Nossas soluções
água, energia,esgotos                                                                           (Prof. Édis Milaré)       ...
LEI 12.305/2010, de 02 de agosto de         2010∗ A PNRS não é o primeiro diploma legal a tratar do assunto-TAMBÉM NÃO É U...
• UNIFORMIZA DEFINIÇÕES E ESCLARECE RESPONSABILIDADES:- Resíduos sólidos;                                                 ...
Tratamento e Destinação de Resíduos                          Aterros Classe I e Classe I                          Co-Proce...
Aterros classe II e classe Iimpermeabilização com camada de argilacompactada e manta de PEAD    dupla impermeabilização ...
TRATAMENTO        E   DESTINAÇÃO                                              LIMPEZA PÚBLICA FINAL∗ INSS                 ...
Co-processamento          Tratamento e Destinação de Resíduos
Co-processamentoREAPROVEITAMENTO / RECICLAGEMContribuição na substituição parcial de combustível e/ou matéria-prima no pro...
COMBUSTÍVEL SÓLIDO                                                                              Forno da cimenteira       ...
O gerador do resíduo PAGA à Essencis; a  Essencis PAGA À               Prestação de serviços de destinação    CIMENTEIRA  ...
Essencis RJ        HIDROCARBONETOS (PETRÓLEO)
Fluxograma do Processo       Gás                      Queimado   1                  r             3       Queimado        ...
Vantagens   Tratamento de solo dentro ou fora do site.    Reposição do solo no local de origem.    Curto tempo de desco...
Nossas soluções
Soluções de consultoriae execução de projetos ambientais,em parceria com o cliente, emtodo o território nacional.       Co...
Engenharia e Consultoria Ambiental
Nossas soluções
A Manufatura Reversa é uma                     unidade de negócios que oferece                     soluções que promovem o...
Manufatura Reversa de                     refrigeradores, freezers                     aparelhos de ar-condicionado       ...
Programas de eficiênciaenergética                                                                   Levantamento cadastral...
Nossas soluções
Recuperação de Metais                        Tecnologia aliada a sustentabilidade                        que permite a ext...
Unidade de Recuperação de Metais:Tecnologia patenteada, 100% nacionalDefinição:         Processo físico-químico deseparaçã...
Ensaio laboratório                                              Prestação de serviços?                        Recebimento ...
COMPOSIÇÃO DA LAMA: Estado Físico   Água    Sedimentos   Emulsão   Águas                  98%        1%         1%contamin...
FLUXOGRAMACapacidade produtiva: 32 mil m³/ano                                                             Água    ETE     ...
Novas Tecnologias na Gestão de Resíduos - questões jurídicas
Novas Tecnologias na Gestão de Resíduos - questões jurídicas
Novas Tecnologias na Gestão de Resíduos - questões jurídicas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Novas Tecnologias na Gestão de Resíduos - questões jurídicas

955 visualizações

Publicada em

A palestra teve como objetivo apresentar o contexto da aplicação prática de tecnologias disponíveis para a gestão ambientalmente adequada dos resíduos no âmbito jurídico e os reflexos, neste contexto, da Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos, com particular referência a questões ainda não pacificadas na área.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
955
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Novas Tecnologias na Gestão de Resíduos - questões jurídicas

