Gestão e Desenvolvimento de Produto- Atacado distrib

751 visualizações

Publicada em

Mais em: www.slduarte.rg.com.br
CHURCHILL, Gilbert A. e PETER, J. Paul. Marketing: Criando Valor para os Clientes. Tradução de Cecília C. Bartalotti e Cid Knipel Moreira. São Paulo, Editora Saraiva, 1º edição, 2000.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Gestão e Desenvolvimento de Produto- Atacado distrib

  1. 1. Churchill&Peter © Editora Saraiva Gilbert A. Churchill, Jr. J. Paul PeterGilbert A. Churchill, Jr. J. Paul Peter Capítulo 15 Atacado e Distribuição Física Marketing
  2. 2. Churchill&Peter © Editora Saraiva Como Atacadistas Podem Criar ValorComo Atacadistas Podem Criar Valor Slide 15-1 Tabela 15.1 Para ProdutoresPara Produtores Para VarejistasPara Varejistas Para Usuários FinaisPara Usuários Finais Reduzindo custos ao contribuir com eficiência e experiência para o canal Proporcionando informações sobre setores e produtos Proporcionando maior capacidade de atingir os compradores Oferecendo informações sobre os compradores Reduzindo as perdas potenciais ao assumir os riscos do negócio Melhorando a seleção de produtos, ao informar os varejistas sobre os produtos mais adequados aos usuários finais Reduzindo os custos monetários, de tempo e de esforço pelo oferecimento de uma variedade de bens Reduzindo os custos monetários por meio de maior eficiência e/ou conhecimento Reduzindo os custos monetários por meio de maior eficiência e/ou experiência
  3. 3. Churchill&Peter © Editora Saraiva Principais Tipos de AtacadistasPrincipais Tipos de Atacadistas Slide 15-2 Atacadistas de serviço completo Atacadista de função limitada Agente, corretor ou representante do fabricante Corretores Negociantes Atacadistas Atacadistas Agentes e Corretores Especializado Atacadistas consignadores Atacadistas pague-leve Embarcadores direto Atacadistas volantes Atacadista Genérico
  4. 4. Churchill&Peter © Editora Saraiva Estratégias de Marketing paraEstratégias de Marketing para AtacadistasAtacadistas Slide 15-3 Figura 15.1 Estratégia de marketing para atrair vendedores Estratégia de marketing para atrair compradores Varejistas e outros revendedores AtacadistasProdutores
  5. 5. Churchill&Peter © Editora Saraiva O atacadista recebe os bens e os armazena em depósitos. Registra o estoque em computador e paga a fatura. O Processo de Distribuição FísicaO Processo de Distribuição Física Slide 15-4a Figura 15.2 O fabricante recebe o pedido, emite a fatura, deduz os bens do estoque e despacha-os. O atacadista encomenda bens por telefone, correio, fax ou computador. O produtor armazena bens acabados e registra o estoque em computador. Armazenamento Administração de estoques Processamento de pedidos Processamento de pedidos Administração de estoques Transporte Armazenamento Administração de estoques Processamento de pedidos
  6. 6. Churchill&Peter © Editora Saraiva O varejista recebe os bens e os coloca em prateleiras. Registra o estoque em computador e paga a fatura. Slide 15-4b Figura 15.2 O atacadista recebe o pedido, emite a fatura, deduz os bens do estoque e despacha-os. O varejista encomenda os bens por telefone, correio, fax ou computador. Processamento de pedidos Processamento de pedidos Administração o de estoques Transporte Administração de estoques Processamento de pedidos O Processo de Distribuição FísicaO Processo de Distribuição Física
  7. 7. Churchill&Peter © Editora Saraiva Slide 15-5 Figura 15.3 Proporção de Bens Transportados em cadaProporção de Bens Transportados em cada Meio de Transporte no BrasilMeio de Transporte no Brasil Fonte: US Department of Commerce, Statistical Abstract of the United States , 115th ed. (Washington, D.C.; U.S. Government Printing Office, 1995) p. 626. Aéreo 0,3% Dutoviário 3,5% Ferroviário 21,2% Hidroviário 17,4% Rodoviário 57,5%
  8. 8. Churchill&Peter © Editora Saraiva Slide 15-6 Administrando a Distribuição FísicaAdministrando a Distribuição Física Visando agregar valor, as organizações procuram maneiras de aumentar a velocidade e a confiabilidade da distribuição física, ao mesmo tempo em que controlam os custos. Distribuição física voltada para o valor As decisões tomadas sobre a distribuição física exigem a participação de todo o departamento. Tomada de decisões interfuncionais
  9. 9. Churchill&Peter © Editora Saraiva Slide 15-7 Tendências na Distribuição FísicaTendências na Distribuição Física Sistema Integrado Integração da distribuição física, em vez de mantê-la como uma série de funções separadas.. Just-in-Time Sistema em que se mantém pouco estoque e exige-se que os fornecedores supram a quantidade necessária de acordo com um cronograma preciso. Intercâmbio Eletrônico de Dados Sistema de comunicação que permite a transferência eletrônica de informações entre empresas. Software de Tomada de Decisões Software que ajuda os usuários a selecionar a solução ideal para um problema complexo.
  10. 10. Churchill&Peter © Editora Saraiva Slide 15-7 Tendências na Distribuição FísicaTendências na Distribuição Física Sistema Integrado Integração da distribuição física, em vez de mantê-la como uma série de funções separadas.. Just-in-Time Sistema em que se mantém pouco estoque e exige-se que os fornecedores supram a quantidade necessária de acordo com um cronograma preciso. Intercâmbio Eletrônico de Dados Sistema de comunicação que permite a transferência eletrônica de informações entre empresas. Software de Tomada de Decisões Software que ajuda os usuários a selecionar a solução ideal para um problema complexo.

×