SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 93
Baixar para ler offline
Agile Coach
Treinamento
DESIGN +BUILD
DBServer
Fazer do jeito certo a coisa certa
Muitas empresas veem o desejo de se tornar ágil para alcançar um tempo mais curto
para o mercado, melhor qualidade, maior produtividade e um clima de trabalho
atraente. Com 22 anos de experiência em gerenciamento de projetos, no passado,
notei esta mudança de paradigma. Desde 2009, atuo cada vez mais como consultor
Agile, sendo pragmático mantenho sempre ativo o meu conhecimento, realizando
treinamentos e facilitando o estilo de liderança, habilidades analíticas fortes e estou
sempre investigando novas formas de criar produtos que excedem as expectativas
dos clientes. Sou um praticante de LeSS, agilista de SAFe, mestre Scrum, Gerente
de projeto PMI Certificado. Praticando em todos os projetos o conceito Lean, com
conhecimento e experiência.
Silas Serpa
Contatos
silasserpa@inovaempro.com.br
(11) 9-4129-6695
Warm-Up
Acordos
Expectativas Combinações Horários
Quebra de Paradigma
• Clássico
• Ágil
Escopo Prazo
Custo
Qualidade Prazo
Custo
Qualidade
Escopo
Clássico
Desenvolvedor hábil
Cliente pouco envolvido
Requisitos conhecidos, estáveis
Retrabalho caro
Planejamento direciona resultados
Foco grandes projetos
Objetivo
controlar, em busca de
alcançar o planejado
Ágil
Desenvolvedor ágil
Cliente comprometido
Requisitos
emergentes,
mutáveis
Retrabalho barato
Planejamento
resultados o
direcionam
Foco
projetos de natureza
exploratória e
inovadores
Objetivo
simplificar processo
de desenvolvimento
Agile Coach vs Scrum Master
Mindset Ágil
Organização Ágil
Competências Agile Coach
Agenda
Agile Coach vs Scrum Master
Agile Coach vs Scrum Master
AGILE COACH
FOCO NA ORGANIZAÇÃO
SCRUM MASTER
FOCO NA EQUIPE
As diferenças entre eles não
estão restritas apenas a
classificação da função.
Hoje, as empresas procuram
Scrum Masters que sejam
também Agile Coachs.
Isso porque o segundo é
capaz de transitar pelos mais
diversos processos de
elaboração de software, e
não somente pelo método
Scrum.
Agile Coach vs Scrum Master
Existem opiniões que dizem que é apenas um título, e que é de fato, os Scrum
Masters costumam fazer coisas muito parecidas com os Agile Coachs de
qualquer maneira.
Em algumas empresas isso pode ser a realidade, porém minha observação
tem sido que os Agile Coaches geralmente obtêm um papel mais amplo e,
portanto, são capazes de promover melhor o crescimento organizacional
geral.
Além disso, os Agile Coaches podem potencialmente ter competências a mais
do que os Scrum Masters.
Mindset Ágil
Mindset Ágil
Qual o nosso
Mindset
Para ter sucesso quando à
Incerteza ?Cone da Incerteza
Qual o nosso
conjunto estabelecido
de atitudes e hábitos
Para ter sucesso quando à
Incerteza
Mindset Ágil
O que você faz ?
Mindset Fixo
abordagem
para gerenciar a
incerteza
Mindset Ágil
abordagem para
gerenciar a incerteza
• Reduzindo a incerteza
descobrindo e aprendendo.
• Procurando aprender e
descobrir da maneira mais
eficiente possível.
• Reduzindo a incerteza ao
“acertar as coisas”
• Procurando consertar e
confirmar as coisas.
Mindset Ágil
I’ll Know It When I See It
“IKIWISI”
Mindset Ágil
Dinâmica
Conceito de Valor
Em marketing, o valor de um produto é a expectativa
do consumidor quanto aos seus benefícios em
relação à quantia real paga pelo produto.
Pode ser expresso pela equação:
• Valor = Benefícios / Preço ou
• Valor = Benefícios recebidos / Expectativas
O Valor percebido, definido como a percepção do
cliente de custo-benefício de um produto, serviço ou
organizações, sendo uma preocupação relevante
entre o relacionamento dos mesmos, influenciando
as estratégias de preços e serviços nos quais serão
repassados aos clientes.
Mindset Ágil
Mindset é o conjunto estabelecido de
atitudes mantidas por alguém
• Mudanças são bem-vindas
• Falha no início
• Construção e feedback em loops
• Entrega Contínua
• Desenvolvimento Orientado porValor
• Pequenas partes de valor agregado
• Aprenda através da descoberta
• Melhoria continua
Mindset Ágil
Estabelecido através de 4 valores
Fundamentado por 12 Princípios
Manifestado através de diversas Práticas
[No Mundo do Software]
Mindset Ágil
Mindset Ágil
Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas
Trabalhando software acima de documentação abrangente
Colaboração do cliente acima de negociação de contratos
Respondendo a mudanças acima de seguir um plano
Estabelecido através de 4 valores
Fundamentado por 12 Princípios
Manifestado através de diversas Práticas
[No Mundo do Software]
Mindset Ágil
Mindset Ágil
Estabelecido através de 4 valores
Fundamentado por 12 Princípios
Manifestado através de diversas Práticas
[No Mundo do Software]
1. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente, através da entrega adiantada e contínua de
software de valor.
2. Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se
adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas.
3. Entregar software funcionando com freqüencia, na escala de semanas até meses, com
preferência aos períodos mais curtos.
4. Pessoas relacionadas à negócios e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto e
diáriamente, durante todo o curso do projeto.
5. Construir projetos ao redor de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e
suporte necessário, e confiar que farão seu trabalho.
6. O Método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para, e por dentro de um
time de desenvolvimento, é através de uma conversa cara a cara.
7. Software funcional é a medida primária de progresso.
8. Processos ágeis promovem um ambiente sustentável. Os patrocinadores,
desenvolvedores e usuários, devem ser capazes de manter indefinidamente, passos
constantes.
9. Contínua atenção à excelência técnica e bom design, aumenta a agilidade.
10. Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não precisou ser feito.
11. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto-organizáveis.
12. Em intervalos regulares, o time reflete em como ficar mais efetivo, então, se ajustam e
otimizam seu comportamento de acordo.
Mindset Ágil
Mindset Ágil
Estabelecido através de 4 valores
Fundamentado por 12 Princípios
Manifestado através de diversas Práticas
[No Mundo do Software]
Visão do produto Estimativa (relativa)
Estimativa baseada em tamanho (ponto)
Planejando o pôquer Estimativa de
grupo Documentação baseada em valor
Backlog priorizado do produto Histórias
do usuário Elaboração progressiva
Personas Story maps / MMF Story slicing
Testes de aceitação como requisitos
iterações curtas Limites de WIP
Lançamentos antecipados e frequentes
Roadmapping Planejamento e
comprometimento baseados em
velocidade Planejamento de Iteração /
Backlog de Iteração Planejamento de
Liberação / Backlog do Release Iterações
em Tempo de Caixa Planejamento
adaptativo (multi-nível) Backlog de Risco
Estrutura da equipe de sistemas VT / DT
Pull-based Slack ritmo sustentável
Fretamento de equipe cara-a-cara
frequente Equipes colaborativas
entre silos Equipes auto-organizadas
Equipes multifuncionais Liderança
servidora Voluntariado de tarefas
Especialista em generalização
Acompanhamento do progresso
através da velocidade Cartas de
burn-up / burn-down Refatoração
Testes de unidade automatizados
Padrões de codificação Projeto
Incremental / Evolutivo Construções
Automatizadas Construção de dez
minutos Monitoramento do débito
técnico Controle de versão
Gerenciamento de configuração
Desenvolvimento orientado a testes
Programação em par Soluções Spike
Integração contínua Implantação
incremental Design simples Fim-de-
iteração hands-on UAT Testes
funcionais automatizados Testes
automatizados de desenvolvedor
(testes unitários) Testes
exploratórios Métricas do So_ware
Mindset Ágil
Scrum
eXtreme Programming
Processos Ágeis da sua Empresa
Mindset Ágil
Estabelecido através de 4 valores
Fundamentado por 12 Princípios
Manifestado através de diversas Práticas
[No Mundo do Software]
Mindset Ágil
Fazendo Ágil
Aprender as práticas e aplicá-las sem
conhecer a mentalidade e os princípios
para saber quando adaptar e como
selecionar as práticas apropriadas
Sendo Ágil
Internalizando a mentalidade, valores
e princípios, aplicando as práticas
corretas e adequando-as a situações
diferentes à medida que elas surgem
Ágil como Processo e Prática
Ágil como Mindset e Cultura
Mindset Ágil
Maestria de Práticas
• Práticas Ágeis de Requisitos
• Práticas Ágeis de Design
• Práticas Ágeis de Desenvolvimento
• Práticas Ágeis de Testes
• Práticas Ágeis de Processo
• Práticas Ágeis de Organização
• Práticas Ágeis de Aprendizado
• Práticas Ágeis de Gestão
http://noop.nl/2009/04/the-big-list-of-agile-practices.html
Maestria de Práticas
• Práticas Ágeis de Requisitos
• Práticas Ágeis de Design
• Práticas Ágeis de Desenvolvimento
• Práticas Ágeis de Testes
• Práticas Ágeis de Processo
• Práticas Ágeis de Organização
• Práticas Ágeis de Aprendizado
• Práticas Ágeis de Gestão
http://noop.nl/2009/04/the-big-list-of-agile-practices.html
Maestria de Práticas
Sugestão de Leitura
Desenvolvimento
de Software
4 Valores
12 Principios
?Valores
?Principios
MindsetÁgileOutrosdomínios
Mindset Ágil
Coaching e
Facilitação
Objetivosde
Aprendizado
OMindsetÁgilparaodomíniode
DesenvolvimentodeSoftware
Gerenciamento
deValor
Objetivos de
Aprendizado
Objetivosde
Aprendizado
Mindset Ágil
Dinâmica
Organização Ágil
Organização Ágil
Habitos
O Que
Ecosistema
Como
Cultura
Porque
Organização Ágil tem uma cultura
baseada nos valores e princípios do Agile,
apoiada pelo ecossistema organizacional
e manifestada através de hábitos pessoais
e organizacionais (como o trabalho
realmente é feito por aqui).
Um Ecossistema Organizacional consiste em :
Liderança, Estratégia, Estrutura, Processos e Pessoas
A cultura devora a estratégia no café da manhã !
Peter Drucker
Organização Ágil
Ecossistema Organizacional
Liderança
(Estilo, Valores e Hábitos)
Estratégia
(Objetivos, Métricas e Recompensa)
Estrutura
(Funções e Responsabilidades, Decisões, Organização)
Processos
(Cadeia de Valor, Políticas, Operações, Processos de Negócios)
Pessoas
(Valores, Crenças, Atitudes, Normas, Hábitos)
Cultura
Organização Ágil
Quando o Ágil é apenas um processo
Liderança
(Estilo, Valores e Hábitos)
Estratégia
(Objetivos, Métricas e Recompensa)
Estrutura
(Funções e Responsabilidades, Decisões, Organização)
Processos
(Cadeia de Valor, Políticas, Operações, Processos de Negócios)
Pessoas
(Valores, Crenças, Atitudes, Normas, Hábitos)
Cultura
Mudança
Capacidade de mudar a cultura é
a barreira número 1 para adoção
mais ágil dos últimos 4-6 anos
Organização Ágil
Barreiras à adoção Ágil
8th Annual State Of Agile Survey by VERSIONONE, 2014
Organização Ágil
Elementos Básicos da Agilidade Sustentável
Elemento Humano
Elemento Não Humano
Medições
Organização Ágil
Elementos Básicos da Agilidade Sustentável
Elemento Humano
Elemento Não Humano
Medições
