SlideShare uma empresa Scribd logo

Capítulos V a VI d' Os Maias

Capítulos V a VI d' Os Maias, de Eça de Queirós

1 de 8
www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista  OS MAIAS EPISÓDIOS DA VIDA ROMÂNTICA Eça de Queirós CRÓNICA DE COSTUMES: A Sociedade de Lisboa Burguesa O Jantar do Hotel Central Edição seguida:  Edição, Livros do Brasil (2006) de acordo com a 1ª ed. 1888.  Capítulos V– VI
www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista  A  ACÇÃO  do Romance começa  a partir do momento em que  Carlos , já formado,  regressa  da sua longa viagem pela Europa e  vai instalar-se com o avô no Ramalhete. Retomam-se  o  TEMPO  e o  ESPAÇO  Iniciais  Outono 1875 | Ramalhete S. Carlos:  espaço cultural (misto de cultura e vida social) Os Gouvarinhos :  o politico profissional e a burguesa casada e ociosa PROJECTOS / O IDEAL REALIDADE  Crise dos Projectos Carlos . O laboratório (sem utilidade) . O consultório (na baixa, deserto) . O livro sobre medicina (adiado) (pp.132-133) . Os cavalos, as carruagens, o Bric-à-Brac . A tentação da Gouvarinho . Memórias dos amores passados Ega . O cenáculo . O livro de Ega  ( Memória de um Átomo ) . A revista (Tudo adiado) .  Apenas um capítulo de  As Memórias  no mais puro estilo romântico: amoroso e medievalista  (p. 137) . O adultério elegante com Cohen
www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista  Ramalhete – Espaço Social Personagens Modeladas: . Afonso:  ponto de referência e consciência moral do grupo. . Carlos:  cosmopolita, requintado, diletante, instável emocionalmente, . Ega:  boémio e literato, contraditório.  A VELHA GERAÇÃO A NOVA GERAÇÃO . D. Diogo  – “O velho leão”, a fidalguia de  ancien régime .  . General Sequeira  – oficial de exército. . Marquês de Souselas  – fidalguia à portuguesa – devoto e devasso. . Steinbroken  – diplomata inútil e medíocre, entusiasta de Inglaterra. . Cruges  – o génio socialmente inadaptado (maestro e pianista) . Taveira  – o funcionário público (única personagem com um emprego definido) Eusébio   - o fidalguote provinciano, politiqueiro que vive de rendimentos.
www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista  VILA BALZAC . O ninho de amores de Ega e Cohen . Ega assume um amor romântico. . Diagnóstico de Ega sobre situação amorosa de Carlos (D. Juan):  “ Tu és simplesmente como ele, um devasso; e hás-de vir a acabar desgraçadamente  como ele, numa tragédia infernal”  (p. 156) . Um novo tipo Craft: culto, requintado, tipicamente british  (p. 157) EGA “…o maior  ateu , o maior  demagogo , que jamais aparecera nas sociedades humanas”  (p. 96) “ ……um  romântico  e um  sentimental , um desses indivíduos inferiores que se governam na vida pelo sentimento e não pela razão”.  CARLOS . “Era decerto um formoso e magnífico homem, alto, bem feito… uma fisionomia de  cavaleiro da Renascença .”  (p.100) . Demasiadamente elegante para ser médico. “…repetição de adultérios …sob o bruto  aguilhão da carne …”
www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista  O jantar do Hotel Central Alguns tipos: . Dâmaso:  o chic parvónio . Cohen: o  banqueiro representante da alta finança. . Alencar:  representante da poesia ultra-romântica . Craft:  rico e boémio, é o árbitro das elegâncias, coleccionador de bric-à-brac. ROMANTISMO vs NATURALISMO Tópico:  o crime da Mouraria (pp.166-168) . Carlos:  o romance como análise social. . Ega/Alencar:  os dois extremos. . Carlos e Craft:  a posição intermédia . Narrador heterodiegético / focalização interna:  ironiza-se o romantismo de Alencar através de Ega ___________ .  Alencar critica o poeta  Craveiro  e a  Ideia Nova . Ega insulta Alencar . Critica à  Crítica Literária em Portugal  feita de: ataques pessoais, de calúnias e agressões físicas.  (pp. 176-178) A RAÇA . A decadência e a piolhice dos liceus – EGA ou a  valentia lusitana AS FINANÇAS E AS COLÓNIAS . A falência do país e as bestas . “Pratas dos Morgados para empenhar”
www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista  Outras personagens  … ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Rufino De  retórica balofa e oca , faz-se ouvir no Sarau Literário do Teatro da Trindade, o que levou Ega a classificá-lo de "besta" e Carlos de "horroroso".

