Osseo muscular

468 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
468
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Osseo muscular

  1. 1. Atividade Fisica Para 3° idadeAtividade Fisica Para 3° idade Perda Óssea e Muscular.Perda Óssea e Muscular.
  2. 2. ConceitosConceitos A sarcopenia pode ser definida como o decréscimo daA sarcopenia pode ser definida como o decréscimo da capacidade neuromuscular com o avanço da idade,capacidade neuromuscular com o avanço da idade, sendo caracterizada principalmente pela diminuição dasendo caracterizada principalmente pela diminuição da quantidade e da habilidade das proteínas contráteisquantidade e da habilidade das proteínas contráteis exercerem tensão necessária para vencer umaexercerem tensão necessária para vencer uma resistência externa à realização de uma tarefaresistência externa à realização de uma tarefa SarcopeniaSarcopenia
  3. 3. SarcopeniaSarcopenia •• Sarcopenia é um termo genérico utilizado para toda aSarcopenia é um termo genérico utilizado para toda a perda de massa muscular com conseqüente diminuiçãoperda de massa muscular com conseqüente diminuição da força e qualidade muscular.da força e qualidade muscular. •• Perda das fibras tipo I e II.Perda das fibras tipo I e II. •• Redução da secção transversa das fibras tipo II.Redução da secção transversa das fibras tipo II. •• Efeitos atenuados por carga mecânica no músculo.Efeitos atenuados por carga mecânica no músculo. •• Aumento da área transversa das remanescentes.Aumento da área transversa das remanescentes. •• Não restitui o número de fibras.Não restitui o número de fibras.
  4. 4. CondiçãoCondição multifatorial quemultifatorial que determinadetermina mudanças nosmudanças nos músculos com amúsculos com a idade, levando aidade, levando a perdaperda involuntária deinvoluntária de massa muscular,massa muscular, força e função.força e função. SarcopeniaSarcopenia
  5. 5. •• Diminuição da massa muscular é responsável porDiminuição da massa muscular é responsável por quase toda a perda da força nos idosos.quase toda a perda da força nos idosos. •• O número das unidades funcionais motoras tambémO número das unidades funcionais motoras também declinam com o avançar da idade.declinam com o avançar da idade. •• Necessárias para inervar as fibras musculares.Necessárias para inervar as fibras musculares. •• A força muscular é ou pode ser um dos fatores queA força muscular é ou pode ser um dos fatores que mais influencia na independência funcional emmais influencia na independência funcional em pessoas mais velhas, e diversos fatores podem serpessoas mais velhas, e diversos fatores podem ser associados à fraqueza muscular.associados à fraqueza muscular. Perda da força muscularPerda da força muscular
  6. 6. EfeitosEfeitos • A reserva funcional em indivíduos de idade avançadaA reserva funcional em indivíduos de idade avançada é por vezes tão reduzida que as perdas de forçaé por vezes tão reduzida que as perdas de força podem representar a diferença entre uma vidapodem representar a diferença entre uma vida autônoma ou não, isto porque a força muscular éautônoma ou não, isto porque a força muscular é associada a uma grande quantidade de atividadesassociada a uma grande quantidade de atividades cotidianas), sem contar que a maioria dos fatorescotidianas), sem contar que a maioria dos fatores associada à falta de força podem ser correlatos ouassociada à falta de força podem ser correlatos ou até mesmo interdepentendes.até mesmo interdepentendes.
  7. 7. Perda muscular
  8. 8. Perda muscularPerda muscular •• A perda de massa muscular é comum com a idadeA perda de massa muscular é comum com a idade •• Perda do tamanho e número de fibras muscularesPerda do tamanho e número de fibras musculares •• A partir dos 50 anos: aceleração significativaA partir dos 50 anos: aceleração significativa •• 30 - 80 anos: Perda de 50% da força muscular30 - 80 anos: Perda de 50% da força muscular •• O declínio é mais pronunciado nas fibras do tipo IIO declínio é mais pronunciado nas fibras do tipo II •• Diretamente relacionado ao decréscimo da forçaDiretamente relacionado ao decréscimo da força
  9. 9. Redução da massa muscular e da força,Redução da massa muscular e da força, imposta pela idadeimposta pela idade
  10. 10. •• Efeitos do envelhecimento muscular :Efeitos do envelhecimento muscular :  •• Mudanças nas unidades motorasMudanças nas unidades motoras •• Denervação das fibrasDenervação das fibras •• Redução dos fatores de crescimentoRedução dos fatores de crescimento •• Alterações proteicas do músculoAlterações proteicas do músculo • Modificações morfológicas     •• Após os 30 anos de idadeApós os 30 anos de idade •• Redução na área de secção transversaRedução na área de secção transversa •• Diminuição da densidade muscularDiminuição da densidade muscular •• Aumento na gordura intramuscularAumento na gordura intramuscular
  11. 11. Etimologia •Imobilidade •Alterações no metabolismo muscular •Alterações endócrinas •Alterações mitocondriais •Alterações da junção neuromuscular •Fatores nutricionais •Fatores genéticos •Citocinas pró-inflamatórias • Aumento de produção de radicais livres
  12. 12. Embora existam muitos potenciais mecanismos para explicar aEmbora existam muitos potenciais mecanismos para explicar a sarcopenia, a contribuição específica de cada um continuasarcopenia, a contribuição específica de cada um continua desconhecida.desconhecida. •Envelhecimento Inatividade física Inatividade física Ansiedade e depressão  Queda da motivação e auto-estima Fragilidade músculo Perda da independência Descondicionamento
  13. 13. Riscos associadosRiscos associados • Estado de fragilidadeEstado de fragilidade • Estágio anterior a incapacidadeEstágio anterior a incapacidade • Papel predominante na etiologia daPapel predominante na etiologia da fragilidadefragilidade • Incapacidade, hospitalização e mortalidadeIncapacidade, hospitalização e mortalidade • Risco duas vezes maior de contrair infecçãoRisco duas vezes maior de contrair infecção • durante internação hospitalar.durante internação hospitalar.