• Uma jornada comum de educação (não treinamento) para mudar a forma como as
pessoas trabalham e ilustram como viver a mentalidade ágil em seu trabalho
• Coaching de Liderança (como inspirar o desempenho e não obrigá-lo)
• Mentoria e Coaching em nível individual e de equipe.
• Projetando e implementando um roteiro multi-estágio para agilidade que muda todos
esses três elementos em sinergia e harmonia
• Uma combinação de consultoria, mentoring, coaching organizacional, reengenharia de
processos de negócios e gerenciamento de mudanças organizacionais para implementar as
mudanças em toda a organização
• Estabelecer um sistema de medição que monitore consistentemente o alinhamento da
cultura
• Medida primária de progresso é a mentalidade SHI e a transformação de hábitos de
trabalho pessoais e organizacionais
• Relato do progresso, em função da mudança cultural e não da mudança de processo,
nem mudança de estrutura.
Organização Ágil
Entrega de
Valor
Times
Auto-
Organizad
os
Indivíduos
Motivados
• Rapidez no Time to Market
• Maior satisfação do cliente
• Melhor qualidade
• Maior valor comercial
• Gerenciar as prioridades em mudança
• Ciclos de feedback mais curtos
• Velocidade
• Aprendizagem Rápida
• Cadência e Fluxo
• Indivíduos capacitados
• Colaboração
• Tomada de decisão democrática
• Transparência
Resultados Esperados
Dinâmica
Competências Agile Coach
Competências Agile Coach
Segundo o Agile Coaching Institute, no ACCF (
Agile Coach Compentency Framework), são oito
competências necessárias que todo Agile Coach
deve possuir para que possa desempenhar a sua
função com maestria.
1. Mentor - desenvolve o "como é"
2. Consultor - Desenvolve frameworks
3. Coach - Desenvolve e define metas compartilhadas
4. Conselheiro - Desenvolve estruturas para resolver a disfunção
5. Agente de Mudanças - Foca na incorporação de mudanças
6. Facilitador - Suporta um resultado formal sem aconselhamento
7. Líder Lean - Desenvolve pessoas
8. Instrutor / Professor - Desenvolve habilidades por meio de instrução
Catalisa a
Melhoria
Facilitador
Removedor de
Barreiras
Promove a
Conscientização
Potencializa o
Empoderamento
Desenvolvedor
de Competências
Competências Agile Coach
Em alinhamento com o novo pensamento de Alistair
Cockburn em torno do Heart of Agile e Shu Ha Ri
Kokoro, as competências e comportamentos de
coaching se resumem a:
1. Ouvindo com empatia
2. Fazendo perguntas profundas
3. Capacitando pessoas
4. Permitindo que as pessoas ajam
5. Reforçando comportamentos ágeis
6. Insight crescente
Ri
Seja a Regra
Ha
Quebre a Regra
Shu
Siga a Regra
A jornada rumo à aprendizagem da agilidade
Competências Agile Coach
Desafio
1 min
• Encontrar o seu ponto mais
Forte
• Encontrar o seu ponto de
Melhoria
Maestria de Domínio
Praticas Agile-Lean
Aplica Práticas ágeis e Vive
valores ágeis
Coaching Profissional
Parceria com clientes em um
processo criativo que inspira seu
potencial pessoal e profissional
Facilitador
Um suporte de processo neutro
que orienta grupos por meio de
processos que os ajudam a
encontrar soluções e tomar
decisões
Maestria Organizacional
Experiência como catalisador de
desenvolvimento e mudança
organizacional
Maestria de Práticas
Maestria de Negócios
Especialista em inovação orientada
por valor de negócios e
desenvolvimento de produtos
Maestria Técnica
Especialização técnica como Criador
de software
Mentor
Compartilhando conhecimentos,
habilidades e perspectivas que
promovem o crescimento pessoal e
profissional de outra pessoa
Professor / Instrutor
Instruindo os outros em um
conhecimento específico,
habilidades e perspectiva
Maestrias de Domínio
Lyssa Adkins e Michael Spayd, 2013
MaestriasdeInstrução
Maestrias de Práticas
MaestriasdeCondução
Deixar essa fronteira nítida é importante
para responder diferentes perguntas: –
Quanto uma organização avançou na
agilidade? – Quais são os pontos a serem
melhorados num time? – Quais são os
próximos conhecimentos que um indivíduo
deve adquirir sobre os métodos ágeis?
Maestrias de Domínio
No domínio de Negócio se encontram os
assuntos ligados aos produtos e objetivos da
empresa: cálculos de ROI (Return On
Investment) do produto e suas próximas
funcionalidades, priorização, planejamento
das próximas releases e eventualmente
contratos no contexto ágil. Nesse domínio
está a maior parte do conhecimento que o
Product Owner deve ter.
Maestria de Negócios
O domínio Organizacional é mais ligado a
forma de trabalho do time: quais métodos o
time usa, como é o ciclo de
desenvolvimento, o processo iterativo e a
distribuição das pessoas nos times.
Maestria Organizacional
No domínio Técnico há uma atenção para a
forma como o trabalho é feito pelo time. A
automação é um conhecimento
fundamental nesse domínio, pois se reflete
nos demais assuntos técnicos: qualidade,
padrões, ferramentas, automação.
Maestria de Técnicas
Dinâmica
Maestria de Negócios
Maestria de Negócios
A dimensão de negócios compreende os
conhecimentos e técnicas necessários para
transformar as demandas dos clientes em
incrementos de produto que agreguem
valor de negócio.
Maestria de Negócios
Em projetos orientados a valor, quando se investe muito no planejamento, é gerado um risco
muito grande ao projeto, já em cenários de grande incerteza, o planejamento precisará ser
baseado em muitas premissas(eventos incertos que definimos como verdade para fins de
planejamento) que serão falsas, o que pode gerar tantas mudanças no plano original que o
esforço de adaptação não compensaria a energia gasta no desenvolvimento do plano original.
Em projetos ágeis, devido a sua própria
característica de incerteza, o planejamento de
versões e a priorização do que será desenvolvido
(Backlog) é estratégica para melhorar o ROI
(Return Over Investiment).
Maestria de Negócios
As técnicas de planejamento de ágil tem forte afinidade com o planejamento em ondas dos
métodos de gerenciamento de projetos orientados à planos, porém com algumas diferenças
conforme apresentadas na figura abaixo. Veja que não é interessante antecipar todo o
planejamento já que como temos muitas incertezas, teremos grandes probabilidades de
mudanças caso a antecipação seja feita. Ao invés disso, fazemos um planejamento de alto nível
para identificar e planejar os releases, e posteriormente planejamos mais detalhadamente cada
iteração.
Visão em um projeto ágil
Visão é uma clara imagem que gera uma atração
emocional entre pessoas e produto (quando se
fala a visão quem escuta deve ser capaz de
imaginar como será o produto). A visão deve
responder as seguintes perguntas:
Maestria de Negócios
1. Quem irá comprar este produto? Quem é o cliente alvo? Quem irá usar o produto? Quem são os
usuários alvo?
2. Quais problemas do cliente(ou usuários) o produto pretende resolver? Qual valor o produto adicionará?
3. Quais atributos o produto deve possuir para resolver estes problemas e quais garantirão o sucesso do
produto?
4. Como o produto pode ser comparado a produtos ou alternativas existentes ? Quais são os pontos
diferenciais deste produto?
5. Qual o preço alvo do produto? Como a empresa pretende ganhar dinheiro com este produto? Quais
serão as fontes de faturamento e qual o seu modelo de negócio?(quando aplicável )
Um dos grandes desafios de profissionais da área
de desenvolvimento de software é como estimar
o esforço para a criação de novas
funcionalidades, tarefas ou estórias. O principal
objetivo de se estimar é criar uma métrica
comum para definição e comparação de
esforços, e consequentemente definições de
prazos(e orçamentos) para projetos e/ou
atividades.
Maestria de Negócios
1. Reconhecer que estimativas são apenas projeções imprecisas
2. Não confundir estimativas, compromissos e metas
3. Usar técnicas de contagem sempre que possível. Se não for possível, usar técnicas de cálculo. E se não
for possível, usar técnicas de julgamento
Maestria de Negócios
Priorizando funcionalidades utilizando ROI
ROI é uma medida que indica o valor que aquele PBI (Product Backlog Item) tem para o projeto. Na maioria dos
projetos ele é medida em valor monetário (dólar, real, …) . Você divide o retorno (preço de venda – preço de
compra) pelo investimento (preço de compra) para chegar no valor do ROI.
Um valor alto de ROI é um bom investimento, enquanto um baixo valor, é um mal investimento.
Controlando o valor de retorno e o valor de custo, chega-se ao ROI ideal. Se você não controlar os dois valores,
nunca saberá se o valor gasto em um projeto está lhe trazendo retornos reais de dinheiro.
Considerando que as User Stories já estão definidas atendendo os DORs, é
possível que o Time de Desenvolvimento as estime.
Maestria de Negócios
Priorizando funcionalidades utilizando ROI
Na utilização de SCRUM, o Product Owner PO é responsável
por definir o “Business Value” (Valor do Negócio) e a equipe
técnica mede o “Esforço” (Custo). Nessa metodologia não
utilizamos dólar para medir “Business Value” e nem horas para
medir esforço.
Régua ( Exemplo )
Valor do Negócio = Escala de 1 à 100 ( definida pelo P.O.)
Custo = Pontos definidos pelo Time ( ex.: Planning Poker )
Maestria de Negócios
Priorizando funcionalidades utilizando ROI
Funcionalidade
Pagamento do pedido utilizando mais de 1 forma de
pagamento
Valor de Negócio: 80
Utilizando a escala de 1 a 100 o product owner diz que esse
backlog será de grande valia, pois pesquisas feitas indicam que
muitos pedidos de valor alto não são fechados devido ao limite
dos cartões de crédito.
Disponibilizando mais de 1 forma de pagamento no mesmo
pedido, as vendas aumentariam.
Custo: 13
A sistemática para controlar o pagamento e liberar o pedido é
muito complexa. A equipe de desenvolvimento coloca um valor
de esforço alto para esse backlog.
ROI = 80 / 13 = 6,15
Funcionalidade
Integrar redes sociais com o e-commece para incentivar
a propaganda.
Valor de Negócio: 30
Utilizando a escala de 1 a 100 o Product owner acha a tarefa
interessante, mas acredita que o retorno não será muito grande,
e não é uma funcionalidade imprescindível para o projeto.
Esforço: 8
A equipe de desenvolvimento considera a dificuldade de integrar
várias redes sociais distintas e como será arquitetado o sistema.
ROI = 30 / 8 = 3,75
3C’s - CARTÃO
Maestria de Negócios
POR QUE CARTÃO?
Histórias de Usuário (do inglês User Stories) são requisitos escritos em cartões –
também conhecidos como ficha ou em inglês Index Cards (como na imagem
acima). O propósito do Cartão é de limitar o espaço para as informações que
descrevem um determinado requisito.
POR QUE LIMITAR O ESPAÇO?
A razão de limitar o espaço disponível na hora de descrever uma história de
usuário atende ao propósito de lembrar aos membros do time do que se trata o
requisito e algum meio de identificar a mesma. Normalmente, a história possui um
título de fácil associação e um identificador único que serve de fácil indexação para
buscas e agrupamento de histórias de usuário por meio de temas, épicos, sprints,
