Eis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja Perseguida

9.213 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.213
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6.787
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
178
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja Perseguida

  1. 1. ESMIRNA, A IGREJA PERSEGUIDA
  2. 2. Alvo da lição O aluno será capaz desaber reconhecer que o Senhor esta sempre no controle, mesmo que a situação pareça sem controle;sentir perceber que só o Deus verdadeiro é soberano; agir estudar a Palavra para conhecer o Senhor e não se fixar nas circunstâncias .
  3. 3. Introdução JESUS E AS SETE IGREJASÉfeso Jesus - “o que tem nas mãos as sete estrelas” Jesus -”o primeiro e o último, que esteve morto eEsmirna tornou a viver”Essa é uma das duas cartas onde só encontramoslouvor, sem nenhuma repreensão.
  4. 4. I. Esmirna: a cidade e a igreja1. A cidade de Esmirna2. A igreja em Esmirna Para aquela igreja sofredora, o Senhor Jesus não oferece uma fácil solução para os seus problemas, mas faz três coisas: a. Cristo chama atenção para Si mesmo; b. Ele lhes assegura que está perfeitamente a par da situação. c. Ele lhes dá uma garantia e uma promessa.
  5. 5. II. A apresentação de Cristo (Ap 2.8)1. Que esteve morto2. O primeiro e o último3. Tornou a viver
  6. 6. III. A declaração de Cristo (Ap 2.9)1. Conheço a tua tribulação2. Conheço a tua pobreza O Senhor assegura-lhes que sabe daquela situação agonizante, mas acrescenta que de fato são ricos! Este contraste é visto muitas vezes no Novo Testamento. Testamento a. Jesus diz: “Bem-aventurados vós, os pobres” (Lc 6.20). b. O apóstolo Paulo fala dos crentes em Corinto como sendo “pobres, mas enriquecendo a muitos” (2Co 6.10). c. Tiago diz que “Deus escolheu os que para o mundo são pobres, para serem ricos em fé e herdeiros do reino” (Tg 2.5).
  7. 7. III. A declaração de Cristo (Ap 2.9)3. Conheço a blasfêmia dos judeus Referindo-se às palavras da Santa Ceia, eles acusavam os crentes: a. de serem antropófagos (comendo a carne e bebendo o sangue); b. de serem libertinos com sua festa de amor (o ágape); c. de destruir as famílias; d. de serem ateus e revolucionários.
  8. 8. IV. A garantia de Cristo (Ap 2.10)1. Não temas2. Posto à prova3. Dez dias4. Coroa da vida
  9. 9. V. A promessa de Cristo (Ap 2.11) A carta termina com uma promessa ao vencedor, ao que permanecer firme, que poderá padecer a morte do corpo, mas jamais a morte da alma. Os perseguidores em Esmirna passariam pela morte física e pela morte eterna, mas os crentes passariam da morte física à vida gloriosa com Cristo.
  10. 10. Revisão e aplicação1. Por que Jesus é o primeiro e o último, ao mesmo tempo?2. Quais as interpretações que se pode dar para a expressão: “e tereis tribulação de dez dias”.3. Qual o sentido, para o crente, de “coroa da vida”?
  11. 11. Revisão e aplicação1. Tenho testemunhado de Jesus, ou tenho negado a meu Mestre, por meio do meu comportamento?2. Ao final da minha vida aqui, qual será a recompensa que Jesus terá para mim?
  12. 12. ConclusãoEm tempos de dificuldades, de tensões, de sofrimento, essa cartaé de grande conforto para o crente. Três grandes verdades seaplicam a nós:1.Nós temos um Mestre que já passou por todas as experiênciasque nos podem afligir;2.As coisas não estão descontroladas, pois Ele sabe exatamenteo que está acontecendo e o que vai acontecer;3.Ele promete um galardão maravilhoso como incentivo à nossafidelidade. Acima de tudo, a segunda morte não nos pode tocar,pois em Cristo já vencemos a morte. Aleluia!
  13. 13. Aplicações para hoje1. Qual o significado da palavra Esmirna em relação à igreja ali?2. Como Cristo procura animar a igreja que está sofrendo? Pedindo força e sabedoria ao Espírito Santo. Para encerrar esta lição, reflitamos a respeito dos seguintes temas.1. A semelhança de Deus: “Sede perfeitos, como perfeito é ovosso Pai celeste” (Mt 5.48).2. O exemplo para a igreja: “... vos tornastes o modelo paratodos os crentes” (1Ts 1.7).3. O espelho dos fiéis: “Sê exemplo dos fiéis, na palavra, notrato, no amor, na fé, na pureza” (1Tm 4.12).

×