SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
ESCOLA MUNICIPAL PROFESSORA JOSEFA BOTELHO
PROFESSORA – GERLANE
FERNANDES
TURMA – 1º ANO “B”
NATAL, JUNHO DE 2016
ALFREDO VOLPI
ALFREDO VOLPI NASCEU EM LUCCA, NA
ITÁLIA, EM 14 DE ABRIL DE 1896. VEIO PARA
O BRASIL, NO ANO SEGUINTE, COM OS
PAIS, QUE EMIGRARAM PARA SÃO PAULO.
DESDE PEQUENO GOSTAVA DE MISTURAR
TINTAS E CRIAR NOVAS CORES. ESSE
TALENTO O LEVOU A TRABALHAR COMO
PINTOR DE FRISOS, FLORÕES E PAINÉIS NAS
PAREDES DAS MANSÕES PAULISTANAS.
ESTUDOU NA ESCOLA PROFISSIONAL
MASCULINA DO BRÁS E TRABALHOU COMO
MARCENEIRO, ENTALHADOR E ENCADERNADOR.
AOS 16, ELE PINTOU SUA PRIMEIRA AQUARELA.
AOS 18 ANOS DE IDADE, ELE PINTOU SUA
PRIMEIRA OBRA DE ARTE, SOBRE A TAMPA DE
UMA CAIXA DE CHARUTOS, USANDO TINTA A
ÓLEO.
ALFREDO VOLPI
É A FASE DAS BANDEIRINHAS, SUA MAIOR
CONTRIBUIÇÃO PARA A ARTE BRASILEIRA
MODERNA, EXPRESSA EM SEU TRABALHO
BANDEIRAS E MASTROS.
SÓ PINTAVA COM A LUZ DO SOL E SE ENVOLVIA
TOTALMENTE COM A CRIAÇÃO DE SUA OBRA, O
QUE INCLUÍA ESTICAR O LINHO PARA AS TELAS.
DEPOIS DE DOMINAR A TÉCNICA DA TÊMPERA
COM CLARA DE OVO, O ARTISTA NUNCA MAIS
USOU TINTAS INDUSTRIAIS - "ELAS CRIAM MOFO
E PERDEM VIDA COM O PASSAR DO TEMPO",
DIZIA.
ALFREDO VOLPI
AS FORMAS GEOMÉTRICAS E AS TROCAS
CROMÁTICAS COMEÇARAM NOS ANOS 1970:
VOLPI PREPARAVA VÁRIAS PINTURAS PARECIDAS,
ALTERANDO CORES.
ALFREDO VOLPI
NUM PROCESSO TÍPICO DE UM PINTOR DO
RENASCIMENTO, FAZIA SUAS PRÓPRIAS TINTAS,
DILUÍDAS EM UMA EMULSÃO DE VERNIZ E
CLARA DE OVO, EM QUE ELE ADICIONAVA
PIGMENTOS NATURAIS PURIFICADOS (TERRA,
FERRO, ÓXIDOS, ARGILA COLORIDA POR ÓXIDO
DE FERRO) E RESSECADOS AO SOL.
ALFREDO VOLPI MORREU EM 28 DE MAIO DE
1988, AOS 92 ANOS.
http://educacao.uol.com.br/biografias/alfredo-
volpi.htm
ALFREDO VOLPI
"OGIVAS"
Alfredo Volpi (1896 - 1988)
Dimensões100 x 70 cm
TÍTULO: BARCO COM BANDEIRINHAS E
PÁSSAROS
Autor: Alfredo Volp
Onde ver: Museu de Arte
Contemporânea/USP, São Paulo
Ano: 1955
Técnica: Têmpera sobre tela
Tamanho: 54,2cm x 73cm
Movimento: Modernismo
ORIGEM DAS BANDEIRINHAS DAS FESTAS
JUNINAS
AS BANDEIROLAS SURGIRAM POR CAUSA
DOS TRÊS SANTOS: SÃO JOÃO, SANTO
ANTÔNIO E SÃO PEDRO, ONDE ESTES
ERAM PREGADOS NAS BANDEIRAS PARA
SEREM ADMIRADOS DURANTE A FESTA.
ASSIM, PASSARAM A FAZER BANDEIRINHAS
PEQUENAS E COLORIDAS PARA ALEGRAR O
AMBIENTE DA FESTA.
http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/festa-
junina/simbolos-juninos.htm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto Meios de Comunicaçao prof Rosane 2012 -
Projeto Meios de Comunicaçao  prof Rosane 2012 -Projeto Meios de Comunicaçao  prof Rosane 2012 -
Projeto Meios de Comunicaçao prof Rosane 2012 -Rosane Ribeiro
 
