Tipos pesquisa

1.864 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.864
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
92
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tipos pesquisa

  1. 1. Fonte: UNBhttp://www.capitalsocialsul.com.br/Métodos e técnicas deMétodos e técnicas depesquisa: tipos depesquisa: tipos depesquisa e técnicas depesquisa e técnicas deinvestigação científicainvestigação científicaProfª. Elisângela RibasMetodologia da PesquisaMetodologia Científica
  2. 2. Níveis de PesquisaOs níveis de pesquisa variam de acordo comos objetivos a que a pesquisa se propõe.Podem ser assim classificados: Exploratória Descritiva Explicativa
  3. 3. Delineamentos das pesquisas Pesquisa bibliográfica Pesquisa documental Pesquisa experimentala) Estudo de campob) Estudo de caso
  4. 4. Pesquisa bibliográfica Base em livros e periódicos científicos; Compreende o universo de trabalho teóricosdesenvolvidos em campos como o dafilosofia, sociologia e antropologia.
  5. 5. Pesquisa documental Assemelha-se à pesquisa bibliográfica,todavia as fontes que a constituem sãodocumentos e não apenas livros publicadose artigos científicos divulgados, como é ocaso da pesquisa bibliográfica.
  6. 6. Pesquisa experimental De modo geral o experimento é o maistradicional meio de se realizar uma pesquisa,consiste em determinar um objeto de estudoe selecionar as variáveis que seriam capazesde influenciá-lo, definindo as formas decontrole e de observação dos efeitos que avariável produz no objeto em condiçõesdeterminadas.
  7. 7. Estudo de campo Assemelha-se ao levantamento, todavia temalgumas diferenças: são mais aprofundados,apresenta maior flexibilidade, podendo terseus objetivos reformulados ao longo doprocesso de pesquisa. Descrição minuciosa de informações como:sexo, idade, estado civil, escolaridade, nívelde renda são importantes tanto para olevantamento, quanto para o estudo decampo. Conquanto, no estudo de campo aênfase pode estar, p. ex., na estrutura dopoder local.
  8. 8. Estudo de caso Estudo aprofundado e exaustivo de um ou depoucos objetos, de maneira a permitir o seuconhecimento amplo e detalhado. Quando é mais adequado?- Explorar situações da vida real;- Descrever a situação do contexto em que estásendo feita determinada investigação;- Explicar as variáveis causais de determinadofenômeno em situações muito complexas.
  9. 9. Estudo de caso (cont.) Limitações:- Falta de rigor metodológico;- Dificuldade de generalização;- Tempo destinado à pesquisa.
  10. 10. Construção do Projeto dePesquisa Formulação do problema e definição dosobjetivos da pesquisa Construção de hipóteses Determinação de um plano de trabalho Operacionalização das variáveis(identificação das variáveis a seremtrabalhadas, esclarecendo a forma comoserão trabalhadas)
  11. 11. Cont. Elaboração dos instrumentos de coleta dedados Pré-teste dos instrumentos Seleção de amostra Coleta de dados Análise e interpretação dos dados Redação do relatório de pesquisa
  12. 12. Formulação do problema depesquisa Definição de problema: qualquer questão nãosolvida e que dá margem à discussão, em qualquerdomínio do conhecimento. Exemplos de problemas científicos:- Qual é a composição da atmosfera de Venus?- Será que a propaganda de cigarro induz ao hábitode fumar?
  13. 13. Cont. Para entender o que é um problemacientífico Kerlinger (1980) propõe queprimeiro identifiquemos o que não é: Comofazer melhorar os transportes urbanos? Oque pode ser feito para conseguir umamelhor distribuição de renda? Assim,nenhum desses problemas são científicosporque a rigor não podem ser pesquisadossegundo métodos científicos, pelo menos naforma em que são propostos.
  14. 14. Cont. Para estes problemas a ciência pode sugeriralternativas, mas não propor soluções. Pode-se afirmar então que: a ciência nãopode resolver os problemas de engenharia,assim como não pode solucionar osproblemas de valores, porque sua correçãonão é passível de verificação empírica. Conclusão: um problema é testávelcientificamente quando envolve variáveis quesão observáveis/testáveis.
  15. 15. Cont. Em que medida a escolaridade determina apreferência político partidária? A desnutrição determina o rebaixamentointelectual? Técnicas de dinâmica de grupos facilitam ainteração entre alunos?
  16. 16. Escolha do problema depesquisa Implicações na escolha do problema depesquisa:- Por que pesquisar?- Qual é a importância do fenômeno a serpesquisado?- Que pessoas ou grupos se beneficiarão comos seus resultados?
  17. 17. Relevância do problema Justificativa do problema Um problema será relevante em termos científicos àmedida que conduzir à obtenção de novosconhecimentos Para tanto, o pesquisador precisa verificar quais osproblemas que não foram pesquisados, quais osque não o foram adequadamente e quais os quevêm recebendo respostas contraditórias.
  18. 18. Cont. A relevância prática do problema está nosbenefícios que podem decorrer de suasolução. A relevância do problema também dependede que a julga, assim o que pode serrelevante para uns, pode não o ser paraoutros.
  19. 19. Oportunidade de pesquisa Financiamentos Condições adequadas de trabalho para opesquisador Materiais Possibilidade de utilização de instrumentospara coleta de dados
  20. 20. Comprometimento na escolhado problema Comparar:- Qual é a relação entre o vício ementorpecentes e a estrutura da personalidadedos viciados?- Em que medida o vício em entorpecentes éinfluenciado pelo nível de frustração dosanseios sociais do indivíduo?
