GRUPOS DE REFERÊNCIA 
2014 
SÃO PAULO 
ABRIL DE 2014 
DOCUMENTO ORIENTADOR CGEB 
Nº 03 DE 2014 
COORDENADORIA DE GESTÃO DA...
Governador 
Geraldo Alckmin 
Vice-Governador 
Guilherme Afif Domingos 
Secretário da Educação 
Herman Voorwald 
Secretária...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 3 de 34
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 4 de 34 
Sumário 
Sumário .................................................................
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 5 de 34 
Breve Retrospectiva 
O comunicado CENP, de 11 de julho de 2011, desencadeou uma...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 6 de 34 
salas de aula, atividades de recuperação, de enriquecimento curricular e ao pro...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 7 de 34 
1 - Trabalhos Desenvolvidos pelo GR em 2014 
Em 2012 houve a continuidade das a...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 8 de 34 
2 – Trabalhos Desenvolvidos pelo GR em 2013 
Em março de 2013, os Grupos de Ref...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 9 de 34 
 Gestão de Resultados Educacionais do Ensino Aprendizagem. 
No total das152 te...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 10 de 34 
Em análise geral, os Grupos de Referência da SEE/SP demonstraram no ano de 201...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 11 de 34 
3. Orientações CGEB 2014 
Em 2014 o Grupo de Referência de cada Diretoria de E...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 12 de 34 
4. Plano de Ação e Acompanhamento do GR 
Para subsidiar o plano de formação e ...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 13 de 34 
ANEXO I – Referências Bibliográficas 
GESTÃO DE PESSOAS – DISCIPLINA E INDISCI...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 14 de 34 
GESTÃO ESCOLAR – ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR 
DRABACH, N P. Dos primeiros escritos d...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 15 de 34 
MEC. O trabalho do gestor na escola: dimensões, relações, conflitos e formas d...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 16 de 34 
BARRETOS, C. A formação de alfabetizadores. In: Cadernos de Educação Popular, ...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 17 de 34 
UNESP. É pesquisa, é? Sobre pesquisa educacional, o professor e o professor pe...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 18 de 34 
AZANHA, J. M. P. Proposta Pedagógica e Autonomia da Escola. Disponível em: <ht...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 19 de 34 
________________. Práticas para a disciplina: Disciplina e Indisciplina na Esc...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 20 de 34 
http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Portals/18/arquivos/CG_V1_2010_site_0...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 21 de 34 
VEIGA, I P A. Projeto político pedagógico da escola, uma construção possível, ...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 22 de 34 
PIMENTA, S G. Pesquisa Ação colaborativa: construindo seu significado a partir...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 23 de 34 
OUTROS 
BOURDIEU, P. As gênesis dos conceitos de habitus e de campo. In: O pod...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 24 de 34 
PEREIRA, A. S. Sistema de indicadores de desempenho. Disponível em http://prof...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 25 de 34 
Violência que rola. Ética: Direitos Humanos. Produção: Videolar S.A, MINISTÉRI...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 26 de 34 
ANEXO II – Temáticas por Grupo de Referência 
CAPITAL 
Gestão Pedagógica Diret...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 27 de 34 
Participação família e escola 
Gestão da sala de aula 
ITAQUAQUECETUBA 
Gestão...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 28 de 34 
Gestão de Resultados Educacionais do Ensino e Aprendizagem Diretoria de Ensino...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 29 de 34 
INTERIOR 
Gestão Pedagógica Diretoria de Ensino Temática ANDRADINA Gestão da s...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 30 de 34 
ANASTÁCIO Recuperação Intensiva ITAPEVA Gestão Pedagógica ITÚ Desafios na Qual...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 31 de 34 
SANTOS Gestão Pedagógica SÃO VICENTE GUARATINGUETÁ Gestão Pedagógica Gestão de...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 32 de 34 
Formação PCAGP/ Currículo de Ciências BOTUCATU MGME Gestão Pedagógica JAÚ Form...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 33 de 34 
Gestão de Pessoas Diretoria de Ensino Temática FERNANDÓPOLIS Indisciplina na s...
GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 
Página 34 de 34 
Pesquisa Ação Diretoria de Ensino Temática SÃO CARLOS Metodologia Pesquisa Açã...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Grupos referencia

1.227 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.227
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Grupos referencia

  1. 1. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 SÃO PAULO ABRIL DE 2014 DOCUMENTO ORIENTADOR CGEB Nº 03 DE 2014 COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA
  2. 2. Governador Geraldo Alckmin Vice-Governador Guilherme Afif Domingos Secretário da Educação Herman Voorwald Secretária Adjunta Cleide Eid Bauab Bochixio Chefe de Gabinete Fernando Padula Novaes Coordenadora de Gestão da Educação Básica Maria Elizabete da Costa Diretor do Departamento de Desenvolvimento Curricular e Gestão da Educação Básica João Freitas da Silva Diretora do Centro de Gestão e Planejamento do Quadro do Magistério Eunice Pinheiro Guimarães Turrini Equipe do Centro de Planejamento e Gestão do Quadro do Magistério Aglae Cecília Toledo Porto Alves; Alexandre Gianechini de Araújo; Carla Luciana Pereira de Almeida; Célia Magalhães de Souza; Débora Oliveira Diogo; Edineia dos Santos Pereira; Iria Regina do Nascimento Soares; Luciana Souza Santos; Márcia Natália Motta Mello; Roberto Hipólito Júnior; Sonia Maria Brancaglion; Valéria Arcari Muhi; Vera Lucia de Oliveira Ponciano Diagramação Uiara Maria Pereira de Araújo
