a hierarquia e a subordinação do indivíduo a um só chefe. Segundo Henry Fayol, este tipo de subordinação chama-se: a) supervisão funcional; b) unidade de direção; c) unidade de comando; d) ordem; f) divisão do trabalho 16. A questão da liderança ocupa lugar de destaque na discussão a respeito do comportamento organizacional, seja no que se refere à capacidade de influenciar pessoas, seja no que se refere ao entendimento das estruturas de poder vigentes em cada organização. De qualquer modo, trata-se de uma questão multifacetada e repleta de aspectos particulares. As opções abaixo relacionadas representam idéias pág.:28
  29. 29. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 29 a respeito da liderança em organizações complexas. Indique aquela que oferece a visão mais rica, abrangente e acertada. a) Em uma organização complexa, o líder distingue-se pela capacidade de comandar pessoas, resolver conflitos internos e interpretar corretamente as regras procedimentais vigentes; deve, por isso, possuir as qualidades do talento, da energia e do carisma. b) A liderança não é uma função revestida necessariamente de investidura formal e apoia-se sempre em uma compreensão aprofundada na missão e da cultura das organizações, caracterizando-se pela capacidade de fixar metas claras, prioridades e diretrizes. c) A liderança é uma função sempre exercida por indivíduos tecnicamente preparados que dispõe de uma sólida estrutura de poder, identificando-se, neste sentido, com as atribuições da chefia administrativa. d) Toda liderança está cercada de prestígio e privilégios, fatores que são empregados pelo líder para obter a adesão ou a obediência dos demais membros das organizações. e) O líder eficiente deve dividir êxitos, erros e responsabilidades com os liderados, buscando ao mesmo tempo estar bem informado sobre todos os aspectos da organização, e, particularmente, sobre a movimentação financeira. 17. Os primeiros teóricos da Administração preocupavam-se, principalmente, com a: a) Humanização das rotinas de trabalho; b) Integração do homem à organização; C) Racionalização do trabalho para aumentar a produção; d) Realização de estudos profundos sobre a natureza humana; e) Implantação de um sistema único de produção e vendas. 18. O objetivo imediato é fundamental de toda e qualquer organização formal é produzir algo. Para ser eficiente, a produção deve basear-se na divisão do trabalho, processo pelo qual o trabalho de produção de bens e serviços é decomposto em uma série de pequenas tarefas, executadas coordenadamente por trabalhadores especializados. A divisão e a especialização do trabalho são ás peças-chave da moderna administração de organizações formais e apresentam as seguintes vantagens: a) Padronização e simplificação das atividades em todos os níveis; b) Fragmentação e automatização doa processo produtivos; c) Melhor aproveitamento da força de trabalho pela organização; d) Aumento da eficiência e diminuição dos custos de produção; pág.:29
  30. 30. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 30 e) Eliminação do desgaste e desperdício de recursos humanos e materiais. 19. É uma das conclusões da “ Experiência de Hawthorne”: a) Um maior detalhamento das tarefas proporciona aumento de produtividade; b) O nível de produção é resultante da integração social; c) A supervisão funcional facilita a centralização da autoridade; d) A disposição da autoridade em níveis hierárquicos é essencial para se conseguir melhor utilização dos recursos humanos; e) A retribuição financeira individual é fator preponderante para a motivação dos empregados. 20. Como toda ciência, a ação de administrar requer conhecimentos acerca de matérias específicas, o que faz com que aquele que administra, isto é, o administrador, tenha que estar capacitado, por exemplo, através de conhecimentos variados hauridos em diversas leituras e permanente instrução; o que diferencia a administração das demais ciências é que ela é uma corrente de vários pensadores, onde cada autor aborda a administração sob um aspecto, não permitindo a formação de uma filosofia única. Considerando a dinâmica das mudanças do mundo atual, que requer contínuo aperfeiçoamento naquilo que hoje é verdade, julgue as opções abaixo: ( ) A administração científica de Taylor é aquela que dá prioridade aos aspectos teóricos da administração, tais como métodos de tomada de decisões e estabelecimento de um curso de ação. ( ) A arte de administrar