Osseo muscular

4.467 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.467
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Osseo muscular

  1. 1. Atividade Fisica Para 3° idade Perda Óssea e Muscular.
  2. 3. Conceitos A sarcopenia pode ser definida como o decréscimo da capacidade neuromuscular com o avanço da idade, sendo caracterizada principalmente pela diminuição da quantidade e da habilidade das proteínas contráteis exercerem tensão necessária para vencer uma resistência externa à realização de uma tarefa Sarcopenia
  3. 4. Sarcopenia <ul><li>• Sarcopenia é um termo genérico utilizado para toda a perda de massa muscular com conseqüente diminuição da força e qualidade muscular. </li></ul><ul><li>• Perda das fibras tipo I e II. </li></ul><ul><li>• Redução da secção transversa das fibras tipo II. </li></ul><ul><li>• Efeitos atenuados por carga mecânica no músculo. </li></ul><ul><li>• Aumento da área transversa das remanescentes. </li></ul><ul><li>• Não restitui o número de fibras. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Condição multifatorial que determina mudanças nos músculos com a idade, levando a perda involuntária de massa muscular, força e função. </li></ul>Sarcopenia
  5. 6. <ul><li>• Diminuição da massa muscular é responsável por quase toda a perda da força nos idosos. </li></ul><ul><li>• O número das unidades funcionais motoras também declinam com o avançar da idade. </li></ul><ul><li>• Necessárias para inervar as fibras musculares. </li></ul><ul><li>• A força muscular é ou pode ser um dos fatores que mais influencia na independência funcional em pessoas mais velhas, e diversos fatores podem ser associados à fraqueza muscular. </li></ul>Perda da força muscular
  6. 7. Efeitos <ul><li>A reserva funcional em indivíduos de idade avançada é por vezes tão reduzida que as perdas de força podem representar a diferença entre uma vida autônoma ou não, isto porque a força muscular é associada a uma grande quantidade de atividades cotidianas), sem contar que a maioria dos fatores associada à falta de força podem ser correlatos ou até mesmo interdepentendes. </li></ul>
  7. 8. Perda muscular
  8. 9. Perda muscular <ul><li>• A perda de massa muscular é comum com a idade </li></ul><ul><li>• Perda do tamanho e número de fibras musculares </li></ul><ul><li>• A partir dos 50 anos: aceleração significativa </li></ul><ul><li>• 30 - 80 anos: Perda de 50% da força muscular </li></ul><ul><li>• O declínio é mais pronunciado nas fibras do tipo II </li></ul><ul><li>• Diretamente relacionado ao decréscimo da força </li></ul>
  9. 10. Redução da massa muscular e da força, imposta pela idade
  10. 11. • Efeitos do envelhecimento muscular :   • Mudanças nas unidades motoras • Denervação das fibras • Redução dos fatores de crescimento • Alterações proteicas do músculo • Modificações morfológicas   • Após os 30 anos de idade • Redução na área de secção transversa • Diminuição da densidade muscular • Aumento na gordura intramuscular
  11. 12. Etimologia • Imobilidade •Alterações no metabolismo muscular •Alterações endócrinas •Alterações mitocondriais •Alterações da junção neuromuscular •Fatores nutricionais •Fatores genéticos •Citocinas pró-inflamatórias • Aumento de produção de radicais livres
  12. 13. Embora existam muitos potenciais mecanismos para explicar a sarcopenia, a contribuição específica de cada um continua desconhecida. <ul><li>Envelhecimento </li></ul>Inatividade física Inatividade física Ansiedade e depressão Queda da motivação e auto-estima Fragilidade músculo Perda da independência Descondicionamento
