Psicologia Médica & Psicanálise

1.291 visualizações

Publicada em

Psicologia Aplicada
Psicologia B
historicofilosoficas.blogspot.pt

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.291
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
394
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia Médica & Psicanálise

  1. 1. Psicologia Médica e PsicanálisePsicologia BColégio Nossa Senhora da Boavista
  2. 2. “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas,mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outraalma humana.”Carl Jung (1875-1961)PsicologiaMédicaePsicanálise
  3. 3. Introdução Para o trabalho final de Psicologia decidimosfalar sobre Psicologia Médica e Psicanálise. Estestemas surgiram devido aos nossos interessesacadémicos. Os principais objetivos deste trabalho sãoconhecer a importância da Psicologia Médica nasrelações estabelecidas entre médicos e pacientes.Também abordaremos a história e o papel daPsicanálise. Ao longo do trabalho, focaremos alguns temaslecionados durante o ano.PsicologiaMédicaePsicanálise
  4. 4. PSICOLOGIA MÉDICA
  5. 5. Psicologia Médica A Psicologia Médica é uma área da psicologiaaplicada que corresponde a uma disciplina docurso de Medicina. Estuda o comportamento humano face aodiagnóstico de uma doença e ao seutratamento. Influencia deste modo, a forma como seestabelece a díade médico-doente otimizandoesta relação.PsicologiaMédicaePsicanálise
  6. 6. Uma Visão Histórica Ao longo dos tempos, os especialistasmédicos e a população em geral foram-seapercebendo de que uma relação maispróxima entre os profissionais de saúde e odoente levaria a um maior bem estar. Atualmente, na unidade curricular dePsicologia Médica os médicos são ensinados eestimulados a desenvolverem competênciasde comunicação para as entrevistas clínicas.PsicologiaMédicaePsicanálise
  7. 7. A Função do MédicoPsicologiaMédicaePsicanálise• O clínico deve saber ouvir, perceber o mundo eo contexto em que se insere o doente esobretudo respeitar e aceitarincondicionalmente a sua decisão.• Cabe ao médico informar o paciente da suapatologia, das possibilidades de tratamento,dos riscos e complicações que possam surgir.• São habituais as situações em que o médiconecessita de transmitir informações maisdesagradáveis, como a notícia de um cancro.Mais uma vez é utilizada a Psicologia Médica.
  8. 8. A Psicologia a falar… A expetativa é um conjunto de pressupostosque nos levam a esperar determinadoscomportamentos, de acordo com o estatuto eo papel. Também o médico e o paciente criamexpetativas um em relação ao outro. O médicotem a expetativa do doente ser sincero econfiar no seu trabalho. Já o doente prevê queo clínico tenha uma solução para o seuproblema. Daqui surgirá uma relação com bonsalicerces.PsicologiaMédicaePsicanálise
  9. 9. Relação Médico Paciente Uma relação clínica implica uma respostaadequada e competente, um respeito pelaautonomia e uma reparação adequada.(in AAVV, (2012). Competências Clínicas de Comunicação. Porto. Unidadede Psicologia da U.P., pág.6) Esta deve ser caraterizada pela confiança epela reciprocidade. Ambos devem saberouvir.PsicologiaMédicaePsicanálise
  10. 10. A Psicologia a falar… Tal como aprendemos em Psicologia, adinâmica estatuto-papel é um facilitador derelações, já que possibilita uma melhorinteração. Tanto o médico como o paciente possuemsimultaneamente estatuto e papel. A função do médico, os seus deveres, é o seupapel e corresponde aos direitos, estatuto dodoente. De igual forma, os direitos domédico, o seu estatuto, equivalem àsobrigações, papel do doente.PsicologiaMédicaePsicanálise
  11. 11. Protocolo S.P.I.K.E.S. Este é um método de seis etapas que surgiucom o objetivo de ajudar os médicos ainformarem os pacientes das más notícias.PsicologiaMédicaePsicanáliseS Setting Up the Interview Contexto e saber ouvirP Percepcion Perceção do doente sobre oproblema e a gravidadeI Invitation Convite ao doente para receberinformaçãoK Knowledge Conhecimento: dar informaçãomédicaE Emotions Explorar emoções e criar empatiaS Strategy and Summary Estratégia e resumoTabela 1 – Esquematização do protocolo S.P.I.K.E.S.
  12. 12. Protocolo S.P.I.K.E.S.PsicologiaMédicaePsicanáliseFig. 1 – Panfleto sobre Protocolo S.P.I.K.E.S. distribuído aos alunos da FMUP
  13. 13. Vantagens da aplicação daPsicologia Médica Maior satisfação com o ato clínico. Melhoria do sofrimento psicológico e daforma de lidar com ele. Melhoria dos sintomas físicos. Maior regularidade e adesão terapêutica. Adoção de estilos de vida mais saudáveis. Melhoria de alguns marcadores biológicos. Diminuição do tempo de internamento.(in AAVV, (2012). Competências Clínicas de Comunicação. Porto. Unidadede Psicologia da U.P., pág.12)PsicologiaMédicaePsicanálise
  14. 14. Assim… Ao debruçarmo-nos sobre estetema, apercebemo-nos da importância queuma boa relação médico-doente tem noprocesso curativo do paciente. Foi através desta reflexão que nos deparámoscom a indispensável intervenção da PsicologiaMédica. Além disto surgiram algumas questõespertinentes como:PsicologiaMédicaePsicanáliseoComo deve o médico atuar? De uma formadistanciada ou empática?oSerá que todos os profissionais de saúde têm esteconhecimento? E este é aplicado?
