Descolonização da Ásia e da África

2.866 visualizações

Publicada em

Aula elaborada para os alunos e alunas do terceiro ano do Colégio Militar de Brasília. Liberado o uso com os devidos créditos.

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.866
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.149
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
174
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Descolonização da Ásia e da África

  1. 1. DESCOLONIZAÇÃO AFRO-ASIÁTICA 121/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  2. 2. INTRODUÇÃO O colonialismo é uma das expressões do imperialismo e se manifesta em termos políticos, militares, culturais e econômicos. Os movimentos de descolonização ganharam forte impulso no pós- guerra:  Enfraquecimento das antigas potências coloniais; 221/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  3. 3. INTRODUÇÃO  Desenvolvimento de idéias nacionalistas nas áreas coloniais → Pan-Arabismo e Pan- Africanismo.  Experiência militar na II Guerra, seja lutando com tropas da metrópole, ou em guerrilhas contra alemães, italianos e japoneses.  Interesses dos EUA e da URSS em ganhar as áreas de influência; 321/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes Imagem do hoje polêmico Tintin no Congo (1931), uma celebração do colonialismo belga.
  4. 4. DOIS MODELOS DE DESCOLONIZAÇÂO  Guerras → Instalação de regimes socialistas.  Ex.: Indonésia, Vietnã do Norte, Argélia, Angola, Moçambique, etc.  Acordos → Concessão de independência com a transferência de poder para elites locais e a manutenção de fortes vínculos e dependência capitalista.  Ex.: Egito, Nigéria, etc.  Casos de exceção → África do Sul, Índia. 421/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  5. 5. ÁSIA 5 • Europeus tinham colônias na Ásia → muitas foram ocupadas pelos japoneses. • Tropas coloniais lutaram na II Guerra e, depois, a luta de Independência de acelera. • Índia → 1947 → Dividida. • Israel e Palestina → dois Estados → Decisão da ONU → 1947 → só um Estado se constituiu em 1948. • Vietnã → 1954 → Dividido. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes Sukarno líder da independência da Indonésia → 1945 → guerra → contra os holandeses até 1949.
  6. 6. PAPEL DE UM BRASILEIRO NA CRIAÇÃO DO ESTADO DE ISRAEL 6 • Oswaldo Aranha, chefe da delegação brasileira na ONU, presidiu a Assembléia Geral que votou o Plano de partição da Palestina de 1947, atuando para angariar os votos necessários. • Foram 33 votos a favor, 13 contra (Liga Árabe, Grã Bretanha, Grécia, Turquia, Argentina, China, México, Colômbia, Chile e Cuba) e 10 abstenções 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes Praça Oswaldo Aranha em Jerusalém.
  7. 7. ÍNDIA (1947) 7 • A Independência da Índia foi um processo longo. • O seu maior líder, Mahatma Gandhi, focou nos valores tradicionais, na desobediência civil e na não violência. • Uniu temporariamente hindus (Partido do Congresso) e muçulmanos (Irmandade Muçulmana). • Por fim, os britânicos cederam, porém... 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes Mahatma Gandhi (2/10/1869- 30/01/1948)
  8. 8. 8 A retirada britânica condicionou-se a repartição do país → Índia e Paquistão (1947) , Sri Lanka (1948) e Bangladesh (1971). A Caxemira continua sendo motivo de litígio entre Índia, Paquistão e China. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  9. 9. 921/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes Cronologia das Independências das nações asiáticas.
  10. 10. CONFERÊNCIA DE BANDUNG 10  Objetivo: promover a cooperação econômica e cultural, como forma de resistência a todas as formas de colonialismo e neocolonialismo. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes  Ocorreu em 1955 e contou com a presença de 29 países afro- asiáticos.
  11. 11.  Reuniu-se na Indonésia e dela participaram 23 países asiáticos e seis africanos;  Foram lançados os princípios políticos do não-alinhamento (Terceiro Mundismo) → uma postura diplomática e geopolítica de equidistância das superpotências.  Criada a noção de conflito norte-sul.  Apesar do não-alinhamento, todos os países se declararam socialistas;  Em um contexto de Guerra Fria, essa autonomia era difícil de concretizar. 1121/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes CONFERÊNCIA DE BANDUNG
  12. 12. 1.Respeito aos direitos fundamentais, de acordo com a Carta da ONU. 2.Respeito à soberania e integridade territorial de todas as nações. 3.Reconhecimento da igualdade de todas as raças e nações, grandes e pequenas. 4.Não-intervenção e não-ingerência nos assuntos internos de outro país. (Autodeterminação dos povos) 5.Respeito pelo direito de cada nação defender-se, individual e coletivamente, de acordo com a Carta da ONU 1221/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes PRINCÍPIOS DE BANDUNG
  13. 13. 6.Recusa na participação dos preparativos da defesa coletiva destinada a servir aos interesses particulares das superpotências. 7.Abstenção de todo ato ou ameaça de agressão, ou do emprego da força, contra a integridade territorial ou a independência política de outro país. 8.Solução de todos os conflitos internacionais por meios pacíficos, de acordo com a Carta da ONU. 1321/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes PRINCÍPIOS DE BANDUNG
  14. 14. 9. Estímulo aos interesses mútuos de cooperação. 10.Respeito pela justiça e obrigações internacionais.  O Espírito de Bandung prevaleceu por aproximadamente dez anos, mas não resistiu à ação das superpotências – EUA e URSS – e aos interesses políticos e econômicos de grupos nacionais. 1421/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes PRINCÍPIOS DE BANDUNG
