Eutanásia Trabalho realizado por: Pedro Duarte Disciplina: Filosofia Professor: Sérgio Morais
Introdução <ul><li>A eutanásia pode ser entendida por “Suicídio Assistido” ou “Morte Voluntária”. Esta é debatido muitos s...
Bioética <ul><li>A Bioética é uma disciplina no campo da filosofia e surgiu em função da necessidade de discutir moralment...
Direito de matar ou de morrer <ul><li>E ntende-se que &quot;eutanásia&quot; significa provocar uma boa morte, em que uma p...
Eutanásia voluntária <ul><li>A eutanásia pode ser voluntária quando uma pessoa tem o desejo de morrer quando a sua vida ac...
Eutanásia não-voluntária <ul><li>A eutanásia é não-voluntária quando a pessoa a quem se retira a vida não pode escolher en...
Eutanásia involuntária <ul><li>A eutanásia é involuntária quando é realizada numa pessoa que poderia ter consentido ou rec...
Distanásia <ul><li>A distanásia é etimologicamente o contrário da eutanásia. Consiste em atrasar o momento da morte, provo...
Conclusão <ul><li>A eutanásia pode-se dizer que é provocar “auto suicídio”, podendo ser para seu benefício (tendo uma doen...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Eutanásia

33.843 visualizações

Publicada em

Trabalho elaborado para a disciplina de Filosofia - 10º
Colégio Nª Srª da Boavista.
Temas/ problemas do mundo contemporâneo
http://historicofilosoficas.blogspot.com

1 comentário
11 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
33.843
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
458
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eutanásia

  1. 2. Eutanásia Trabalho realizado por: Pedro Duarte Disciplina: Filosofia Professor: Sérgio Morais
  2. 3. Introdução <ul><li>A eutanásia pode ser entendida por “Suicídio Assistido” ou “Morte Voluntária”. Esta é debatido muitos séculos, contudo é muito controverso e chocante, pois interfere com determinados princípios (Bioética), assim como o valor da vida e da dignidade humana. </li></ul><ul><li>Este tema despertou o interesse de muitos indivíduos e dos mass media, surgindo vários debates bastante polémicas acerca deste. </li></ul>
  3. 4. Bioética <ul><li>A Bioética é uma disciplina no campo da filosofia e surgiu em função da necessidade de discutir moralmente o avanço tecnológico das ciências da área da saúde, bem como os aspectos da relação de profissionais e pacientes. A Bioética pode ser definida como ”o estudo sistemático das dimensões morais, incluindo uma visão moral, decisões, condutas e políticas das ciências da vida e cuidados da saúde, empregando uma variedade de metodologias éticas em um ambiente multidisciplinar”. </li></ul>
  4. 5. Direito de matar ou de morrer <ul><li>E ntende-se que &quot;eutanásia&quot; significa provocar uma boa morte, em que uma pessoa acaba com a vida para seu benefício. Duas importantes características da eutanásia são: implica tirar vida a uma pessoa, e também que a vida é tirada para benefício, pois ela ou ele pode sofrer de uma doença incurável. No tempo do classicismo, a eutanásia era aceite. O Cristianismo e o judaísmo contribuíram para que a vida não deve ser tirada pois é usurpar o direito de Deus de dar e tirar a vida. Muitos viram como uma violação da lei natural. </li></ul>
  5. 6. Eutanásia voluntária <ul><li>A eutanásia pode ser voluntária quando uma pessoa tem o desejo de morrer quando a sua vida acabou. Pode-se desejar que a vida acabe, se o paciente tem uma doença incurável ou um acidente que tenha tirado as faculdades racionais e que não seja capaz de decidir entre a vida e a morte. Se ainda tiver essas capacidades racionais e desejar a morte, pode ocorrer eutanásia voluntária. </li></ul>
  6. 7. Eutanásia não-voluntária <ul><li>A eutanásia é não-voluntária quando a pessoa a quem se retira a vida não pode escolher entre a vida e a morte. Como por exemplo um recém-nascido com uma doença muito grave e incurável. </li></ul>
  7. 8. Eutanásia involuntária <ul><li>A eutanásia é involuntária quando é realizada numa pessoa que poderia ter consentido ou recusado a sua própria morte, mas não o fez, seja porque não lhe perguntaram, seja porque lhe perguntaram mas não deu consentimento, querendo continuar a viver. </li></ul>
  8. 9. Distanásia <ul><li>A distanásia é etimologicamente o contrário da eutanásia. Consiste em atrasar o momento da morte, provocando assim sofrimento ao doente. </li></ul><ul><li>Tecnologias médicas permitem manter a vida a muitos pacientes. Então coloca-se ainda uma velha questão: devem os médicos fazer sempre tudo o que é possível para tentar salvar a vida de um doente? Devem eles fazer esforços &quot;heróicos&quot; para acrescentar mais umas quantas semanas, dias, ou horas à vida de um doente sofrendo de cancro? Deve o tratamento activo de bebés que nasceram com deficiências que a sua curta vida será preenchida com pouco mais do que sofrimento contínuo ser sempre instigado? </li></ul>
  9. 10. Conclusão <ul><li>A eutanásia pode-se dizer que é provocar “auto suicídio”, podendo ser para seu benefício (tendo uma doença incurável). A eutanásia pode ser consciente se for voluntária, se um indivíduo não for consciente esta é não-voluntária, se o individuo for consciente e não consentir esta é involuntária. </li></ul><ul><li>A distanásia, é entendida como o contrário à eutanásia, atrasando o processo de morte, provocando sofrimento ao paciente. </li></ul>

×