Recomendados

Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensLurdes Augusto
 
Os Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel CentralOs Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel CentralDina Baptista
 
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI. Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI. Rita Magalhães
 
Apresentação dos Maias - Capítulo 5
Apresentação dos Maias - Capítulo 5Apresentação dos Maias - Capítulo 5
Apresentação dos Maias - Capítulo 5SofiaAntunes21
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesPaula Oliveira Cruz
 
Os Maias Episódios da Vida Romântica
Os Maias   Episódios da Vida RomânticaOs Maias   Episódios da Vida Romântica
Os Maias Episódios da Vida RomânticaPatrícia Pereira
 
Narrativa e estilo n' Os Maias
Narrativa e estilo n' Os MaiasNarrativa e estilo n' Os Maias
Narrativa e estilo n' Os MaiasDina Baptista
 
Os Maias Apresentação
Os Maias   Apresentação Os Maias   Apresentação
Os Maias Apresentação joanana
 
Corrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os MaiasCorrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os Maiasmauro dinis
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaLurdes Augusto
 
Os maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analiseOs maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analisekeve semedo
 
Os Maias - análise
Os Maias - análise Os Maias - análise
Os Maias - análise nanasimao
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoLurdes Augusto
 
Auto de inês pereira
Auto de inês pereiraAuto de inês pereira
Auto de inês pereirananasimao
 
Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deFernanda Pantoja
 
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida RomânticaTrabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida RomânticaLuisMagina
 

Mais procurados (20)

O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
Os Maias - Análise
Os Maias - AnáliseOs Maias - Análise
Os Maias - Análise
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Os Maias Episódios da Vida Romântica
Os Maias   Episódios da Vida RomânticaOs Maias   Episódios da Vida Romântica
Os Maias Episódios da Vida Romântica
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
 
Os maias a intriga
Os maias   a intrigaOs maias   a intriga
Os maias a intriga
 
Narrativa e estilo n' Os Maias
Narrativa e estilo n' Os MaiasNarrativa e estilo n' Os Maias
Narrativa e estilo n' Os Maias
 
Os Maias Apresentação
Os Maias   Apresentação Os Maias   Apresentação
Os Maias Apresentação
 
Corrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os MaiasCorrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os Maias
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
 
Os Maias - Capítulo IV
Os Maias - Capítulo IVOs Maias - Capítulo IV
Os Maias - Capítulo IV
 
Os maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analiseOs maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analise
 
Os Maias - análise
Os Maias - análise Os Maias - análise
Os Maias - análise
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
 
Auto de inês pereira
Auto de inês pereiraAuto de inês pereira
Auto de inês pereira
 
Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição de
 
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida RomânticaTrabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
 
João da Ega
João da EgaJoão da Ega
João da Ega
 
Os Maias - Capítulo X
Os Maias - Capítulo XOs Maias - Capítulo X
Os Maias - Capítulo X
 

Semelhante a Capítulos V a VI d' Os Maias

50981331-OS-MAIAS-sintese (2).ppt
50981331-OS-MAIAS-sintese (2).ppt50981331-OS-MAIAS-sintese (2).ppt
50981331-OS-MAIAS-sintese (2).pptsilviaelisabete
 
Os Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IVOs Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IVDina Baptista
 
Os maias analise global
Os maias   analise globalOs maias   analise global
Os maias analise globalAna Ferreira
 
Sagarana, Guimarães Rosa
Sagarana, Guimarães RosaSagarana, Guimarães Rosa
Sagarana, Guimarães Rosamarleiart
 