  15. 15. PSICANÁLISE
  16. 16. Psicanálise A Psicanálise é uma ciência que procuraexplicar os comportamentos humanosatravés da análise do seu inconsciente. Tem um função terapêutica. Não se relaciona,contudo com os problemas físicos, patologiasdo corpo mas sim com os “problemas daalma”. Responsáveis pelos sonhos, por exemplo,estes processos inconscientes explicam asnossas relações interpessoais e grande partedos problemas psicológicos.PsicologiaMédicaePsicanálise
  17. 17. História da Psicanálise Foram vários os investigadores que seaperceberam da existência do inconsciente, masfoi Freud, já no séc. XX, que o conseguiu provar. Freud, conhecido por “pai daPsicanálise”, começou por utilizar a hipnose, paraperceber as causas e superar os problemas daspessoas. Mais tarde, abandona a hipnose e decideutilizar um outro método, o de associação livre. Em Portugal, foi Egas Moniz que falou naPsicanálise pela primeira vez.PsicologiaMédicaePsicanáliseSigmund Freud (1856-1939)
  18. 18. Função dos Psicanalistas Os psicanalistas procuram tratar o pacienterecorrendo ao método psicanalítico. Recorrem,por isso, à “associação livre de ideias,interpretação dos sonhos e dos atos falhados, eprocesso de transferência”. Têm a função de análise com vista àreestruturação e organização da personalidadeatravés da descodificação do inconsciente. Quem os procura, vai à busca de uma soluçãopara os problemas da sua vida: conjugais, detrabalho, depressões, baixa autoestima, medose sofrimento íntimo.PsicologiaMédicaePsicanálise
  19. 19. O papel da Psicanálise A Psicanálise teve um papel determinante nodesenvolvimento das outras psicoterapias. A Psicanálise dividiu-se em várias correntesespecíficas em que as práticas terapêuticaspossuíam características próprias, tais comona terapia comportamental ou na terapiafamiliar.PsicologiaMédicaePsicanálise
  20. 20. Importância para os tratamentosmédicos Apesar de, como já vimos, a Psicanálise tratar dos“problemas da alma”, relaciona-se também com aMedicina. Chegou-se à conclusão que os problemasde vida, os sentimentos reprimidos, recordaçõesdolorosas e que perturbam o nosso equilíbriointerno, podem-se exprimir em forma de doenças ousintomas com causas desconhecidas.PsicologiaMédicaePsicanálise•Estes só são tratados, graças àajuda da Psicanálise, quepermite à pessoa autoconhecer-se e desvendar os enigmas doseu inconsciente.
  21. 21. “O principal objetivo da terapia psicológica, não étransportar o paciente para um impossível estado defelicidade, mas sim ajudá-lo a adquirir firmeza epaciência diante do sofrimento. A vida acontece numequilíbrio entre a alegria e a dor.”Carl Jung (1875-1961)PsicologiaMédicaePsicanálise
  22. 22. Assim… Ao refletir sobre este tema, apercebemo-nosda complexidade do estudo a que se dedica. As nossas experiências passadas exprimem-se de forma camuflada na nossa maneira deviver, podendo ser uma ajuda nainterpretação da arte e dos comportamentos. Podemos então afirmar, que o estudo doinconsciente torna-se importante nacompreensão do nosso dia-a-dia.PsicologiaMédicaePsicanálise
  23. 23. Conclusão Através deste trabalho, aprendemos um pouco maisacerca da Psicologia Médica e da Psicanálise. Refletimos sobre a importância que a prática daPsicologia Médica tem na vida do ser humano e sobreo estudo da Psicanálise, na forma de olhar oinconsciente e como influência no desenvolvimentode novas terapias. Durante o trabalho, também fizemos um paralelismo,sempre que oportuno, com a matéria de Psicologiaestudada.PsicologiaMédicaePsicanálise
  24. 24. A Psicologia em nós… Ajudou-nos a compreender que a mente do ser humanoé uma construção complexa e incessante, sempre a sermodificada, sempre a modificar. São estes labirintos damente que tornam o seu estudo apelativo. Permite-nos entender os processos cognitivos damente, o ser humano no seu meio, estando presente nonosso dia-a-dia quandojulgamos, interagimos, interpretamos. Formou-nos enquanto pessoas ao ganharmos umaconsciência do EU, uma formação pessoal e umconhecimento interno. Tornou-nos pessoas mais seguras, com capacidadecrítica, autónomas, atentas para as ilusões da realidadee prontas a entrar no mundo cada vez mais competitivo.PsicologiaMédicaePsicanálise
  25. 25. Bibliografia AAVV, (2012). Competências Clínicas de Comunicação. Porto.Unidade de Psicologia da U.P. MONTEIRO, M.; FERREIRA P. (2009). Ser Humano 12. 1ªEdição.Porto: Porto Editora Sítios da internet:◦ http://www.infopedia.pt/$psicanalise (2-5-2013)◦ http://artigos.psicologado.com/abordagens/psicanalise/introducao-a-psicanalise (2-5-2013)◦ http://psicologaclinica.blogs.sapo.pt/12319.html (2-5-2013)◦ http://monitoriajakfarias.blogspot.pt/p/historia-da-psicanalise.html (2-5-2013)◦ http://www.miriamaltman.psc.br/archives/origens_psicologia-psicanalise.html (2-5-2013)◦ http://www.espacopsique.com/Psicanalise%20Principal.html (2-5-2013)PsicologiaMédicaePsicanálise
  26. 26. Trabalho realizado por:Ana Maria CostaElisa Veigas12ºA

×