  3. 3. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 3 de 34
  4. 4. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 4 de 34 Sumário Sumário ............................................................................................................................ 4 Breve Retrospectiva ........................................................................................................... 5 1 - Trabalhos Desenvolvidos pelo GR em 2014 .................................................................... 7 2 – Trabalhos Desenvolvidos pelo GR em 2013 ................................................................... 8 3. Orientações CGEB 2014 ............................................................................................... 11 4. Plano de Ação e Acompanhamento do GR ................................................................... 12 ANEXO I – Referências Bibliográficas ............................................................................... 13 GESTÃO DE PESSOAS – DISCIPLINA E INDISCIPLINA ......................................................................... 13 GESTÃO DE RESULTADOS EDUCACIONAIS DO ENSINO E APRENDIZAGEM .............................................. 13 GESTÃO ESCOLAR – ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR ............................................................................ 14 GESTÃO PEDAGÓGICA – FORMAÇÃO DOCENTE ............................................................................. 15 GESTÃO PEDAGÓGICA – SALA DE AULA ...................................................................................... 17 PESQUISA AÇÃO................................................................................................................... 21 NORMATIZAÇÃO DE DOCUMENTOS ............................................................................................ 22 OUTROS............................................................................................................................. 23 VÍDEOS......... ..................................................................................................................... 24 ANEXO II – Temáticas por Grupo de Referência ................................................................ 26
  5. 5. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 5 de 34 Breve Retrospectiva O comunicado CENP, de 11 de julho de 2011, desencadeou uma proposta de trabalho com o objetivo de possibilitar aos gestores o desenvolvimento de uma cultura de análise e reflexão dos problemas do cotidiano escolar a fim de renovar as suas práticas pedagógicas com vistas à melhoria da qualidade de ensino. Neste sentido iniciou-se um processo inovador de fortalecimento de formação de gestores das Diretorias de Ensino e Escolas e para garantir a implantação e implementação dessa proposta criou-se 27 Núcleos de Formação sendo, 12 na Capital e Grande São Paulo e 15 no Interior abarcando as 91 Diretorias de Ensino. A composição inicial dos Grupos de Referência de cada Diretoria de Ensino constituiu-se em: Supervisores de Ensino, Diretores de Escolas, Professores Coordenadores e um Integrante do Órgão Central. Este grupo tinha a atribuição de organizar os processos formativos que envolviam a gestão pedagógica da escola. No Comunicado CENP estavam explicitados os objetivos da formação continuada de gestores:  Desenvolver um trabalho sistemático com todos os envolvidos no processo de formação, com a finalidade de discutir a gestão em seus aspectos teóricos, fundamentos legais e práticas de gestão. A reflexão a ser desenvolvida terá como centralidade as atividades realizadas pelos gestores nas Diretorias de Ensino e Escolas, enfocando a organização do trabalho e o seu envolvimento com a atividade cotidiana dos professores do Ensino Fundamental e Ensino Médio;  Ressignificar as práticas de gestão a partir de um processo contínuo da ação- reflexão-ação, articulando teorias e práticas. O ponto de partida são as questões cotidianas, os problemas e as dificuldades que afetam a atuação do gestor, nos diversos espaços de atuação;  Implementar novas práticas de gestão escolar no âmbito da atuação relacionada à organização, orientação e planejamento de atividades didático-pedagógicas nas
  6. 6. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 6 de 34 salas de aula, atividades de recuperação, de enriquecimento curricular e ao processo de formação continuada da equipe escolar, em especial nos momentos de trabalho coletivo na escola, sobretudo na Hora de Trabalho Pedagógico Coletivo, HTPC;  Atender as demandas das escolas prioritárias. Com a reestruturação da SEE/SP, estabelecida pelo decreto nº 57.141/2011, as atribuições da CENP passaram a ser incorporadas pela Coordenadoria de Gestão da Educação Básica (CGEB), sob a responsabilidade do Centro de Planejamento do Quadro do Magistério (CEPQM), o qual assumiu o processo de organização e acompanhamento dos trabalhos dos Grupos de Referência a partir de 2012.
  7. 7. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 7 de 34 1 - Trabalhos Desenvolvidos pelo GR em 2014 Em 2012 houve a continuidade das ações de formação dos gestores do Grupo de Referência por meio do 1º Encontro Centralizado para todos os integrantes do GR das 91 Diretorias de Ensino na qual foram apresentadas as ações de 2011 e as diretrizes para 2012. Vale ressaltar que em 2012 o GR passou a contar com a participação do Diretor do Núcleo como mais um integrante do grupo para fortalecer a articulação na Diretoria de Ensino com a socialização das experiências, discussão, reflexão e compreensão das necessidades locais fornecendo subsídios para a proposição de novas práticas pedagógica e de um novo modelo de formação continuada. Outro momento de destaque de 2012 foi o 2º Encontro Centralizado do Grupo de Referência que foi realizado no Colégio Arquidiocesano, a fim de aprofundar os conhecimentos práticos e teóricos de gestão democrática e participativa realizada nas Diretorias de Ensino e Escolas pelos gestores e integrantes do GR, para a organização do trabalho pedagógico das Diretorias.
