Disturbios Alimentares

41.641 visualizações

Publicada em

disturbios alimentares

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
75 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
41.641
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
296
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
75
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Disturbios Alimentares

  1. 1. Distúrbios alimentares
  2. 2. Introdução
  3. 3. Com esta apresentação tentaremos mostrar o que são os distúrbios alimentares, assim como, as suas causas, consequências e tratamentos.
  4. 4. Distúrbios alimentares Anorexia Bulimia Obesidade
  5. 6. Anorexia É uma perturbação psicológica e com implicações físicas emocionais graves. Afecta predominantemente as adolescentes com maior risco de incidência entre os 14-18 anos, podendo iniciar-se mais cedo. Embora seja predominante no sexo feminino, surge também no sexo masculino.
  6. 7.  Caracteriza-se essencialmente por um medo intenso de engordar mesmo quando muito magra. A pessoa que sofre de anorexia por mais magra que seja, sempre que se olha ao espelho, vê -se como uma pessoa extremamente gorda algo que não corresponde ao seu aspecto físico real, bem pelo contrário.  Trata-se de um transtorno da alimentação ao qual se dá actualmente muito mais importância do que no passado.
  7. 12. <ul><li>Emagrecimento rápido sem causa aparente; </li></ul><ul><li>Redução na quantidade de alimentos ingeridos ou escolha de produtos magros ou de baixo valor calórico (dieta); </li></ul><ul><li>Desculpas frequentes para não comer ou para o fazer isoladamente; </li></ul><ul><li>Praticar exercício físico em excesso; </li></ul><ul><li>Amenorreia nas raparigas e perda de erecção nos rapazes; </li></ul><ul><li>Mudança de temperamento (maior agressividade, irritabilidade e isolamento social); </li></ul>
  8. 13. <ul><li>Desenvolvimento de comportamentos ritualizados à refeição (ex. cortar a comida aos bocadinhos); </li></ul><ul><li>Não assumir a fome; </li></ul><ul><li>Isolamento social; </li></ul><ul><li>Atitude extremamente critica em relação à imagem e forma corporal; </li></ul><ul><li>Grandes oscilações de peso; </li></ul><ul><li>Comer frequentemente grandes quantidades de comida de forma compulsiva; </li></ul>
  9. 14. <ul><li>Comportamentos compensatórios do ganho de peso (ex. vómito); </li></ul><ul><li>Utilização de laxantes ou diuréticos; </li></ul><ul><li>Instabilidade emocional (alteração de humor). </li></ul>
  10. 17. <ul><li>As causas da anorexia são várias mas podemos considerar: </li></ul><ul><li>Uma alimentação pouco saudável; </li></ul><ul><li>Uma auto-estima muito baixa; </li></ul><ul><li>A influência dos meios de comunicação; </li></ul><ul><li>Comentários de amigos ou de familiares. </li></ul>
  11. 19. <ul><li>A pessoa sente-se gorda, apesar de estar extremamente magra, acabando por se tornar escrava das calorias e de rituais em relação à comida. </li></ul><ul><li>A pessoa anoréxica fica cada vez mais triste, irritada e ansiosa. Dificilmente, a pessoa admite ter problemas e não aceita ajuda de forma alguma. </li></ul><ul><li>As pessoas com anorexia nervosa podem não receber tratamento médico, até que tenham se tornado perigosamente magras e desnutridas. </li></ul>
  12. 23. O tratamento deve ser realizado por uma psiquiatra, um psicólogo, um pediatra, um clínico e um nutricionista, em função da complexa interacção de problemas emocionais e fisiológicos nos transtornos alimentares; O médico deve avaliar o estado da doença e tentar impedir que esta avance; O objectivo principal do tratamento é a recuperação do peso corporal através de uma reeducação alimentar com apoio psicológico; O tratamento da anorexia nervosa costuma ser demorado e difícil. O paciente deve permanecer em acompanhamento após melhora dos sintomas, para prevenir recaídas.
  13. 24. A bulimia nervosa pode ser considerada uma consequência da anorexia. Uma pessoa com bulimia (bulímica) ingere grandes quantidades de alimentos para em seguida livrar-se deles, vomitando-os.
  14. 29. <ul><li>Episódios repetidos de ingestões muito abundantes de alimentos em muito pouco tempo; </li></ul><ul><li>Medo de não poder deixar de comer durante esses episódios; </li></ul><ul><li>Uso regular de clisteres, provocação de vómitos e dietas rigorosas ou abstinência para compensar os efeitos da ingestão demasiada de alimentos; </li></ul><ul><li>A principal causa para uma pessoa começar a desenvolver a bulimia é o achar-se gorda; </li></ul>
  15. 30. <ul><li>As bulímicas têm vergonha do corpo que têm; </li></ul><ul><li>Uma auto-estima muito baixa; </li></ul><ul><li>A influência dos meios de comunicação; </li></ul><ul><li>Comentários de amigos ou de familiares. </li></ul>
  16. 34. <ul><li>Pode provocar cáries e doenças nas gengivas; </li></ul><ul><li>Pode provocar a queda do cabelo; </li></ul><ul><li>Os corpos desnutridos procuram manter a temperatura desenvolvendo uma camada de pelos finos no rosto, ombros e costas. </li></ul>
  17. 36. Deve ser feito por um especialista e é necessária muitas vezes hospitalização (tal como na anorexia).
  18. 37. Obesidade
  19. 40. <ul><li>A obesidade pode definir-se como um aumento da quantidade de energia armazenada como gordura. </li></ul><ul><li>Este aumento de energia depende de factores como a idade, o sexo, o estado de saúde, a herança genética e o ambiente . </li></ul>
  20. 46. <ul><li>Aumento do índice de massa corporal; </li></ul><ul><li>Aumento da percentagem de gordura subcutânea a partir da prega subcutânea; </li></ul><ul><li>Não conseguir permanecer em pé muito tempo; </li></ul><ul><li>Cansaço; </li></ul>
  21. 47. <ul><li>Consumo excessivo de alimentos empacotados (gomas, bolos,…); </li></ul><ul><li>Consumo de alimentos hiper-calóricos (fast-food); </li></ul><ul><li>Ingestão rápida de alimentos; </li></ul><ul><li>Beber grande quantidade de refrigerantes (Coca-Cola / sumos); </li></ul><ul><li>Ter alimentação desmedida e sem regras. </li></ul>
  22. 51. <ul><li>Aumento de peso; </li></ul><ul><li>Maior gordura acumulada; </li></ul><ul><li>Maior risco de desenvolver doenças como a hipertensão, diabetes, cancro, AVC ou lesões no esqueleto. </li></ul>
  23. 54. O tratamento da obesidade baseia-se num plano dietético e de exercício para reduzir o peso e obter um crescimento correcto. É também necessário um forte apoio afectivo; Entre 80% e 90% dos indivíduos voltam ao peso anterior.

×