trimestres e etc.
Publicação original do modelo em inglês: https://ronjeffries.com/xprog/articles/expcardconversationconfirmation/
Maestria de Negócios MoSCoW e as 3 ações (Dividir, Priorizar e Descartar)
Todas as histórias que têm valor de negócio Must
Have, deverão ser refinadas. Elas precisam ser entendidas
pelo time, DIVIDIR em histórias menores.
MoS C oW
Todas as histórias que estiverem com Must Have e Should Have são prioritárias, precisam ser
desenvolvidas na Sprint atual ou na próxima, por isso devemos PRIORIZAR
Todas as estórias que estiverem com Won’t Have for Now devem ser descartadas, pelo menos por
enquanto, por isso devemos DESCARTAR
Dinâmica
Maestria Organizacional
Mudanças rápidas na concorrência, na
demanda, na tecnologia e nos regulamentos
tornaram mais importante ara as organizações
serem capazes de responder e se adaptar
rapidamente. Mas, de acordo com uma recente
Pesquisa Global da McKinsey, a agilidade
organizacional - a capacidade de reconfigurar
rapidamente estratégia, estrutura, processos,
pessoas e tecnologia para criar valor e
oportunidades de proteção de valor - é elusiva
para a maioria.
Maestria Organizacional
“ato ou efeito
de gerir;
administração,
gerência”
”conjunto de tarefas que
procuram garantir a
alocação eficaz de todos os
recursos disponibilizados pela
organização afim de serem
atingidos osobjetivos pré-
determinados”
GESTÃO
“gestão é uma
especialização da
administração e
da gerência”
“a interferência
direta dos gestores
nos sistemas e
procedimentos
empresariais”
“é planejar, organizar,
liderar e controlar as
pessoas que constituem
uma organização, as
tarefas e atividades por
estes realizadas”
Maestria Organizacional
Maestria Organizacional
MANAGEMENT 1 . 0
Organizações com estrutura TOP->DOWN
Poder centralizado nas mãos de poucos e no top da pirâmide
Administração Científica e Industrial
Taylor (1911)
• Decisão centralizada no topo da pirâmide
Fayol (1917)
• PLANEJAR, COORDENAR, ORGANIZAR, COMANDAR e CONTROLAR
Iniciativas como Balanced Scorecard, Six
Sigma, TQM e BPR, por exemplo,
funcionam como extensões, conectadas no
modelo anterior, reforçando a estrutura top-
down e mantendo a essência.
MANAGEMENT 2 . 0
Maestria Organizacional
Jurgen Appelo
Martie
Maestria Organizacional
A Gestão é importante
demais para ser deixada
para os gerentes.
Gestão é sobre seres humanos.
Sua tarefa é tornar as pessoas
capazes de desempenho
conjunto [...]. É disso que se
trata a organização, e é a razão
pela qual a administração é o
fator crítico e determinante.
Jurgen Appelo
Peter F. Drucker
ORGANIZAÇÃO
Maestria Organizacional
ORGANIZAÇÃO
OKR
Maestria Organizacional
Maestria Organizacional
População
Inicial Principal
Maestria Técnica
As principais perguntas de um CEO:
O que eu preciso para transformar a minha organização e manter ou ampliar a minha vantagem
competitiva?
• A mudança é pequena? É disruptiva?
• É rápido fazer esta mudança?
Qual a estrutura (design) de organização eu preciso
para ter sucesso neste processo de transformação?
Como eu executo e implanto esta nova estrutura?
Eu possuo as pessoas e competências necessárias para esta nova estrutura?
• As pessoas estão preparadas para esta mudança?
• As pessoas possuem o mindset necessário para este novo modelo?
Maestria Técnica
Maestria Técnica
Cebola de Planejamento
As estratégias, portfólio e produto podem ser
planejados com técnicas de gestão de Portfólio,
Planejamento Estratégico e outras conhecidas e
utilizadas no mundo dos negócios, porém
algumas técnicas ágeis de definição de visão
auxiliarão a todos a entender o que realmente é
necessário para o sucesso do projeto.
Princípios
•Reaprendizagem •Transferência de
controle •Troca de tarefas •Defeitos •Trabalho
inacabado
•Funcionalidades
extras •Atrasos
• Aprendizagem;
• Decidir o mais tarde possível;
• Entregar o mais rápido possível;
• Autonomia e descentralização;
• Fracionar e fazer só o necessário;
• Construir com integridade;
• Ver sempre o todo;
• Eliminar os desperdícios:
0 1 2 3 4 5 6 7PRÉ-GAME PÓS-GAME
GAME
SPRINTS = ITERAÇÕES
MVPs E RELEASES
TRANSIÇÃO
SUSTENTAÇÃO
PORTFÓLIO
ENTENDIMENTO MÍNIMO x APROVAÇÃO
PLANEJAMENTO = 0 1 2 3 4 5 6 7
KANBAN = PÓS-GAME / FLUXO CONTÍNUO
SCRUMBAN = PROJETO + SUSTENTAÇÃO
% RESERVA TÉCNICA - SUSTENTAÇÃO
PROJETO
• Seguir tendências e não números
• Ser facilmente coletada
• Incentivar a comunicação
• Pertencer a um conjunto pequeno de
indicadores
• Fornecer feedback frequente
• Indicadores não devem ser intrusivos
Os indicadores ágeis podem variar
conforme a necessidade de avaliação
do Tribe Lead, porém os modelos
apresentados na sequência são a base
de informações para uma visão
executivo de performance das squads.
Maestria Técnica
Seguir tendências e não números: Ao medir a velocidade de uma equipe ágil, por exemplo, é mais
importante sua tendência de estabilização que seu número absoluto;
Ser facilmente coletada: Coletar as informações de um indicador não deve representar um esforço para a
equipe, devendo ser, prioritariamente, automatizada;
Incentivar a comunicação: Um indicador deve incentivar a comunicação sobre ela entre os membros da
equipe, sendo um bom sinal quando as pessoas comentam sobre ela;
Pertencer a um conjunto pequeno de indicadores: É impossível medir tudo, e muita informação pode
esconder o que realmente importa. Com um número pequeno de indicadores, busca-se medir apenas o
que é mais importante;
Fornecer feedback frequente: Os indicadores devem ser frequentemente atualizadas e expostas, de
forma a acelerar o processo de aprendizado e melhoria.
Indicadores não devem ser intrusivos: Ao medir a equipe deve sentir que esta contribuindo para os
valores e princípios ágeis.
Maestria Técnica
Maestria Técnica
Simples
- Sentir
- Categorizar
- Responder
Complicado
- Sentir
- Analisar
- Responder
Complexo
- Sondar
- Sentir
- Responder
Caótico
- Agir
- Sentir
- Responder
Desordenado
Melhores Práticas Práticas Boas
Práticas Emergentes
Práticas Novas
Maestria Técnica
Importante
Urgente
Importante mas não
Urgente
Importante e
Urgente
Decida, agende,
quando irá fazer
Faça Imediatamente
Não é Importante
mas é Urgente
Não é Importante e
Não é Urgente
Delegue. Apenas
monitoreTire de sua agenda
-
+
+-
Mestria de Condução
Praticas Agile-Lean
Aplica Práticas ágeis e Vive
valores ágeis
Coaching Profissional
Parceria com clientes em um
processo criativo que inspira seu
potencial pessoal e profissional
Facilitador
Um suporte de processo neutro
que orienta grupos por meio de
processos que os ajudam a
encontrar soluções e tomar
decisões
Maestria Organizacional
Experiência como catalisador de
desenvolvimento e mudança
organizacional
Maestria de Práticas
Maestria de Negócios
Especialista em inovação orientada
por valor de negócios e
desenvolvimento de produtos
Maestria Técnica
Especialização técnica como Criador
de software
Mentor
Compartilhando conhecimentos,
habilidades e perspectivas que
promovem o crescimento pessoal e
profissional de outra pessoa
Professor / Instrutor
Instruindo os outros em um
conhecimento específico,
habilidades e perspectiva
Maestrias de Domínio
Lyssa Adkins e Michael Spayd, 2013
MaestriasdeInstrução
Maestria de Práticas
MaestriasdeCondução
Liderado Subordinado
Propõe Manda
Pede Obriga
Persoade Ameaça
Maestria de Condução
Líder ≠ Chefe
LÍDER CHEFE
POSSUI VISÃO E
OBJETIVOS
POSSUI OBJETIVOS SEM
VISÃO AMPLA
COMUNICA INFORMA
CENTRADO NO CLIENTE E
NO RESULTADO
CENTRADO NO PRODUTO
E NO RESULTADO
DESENVOLVE TREINA
ORIENTA COMANDA
CONTESTA E CRIA OBEDECE E EXECUTA
COMPROMETIDO COM O
VALOR PREDOMINANTE
LEALDADE COM O VALO
PREDOMINANTE
INOVA E EMPREENDE EFICAZ E ESTÁVEL
TÉCNICAS CHEFE LÍDER COACH
Disciplina Fundamental Utiliza como motivação Utiliza como motivação e estímulo
Motivação Tende a dar ordens Respeita Os outros são o fim
Objetivos e metas Ele define É a consequência É o corolário
Reuniões Pouco Utiliza Muito utiliza Muito utiliza - busca sinergia
Resultados É o fim em si mesmo Utiliza como motivação É o corolário
Delegação Manda fazer É a consequência Delega, orienta e reconhece
Sinergia Não valoriza Muito valoriza Muito valoriza e incentiva
CONHECIMENTOS CHEFE LÍDER COACH
Feedback Fundamental Utiliza como motivação Utiliza como motivação e estímulo
Desempenho Obrigação É resultado É resultado
Erros Dificuldade em tolerar Tolera Forma de aprendizado
Desenvolvimento Tende a não se preocupar Valoriza e incentiva
Valoriza e incentiva como meio de
crescimento
HABILIDADES CHEFE LÍDER COACH
Ouvir Dita mais do que ouve Utiliza como motivação Ouve e considera
Respeito Os outros são o meio Respeita Respeita – os outros são o fim
Reconhecimento Raramente reconhece Utiliza como motivação Utiliza como motivação
Conflitos Tende a abafar Enfrenta e administra Canaliza para o crescimento
Trabalho em equipe Não incentiva Incentiva muito Incentiva muito
Crítica É duro Utiliza como crescimento Utiliza como desenvolvimento
Maestria de Condução
“O primeiro passo para aprender o
novo, consiste em um grande
esforço para desaprender
algumas ideias, crenças e princípios,
que são consagrados, mas que
merecem questionamento.”
Sócrates
Maestria de Condução
Maestria de Instrução
Praticas Agile-Lean
Aplica Práticas ágeis e Vive
valores ágeis
Coaching Profissional
Parceria com clientes em um
processo criativo que inspira seu
potencial pessoal e profissional
Facilitador
Um suporte de processo neutro
que orienta grupos por meio de
processos que os ajudam a
encontrar soluções e tomar
decisões
Maestria Organizacional
Experiência como catalisador de
desenvolvimento e mudança
organizacional
Maestria de Práticas
Maestria de Negócios
Especialista em inovação orientada
por valor de negócios e
desenvolvimento de produtos
Maestria Técnica
Especialização técnica como Criador
de software
Mentor
Compartilhando conhecimentos,
habilidades e perspectivas que
promovem o crescimento pessoal e
profissional de outra pessoa
Professor / Instrutor
Instruindo os outros em um
conhecimento específico,
habilidades e perspectiva
Maestrias de Domínio
Lyssa Adkins e Michael Spayd, 2013
MaestriasdeInstrução
Maestria de Práticas
MaestriasdeCondução
Instrutor
Maestria de Instrução
Objetivos de um time Referências Ágeis
Senso de Urgência Usar o Backlog
Pessoas para ajudar Agile Coach (na transição) / Scrum Master
Saber onde quer chegar Big Picture ( Visão do Produto )
Comunicar ( Transparência ) Release Plan / Task Board
Dar Autonomia para o Time Agile Coach (na transição) / Scrum Master facilitador
Comemorar as Vitórias Entregas Realizadas
Não comemorar o que não foi alcançado
Transformar em Cultura Sprint ( Repetição )
A cultura vem pela Repetição
Philip Kotler
Dinâmica
Silas Serpa
(11) 9-4129-6695
silasserpa@inovaempro.com.br
Silas Serpa
silasserpa@inovaempro.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOSWORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOSCarlos Silva Júnior
 
