Adm5 contabilidade de_custos_teleaula_7_tema_8

203 visualizações

Publicada em

contabilidade de custos

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
203
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Adm5 contabilidade de_custos_teleaula_7_tema_8

  1. 1. 28/05/2013 1 Profa. Ma. Rozana Carvalho Pereira Contabilidade de Custos Tema 8: Custos Operacionais Objetivos • Entender o processo de contabilização. • Conhecer o método de custeio por absorção. • Compreender o que se entende por Departamentalização. • Entender os Gastos Gerais de Fabricação (GGF), também chamados de Custos Indiretos de Fabricação (CIF). O Que é Contabilização? Vamos lembrar alguns conceitos importantes: Resposta: Ação de contabilizar; de escriturar.
  2. 2. 28/05/2013 2 Para Wernke (2004, p. 11 e 12), gasto é um termo usado para: “Definir as transações financeiras nas quais a empresa utiliza recursos ou assume uma dívida, em troca da obtenção de algum bem ou serviço. É um conceito abrangente e pode englobar os demais itens. Por exemplo: um gasto poder ser relacionado a algum investimento (caso em que será contabilizado no ativo da empresa) ou a alguma forma de consumo (como custo ou despesa, quando será registrado em conta de resultado)”. Wernke (2004, p. 11 e 12), define os investimentos como: “Gastos que irão beneficiar a empresa em períodos futuros. Enquadram-se nessa categoria, por exemplo, as aquisições de ativos, como estoques e máquinas. Nesses casos, por ocasião da compra, a empresa desembolsa recursos, visando a um retorno futuro sob a forma de produtos fabricados”. Para Refletirmos... Conhecer bem os valores dos recursos aplicados na empresa, ser capaz de elaborar projeções, compreender qual é o real valor do lucro, qual é o valor exato da geração operacional de caixa, ter conhecimento de quais recursos estão envolvidos na atividade empresarial, saber tomar uma decisão entre descontinuar certo produto ou lançar um novo, todas essas são atividades de domínio de poucos profissionais.
  3. 3. 28/05/2013 3 Assim... Uma das melhores maneiras de possuir todos os números na mão é, além de ter uma boa administração empresarial, adotar um bom sistema de gestão de custos adaptado ao seu tipo de negócio. • Os sistemas de acumulação dos custos sob encomenda e em série são diferentes, logo o processo de contabilização também trilha caminhos específicos. • Assim, deve-se trabalhar com a contabilização de cada um dos métodos de forma distinta. Contabilização no Sistema de Acumulação dos Custos na Produção em Série Matéria-prima Mão de obra Energia Custos indiretos Total Alfa 50.000 40.000 20.000 39.000 149.000 Beta 75.000 35.000 25.000 58.500 193.500 Gama 90.000 25.000 35.000 70.200 220.200 Delta 35.000 60.000 25.000 27.300 147.300 Total 250.000 160.000 105.000 195.000 710.000 Esses dados são lançados nos razonetes e posteriormente lançados no Balanço Patrimonial
  4. 4. 28/05/2013 4 10 Método de Custeio O método de Custeio nada mais é que a utilização de uma forma de atribuir custos a produtos por meio de procedimentos para se atingir determinado resultado, que poderá ser diferente se for utilizado outro método de custeio. Como os custos diretos ou variáveis são alocados aos produtos, as empresas recorrem a um método mais adequado para a alocação dos custos indiretos ou fixos aos produtos. 11 Os Métodos de Custeio Mais Conhecidos e Utilizados pelas Empresas • Custeio por absorção. • ABC (Activity-Based Costing ou custeio baseado em atividades). • Custeio variável ou direto. • Custeio-padrão. 12 Custeio por Absorção • Esta forma de custeio tem como finalidade a apropriação de todos os custos de produção, sendo fixos ou variáveis à produção do período. • O custeio por absorção é o único aceito pela legislação do imposto de renda e pela auditoria externa, pois obedece aos princípios da competência e da realização da receita.
  5. 5. 28/05/2013 5 Dividindo os Indiretos ... • Segundo o Custeio por Absorção, é preciso alocar todos os custos aos produtos – inclusive os indiretos. • Rateio: divisão dos gastos indiretos e alocação aos produtos ou serviços É Possível Usar… • Diferentes bases de rateio. • Lei estabelece o custeio por absorção, que exige o rateio. • Porém, não diz como fazer esse rateio! 15 Procedimentos de Apuração 1) Separação de custos e despesas. 2) Apropriação dos custos diretos aos produtos. 3) Rateio dos custos indiretos aos produtos. 4) Apuração dos custos da produção acabada.