refere-se especificamente à prática de administração, os conceitos atuais de administração são o produto de um processo de evolução longo e complexo, que ainda está em andamento e revolucionando a teoria e as práticas de administração; a teoria tradicional da administração ainda é largamente utilizada no mundo empresarial, e seus efeitos refletem de modo positivo, na performance das empresas, razão pela qual não há necessidade de mudança, até porque, em time que se está ganhando não se mexe. ( ) É pensamento já há algum tempo de muitos autores que as tradicionais teorias e conceitos devem subordinar-se às mais novas teorias comportamentais de administração, assim como às teorias dos sistemas e da contingência, que são as mais novas; a alegação é para ver se elas se mantêm sob os descobrimentos mais novos feitos pelas ciências do comportamento e pela ciência quantitativa que estudam o comportamento das organizações, uma vez que a administração enquanto ciência está se desenvolvendo com grande desenvoltura, podendo ser aplicada em um futuro próximo sem nenhuma restrição, pág.:30
  31. 31. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 31 pois estaremos diante de uma ciência “perfeita, não havendo necessidade de novas adaptações”. ( ) O desenvolvimento de técnicas “científicas” realistas aplicáveis ao estudo, bem como à administração do comportamento social e humano também foi uma grande contribuição de administração mecanicista, cuja motivação envolvia variáveis múltiplas e não era unicamente uma função de satisfazer as necessidades econômicas, mas acima de tudo que a informações desenvolvidas nesse campo eram mais precisas que as obtidas pelos meios científicos. ( ) Muitas das técnicas desenvolvidas cientificamente ainda não foram testadas ao longo do tempo, fazendo com que cresça de importância a experiência passada do administrador; como resultado podemos dizer que essas experiências servem de parâmetros para implementação de programas em qualquer empresa. 21. Há uma série contínua das possíveis abordagens ao comportamento gerencial em uma organização. Elas se baseiam principalmente na preocupação do administrador com a produção e seu uso de autoridade para consegui-la, em oposição à preocupação com os subordinados e os relacionamentos humanos; no início do século XX, o objetivo da organização era produzir mais e com maior eficiência para que o lucro fosse maior; sendo assim, podemos dizer que: ( ) As abordagens mecanicistas procuravam desenvolver operações eficientes e consideravam os trabalhadores como apenas um outro fator de produção, do mesmo modo que a terra ou o equipamento. ( ) O movimento de administração científica procura aumentar a produção ao mesmo tempo em que melhora as condições de trabalho dos empregados e eleva seus ganhos; seus primeiros conceitos foram introduzidos nos Estados unidos por Frederick Taylor. ( ) O movimento humanístico enfatizava o tratamento favorável aos empregados e não a sua produção ou desempenho. Os experimentos de Hawthorne dão início ao movimento, desviando o objeto de estudo para as relações humanas. ( ) A reação a estes movimentos de administração científica e humanístico, resultou em uma abordagem de síntese racional que usa os melhores elementos de cada um deles. ( ) A teoria da administração desenvolveu-se muito rapidamente por diversas razões importantes, uma das quais era que a época era favorável à disseminação de idéias, implementação e execução das políticas de estímulo e desenvolvimento. 22. A administração científica tornou-se possível a partir de 1889, principalmente porque a administração não tinha entre outras coisas: pág.:31
  32. 32. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 32 um claro conceito de responsabilidade, não eram aplicados padrões de desempenho, não eram usados sistemas de incentivo, e que principalmente, as decisões gerenciais eram baseadas em experiências passadas, ou o que era ainda pior, por intuições. Assim Taylor além de preocupar-se com a eficiência, também preocupou-se com o comportamento do trabalhador, criando o que ele chamou de “Princípios da Administração Científica”. Sendo assim: ( ) Os administradores deveriam desenvolver um método científico para cada elemento do trabalho de uma pessoas que substituísse o antigo método das velhas regras. ( ) Os administradores deveriam selecionar, treinar, ensinar e desenvolver cientificamente os trabalhadores, ao invés do trabalhador escolher seu próprio trabalho e definir o método de execução. ( ) O programa de incentivos salariais e prêmios era a mola propulsora do negócio. ( ) O tempo-padrão foi adotado como medidor de eficiência em cada fase do processo produtivo. ( ) Os administradores deveriam executar tarefas para as quais são mais indicados, entre elas a de planejar. 