  8. 8. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 8 de 34 2 – Trabalhos Desenvolvidos pelo GR em 2013 Em março de 2013, os Grupos de Referência da SEE/SP reuniram-se no 1° Encontro Centralizado do ano e estiveram presentes 728 membros do GR da Capital, Grande São Paulo e do Interior e Dirigentes de Ensino. No decorrer do ano participaram de 4 encontros descentralizados nos 27 núcleos de formação (12 núcleos da Capital e Grande São Paulo e 15 núcleos do Interior), uma média de 365 participantes das Diretorias de Ensino do Interior, 241 das Diretorias de Ensino da Capital e Grande São Paulo e duas videoconferências com a participação dos Professores Doutores Celso dos Santos Vasconcellos e Julio Groppa Aquino. Os GR, de maneira geral e de acordo com as especificidades e demandas de cada Diretoria de Ensino, desenvolveram formações com o foco na gestão escolar, tendo como público alvo os seguintes gestores: Supervisores de Ensino, Diretores de escola, Professores Coordenadores e Professor Coordenadores de Apoio à Gestão Pedagógica (PCAGP) – este último em razão do trabalho com as Escolas Prioritárias. Estas formações foram fundamentadas em estudos teóricos1, num movimento de ação/reflexão/ação, em orientações técnicas, fóruns, seminários, palestras com especialistas da própria rede estadual e convidados. Como fruto do trabalho desenvolvido pelo GR, algumas diretorias de ensino fizeram também publicações como artigos, livros, videoconferências internas e outros. As temáticas2 desenvolvidas pelos grupos foram categorizadas com base nas Dimensões da Gestão Escolar, elencadas na Resolução SE 52, de 14/08/2013. Ficando as temáticas assim categorizadas:  Gestão Pedagógica;  Gestão de Pessoas;  Gestão de Recursos Didáticos / Materiais/ Físicos e Financeiros; 1 Anexo I - Referenciais 2 Anexo II - Temáticas desenvolvidas pelos Grupos de Referência 2013
  9. 9. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 9 de 34  Gestão de Resultados Educacionais do Ensino Aprendizagem. No total das152 temáticas desenvolvidas pelo GR, mais da metade (51,9%) relaciona-se à dimensão da Gestão Pedagógica e 17% relaciona-se à Gestão de Resultados Educacionais. Esses dados revelam que 69% dos GR direcionaram seus estudos e ações para a melhoria dos processos de ensino e de aprendizagem. Os Grupos de Referência têm desenvolvido formações voltadas para os gestores das Escolas Prioritárias desde o ano de 2012. Em 2013, 62 Grupos de Referência (68%) das 91 Diretorias de Ensino realizaram formação com os Professores Coordenadores de Apoio à Gestão Pedagógica (PCAGP) das Escolas Prioritárias, tanto na especificação de sua função quanto em outros diferentes temas da gestão pedagógica. Verifica-se, assim, o esforço e o comprometimento das equipes de formação das Diretorias de Ensino objetivando apoiar os gestores das Escolas Prioritárias no processo de superação das suas fragilidades. Gráfico 1 – Comparativo das dimensões da gestão escolar desenvolvidas nas formações pelos grupos de referência da CAPITAL e INTERIOR em 2013.
  10. 10. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 10 de 34 Em análise geral, os Grupos de Referência da SEE/SP demonstraram no ano de 2013 o envolvimento com as demandas do órgão central, seja na absorção desta demanda com atuação sob a identidade do GR ou quando se optou por atendê-la como profissional das Diretorias de Ensino. O desenvolvimento e o amadurecimento de cada Núcleo de Formação e de cada GR nas Diretorias de Ensino foram perceptíveis no sentido da consolidação dos objetivos e da metodologia de trabalho, averiguados por meio dos depoimentos registrados, nas avaliações das formações realizadas (tanto dos membros do GR quanto do público alvo com quem trabalharam) bem como a consolidação da identidade dos grupos, comparados aos anos anteriores de 2011 e 2012, considerando que cada núcleo, bem como cada GR, tem seu próprio ritmo e espaço de trabalho mediante a realidade da diretoria de ensino a qual pertencem.
  11. 11. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 11 de 34 3. Orientações CGEB 2014 Em 2014 o Grupo de Referência de cada Diretoria de Ensino dará continuidade aos trabalhos de reflexão e de formação dos temas trabalhados em 2013, no entanto deverão estar em consonância com o planejamento e as ações da CGEB, tendo por base os grandes temas:  Avaliação, recuperação e reforço;  Alfabetização;  Educação Inclusiva: Equidade e Igualdade;  Educação integral: o aluno e o conhecimento vistos como um todo;  Pacto do Ensino Médio/ MGME/ Pacto dos anos iniciais;  Aprimoramento do currículo;  Reorganização dos ciclos. Considerando o grau de desenvolvimento e amadurecimento dos GR, afinados com as diretrizes de autonomia, descentralização e corresponsabilidade, os integrantes do GR centralizarão suas ações de estudo e formação nas Diretorias de Ensino, cumprindo a carga horária mínima de 8 horas mensais. Tais ações deverão estar articuladas com o plano de formação e acompanhamento das diretorias de ensino. A composição do Grupo de Referência terá no mínimo 06 (seis) integrantes formado por: Supervisores de Ensino, Diretores de Núcleo Pedagógico, Diretores de Escola, Professores Coordenadores de Apoio à Gestão Pedagógica e Professores Coordenadores do Ensino Fundamental e Médio, sendo que sua constituição ficará sob a responsabilidade das Diretorias de Ensino, mantendo a paridade entre Diretoria de Ensino e Unidade Escolar.
  12. 12. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 12 de 34 4. Plano de Ação e Acompanhamento do GR Para subsidiar o plano de formação e acompanhamento da diretoria de ensino, é necessário que o GR elabore seu Plano de Ação e Acompanhamento, de acordo com as necessidades de cada Diretoria de Ensino e Unidade Escolar contemplando os grandes temas. A CGEB fará o acompanhamento sistematizado, por meio das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICS) das ações de formação desenvolvidas nas Diretorias de Ensino.
  13. 13. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 13 de 34 ANEXO I – Referências Bibliográficas GESTÃO DE PESSOAS – DISCIPLINA E INDISCIPLINA ANTUNES, C. O que é indisciplina, 2002. Disponível em: http://www.escolainterativa.com.br/canais/20_encontros_tem/encontros/material/2013_CelsoAntunes.pdf; ARAÚJO, U.F. Assembleia Escolar: Um caminho para a resolução de conflitos. São Paulo: Moderna, 2004; CHRISPINO, A. & DUSI, L H M. Uma proposta de modelagem de política pública para a redução da violência escolar e promoção da Cultura de Paz. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 16, n. 61, p. 597-624, out./dez. 2008. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v16n61/v16n61a07.pdf; VASCONCELLOS, C. (In)Disciplina: Construção da Disciplina consciente e interativa em sala de aula e na escola. 18ªed. São Paulo: Libertad Editora, 2010. 133 p. GESTÃO DE RESULTADOS EDUCACIONAIS DO ENSINO E APRENDIZAGEM HOFFMAN, J. Avaliação e construção do conhecimento, in: Avaliação: Mito e Desafio - uma perspectiva construtivista. Porto Alegre: Mediação, 1991. LUCHESI, C. C. Avaliação da aprendizagem: um ato amoroso. In: Avaliação da aprendizagem escolar. 19ª edição. São Paulo: Cortez, 2008; MACHADO, C. Avaliação Externa e Gestão Escolar: reflexões sobre o uso dos resultados. Revista @mbienteeducação. 5(1): 70-82, jan/jun, 2012. Disponível em http://www.cidadesp.edu.br/old/revista_educacao/pdf/volume_5_1/educacao_01_70- 82.pdf.