Minicurso Gestão Ágil de Projetos com Abordagem Híbrida
Minicurso Gestão Ágil de Projetos com Abordagem HíbridaMinicurso Gestão Ágil de Projetos com Abordagem Híbrida
Minicurso Gestão Ágil de Projetos com Abordagem HíbridaRildo (@rildosan) Santos
 
Alinhando Discovery com Delivery usando Upstream Kanban
Alinhando Discovery com Delivery usando Upstream KanbanAlinhando Discovery com Delivery usando Upstream Kanban
Alinhando Discovery com Delivery usando Upstream KanbanTaller Negócio Digitais
 
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum MasterGuia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum MasterPaulo Lomanto
 
Palestra do treinamento Lean Inception
Palestra do treinamento Lean InceptionPalestra do treinamento Lean Inception
Palestra do treinamento Lean InceptionPaulo Caroli
 
[TDCPOA2019] Upstream Kanban: exercitando a eficácia criativa do seu fluxo de...
[TDCPOA2019] Upstream Kanban: exercitando a eficácia criativa do seu fluxo de...[TDCPOA2019] Upstream Kanban: exercitando a eficácia criativa do seu fluxo de...
[TDCPOA2019] Upstream Kanban: exercitando a eficácia criativa do seu fluxo de...Vinicius Campos Silva
 

Mais procurados (20)

WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOSWORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
WORKSHOP OKR - GESTÃO POR RESULTADOS
 
Papeis Ágeis - uma proposta operacional Scrum
Papeis Ágeis - uma proposta operacional ScrumPapeis Ágeis - uma proposta operacional Scrum
Papeis Ágeis - uma proposta operacional Scrum
 
Minicurso Gestão Ágil de Projetos com Abordagem Híbrida
Minicurso Gestão Ágil de Projetos com Abordagem HíbridaMinicurso Gestão Ágil de Projetos com Abordagem Híbrida
Minicurso Gestão Ágil de Projetos com Abordagem Híbrida
 
Scrum Day Brazil 2021 | Como o Lean, Agile e Gestão 3.0 irão aumentar a entr...
Scrum Day Brazil 2021 | Como o Lean, Agile e Gestão 3.0  irão aumentar a entr...Scrum Day Brazil 2021 | Como o Lean, Agile e Gestão 3.0  irão aumentar a entr...
Scrum Day Brazil 2021 | Como o Lean, Agile e Gestão 3.0 irão aumentar a entr...
 
Project Agile Canvas
Project Agile CanvasProject Agile Canvas
Project Agile Canvas
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Liderança Ágil
Liderança ÁgilLiderança Ágil
Liderança Ágil
 
Mapa Mental Scrum
Mapa Mental ScrumMapa Mental Scrum
Mapa Mental Scrum
 
Scrum Master em ação
Scrum Master em açãoScrum Master em ação
Scrum Master em ação
 
Alinhando Discovery com Delivery usando Upstream Kanban
Alinhando Discovery com Delivery usando Upstream KanbanAlinhando Discovery com Delivery usando Upstream Kanban
Alinhando Discovery com Delivery usando Upstream Kanban
 
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum MasterGuia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
 
Treinamento okr
Treinamento okrTreinamento okr
Treinamento okr
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Scrum Experience
Scrum ExperienceScrum Experience
Scrum Experience
 
Lean inception
Lean inceptionLean inception
Lean inception
 
Palestra do treinamento Lean Inception
Palestra do treinamento Lean InceptionPalestra do treinamento Lean Inception
Palestra do treinamento Lean Inception
 
[TDCPOA2019] Upstream Kanban: exercitando a eficácia criativa do seu fluxo de...
[TDCPOA2019] Upstream Kanban: exercitando a eficácia criativa do seu fluxo de...[TDCPOA2019] Upstream Kanban: exercitando a eficácia criativa do seu fluxo de...
[TDCPOA2019] Upstream Kanban: exercitando a eficácia criativa do seu fluxo de...
 
Lean Kanban BR17
Lean Kanban BR17Lean Kanban BR17
Lean Kanban BR17
 
Minicurso Meça o que importa com OKR
Minicurso Meça o que importa com OKRMinicurso Meça o que importa com OKR
Minicurso Meça o que importa com OKR
 
Metricas ageis
Metricas ageisMetricas ageis
Metricas ageis
 

Semelhante a Treinamento Agile Coach

O que não te contaram sobre o Ágil
O que não te contaram sobre o ÁgilO que não te contaram sobre o Ágil
O que não te contaram sobre o ÁgilWilhelm Meier
 
Business Agility Construindo OKR de Negócio
Business Agility Construindo OKR de NegócioBusiness Agility Construindo OKR de Negócio
Business Agility Construindo OKR de NegócioGuilherme Santos
 
Métodos Ágeis #conceitos #aplicação #aprendizado
Métodos Ágeis #conceitos #aplicação #aprendizadoMétodos Ágeis #conceitos #aplicação #aprendizado
Métodos Ágeis #conceitos #aplicação #aprendizadoAndré Spínola
 
Agile Marketing - Descubra como aumentar os resultados do seu time de marketing
Agile Marketing - Descubra como aumentar os resultados do seu time de marketingAgile Marketing - Descubra como aumentar os resultados do seu time de marketing
Agile Marketing - Descubra como aumentar os resultados do seu time de marketingMJV Technology & Innovation Brasil
 
Requisitos ageis paulofurtado_2014
Requisitos ageis paulofurtado_2014Requisitos ageis paulofurtado_2014
Requisitos ageis paulofurtado_2014Paulo Furtado
 
Apostila Scrum: Fundamentos do Scrum
Apostila Scrum: Fundamentos do ScrumApostila Scrum: Fundamentos do Scrum
Apostila Scrum: Fundamentos do ScrumMindMasterBrasil
 
O papel do an na agilidade
O papel do an na agilidadeO papel do an na agilidade
O papel do an na agilidadeCamila Capellão
 
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4André Vidal
 
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4Agile Think® Share
 
Desenvolvimento Ágil - Pensando Além
Desenvolvimento Ágil - Pensando AlémDesenvolvimento Ágil - Pensando Além
Desenvolvimento Ágil - Pensando Alémilegra
 
Agile of Things - Treinamentos em 2016
Agile of Things - Treinamentos em 2016Agile of Things - Treinamentos em 2016
Agile of Things - Treinamentos em 2016Jonas Beto Rompkovski
 
2024.1 - Módulo B - Frameworks de Gestão de Projetos - SCRUM.pptx
2024.1 - Módulo B - Frameworks de Gestão de Projetos - SCRUM.pptx2024.1 - Módulo B - Frameworks de Gestão de Projetos - SCRUM.pptx
2024.1 - Módulo B - Frameworks de Gestão de Projetos - SCRUM.pptxGeorgeoNocera2
 
Workshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horasWorkshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horasWise Systems
 
Desenvolvimento ágil pensando além
Desenvolvimento ágil   pensando alémDesenvolvimento ágil   pensando além
Desenvolvimento ágil pensando alémilegra
 
Webinar Adoção vs Transformação Agile, dicas para dominar essa cultura
Webinar Adoção vs Transformação Agile, dicas para dominar essa culturaWebinar Adoção vs Transformação Agile, dicas para dominar essa cultura
Webinar Adoção vs Transformação Agile, dicas para dominar essa culturaMaria Angelica Castellani
 

Semelhante a Treinamento Agile Coach (20)

O que não te contaram sobre o Ágil
O que não te contaram sobre o ÁgilO que não te contaram sobre o Ágil
O que não te contaram sobre o Ágil
 
Business Agility Construindo OKR de Negócio
Business Agility Construindo OKR de NegócioBusiness Agility Construindo OKR de Negócio
Business Agility Construindo OKR de Negócio
 
Métodos Ágeis #conceitos #aplicação #aprendizado
Métodos Ágeis #conceitos #aplicação #aprendizadoMétodos Ágeis #conceitos #aplicação #aprendizado
Métodos Ágeis #conceitos #aplicação #aprendizado
 
Vantagens agil 3
Vantagens agil 3Vantagens agil 3
Vantagens agil 3
 
Agile explicacao 18
Agile explicacao 18Agile explicacao 18
Agile explicacao 18
 
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO ÁGIL NAS EMPRESAS
 
Agile Marketing - Descubra como aumentar os resultados do seu time de marketing
Agile Marketing - Descubra como aumentar os resultados do seu time de marketingAgile Marketing - Descubra como aumentar os resultados do seu time de marketing
Agile Marketing - Descubra como aumentar os resultados do seu time de marketing
 
