SEA Institucional

1.816 visualizações

Publicada em

Apresentação institucional da SEA Tecnologia.

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.816
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
690
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide


  • Nós temos uma história cheia de altos e baixos.
    - Começamos felizes da vida;
    - Tivemos períodos de crise...
    - ...mas recuperamos a forma;
    - Houve épocas em que pensamos ser super-homens (em outras tivemos certeza)...
    - Já outras, nem tanto. Pensamos que éramos os mais imprestáveis do mercado;
    - Buscamos títulos e reconhecimento público, mas ainda assim não nos satisfizemos;
    - Resolvemos mudar os rumos...
    - ...e correr atrás de outros valores, como o da sustentabilidade ao invés da competitividade a todo custo;
    - E concluímos que, no fim das contas, a única coisa que importa, é garantir o sucesso de nossos clientes, agregando-os valor o mais cedo possível.
  • Nós temos uma história cheia de altos e baixos.
    - Começamos felizes da vida;
    - Tivemos períodos de crise...
    - ...mas recuperamos a forma;
    - Houve épocas em que pensamos ser super-homens (em outras tivemos certeza)...
    - Já outras, nem tanto. Pensamos que éramos os mais imprestáveis do mercado;
    - Buscamos títulos e reconhecimento público, mas ainda assim não nos satisfizemos;
    - Resolvemos mudar os rumos...
    - ...e correr atrás de outros valores, como o da sustentabilidade ao invés da competitividade a todo custo;
    - E concluímos que, no fim das contas, a única coisa que importa, é garantir o sucesso de nossos clientes, agregando-os valor o mais cedo possível.
  • Nós temos uma história cheia de altos e baixos.
    - Começamos felizes da vida;
    - Tivemos períodos de crise...
    - ...mas recuperamos a forma;
    - Houve épocas em que pensamos ser super-homens (em outras tivemos certeza)...
    - Já outras, nem tanto. Pensamos que éramos os mais imprestáveis do mercado;
    - Buscamos títulos e reconhecimento público, mas ainda assim não nos satisfizemos;
    - Resolvemos mudar os rumos...
    - ...e correr atrás de outros valores, como o da sustentabilidade ao invés da competitividade a todo custo;
    - E concluímos que, no fim das contas, a única coisa que importa, é garantir o sucesso de nossos clientes, agregando-os valor o mais cedo possível.
  • Nós temos uma história cheia de altos e baixos.
    - Começamos felizes da vida;
    - Tivemos períodos de crise...
    - ...mas recuperamos a forma;
    - Houve épocas em que pensamos ser super-homens (em outras tivemos certeza)...
    - Já outras, nem tanto. Pensamos que éramos os mais imprestáveis do mercado;
    - Buscamos títulos e reconhecimento público, mas ainda assim não nos satisfizemos;
    - Resolvemos mudar os rumos...
    - ...e correr atrás de outros valores, como o da sustentabilidade ao invés da competitividade a todo custo;
    - E concluímos que, no fim das contas, a única coisa que importa, é garantir o sucesso de nossos clientes, agregando-os valor o mais cedo possível.
  • Nós temos uma história cheia de altos e baixos.
    - Começamos felizes da vida;
    - Tivemos períodos de crise...
    - ...mas recuperamos a forma;
    - Houve épocas em que pensamos ser super-homens (em outras tivemos certeza)...
    - Já outras, nem tanto. Pensamos que éramos os mais imprestáveis do mercado;
    - Buscamos títulos e reconhecimento público, mas ainda assim não nos satisfizemos;
    - Resolvemos mudar os rumos...
    - ...e correr atrás de outros valores, como o da sustentabilidade ao invés da competitividade a todo custo;
    - E concluímos que, no fim das contas, a única coisa que importa, é garantir o sucesso de nossos clientes, agregando-os valor o mais cedo possível.
  • Nós temos uma história cheia de altos e baixos.
    - Começamos felizes da vida;
    - Tivemos períodos de crise...
    - ...mas recuperamos a forma;
    - Houve épocas em que pensamos ser super-homens (em outras tivemos certeza)...
    - Já outras, nem tanto. Pensamos que éramos os mais imprestáveis do mercado;
    - Buscamos títulos e reconhecimento público, mas ainda assim não nos satisfizemos;
    - Resolvemos mudar os rumos...
    - ...e correr atrás de outros valores, como o da sustentabilidade ao invés da competitividade a todo custo;
    - E concluímos que, no fim das contas, a única coisa que importa, é garantir o sucesso de nossos clientes, agregando-os valor o mais cedo possível.
  • Nós temos uma história cheia de altos e baixos.
    - Começamos felizes da vida;
    - Tivemos períodos de crise...
    - ...mas recuperamos a forma;
    - Houve épocas em que pensamos ser super-homens (em outras tivemos certeza)...
    - Já outras, nem tanto. Pensamos que éramos os mais imprestáveis do mercado;
    - Buscamos títulos e reconhecimento público, mas ainda assim não nos satisfizemos;
    - Resolvemos mudar os rumos...
    - ...e correr atrás de outros valores, como o da sustentabilidade ao invés da competitividade a todo custo;
    - E concluímos que, no fim das contas, a única coisa que importa, é garantir o sucesso de nossos clientes, agregando-os valor o mais cedo possível.
  • Nós temos uma história cheia de altos e baixos.
    - Começamos felizes da vida;
    - Tivemos períodos de crise...
    - ...mas recuperamos a forma;
    - Houve épocas em que pensamos ser super-homens (em outras tivemos certeza)...
    - Já outras, nem tanto. Pensamos que éramos os mais imprestáveis do mercado;
    - Buscamos títulos e reconhecimento público, mas ainda assim não nos satisfizemos;
    - Resolvemos mudar os rumos...
    - ...e correr atrás de outros valores, como o da sustentabilidade ao invés da competitividade a todo custo;
    - E concluímos que, no fim das contas, a única coisa que importa, é garantir o sucesso de nossos clientes, agregando-os valor o mais cedo possível.
  • Nós temos uma história cheia de altos e baixos.
    - Começamos felizes da vida;
    - Tivemos períodos de crise...
    - ...mas recuperamos a forma;
    - Houve épocas em que pensamos ser super-homens (em outras tivemos certeza)...
    - Já outras, nem tanto. Pensamos que éramos os mais imprestáveis do mercado;
    - Buscamos títulos e reconhecimento público, mas ainda assim não nos satisfizemos;
    - Resolvemos mudar os rumos...
    - ...e correr atrás de outros valores, como o da sustentabilidade ao invés da competitividade a todo custo;
    - E concluímos que, no fim das contas, a única coisa que importa, é garantir o sucesso de nossos clientes, agregando-os valor o mais cedo possível.
  • - Começamos em 2003 como parceiros Java e Rational:
    . Implantação de metodologia
    . Desenvolvimento por encomenda
    . Consultoria em arquitetura de software
    . Treinamento especializado
  • E foi muito fácil começarmos assim, poias havíamos acumulado, até então, um sem número de títulos de excelência.
  • Então, foi uma época de muito desenvolvimento casado com implantação de metodologia. Customização do RUP.
  • E chegamos até a criar um processo interno de desenvolvimento de software, chamado SEAUP...
  • ...que seguia a mesma lógica do RUP, mas bem menos burocrático, e que acabou se tornando em nosso primeiro produto comercial.
  • Mas, infelizmente, tentávamos seguir o mesmo modelo de negócios da Rational, cujo custo tornava a empresa pouco competitiva.
    Por isso, começamos a buscar alternativas...
  • Ao invés do ClearCase, o CVS e o SVN. Ao invés do ClearQuest, o Bugzilla...