  14. 14. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 14 de 34 GESTÃO ESCOLAR – ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR DRABACH, N P. Dos primeiros escritos de Administração Escolar no Brasil aos escritos sobre Gestão Escolar: mudanças e continuidades. Currículo sem Fronteiras, v.9, n.2, pp.258-285, Jul/Dez 2009; LIBÂNEO, J. C. As atividades de direção e coordenação, in: Organização e Gestão da Escola. Alternativa: São Paulo, 2004; LORENZONI, R de L e outros. Conselho de Classe participativo: uma experiência de participação democrática na escola. Disponível em http://www.nre.seed.pr.gov.br/cianorte/arquivos/File/PEDAGOGAS/CONSELHO/ConselhodeClasseparticipativo.pdf; LÜCK, Heloísa. A Evolução da Gestão Educacional a partir de mudança paradigmática. Disponível em: http://ead.opet.net.br/conteudo/ead/Moodle_2.0/pos_graduacao/MBA_gest_org/gest_org_edu/PDF/LEITURA_3_aula_1.pdf; ____________. Gestão da Cultura e do Clima organizacional da escola. Série Caderno de Gestão nº 5, Editora Vozes: São Paulo, 2010; _____________. Liderança em gestão escolar. 4 ed.-Petrópolis, RJ:Vozes, 2010 –(série Caderno de Gestão;4) LÜCK, H. Dimensões da gestão escolar e suas competências. Curitiba: Positivo, 2009; _____________. Perspectivas da gestão escolar e implicações à formação de seus gestores. Brasília, V. 17, nº 72, pg. 1-21, fev/jun 2000; MACEDO, L., Desafios da prática reflexiva; Ano VI, nº 23, set/out 2002: Caderno do Gestor, SEE. Disponível em: http://www.rededosaber.sp.gov.br/contents/SIGS- CURSO/sigsc/upload/br/site_25/File/Ano_VI_23_Desafios_a_pratica_reflexiva_na_escola_red.pdf;
  15. 15. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 15 de 34 MEC. O trabalho do gestor na escola: dimensões, relações, conflitos e formas de atuação. Escola de Gestores, Curso de Especi8alização em Gestão Escolar. Disponível em: http://moodle3.mec.gov.br/ufms/file.php/1/gestores/vivencial/pdf/trabalhogestorescolar.pdf; PARO, Vitor H. A Educação, a política e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, nº 3, p. 763-778, set/dez, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v36n3/v36n3a08.pdf; PEREIRA, B.T., PEIXE, B.C., STARON, L. Avaliar a eficiência e eficácia da gestão escolar integral no processo ensino-aprendizagem: estudos de casos nas escolas estaduais da região de Campo Largo. Disponível em: escoladegoverno.pr.gov.br/arquivos/FILE/formulacao_e_gestao_de_politicas_publicas_no_parana/volume_I/capitulo_educacao/1_2.pdf (Acesso em 10.05.2013); SÃO PAULO, Estado. Secretaria da Educação. Caderno do gestor: Gestão do currículo na escola. Coord. Maria Inês Fini. Edição Especial. São Paulo: SEE, 2010; SQUILASSE, M. C. Paradigmas organizacionais em gestão escolar: um estudo piloto. Educação: teoria e prática. V. 5, nº 8, pg. 42-52, jan/jun, 1997 e nº 9, dez, 1997; UDEMO. A Escola Pública e as exigências educativas do mundo contemporâneo. Revista do Projeto Pedagógico, 2011. GESTÃO PEDAGÓGICA – FORMAÇÃO DOCENTE ALTENFELDER, A. H. Desafios e Tendências em Formação Continuada. Constr. Psicopedag. V. 13, nº 10: São Paulo, 2005. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-69542005000100004; AQUINO, Júlio G. - A autoridade docente e as interrogações do presente democrático, SEE/SP, 2013;
  16. 16. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 16 de 34 BARRETOS, C. A formação de alfabetizadores. In: Cadernos de Educação Popular, nº 17, São Paulo: Nova e Vozes, 1990, pg. 54-64; IMBERNÓN, F. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2000, pg. 79-103; LIMA, Maria Socorro Lucena. Vida e Trabalho – Articulando a formação contínua e o desenvolvimento profissional de professores; ?. NOVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009. Disponível em http://www.etepb.com.br/arq_news/2012texto_professores_imagens_do_futuro_presente. pdf; PELISSARI, C. Os seis desafios do formador. Disponível em: http://www.paralapraca.org.br/wp-content/uploads/2011/10/Os-seis-desafios-do- coordenador.pdf; REIS, P. Observação de Aulas e Avaliação Docente. Lisboa: Ministério da Educação, Conselho Científico para Avaliação de Professores, 2011. Disponível em: http://publicationslist.org/pedro.reis Acesso em 15/03/2013; SÃO PAULO. Secretaria de Estado da Educação de São Paulo/Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas, Plano de Formação Continuada de Professores e Gestores/CENP, 2011, publicado em DOE de 11/07/2011; SCARPA, R. Era assim, agora não: concepção, princípios e estratégias do projeto de formação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998. SHÖN, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995; TARDIF, M. & LESSARD, C. O Trabalho Docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes, 2005;
  17. 17. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 17 de 34 UNESP. É pesquisa, é? Sobre pesquisa educacional, o professor e o professor pesquisador. Diagnóstico inicial da realidade escolar. Vivências educadoras, momento 3. São Paulo, 2001, p 40-57. VASCONCELLOS, C. Construção do Conhecimento em Sala de Aula, 18a ed. São Paulo: Libertad, 2012; __________________. Currículo: A Atividade Humana como Princípio Educativo, 3ª ed. São Paulo: Libertad, 2012; __________________. Para onde vai o Professor - Resgate do Professor como Sujeito de Transformação, 12a ed. SãoPaulo: Libertad, 2012; ____________________. Formação didática do educador contemporâneo: desafios e perspectivas. In: UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Prograd. Caderno de Formação: formação de professores didática geral. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011. v. 9, p. 33-58; WEISZ, T. O Diálogo entre o Ensino e a Aprendizagem. São Paulo: Ática, 2002. ZEICHNER, K. M. El Maestro como Professional reflexivo. Cuadernos de Pedagogia. GESTÃO PEDAGÓGICA – SALA DE AULA ANDRÉ, Marli E. D. A. Cotidiano Escolar e Práticas Sócio-Pedagógicas. In: Aberto. Brasília, ano 11, nº 53, jan/mar, 1992; _________________. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 2000, 5ª edição, v. 11, nº33, pgs. 511-565, set/dez, 2006; ANTUNES, C. Professor bonzinho = aluno difícil: a questão da indisciplina em sala de aula. 6. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007; AQUINO, J. G. Desordem na relação professor aluno: indisciplina, moralidade, conhecimento; ?
