Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária - Centro Universitário Senac

161.461 visualizações

Publicada em

O curso visa formar profissionais capazes de contribuir para a qualidade ambiental e para universalização do saneamento básico, com a melhoria do desempenho de políticas públicas, de empresas e organizações do terceiro setor, por meio da pesquisa, desenvolvimento e aplicação de tecnologias de diagnóstico, prognóstico, monitoramento, prevenção e controle ambiental e sanitário. O profissional formado por este curso possui sólidos conhecimentos tecnológicos, clara percepção das interfaces sociais, econômicas, políticas e culturais de sua atuação, habilidade para o trabalho interdisciplinar e para o gerenciamento de conflitos, e com a questão do desenvolvimento sustentável como sua principal referência.

Para mais informações, acesse http://j.mp/rsO639

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
161.461
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
154.347
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária - Centro Universitário Senac

  1. 1. Cenário de Mercado A demanda por profissionais para enfrentar os desafios de desenvolvimento do Brasil no atual ambiente globalizado, que tenham visão sistêmica, considerando as cadeias de produção, atuem com determinação e fortes fundamentos de gestão e atitude empreendedora, buscando racionalização e economia de recursos, a inovação ou otimização de processos e a aplicação ou desenvolvimento de tecnologias com responsabilidade socioambiental, é muito grande. Os engenheiros, particularmente do Centro Universitário SENAC, estão sendo preparados para esse fim. E engenheiros são profissionais diretamente relacionados ao desenvolvimento. 3
  2. 2. Cenário de Mercado O Brasil forma cerca de 40 mil engenheiros/ano. A Rússia forma 190 mil, a Índia 220 mil e a China, 650 mil. No Brasil temos cerca de 6 profissionais para cada mil trabalhadores enquanto que nos Estados Unidos e no Japão a proporção é de 25 engenheiros por mil trabalhadores. Fica clara a necessidade de engenheiros num país que valoriza o desenvolvimento e a solução de seus problemas às custas da própria mão de obra e não da importação de serviços de empresas de consultoria multinacionais, instituições de desenvolvimento de novas tecnologias, empresas de implementação de empreendimentos, etc. Dessa forma, o governo federal, para incentivar a formação de engenheiros, lançou no ano passado um projeto com o objetivo de duplicar o número de engenheiros formados anualmente no país - o Pró-Engenharia. 4
  3. 3. Cenário de Mercado 5 Infelizmente, talvez por má gestão política, a crise econômica por que passa o país vem impedindo a materialização completa dessa demanda. No entanto a crise, ou para alguns, uma ocasião de grande oportunidade, poderia ser o momento adequado para um investimento de médio prazo na sua formação profissional, preparando-o para quando houver a retomada da economia e de suas consequências no desenvolvimento do país. Para exemplificar a prioridade, o Ministério da Educação na definição das novas regras do FIES declarou que a prioridade seria investir na formação de professores para educação básica, em médicos e engenheiros (site CONFEA).
  4. 4. Demanda Profissional À medida que a sociedade começa a incorporar a questão ambiental como um elemento importante no processo de tomada de decisão, de avaliação de organizações e produtos, e que associa a qualidade ambiental aos seus requisitos e expectativas de qualidade de vida, a engenharia, nas suas diferentes modalidades, começa a incorporar tais requisitos no processo de concepção, planejamento, execução de projetos, ou seja, a interferência nos recursos naturais não é mais livre e indiscriminada. Há requisitos ambientais que devem ser atendidos e que passam a ser considerados como restrições ou condicionantes de projeto e vão desde o estudo de localização de projetos até a opção pelas tecnologias a serem adotadas na sua implantação e operação. 6