  1. 1. Nossas soluções
  2. 2. água, energia,esgotos (Prof. Édis Milaré) ∗ 1º marco legal - Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981 -- ALIADO NATURAL DOS ÓRGÃOS AMBIENTAIS Política nacional do meio ambiente e o SISNAMA - Sistema Nacional do Meio Ambiente; LICENCIAMENTO ∗ 2º marco legal - Lei nº 7347 DE 24 de Julho de 1985 - A FISCALIZAÇÃO AÇÃO CIVIL PÚBLICA;- RESPONSABILIZAÇÃO DOS USUÁRIOS E CONSUMIDORES ∗ 3º marco legal - a CF 1988; ∗ 4º marco legal - Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de ESTRUTURA NORMATIVA ESPECÍFICA – 1998 – LEI DE CRIMES AMBIENTAIS- Sistema de financiamento, 5º marco legal = PNRS- Questões trabalhistas – ex. adicional de insalubridade;- Questões de direito civil – ex. imóvel- Tratamento tributário
  3. 3. LEI 12.305/2010, de 02 de agosto de 2010∗ A PNRS não é o primeiro diploma legal a tratar do assunto-TAMBÉM NÃO É UM CÓDIGO- NÃO É UMA CONSOLIDAÇÃO ESTABELECE UMA POLÍTICA NACIONALResulta, assim, do interesse em∗ - Congregar todos os entes políticos no enfretamento da questão;∗ - Elaborar diretrizes para uma atividade conjunta e coordenada de tais entes
  4. 4. • UNIFORMIZA DEFINIÇÕES E ESCLARECE RESPONSABILIDADES:- Resíduos sólidos; - Rejeito;- Disposição final ambientalmente adequada; - Logística reversa;- Responsabilidade compartilhada • ESTABELECE DIRETRIZES E PRIORIDADES- Visão sistêmica; - não geração, redução, reutilização, reciclagem e tratamento dos resíduos sólidos, bem como disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos;- Viabilidade econômica
  5. 5. Tratamento e Destinação de Resíduos Aterros Classe I e Classe I Co-Processamento Incineração TDU – Dessorção Térmica Laboratório Estação de Tratamento de Efluentes
  6. 6. Aterros classe II e classe Iimpermeabilização com camada de argilacompactada e manta de PEAD dupla impermeabilização com manta de PEAD coberturadrenagem de gases e percolados dupla drenagemcoleta de percolados e envio ao Sistema deTratamento de Águas Residuárias coleta de percolados e envio para tratamento na estação de tratamento de efluentes
  7. 7. TRATAMENTO E DESTINAÇÃO LIMPEZA PÚBLICA FINAL∗ INSS ESPAÇO-Ativos Pessoas Retenção de 11% fixos/equipamentos 5% IN 971 /2009ISS LEIS MUNICIPAISLei Complementar - local da destinação RESTRITIVAS DA ATIVIDADE:INSALUBRIDADE • PROIBIÇÃO DE RESÍDUOSNão neutralização da insalubridade com EPI DE FORA; • TIPO DE RESÍDUOS Período de monitoramento
  8. 8. Co-processamento Tratamento e Destinação de Resíduos
  9. 9. Co-processamentoREAPROVEITAMENTO / RECICLAGEMContribuição na substituição parcial de combustível e/ou matéria-prima no processo defabricação de cimentoGANHO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE: destinação adequada com economia derecursos naturais, via recuperação do conteúdo energético dos resíduos e substituição dematéria prima. Além dos benefícios ambientais deve representar benefícios econômicos esociais.- Poupa Recursos Naturais não renováveis- Não são gerados resíduos sólidos ou efluentes líquidos Tratamento e Destinação de Resíduos
  10. 10. COMBUSTÍVEL SÓLIDO Forno da cimenteira MATÉRIA PRIMA Essencis Sobra de processo- O combustível + matéria prima – são mercadoria?- A atividade de blending, pode ser entendida como beneficiamento e portanto industrialização?
  11. 11. O gerador do resíduo PAGA à Essencis; a Essencis PAGA À Prestação de serviços de destinação CIMENTEIRA - - Principal atividade de toda a prestação - Onde se emprega o “know how” (Interpretação literal da lei)
  12. 12. Essencis RJ HIDROCARBONETOS (PETRÓLEO)
  13. 13. Fluxograma do Processo Gás Queimado 1 r 3 Queimado 8 r 2 7 9 6 4 5 Solo tratado 101- Transportador de Solo; 2- Forno Rotativo; 3- Ciclone; 4- Filtro de mangas; 5- Umidificador; 6- CâmeraPós combustão; 7- Trocador de calor ar-ar; 8- Filtro de Mangas; 9 - Chaminé; 10 - Sala de Controle
  14. 14. Vantagens Tratamento de solo dentro ou fora do site.  Reposição do solo no local de origem.  Curto tempo de descontaminação de solo.  Qualidade durante o processo.  Utilização do solo para outros fins (cobertura de aterro)  Valor energético do combustível do solo é aproveitado. Tratamento e Destinação de Resíduos
  15. 15. Nossas soluções
  16. 16. Soluções de consultoriae execução de projetos ambientais,em parceria com o cliente, emtodo o território nacional. Conjugação de técnicas e recursos de ponta que possibilitem a melhor solução para o cliente.Engenharia e Consultoria Ambiental
  17. 17. Engenharia e Consultoria Ambiental
  18. 18. Nossas soluções
  19. 19. A Manufatura Reversa é uma unidade de negócios que oferece soluções que promovem o ciclo completo de sustentabilidade de produtos manufaturados, em especial de eletro-eletrônicos.Manufatura Reversa
  20. 20. Manufatura Reversa de refrigeradores, freezers aparelhos de ar-condicionado Manufatura de eletro-eletrônicos Recolhimento de pilhas e baterias Descontaminação e reciclagem de lâmpadas fluorescentes Eficiência energéticaManufatura Reversa
  21. 21. Programas de eficiênciaenergética Levantamento cadastral Troca de geladeira usadas por geladeiras novas Geladeiras novas - aquisição Destinação, recebimento, tratamento, manufatura reversa, venda das matérias CIA. COMUNIDADE primas destinação ENERGIA ELÉTRICA EMPRESA EMPRESA GELADEIRAS DEST / MR / VENDA para aquisição de bens e serviços comuns em que a disputa pelo fornecimento é feita em sessão pública, por meio de propostas e lances, para classificação e habilitação do licitante com a proposta de menor preço
  22. 22. Nossas soluções
  23. 23. Recuperação de Metais Tecnologia aliada a sustentabilidade que permite a extração de metais de lodo galvânico (níquel, cobre, cromo, cobalto, alumínio, zinco). Os metais são separados para retornar ao processo produtivo das indústrias.Recuperação de Metais
  24. 24. Unidade de Recuperação de Metais:Tecnologia patenteada, 100% nacionalDefinição: Processo físico-químico deseparação do metais contidos em resíduosindustrias, transformando estes metais emuma matéria prima de aplicação e valorcomercial retornando a cadeia produtiva.Ramo das atividades para esseprocesso: Galvanoplastia, metalurgia,siderurgia, petroquímicas, entre outrasque contenham metais pesados.
  25. 25. Ensaio laboratório Prestação de serviços? Recebimento Dissolubilização Ácida (água + ácido concentrado) PH= 1,0 Massa Lavada Filtração Decanter Separação (processos Subproduto Processo seguinte centrífugo independentes para cada metal)Destinação massa Purificação descaracterizada Produto Acabado ICMS? VOLTA/MERCADO
  26. 26. COMPOSIÇÃO DA LAMA: Estado Físico Água Sedimentos Emulsão Águas 98% 1% 1%contaminadasLamas pastosas 50% 45% 5% (base água)Lamas pastosas 30% 40% 30% (base óleo) Lama Sólida 20% 80% 0%
  27. 27. FLUXOGRAMACapacidade produtiva: 32 mil m³/ano Água ETE Lamas de Decanter Óleo Caldeira perfuração Torta de Aterro aquecimento Sedimento Emulsão Centrifuga

×