Alimentador Automático

947 visualizações

Publicada em

Publicada em: Engenharia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
947
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
317
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alimentador Automático

  1. 1. SUMÁRIO 1. Desenho do Conjunto Geral ..........................................................3 2. Objetivos: .........................................................................................4 3. Descrição do Funcionamento .......................................................5 3.1. Programação Inicial: .............................................................................................5 3.2. Ajuste da Programação:.......................................................................................6 3.3. Reposição de Ração e Água:..............................................................................6 4. Lista de Materiais ............................................................................7 5. Características dos Materiais Selecionados ...............................9 5.1. Polipropileno:..........................................................................................................9 5.2. Polietileno da Alta Densidade: ............................................................................9 5.3. Cloreto de Polivinila: ...........................................................................................10 6. Características dos Processos de Moldagem...........................11 6.1. Injeção:..................................................................................................................11 6.2. Extrusão:...............................................................................................................12 7. Referências Bibliográficas...........................................................13
  2. 2. 2 Shibata Hideki ÍNDICE DE FIGURAS Figura 1: Desenho em perspectiva isométrica do alimentador automático........ 3 Figura 2: Principais componentes de uma injetora.......................................... 11 Figura 3: Principais componentes de uma extrusora....................................... 12
  3. 3. 3 Shibata Hideki 1. DESENHO DO CONJUNTO GERAL Figura 1: Desenho em perspectiva isométrica do alimentador automático
  4. 4. 4 Shibata Hideki 2. OBJETIVOS  Proporcionar maior comodidade ao responsável por animais de estimação (necessidade exclusiva de preocupar-se com as reposições semanais de alimento e água);  Minimizar os danos provenientes da influência humana sobre a alimentação do seu animal de estimação, bem como reduzir a ocorrência deles;  Manter uma dieta bem regulada (maior precisão nos horários e na quantidade de alimento em cada refeição) ao animal;  Garantir acesso irrestrito (condicionado às reposições semanais) do animal a água limpa e fresca.
  5. 5. 5 Shibata Hideki 3. DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO O alimentador automático realiza o papel de depositar, de modo programável, ração e água nos recipientes do animal de estimação. Por ser, pois, programável, a máquina pode ter as suas funções ajustadas conforme as necessidades de cada animal. Contudo, é importante notar que, para que o alimentador funcione corretamente, os reservatórios de ração e água devem ser repostos manualmente pelo usuário. 3.1. Programação Inicial: A programação do alimentador é feita pelo usuário por meio do painel de controle e deve ser realizada ao se ligar a máquina pela primeira vez. As funções disponíveis para programação são as seguintes:  Relógio;  Horários de fornecimento de ração e água;  Quantidade de ração a ser fornecida por refeição;  Quantidade de água a ser fornecida nos horários estabelecidos. OBS: Uma vez realizada a programação inicial, as opções programadas podem ser acessadas e alteradas a qualquer momento, desde que a máquina esteja ligada.
  6. 6. 6 Shibata Hideki 3.2. Ajuste da Programação: Recomenda-se, nos primeiros dias, verificar a eficiência das funções programadas, isto é, se o alimento e a água servidos estão sendo aproveitados integralmente pelo animal ou se estes estão sendo suficientes. Diante de sinais de ineficiência (excesso ou falta de ração ou de água), o usuário deve ajustar as funções da máquina até atingir o ponto ideal. 3.3. Reposição de Ração e Água: A reposição dos reservatórios é de responsabilidade do usuário, o qual deve fazê-la de modo condizente com a programação realizada.