  13. 14. Riscos associados <ul><li>Estado de fragilidade </li></ul><ul><li>Estágio anterior a incapacidade </li></ul><ul><li>Papel predominante na etiologia da fragilidade </li></ul><ul><li>Incapacidade, hospitalização e mortalidade </li></ul><ul><li>Risco duas vezes maior de contrair infecção </li></ul><ul><li>durante internação hospitalar. </li></ul>
  14. 15. Consequências da sarcopenia <ul><li>• Quedas e fraturas </li></ul><ul><li>• Desequilíbrio da temperatura corporal </li></ul><ul><li>• Lentificação do metabolismo </li></ul><ul><li>• Interferência nos índices normais de glicose </li></ul><ul><li>• Limitações das AVD </li></ul><ul><li>• Perda da independência </li></ul>
  15. 16. Falta de Equilibrio Dependência Causas Quedas Lesões em Idosos Fratura do colo do fêmur e ruptura de menisco
  16. 17. Interações <ul><li>• Sarcopenia </li></ul><ul><li>• Alterações de marcha </li></ul><ul><li>• Desequilíbrio </li></ul><ul><li>• Perda da </li></ul><ul><li>propriocepção </li></ul><ul><li>• Tendência cifosante </li></ul><ul><li>• Alterações cognitivas </li></ul><ul><li>• Queda </li></ul><ul><li>• Osso osteoporótico </li></ul><ul><li>• Fraturas </li></ul>
  17. 18. Osteopenia <ul><li>A perda óssea não é uma doença ou entidade, mas uma </li></ul><ul><li>componente que surge em conseqüência da ação de </li></ul><ul><li>fatores etiológicos locais (irritativos, traumatizantes) e </li></ul><ul><li>sistêmicos sobre o osso alveolar. </li></ul><ul><li>Não representa uma doença óssea especificamente, pois </li></ul><ul><li>o osso não se encontra infectado, nem é um processo de </li></ul><ul><li>necrose. </li></ul>Conceitos
  18. 19. Osteopenia <ul><li>Osteopenia, patologoa que consiste na diminuição da </li></ul><ul><li>densidade mineral dos ossos, precursora da osteoporose. </li></ul><ul><li>Classifica-se osteopenia quando a massa óssea é de 10% </li></ul><ul><li>a 25% menor que a considerada normal. Mais do que </li></ul><ul><li>isso, classifica-se como osteoporose. </li></ul><ul><li>A perda óssea é, portanto, de natureza vital, exige celulas </li></ul><ul><li>vivas e é marginal. </li></ul>
  19. 20. <ul><li>Etimologia </li></ul>Osteopenia Os fatores que estão relacionados com à perda óssea são: extensão do processo inflamatório, trauma oclusal e condições sistêmicas. É o tipo freqüentemente observado na doença periodontal comum. A extensão da inflamação, através da estimulação por toxinas e pressão dos fluidos inflamatórios, propicia um desequilíbrio osteoblasto-osteoclasto, resultando numa osteopenia.
  20. 21. <ul><li>Essa transformação das estruturas ósseas pode ser constatada em exames radiológicos. </li></ul><ul><li>Esta manifestação é um demonstrativo claro de que o osso está fraco ou atenuado. </li></ul>Osteopenia
  21. 22. <ul><li>As mulheres após os 45 anos tornam-se mais expostas à osteopenia. Isso ocorre em grande parte devido à baixa de produção do hormônio feminino estrógeno, que executa importante função na proteção dos ossos. </li></ul><ul><li>Para se precaver dos efeitos nocivos dessa patologia, o aspecto comportamental tem papel decisivo: hábitos de vida que incluam a ingestão adequada de cálcio, banhos de sol e a prática de exercícios físicos terapêuticos são muito úteis na prevenção da osteopenia. </li></ul>Osteopenia
  22. 23. Perda Óssea <ul><li>Perdas da massa ossea. </li></ul><ul><li>Ossos finos e sensiveis. </li></ul><ul><li>Sujeitos a fraturas. </li></ul><ul><li>Envehecimento, principalmente na </li></ul><ul><li>mulheres. </li></ul><ul><li>Não apresenta sintomas somente </li></ul><ul><li>fraturas se traumas. </li></ul>