  18. 18. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 18 de 34 AZANHA, J. M. P. Proposta Pedagógica e Autonomia da Escola. Disponível em: <http://www.crmariocovas.sp.gov.br/pdf/constr_prop_p018-024_c.pdf>, acessado em março de 2013; FUSARI, J. C. A construção da proposta educacional e do trabalho coletivo na unidade escolar, 1992. Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/sem_pedagogica/fev_2009/construcao_proposta_educacional_trabalho_coletivo.pdf; DOURADO, L. F. Progestão: como promover, articular e envolver a ação das pessoas no processo de gestão escolar?, módulo II. Brasília: CONSED, 2011. Disponível em: http://www.crmariocovas.sp.gov.br/Downloads/ccs/Modulo02_CE.pdf; EYNG, A. M. Projeto pedagógico: construção coletiva da identidade da escola - um desafio permanente. Revista Educação em Movimento, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 25-32, jan./abr. 2002. http://www.edicoessm.com.br/files/gestorescolar; GARCIA, Joe. Indisciplina na Escola: uma reflexão sobre a dimensão preventiva. R. Paran. Desenv., Curitiba, n.95, jan./abr. 1999, p. 101-108. Disponível em: http://www.ipardes.pr.gov.br/ojs/index.php/revistaparanaense/article/view/275/229; GROPPA, J. de A. A autoridade docente e as interrogações do presente democrático, SEE/SP, 2013; MACEDO, L. de. Disciplina é um conteúdo como qualquer outro. Revista Escola. São Paulo, ago.2005. Entrevista concedida a Márcio Ferrari. Disponível em: <http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/disciplina- conteudo-como-qualquer-outro-431413.shtml>. Acesso em 24.abr.2012; _________________. Ética, cidadania e educação: Escola, democracia e cidadania. Disponível em: http://www.portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_d> Acesso em: 04/05/2012;
  19. 19. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 19 de 34 ________________. Práticas para a disciplina: Disciplina e Indisciplina na Escola. [2002]. Produzido e distribuído por ATTA mídia e Educação. DVD. 10 min, son., color.Português; MARÇAL, J. C. Progestão: como promover a construção coletiva do projeto pedagógico da escola? (Módulo III) Brasília: CONSED, 2001; MORETTO, V. Projeto Pedagógico: expressão da identidade institucional. Texto publicado na edição de agosto de 2012 da revista Profissão Mestre. http://www.profissaomestre.com.br/view/action/visualizarMateria.php?cod=2467 NOGUEIRA, N. R. Projetos de trabalho a serviço do Projeto Político Pedagógico. In: Pedagogia dos projetos: etapas, papéis e atores. 1. ed. São Paulo: Érica, 2005. Cap. 2.1.3, pp. 36-39; _________________. Pedagogia dos projetos: uma jornada interdisciplinar rumo ao desenvolvimento das múltiplas inteligências; ? PLACO, V. M. N. de S. O coordenador pedagógico no confronto com o cotidiano da escola. IN: O coordenador Pedagógico e o cotidiano da escola. São Paulo: Loyola, 2003. Disponível em: http://books.google.com.br/books?hl=pt- BR&lr=&id=ikcUmCeZLOIC&oi=fnd&pg=PA47&dq=PLACCO,+V+M+N+de+S.+O+coordenador+ pedag%C3%B3gico+no+confronto+com+o+cotidiano+da+escola%3B&ots=7RfOmZraB2&sig= rDi1etUDucOcAechDM2a5UthYmU#v=onepage&q&f=false; PLACO, V. M. N. D; ALMEIDA, L. R.(Org.). O coordenador pedagógico e o cotidiano da escola. 6.ed. São Paulo: Loyola, 2009. p.167-183; SANTOS, Branca. Gestão da sala de aula para prevenção da indisciplina: Que competências? Que formação? Disponível em: http://www.educ.fc.ul.pt/recentes/mpfip/pdfs/brancasantos.pdf; SÃO PAULO. (Estado) Secretaria da Educação. Comunicado CENP de 11/07/2011; __________________________________________. Caderno do gestor: gestão do currículo na escola, v. 1. Secretaria da Educação. São Paulo: SEE, 2010. Disponível em:
  20. 20. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 20 de 34 http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Portals/18/arquivos/CG_V1_2010_site_050310. pdf; __________________________________________. Caderno do gestor: gestão do currículo na escola, v. 3. Secretaria da Educação. São Paulo: SEE, 2010. Disponível em: http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Portals/18/arquivos/CG_site_09_12.pdf; __________________________________________. Matrizes de referência para a avaliação SARESP: documento básico/ Secretaria da Educação. São Paulo: SEE, 2009. Disponível em: http://file.fde.sp.gov.br/saresp/saresp2013/Arquivos/Saresp2013_MatrizRefAvaliacao_DocBasico_Completo.pdf; __________________________________________. Orientações Curriculares do Estado de São Paulo: Língua Portuguesa e Matemática. Ciclo I / Secretaria da Educação. São Paulo: FDE, 2008. Disponível em: http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Portals/36/arquivos/proposta_ciclo_I.pdf; __________________________________________. Orientações Curriculares do Estado de São Paulo: Ciclo II e Ensino Médio / Secretaria da Educação. São Paulo: FDE, 2008. Disponível em: http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Portals/18/arquivos/PropostaCurricularGeral_Internet_md.pdf; SEVERINO, A. J. O projeto político-pedagógico: a saída para a escola. In: Para onde vai a escola? Revista de Educação da AEC, Brasília, DF (107), abril/jun.1998; VASCONCELOS, C. dos S. Desafios da qualidade da educação, gestão da sala de aula, SEE/SP, 2013; ________________________. Projeto Político Pedagógico: Considerações sobre sua Elaboração e Concretização; ?
