01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde

178 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
178
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde

  1. 1. 4 medidas indicadas pela OMS para emagrecer com saúdeSaiba quais são as regras mais importantes para alcançar um equilíbrio na alimentação e um peso saudávelPor Claudia Borges, em 22/05/2012 17:00, em Nutrição Fonte: ThinkstockSe você já passou por vários tipos de dieta, sabe que aquela que realmente funciona é a reeducaçãoalimentar. Sabendo escolher os alimentos certos, com porções equilibradas, e comendo emintervalos fracionados de cinco a seis refeições por dia, o emagrecimento é eficaz e saudável. Secombinado com atividade física, o resultado é ainda melhor.De acordo com informações da Organização Mundial da Saúde, dietas pouco saudáveis esedentarismo são fatores de risco para as principais doenças não transmissíveis, como ascardiovasculares, hipertensão arterial, câncer e diabetes.Pensando em como reduzir os altos níveis de obesidade e os males que a alimentação inadequadapode causar, a OMS aprovou em 2004 a Estratégia Global sobre Dieta, Atividade Física e Saúde.Esta estratégia fornece recomendações aos Estados-Membros, parceiros internacionais, setorprivado, sociedade civil e ONGS a fim de promover dietas saudáveis e atividade física regular paraa prevenção de doenças.Com a divulgação recente (dia 16/05) do relatório “Estatísticas Mundiais de Saúde 2012”, queafirma que a obesidade é a causa de morte de 2,8 milhões de pessoas por ano, a OMS resolveureforçar a indicação das medidas para um emagrecimento saudável e equilibrado.Tendo como base avaliações de especialistas e estudos científicos atuais, a instituição indica quatromedidas principais que podem ser tomadas pela população mundial para reduzir a incidência dedoenças ligadas à má alimentação, sendo elas: 1. A redução de sal e açúcar; 2. A inclusão de mais fibras no cardápio diário; 3. A redução de gordura na alimentação; 4. O consumo de mais água.
  2. 2. São regrinhas que todo mundo está acostumado a ver quando o assunto é dieta de emagrecimento,mas que muitas vezes não são seguidas à risca ou mesmo são deixadas de lado por boa parte dapopulação, que sofre com as consequências na saúde e na balança. Por isso, é importante ressaltaressas medidas, que podem fazer grande diferença no seu bem-estar.Para esclarecer algumas dúvidas sobre a alimentação e dar dicas de como deixar essas quatromedidas da OMS ainda mais simples de serem seguidas, contamos com as sugestões de FernandaGiácomo, que é nutricionista especializada em Nutrição Esportiva, com MBA em Gestão deProgramas de Qualidade de Vida e diretora da FR Nutri. Confira abaixo:1. Reduzir a utilização de sal e açúcar Fonte: ThinkstockO consumo de açúcar é um dos principais hábitos responsáveis pelo ganho de peso, devido àquantidade de calorias, e causadores de doenças como a diabetes. Assim como o sal, que é rico emsódio, causa retenção de líquidos e aumento da pressão arterial. Mas, como reduzir esses dois itensda alimentação?O sal pode ser trocado por temperos e ervas que, além de não prejudicarem o organismo, podemdeixar as refeições ainda mais gostosas. “Utilize temperos naturais como cebola, alho, ervasaromáticas (como alecrim, sálvia e tomilho) e pimenta”, sugere a nutricionista Fernanda Giácomo,que também indica o uso do gersal para temperar saladas e legumes. O gersal é uma mistura degergelim torrado e moído com sal marinho.Fernanda recomenda também não utilizar temperos prontos, evitando ainda o consumo de alimentosindustrializados, principalmente as sopas de pacotinho, que possuem altos níveis de sódio, além doscorantes e conservantes.Se o consumo for inevitável, leia com atenção os rótulos, procurando as marcas que utilizam umaquantidade menor de sódio em sua composição. A nutricionista também alerta para evitar oconsumo de outros alimentos como os embutidos.