Personagens tipo - Os Maias
Personagens tipo - Os MaiasPersonagens tipo - Os Maias
Personagens tipo - Os MaiasGabriel Santos
 
toaz.info-a-moreninha-slides-pr_b7da394511b1eaada359f956e7096be0.pdf
toaz.info-a-moreninha-slides-pr_b7da394511b1eaada359f956e7096be0.pdftoaz.info-a-moreninha-slides-pr_b7da394511b1eaada359f956e7096be0.pdf
toaz.info-a-moreninha-slides-pr_b7da394511b1eaada359f956e7096be0.pdfRafaelaTostes1
 
Romantismo no brasil segunda geração
Romantismo no brasil   segunda geraçãoRomantismo no brasil   segunda geração
Romantismo no brasil segunda geraçãoVilmar Vilaça
 
Fuvest unicamp 2013 olimpo em ordem
Fuvest unicamp 2013 olimpo em ordemFuvest unicamp 2013 olimpo em ordem
Fuvest unicamp 2013 olimpo em ordemYuri Augustus
 
UFCD - CLC7 -Sempre é uma Companhia..pptx
UFCD - CLC7 -Sempre é uma Companhia..pptxUFCD - CLC7 -Sempre é uma Companhia..pptx
UFCD - CLC7 -Sempre é uma Companhia..pptxNome Sobrenome
 

Semelhante a Capítulos V a VI d' Os Maias (20)

Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
50981331-OS-MAIAS-sintese (2).ppt
50981331-OS-MAIAS-sintese (2).ppt50981331-OS-MAIAS-sintese (2).ppt
50981331-OS-MAIAS-sintese (2).ppt
 
Os Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IVOs Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IV
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
-Resumos-Dos-Maias.pdf
-Resumos-Dos-Maias.pdf-Resumos-Dos-Maias.pdf
-Resumos-Dos-Maias.pdf
 
Os maias analise global
Os maias   analise globalOs maias   analise global
Os maias analise global
 
Biografia de Yvonne do Amaral Pereira
Biografia de Yvonne do Amaral PereiraBiografia de Yvonne do Amaral Pereira
Biografia de Yvonne do Amaral Pereira
 
Sagarana, Guimarães Rosa
Sagarana, Guimarães RosaSagarana, Guimarães Rosa
Sagarana, Guimarães Rosa
 
Personagens tipo - Os Maias
Personagens tipo - Os MaiasPersonagens tipo - Os Maias
Personagens tipo - Os Maias
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
Os Maias de A a Z
Os Maias de A a ZOs Maias de A a Z
Os Maias de A a Z
 
toaz.info-a-moreninha-slides-pr_b7da394511b1eaada359f956e7096be0.pdf
toaz.info-a-moreninha-slides-pr_b7da394511b1eaada359f956e7096be0.pdftoaz.info-a-moreninha-slides-pr_b7da394511b1eaada359f956e7096be0.pdf
toaz.info-a-moreninha-slides-pr_b7da394511b1eaada359f956e7096be0.pdf
 
Lit.informativa
Lit.informativaLit.informativa
Lit.informativa
 
Romantismo no brasil segunda geração
Romantismo no brasil   segunda geraçãoRomantismo no brasil   segunda geração
Romantismo no brasil segunda geração
 
Os maias.pdf
Os maias.pdfOs maias.pdf
Os maias.pdf
 
Fuvest unicamp 2013 olimpo em ordem
Fuvest unicamp 2013 olimpo em ordemFuvest unicamp 2013 olimpo em ordem
Fuvest unicamp 2013 olimpo em ordem
 
UFCD - CLC7 -Sempre é uma Companhia..pptx
UFCD - CLC7 -Sempre é uma Companhia..pptxUFCD - CLC7 -Sempre é uma Companhia..pptx
UFCD - CLC7 -Sempre é uma Companhia..pptx
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Os Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicosOs Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicos
 
Trovadorismo classicismo
Trovadorismo classicismoTrovadorismo classicismo
Trovadorismo classicismo
 

Mais de Dina Baptista

Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi Dina Baptista
 
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitaisO ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitaisDina Baptista
 
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...Dina Baptista
 
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊSREPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊSDina Baptista
 
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficazA importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficazDina Baptista
 
Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)Dina Baptista
 
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)Dina Baptista
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralDina Baptista
 
Jantar no Hotel Central
Jantar no Hotel CentralJantar no Hotel Central
Jantar no Hotel CentralDina Baptista
 
Os Maias_ sistematizacao
Os Maias_ sistematizacaoOs Maias_ sistematizacao
Os Maias_ sistematizacaoDina Baptista
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoDina Baptista
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesDina Baptista
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e IIISermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e IIIDina Baptista
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasDina Baptista
 
Contos do séculoXX | neo-realismo
Contos do séculoXX | neo-realismoContos do séculoXX | neo-realismo
Contos do séculoXX | neo-realismoDina Baptista
 
Poesia do século XX- 4
Poesia do século XX- 4Poesia do século XX- 4
Poesia do século XX- 4Dina Baptista
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade   Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade Dina Baptista
 
Mário Cesariny de Vasconcelos
Mário Cesariny de VasconcelosMário Cesariny de Vasconcelos
Mário Cesariny de VasconcelosDina Baptista
 
José Ary dos Santos
José Ary dos SantosJosé Ary dos Santos
José Ary dos SantosDina Baptista
 

Mais de Dina Baptista (20)

Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
 
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitaisO ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
 
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
 
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊSREPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
 
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficazA importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
 
Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)
 
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel Central
 
Jantar no Hotel Central
Jantar no Hotel CentralJantar no Hotel Central
Jantar no Hotel Central
 
Os Maias_ sistematizacao
Os Maias_ sistematizacaoOs Maias_ sistematizacao
Os Maias_ sistematizacao
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particulares
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e IIISermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
 
Contos do séculoXX | neo-realismo
Contos do séculoXX | neo-realismoContos do séculoXX | neo-realismo
Contos do séculoXX | neo-realismo
 
Manuel Alegre
Manuel AlegreManuel Alegre
Manuel Alegre
 
Poesia do século XX- 4
Poesia do século XX- 4Poesia do século XX- 4
Poesia do século XX- 4
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade   Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
 
Mário Cesariny de Vasconcelos
Mário Cesariny de VasconcelosMário Cesariny de Vasconcelos
Mário Cesariny de Vasconcelos
 
José Ary dos Santos
José Ary dos SantosJosé Ary dos Santos
José Ary dos Santos
 

Último

A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...excellenceeducaciona
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Prime Assessoria
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIAHenrique Pontes
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdfCludiaFrancklim
 
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...apoioacademicoead
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...azulassessoriaacadem3
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...azulassessoriaacadem3
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...assessoriaff01
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptxAndreia Silva
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.Prime Assessoria
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 

Último (20)