  21. 21. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 21 de 34 VEIGA, I P A. Projeto político pedagógico da escola, uma construção possível, 2004. Disponível em: http://pt.scribd.com/doc/58007989/Projeto-politico-pedagogico-da-escola- uma-construcao-possivel; ZABALA, A. A prática Educativa: como ensinar. Disponível em: http://www.professorefetivo.com.br/resumos/A-Pratica-Educativa-Como-Ensinar.html. PESQUISA AÇÃO ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: buscando rigor e qualidade. Cadernos de Pesquisa, nº 113, p. 51-64, jul/2011; BAGNO, Marcos. Pesquisa na Escola: o que é, como se faz. São Paulo: Edições Loyola, 1998. BARBIER, R.A. Pesquisa-Ação. São Paulo: Liber Livros, 2002; BRANDÃO, C. R. Repensando a pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1985; ENGEL, G.I. Pesquisa-ação. In Educar em Revista, Curitiba: UFPR, 2000, n. 16, p. 181 a 191. FRANCO, M A Santoro. Pedagogia da Pesquisa Ação. Educação e Pesquisa. São Paulo. V. 31, nº 3, pgs. 483 a 502, set/dez, 2005. MAZZOTTI, A. J. A. Relevância e aplicabilidade da pesquisa em educação. Cadernos de Pesquisa, nº 113, pg. 39-50, jul/2001; MIRANDA, M. G de, RESENDE, A.C.A. Sobre a Pesquisa-ação na educação e as armadilhas do praticismo. Revista Brasileira de Educação. V.11, nº 33, pg. 511-565, set/dez, 2006; PIMENTA, S. G. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente. Educação e Pesquisa. São Paulo, V. 31, pg. 521-539, set/dez, 2005;
  22. 22. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 22 de 34 PIMENTA, S G. Pesquisa Ação colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n3/a13v31n3.pdf; RICHARDSON, R.J. Como fazer Pesquisa Ação? Disponível em www.jarry.sites.uol.com.br/pesquisaacao.htm. Acesso em 20/10/2011; RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999; SANTORO, M A. Pesquisa Ação: uma produção partilhada de conhecimento, 2013 (para Grupo de Referência da DE de Santos – SEE/SP); THIOLLENT, M. Metodologia de Pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 18ª edição, 2011; TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa: São Paulo, V. 31, pg. 443-466, set/dez, 2005. NORMATIZAÇÃO DE DOCUMENTOS Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10520: Informação e Documentação – Citações em documentos – Apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2012; Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15287: Projeto de Pesquisa – Apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2011; Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 6023: Informação e Documentação – Referência – Elaboração. Rio de Janeiro: ABNT, 2011; MEDEIROS, João Bosco. Redação científica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas. São Paulo: Atlas, 2009; RUIZ, E. M. S. D. Manual para normalização de trabalhos acadêmicos. Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2010.
  23. 23. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 23 de 34 OUTROS BOURDIEU, P. As gênesis dos conceitos de habitus e de campo. In: O poder simbólico. 7ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand, 2004; DURAN, M C G. Maneiras de pensar o cotidiano com Michel de Certeau. Diálogo Educ., Curitiba, v.7, nº 22, pgs. 115-128, set/dez, 2007; FREIRE, M. A importância e função do registro escrito, da reflexão. In: Metodologia e Prática de Ensino; ? __________. Observação, registro, reflexão: instrumentos metodológicos I. São Paulo: Espaço Pedagógico, Série Seminários, 1996. Disponível em: http://www.oocities.org/br/ brucewaynes/ 09_observacaoregistroreflexao.pdf; GANZELLI, P. O político, o pedagógico e a pesquisa. In: Reinventando a escola pública por nós mesmos. São Paulo: Alínea 2011; LIBÂNEO, J. C. ET AL. Educação Escolar: Políticas, Estrutura e Organização. São Paulo: Cortez, 2003. p. 355 a 378; MACHADO, L. M., MAIA, G. Z. A. Quem embala a escola? Considerações sobre a administração escolar, administração e supervisão escolar e questões para o novo milênio. São Paulo: Pioneira, 1998; MARQUES, L R. Democracia radical e democracia participativa: contribuições teóricas a análise da democracia no Brasil; Educ. Soc., Campinas, vol. 29, n. 102, p. 55-78, jan./abr. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v29n102/a0429102.pdf; MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2002; MOTA, C. G. Saída é uma constituinte para a reforma política, 2013; Disponível em: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,saida-e-uma-constituinte-para-a-reforma- politica-diz-carlos-guilherme-mota,1045869,0.htm;
  24. 24. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 24 de 34 PEREIRA, A. S. Sistema de indicadores de desempenho. Disponível em http://professoraaline.files.wordpress.com/2011/06/aula11_indicadores_gestao.pdf; PERRENOUT P. Dez novas competências para ensinar. São Paulo: Artmed, 2000; PINHEIRO, Paulette. Indicadores de desempenho do programa de pesquisa e desenvolvimento tecnológico do setor de energia elétrica numa distribuidora. Monografia, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, maio 2008; SILVA, M T P da. Um estudo sobre as representações de alteridade e seus indicadores. Disponível em http://www.uniritter.edu.br/eventos/linguagem/anais_artigos/ARTIGOS/M/Miriam%20Teresinha%20Pinheiro%20da%20Silva.pdf; VICTORINO Fº,A. & BERINO A.P. Culturas juvenis, cotidiano e currículos, in Currículo sem fronteiras, 2007. Currículo sem Fronteiras, v.7, n.2, pp.7-20, Jul/Dez 2007 Disponível em http://www.curriculosemfronteiras.org/vol7iss2articles/victorio-berino.pdf. VÍDEOS A autoridade docente e as interrogações do presente democrático. Conferencista: Júlio Groppa de Aquino. Produção: Rede do Saber, São Paulo: SEE/SP, 03:22:09, 27/08/2013, 1 DVD; A escola e a construção de valores morais. Programa Ética, Valores e Cidadania na escola. 16 min, son., color. Português. Disponível em:<www.iptv.usp.br>; Assembleias de classe e democracia escola. Produção: Programa Ética, Valores e Cidadania na escola. 33 min. Português. Disponível em:www.iptv.usp.br; Desafios da qualidade na Educação: gestão de sala de aula. Processo de Formação de Gestores. Conferencista: Celso Vasconcellos, Produção: Rede do Saber, São Paulo: SEE/SP, 3:17:40, 09/05/2013, 1 DVD;
  25. 25. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 25 de 34 Violência que rola. Ética: Direitos Humanos. Produção: Videolar S.A, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria da Educação à distância. 11min. 1 DVD.