  3. 3. Fonte: ThinkstockNo que diz respeito à redução de açúcar, é importante reduzir bastante (ou retirar de vez daalimentação) o uso da opção refinada e apostar em opções mais naturais como o açúcar demerara eo mascavo. Além disso, Fernanda Giácomo recomenda evitar o consumo de bebidasindustrializadas (refrigerantes, sucos de caixinha e de pó) e doces em geral (biscoitos, balas echocolates).Quando certo tipo de bebida, como uma limonada, necessita ser adoçada e você não apreciar o usode adoçantes artificiais, limite o uso de açúcar de 5 a 10g por copo de suco, por exemplo.Lembrando que os carboidratos refinados se transformam em açúcar no organismo após o consumo,aumentando o nível de glicose no sangue. Por isso, prefira os integrais.2. Aumentar a inclusão de fibras no cardápio diário Fonte: Thinkstock
  4. 4. As fibras presentes nos vegetais e cereais são excelentes para a nossa saúde, pois além decontribuirem para o melhor funcionamento do organismo, elas impedem a absorção de gorduras eainda saciam a fome mais rapidamente.A nutricionista Fernanda Giácomo sugere a ingestão de pelo menos três porções de frutas e trêsporções de hortaliças por dia. Além disso, recomenda a substituição de alimentos que são fontes decarboidrato (como pães, macarrão, arroz, biscoitos) pelas suas versões integrais, que possuem maisfibras e nutrientes.Uma das medidas essenciais também para aproveitar ainda mais os benefícios das fibras é incluircereais integrais à alimentação diária (uma vez ao dia) como a aveia e a quinoa, e a granola, que éum mix de cereais, grãos e frutas secas.3. Diminuir o consumo de gordura Fonte: ThinkstockA gordura é um dos maiores perigos para a saúde, principalmente a saturada, que está presente emfrituras e carnes vermelhas, por exemplo. Além desses itens, os queijos amarelos, creme de leite,leite integral, produtos de confeitaria e itens de fast food também são opções que possuem altoíndice de gordura. Por isso, tente evitar esses alimentos.Além disso, veja mais algumas sugestões que a nutricionista Fernanda Giácomo indica: • Utilizar panelas antiaderentes que não necessitam de gordura para o preparo de carnes; • Preferir cortes de carnes mais magros, tanto de carne vermelha quanto de frango; • Evitar cozinhar com creme de leite e molho à base de maionese; • Evitar o consumo de embutidos como salsicha, linguiça, mortadela e salame; • Observar os rótulos de produtos como biscoitos salgados, recheados, achocolatados de caixinha e sorvetes, pois esses alimentos costumar ter gorduras "camufladas".
  5. 5. 4. Consumir mais água Fonte: ThinkstockJá é mais do que comprovado que beber muita água só traz benefícios ao nosso corpo como ahidratação do organismo, a beleza da pele e cabelos, o bom funcionamento dos rins e intestino, emuitas outras vantagens.Segundo um estudo, apresentado no congresso anual da Associação Americana de Diabetes, aingestão de um ou mais litros de água por dia ajuda a diminuir as chances de desenvolver ahiperglicemia (altíssima concentração de açúcar no sangue) em 21%.Além disso, o consumo de água durante todo o dia aumenta a sua resistência para a atividade físicae ainda pode diminuir a fome desenfreada, fazendo com que você não exagere nas refeições. Porisso, se você toma pouca água, aumente a quantidade. Confira mais algumas dicas da nutricionistaFernanda Giácomo: • Antes do café da manhã tente beber um copo de 300ml de água para ativar o organismo e o trato digestivo; • Tenha a disposição uma garrafinha de 500 ml sempre à mão. Ingira uma garrafa pela manhã e outra garrafa na parte da tarde. De noite, tente ingerir mais 300 ml. Dessa forma, conseguirá ingerir ao menos 1,8 litros de água, que é a recomendação mínima diária; • Substitua refrigerantes e sucos industrializados por água.

×