Requisitos ageis paulofurtado_2014
Requisitos ageis paulofurtado_2014Requisitos ageis paulofurtado_2014
Requisitos ageis paulofurtado_2014
 
Apostila Scrum: Fundamentos do Scrum
Apostila Scrum: Fundamentos do ScrumApostila Scrum: Fundamentos do Scrum
Apostila Scrum: Fundamentos do Scrum
 
O papel do an na agilidade
O papel do an na agilidadeO papel do an na agilidade
O papel do an na agilidade
 
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
 
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
 
Desenvolvimento Ágil - Pensando Além
Desenvolvimento Ágil - Pensando AlémDesenvolvimento Ágil - Pensando Além
Desenvolvimento Ágil - Pensando Além
 
Agile of Things - Treinamentos em 2016
Agile of Things - Treinamentos em 2016Agile of Things - Treinamentos em 2016
Agile of Things - Treinamentos em 2016
 
2024.1 - Módulo B - Frameworks de Gestão de Projetos - SCRUM.pptx
2024.1 - Módulo B - Frameworks de Gestão de Projetos - SCRUM.pptx2024.1 - Módulo B - Frameworks de Gestão de Projetos - SCRUM.pptx
2024.1 - Módulo B - Frameworks de Gestão de Projetos - SCRUM.pptx
 
Treinamento Ágil / Scrum
Treinamento Ágil / ScrumTreinamento Ágil / Scrum
Treinamento Ágil / Scrum
 
Workshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horasWorkshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horas
 
[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza
[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza
[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza
 
Desenvolvimento ágil pensando além
Desenvolvimento ágil   pensando alémDesenvolvimento ágil   pensando além
Desenvolvimento ágil pensando além
 
Webinar Adoção vs Transformação Agile, dicas para dominar essa cultura
Webinar Adoção vs Transformação Agile, dicas para dominar essa culturaWebinar Adoção vs Transformação Agile, dicas para dominar essa cultura
Webinar Adoção vs Transformação Agile, dicas para dominar essa cultura
 

Mais de Silas Serpa

Autogerenciamento, Priorização e produtividade - Tudo se inicia com Senso de ...
Autogerenciamento, Priorização e produtividade - Tudo se inicia com Senso de ...Autogerenciamento, Priorização e produtividade - Tudo se inicia com Senso de ...
Autogerenciamento, Priorização e produtividade - Tudo se inicia com Senso de ...Silas Serpa
 
Criatividade e Design Thinking na Gestao de Projetos - FIA - 26-10-23.pdf
Criatividade e Design Thinking na Gestao de Projetos - FIA - 26-10-23.pdfCriatividade e Design Thinking na Gestao de Projetos - FIA - 26-10-23.pdf
Criatividade e Design Thinking na Gestao de Projetos - FIA - 26-10-23.pdfSilas Serpa
 
F4P - Agilidade Contra Fome ( Silas Serpa ).pdf
F4P - Agilidade Contra Fome ( Silas Serpa ).pdfF4P - Agilidade Contra Fome ( Silas Serpa ).pdf
F4P - Agilidade Contra Fome ( Silas Serpa ).pdfSilas Serpa
 
Produtividade Ágil
Produtividade ÁgilProdutividade Ágil
Produtividade ÁgilSilas Serpa
 
Anti - Padrões do Planejamento Estratégico.pdf
Anti - Padrões do Planejamento Estratégico.pdfAnti - Padrões do Planejamento Estratégico.pdf
Anti - Padrões do Planejamento Estratégico.pdfSilas Serpa
 
Radical Candor - Liderança Humana 2.0.pdf
Radical Candor - Liderança Humana 2.0.pdfRadical Candor - Liderança Humana 2.0.pdf
Radical Candor - Liderança Humana 2.0.pdfSilas Serpa
 
Modelo de Aplicação - Design Organizcional.pdf
Modelo de Aplicação - Design Organizcional.pdfModelo de Aplicação - Design Organizcional.pdf
Modelo de Aplicação - Design Organizcional.pdfSilas Serpa
 
Product owner mais que escrever historias
Product owner   mais que escrever historiasProduct owner   mais que escrever historias
Product owner mais que escrever historiasSilas Serpa
 
Indicadores Ágeis
Indicadores ÁgeisIndicadores Ágeis
Indicadores ÁgeisSilas Serpa
 
Workshop - Agile Coach
Workshop - Agile CoachWorkshop - Agile Coach
Workshop - Agile CoachSilas Serpa
 
Workshop - Fora da caixa
Workshop - Fora da caixaWorkshop - Fora da caixa
Workshop - Fora da caixaSilas Serpa
 
Workshop Retrospectiva
Workshop Retrospectiva Workshop Retrospectiva
Workshop Retrospectiva Silas Serpa
 
Palestra - Desenvolvimento de projetos colaborativos usando dragon dreaming
Palestra - Desenvolvimento de projetos colaborativos usando dragon dreamingPalestra - Desenvolvimento de projetos colaborativos usando dragon dreaming
Palestra - Desenvolvimento de projetos colaborativos usando dragon dreamingSilas Serpa
 
Desenvolvimento de projetos colaborativos usando Dragon Dreaming
Desenvolvimento de projetos colaborativos usando Dragon DreamingDesenvolvimento de projetos colaborativos usando Dragon Dreaming
Desenvolvimento de projetos colaborativos usando Dragon DreamingSilas Serpa
 
Recuperação de projetos em crise
Recuperação de projetos em criseRecuperação de projetos em crise
Recuperação de projetos em criseSilas Serpa
 
Escopo custo e tempo gerando a qualidade do projeto
Escopo custo e tempo gerando a qualidade do projetoEscopo custo e tempo gerando a qualidade do projeto
Escopo custo e tempo gerando a qualidade do projetoSilas Serpa
 
Gerenciamento da configuração
Gerenciamento da configuraçãoGerenciamento da configuração
Gerenciamento da configuraçãoSilas Serpa
 
Palestra declaração do escopo é função do gerente de projetos
Palestra   declaração do escopo é função do gerente de projetosPalestra   declaração do escopo é função do gerente de projetos
Palestra declaração do escopo é função do gerente de projetosSilas Serpa
 
Curso de gestão de projetos & ms project
Curso de gestão de projetos & ms projectCurso de gestão de projetos & ms project
Curso de gestão de projetos & ms projectSilas Serpa
 
Controlando valor agregado com o project
Controlando valor agregado com o projectControlando valor agregado com o project
Controlando valor agregado com o projectSilas Serpa
 

Mais de Silas Serpa (20)

Autogerenciamento, Priorização e produtividade - Tudo se inicia com Senso de ...
Autogerenciamento, Priorização e produtividade - Tudo se inicia com Senso de ...Autogerenciamento, Priorização e produtividade - Tudo se inicia com Senso de ...
Autogerenciamento, Priorização e produtividade - Tudo se inicia com Senso de ...
 
Criatividade e Design Thinking na Gestao de Projetos - FIA - 26-10-23.pdf
Criatividade e Design Thinking na Gestao de Projetos - FIA - 26-10-23.pdfCriatividade e Design Thinking na Gestao de Projetos - FIA - 26-10-23.pdf
Criatividade e Design Thinking na Gestao de Projetos - FIA - 26-10-23.pdf
 
F4P - Agilidade Contra Fome ( Silas Serpa ).pdf
F4P - Agilidade Contra Fome ( Silas Serpa ).pdfF4P - Agilidade Contra Fome ( Silas Serpa ).pdf
F4P - Agilidade Contra Fome ( Silas Serpa ).pdf
 
Produtividade Ágil
Produtividade ÁgilProdutividade Ágil
Produtividade Ágil
 
Anti - Padrões do Planejamento Estratégico.pdf
Anti - Padrões do Planejamento Estratégico.pdfAnti - Padrões do Planejamento Estratégico.pdf
Anti - Padrões do Planejamento Estratégico.pdf
 
Radical Candor - Liderança Humana 2.0.pdf
Radical Candor - Liderança Humana 2.0.pdfRadical Candor - Liderança Humana 2.0.pdf
Radical Candor - Liderança Humana 2.0.pdf
 
Modelo de Aplicação - Design Organizcional.pdf
Modelo de Aplicação - Design Organizcional.pdfModelo de Aplicação - Design Organizcional.pdf
Modelo de Aplicação - Design Organizcional.pdf
 
Product owner mais que escrever historias
Product owner   mais que escrever historiasProduct owner   mais que escrever historias
Product owner mais que escrever historias
 
Indicadores Ágeis
Indicadores ÁgeisIndicadores Ágeis
Indicadores Ágeis
 
Workshop - Agile Coach
Workshop - Agile CoachWorkshop - Agile Coach
Workshop - Agile Coach
 
Workshop - Fora da caixa
Workshop - Fora da caixaWorkshop - Fora da caixa
Workshop - Fora da caixa
 
Workshop Retrospectiva
Workshop Retrospectiva Workshop Retrospectiva
Workshop Retrospectiva
 
Palestra - Desenvolvimento de projetos colaborativos usando dragon dreaming
Palestra - Desenvolvimento de projetos colaborativos usando dragon dreamingPalestra - Desenvolvimento de projetos colaborativos usando dragon dreaming
Palestra - Desenvolvimento de projetos colaborativos usando dragon dreaming
 
Desenvolvimento de projetos colaborativos usando Dragon Dreaming
Desenvolvimento de projetos colaborativos usando Dragon DreamingDesenvolvimento de projetos colaborativos usando Dragon Dreaming
Desenvolvimento de projetos colaborativos usando Dragon Dreaming
 
Recuperação de projetos em crise
Recuperação de projetos em criseRecuperação de projetos em crise
Recuperação de projetos em crise
 
Escopo custo e tempo gerando a qualidade do projeto
Escopo custo e tempo gerando a qualidade do projetoEscopo custo e tempo gerando a qualidade do projeto
Escopo custo e tempo gerando a qualidade do projeto
 
Gerenciamento da configuração
Gerenciamento da configuraçãoGerenciamento da configuração
Gerenciamento da configuração
 
Palestra declaração do escopo é função do gerente de projetos
Palestra   declaração do escopo é função do gerente de projetosPalestra   declaração do escopo é função do gerente de projetos
Palestra declaração do escopo é função do gerente de projetos
 
Curso de gestão de projetos & ms project
Curso de gestão de projetos & ms projectCurso de gestão de projetos & ms project
Curso de gestão de projetos & ms project
 
Controlando valor agregado com o project
Controlando valor agregado com o projectControlando valor agregado com o project
Controlando valor agregado com o project
 

