O Profissional Mestre de Obras

21.735 visualizações

Publicada em

Apresentação destinada ao desenvolvimento e/ou reciclagem de conhecimento do profissional Mestre de Obras.

Autor: Engenheiro Paulo Lago - Gerente da Unidade SSA - Bahia.

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
21.735
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
826
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
380
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • O Profissional Mestre de Obras

    1. 1. Logomarca
    2. 2. Execução de Fôrmas e Escoramentos para Estruturas em Concreto Armado Por Márcio Araújo – Engenheiro da SH
    3. 3. Histórico da SH
    4. 4. Histórico da SH
    5. 5. Histórico da SH
    6. 6. Histórico da SH Fundação do Instituto Social SH
    7. 7. Mercados
    8. 8. Projetos em CAD Serviços Associados
    9. 9. Assistência Técnica Serviços Associados
    10. 10. Serviços Associados Treinamentos
    11. 11. Logística e Carga Mecanizada Serviços Associados
    12. 12. Prêmios Pini                                                                                       
    13. 13. A formação do mestre é semelhante à dos demais trabalhadores da construção civil, quase sempre começam como servente, passando depois de ajudante a oficial. Nesta função os operários necessitam também de desenvolver a capacidade para exercer controle sobre o trabalho de outros, uma vez que gerenciar é parte da função do mestre. Mestre-de-obras O objetivo do mestre-de-obras é regular o desenvolvimento dos serviços. Interferir desde o fornecimento dos insumos até o recebimento dos serviços, com base nas informações escritas (projetos e especificações) e verbais (provenientes do escritório, dos engenheiros, técnicos e fornecedores).
    14. 14. Aproximadamente 80% dos mestres tiveram como profissão anterior, a carpintaria. As atividades realizadas pelos carpinteiros de fôrmas, demandam habilidades específicas, relacionadas à interpretação de projetos. Essas habilidades podem contribuir para o desenvolvimento das atuais atividades. O mestre funciona como o intermediário entre a linguagem técnica, oficial (engenheiros e arquitetos) e a linguagem dos operários. A comunicação procura interligar as informações técnicas recebidas com a realidade do processo de trabalho. Portanto, é o mestre que repassa as informações de cima para baixo e vice-versa. Mestre-de-obras
    15. 15. Tem que ser bom em: 1.Comunicação: É o intermediário entre o engenheiro e os demais funcionários da obra; 2.Conhecimento técnico: Conhece todas as etapas da obra; 3.Coordenação: Coordena e confere a execução de cada serviço; 4.Projetos: Revisa projetos antes do início dos trabalhos; 5.Planejamento: Planeja todas as atividades;
    16. 16. 6. Produção: É o maior responsável pela produtividade da obra; 7. Materiais: Verifica a qualidade dos materiais recebidos; 8. Qualidade: É responsável pela qualidade dos serviços executados; 9. Satisfação do cliente: Tem que estar atento a satisfação do cliente final; 10. Liderança: Para comandar toda a equipe.
    17. 18. Situação de Trabalho do Mestre de Obras
    18. 19. Como as novas tecnologias em Fôrmas para Concreto e Escoramentos Metálicos podem ajudá-lo?
    19. 20. TRABALHANDO AJUDANDO ?????????????
    20. 22. Fôrmas Concreform ® SH
    21. 23. Fôrmas Concreform ® SH
    22. 24. Fôrmas Concreform ® SH
    23. 25. Obras Residenciais
    24. 26. Pilares
    25. 27. Hidroelétricas
    26. 28. Paredes
    27. 29. Vigas
    28. 30. Fôrmas Tekko ® SH
    29. 31. Fôrmas Tekko®
    30. 32. Fôrmas Tekko®
    31. 33. Fôrmas Tekko ® SH Circular
    32. 34. Travamento de Pilar
    33. 35. Plataformas de Trabalho AS150 Andaime Inferior
    34. 37. Fôrmas para Lajes Topec ® SH
    35. 38. Fôrmas para Lajes Topec ® SH
    36. 39. Obras comerciais
    37. 41. Desafios
    38. 42. Desafios
    39. 43. Escoramentos SH® Torres LTT e Escoras SH®
    40. 44. Escoramentos LTT®
    41. 45. Escoramentos LTT®
    42. 46. Reservatórios
    43. 47. Economia?
    44. 49. Desafios
    45. 50. Desafios
    46. 51. Andaimes Fachadeiro® SH Modex® SH Tubular
    47. 52. Fachadeiro SH®
    48. 53. Treliças SH® Treliças SH100 Treliforma
    49. 54. Treliças SH100®
    50. 55. Treliformas®
    51. 56. Um problema muito comum na obra é a perda de peças. Estima-se que, em um contrato de locação de fôrmas para concreto e escoramentos metálicos, essa perda represente, financeiramente, de 5 a 10% do valor do contrato com o fornecedor. Evitando Perdas
    52. 57. Como solução para parte desse problema, os melhores fornecedores do mercado vêm implantando algumas novidades: • paletização de painéis, • fitamento de escoras, • embalagens plásticas para peças miúdas, • carga mecanizada, etc. Tudo para facilitar e organizar o transporte dos equipamentos até o canteiro. Evitando Perdas