23. É de fundamental importância para se compreender a relação entre motivação e desempenho, entender que o comportamento do homem: ( ) É marcadamente diferente do comportamento da mulher ou da criança. ( ) Apresenta variações substanciais de acordo com a idade mental. ( ) Caracteriza-se por um elevado padrão de racionalidade objetiva. ( ) Pode ser analisado em função das necessidades que ele sente. ( ) Não poderá jamais se pautar por limitações de qualquer ordem. 24. Quando o líder se omite e deixa a decisão por conta do grupo, o estilo de liderança por ele utilizado é do tipo: ( ) Democrático. ( ) Autoritário. ( ) Participativo. ( ) Consultivo. ( ) Laissez-faire 25. A Escola de Relações Humanas revolucionou a teoria geral da administração da época ao mostrar que: (A) o desempenho dos trabalhadores não seria determinado apenas pelos métodos de trabalho propostos pela administração científica, mas também pelo efeito do sistema social no comportamento dos indivíduos. pág.:32
  33. 33. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 33 (B) o desempenho dos trabalhadores não seria determinado apenas pela qualidade dos gerentes, mas também pelo desenvolvimento tecnológico da empresa. (C) o desempenho dos trabalhadores não seria determinado apenas pelas técnicas de aumento de produtividade propostas por Taylor e Fayol, mas também pelas normas e regras da organização. (D) o desempenho dos trabalhadores não seria determinado somente pela cultura organizacional, mas também pelo efeito das relações sociais mais gerais em cada indivíduo. (E) o desempenho dos trabalhadores não seria determinado apenas pelo ambiente, mas também pelas técnicas de aumento de produtividade. 26. O “pai fundador” da administração científica é (A) Woodrow Wilson. (B) Frederick Taylor. (C) Henry Ford. (D) Max Weber. (E) Elton Mayo. 27. A Escola de Relações Humanas foi fundada a partir de trabalho baseado (A) nos estudos de Wiener sobre as motivações do trabalhador. (B) na experiência de Hawthorne, realizada na Western Eletric. (C) na experiência acumulada de professores de Harvard na área de recursos humanos. (D) em estudos centrados no enfoque sistêmico da administração. (E) na experiência do cálculo dos tempos e movimentos dos trabalhadores. 28. Entre os principais teóricos da Administração Científica, Henry Fayol destaca-se por ter sido o pioneiro (A) no reconhecimento de que o poder dentro da empresa é uma variável estratégica para a área de recursos humanos. (B) no reconhecimento de que a administração deveria ser vista como função separada das demais funções da empresa. (C) no reconhecimento de que a formação de lideranças é fundamental para o aumento da produtividade. (D) no reconhecimento de que o principal objetivo da administração é estudar o funcionamento da linha de montagem. (E) no reconhecimento de que os sistemas culturais são fundamentais para definir o comportamento dos trabalhadores. pág.:33
  34. 34. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 34 Próxima semana: Na próxima aula continuaremos nosso estudo sobre as próximas abordagens administrativas, que serão a Abordagem Estrutural da Administração (Teoria Estruturalista e Modelo Burocrático), Abordagem Neoclássica (Teoria Neoclássica e Administração por Objetivos – APO) e a Abordagem Comportamental (Teoria Comportamental e a Teoria do Desenvolvimento Organizacional – DO). Pensamento da semana: “Nossas dúvidas são traidoras, E nos fazem perder o bem que sempre poderíamos ganhar, Por medo de tentar.” Shakespeare Gabarito: Tem certeza que já tentou responder às questões??? Só leia o gabarito para fins de correção, e mande suas dúvidas pelo “fórum de discussões” que terei o maior prazer em respondê-los. 1. v, v, v, v, v 2. v, v, v, v, v 3. F, v, F, v, v 4. v, v, F, v, F 5. F, v, v, v 6. v, F, v, v, v 7. v, v, F, v, F 8. v, v, F, v, v 9. d 10. d 11. c 12. e 13. c 14. b 15. c 16. b 17. b 18. d 19. b pág.:34
  35. 35. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 35 20. F, F, F, F, F 21. v, v, v, v, v 22. v, v, v, v, v 23. d 24. e 25. a 26. b 27. b 28. b E então??? Como foram seus acertos??? Se não foram bons, recomendo que estude a aula novamente, e com mais concentração. Até semana que vem! Bons estudos! pág.:35
