Glorificando a deus com o dinheiro

224 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
224
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
69
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Glorificando a deus com o dinheiro

  1. 1. Glorificando a Deus com o DinheiroJohn PiperJohn Piper é um dos ministros e autores cristãos mais proeminentes e atuantes dos diasatuais, atingindo com suas publicações e mensagens milhões de pessoas em todo o mundo.Ele exerce seu ministério pastoral na Bethlehem Baptist Church, em Minneapolis, MN, nosEUA desde 1980.Lucas 12:32–3432Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em vos dar oreino. 33Vendei vossos bens e dai esmola; fazei para vós bolsas que não desgastem, tesouroinextinguível nos céus, aonde não chega o ladrão, nem a traça o consome, 34porque ondeestá o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração.A essência interior da adoração é apreciar a Deus como infinitamente valioso acima de tudo.As formas exteriores de adoração são atos que mostram o quanto apreciamos a Deus.Portanto, tudo na vida tem o sentido de adorar porque Deus disse: Se comerdes ou beberdesou fizerdes outra coisa qualquer, façam isto para mostrar quão valiosa é a glória de Deuspara você (1 Coríntios 10:31). Dinheiro e coisas são grande parte da vida e, por conseguinte,Deus deseja que eles sejam grande parte da adoração, visto que tudo na vida precisa seruma expressão de adoração. Assim, a forma que você adora com seu dinheiro e suas possesé para tê-los, usá-los e perdê-los de um modo que mostre o quanto você aprecia a Deus,não o dinheiro. Este texto trata exatamente disso. Ele realmente é um texto sobre adoração.Então, há um lugar para a adoração comunitária — que fazemos aqui, juntos, no domingo demanhã. E as mesmas definições são válidas aqui como em qualquer outro lugar: a essênciada adoração é o tesouro interior, que é o Deus infinitamente valioso. E as formas deadoração são os atos que expressam esse tesouro interior, que é Deus. Esses atos são:pregação e ouvir a palavra de Deus, oração, cantar, doar, participar da Ceia do Senhor, eassim por diante. Um desses atos de adoração comunitária aqui em Bethlehemé o quechamamos "a oferta". Um conceito próximo do meio termo de nossa adoração comunitáriaquando adoramos com nosso dinheiro, ao retirá-lo de nosso poder e de nossos bancos paraaplicá-lo na missão e ministério de Cristo.Desse modo, esse ato particular de adoração no culto de adoração comunitária é umapequena parte do padrão mais abrangente de adoração com o nosso dinheiro que fazemostodo o dia, pela forma como ganhamos, gastamos, poupamos e doamos nosso dinheiro. Otexto de hoje, Lucas 12:32-34, trata do padrão maior com respeito a como adoramos comnosso dinheiro e, assim, por implicação, ele se relaciona ao que fazemos com nosso dinheirona adoração comunitária também. Portanto, vamos examinar alguns dos principais conceitosneste texto e aplicá-los às nossas vidas, em geral, e à nossa doação comunitária, emparticular.Não temaO primeiro conceito do texto no versículo 32 é que Deus nos ordena a não temer quandoalgo acontecer relacionado ao dinheiro e às coisas. Não se preocupe. Não tema. "Não temais,ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em vos dar o reino". Entretanto, há outraforma de dizer o conceito que é mais profunda. A razão pela qual Deus deseja que nãotemamos, no que concerne ao dinheiro e às coisas, é porque a falta de temor adoraria cincograndes verdades sobre ele. Não temer ecoaria o quanto apreciamos essas cinco verdades a
  2. 2. respeito de Deus. Em outras palavras, não temer se tornaria um belo ato interior deadoração.Primeiro, não temer demonstra que apreciamos a Deus como nosso pastor. "Não temais, ópequenino rebanho". Somos seu rebanho e ele é nosso pastor. E se ele é nosso pastor, entãoo Salmo 23 se aplica: "O Senhor é meu pastor, nada me faltará". Isto é, nada irá nos faltardo que necessitamos. Não temer, amplia a preciosidade de nosso pastor.Segundo, não temer demonstra que apreciamos a Deus como nosso Pai. "Não temais, ópequenino rebanho, porque vosso Pai se agradou em vos dar o reino". Não somos apenasseu pequenino rebanho; somos também seus filhos e ele é nosso Pai. O significado é claro noversículo 30: "Porque os gentios de todo o mundo procuram essas coisas; mas vosso Paisabe que necessitais delas". Em outras palavras, seu Pai realmente se preocupa e realmentesabe do que você precisa, e trabalhará para você ter certeza de que terá o que necessita.Apenas tome cuidado para não ditar a Deus o que você pensa ser sua necessidade em vezde saber o que ele pensa ser sua necessidade.Terceiro, não temer mostra que apreciamos a Deus como rei. "Não temais, ó pequeninorebanho, porque vosso Pai se agradou em vos dar o reino". Ele pode nos dar o "reino"porque ele é o rei. Isso acrescenta um elemento formidável do poder daquele que provê paranós. "Pastor" denota