Treinamento Agile Coach

  • 2. DESIGN +BUILD DBServer Fazer do jeito certo a coisa certa
  • 3. Muitas empresas veem o desejo de se tornar ágil para alcançar um tempo mais curto para o mercado, melhor qualidade, maior produtividade e um clima de trabalho atraente. Com 22 anos de experiência em gerenciamento de projetos, no passado, notei esta mudança de paradigma. Desde 2009, atuo cada vez mais como consultor Agile, sendo pragmático mantenho sempre ativo o meu conhecimento, realizando treinamentos e facilitando o estilo de liderança, habilidades analíticas fortes e estou sempre investigando novas formas de criar produtos que excedem as expectativas dos clientes. Sou um praticante de LeSS, agilista de SAFe, mestre Scrum, Gerente de projeto PMI Certificado. Praticando em todos os projetos o conceito Lean, com conhecimento e experiência. Silas Serpa Contatos silasserpa@inovaempro.com.br (11) 9-4129-6695
  • 6. Quebra de Paradigma • Clássico • Ágil Escopo Prazo Custo Qualidade Prazo Custo Qualidade Escopo Clássico Desenvolvedor hábil Cliente pouco envolvido Requisitos conhecidos, estáveis Retrabalho caro Planejamento direciona resultados Foco grandes projetos Objetivo controlar, em busca de alcançar o planejado Ágil Desenvolvedor ágil Cliente comprometido Requisitos emergentes, mutáveis Retrabalho barato Planejamento resultados o direcionam Foco projetos de natureza exploratória e inovadores Objetivo simplificar processo de desenvolvimento
  • 7. Agile Coach vs Scrum Master Mindset Ágil Organização Ágil Competências Agile Coach Agenda
  • 8. Agile Coach vs Scrum Master
  • 9. Agile Coach vs Scrum Master AGILE COACH FOCO NA ORGANIZAÇÃO SCRUM MASTER FOCO NA EQUIPE As diferenças entre eles não estão restritas apenas a classificação da função. Hoje, as empresas procuram Scrum Masters que sejam também Agile Coachs. Isso porque o segundo é capaz de transitar pelos mais diversos processos de elaboração de software, e não somente pelo método Scrum.
  • 10. Agile Coach vs Scrum Master Existem opiniões que dizem que é apenas um título, e que é de fato, os Scrum Masters costumam fazer coisas muito parecidas com os Agile Coachs de qualquer maneira. Em algumas empresas isso pode ser a realidade, porém minha observação tem sido que os Agile Coaches geralmente obtêm um papel mais amplo e, portanto, são capazes de promover melhor o crescimento organizacional geral. Além disso, os Agile Coaches podem potencialmente ter competências a mais do que os Scrum Masters.
  • 12. Mindset Ágil Qual o nosso Mindset Para ter sucesso quando à Incerteza ?Cone da Incerteza
  • 13. Qual o nosso conjunto estabelecido de atitudes e hábitos Para ter sucesso quando à Incerteza Mindset Ágil
  • 14. O que você faz ? Mindset Fixo abordagem para gerenciar a incerteza Mindset Ágil abordagem para gerenciar a incerteza • Reduzindo a incerteza descobrindo e aprendendo. • Procurando aprender e descobrir da maneira mais eficiente possível. • Reduzindo a incerteza ao “acertar as coisas” • Procurando consertar e confirmar as coisas. Mindset Ágil
  • 15. I’ll Know It When I See It “IKIWISI” Mindset Ágil
  • 17. Conceito de Valor Em marketing, o valor de um produto é a expectativa do consumidor quanto aos seus benefícios em relação à quantia real paga pelo produto. Pode ser expresso pela equação: • Valor = Benefícios / Preço ou • Valor = Benefícios recebidos / Expectativas O Valor percebido, definido como a percepção do cliente de custo-benefício de um produto, serviço ou organizações, sendo uma preocupação relevante entre o relacionamento dos mesmos, influenciando as estratégias de preços e serviços nos quais serão repassados aos clientes. Mindset Ágil
  • 18. Mindset é o conjunto estabelecido de atitudes mantidas por alguém • Mudanças são bem-vindas • Falha no início • Construção e feedback em loops • Entrega Contínua • Desenvolvimento Orientado porValor • Pequenas partes de valor agregado • Aprenda através da descoberta • Melhoria continua Mindset Ágil Estabelecido através de 4 valores Fundamentado por 12 Princípios Manifestado através de diversas Práticas [No Mundo do Software] Mindset Ágil
  • 19. Mindset Ágil Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas Trabalhando software acima de documentação abrangente Colaboração do cliente acima de negociação de contratos Respondendo a mudanças acima de seguir um plano Estabelecido através de 4 valores Fundamentado por 12 Princípios Manifestado através de diversas Práticas [No Mundo do Software] Mindset Ágil
  • 20. Mindset Ágil Estabelecido através de 4 valores Fundamentado por 12 Princípios Manifestado através de diversas Práticas [No Mundo do Software] 1. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente, através da entrega adiantada e contínua de software de valor. 2. Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas. 3. Entregar software funcionando com freqüencia, na escala de semanas até meses, com preferência aos períodos mais curtos. 4. Pessoas relacionadas à negócios e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto e diáriamente, durante todo o curso do projeto. 5. Construir projetos ao redor de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e suporte necessário, e confiar que farão seu trabalho. 6. O Método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para, e por dentro de um time de desenvolvimento, é através de uma conversa cara a cara. 7. Software funcional é a medida primária de progresso. 8. Processos ágeis promovem um ambiente sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários, devem ser capazes de manter indefinidamente, passos constantes. 9. Contínua atenção à excelência técnica e bom design, aumenta a agilidade. 10. Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não precisou ser feito. 11. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto-organizáveis. 12. Em intervalos regulares, o time reflete em como ficar mais efetivo, então, se ajustam e otimizam seu comportamento de acordo. Mindset Ágil
  • 21. Mindset Ágil Estabelecido através de 4 valores Fundamentado por 12 Princípios Manifestado através de diversas Práticas [No Mundo do Software] Visão do produto Estimativa (relativa) Estimativa baseada em tamanho (ponto) Planejando o pôquer Estimativa de grupo Documentação baseada em valor Backlog priorizado do produto Histórias do usuário Elaboração progressiva Personas Story maps / MMF Story slicing Testes de aceitação como requisitos iterações curtas Limites de WIP Lançamentos antecipados e frequentes Roadmapping Planejamento e comprometimento baseados em velocidade Planejamento de Iteração / Backlog de Iteração Planejamento de Liberação / Backlog do Release Iterações em Tempo de Caixa Planejamento adaptativo (multi-nível) Backlog de Risco Estrutura da equipe de sistemas VT / DT Pull-based Slack ritmo sustentável Fretamento de equipe cara-a-cara frequente Equipes colaborativas entre silos Equipes auto-organizadas Equipes multifuncionais Liderança servidora Voluntariado de tarefas Especialista em generalização Acompanhamento do progresso através da velocidade Cartas de burn-up / burn-down Refatoração Testes de unidade automatizados Padrões de codificação Projeto Incremental / Evolutivo Construções Automatizadas Construção de dez minutos Monitoramento do débito técnico Controle de versão Gerenciamento de configuração Desenvolvimento orientado a testes Programação em par Soluções Spike Integração contínua Implantação incremental Design simples Fim-de- iteração hands-on UAT Testes funcionais automatizados Testes automatizados de desenvolvedor (testes unitários) Testes exploratórios Métricas do So_ware Mindset Ágil
  • 22. Scrum eXtreme Programming Processos Ágeis da sua Empresa Mindset Ágil Estabelecido através de 4 valores Fundamentado por 12 Princípios Manifestado através de diversas Práticas [No Mundo do Software] Mindset Ágil
  • 23. Fazendo Ágil Aprender as práticas e aplicá-las sem conhecer a mentalidade e os princípios para saber quando adaptar e como selecionar as práticas apropriadas Sendo Ágil Internalizando a mentalidade, valores e princípios, aplicando as práticas corretas e adequando-as a situações diferentes à medida que elas surgem Ágil como Processo e Prática Ágil como Mindset e Cultura Mindset Ágil
  • 24. Maestria de Práticas • Práticas Ágeis de Requisitos • Práticas Ágeis de Design • Práticas Ágeis de Desenvolvimento • Práticas Ágeis de Testes • Práticas Ágeis de Processo • Práticas Ágeis de Organização • Práticas Ágeis de Aprendizado • Práticas Ágeis de Gestão http://noop.nl/2009/04/the-big-list-of-agile-practices.html
  • 25. Maestria de Práticas • Práticas Ágeis de Requisitos • Práticas Ágeis de Design • Práticas Ágeis de Desenvolvimento • Práticas Ágeis de Testes • Práticas Ágeis de Processo • Práticas Ágeis de Organização • Práticas Ágeis de Aprendizado • Práticas Ágeis de Gestão http://noop.nl/2009/04/the-big-list-of-agile-practices.html
  • 27. Desenvolvimento de Software 4 Valores 12 Principios ?Valores ?Principios MindsetÁgileOutrosdomínios Mindset Ágil
  • 31. Organização Ágil Habitos O Que Ecosistema Como Cultura Porque Organização Ágil tem uma cultura baseada nos valores e princípios do Agile, apoiada pelo ecossistema organizacional e manifestada através de hábitos pessoais e organizacionais (como o trabalho realmente é feito por aqui). Um Ecossistema Organizacional consiste em : Liderança, Estratégia, Estrutura, Processos e Pessoas A cultura devora a estratégia no café da manhã ! Peter Drucker
  • 32. Organização Ágil Ecossistema Organizacional Liderança (Estilo, Valores e Hábitos) Estratégia (Objetivos, Métricas e Recompensa) Estrutura (Funções e Responsabilidades, Decisões, Organização) Processos (Cadeia de Valor, Políticas, Operações, Processos de Negócios) Pessoas (Valores, Crenças, Atitudes, Normas, Hábitos) Cultura
  • 33. Organização Ágil Quando o Ágil é apenas um processo Liderança (Estilo, Valores e Hábitos) Estratégia (Objetivos, Métricas e Recompensa) Estrutura (Funções e Responsabilidades, Decisões, Organização) Processos (Cadeia de Valor, Políticas, Operações, Processos de Negócios) Pessoas (Valores, Crenças, Atitudes, Normas, Hábitos) Cultura Mudança
  • 34. Capacidade de mudar a cultura é a barreira número 1 para adoção mais ágil dos últimos 4-6 anos Organização Ágil Barreiras à adoção Ágil 8th Annual State Of Agile Survey by VERSIONONE, 2014
  • 35. Organização Ágil Elementos Básicos da Agilidade Sustentável Elemento Humano Elemento Não Humano Medições