  36. 36. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 1 Olá alunos! Como estamos em nossos estudos? Estão se dedicando verdadeiramente? Já fizeram todas as questões da aula “Zero”? Preparados para os próximos tópicos?? Então vamos lá!! Conforme combinamos aula passada, hoje vamos conversar sobre as próximas abordagens administrativas, que são a Abordagem Estrutural da Administração (Teoria Estruturalista e Modelo Burocrático), Abordagem Neoclássica (Teoria Neoclássica e Administração por Objetivos – APO) e a Abordagem Comportamental (Teoria Comportamental e a Teoria do Desenvolvimento Organizacional – DO). Dica: O Estudo de todas as Teorias são importantes para o Concurso, mas, no caso da prova do ICMS/SP que possui no Conteúdo Programático o tópico “Administração Pública”, o estudo do Modelo Burocrático deve ter sua atenção redobrada, uma vez que é hoje o Modelo adotado pela Administração Pública no Brasil. Voltamos a enfatizar que a principal parte do material apresentado neste curso refere-se a uma sinopse das obras do grande autor Idalberto Chiavenato, principalmente do Livro Introdução à Teoria Geral da Administração, Sétima Edição, Editora Campus. Vale ressaltar que se trata de material de uso pessoal, não podendo ser repassado a terceiros, em caráter gratuito ou oneroso, seja impresso, por e-mail ou qualquer outro meio de transmissão sob risco de violação do estabelecido na Lei n. º 9.610/1998 e no Código Penal. Desde já agradecemos a compreensão e estamos abertos para qualquer dúvida ou pendência, tanto sobre o material quanto para qualquer outro assunto relacionado ao concurso em questão. AULA UM: ABORDAGEM ESTRUTURAL DA ADMINISTRAÇÃO No início do século XX, Max Weber, um sociólogo alemão, publicou uma bibliografia a respeito das grandes organizações da sua época. Deu-lhes pág.:36
  37. 37. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 2 o nome de burocracia e passou a considerar o século XX como o século das burocracias, pois achava que essas eram as organizações características de uma nova época, plena de novos valores e de novas exigências. As burocracias surgiram a partir da época vitoriana como decorrência da necessidade que as organizações sentiram de ordem e de exatidão e das reivindicações dos trabalhadores por um tratamento justo e imparcial. O modelo burocrático de organização serviu como uma reação contra a crueldade, o nepotismo e os julgamentos tendenciosos e os parcialistas, típicos das práticas administrativas desumanas e injustas do início da Revolução Industrial. Rapidamente, a forma burocrática de Administração alastrou-se por todos os tipos de organização e o século XX representa o século da burocracia. Weber estudou as organizações sob um ponto de vista estruturalista, preocupando-se com sua racionalidade, isto é, com a relação entre os meios e os recursos utilizados e os objetivos a serem alcançados pelas organizações burocráticas. A organização por excelência, para Weber, é a burocracia. Com o aparecimento, crescimento e proliferação das burocracias, a teoria administrativa – até então introspectiva e voltada apenas para os fenômenos internos da organização – ganhou uma nova dimensão por meio da abordagem estruturalista: além do enfoque intra- organizacional, surgiu o enfoque interorganizacional. A visão estreita e limitada aos aspectos internos passou a ser ampliada e substituída por uma visão mais ampla, envolvendo a organização e suas relações com outras organizações dentro de uma sociedade maior. A partir daqui, a abordagem estruturalista se impõe definitivamente sobre a Abordagem Clássica e a Abordagem das Relações Humanas. Embora predomine a ênfase na estrutura, a visão teórica ganha novas dimensões e novas variáveis. Dica: O Modelo Burocrático de Max Weber é um dos mais cobrados em concursos, juntamente com Abordagem Clássica de Taylor e Fayol. Assim, muita atenção ao próximo tópico que vamos começar a estudar agora. I. MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO A Burocracia, Teoria Burocrática de Administração ou Modelo Racional- Burocrático, surge como resposta à necessidade de um modelo pág.:37