Obra de arte a gare tarsila
Obra de arte a gare tarsilaObra de arte a gare tarsila
Obra de arte a gare tarsilaprofdeia
 
Releitura de obras de arte
Releitura de obras de arteReleitura de obras de arte
Releitura de obras de artelisneia2012
 
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e SurrealismoVanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e SurrealismoColégio Santa Luzia
 
Candido portinari história e obras .
Candido portinari   história e obras .Candido portinari   história e obras .
Candido portinari história e obras .Solange Goulart
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro Andrea Dressler
 
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES - ANA ...
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES  - ANA ...ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES  - ANA ...
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES - ANA ...EEMAS
 

Mais procurados (20)

Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Projeto Meios de Comunicaçao prof Rosane 2012 -
Projeto Meios de Comunicaçao  prof Rosane 2012 -Projeto Meios de Comunicaçao  prof Rosane 2012 -
Projeto Meios de Comunicaçao prof Rosane 2012 -
 
Futurismo artes
Futurismo artesFuturismo artes
Futurismo artes
 
Obra de arte a gare tarsila
Obra de arte a gare tarsilaObra de arte a gare tarsila
Obra de arte a gare tarsila
 
Releitura de obras de arte
Releitura de obras de arteReleitura de obras de arte
Releitura de obras de arte
 
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e SurrealismoVanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
 
Obras de miro
Obras de miroObras de miro
Obras de miro
 
Vida e obras de cândido portinari
Vida e obras de cândido portinariVida e obras de cândido portinari
Vida e obras de cândido portinari
 
Arte africana
Arte africanaArte africana
Arte africana
 
Teatro de fantoches
Teatro de fantochesTeatro de fantoches
Teatro de fantoches
 
Carnaval no brasil
Carnaval no brasilCarnaval no brasil
Carnaval no brasil
 
Região sudeste novo 2
Região sudeste novo 2Região sudeste novo 2
Região sudeste novo 2
 
Festa junina
Festa juninaFesta junina
Festa junina
 
Candido portinari história e obras .
Candido portinari   história e obras .Candido portinari   história e obras .
Candido portinari história e obras .
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
 
Artistas plásticos brasileiros
Artistas plásticos brasileirosArtistas plásticos brasileiros
Artistas plásticos brasileiros
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
Símbolos Nacionais
Símbolos NacionaisSímbolos Nacionais
Símbolos Nacionais
 
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES - ANA ...
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES  - ANA ...ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES  - ANA ...
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES - ANA ...
 
Esopo o pai das fábulas
Esopo o pai das fábulasEsopo o pai das fábulas
Esopo o pai das fábulas
 

Semelhante a As bandeirinhas (Gerlane Fernandes)

Semelhante a As bandeirinhas (Gerlane Fernandes) (20)

Alfredo volpi
Alfredo volpiAlfredo volpi
Alfredo volpi
 
Alfredo volpi
Alfredo volpiAlfredo volpi
Alfredo volpi
 
Volpi
VolpiVolpi
Volpi
 
Representação do negro nas artes plásticas
Representação do negro nas artes plásticasRepresentação do negro nas artes plásticas
Representação do negro nas artes plásticas
 
Arte popular brasileira 6o ano 2017
Arte popular brasileira 6o ano 2017Arte popular brasileira 6o ano 2017
Arte popular brasileira 6o ano 2017
 