  26. 26. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 26 de 34 ANEXO II – Temáticas por Grupo de Referência CAPITAL Gestão Pedagógica Diretoria de Ensino Temática CAIEIRAS Mecanismo de apoio à gestão Formação de gestores Atributos e atribuições do PCAGP CENTRO OESTE Gestão da sala de aula NORTE 1 Gestão de sala de aula CENTRO Currículo e Avaliação Intervenção na sala de aula MGME Gestão Participativa LESTE 1 Autoridade Docente – Júlio G. Aquino LESTE 2 Gestão Pedagógica LESTE 3 Gestão de sala de aula LESTE 4 Observação da sala de aula Técnicas de feedback LESTE 5 Gestão de sala de aula Gestão Participativa CENTRO SUL Dimensão Pedagógica Formação de Formadores SUL 1 Formação de Formadores SUL 2 Família e escola/ MGME GUARULHOS NORTE Didática das estratégias e metodologias Observação da sala de aula e feedback Uso das Tecnologias no trabalho da equipe gestora e no ensino aprendizagem Regimento Escolar Pedagogia de Projetos GUARULHOS NORTE Regimento Escolar GUARULHOS SUL Dimensões Pedagógicas: foco Currículo Observação da sala de aula e feedback Currículo Papel da gestão na implantação do Currículo Progressão Continuada Gestão Pedagógica no PAP
  27. 27. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 27 de 34 Participação família e escola Gestão da sala de aula ITAQUAQUECETUBA Gestão Pedagógica MOGI DAS CRUZES SUZANO SÃO BERNADO MAUÁ SANTO ANDRÉ O papel do Prof. Coordenador como professor dos professores Gestão da sala de aula/ problemas de gestão ITAPEVI Otimização das ações Formação MGME ITAPECERICA DA SERRA Formação/ Atributos e Atribuições OSASCO Gestão da sala de aula Concepção de leitura e implicações pedagógicas Estudo como conteúdo de ensino Procedimentos de ensino: Luckesi Cadernos do aluno Gestão Pedagógica TABOÃO DA SERRA Gestão Pedagógica Gestão da sala de aula Gestão de Pessoas Diretoria de Ensino Temática CENTRO Gestão do Tempo DIADEMA Gestão Democrática CENTRO SUL Gestão de Conflitos SUL 3 Formação de Agente Organizacional CARAPICUÍBA Conceito de Equipe Colaborativa NORTE 2 Violência/ Indisciplina/ Gestão da sala de aula. Relação Professor e Aluno Gestão de Recursos Didáticos, Materiais, Físicos e Financeiros Diretoria de Ensino Temática LESTE 4 Proposta Pedagógica GUARULHOS SUL Gestão Escolar
  28. 28. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 28 de 34 Gestão de Resultados Educacionais do Ensino e Aprendizagem Diretoria de Ensino Temática LESTE 4 Gestão de resultados LESTE 5 Avaliação SUL 1 Fluxo e Evasão GUARULHOS NORTE Avaliação Aprendizagem em Processo GUARULHOS SUL Avaliação de aprendizagem Ações de implantação do PAP CAIEIRAS Avaliação institucional A importância da avaliação institucional PAP - Gestão de Resultados Educacionais e de Ensino Aprendizagem PAP - Gestão de Resultados Pesquisa Ação Diretoria de Ensino Temática LESTE 1 Pesquisa-ação TABOÃO DA SERRA Outros Diretoria de Ensino Temática GUARULHOS SUL FOFA OSASCO Pesquisa exploratória Resolução SE/2013 NORTE 2 Tecnologias/ Preparação de Livro SUL 2 Gestão Estratégica
  29. 29. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 29 de 34 INTERIOR Gestão Pedagógica Diretoria de Ensino Temática ANDRADINA Gestão da sala de aula ARAÇATUBA Gestão da Sala de Aula Acompanhamento de Sala - feedback BIRIGUI Competência Leitora/Escritora Gestão de Sala de Aula Conselhos Escolares FERNANDÓPOLIS Gestão de Sala de Aula Intervenção Pedagógica PENÁPOLIS Sequência Didática Competência Leitor e Escritora VOTUPORANGA Gestão Currículo Papel Professor Coordenador JABOTICABAL Formação PCAGP Funções do PCAGP PIRASSUNUNGA Gestão Pedagógica FRANCA RIBEIRÃO PRETO SÃO JOAQUIM DA BARRA SERTÃOZINHO ADAMANTINA Gestão de sala de aula ASSIS Gestão Pedagógica MIRANTE DE PARAPANEMA Gestão da sala de aula OURINHOS Atribuições e atributos do PCAGP Planejamento Como aprendem as pessoas jovens PRESIDENTE PRUDENTE Práticas Pedagógicas SANTO Observação de sala de aula e feedback Conselho de classe/série participativa
  30. 30. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 30 de 34 ANASTÁCIO Recuperação Intensiva ITAPEVA Gestão Pedagógica ITÚ Desafios na Qualidade da Educação: Gestão da sala de Aula Professor Auxiliar Planejamento Gestão da sala de aula Ato de educar: Implicações no cotidiano escolar VC Atribuições do PCAGP SÃO ROQUE Planejamento Escolar Professor auxiliar/ Recuperação Gestão de sala Perfil/ Atribuições do PCAGP SOROCABA Desafio da Qualidade da Educação O aluno e professor na escola contemporânea (MGME) Aula como Foco - Gestão Pedagógica (MGME) Competência Leitora e escritora em todas as áreas (MGME) Autoridade docente e as interrogações do presente democrático Qualidade na Educação VOTORANTIM Orientação/ Planejamento Conselho de Classe e Série Recuperação Continua AMERICANA Gestão Pedagógica Autoridade docente CAPIVARI Feira Educar/ Gestão Pedagógica Gestão do currículo/ Gestão Pedagógica LIMEIRA Gestão pedagógica/ MGME Autoridade docente BRAGANÇA PAULISTA Qualidade na educação CAMPINAS OESTE Desafio da qualidade na educação JUNDIAÍ Cultura Escolar e Práticas Docentes MOGI MIRIM Gestão da Sala de aula Autoridade docente PIRACICABA Formação Continuada MIRACATU REGISTRO