  38. 38. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 3 organizacional que considerasse todas as variáveis envolvidas (processo, comportamento humano, estrutura etc.), e que pudesse ser aplicada a todos os tipos de organização (não se restringindo à indústria). Corresponde a uma forma de organização que se baseia na racionalidade, isto é, na adequação dos meios aos fins (objetivos) pretendidos. Para compreender a Burocracia, Max Weber estudou os tipos de sociedade e autoridade: A – Sociedade tradicional, onde predominam as características patriarcais (a família, por exemplo); B – Sociedade carismática, onde predominam características místicas, arbitrárias e personalísticas (grupos revolucionários), e; C – Sociedade legal, racional ou burocrática, onde predominam normas impessoais e racionalidade na escolha dos meios e dos fins (grandes empresas, exércitos). Tipologia de sociedade e de autoridade e suas características segundo Weber Características Exemplos Tipos de autoridade Caracterís- ticas Legitimação Patriarcal e patrimonialista. Conservantismo Clã, tribo, família, sociedade mediaeval. Tradicional. Não é racional. Poder herdado ou delegado. Baseada no “senhor”. Tradição, hábitos, usos e costumes. Personalista, mística e arbitrária. Revolucionária. Grupos revolucionários, partidos políticos, nações em revolução. Carismática Não é racional, nem herdada, nem delegável. Baseada no “carisma”. Característica s pessoais (heroísmo, magia, poder mental) carismáticas do líder. Racionalidade dos meios e dos objetivos. Estados modernos, grandes empresas, exércitos. Legal, racional, impessoal, formal. Meritocrática. Legal, racional, impessoal, formal. Meritocrática Justiça da lei. Promulgação e regulamentaç ão de normas legais previamente definidas. pág.:38
  39. 39. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 4 (Tabela 11.1 – Tipologia de sociedade e de autoridade e suas características segundo Weber, pág.226 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus). Suas principais características são: 1 – Hierarquia da autoridade, herdada das organizações militares (cujas características foram estudas na aula zero; 2 – Caráter legal das normas e regulamentos – assim como a tradição legitima a autoridade patriarcal, a autoridade burocrática fundamenta-se em normas e regulamentos. É como se cada empresa possuísse uma constituição própria; 3 – Caráter formal das comunicações – na burocracia todas as comunicações são feitas por escrito, com vistas à comprovação e à padronização; 4 – Impessoalidade nas relações – a administração nas burocracias é efetuada sem considerar as pessoas como pessoas, mas como ocupantes de cargos e funções. A obediência é impessoal; não é prestada em consideração à pessoas do chefe, e sim do cargo que ocupa; 5 – Rotinas e procedimentos padronizados – a burocracia é uma organização que fixa regras e normas técnicas para desempenho do cargo, reeducando a conduta de seus membros; 6 – Meritocracia – a admissão, transferência e remoção dos funcionários são baseadas no mérito e na competência técnica, e não em critérios particulares e arbitrários. 7 – Especialização da administração – o que se deseja é a profissionalização de todos os membros, com distinção das atividades de gerência das de execução. A burocracia é baseada em: Conseqüências previstas: Objetivo: 1. Caráter legal das normas. 2. Caráter formal das comunicações. 3. Divisão do trabalho. 4. Impessoalidade no relacionamento. 5. Hierarquização da autoridade. 6. Rotinas e Previsibilidade do comportamento humano. Padronização do desempenho dos participantes. Máxima eficiência da organização. pág.:39
  40. 40. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 5 procedimentos. 7. Competência técnica e mérito. 8. Especialização da administração. 9. Profissionalização. 10. Previsibilidade do funcionamento. (Figura 11.1 – As características da burocracia segundo Weber, pág. 231– retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus Dica: Costumamos pensar em burocracia apenas como regras, formalismo e excesso de papelório, entretanto, para Weber, o termo burocracia significa a Organização por Excelência, ou seja, o melhor dos mundos! O que costumamos pensar sobre a palavra burocracia, é na verdade, o que deu errado, ou seja, suas disfunções, o que veremos logo adiante. Lembre disso!!! Vantagens da burocracia Weber viu razões para explicar o avanço da burocracia sobre as outras formas de associação. As vantagens da burocracia, para Weber, são: 1. Racionalidade em relação ao alcance dos objetivos da organização; 2. Precisão na definição do cargo e na operação, pelo conhecimento exato dos deveres; 3. Rapidez nas decisões, pois cada um conhece o que deve ser feito e por quem e as ordens e papéis tramitam através de canais preestabelecidos. Disfunções (“defeitos”) da burocracia 1 – Internalização das regras e apego aos regulamentos - existe quando: cumprir as normas passa a ser mais importante que atingir os objetivos. A atividade-meio passa a ser o resultado a ser alcançado. O funcionário se torna um especialista em normas; 2 – Excesso de formalismo e papelório – a necessidade de documentar todas as comunicações conduz à tendência ao excesso de papelório; pág.:40