  5. 5. Demanda Profissional A engenharia é desafiada a apresentar soluções tecnológicas para o controle ambiental e, recentemente, este desafio se tornou mais complexo ao envolver também revisão e adequação dos processos produtivos, desenvolvimento de tecnologias de recuperação ambiental, monitoramento de processos produtivos e da qualidade ambiental, desenvolvimento de softwares de simulação ambiental, tecnologias de redução ou retenção de emissões de gases estufa, entre outras tantas alternativas. 7 Surge daí a necessidade de um novo profissional de Engenharia, isto é, não de um profissional que, independentemente de sua modalidade, esteja consciente e apto a considerar requisitos ambientais na sua atuação, mas de um engenheiro com profundo conhecimento do meio ambiente e de tecnologias, apto a desenvolver e implementar soluções ambientais que podem envolver aspectos de diferentes modalidades de engenharia (civil, produção, química, agronômica etc).
  6. 6. Público-Alvo 8 Egressos do ensino médio, com interesse pela área ambiental, habilidade com números, pessoas “antenadas” com o mercado, dispostas a investir na carreira e preocupadas com a qualidade do ensino ao escolher a instituição onde vai cursar.
  7. 7. Perfil do Egresso 9 Egressos do ensino médio, com interesse pela área ambiental, habilidade com números, pessoas “antenadas” com o mercado (áreas da Engenharias com grandes perspectivas de empregabilidade pela falta de mão de obra no Brasil e no mundo), além de pessoas dispostas a investir na carreira e preocupadas com a qualidade do ensino ao escolher a instituição onde vai cursar. O curso de Engenharia Ambiental e Sanitária visa a um profissional com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias ambientais e de saneamento por meio de uma atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas. Pretende-se ainda que esse profissional, nas diferentes áreas e formas de atuação, considere os aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais pertinentes, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.
  8. 8. Mercado de Trabalho 10 • Indústrias de uma maneira geral, como a de construção, automóveis, alimentos, agroindústria; • Empresas de serviço, como a de transporte aéreo, internet, consultorias; • Empresas públicas como os Correios, a Petrobrás, ANEEL, ANP, BNDS; • Grandes empresas privadas de petróleo, concessionárias de telefonia, bancos, seguradoras, fundos de pensão, bancos de investimento; • Empresas de Saneamento Básico; • Empresas especializadas na prestação de serviços ambientais, como coleta, tratamento, destinação e disposição de resíduos sólidos; investigação e remediação de áreas contaminadas ou de controle de poluição ambiental; • Empresas voltadas a implantação ou a certificação de sistemas de gestão relacionados às áreas de meio ambiente, saúde e segurança do trabalhador, responsabilidade social corporativa, qualidade, sustentabilidade, etc.; • Agências Ambientais em nível federal, estadual e municipal; • Organizações do terceiro setor com atuação voltada à temática ambiental e do saneamento; • Instituições de ensino e pesquisa com atuação na área de meio ambiente e saneamento. O engenheiro ambiental e sanitário pode atuar em:
  9. 9. Mercado de Trabalho Além disso, poderá atuar na avaliação de impactos ambientais nas suas diferentes aplicações (estudos de impacto ambiental, sistemas de gestão ambiental, análises de risco); drenagem urbana; captação e tratamento de água, aplicação de ferramentas de planejamento e gestão ambiental como a análise de ciclo de vida dos produtos, modelagens ambientais, etc. Outro papel, menos evidente, mas não menos importante, é o de agente do processo de construção da sustentabilidade ambiental, promovendo a mediação entre a tecnologia e a comunidade, entre o cálculo do risco ambiental e a percepção social do risco, reconhecendo e demonstrando os limites tecnológicos e participando do processo de mudança de comportamentos e posturas. 11
  10. 10. Infraestrutura Laboratório de Cartografia Laboratório de Geoprocessamento Laboratório Multifuncional Laboratórios de Química e Biologia Laboratório de Microbiologia Laboratório de Física Experimental Laboratório de Saneamento Ambiental Laboratório de Design Industrial Canteiro de Obras Laboratório de Informática Laboratório para Fenômenos do Transporte Laboratório de Eletricidade Laboratório de Termodinâmica Aplicada 12
