Os lusiadas

230 visualizações

Publicada em

È um trabalho sobre os Lusiadas.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os lusiadas

  1. 1. O Renascimento A visão do antropocentrismo é adquirida no lugar do teocentrismo, a cultura greco-latina começa a ser trazida de volta ao mundo, a Ciência começa a se desenvolver melhor e a valorização da vida terrena e da Arte são frequentemente utilizados. As primordiais características do Renascentismo são: 1) Racionalismo, onde a razão é o único meio para se chegar ao conhecimento; 2) Experimentalismo, no qual o conhecimento deve ser mostrado racionalmente;
  2. 2. 3) Antropocentrismo, no qual o homem é o centro do universo e a mais bela criação de Deus; 4) Humanismo, onde o homem e sua natureza são glorificados, em contradição ao divino; 5) Classicismo, cultura que retoma a arte clássica. Ocorrido também na literatura e no teatro, nos séculos de XIV a XVI. No Renascimento, um dos mais importantes autores da Literatura Portuguesa, sem dúvida é Luís Vaz de Camões.
  3. 3. Luiz Vaz de Camões
  4. 4. Luís Vaz de Camões é o maior nome da literatura portuguesa e um dos maiores da literatura universal. Escreveu poesias líricas, uma poesia épica, 3 peças teatrais e algumas cartas. Sua vida é repleta de incertezas. Não se sabe ao certo o ano de seu nascimento, porém alguns estudos arriscam em dizer que foi em 1524. Veio de uma família decadente e freqüentou por algum tempo a Universidade de Coimbra, também serviu como militar na África onde perdeu o olho direito. Após permanecer um ano preso por ter agredido um oficial do rei, é exilado por 17 anos, morou inclusive em Macau (colônia portuguesa na China). Retorna para Portugal em 1570 com Os Lusíadas pronto.
  5. 5. Criador da linguagem clássica portuguesa, teve seu reconhecimento e prestígio cada vez mais elevados a partir do século XVI. Faleceu em Lisboa, Portugal, no ano de 1580. Seus livros vendem milhares de exemplares atualmente, sendo que foram traduzidos para diversos idiomas (espanhol, inglês, francês, italiano, alemão entre outros). Seus versos continuam vivos em diversos filmes, músicas e roteiros. Obras de Camões 1572- Os Lusíadas Teatro 1587 - El-Rei Seleuco. 1587 - Auto de Filodemo. 1587 - Anfitriões
  6. 6. Lírica 1595 - Amor é fogo que arde sem se ver 1595 - Eu cantarei o amor tão docemente 1595 - Verdes são os campos 1595 - Que me quereis, perpétuas saudades? 1595 - Sobolos rios que vão 1595 - Transforma-se o amador na cousa amada 1595 – Sete anos de pastor Jacob servia 1595 - Alma minha gentil, que te partiste 1595 - Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades 1595 - Quem diz que Amor é falso ou enganoso
  7. 7. Os Lusíadas
  8. 8. “Os Lusíadas” é uma epopeia do escritor português Luís Vaz de Camões, que tem como assunto a viagem de Vasco da Gama às Índias. A Narrativa é dividida em dez cantos que são organizados em 1.102 estrofes, cada uma com oito versos, todos decassílabos heroicos, e com rima ABABABCC. Mais que uma obra literária, pode-se dizer que é uma obra de arte, tal foi o empenho do autor em mantê-la com esta regularidade formal. Considerado o maior poema épico da língua portuguesa, foi publicado em 1572, com o apoio do Rei D. Sebastião.
  9. 9. O poema conta histórias sobre as perigosas viagens marítimas e a descoberta de novas terras, povos e culturas, exaltando o heroísmo do homem, que, navegador, aventureiro, cavalheiro e amante, é também destemido e bravo, e enfrenta mares desconhecidos em busca dos seus objetivos. Em Os Lusíadas podemos encontrar ideais renascentistas, imperialistas e nacionalistas, cristãos e pagãos, épicos e líricos, ufanistas e críticos, clássicos e barrocos. Com esta quantidade de contrapontos que se cruzam, Camões foi reconhecido como grande literato, elaborando uma obra com uma linguagem muito rica.
  10. 10. Quanto à história, o enredo é dividido em cinco partes, como manda a tradição clássica a uma epopeia. São elas: *Proposição - Apresentação da obra e síntese do assunto, ressaltando o heroísmo, o antropocentrismo, o ufanismo, dentre outras características do homem. *Invocação das Tágides - É um pedido do autor às musas Tágides, ninfas do rei Tejo, para virem lhe dar inspiração. *Dedicatória ao Rei D. Sebastião - O rei é apresentado como um menino, aos 14 anos assumindo o trono, exaltando-o como jovem e esperança da pátria. .
  11. 11. *Narração - Parte mais consistente da história, como já dito, foca-se em três pontos principais: a viagem de Vasco da Gama às Índias, a narrativa da história de Portugal e as lutas e intervenções dos deuses do Olimpo. Ao mesmo tempo, o autor faz descrições de fenômenos como a tromba marítima, e disserta sobre a moral, o ouro, as riquezas, entre outros interesses do homem renascentista. *Epílogo - última parte, contém críticas do poeta, lamentações sobre a realidade, exortações ao rei, etc. O tom destas últimas 12 estrofes é pessimista, criticando a decadência do país, e reforçando a exaltação ao Rei D. Sebastião.

×