  41. 41. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 6 3 – Resistência a mudanças – como tudo é padronizado e previsto com antecipação, o funcionário se acostuma a uma estabilidade, proporcionando-lhe segurança a respeito de seu trabalho. Qualquer mudança tende a ser interpretada como algo que desconhece, tornando- se indesejável. 4 – A base do processo decisorial – quem toma decisões é aquele que ocupa o posto hierárquico mais alto, mesmo que nada saiba sobre o tema. A “co-gestão” passa longe... 5 – Superconformidade às rotinas – com o tempo, as regras tendem a se tornar absolutas, sagradas, conduzindo a uma rigidez no comportamento do burocrata que restringe-se ao desempenho mínimo. Perde iniciativa, criatividade e inovação. 6 – Dificuldade no atendimento a clientes – todos os clientes são atendidos de forma padronizada, seguindo normas e rotinas internas, fazendo com que o público se irrite com a pouca atenção e o descaso. A burocracia fecha-se em si mesma. Dica: As disfunções são muito cobradas em concursos. É importante que você lembre na hora da prova que não existe organização totalmente racional, que o homem não é totalmente previsível, que a burocracia gerou excesso de formalismo e papelório, gerou grande resistência às mudanças e conflitos com o público. DIMENSÕES DA BUROCRACIA Não há um único tipo de burocracia. Existem graus de burocratização, variando em um continuum que vai do excesso à escassez. O grau é determinado pelas dimensões da burocracia (divisão do trabalho, hierarquia etc...), conforme quadro abaixo: Escassez de Burocratização Excesso de Burocratização Apadrinhamento Excesso de Exigências Falta de especialização, Superespecialização Bagunça, confusão Responsabilidade Liberdade Ordem e Excessiva disciplina Seleção e promoção de pessoal Regras e regulamentos Divisão do trabalho pág.:41
  42. 42. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 7 Ausência de Excesso de documentos papelório Informalidade Formalismo Ênfase nas Ênfase nos pessoas cargos Desordem Eficiência Rigidez (Figura 11.5 – Os graus da burocratização, pág. 238 – retirada do livro do Prof. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edição Compacta – 3a . Edição. Editora Campus). CRÍTICAS 1- Indicada para situações que exigem pouca criatividade, rotineiras, pois devido à padronização das rotinas e à estrutura verticalizada, o funcionário dispõe de pouca liberdade; 2 - Aproxima-se do sistema fechado: na medida em que tenta eliminar a influência dos fatores extrínsecos, a burocracia tende a ser um sistema hermético, não os considerando; 3 - É uma teoria mecanicista, na medida em que considera a organização com um arranjo rígido e estatístico de peças, neglicenciando a organização informal. SUMÁRIO 1 – A Teoria da Burocracia surgiu na Teoria Geral da Administração, por volta da década de 40, quando a Teoria Clássica e a Teoria das Relações Humanas lutavam entre si pela conquista de espaço na teoria administrativa e apresentavam sinais de obsolescência para sua época. 2 – Embora as origens da burocracia remontem à Antigüidade histórica, a burocracia, o capitalismo e a ciência moderna constituem três formas de racionalidade que surgiram a partir das mudanças religiosas (protestantismo). Dentre as três formas de dominação – a tradicional, a carismática e a burocrática -, esta última apresenta um aparato administrativo que corresponde à burocracia. 3 – O modelo burocrático de Max Weber foi estudado e analisado em todas as suas características, no sentido de se buscar a inspiração par uma nova teoria administrativa. 4 – O modelo weberiano oferece vantagens, já que o sucesso das burocracias em nossa sociedade se deve a inúmeras causas. Contudo, racionalidade burocrática, a omissão das pessoas que participam da Formalização das Comunicações Impessoalidade pág.:42