  31. 31. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 31 de 34 SANTOS Gestão Pedagógica SÃO VICENTE GUARATINGUETÁ Gestão Pedagógica Gestão de sala de aula PINDAMONHANGABA Gestão sala de aula Autoridade docente e interrogações presente democrático TAUBATÉ Atribuição e Função PC/PCAGP Como conseguir uma inclusão sem traumas CARAGUATATUBA MGME - Trans. Metodologia MGME – Observação de sala de aula JACAREÍ MGME SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Formação de Formadores BARRETOS Cotidiano escolar Trabalho com projetos CATANDUVA Seminário - Cotidiano da escola Gestão Pedagógica Gestão Pedagógica foco na melhoria do processo ensino aprendizagem e no papel dos gestores nos processos de formação continuada na escola JOSÉ BONIFÁCIO Gestão do Currículo Gestão Pedagógica Gestão da sala de aula SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Gestão Pedagógica / Proposta Pedagógica TAQUARITINGA Gestão Pedagógica BAURU Sala de Leitura: Perfil/atribuições Perfil/Atribuições do PCAGP Sala de Leitura: Organização de Acervo MGME IV Conferência Meio ambiente Diferença entre Ler e Contar Sala de Leitura: Apresentação de peça teatral Avaliação da aprendizagem em processo Metodologia e Replanejamento Sala de Leitura: Oficina Leitura Formação PCAGP/ Currículo de Matemática Atribuições do Grêmio
  32. 32. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 32 de 34 Formação PCAGP/ Currículo de Ciências BOTUCATU MGME Gestão Pedagógica JAÚ Formação docente/ Português e Matemática Formação docente/ Atribuições PC e Currículo Formação gestores Formação/Planejamento/ articulação ação gestora AVARÉ Gestão Pedagógica LINS MARILIA PIRAJU Gestão de Resultados Educacionais do Ensino e Aprendizagem Diretoria de Ensino Temática ARARAQUARA Dia D PAP SÃO CARLOS Avaliação JALES Resultados do SARESP Avaliação em processo PENÁPOLIS Avaliação JABOTICABAL Avaliação externa OURINHOS PAP APIAI Avaliação ITAPETININGA Avaliação da aprendizagem Qualidade da educação ITAPEVA Avaliação da aprendizagem ITARARÉ Avaliação ITÚ Avaliação da aprendizagem LIMEIRA Estudos da avaliação PAP MOGI MIRIM Plano de ação 2012/Escolas Prioritárias PIRACICABA Avaliação Avaliação institucional GUARATINGUETÁ Gestão de resultados PINDAMONHANGABA PAP TAUBATÉ Escolas prioritárias / dimensão dos resultados SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Avaliação da proposta pedagógica
  33. 33. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 33 de 34 Gestão de Pessoas Diretoria de Ensino Temática FERNANDÓPOLIS Indisciplina na sala de aula PENÁPOLIS Indisciplina JABOTICABAL Violência na escola ITÚ Convivência escolar PRESIDENTE PRUDENTE Gestão Democrática ITAPEVA Gestão Participativa VOTORANTIM Motivação dos Alunos Relações Interpessoais BRAGANÇA PAULISTA Indisciplina Violência/ Relacionamentos Interpessoais CAMPINAS OESTE Indisciplina na escola Violência nas escolas JUNDIAÍ Indisciplina Relações Interpessoais MOGI MIRIM Identidade da escola Clima Escolar SÃO JOÃO DA BOA VISTA Plano de ação/ Indisciplina SUMARÉ Indisciplina GUARATINGUETÁ Indisciplina TAUBATÉ A arte das relações humanas no ambiente educacional JACAREÍ Gestão de Conflitos Conflitos em sala de aula BARRETOS Trabalho em equipe Indisciplina Gestão de Recursos, didáticos, físicos, financeiros e materiais Diretoria de Ensino Temática PRESIDENTE PRUDENTE Cotidiano do diretor Cotidiano escolar SÃO ROQUE Práticas de gestão SOROCABA Gestão escolar CAMPINAS LESTE Dimensões da gestão escolar PIRACICABA Plano de Ação SUMARÉ Proposta Pedagógica GUARATINGUETÁ Gestão de recursos
  34. 34. GRUPOS DE REFERÊNCIA 2014 Página 34 de 34 Pesquisa Ação Diretoria de Ensino Temática SÃO CARLOS Metodologia Pesquisa Ação TUPÃ PINDAMONHANGABA Outros Diretoria de Ensino Temática ARARAQUARA Atribuições / segmentos Fortalecer a gestão das escolas PRESIDENTE PRUDENTE Estudos da Resolução SE nº 70 SÃO CARLOS Democracia participativa TAUBATÉ Desafios da educação na contemporaneidade: cotidiano escolar e o ECA GUARATINGUETÁ Sistema de Proteção Escolar

×