  7. 7. 7 Shibata Hideki 4. LISTA DE MATERIAIS a) Caixa estrutural:  Material: polipropileno;  Processo de fabricação: injeção. b) Reservatórios para ração e água:  Material: polietileno de alta densidade (PEAD);  Processo de fabricação: injeção. c) Recipientes para ração e água:  Material: polietileno de alta densidade (PEAD);  Processo de fabricação: injeção. d) Tubulação para ração:  Material: cloreto de polivinila (PVC) rígido;  Processo de fabricação: extrusão. e) Tubulação para água:  Material: cloreto de polivinila (PVC) flexível;  Processo de fabricação: extrusão.
  8. 8. 8 Shibata Hideki f) Painel de controle:  Componentes: Display de LCD e botões de comando;  Especificações:  Alimentado por corrente contínua de 5 V;  Controlado por microcontrolador PIC 18F877A. g) Válvula dosadora para ração:  Componentes: servomotor, sistema pinhão-cremalheira e tampa;  Especificações:  O servomotor é comandado por microcontrolador PIC 18F877A;  O servomotor realiza apenas dois movimentos rotatórios opostos (giros limitados de sentidos opostos);  O sistema pinhão-cremalheira acopla-se ao eixo de saída do servomotor;  A válvula interrompe a passagem de ração por meio de uma tampa acoplada ao sistema pinhão cremalheira;  A válvula é fixada à caixa estrutural por meio de parafusos;  O sistema pinhão-cremalheira e a tampa são feitos de material plástico (baixo coeficiente de atrito). h) Válvula dosadora para água:  Componente principal: eletroválvula para água;  Especificações:  Válvula direcional 2/2 (duas posições e duas vias);  Acionamento por solenoide (12 V);  Comandada por microcontrolador PIC 16F628A;  A válvula interrompe ou libera a passagem de água (por gravidade) conforme a sua posição.
  9. 9. 9 Shibata Hideki 5. CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS SELECIONADOS 5.1. Polipropileno:  Baixo custo;  Boa resistência mecânica;  Alta resistência à corrosão por solventes;  Sensibilidade a raios UV e vulnerável à oxidação;  Facilidade de coloração e moldagem;  Baixa absorção de umidade. 5.2. Polietileno da Alta Densidade:  Alta ductilidade;  Boa resistência a impactos mecânicos;  Baixa estabilidade dimensional.  Impermeabilidade;  Elevada resistência à corrosão;  Atoxicidade.
  10. 10. 10 Shibata Hideki 5.3. Cloreto de Polivinila:  Alto grau de dureza e rigidez (PVC rígido);  Flexibilidade e elasticidade (PVC flexível);  Tenacidade;  Elevada resistência à corrosão por ácidos e bases;  Atoxicidade;  Baixa resistência a altas temperaturas.
  11. 11. 11 Shibata Hideki 6. CARACTERÍSTICAS DOS PROCESSOS DE MOLDAGEM 6.1. Injeção: O processo de moldagem por injeção consiste, basicamente, em aquecer e injetar um material amolecido em um molde relativamente frio, para que ele resfrie e tome a forma desejada. Para tanto, o processo envolve, de forma simplificada, as seguintes etapas: 1. Fechamento e travamento do molde; 2. Aquecimento e plastificação do material a ser injetado; 3. Injeção do material amolecido no molde; 4. Manutenção de pressão constante nas paredes do molde; 5. Resfriamento do material dentro do molde; Abertura do molde e extração da peça moldada. A máquina utilizada para a realização desse processo é chamada injetora, cujos principais componentes estão ilustrados na figura abaixo: Figura 2: Principais componentes de uma injetora
  12. 12. 12 Shibata Hideki 6.2. Extrusão: O processo de moldagem por extrusão consiste em forçar a passagem de um material aquecido por um orifício, gerando peças contínuas com o perfil transversal do orifício. A máquina responsável por esse processo é a extrusora, cujos principais componentes estão representados na figura abaixo: Figura 3: Principais componentes de uma extrusora
  13. 13. 13 Shibata Hideki 7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  <www.sew-eurodrive.com.br>  <www.romi.com>  <www.dupont.com.br>  <www.braskem.com.br>  <www.dow.com>  <www.inp.org.br>  <www.rose-plastic.com.br>  <www.engeplas.com.br>  <www.tudosobreplasticos.com>  <www.ferramentalrapido.ufba.br>  <reciclabrasil.net>

×