  43. 43. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 8 organização e os dilemas da burocracia, apontados por Weber, constituem problemas que a burocracia não consegue resolver adequadamente. 5 – Merton definiu as disfunções do modelo burocrático weberiano e notou que, em vez da máxima eficiência, tais disfunções levam à ineficiência da organização. 6 – Selznick verificou a interação entre a burocracia e o seu ambiente, trazendo à tona a burocracia como um sistema em transações ambientais. 7 – Igualmente, Goudner verificou graus de burocratização nas organizações. Assim, o modelo proposto por Weber é um modelo ideal de burocracia e não o modelo absoluto. 8 – Uma apreciação crítica da burocracia leva-nos à conclusão de que, apesar de todas as suas limitações e restrições, a burocracia é uma das melhores alternativas de organização, provavelmente muito superior a várias outras alternativas tentadas no decorrer do século XX. Dica: Comparando o que estudamos até agora, percebemos que Taylor procurava meios e métodos científicos para realizar o trabalho, e sua maior contribuição foi para a gerência; Fayol teve sua maior contribuição para a direção e Weber teve sua maior contribuição para a organização como um todo. Vemos que, todos os três se preocupavam com os componentes estruturais da organização. Dica: Palavras-chaves importantes sobre o Modelo Burocrático: Max Weber, ênfase na estrutura, burocracia = organização por excelência, homem como ocupante de um cargo, rotinas e procedimentos, previsibilidade, hierarquização da autoridade. II. Teoria Estruturalista Já sabemos, então, que a Teoria das Relações Humanas tentou introduzir o comportamento na teoria administrativa, por meio de uma filosofia humanística a respeito da participação do homem na organização. Entretanto, se de um lado combateu a Teoria Clássica, por outro não proporcionou bases adequadas de uma nova teoria que a pudesse substituir, e a Teoria da Burocracia não teve condições de ultrapassar esse impasse. pág.:43
  44. 44. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 9 A Teoria estruturalista representa um desdobramento da Teoria da Burocracia e uma leve aproximação à Teoria das Relações Humanas. Representa uma visão crítica da organização formal. O estruturalismo está voltado para o todo e para o relacionamento das partes na constituição do todo. A totalidade, a interdependência das partes e o fato de que o todo é maior do que a simples soma das partes são as características básicas do estruturalismo. A Sociedade de Organizações O estruturalismo ampliou o estudo das interações entre os grupos sociais para o das interações entre as organizações sociais. Da mesma forma como os grupos sociais interagem entre si, também interagem sobre si as organizações. Etizioni visualiza uma revolução da organização com novas formas sociais que emergem, enquanto as antigas modificam suas formas e alteram suas funções adquirindo novos significados. Essa evolução traz uma variedade de organizações, das quais a sociedade passa a depender mais intensamente. As organizações constituem a forma dominante de instituição da moderna sociedade: são a manifestação de uma sociedade altamente especializada e interdependente que se caracteriza por um crescente padrão de vida. Cada organização é limitada por recursos escassos e por isso não pode tirar vantagens de todas as oportunidades que surgem: daí o problema de determinar a melhor alocação de recursos. A eficiência é obtida quando a organização aplica seus recursos naquela alternativa que produz o melhor resultado. As burocracias constituem um tipo específico de organização, que são as chamadas organizações formais. Dentre as formais, avultuam as chamadas organizações complexas. Elas são caracterizadas pelo alto grau de complexidade na estrutura e processo devido ao grande tamanho (proporções maiores) ou à natureza complicada das operações (como hospitais e universidades). Os estruturalistas focalizam as organizações complexas por causa dos desafios que essas impõem à análise organizacional. O homem organizacional Enquanto a Teoria Clássica caracterizava o homo economicus e a Teoria das Relações Humanas o “homem social”, a Teoria Estruturalista focaliza pág.:44