  6. 6. 28/05/2013 6 16 A Indústria Potencial S.A fabrica produtos Alfa, Beta e Delta e deseja conhecer os custos de seus produtos por meio do custeio por absorção: • Comissão de vendedores R$ 80.000 • Salários da fábrica R$ 120.000 • Matéria-prima consumida R$ 350.000 • Salários da Administração R$ 90.000 • Depreciação da fábrica R$ 60.000 • Seguros da fábrica R$ 10.000 • Despesas financeiras R$ 50.000 • Honorários da diretoria R$ 40.000 • Materiais diversos – fábrica R$ 15.000 • Energia elétrica – fábrica R$ 85.000 • Manutenção – fábrica R$ 70.000 • Despesas de entrega R$ 45.000 • Correios, telefone R$ 5.000 • Material de consumo – escritório R$ 5.000 • Total de gastos R$ 1025.000 17 1º) Passo: Separação entre custos e despesas • Custo de Produção Salários da fábrica 120.000 Matéria-prima consumida 350.000 Depreciação da fábrica 60.000 Seguros da fábrica 10.000 Materiais diversos – fábrica 15.000 Energia elétrica – fábrica 85.000 Manutenção – fábrica 70.000 TOTAL 710.000 Os custos da produção serão transferidos ao produto. 18 As despesas serão descarregadas na DRE • Despesas Administrativas Salários da Administração 90.000 Honorários da diretoria 40.000 Correios, telefone 5.000 Material de consumo 5.000 TOTAL 140.000 Despesas Administrativas Comissões de vendedores - R$ 80.000 Despesas de entrega - R$ 45.000 Total - R$125.000 Despesas Financeiras...................R$ 50.000
  7. 7. 28/05/2013 7 19 Importante • As despesas que não entraram no custo da produção, as quais totalizam R$ 315.000, serão descarregadas diretamente no resultado do período sem serem alocadas aos produtos. 2º) Passo: Apropriação dos Custos Diretos ao Produto • Matéria-prima, mão de obra e energia elétrica. • O primeiro custo é a matéria-prima, e o consumo é obtido por meio de fichas técnicas que apontam a retirada do almoxarifado para a utilização nos produtos, determinando o consumo por produto, como segue: 21 Ficha Técnica: Matéria-prima Produto Alfa 75.000 Produto Beta 135.000 Produto Delta 140.000 Total da MP 350.000
  8. 8. 28/05/2013 8 22 • No tocante à mão de obra, há parte como custo direto e parte como custo indireto (sendo o total de salários da fábrica o valor de 120.000,00). Para se chegar ao total de custo direto e indireto, é necessário um sistema de apontamento de quais foram os operários que trabalharam em cada produto no mês e por quanto tempo. 23 Assim, tem-se: Mão de obra Indireta 30.000,00 Direta Produto A 22.000,00 Produto B 47.000,00 Produto D 21.000,00 Total de mão de obra direta 90.000,00 Total custo direto e indireto 120.000,00 24 • A energia elétrica também tem parte de custo direto e parte de custo indireto. • A divisão foi possível em virtude de a empresa manter um sistema de medição de consumo (medidores nas máquinas). • Observe o controle da empresa:
  9. 9. 28/05/2013 9 25 Assim tem-se: Energia elétrica Indireta 40.000,00 Direta Produto A 18.000,00 Produto B 20.000,00 Produto D 7.000,00 Total de energia elétrica - custo direto 45.000,00 Total - custo direto e indireto 85.000,00 26 2º) Passo: Apropriação dos Custos Diretos aos Produtos Custos Diretos Custo Indiretos TOTAL Custos Prod. Alfa Prod. Beta Prod. Delta Matéria-prima 75.000 135.000 140.000 350.000 Mão de obra 22.000 47.000 21.000 30.000 120.000 Energia elétrica 18.000 20.000 7.000 40.000 85.000 Depreciação 60.000 60.000 Seguros 10.000 10.000 Materiais dvs 15.000 15.000 Manutenção 70.000 70.000 Total 115.00 0 202.000 168.000 225.000 710.000 27 No resumo dos custos de produção, nota-se que o total de R$ 485.000 são diretos e já estão alocados aos produtos. Verifica-se também que R$ 225.000 ainda precisam ser transferidos aos produtos. Essa transferência será demonstrada na etapa seguinte:
  10. 10. 28/05/2013 10 28 3º) Passo: Rateio dos Custos Indiretos aos Produtos Produtos Custos Diretos Custos Indiretos R$ % R$ % Produto Alfa 115.000 23,71 53.350 23,71 Produto Beta 202.000 41,65 93.710 41,65 Produto Delta 168.000 34,64 77.940 34,64 Total 485.000 100 225.000 100 29 Ficando... Custos Diretos Custos Indiretos R$ R$ Total Produto Alfa 115.000 53.350 168.350 Produto Beta 202.000 93.710 295.000 Produto Delta 168.000 77.940 245.940 Total 485.000 225.000 710.000 • Explique o método de custeio por absorção:
  11. 11. 28/05/2013 11 31 Departamentalização • O conceito de departamentalização corresponde ao de que a fábrica deve ser dividida em segmentos que denominam departamentos, ou seja, é a estrutura formal representada pelo organograma da empresa. • O departamento constitui uma unidade mínima administrativa, sendo na maioria das vezes formado por homens e máquinas, onde sempre existe um responsável. Nesses departamentos são debitados todos os custos de produção neles incorridos. 32 Os departamentos são classificados em dois grupos: • Departamento Produtivo – Corresponde a prensas, corte, usinagem, moagem, perfuração, acabamento, pintura etc. • Departamento de Serviços – prestam serviço ao departamento produtivo (adm. geral da fábrica, manutenção, almoxarifado, expedição, controle de qualidade, limpeza.) Efetua algum tipo de Modificação no produto a) departamento produtivo e b) departamento de serviços. 33 Objetivo da Departamentalização • Possibilitar melhor controle dos custos. • Determinar os custos dos produtos com maior precisão.
  12. 12. 28/05/2013 12 34 Procedimentos para Apuração do Custo com a Departamentalização 1) Identificar os custos indiretos que podem ser apropriados diretamente aos departamentos. 2) Identificar e ratear os custos comuns da fábrica entre os departamentos. 3) Transferir os custos dos departamentos de serviços para os departamentos de produção mediante algum critério de rateio. 4) Após alocar todos os custos aos departamentos de produção, eles devem ser transferidos aos produtos mediante algum critério de rateio. 35 Alguns Critérios de Rateio: Custo indiretos de fabricação ou indiretos em relação aos departamentos Critério de rateio para transferir os CIFs para os departamentos Iluminação da fábrica Área ocupada, número de pontos de luz ou lâmpadas Energia elétrica Quilowatt-hora consumido Mão de obra indireta Horas trabalhadas, número de funcionários Gastos com a fábrica como aluguel, depreciação, seguros e material de limpeza Área ocupada Material Indireto Área ocupada Manutenção das máquinas Horas-máquina trabalhadas 36 A Cia Ararauna está dividida em dois departamentos de serviços e dois departamentos produtivos. Tendo, assim, cinco setores: gerência geral, manutenção, almoxarifado, corte e prensa. Durante o mês apresentou os seguintes CIFs: CIFs Valores MOD 7.000 Materiais Indiretos 2.000 Aluguel da fábrica 6.000 Seguro da fábrica 1.000 Material de limpeza 1.000 Total 17.000
  13. 13. 28/05/2013 13 37 A empresa identificou os seguintes custos indiretos, mas que são considerados diretos em relação aos departamentos. CIFs Gerência Geral Manutenção Almoxarifado Corte Prensa Total Mão de obra indireta 1.800 2.000 1.200 1.000 1.000 7.000 Material indireto 800 600 400 200 2.000 38 Ratear os custos comuns da fábrica entre os departamentos. CIFs Gerência Geral Manutenção Almoxa- rifado Corte Prensa Total Aluguel 660 820 1.440 1.480 1.600 6.000 Seguro 100 100 140 360 300 1.000 Mat. De Limpeza 100 100 100 300 400 1.000 39 Alocaremos os custos com base nas seguintes premissas: Departamentos Horas Trabalhadas % Almoxarifado 200 20 Corte 500 50 Prensa 300 30 Total 1.000 100 75% no corte e 25% na prensa 1) Os custos da gerência geral serão transferidos para os demais setores na ordem de 25% para cada um. 2) O departamento de Manutenção terá os custos rateados com base nas horas de serviços prestados em cada departamento. 3) O Almoxarifado terá seus custos rateados com base no consumo de matéria-prima.
  14. 14. 28/05/2013 14 40 Distribuição: CIFs Gerência Geral Manutenção Almoxa- rifado Corte Prensa Total MOI 1.800 2.000 1.200 1.000 1.000 7.000 Mat. Indi. 800 600 400 200 2000 Aluguel 660 820 1.440 1.480 1.600 6.000 Seguro 100 100 140 360 300 1.000 Mat.Limp. 100 100 100 300 400 1.000 Total 2.660 3.820 3.480 3.540 3.500 17.000 Rateio Gerencia (2.660) 665 665 665 665 - Soma - 4.485 4.145 4.205 4.165 17.000 Rateio Manut. - (4.485) 897 2.242,50 1.345,5 - Soma - - 5.042 6.447,50 5.510,5 17.000 Rateio Almox. - - (5.042) 3.781,50 1.260,5 - Soma - - - 10.229, 6.771,0 17.000 41 A companhia Ararauna possui dois produtos: o antigo e o inovado. Assim, os departamentos de produção terão seus custos rateados em função do número de horas trabalhadas em cada departamento, como segue: Produtos Corte %Total Prensa %Total Antigo 200h 33,33 100h 25,00 Inovado 400h 66,67 300h 75,00 Total 600h 100 400h 100 O total de horas trabalhadas nos dois setores totaliza 1.000. Sendo 60% para corte e 40% para prensa. 42 Logo o CIFs ou GGF (Gastos Gerais de Fabricação) aos produtos são: Produtos Corte Prensa Total de CIF por produto Antigo 3.400,00 (20%) 1.700,00 (10%) 5.100,00 Inovado 6.800,00 (40%) 5.100,00 (30%) 11.900,00 Total 10.200 6.800,00 17.000

×