A violência nas instituições: representações e atitudes. Observatório de Violência e Práticas Exemplares usp de ribeirão p...
 
“ Os homens normais  não sabem que tudo  é possível”. ( David Rousset )
<ul><li>O fenômeno totalitário revelou que não existem limites às deformações da natureza humana e banalização do mal. Are...
 
 
 
 
<ul><li>Etimologia: vis (origem lat.) - força, poder.  </li></ul><ul><li>Violência: “...ameaça ou uso efetivo de  </li></u...
“ O por que da guerra?”  ( Freud, 1932)
<ul><li>“ Um bando de porcos espinhos  </li></ul><ul><li>numa noite de um rigoroso  </li></ul><ul><li>inverno europeu”. </...
 
atração e  repulsão
Amor e ódio
“ A violência é de todos e está em todos, ela é inerente ao  desejo mimético ”. Girard, R. (1991). A violência e o sagrado...
“ eu só desejo aquilo que um outro deseja
“  a violência é inerente a interação...”
Domesticação da  violência
<ul><li>ritos sacrificiais  </li></ul>
sacrifício de  animais
fenômeno religioso
Instituição: mediação Justiça: vingança  institucionalizada
Vida grupal e familiar: unidade social básica
Violência  Doméstica Profecias Realizadoras
esquizofrenia infantil toque
carência afetiva crônica
Catástrofe (kata + strophé), “virada para baixo”, “desabamento”, “desastre”;  mas ao mesmo tempo  “suplantar”, “passar atr...
desigualdade abismo social barbárie progresso científico tecnológico
ausência de Culpa
glorificação do crime
Demoniza- ção
solidão humanização de animais
miséria afetiva e sexual
decadência: corporal familiar institucional espiritual meio ambiente
* <ul><li>Índices de violência - taxa de homicídios: </li></ul><ul><li>Brasil : 25,4 assassinatos por 100.000 habitantes/a...
Imaginário do Medo
Prazer oral substituição
Gratificação alucinatória do desejo
Família restaurante Hiperfagia Obesidade “ um violão encapado”.
Família farmácia
família teatro histérica
família esquizóide
Paranóia conspiração
Regressão em nível psico-fami- liar.
“ a instituição toma a forma do mal que se pretende combater”. (bleger)
Auto-violência: suicídio Alcoolismo Doenças psicossomáticas
expressão
Catarse   ( Catharsis) :  purgação, descarga, purificação.
sublimação canalizar energia agressiva para atividades socialmente úteis, como a  artística e intelectual.
Paraísos artificiais
Erythroxylon coca Freud,S.Über Coca. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1989. “[...] pude determinar, em experiências feitas ...
“ [...] eu o aconselhara a só usar a droga internamente enquanto a morfina estava sendo retirada, mas ele logo de início h...
Albert Hoffman (1943) – efeitos centrais da dietilamida do ácido lisérgico (LSD) Stanislaw Groff (1963) – experimentos com...
Dispositivos de apaziguamento farmacologia movimento e esporte música e dança cultura e arte ecologia ciência
Violência e poder: impotência
PROJETO DE  FUTURO
diversidade De  papéis
Inclusão digital
individualismo
minoria  violenta e  corrupta
maioria silenciosa e acovardada
Representação Coletiva <ul><li>“ Quando a minoria impera, é porque a maioria abdicou de seu lídimo direito de decidir...” ...
União e organização
* <ul><li>“ Pior que a morte das nossas energias íntimas, o destino frustrado, a vida sem finalidade - é o instante em que...
* <ul><li>Bibliografia: </li></ul><ul><li>**Arendt, H.  Da Violência. S.P.: Perspectiva, 1973.   Freud, S.  Por que existe...
Inferno Musical: neurose
Jardim  das  delícias: potência criativa
Observatório regional de violência  e práticas exemplares. [email_address] [email_address] (16) 6023713 - 6308231
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A ViolêNcia Nas Instituições

2.138 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.138
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
322
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Violência
  • A ViolêNcia Nas Instituições