Arte popular brasileira 6o ano 2017
Arte popular brasileira 6o ano 2017Arte popular brasileira 6o ano 2017
Arte popular brasileira 6o ano 2017
 
Waldomiro pintor
Waldomiro pintorWaldomiro pintor
Waldomiro pintor
 
Exposição 2011
Exposição 2011Exposição 2011
Exposição 2011
 
Arte sacra aninha
Arte sacra aninha Arte sacra aninha
Arte sacra aninha
 
Semana de Arte Moderna
Semana de Arte ModernaSemana de Arte Moderna
Semana de Arte Moderna
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Albuquerque, lucilio de
Albuquerque, lucilio deAlbuquerque, lucilio de
Albuquerque, lucilio de
 
Arte moderna principais artistas
Arte moderna   principais artistasArte moderna   principais artistas
Arte moderna principais artistas
 
Bonadei, aldo
Bonadei, aldoBonadei, aldo
Bonadei, aldo
 
Tarsila Do Amaral
Tarsila Do AmaralTarsila Do Amaral
Tarsila Do Amaral
 
Tarsila do Amaral
Tarsila do AmaralTarsila do Amaral
Tarsila do Amaral
 
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
 
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
 
Revolucionarios Da Arte1
Revolucionarios Da Arte1Revolucionarios Da Arte1
Revolucionarios Da Arte1
 
Revolucionarios da arte
Revolucionarios da arteRevolucionarios da arte
Revolucionarios da arte
 

Mais de Sidneide Maria Campos

Mais de Sidneide Maria Campos (12)

Tecnologia em nosso dia a dia
Tecnologia em nosso dia a diaTecnologia em nosso dia a dia
Tecnologia em nosso dia a dia
 
Acolhida dos alunos CMEI Carmem Reis 2016
Acolhida dos alunos CMEI Carmem Reis 2016Acolhida dos alunos CMEI Carmem Reis 2016
Acolhida dos alunos CMEI Carmem Reis 2016
 
Festival de cinema video online 2016 copia
Festival de cinema video online 2016   copiaFestival de cinema video online 2016   copia
Festival de cinema video online 2016 copia
 
Vivenciando evento nacional hora do código 2016
Vivenciando evento nacional hora do código 2016Vivenciando evento nacional hora do código 2016
Vivenciando evento nacional hora do código 2016
 
Nosso evento hora do código 2016
Nosso evento hora do código 2016Nosso evento hora do código 2016
Nosso evento hora do código 2016
 
Ajuda da tecnologia em nosso dia a dia.
Ajuda da tecnologia em nosso dia a dia.Ajuda da tecnologia em nosso dia a dia.
Ajuda da tecnologia em nosso dia a dia.
 
Festival de cinema 2016
Festival de cinema 2016Festival de cinema 2016
Festival de cinema 2016
 
Slide a hora do código set 2016
Slide a hora do código set 2016Slide a hora do código set 2016
Slide a hora do código set 2016
 
Significados dos nomes (Gerlane Fernandes)
Significados dos nomes (Gerlane Fernandes)Significados dos nomes (Gerlane Fernandes)
Significados dos nomes (Gerlane Fernandes)
 
Vida no campo
Vida no campoVida no campo
Vida no campo
 
Estudo do 4º ano.pptx slide artista militão dos santos
Estudo do 4º ano.pptx slide artista militão dos santosEstudo do 4º ano.pptx slide artista militão dos santos
Estudo do 4º ano.pptx slide artista militão dos santos
 
Proposta trabalho Lab Inf 2016
Proposta trabalho Lab Inf 2016Proposta trabalho Lab Inf 2016
Proposta trabalho Lab Inf 2016
 

Último

Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do BrasilMary Alvarenga
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxLuisCarlosAlves10
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 

Último (20)

Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 

As bandeirinhas (Gerlane Fernandes)