A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
 
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 

Capítulos V a VI d' Os Maias

  • 1. www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista OS MAIAS EPISÓDIOS DA VIDA ROMÂNTICA Eça de Queirós CRÓNICA DE COSTUMES: A Sociedade de Lisboa Burguesa O Jantar do Hotel Central Edição seguida: Edição, Livros do Brasil (2006) de acordo com a 1ª ed. 1888. Capítulos V– VI
  • 2. www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista A ACÇÃO do Romance começa a partir do momento em que Carlos , já formado, regressa da sua longa viagem pela Europa e vai instalar-se com o avô no Ramalhete. Retomam-se o TEMPO e o ESPAÇO Iniciais Outono 1875 | Ramalhete S. Carlos: espaço cultural (misto de cultura e vida social) Os Gouvarinhos : o politico profissional e a burguesa casada e ociosa PROJECTOS / O IDEAL REALIDADE Crise dos Projectos Carlos . O laboratório (sem utilidade) . O consultório (na baixa, deserto) . O livro sobre medicina (adiado) (pp.132-133) . Os cavalos, as carruagens, o Bric-à-Brac . A tentação da Gouvarinho . Memórias dos amores passados Ega . O cenáculo . O livro de Ega ( Memória de um Átomo ) . A revista (Tudo adiado) . Apenas um capítulo de As Memórias no mais puro estilo romântico: amoroso e medievalista (p. 137) . O adultério elegante com Cohen
  • 3. www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista Ramalhete – Espaço Social Personagens Modeladas: . Afonso: ponto de referência e consciência moral do grupo. . Carlos: cosmopolita, requintado, diletante, instável emocionalmente, . Ega: boémio e literato, contraditório. A VELHA GERAÇÃO A NOVA GERAÇÃO . D. Diogo – “O velho leão”, a fidalguia de ancien régime . . General Sequeira – oficial de exército. . Marquês de Souselas – fidalguia à portuguesa – devoto e devasso. . Steinbroken – diplomata inútil e medíocre, entusiasta de Inglaterra. . Cruges – o génio socialmente inadaptado (maestro e pianista) . Taveira – o funcionário público (única personagem com um emprego definido) Eusébio - o fidalguote provinciano, politiqueiro que vive de rendimentos.
  • 4. www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista VILA BALZAC . O ninho de amores de Ega e Cohen . Ega assume um amor romântico. . Diagnóstico de Ega sobre situação amorosa de Carlos (D. Juan): “ Tu és simplesmente como ele, um devasso; e hás-de vir a acabar desgraçadamente como ele, numa tragédia infernal” (p. 156) . Um novo tipo Craft: culto, requintado, tipicamente british (p. 157) EGA “…o maior ateu , o maior demagogo , que jamais aparecera nas sociedades humanas” (p. 96) “ ……um romântico e um sentimental , um desses indivíduos inferiores que se governam na vida pelo sentimento e não pela razão”. CARLOS . “Era decerto um formoso e magnífico homem, alto, bem feito… uma fisionomia de cavaleiro da Renascença .” (p.100) . Demasiadamente elegante para ser médico. “…repetição de adultérios …sob o bruto aguilhão da carne …”
  • 5. www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista O jantar do Hotel Central Alguns tipos: . Dâmaso: o chic parvónio . Cohen: o banqueiro representante da alta finança. . Alencar: representante da poesia ultra-romântica . Craft: rico e boémio, é o árbitro das elegâncias, coleccionador de bric-à-brac. ROMANTISMO vs NATURALISMO Tópico: o crime da Mouraria (pp.166-168) . Carlos: o romance como análise social. . Ega/Alencar: os dois extremos. . Carlos e Craft: a posição intermédia . Narrador heterodiegético / focalização interna: ironiza-se o romantismo de Alencar através de Ega ___________ . Alencar critica o poeta Craveiro e a Ideia Nova . Ega insulta Alencar . Critica à Crítica Literária em Portugal feita de: ataques pessoais, de calúnias e agressões físicas. (pp. 176-178) A RAÇA . A decadência e a piolhice dos liceus – EGA ou a valentia lusitana AS FINANÇAS E AS COLÓNIAS . A falência do país e as bestas . “Pratas dos Morgados para empenhar”
  • 6.
  • 7. www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista . Carlos recebe de Alencar informações sobre os seus antecedentes familiares maternos (pp. 165) Informação de grande Valor INDICIAL: Início da Intriga . Introdução em cena dos Castro Gomes e descrição de Maria Eduarda Castro Gomes, como uma deusa: (pp. 160-161) - Voz rica e lenta - Uma senhora alta, loira, com um véu muito apertado e muito escuro que realçava o esplendor da sua carnação ebúrnea - Com um passo soberana de deusa, maravilhosamente bem feita - Uma esplêndida mulher - Um ar casto e forte - Na grande luz dos seus olhos havia ao mesmo tempo alguma coisa de muito grave e doce… . A simbologia do sonho de Carlos: projecção do inconsciente . (p. 188)
  • 8. www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra Português – 11º ano (Turmas A, E e F) Bibliografia usada: CABRAL, Avelino, O Realismo – Eça de Queirós e “Os Maias”, Edições Sebenta, s/d. COSTA, José R., Eça de Queirós, Os Maias em análise – Antologia comentada, Porto Editora, 2005. FERNANDES, António, Augusto, A Síntese em Esquema - Análise Textual (Ensino Secundário) , Edições Asa, s/d. JACINTO, Conceição e LANÇA, Gabriela, Análise da Obra Os Maias , Eça de Queirós – Ensino Secundário, Porto Editora, 2006.