  • 36. Organização Ágil Elementos Básicos da Agilidade Sustentável Elemento Humano Elemento Não Humano Medições • Uma jornada comum de educação (não treinamento) para mudar a forma como as pessoas trabalham e ilustram como viver a mentalidade ágil em seu trabalho • Coaching de Liderança (como inspirar o desempenho e não obrigá-lo) • Mentoria e Coaching em nível individual e de equipe. • Projetando e implementando um roteiro multi-estágio para agilidade que muda todos esses três elementos em sinergia e harmonia • Uma combinação de consultoria, mentoring, coaching organizacional, reengenharia de processos de negócios e gerenciamento de mudanças organizacionais para implementar as mudanças em toda a organização • Estabelecer um sistema de medição que monitore consistentemente o alinhamento da cultura • Medida primária de progresso é a mentalidade SHI e a transformação de hábitos de trabalho pessoais e organizacionais • Relato do progresso, em função da mudança cultural e não da mudança de processo, nem mudança de estrutura.
  • 37. Organização Ágil Entrega de Valor Times Auto- Organizad os Indivíduos Motivados • Rapidez no Time to Market • Maior satisfação do cliente • Melhor qualidade • Maior valor comercial • Gerenciar as prioridades em mudança • Ciclos de feedback mais curtos • Velocidade • Aprendizagem Rápida • Cadência e Fluxo • Indivíduos capacitados • Colaboração • Tomada de decisão democrática • Transparência Resultados Esperados
  • 40. Competências Agile Coach Segundo o Agile Coaching Institute, no ACCF ( Agile Coach Compentency Framework), são oito competências necessárias que todo Agile Coach deve possuir para que possa desempenhar a sua função com maestria. 1. Mentor - desenvolve o "como é" 2. Consultor - Desenvolve frameworks 3. Coach - Desenvolve e define metas compartilhadas 4. Conselheiro - Desenvolve estruturas para resolver a disfunção 5. Agente de Mudanças - Foca na incorporação de mudanças 6. Facilitador - Suporta um resultado formal sem aconselhamento 7. Líder Lean - Desenvolve pessoas 8. Instrutor / Professor - Desenvolve habilidades por meio de instrução Catalisa a Melhoria Facilitador Removedor de Barreiras Promove a Conscientização Potencializa o Empoderamento Desenvolvedor de Competências
  • 41. Competências Agile Coach Em alinhamento com o novo pensamento de Alistair Cockburn em torno do Heart of Agile e Shu Ha Ri Kokoro, as competências e comportamentos de coaching se resumem a: 1. Ouvindo com empatia 2. Fazendo perguntas profundas 3. Capacitando pessoas 4. Permitindo que as pessoas ajam 5. Reforçando comportamentos ágeis 6. Insight crescente Ri Seja a Regra Ha Quebre a Regra Shu Siga a Regra A jornada rumo à aprendizagem da agilidade
  • 42. Competências Agile Coach Desafio 1 min • Encontrar o seu ponto mais Forte • Encontrar o seu ponto de Melhoria
  • 44. Praticas Agile-Lean Aplica Práticas ágeis e Vive valores ágeis Coaching Profissional Parceria com clientes em um processo criativo que inspira seu potencial pessoal e profissional Facilitador Um suporte de processo neutro que orienta grupos por meio de processos que os ajudam a encontrar soluções e tomar decisões Maestria Organizacional Experiência como catalisador de desenvolvimento e mudança organizacional Maestria de Práticas Maestria de Negócios Especialista em inovação orientada por valor de negócios e desenvolvimento de produtos Maestria Técnica Especialização técnica como Criador de software Mentor Compartilhando conhecimentos, habilidades e perspectivas que promovem o crescimento pessoal e profissional de outra pessoa Professor / Instrutor Instruindo os outros em um conhecimento específico, habilidades e perspectiva Maestrias de Domínio Lyssa Adkins e Michael Spayd, 2013 MaestriasdeInstrução Maestrias de Práticas MaestriasdeCondução
  • 45. Deixar essa fronteira nítida é importante para responder diferentes perguntas: – Quanto uma organização avançou na agilidade? – Quais são os pontos a serem melhorados num time? – Quais são os próximos conhecimentos que um indivíduo deve adquirir sobre os métodos ágeis? Maestrias de Domínio
  • 46. No domínio de Negócio se encontram os assuntos ligados aos produtos e objetivos da empresa: cálculos de ROI (Return On Investment) do produto e suas próximas funcionalidades, priorização, planejamento das próximas releases e eventualmente contratos no contexto ágil. Nesse domínio está a maior parte do conhecimento que o Product Owner deve ter. Maestria de Negócios
  • 47. O domínio Organizacional é mais ligado a forma de trabalho do time: quais métodos o time usa, como é o ciclo de desenvolvimento, o processo iterativo e a distribuição das pessoas nos times. Maestria Organizacional
  • 48. No domínio Técnico há uma atenção para a forma como o trabalho é feito pelo time. A automação é um conhecimento fundamental nesse domínio, pois se reflete nos demais assuntos técnicos: qualidade, padrões, ferramentas, automação. Maestria de Técnicas
  • 52. A dimensão de negócios compreende os conhecimentos e técnicas necessários para transformar as demandas dos clientes em incrementos de produto que agreguem valor de negócio. Maestria de Negócios Em projetos orientados a valor, quando se investe muito no planejamento, é gerado um risco muito grande ao projeto, já em cenários de grande incerteza, o planejamento precisará ser baseado em muitas premissas(eventos incertos que definimos como verdade para fins de planejamento) que serão falsas, o que pode gerar tantas mudanças no plano original que o esforço de adaptação não compensaria a energia gasta no desenvolvimento do plano original.
  • 53. Em projetos ágeis, devido a sua própria característica de incerteza, o planejamento de versões e a priorização do que será desenvolvido (Backlog) é estratégica para melhorar o ROI (Return Over Investiment). Maestria de Negócios As técnicas de planejamento de ágil tem forte afinidade com o planejamento em ondas dos métodos de gerenciamento de projetos orientados à planos, porém com algumas diferenças conforme apresentadas na figura abaixo. Veja que não é interessante antecipar todo o planejamento já que como temos muitas incertezas, teremos grandes probabilidades de mudanças caso a antecipação seja feita. Ao invés disso, fazemos um planejamento de alto nível para identificar e planejar os releases, e posteriormente planejamos mais detalhadamente cada iteração.
  • 54. Visão em um projeto ágil Visão é uma clara imagem que gera uma atração emocional entre pessoas e produto (quando se fala a visão quem escuta deve ser capaz de imaginar como será o produto). A visão deve responder as seguintes perguntas: Maestria de Negócios 1. Quem irá comprar este produto? Quem é o cliente alvo? Quem irá usar o produto? Quem são os usuários alvo? 2. Quais problemas do cliente(ou usuários) o produto pretende resolver? Qual valor o produto adicionará? 3. Quais atributos o produto deve possuir para resolver estes problemas e quais garantirão o sucesso do produto? 4. Como o produto pode ser comparado a produtos ou alternativas existentes ? Quais são os pontos diferenciais deste produto? 5. Qual o preço alvo do produto? Como a empresa pretende ganhar dinheiro com este produto? Quais serão as fontes de faturamento e qual o seu modelo de negócio?(quando aplicável )
  • 55. Um dos grandes desafios de profissionais da área de desenvolvimento de software é como estimar o esforço para a criação de novas funcionalidades, tarefas ou estórias. O principal objetivo de se estimar é criar uma métrica comum para definição e comparação de esforços, e consequentemente definições de prazos(e orçamentos) para projetos e/ou atividades. Maestria de Negócios 1. Reconhecer que estimativas são apenas projeções imprecisas 2. Não confundir estimativas, compromissos e metas 3. Usar técnicas de contagem sempre que possível. Se não for possível, usar técnicas de cálculo. E se não for possível, usar técnicas de julgamento
  • 56. Maestria de Negócios Priorizando funcionalidades utilizando ROI ROI é uma medida que indica o valor que aquele PBI (Product Backlog Item) tem para o projeto. Na maioria dos projetos ele é medida em valor monetário (dólar, real, …) . Você divide o retorno (preço de venda – preço de compra) pelo investimento (preço de compra) para chegar no valor do ROI. Um valor alto de ROI é um bom investimento, enquanto um baixo valor, é um mal investimento. Controlando o valor de retorno e o valor de custo, chega-se ao ROI ideal. Se você não controlar os dois valores, nunca saberá se o valor gasto em um projeto está lhe trazendo retornos reais de dinheiro. Considerando que as User Stories já estão definidas atendendo os DORs, é possível que o Time de Desenvolvimento as estime.
  • 57. Maestria de Negócios Priorizando funcionalidades utilizando ROI Na utilização de SCRUM, o Product Owner PO é responsável por definir o “Business Value” (Valor do Negócio) e a equipe técnica mede o “Esforço” (Custo). Nessa metodologia não utilizamos dólar para medir “Business Value” e nem horas para medir esforço. Régua ( Exemplo ) Valor do Negócio = Escala de 1 à 100 ( definida pelo P.O.) Custo = Pontos definidos pelo Time ( ex.: Planning Poker )
  • 58. Maestria de Negócios Priorizando funcionalidades utilizando ROI Funcionalidade Pagamento do pedido utilizando mais de 1 forma de pagamento Valor de Negócio: 80 Utilizando a escala de 1 a 100 o product owner diz que esse backlog será de grande valia, pois pesquisas feitas indicam que muitos pedidos de valor alto não são fechados devido ao limite dos cartões de crédito. Disponibilizando mais de 1 forma de pagamento no mesmo pedido, as vendas aumentariam. Custo: 13 A sistemática para controlar o pagamento e liberar o pedido é muito complexa. A equipe de desenvolvimento coloca um valor de esforço alto para esse backlog. ROI = 80 / 13 = 6,15 Funcionalidade Integrar redes sociais com o e-commece para incentivar a propaganda. Valor de Negócio: 30 Utilizando a escala de 1 a 100 o Product owner acha a tarefa interessante, mas acredita que o retorno não será muito grande, e não é uma funcionalidade imprescindível para o projeto. Esforço: 8 A equipe de desenvolvimento considera a dificuldade de integrar várias redes sociais distintas e como será arquitetado o sistema. ROI = 30 / 8 = 3,75
  • 59. 3C’s - CARTÃO Maestria de Negócios POR QUE CARTÃO? Histórias de Usuário (do inglês User Stories) são requisitos escritos em cartões – também conhecidos como ficha ou em inglês Index Cards (como na imagem acima). O propósito do Cartão é de limitar o espaço para as informações que descrevem um determinado requisito. POR QUE LIMITAR O ESPAÇO? A razão de limitar o espaço disponível na hora de descrever uma história de usuário atende ao propósito de lembrar aos membros do time do que se trata o requisito e algum meio de identificar a mesma. Normalmente, a história possui um título de fácil associação e um identificador único que serve de fácil indexação para buscas e agrupamento de histórias de usuário por meio de temas, épicos, sprints, trimestres e etc. Publicação original do modelo em inglês: https://ronjeffries.com/xprog/articles/expcardconversationconfirmation/