    53. 58. Mas, uma vez no canteiro de obras, o Mestre deve controlar, zelar e cuidar das peças para que não haja surpresas desagradáveis no final do contrato. Veja o que você pode fazer! Evitando Perdas
    54. 59. Evitando Perdas 1) Cuidados na retirada e devolução • As notas fiscais de saída e os recibos de entrada emitidos pelo fornecedor são documentos hábeis para o controle de quantitativos de peças retiradas e devolvidas. Faça um acompanhamento estreito das informações constantes nesses documentos. Para tanto, é imprescindível que em toda retirada e devolução dos equipamentos um conferente do construtor e outro do fornecedor contem todas as peças e confiram com a documentação (nota fiscal de saída e recibo de entrada). • Instrua o conferente sobre a importância da contagem e sobre as conseqüências que uma contagem mal feita pode trazer. • Não delegue a responsabilidade da conferência a pessoas sem compromisso com o processo, como, por exemplo, motoristas de transportadoras.
    55. 60. Evitando Perdas 1) Cuidados na retirada e devolução • Escolha bem o conferente. Ele deve ser uma pessoa capacitada para a função, com escolaridade adequada e de confiança.
    56. 61. Evitando Perdas 2) Cuidados na armazenagem • Crie uma área própria e segura para o armazenamento dos equipamentos na obra e designe um responsável. Exatamente como é feito com o ferramental utilizado na obra. • Guarde as peças pequenas em caixas ou barris.
    57. 62. Evitando Perdas 2) Cuidados na armazenagem • Mantenha a obra limpa e arrumada, recolhendo as peças que sobraram ao final de cada etapa e devolvendo-as ao local de armazenagem. • Para facilitar o recolhimento de peças, principalmente em obras verticais, faça uma pequena área de armazenagem de apoio próximo ao local da montagem, que deverá se deslocar juntamente com as frentes de serviços.
    58. 63. Evitando Perdas <ul><li>Cuidados no manuseio </li></ul><ul><li>• Use desmoldante nas fôrmas, não apenas na parte interna, mas também na externa, para facilitar a limpeza. </li></ul>• Logo após a concretagem, antes do concreto endurecer, lave as fôrmas com jatos d’água para evitar que as crostas de massa possam aderir tornando as fôrmas mais pesadas, difíceis de manusear e dificultando os encaixes das mesmas.
    59. 64. Evitando Perdas 3) Cuidados no manuseio • As peças com roscas (forcados, barras de ancoragem e parafusos) devem ser constantemente oleadas e limpas. • Cuidado com tarefas, a pressa, principalmente na desmontagem, pode levar a danificar o material. • Na retirada de entulho verifique o que está sendo jogado fora. Muitas vezes o material bom se mistura com o entulho e vai para o lixo. Designe uma pessoa de confiança para verificação das caçambas de entulho.
    60. 65. Evitando Perdas 3) Cuidados no manuseio • Cuidado com movimento de terra e peças jogadas no chão em terrenos de terra, com água/chuva elas podem ser enterradas. • Certifique-se de que o canteiro é bem fechado e vigiado, evitando que, à noite ou nos finais de semana, visitantes inoportunos levem material.
    61. 66. Evitando Perdas <ul><li>Cuidados no manuseio </li></ul><ul><li>• Não mantenha na obra material ocioso, parado, sem necessidade de uso. Isso, além de onerar a obra numa locação desnecessária, é um ponto a mais para o aumento de perda. Cobre de sua empresa locadora constantemente as quantidades necessárias que devem ser mantidas na obra para o uso e, conseqüente-mente, o que pode ser devolvido em cada remanejamento. </li></ul><ul><li>• Não mantenha uma peça danificada na obra, devolva-a à sua empresa locadora. Desta maneira, você não paga aluguel por algo que não está utilizando e evita que a mesma fique jogada no canteiro e vá para o lixo. Muitas vezes a peça danificada é passível de conserto, cujo custo é 1/10 da peça totalmente inutilizada ou faltante. </li></ul>
    62. 67. Evitando Perdas <ul><li>Cuidados no manuseio </li></ul><ul><li>• Não utilize o equipamento como pé de cabra. Se, por acaso, verificar algum funcionário ou empreiteiro fazendo isso, repreenda-o. </li></ul>• Para a montagem e a fixação de algumas peças se faz necessário o uso de ferramentas adequadas: chave de boca, de catraca, chaves especiais para desforma de cones e martelo. • Recomenda-se o uso de martelo com proteção da cabeça de borracha.
    63. 68. Evitando Perdas Vídeo
    64. 69. &quot;São vocês que vão escolher quem vai fazer e como vai fazer&quot; Portanto, nosso sincero agradecimento a um personagem de extrema importância na engenharia e em nossas vidas. Mestre-de-obras
    65. 70. FIM
    66. 71. Logomarca Obrigado!

    ×