  15. 15. Cronologia das Independência das nações Africanas. 1521/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  16. 16. ARGÉLIA X FRANÇA 16 Guerra de independência se estendeu de 1954- 1962 → ações da Front Libérale Nationale (FLN) → formada por muçulmanos nacionalistas → começam em 1945. Franceses resistem → esquadrões da morte, tropas formais → número de mortos argelinos entre 400 mil e 1 milhão de argelinos. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes Acelera-se a migração → “pied noir” e “harkis” → França reconhece a ação como guerra em 1999 e a colocou em seus livros didáticos de história.
  17. 17. COMUNIDADE FRANCESA 17 • Em 1956, o presidente francês promete às colônias francesas direito de voto. • Os colonos decidiriam a independência e manteriam laços culturais e comerciais privilegiados com a metrópole. • O objetivo era evitar uma nova Argélia. • A Guiné foi a única a recusar. A Comunidade foi formada com países como Madagascar, Costa do Marfim, Mali, etc. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes Charles de Gaulle (1890-1970), governou de 1958-69.
  18. 18. CONGO BELGA 18 “Chegará um dia quando a História irá falar... A África escreverá a sua própria história e será uma história de glória e dignidade.” 21/09/2016 Prof.ª Valéria Fernandes
  19. 19. 1921/09/2016 Prof.ª Valéria Fernandes Congo Livre, um feudo do Rei Leopoldo II. Crianças mutiladas por não cumprirem cotas.
  20. 20. CONGO BELGA 20 1957 → fracasso das eleições acirra a luta pela independência. 1958 → Conferência dos Estados Africanos Independentes em Accra → Destaque para Patrice Lumumba, líder da luta de independência do Congo. Em 1960, uma conferência em Bruxelas cede a independência → Lumumba, socialista, torna-se primeiro-ministro e entre em conflito com o presidente pró-EUA → governa 12 dias → caçado, sequestrado, e assassinado em 1961. Mobuto se torna ditador em 14/09/1960 apoiado pelos EUA → em 1971 muda o nome do país para Zaire → fica no poder até 1997. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  21. 21. 2121/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes Meninos soldado na República Democrática do Congo. Crianças soldado são comuns nas guerras na Ásia e na África.
  22. 22. 2221/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes • O general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz liderou a missão da ONU no Congo entre 2013 e 2015. • Pela primeira vez na história da ONU, foi dada a permissão para que as tropas de paz agissem como forças de agressão, isto é, que atirassem primeiro, se necessário.
  23. 23. ÁFRICA PORTUGUESA 23 • A independência de Moçambique foi liderada pela FRELIMO (Frente de Libertação de Moçambique) → em 1960 começou como guerrilha → guerra de independência de 1964-74. Entre 1977-92 → guerra civil entre a FRELIMO e a RENAMO (Resistência Nacional Moçambicana), anti-comunista e apoiada pela África do Sul. • Em 1956 é fundado o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) → No ano de 1974 foi reconhecida a independência da Guiné e em 1975 do Cabo Verde e de São Tomé e Príncipe. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  24. 24. ÁFRICA PORTUGUESA 24 • Movimento Popular pela Libertação de Angola (MPLA), comunista, foi criado em 1956 → guerra civil de 1961-74 → posteriormente surgem a Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), com o apoio do Zaire, e a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), esta última recebe apoio dos EUA e da África do Sul. • Independência é firmada no Acordo de Alvor/1975) → guerra civil → 1974-2002 → tropas brasileiras participam das missões da ONU de pacificação. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  25. 25. ÁFRICA PORTUGUESA 25 • Portugal usou de toda a força para impedir a independência de suas colônias. • A queda do regime Salazarista com a Revolução dos Cravos (1974) precipitou os reconhecimentos de independência (1974/75) e a redemocratização da antiga metrópole. • A década de 1950 marca o início dos movimentos separatistas em Angola (caso mais dramático), Moçambique e Guiné portuguesa. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  26. 26. 26 Fotos da Revolução dos Cravos – 25 de abril de 1974. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes O Exército foi fundamental para a derrubada da ditadura.
  27. 27. 27 Pelo Acordo de Alvor (15/01/1975), Portugal reconhecia a independência de Angola e cabia ao MPLA, FNLA e UNITA partilharem o poder. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  28. 28.  1910 → os ingleses fundam a União da África do Sul como domínio do Império Britânico → negros ficam sem direitos políticos e sociais.  1912 → Fundação do Congresso Nacional Africano (CNA) → Resistência negra.  Lei de Terras Nativas → os brancos, 1/5 da população, tinham direito a mais de 90% das terras.  1961 → a União da África do Sul conquista a independência da Inglaterra, formando a República da África do Sul. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes ÁFRICA DO SUL - EXCEÇÃO
  29. 29.  Sistema de segregação racial iniciado oficialmente em 1948.  Em 1990, o presidente Frederik Willem de Klerk negociou o fim do regime.  Plebiscito → 17/03/1992 → término oficial ao sistema → mas todas as leis só foram abolidas no governo de Nelson Mandela, em 1994. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes O APARTHEID
  30. 30. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes IMAGENS DO APARTHEID
  31. 31. Protesto pela libertação de Mandela, preso em 1962, condenado à 5 anos, foi julgado novemente e recebeu prisão perpétua em 1964. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes
  32. 32. 21/09/2016Prof.ª Valéria Fernandes 32 • Em 1994, Mandela tornou-se o primeiro presidente negro da África do Sul. Governou o país até 1999 e foi responsável pelo fim do apartheid e pela reconciliação de grupos internos. Cena real ocorrida em 1995 e reproduzida no filme Invictus (2009).

×