proteção e provisão. "Pai" denota amor, ternura, autoridade, provisão eorientação. "Rei" implica poder, soberania e riqueza. Desse modo, se ainda confiamos emDeus como Pastor, Pai e Rei e não tememos as coisas e a falta de dinheiro, então vamos lhemostrar como o Deus real e precioso é para nós em todas essas circunstâncias. Deus seráadorado.Quarto, não temer revela como Deus é liberal e generoso. "Não temais, ó pequeninorebanho, porque vosso Pai se agradou em vos dar o reino". Observe, ele dá o reino. Ele nãoo vende ou o aluga ou o arrenda. Ele dá o reino. Ele é infinitamente rico e não necessita denossos pagamentos. Qualquer coisa que tentemos dar a ele já seria dele de qualquer forma."O que tens tu que não tenhas recebido?" (1 Coríntios 4,7). Por conseguinte, Deus égeneroso e livre com sua riqueza. É por isso que o louvamos quando não tememos, masconfiamos nele em nossas necessidades.Finalmente, não temer demonstra que apreciamos a Deus como o Deus feliz. "Não temais, ópequenino rebanho, porque vosso Pai se agradou em vos dar o reino". Deus "se agradou".Dar o reino o "agrada". Ele deseja fazer isso. E fazê-lo, "agrada-o". Nem todos nós temospais como este — que ama nos dar coisas, fica alegre por nos dar em vez de receber. Masisto não importa, porque agora você pode ter um Pai como este, Pastor e Rei. Confie nelecomo seu Pai por meio da obra reconciliadora de Jesus e o verá como seu Pai.Desse modo, o primeiro conceito deste texto é que deveríamos apreciar a Deus como nossoPastor, Pai e Rei, que é generoso e feliz para nos dar o reino de Deus — para nos dar o céu,a vida eterna e alegria e tudo de que precisamos para estar ali. Se apreciarmos a Deus dessamaneira — se confiarmos nele — não teremos medo e Deus será adorado. Esse é ofundamento de todo o restante deste texto e deste sermão. O que está para acontecer épossível em virtude de sua promessa.Um impulso em direção à simplicidade em vez da acumulaçãoO segundo conceito é este: confiar em Deus dessa maneira acarreta um forte impulso emdireção à simplicidade em vez da acumulação. O versículo 33: "Vendei vossos bens e daiesmola; fazei para vós bolsas que não desgastem, tesouro inextinguível nos céus, aonde nãochega o ladrão, nem a traça o consome". Foque por um momento nas palavras: "Vendeivossos bens". Com quem ele estava conversando? O versículo 22 nos fornece a resposta: "Aseguir, dirigiu-se Jesus a seus discípulos, dizendo". De modo geral, essas pessoas não eramricas. Não tinham muitos bens. No entanto, ela ainda diz: "Vendei vossos bens". Ele não dizquantos bens vender. Para o jovem rico, ele diz: "Vende tudo o que tens, dá-o aos pobres eterás um tesouro nos céus; depois, vem e segue-me". Vende tudo o que tens. QuandoZaqueu encontrou Jesus, ele disse: "Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meusbens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais" (Lucas
  3. 3. 19,8). Assim, Zaqueu deu 50% de seus bens. Em Atos 4:37, afirma-se: "Barnabé, comotivesse um campo, vendendo-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos".Portanto, ele vendeu pelo menos um campo.Assim, a Bíblia não nos diz quantos bens devemos vender. Mas por que ela diz para venderos bens? Por quê? Dar donativos — usar seu dinheiro para mostrar amor por aqueles sem asprovisões e sem o Evangelho (a necessidade de vida eterna) — é tão importante que, sevocê não tem ativos líquidos para doar, deve vender alguma coisa para que possa doar.Entretanto, agora, pense o que isso significa no contexto. Esses discípulos não são pessoasricas e cujo dinheiro é todo convertido em hipotecas e bens imóveis. A maioria das pessoascomo essas, de fato, tem quantias razoáveis de dinheiro economizadas. Mas Jesus não disse:"Pegue alguma de suas economias e dê esmolas". Ele disse: "Vendei vossos bens e daiesmola". Por quê? A simples pressuposição é de que essas pessoas viviam bem próximas darealidade na qual não tinham dinheiro em espécie para dar e tinham que vender algo paraque pudessem viver. E Jesus queria que seu povo se movesse em direção à simplicidade enão em direção ao acúmulo de bens.Assim sendo, qual é o conceito? O conceito é que há um impulso na vida cristã em direção àsimplicidade em vez da acumulação. O impulso procede de apreciar a Deus como o Pastor,Pai e Rei mais que apreciamos todos os nossos bens. E o impulso é um forte impulso porduas razões. Uma é que Jesus afirmou: "Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os quetêm riquezas!" (literalmente: aqueles que têm bens) (Lucas 18:24). Em Lucas 8:14, Jesusdisse que as riquezas "sufocam" a palavra de Deus. Mas queremos entrar no reino muitomais que desejamos as coisas. E não queremos a palavra de Deus sufocada em nossasvidas. Desse modo, há um forte impulso para simplificar em vez de acumular. A outra razãoé querermos que a preciosidade de Deus seja manifesta ao mundo. E Jesus nos diz quevender os bens e dar esmolas é uma forma