  14. 14. Consequências da sarcopeniaConsequências da sarcopenia •• Quedas e fraturasQuedas e fraturas •• Desequilíbrio da temperatura corporalDesequilíbrio da temperatura corporal •• Lentificação do metabolismoLentificação do metabolismo •• Interferência nos índices normais de glicoseInterferência nos índices normais de glicose •• Limitações das AVDLimitações das AVD •• Perda da independênciaPerda da independência
  15. 15. Falta de Equilibrio Dependência Causa sQuedas Lesões emLesões em IdososIdosos Fratura do colo do fêmur e ruptura de meniscoFratura do colo do fêmur e ruptura de menisco
  16. 16. InteraçõesInterações •• SarcopeniaSarcopenia •• Alterações de marchaAlterações de marcha •• DesequilíbrioDesequilíbrio •• Perda daPerda da propriocepçãopropriocepção •• Tendência cifosanteTendência cifosante •• Alterações cognitivasAlterações cognitivas •• QuedaQueda •• Osso osteoporóticoOsso osteoporótico •• FraturasFraturas
  17. 17. OsteopeniaOsteopenia A perda óssea não é uma doença ou entidade, mas umaA perda óssea não é uma doença ou entidade, mas uma componente que surge em conseqüência da ação decomponente que surge em conseqüência da ação de fatores etiológicos locais (irritativos, traumatizantes) efatores etiológicos locais (irritativos, traumatizantes) e sistêmicos sobre o osso alveolar.sistêmicos sobre o osso alveolar. Não representa uma doença óssea especificamente, poisNão representa uma doença óssea especificamente, pois o osso não se encontra infectado, nem é um processo deo osso não se encontra infectado, nem é um processo de necrose.necrose. ConceitosConceitos
  18. 18. OsteopeniaOsteopenia Osteopenia, patologoa que consiste na diminuição daOsteopenia, patologoa que consiste na diminuição da densidade mineral dos ossos, precursora da osteoporose.densidade mineral dos ossos, precursora da osteoporose. Classifica-se osteopenia quando a massa óssea é de 10%Classifica-se osteopenia quando a massa óssea é de 10% a 25% menor que a considerada normal. Mais do quea 25% menor que a considerada normal. Mais do que isso, classifica-se como osteoporose.isso, classifica-se como osteoporose. A perda óssea é, portanto, de natureza vital, exige celulasA perda óssea é, portanto, de natureza vital, exige celulas vivas e é marginal.vivas e é marginal.
  19. 19. EtimologiaEtimologia OsteopeniaOsteopenia Os fatores que estão relacionados com à perda ósseaOs fatores que estão relacionados com à perda óssea são: extensão do processo inflamatório, trauma oclusalsão: extensão do processo inflamatório, trauma oclusal e condições sistêmicas.e condições sistêmicas. É o tipo freqüentemente observado na doençaÉ o tipo freqüentemente observado na doença periodontal comum. A extensão da inflamação, atravésperiodontal comum. A extensão da inflamação, através da estimulação por toxinas e pressão dos fluidosda estimulação por toxinas e pressão dos fluidos inflamatórios, propicia um desequilíbrio osteoblasto-inflamatórios, propicia um desequilíbrio osteoblasto- osteoclasto, resultando numa osteopenia.osteoclasto, resultando numa osteopenia.