  11. 11. Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária 13 Disciplinas • Ciências Ambientais • Ecologia Geral e Aplicada • Fundamentos de Engenharia • Introdução à Economia Ambiental • Pesquisa, Tecnologia e Sociedade • Pré-Cálculo • Química Geral e Experimental • Projeto Integrador I • Biologia • Cálculo Diferencial e Integral I • Desenho Técnico e Geometria Descritiva • Economia do Meio Ambiente • Ética, Cidadania e Sustentabilidade • Fundamentos de Geologia • Geometria Analítica • Química do Meio Ambiental II • Projeto Integrador II Disciplinas • Cálculo Diferencial e Integral II • Climatologia • Direito e Legislação Ambiental • Física I • Laboratório de Física I • Planejamento Ambiental • Saúde e Saneamento Ambiental • Solos • Projeto Integrador III • Cálculo Diferencial e Integral III • Estatística e Probabilidade • Física II • Laboratório de Física II • Química do Meio Ambiental II • Resíduos Sólidos • Sistema de Gestão e Certificações e Auditorias • Projeto Integrador IV 1ºano 2ºano
  12. 12. Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária 14 Disciplinas • Cartografia e Topografia • Elaboração de Projetos Ambientais • Empreendedorismo, Inovação e Economia Criativa • Hidrologia Ambiental • Linguagem de Programação • Mecânica dos Fluidos • Termodinâmica Aplicada • Projeto Integrador V • Cálculo Numérico • Engenharia de Segurança do Trabalho • Física III • Gerenciamento de Recursos Hídricos • Hidráulica Aplicada ao Saneamento Ambiental • Microbiologia Ambiental • Transferência de Calor e Massa • Projeto Integrador VI Disciplinas • Avaliação de Impacto Ambiental • Cálculo de Processo em Engenharia Ambiental • Captação, Armazenamento e Tratamento de água • Controle de Emissões Atmosféricas I • Engenharia Econômica • Geoprocessamento • Tratamento Biológico de Efluentes • Projeto Integrador VII • Controle de Emissões Atmosféricas II • Eletricidade Aplicada • Ciências e Tecnologia dos Materiais • Engenharia de Resíduos Sólidos Urbanos • Gerenciamento de Risco • Modelagem e Simulação Ambiental • Recuperação de Áreas Degradadas • Projeto Integrador VII 3ºano 4ºano
  13. 13. Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária 15 Disciplinas • Áreas Contaminadas I • Sistema de Drenagem Urbana • Eletiva I • Produção Mais Limpa • Tratamento Físico e Químico de Efluentes • TCC I • Áreas Contaminadas II • Avaliação do Ciclo de Vida dos Produtos • Eletiva II • Gestão de Recursos Energéticos • Tratamento Térmico de Resíduos • TCC II 5ºano
  14. 14. Estágio 16 O estágio curricular tem duração mínima de 160 horas, e deverá ser realizado a partir da matrícula no quinto semestre, em conformidade com o plano de estágio e o manual de estágio do aluno, a ser aprovado pelo conselho de curso. Deverá ser realizado por meio de Acordo de Cooperação firmado entre ambas as partes (organizações e Centro Universitário Senac). O processo de validação do estágio é administrado pelo departamento de estágio do Centro Universitário Senac, com o acompanhamento dos professores orientadores e supervisores de estágio e pela coordenação do curso. O Estágio poderá ser realizado em empresas, instituições e organizações dos diversos setores e segmentos, observando-se as atividades relacionadas diretamente às atribuições próprias da Engenharia Ambiental definidas pelo CONFEA e pelo CREA.
  15. 15. Parcerias Tecnológicas 17
  16. 16. Parcerias Institucionais 18
  17. 17. Diferenciais Senac com relação à concorrência 19 A formação de engenheiros pelo Senac tem a proposta de privilegiar também a preparação de profissionais para o setor de serviços. Além disso, está pautado nas questões da responsabilidade social, empreendedorismo, sustentabilidade e inovação tecnológica.
  18. 18. Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária 20 Local Centro Universitário Santo Amaro Certificação Diploma em Engenharia Ambiental e Sanitária, autorizado pelo Conselho Superior Universitário – Senac*
  19. 19. Processo Seletivo 21 Informações direto na página do curso ou na Central de Atendimento Informações Senac: • 0800-883-2000

×