  21. 21. Diferenças naproblematização: 1ª - relacionada a fatores individuais,intersubjetivos; 2ª - relacionada a fatores sociais, em buscade condicionantes macro-sistêmicos paracompreensão do problema. Estas duas abordagens estão relacionadoscom o comprometimento do pesquisadorcom a sociedade ou com os fatoresindividuais.
  22. 22. Processo de formulação doproblema: Formulação de uma pergunta, mesmo queseja provisória; Entrar em contato com o máximo deinformações que se tem sobre o fenômeno aser estudado; Realizar leituras sobre o tema escolhido; Buscar outras pesquisas realizadas sobre otema.
  23. 23. Recomendações para aformulação do problema: O problema deve ser formulado comopergunta. Esse procedimento facilita aidentificação do que efetivamente se desejapesquisar. Ex. “As estratégias de ensino nasescolas de ensino médio”, veja que se forformulado em forma de pergunta fica maisclaro: Que estratégias de ensino sãoadotadas em escolas de ensino médio?
  24. 24. Cont. O problema de ser delimitado a uma dimensãoviável. Isto é, ele deve ser adequadamenterecortado, afunilado, para que o pesquisadorconsiga resolvê-lo em um tempo determinado nocronograma da pesquisa. Ex.: O que leva um jovem ao alcoolismo? Esseproblema consubstancia-se em uma gama defatores que seria impossível de ser resolvido emcurto período de tempo. Assim, deverá tornar oproblema mais específico.
  25. 25. Cont. O problema deve ter clareza. Os termosutilizados devem ser claros e precisos,assim, alguns conceitos (variáveis)apresentados no problema devem seradequadamente definidos. Ex.: Socialização. Deve-se esclarecer o quese entende pela expressão.
  26. 26. Cont. O problema deve apresentar referênciasempíricas. Deve-se afastar de juízos devalor.
  27. 27. Construção de hipóteses Definição de Hipótese, segundo Goode eHatt (1969: 75): “é uma proposição que podeser colocada a prova para determinar suavalidade”. É uma suposta resposta dada aoseu problema de investigação.
  28. 28. Tipos de hipóteses: Hipóteses Casuísticas: referem-se a casosque podem ou não ter ocorrido. Por ex.Pode-se defender que Shakespeare nuncaexistiu e que suas obras foram escritas poroutras pessoas.
  29. 29. Cont. Hipóteses que se referem à freqüência deacontecimentos: aparecem em pesquisasdescritivas, antecipam que determinadacaracterística ocorre num grupo, sociedadeou cultura. Recorrente nas pesquisassociológicas e antropológicas.
  30. 30. Cont. Hipóteses que estabelecem relações entrevariáveis: Variável: qualquer coisa que pode serclassificada em duas ou mais categorias, ex.:sexo, idade, estado civil, classe social,estatura, nível de escolaridade,agressividade, introversão, nível intelectual.
  31. 31. Cont. Nas ciências boa parte das variáveis sãoqualitativas e podem ser classificadas emordenáveis e não-ordenáveis. Ordenáveis:estágio de desenvolvimento econômico.Não-ordenáveis: sexo, estado civil.
  32. 32. Tipos de Citações Citações são trechos retirados de documentosconsultados para a elaboração do trabalhoacadêmico. Devem ser relevantes e contribuir paraa fundamentação teórica do trabalho. Ao redigir umtexto, deve-se sempre citar, obrigatoriamente, oautor e o ano da obra consultada. Segundo aNBR 10520 (2002), as citações são classificadascomo: citação direta, citação indireta ou citação de citação.
  33. 33. Citação direta É a transcrição literal de um texto ou parte deum texto de um documento consultado.Nesse caso, é obrigatório colocar o númeroda página consultada. As citações diretaspodem ser curtas (até três linhas) ou longas(mais de três linhas).
  34. 34. Citação curta (até três linhas) Deve ser inserida no parágrafo, entre aspasduplas. No caso de parte da citação estarentre aspas no texto original, deve-se utilizaraspas simples (apóstrofo) neste trecho, poisse trata de citações ou conceitos de outrosautores.
  35. 35. Exemplos1. Segundo Souza e Silva (2004, p. 15), “anatureza deve ser mantida com o uso derecursos financeiros próprios”.2. “A natureza deve ser mantida com o uso derecursos financeiros próprios”. (SOUZA;SILVA, 2004, p. 15).
  36. 36. Citação longa (+ de 3 linhas) Deve ser apresentada destacada do texto,deixando-se um espaço para iniciar atranscrição da citação. A citação deve estarrecuada 4 cm da margem esquerda, emfonte similar a do texto, mas com tamanhomenor e espacejamento simples entre linhas.Para recomeçar o texto normal, deixa-seoutro espaço em branco.
  37. 37. Exemplo de citação longa Quanto à análise de projetos comerciaisLapponi (2003) afirma que:O projeto 1 inicia o desenvolvimento do primeiro modelodas operações comerciais com margem bruta sobre opreço apresentando todos os resultados com duas células,uma para todos os resultados desejados e a outra para otítulo que identifica esse resultado. Na primeira parte doprojeto, foram definidos o layout e as especificações domodelo (LAPPONI, 2003, p. 59).A atividade proposta pelo projeto 1 destaca aimportância do tema.
  38. 38. Citação longa Para omitir trechos dispensáveis aoentendimento da citação e que não alteram orelatado pelo autor, utilizam-se colchetes ereticências [...] a fim de indicar supressão.
  39. 39. Exemplo de uso de colchetes Quanto à análise de projetos comerciaisLapponi (2003) afirma que:O projeto 1 inicia o desenvolvimento do primeiromodelo das operações comerciais com margem brutasobre o preço apresentando todos os resultados comduas células [...]. Na primeira parte do projeto, foramdefinidos o layout e as especificações do modelo(LAPPONI, 2003, p. 59). A atividade proposta pelo projeto 1 destaca aimportância do tema.

×