  20. 20. Essa transformação dasEssa transformação das estruturas ósseas podeestruturas ósseas pode ser constatada emser constatada em exames radiológicos.exames radiológicos. Esta manifestação é umEsta manifestação é um demonstrativo claro dedemonstrativo claro de que o osso está fraco ouque o osso está fraco ou atenuado.atenuado. OsteopeniaOsteopenia
  21. 21. As mulheres após os 45 anos tornam-se mais expostasAs mulheres após os 45 anos tornam-se mais expostas à osteopenia. Isso ocorre em grande parte devido àà osteopenia. Isso ocorre em grande parte devido à baixa de produção do hormônio feminino estrógeno,baixa de produção do hormônio feminino estrógeno, que executa importante função na proteção dos ossos.que executa importante função na proteção dos ossos. Para se precaver dos efeitos nocivos dessa patologia,Para se precaver dos efeitos nocivos dessa patologia, o aspecto comportamental tem papel decisivo: hábitoso aspecto comportamental tem papel decisivo: hábitos de vida que incluam a ingestão adequada de cálcio,de vida que incluam a ingestão adequada de cálcio, banhos de sol e a prática de exercícios físicosbanhos de sol e a prática de exercícios físicos terapêuticos são muito úteis na prevenção daterapêuticos são muito úteis na prevenção da osteopenia.osteopenia. OsteopeniaOsteopenia
  22. 22. Perda ÓsseaPerda Óssea Perdas da massa ossea.Perdas da massa ossea. Ossos finos e sensiveis.Ossos finos e sensiveis. Sujeitos a fraturas.Sujeitos a fraturas. Envehecimento, principalmente naEnvehecimento, principalmente na mulheres.mulheres. Não apresenta sintomas somenteNão apresenta sintomas somente fraturas se traumas.fraturas se traumas.
  23. 23. Pontos FracosPontos Fracos Coluna vertebral.Coluna vertebral. Fraturas na vertebralFraturas na vertebral Diminuição do paciente.Diminuição do paciente. Maior incidência na região torácica.Maior incidência na região torácica. Punho.Punho. Ponto de apoio de pessoas ao cairPonto de apoio de pessoas ao cair Quadril.Quadril. Local de dificil cicatrização, não podem mas andar.Local de dificil cicatrização, não podem mas andar. Fêmur.Fêmur. Local comum, desenvolvido após 65 anos.Local comum, desenvolvido após 65 anos. Recuperação lenta.Recuperação lenta.
  24. 24. TratamentosTratamentos 1ml a 1,5 ml de calcio por dia, vitaminas D para1ml a 1,5 ml de calcio por dia, vitaminas D para tratamento.tratamento. Calcitomnia – Hormonio que evita perda eCalcitomnia – Hormonio que evita perda e desperdicio de calcio.desperdicio de calcio. Não resolvera sem a presença de colageno.Não resolvera sem a presença de colageno. Atividade fisica adequada.Atividade fisica adequada.
  25. 25. ExercícioExercício
  26. 26. • Fortalecimento dos músculos da extremidade inferior reduz o índice de quedas no idoso. • Treinamento de força melhora a função muscular e pode minimizar ou até mesmo reverter a sarcopenia em muito idosos ou frágeis. • A principal diferença na prescrição dos exercícios é a intensidade. • Treinamento de força continua a ser a mais efetiva intervenção para o aumento de massa e força muscular na população de idosos. • Baixa ingesta pode interferir nos resultados.
  27. 27. Prescrição de exercíciosPrescrição de exercícios Diversos componentesDiversos componentes da aptidão físicada aptidão física •• Força muscularForça muscular •• CondicionamentoCondicionamento cardiorrespiratóriocardiorrespiratório •• EnduranceEndurance •• FlexibilidadeFlexibilidade •• Composição corporalComposição corporal •• SocializaçãoSocialização
  28. 28. Efeitos do treinamentoEfeitos do treinamento • O condicionamento de força resulta em um incremento no tamanho muscular, que reflete o aumento do conteúdo de proteína contrátil • Estímulo adequado de treinamento proporciona nas pessoas idosas ganhos reais de força • A força pode aumentar de duas a três vezes em um período de tempo relativamente curto (3 a 4 meses) • Intenso efeito anabólico nos idosos • Melhora a retenção de nitrogênio - retenção dos estoques de proteína corporal • Aumenta a massa e a força muscular, o equilíbrio dinâmico e o estoque ósseo • As terapias tradicionais para osteoporose têm a capacidade de manter ou reduzir a perda óssea, mas não melhoram o equilíbrio, força e massa muscular
  29. 29. Duração das atividadesDuração das atividades •• Média: 30 a 90 minutosMédia: 30 a 90 minutos •• Inversamente proporcional a intensidadeInversamente proporcional a intensidade •• Idosos frágeisIdosos frágeis •• Sessões de curta duração – 5 a 10 minutosSessões de curta duração – 5 a 10 minutos •• Forma fracionada – 2 períodosForma fracionada – 2 períodos CuidadosCuidados •• Avaliação pré-participaçãoAvaliação pré-participação •• Avaliação de comorbidadesAvaliação de comorbidades •• Osteoporose – AvulsõesOsteoporose – Avulsões •• Problemas da coluna vertebral – ColapsoProblemas da coluna vertebral – Colapso •• Hipertensão : Valsalva e IsometriaHipertensão : Valsalva e Isometria
  30. 30. • Melhora da capacidade funcional • Recuperação da autonomia • Redução do risco de quedas • Redução do risco de fraturas • Re-integração ao meio • Melhor qualidade de vida • Maior longevidade • Promoção de saúde no idoso • Regular e melhora a qualidade e expectativa de vida • Preservar e aumentar a massa muscular • Aumento da força muscular • Alta prevalência na população idosa. Maiores Benefícios
  31. 31. Obrigado

×