  • 1. ESCOLA MUNICIPAL PROFESSORA JOSEFA BOTELHO PROFESSORA – GERLANE FERNANDES TURMA – 1º ANO “B” NATAL, JUNHO DE 2016
  • 2. ALFREDO VOLPI ALFREDO VOLPI NASCEU EM LUCCA, NA ITÁLIA, EM 14 DE ABRIL DE 1896. VEIO PARA O BRASIL, NO ANO SEGUINTE, COM OS PAIS, QUE EMIGRARAM PARA SÃO PAULO. DESDE PEQUENO GOSTAVA DE MISTURAR TINTAS E CRIAR NOVAS CORES. ESSE TALENTO O LEVOU A TRABALHAR COMO PINTOR DE FRISOS, FLORÕES E PAINÉIS NAS PAREDES DAS MANSÕES PAULISTANAS.
  • 3. ESTUDOU NA ESCOLA PROFISSIONAL MASCULINA DO BRÁS E TRABALHOU COMO MARCENEIRO, ENTALHADOR E ENCADERNADOR. AOS 16, ELE PINTOU SUA PRIMEIRA AQUARELA. AOS 18 ANOS DE IDADE, ELE PINTOU SUA PRIMEIRA OBRA DE ARTE, SOBRE A TAMPA DE UMA CAIXA DE CHARUTOS, USANDO TINTA A ÓLEO. ALFREDO VOLPI
  • 4. É A FASE DAS BANDEIRINHAS, SUA MAIOR CONTRIBUIÇÃO PARA A ARTE BRASILEIRA MODERNA, EXPRESSA EM SEU TRABALHO BANDEIRAS E MASTROS. SÓ PINTAVA COM A LUZ DO SOL E SE ENVOLVIA TOTALMENTE COM A CRIAÇÃO DE SUA OBRA, O QUE INCLUÍA ESTICAR O LINHO PARA AS TELAS. DEPOIS DE DOMINAR A TÉCNICA DA TÊMPERA COM CLARA DE OVO, O ARTISTA NUNCA MAIS USOU TINTAS INDUSTRIAIS - "ELAS CRIAM MOFO E PERDEM VIDA COM O PASSAR DO TEMPO", DIZIA. ALFREDO VOLPI
  • 5. AS FORMAS GEOMÉTRICAS E AS TROCAS CROMÁTICAS COMEÇARAM NOS ANOS 1970: VOLPI PREPARAVA VÁRIAS PINTURAS PARECIDAS, ALTERANDO CORES. ALFREDO VOLPI
  • 6. NUM PROCESSO TÍPICO DE UM PINTOR DO RENASCIMENTO, FAZIA SUAS PRÓPRIAS TINTAS, DILUÍDAS EM UMA EMULSÃO DE VERNIZ E CLARA DE OVO, EM QUE ELE ADICIONAVA PIGMENTOS NATURAIS PURIFICADOS (TERRA, FERRO, ÓXIDOS, ARGILA COLORIDA POR ÓXIDO DE FERRO) E RESSECADOS AO SOL. ALFREDO VOLPI MORREU EM 28 DE MAIO DE 1988, AOS 92 ANOS. http://educacao.uol.com.br/biografias/alfredo- volpi.htm ALFREDO VOLPI
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. "OGIVAS" Alfredo Volpi (1896 - 1988) Dimensões100 x 70 cm
  • 11.
  • 12.
  • 13. TÍTULO: BARCO COM BANDEIRINHAS E PÁSSAROS Autor: Alfredo Volp Onde ver: Museu de Arte Contemporânea/USP, São Paulo Ano: 1955 Técnica: Têmpera sobre tela Tamanho: 54,2cm x 73cm Movimento: Modernismo
  • 14. ORIGEM DAS BANDEIRINHAS DAS FESTAS JUNINAS
  • 15. AS BANDEIROLAS SURGIRAM POR CAUSA DOS TRÊS SANTOS: SÃO JOÃO, SANTO ANTÔNIO E SÃO PEDRO, ONDE ESTES ERAM PREGADOS NAS BANDEIRAS PARA SEREM ADMIRADOS DURANTE A FESTA. ASSIM, PASSARAM A FAZER BANDEIRINHAS PEQUENAS E COLORIDAS PARA ALEGRAR O AMBIENTE DA FESTA. http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/festa- junina/simbolos-juninos.htm