  45. 45. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 10 o “homem organizacional”: o que desempenha diferentes papéis em várias organizações. O homem moderno, ou seja, o homem organizacional, para ser bem- sucedido em todas as organizações precisa ter algumas características de personalidade, como permanente desejo de realização, capacidade de adiar as recompensas, flexibilidade e tolerância às frustrações. As organizações sociais são conseqüência da necessidade que as pessoas têm de relacionar-se e juntar-se com outras pessoas a fim de poder realizar seus objetivos. Dentro da organização social as pessoas ocupam certos papéis. Papel é o nome dado a um conjunto de comportamentos solicitados a uma pessoa. Como cada pessoa pertence a vários grupos e organizações, ela desempenha diversos papéis, ocupa muitas posições e suporta grande número de normas e regras diferentes. Análise das Organizações Para estudar as organizações os estruturalistas utilizaram uma análise organizacional mais ampla do que qualquer outra anterior. Assim, a análise das organizações do ponto de vista estruturalista é feita a partir de uma abordagem múltipla que leva em conta os fundamentos da Teoria Clássica, da Teoria das relações Humanas e da Teoria da Burocracia. Essa abordagem múltipla envolve: 1. Tanto a organização formal como a informal; 2. Tanto as recompensas salariais e materiais como as recompensas sociais e simbólicas; 3. Todos os diferentes níveis hierárquicos de uma organização; 4. Todos os diferentes tipos de organizações; 5. A análise intra-organizacional e a análise interorganizacional. Objetivos Organizacionais As organizações são unidades sociais que procuram atingir objetivos específicos: a sua razão de ser é servir a esses objetivos. Um objetivo organizacional é uma situação desejada que a organização tenta atingir. É uma imagem que a organização pretende para o seu futuro. Se o objetivo é atingido, ele deixa de ser a imagem orientadora e é incorporado à organização como algo real e atual. A eficiência de uma organização é medida pelo alcance dos objetivos propostos. A competência da organização é medida pelo volume de recursos utilizados para realizar a produção. pág.:45
  46. 46. CURSOS ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO P/ ICMS-SP PROFESSOR JOSÉ CARLOS OLIVEIRA DE CARVALHO www.pontodosconcursos.com.br 11 Algumas das funções dos objetivos organizacionais são a apresentação de uma situação futura, a constituição de uma fonte de legitimidade, servir como padrões e como unidades de medidas para verificação e comprovação da produtividade da organização. Ambiente e Estratégia Organizacional As organizações existem em um contexto que chamamos de ambiente. Ambiente é tudo o que envolve externamente uma organização. Para os estruturalistas, o ambiente é constituído pelas outras organizações que formam a sociedade. A organização depende de outras organizações para seguir o seu caminho e atingir os seus objetivos. Assim, passam a se preocupar não somente com a análise organizacional, mas também com a análise interorganizacional. A análise interorganizacional está voltada para as relações externas entre uma organização e outras organizações no ambiente. As organizações podem adaptar-se e mudar para cumprir requisitos ambientais ou podem alterar o ambiente de forma que esse fique adequado às capacidades delas. A primeira alternativa é adaptativa, enquanto a segunda constitui um processo político de influenciar ou negociar com o ambiente externo em vez de reagir ao mesmo. O mercado recebe o nome de ambiente, como uma arena aberta para abrir a negociação a uma gama muito mais ampla de agentes e forças. A estratégia organizacional é a maneira deliberada de fazer manobras no sentido de administrar suas trocas e relações com os diversos interesses afetados por suas ações. Para os estruturalistas essas estratégias podem ser de competição e de cooperação. No fundo, a estratégia permite mapear a estrutura de poder existente na organização. Dica: A interação entre a organização e o ambiente torna-se fundamental para a compreensão do estruturalismo. Conflitos Conflito significa a existência de idéias, sentimentos, atitudes ou interesses antagônicos e colidentes que podem se chocar. Para os estruturalistas, os conflitos, embora nem todos desejáveis, são elementos geradores das mudanças e da inovação na organização. Conflito e cooperação são elementos integrantes da vida de uma organização. O propósito da administração deve ser o de obter cooperação e sanar conflitos, ou seja, criar condições em que o conflito possa ser controlado e dirigido para canais úteis e produtivos. pág.:46

×