    1. 1. A violência nas instituições: representações e atitudes. Observatório de Violência e Práticas Exemplares usp de ribeirão preto Prof. Sergio Kodato – skodato@ffclrp.usp.br
    2. 3. “ Os homens normais não sabem que tudo é possível”. ( David Rousset )
    3. 4. <ul><li>O fenômeno totalitário revelou que não existem limites às deformações da natureza humana e banalização do mal. Arendt,H.(1968) Between Past and Future. New York: The Viking Press. </li></ul>
    4. 9. <ul><li>Etimologia: vis (origem lat.) - força, poder. </li></ul><ul><li>Violência: “...ameaça ou uso efetivo de </li></ul><ul><li>força física ou poder contra outra pessoa, contra si próprio, o qual pode redundar em dano, prejuízo... </li></ul>
    5. 10. “ O por que da guerra?” ( Freud, 1932)
    6. 11. <ul><li>“ Um bando de porcos espinhos </li></ul><ul><li>numa noite de um rigoroso </li></ul><ul><li>inverno europeu”. </li></ul>
    7. 13. atração e repulsão
    8. 14. Amor e ódio
    9. 15. “ A violência é de todos e está em todos, ela é inerente ao desejo mimético ”. Girard, R. (1991). A violência e o sagrado. S.P.: Edunesp
    10. 16. “ eu só desejo aquilo que um outro deseja
    11. 17. “ a violência é inerente a interação...”
    12. 18. Domesticação da violência
    13. 19. <ul><li>ritos sacrificiais </li></ul>
    14. 20. sacrifício de animais
    15. 21. fenômeno religioso
    16. 22. Instituição: mediação Justiça: vingança institucionalizada
    17. 23. Vida grupal e familiar: unidade social básica
    18. 24. Violência Doméstica Profecias Realizadoras
    19. 25. esquizofrenia infantil toque
    20. 26. carência afetiva crônica
    21. 27. Catástrofe (kata + strophé), “virada para baixo”, “desabamento”, “desastre”; mas ao mesmo tempo “suplantar”, “passar através”. A catástrofe é, por definição um evento que provoca um trauma, “ferimento”.
    22. 28. desigualdade abismo social barbárie progresso científico tecnológico
    23. 29. ausência de Culpa
    24. 30. glorificação do crime
    25. 31. Demoniza- ção
    26. 32. solidão humanização de animais
    27. 33. miséria afetiva e sexual
    28. 34. decadência: corporal familiar institucional espiritual meio ambiente
    29. 35. * <ul><li>Índices de violência - taxa de homicídios: </li></ul><ul><li>Brasil : 25,4 assassinatos por 100.000 habitantes/ano. </li></ul><ul><li>R.J.: 57,6 - S.P.: 56,4 R.P.:46.0 </li></ul><ul><li>- N.Y.: 18,40 - Londres e Paris: 4,0. Japão: 1,3 . </li></ul>
    30. 36. Imaginário do Medo
    31. 37. Prazer oral substituição
    32. 38. Gratificação alucinatória do desejo
    33. 39. Família restaurante Hiperfagia Obesidade “ um violão encapado”.
    34. 40. Família farmácia
    35. 41. família teatro histérica
    36. 42. família esquizóide
    37. 43. Paranóia conspiração
    38. 44. Regressão em nível psico-fami- liar.
    39. 45. “ a instituição toma a forma do mal que se pretende combater”. (bleger)
    40. 46. Auto-violência: suicídio Alcoolismo Doenças psicossomáticas
    41. 47. expressão
    42. 48. Catarse ( Catharsis) : purgação, descarga, purificação.
    43. 49. sublimação canalizar energia agressiva para atividades socialmente úteis, como a artística e intelectual.
    44. 50. Paraísos artificiais
    45. 51. Erythroxylon coca Freud,S.Über Coca. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1989. “[...] pude determinar, em experiências feitas comigo mesmo, após tomar 0,10g de cocaïnum muriaticum, que a pressão que poderia ser exercida por uma das mãos era aumentada em 2-4kg, [...] (p.117)
    46. 52. “ [...] eu o aconselhara a só usar a droga internamente enquanto a morfina estava sendo retirada, mas ele logo de início havia se aplicado injeções de cocaína. Um preparado de propilo ... ácido propiônico [...] como podia eu ter chegado a pensar nisso?” Trimetilamina. Vi a fórmula química dessa substância no sonho [...]”
    47. 53. Albert Hoffman (1943) – efeitos centrais da dietilamida do ácido lisérgico (LSD) Stanislaw Groff (1963) – experimentos com LSD
    48. 54. Dispositivos de apaziguamento farmacologia movimento e esporte música e dança cultura e arte ecologia ciência
    49. 55. Violência e poder: impotência
    50. 56. PROJETO DE FUTURO
    51. 57. diversidade De papéis
    52. 58. Inclusão digital
    53. 59. individualismo
    54. 60. minoria violenta e corrupta
    55. 61. maioria silenciosa e acovardada
    56. 62. Representação Coletiva <ul><li>“ Quando a minoria impera, é porque a maioria abdicou de seu lídimo direito de decidir...” Caligaris, Contardo (1999). A Erosão da Lei e da Ordem . São Paulo: Globo. </li></ul>
    57. 63. União e organização
    58. 64. * <ul><li>“ Pior que a morte das nossas energias íntimas, o destino frustrado, a vida sem finalidade - é o instante em que o homem se julga efêmero. Isto é: quando não pode tirar dos seus pensamentos ou de seus atos uma forma de edificação.” Kopke (1948) </li></ul>
    59. 65. * <ul><li>Bibliografia: </li></ul><ul><li>**Arendt, H. Da Violência. S.P.: Perspectiva, 1973. Freud, S. Por que existe guerra? (Ed. Standard). R.J.: Imago, 1976. </li></ul><ul><li>Girard, R. A Violência e o Sagrado. S.P.: Edunesp, 1991. </li></ul><ul><li>Megargee -Hokanson. A dinâmica da agressão. S.P.: EPU, 1976. Pinheiro, P.S.(org.) Crime, violência e poder . São Paulo: Brasiliense, 1983. </li></ul>
    60. 66. Inferno Musical: neurose
    61. 67. Jardim das delícias: potência criativa
    62. 68. Observatório regional de violência e práticas exemplares. [email_address] [email_address] (16) 6023713 - 6308231

    ×