  • 60. Maestria de Negócios MoSCoW e as 3 ações (Dividir, Priorizar e Descartar) Todas as histórias que têm valor de negócio Must Have, deverão ser refinadas. Elas precisam ser entendidas pelo time, DIVIDIR em histórias menores. MoS C oW Todas as histórias que estiverem com Must Have e Should Have são prioritárias, precisam ser desenvolvidas na Sprint atual ou na próxima, por isso devemos PRIORIZAR Todas as estórias que estiverem com Won’t Have for Now devem ser descartadas, pelo menos por enquanto, por isso devemos DESCARTAR
  • 63. Mudanças rápidas na concorrência, na demanda, na tecnologia e nos regulamentos tornaram mais importante ara as organizações serem capazes de responder e se adaptar rapidamente. Mas, de acordo com uma recente Pesquisa Global da McKinsey, a agilidade organizacional - a capacidade de reconfigurar rapidamente estratégia, estrutura, processos, pessoas e tecnologia para criar valor e oportunidades de proteção de valor - é elusiva para a maioria. Maestria Organizacional
  • 64. “ato ou efeito de gerir; administração, gerência” ”conjunto de tarefas que procuram garantir a alocação eficaz de todos os recursos disponibilizados pela organização afim de serem atingidos osobjetivos pré- determinados” GESTÃO “gestão é uma especialização da administração e da gerência” “a interferência direta dos gestores nos sistemas e procedimentos empresariais” “é planejar, organizar, liderar e controlar as pessoas que constituem uma organização, as tarefas e atividades por estes realizadas” Maestria Organizacional
  • 65. Maestria Organizacional MANAGEMENT 1 . 0 Organizações com estrutura TOP->DOWN Poder centralizado nas mãos de poucos e no top da pirâmide Administração Científica e Industrial Taylor (1911) • Decisão centralizada no topo da pirâmide Fayol (1917) • PLANEJAR, COORDENAR, ORGANIZAR, COMANDAR e CONTROLAR Iniciativas como Balanced Scorecard, Six Sigma, TQM e BPR, por exemplo, funcionam como extensões, conectadas no modelo anterior, reforçando a estrutura top- down e mantendo a essência. MANAGEMENT 2 . 0
  • 67. Maestria Organizacional A Gestão é importante demais para ser deixada para os gerentes. Gestão é sobre seres humanos. Sua tarefa é tornar as pessoas capazes de desempenho conjunto [...]. É disso que se trata a organização, e é a razão pela qual a administração é o fator crítico e determinante. Jurgen Appelo Peter F. Drucker
  • 72. As principais perguntas de um CEO: O que eu preciso para transformar a minha organização e manter ou ampliar a minha vantagem competitiva? • A mudança é pequena? É disruptiva? • É rápido fazer esta mudança? Qual a estrutura (design) de organização eu preciso para ter sucesso neste processo de transformação? Como eu executo e implanto esta nova estrutura? Eu possuo as pessoas e competências necessárias para esta nova estrutura? • As pessoas estão preparadas para esta mudança? • As pessoas possuem o mindset necessário para este novo modelo? Maestria Técnica
  • 73. Maestria Técnica Cebola de Planejamento As estratégias, portfólio e produto podem ser planejados com técnicas de gestão de Portfólio, Planejamento Estratégico e outras conhecidas e utilizadas no mundo dos negócios, porém algumas técnicas ágeis de definição de visão auxiliarão a todos a entender o que realmente é necessário para o sucesso do projeto.
  • 74. Princípios •Reaprendizagem •Transferência de controle •Troca de tarefas •Defeitos •Trabalho inacabado •Funcionalidades extras •Atrasos • Aprendizagem; • Decidir o mais tarde possível; • Entregar o mais rápido possível; • Autonomia e descentralização; • Fracionar e fazer só o necessário; • Construir com integridade; • Ver sempre o todo; • Eliminar os desperdícios:
  • 75. 0 1 2 3 4 5 6 7PRÉ-GAME PÓS-GAME GAME SPRINTS = ITERAÇÕES MVPs E RELEASES TRANSIÇÃO SUSTENTAÇÃO PORTFÓLIO ENTENDIMENTO MÍNIMO x APROVAÇÃO PLANEJAMENTO = 0 1 2 3 4 5 6 7
  • 76. KANBAN = PÓS-GAME / FLUXO CONTÍNUO SCRUMBAN = PROJETO + SUSTENTAÇÃO % RESERVA TÉCNICA - SUSTENTAÇÃO PROJETO
  • 77. • Seguir tendências e não números • Ser facilmente coletada • Incentivar a comunicação • Pertencer a um conjunto pequeno de indicadores • Fornecer feedback frequente • Indicadores não devem ser intrusivos Os indicadores ágeis podem variar conforme a necessidade de avaliação do Tribe Lead, porém os modelos apresentados na sequência são a base de informações para uma visão executivo de performance das squads. Maestria Técnica
  • 78. Seguir tendências e não números: Ao medir a velocidade de uma equipe ágil, por exemplo, é mais importante sua tendência de estabilização que seu número absoluto; Ser facilmente coletada: Coletar as informações de um indicador não deve representar um esforço para a equipe, devendo ser, prioritariamente, automatizada; Incentivar a comunicação: Um indicador deve incentivar a comunicação sobre ela entre os membros da equipe, sendo um bom sinal quando as pessoas comentam sobre ela; Pertencer a um conjunto pequeno de indicadores: É impossível medir tudo, e muita informação pode esconder o que realmente importa. Com um número pequeno de indicadores, busca-se medir apenas o que é mais importante; Fornecer feedback frequente: Os indicadores devem ser frequentemente atualizadas e expostas, de forma a acelerar o processo de aprendizado e melhoria. Indicadores não devem ser intrusivos: Ao medir a equipe deve sentir que esta contribuindo para os valores e princípios ágeis. Maestria Técnica
  • 79. Maestria Técnica Simples - Sentir - Categorizar - Responder Complicado - Sentir - Analisar - Responder Complexo - Sondar - Sentir - Responder Caótico - Agir - Sentir - Responder Desordenado Melhores Práticas Práticas Boas Práticas Emergentes Práticas Novas
  • 80. Maestria Técnica Importante Urgente Importante mas não Urgente Importante e Urgente Decida, agende, quando irá fazer Faça Imediatamente Não é Importante mas é Urgente Não é Importante e Não é Urgente Delegue. Apenas monitoreTire de sua agenda - + +-
  • 82. Praticas Agile-Lean Aplica Práticas ágeis e Vive valores ágeis Coaching Profissional Parceria com clientes em um processo criativo que inspira seu potencial pessoal e profissional Facilitador Um suporte de processo neutro que orienta grupos por meio de processos que os ajudam a encontrar soluções e tomar decisões Maestria Organizacional Experiência como catalisador de desenvolvimento e mudança organizacional Maestria de Práticas Maestria de Negócios Especialista em inovação orientada por valor de negócios e desenvolvimento de produtos Maestria Técnica Especialização técnica como Criador de software Mentor Compartilhando conhecimentos, habilidades e perspectivas que promovem o crescimento pessoal e profissional de outra pessoa Professor / Instrutor Instruindo os outros em um conhecimento específico, habilidades e perspectiva Maestrias de Domínio Lyssa Adkins e Michael Spayd, 2013 MaestriasdeInstrução Maestria de Práticas MaestriasdeCondução
  • 83. Liderado Subordinado Propõe Manda Pede Obriga Persoade Ameaça Maestria de Condução Líder ≠ Chefe LÍDER CHEFE POSSUI VISÃO E OBJETIVOS POSSUI OBJETIVOS SEM VISÃO AMPLA COMUNICA INFORMA CENTRADO NO CLIENTE E NO RESULTADO CENTRADO NO PRODUTO E NO RESULTADO DESENVOLVE TREINA ORIENTA COMANDA CONTESTA E CRIA OBEDECE E EXECUTA COMPROMETIDO COM O VALOR PREDOMINANTE LEALDADE COM O VALO PREDOMINANTE INOVA E EMPREENDE EFICAZ E ESTÁVEL
  • 84. TÉCNICAS CHEFE LÍDER COACH Disciplina Fundamental Utiliza como motivação Utiliza como motivação e estímulo Motivação Tende a dar ordens Respeita Os outros são o fim Objetivos e metas Ele define É a consequência É o corolário Reuniões Pouco Utiliza Muito utiliza Muito utiliza - busca sinergia Resultados É o fim em si mesmo Utiliza como motivação É o corolário Delegação Manda fazer É a consequência Delega, orienta e reconhece Sinergia Não valoriza Muito valoriza Muito valoriza e incentiva CONHECIMENTOS CHEFE LÍDER COACH Feedback Fundamental Utiliza como motivação Utiliza como motivação e estímulo Desempenho Obrigação É resultado É resultado Erros Dificuldade em tolerar Tolera Forma de aprendizado Desenvolvimento Tende a não se preocupar Valoriza e incentiva Valoriza e incentiva como meio de crescimento HABILIDADES CHEFE LÍDER COACH Ouvir Dita mais do que ouve Utiliza como motivação Ouve e considera Respeito Os outros são o meio Respeita Respeita – os outros são o fim Reconhecimento Raramente reconhece Utiliza como motivação Utiliza como motivação Conflitos Tende a abafar Enfrenta e administra Canaliza para o crescimento Trabalho em equipe Não incentiva Incentiva muito Incentiva muito Crítica É duro Utiliza como crescimento Utiliza como desenvolvimento Maestria de Condução
  • 85. “O primeiro passo para aprender o novo, consiste em um grande esforço para desaprender algumas ideias, crenças e princípios, que são consagrados, mas que merecem questionamento.” Sócrates Maestria de Condução
  • 87. Praticas Agile-Lean Aplica Práticas ágeis e Vive valores ágeis Coaching Profissional Parceria com clientes em um processo criativo que inspira seu potencial pessoal e profissional Facilitador Um suporte de processo neutro que orienta grupos por meio de processos que os ajudam a encontrar soluções e tomar decisões Maestria Organizacional Experiência como catalisador de desenvolvimento e mudança organizacional Maestria de Práticas Maestria de Negócios Especialista em inovação orientada por valor de negócios e desenvolvimento de produtos Maestria Técnica Especialização técnica como Criador de software Mentor Compartilhando conhecimentos, habilidades e perspectivas que promovem o crescimento pessoal e profissional de outra pessoa Professor / Instrutor Instruindo os outros em um conhecimento específico, habilidades e perspectiva Maestrias de Domínio Lyssa Adkins e Michael Spayd, 2013 MaestriasdeInstrução Maestria de Práticas MaestriasdeCondução
  • 89. Maestria de Instrução Objetivos de um time Referências Ágeis Senso de Urgência Usar o Backlog Pessoas para ajudar Agile Coach (na transição) / Scrum Master Saber onde quer chegar Big Picture ( Visão do Produto ) Comunicar ( Transparência ) Release Plan / Task Board Dar Autonomia para o Time Agile Coach (na transição) / Scrum Master facilitador Comemorar as Vitórias Entregas Realizadas Não comemorar o que não foi alcançado Transformar em Cultura Sprint ( Repetição ) A cultura vem pela Repetição Philip Kotler
  • 91.