de mostrar que Deus é real e precioso comoPastor, Pai e Rei.Assim, o segundo conceito é que, confiar em Deus como Pastor, Pai e Rei, transmite umforte impulso em direção à simplicidade em vez da acumulação. E isso revela a adoração dointerior, do recôndito do coração em ações mais visíveis para a glória de Deus.O aumento do nosso tesouro nos céus, não na terraO terceiro conceito desse texto é que o propósito do dinheiro é aumentar nosso tesouro noscéus, não na terra. O versículo 33 novamente: "Vendei vossos bens e dai esmola; fazei paravós bolsas que não desgastem, tesouro inextinguível nos céus, aonde não chega o ladrão,nem a traça o consome". Qual é a conexão entre vender os bens aqui para que possasatisfazer as necessidades dos outros (a primeira parte do versículo) e a acumulação dotesouro nos céus para você mesmo (no fim do versículo)?A conexão parece ser: o modo como faz suas bolsas que não se desgastam e a forma comovocê acumula seus tesouros no céu que jamais acabam é mediante a venda de seus benspara suprir as necessidades dos outros. Em outras palavras, simplificar pelo amor na terraaumenta sua alegria nos céus.Não deixe de compreender esse conceito totalmente radical. Essa é a forma como Jesuspensa e fala em todo o tempo. Ter a mente fixada no céu faz uma diferença radicalmenteamável neste mundo. As pessoas mais poderosamente persuadidas, para as quais o queimporta é o tesouro nos céus, não grandes acúmulos de dinheiro aqui, são as pessoas queconstantemente sonham com formas de simplificar e servir; simplificar e servir; simplificar eservir. Eles darão e darão. E, é claro, trabalharão, trabalharão e trabalharão, como diz Pauloem Efésios 4:28, "para que tenha com que acudir ao necessitado".A conexão com adoração é esta: Jesus nos ordena a acumular tesouro nos céus, isto é,ampliar nossa alegria em Deus. Ele declara que a forma como fazemos isso é vender esimplificar em virtude dos outros. Desse modo, ele motiva a simplicidade e o serviço pornosso desejo de ampliar nossa alegria em Deus. Fato que significa que todo o uso dodinheiro se torna uma manifestação de quanto nos deleitamos em Deus acima do dinheiro edas coisas. E isso é adoração.
  4. 4. Seu coração se move em direção àquilo que você amaEntão, o último conceito esta manhã do texto é: seu coração se move em direção àquilo quevocê ama e Deus quer que você se mova em direção a ele. O versículo 34: "Porque ondeestá o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração". Essa declaração é dada como arazão por que devemos buscar o tesouro nos céus, que jamais acaba: "Porque onde está ovosso tesouro, ali estará também o vosso coração". Se o teu tesouro estiver nos céus, ondeDeus está, então é ali onde seu coração estará também.Agora, o que este versículo, aparentemente simples, realmente diz? Considero que a palavra"tesouro" significa "o objeto amado". E penso que a palavra "coração" significa "o órgão queama". Portanto, leia o versículo assim: "Onde o objeto que você ama estiver, ali estará oórgão que ama". Se o objeto que você ama é Deus nos céus, seu coração estará com ele noscéus. Você estará com Deus. Mas se o objeto que você ama é o dinheiro e coisas na terra,então seu coração estará na terra. Você estará na terra, separado de Deus.É o que Jesus quis dizer em Lucas 16:13, quando afirmou: "Ninguém pode servir a doissenhores; porque ou há de se aborrecer de um e amar ao outro ou se devotará a um edesprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas". Servir ao dinheiro é amar aodinheiro e buscar todos os benefícios que ele pode oferecer. O coração vai em busca dodinheiro. Mas servir a Deus significa amá-lo e buscar os benefícios que ele pode nosconceder. O coração busca a Deus.E isso é adoração: o amor do coração a Deus e a busca por ele como o tesouro acima detodos os tesouros.A oferta: um ato de adoraçãoConcluo simplesmente por relacionar esses quatro conceitos ao ato de adoração comunitáriaque chamamos "a oferta". Esse momento e esse ato em nosso culto serão adoração paravocê, não importa a quantia — desde a moeda da viúva pobre ou os milhares do milionário— se, por doar, você diz do coração: 1) por meio desta oferta confio no Senhor, Deus, comomeu feliz, generoso Pastor, Pai e Rei, de modo que não temerei quando tiver pouco dinheiropara suprir as necessidades dos outros; 2) por meio desta oferta, a pressão incrível de nossacultura para acumular mais e mais, lanço meu destino com o impulso para a simplicidade porcausa dos outros; 3) eu, por meio desta oferta, guardo o tesouro nos céus e não na terrapara que minha alegria em Deus seja ampliada para sempre; e 4) com esta oferta, declaroque, desde que meu tesouro está no céu, meu coração busca a Deus.Fonte: Desiring GodO leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seuformato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como detradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

×