  23. 24. Pontos Fracos <ul><li>Coluna vertebral. </li></ul><ul><li>Fraturas na vertebral </li></ul><ul><li>Diminuição do paciente. </li></ul><ul><li>Maior incidência na região torácica. </li></ul><ul><li>Punho. </li></ul><ul><li>Ponto de apoio de pessoas ao cair </li></ul><ul><li>Quadril. </li></ul><ul><li>Local de dificil cicatrização, não podem mas andar. </li></ul><ul><li>Fêmur. </li></ul><ul><li>Local comum, desenvolvido após 65 anos. </li></ul><ul><li>Recuperação lenta. </li></ul>
  24. 25. Tratamentos <ul><li>1ml a 1,5 ml de calcio por dia, vitaminas D para </li></ul><ul><li>tratamento. </li></ul><ul><li>Calcitomnia – Hormonio que evita perda e </li></ul><ul><li>desperdicio de calcio. </li></ul><ul><li>Não resolvera sem a presença de colageno. </li></ul><ul><li>Atividade fisica adequada. </li></ul>
  25. 26. Exercício
  26. 27. <ul><li>Fortalecimento dos músculos da extremidade inferior reduz o índice de quedas no idoso. </li></ul><ul><li>Treinamento de força melhora a função muscular e pode minimizar ou até mesmo reverter a sarcopenia em muito idosos ou frágeis. </li></ul><ul><li>A principal diferença na prescrição dos exercícios é a intensidade. </li></ul><ul><li>Treinamento de força continua a ser a mais efetiva intervenção para o aumento de massa e força muscular na população de idosos. </li></ul><ul><li>Baixa ingesta pode interferir nos resultados. </li></ul>
  27. 28. Prescrição de exercícios <ul><li>Diversos componentes </li></ul><ul><li>da aptidão física </li></ul><ul><li>• Força muscular </li></ul><ul><li>• Condicionamento </li></ul><ul><li>cardiorrespiratório </li></ul><ul><li>• Endurance </li></ul><ul><li>• Flexibilidade </li></ul><ul><li>• Composição corporal </li></ul><ul><li>• Socialização </li></ul>
  28. 29. Efeitos do treinamento <ul><li>• O condicionamento de força resulta em um incremento no tamanho muscular, que reflete o aumento do conteúdo de proteína contrátil </li></ul><ul><li>• Estímulo adequado de treinamento proporciona nas pessoas idosas ganhos reais de força </li></ul><ul><li>• A força pode aumentar de duas a três vezes em um período de tempo relativamente curto (3 a 4 meses) </li></ul><ul><li>• Intenso efeito anabólico nos idosos </li></ul><ul><li>• Melhora a retenção de nitrogênio - retenção dos estoques de proteína corporal </li></ul><ul><li>• Aumenta a massa e a força muscular, o equilíbrio dinâmico e o estoque ósseo </li></ul><ul><li>• As terapias tradicionais para osteoporose têm a capacidade de manter ou reduzir a perda óssea, mas não melhoram o equilíbrio, força e massa muscular </li></ul>
  29. 30. Duração das atividades <ul><li>• Média: 30 a 90 minutos </li></ul><ul><li>• Inversamente proporcional a intensidade </li></ul><ul><li>• Idosos frágeis </li></ul><ul><li>• Sessões de curta duração – 5 a 10 minutos </li></ul><ul><li>• Forma fracionada – 2 períodos </li></ul>Cuidados • Avaliação pré-participação • Avaliação de comorbidades • Osteoporose – Avulsões • Problemas da coluna vertebral – Colapso • Hipertensão : Valsalva e Isometria
  30. 31. <ul><li>• Melhora da capacidade funcional </li></ul><ul><li>• Recuperação da autonomia </li></ul><ul><li>• Redução do risco de quedas </li></ul><ul><li>• Redução do risco de fraturas </li></ul><ul><li>• Re-integração ao meio </li></ul><ul><li>• Melhor qualidade de vida </li></ul><ul><li>• Maior longevidade </li></ul><ul><li>• Promoção de saúde no idoso </li></ul><ul><li>• Regular e melhora a qualidade e expectativa de vida </li></ul><ul><li>• Preservar e aumentar a massa muscular </li></ul><ul><li>• Aumento da força muscular </li></ul><ul><li>• Alta prevalência na população idosa. </li></ul>Maiores Benefícios
  31. 32. Obrigado

×