    ...até que nos vimos rodeados de ferramentas opensource que, quando compostas, faziam até mais coisas que a suite de ferramentas da própria Rational!
  • E foi daí que nasceu nosso segundo produto: OpenSEA.
    (explicar OpenSEA)
  • E do OpenSEA extraímos o Submarine, o pivô de toda a dinâmica colaborativa.
  • E do Submarine, construímos nossa intranet... (explicar a tela)
  • Esta é nossa extranet, também construída sobre o Submarine, derivado do software livre Liferay.
  • E, sem querer, nos vimos imersos na comunidade de software livre, prestando consultoria e adaptando um monte de ferramentas abertas, sem qualquer custo de licenciamento.

    E, a aceitação foi tão grande, que criamos a campanha Adote um Software Livre. (falar da campanha)
  • Até que fomos convidado pela gigante RedHat a sermos seus primeiros parceiros em Brasília.
  • Para trabalhar com, além do Sistema Operacional RHEL, também com a família de produtos JBoss... (falar de cada plataforma).
  • ...fazendo a revenda de contratos de subscrição e prestação in loco de consultoria certificada. (falar o que é subscrição)
  • E o modelo deu tão certo, que hoje fazemos o mesmo tipo de trabalho com vários outros softwares livres.

    Ou seja, responsabilizamo-nos pela sua instalação, com suporte local e atendimento in loco.
  • Mas, e o RUP e companhia? O que aconteceu com os projetos de implantação de metodologia?
  • Nós continuamos a busca pela excelência no desenvolvimento de de software e até incrementamos nosso repertório de títulos.

    - Absorvemos práticas do PMBok
    - Certificamo-nos no MPS.BR
    - E até ganhamos um prêmio do SEBRAE!
  • Em especial, este prêmio do SEBRAE foi de grande significado, pois nos deu muita garantia do que fazíamos até então euristicamente.
  • Mas mesmo assim, nossos projetos, apesar de grandes, ainda não alçavam vôo (pois ainda eram muito pesados)...
  • ...e, aproveitando a moral alta pelo Prêmio Êxito Empresarial, resolvemos experimentar novos rumos.
  • E começamos a repensar nossos valores.
  • E chegamos à conclusão de que:

    Como técnicos, adoramos ferramentas e não vivemos sem elas...
  • ...mas muito menos sem uma grande equipe.

    Não que ferramentas não sejam importantes, mas um bom time é muito mais. E, como herança da cultura Rational, estávamos supervalorizando o ferramental...
  • ...sem nos atentar que talvez a grande causa de sucessos e fracassos de projetos estivesse nas pessoas envolvidas no trabalho.
  • Após anos de ISO900?, RUP, PMBok e MPS.BR, chegamos a conclusão de que documentação é *muito* importante...

    ... desde que ela seja ÚTIL para alguma coisa!

    Documentação pra inglês ver é desperdício extremo de dinheiro.
  • Concluímos que gastamos muita energia em cumprimento de contratos e em proteções mútuas....
  • ...que poderia ser muito melhor aproveitada com uma boa dose de camaradagem e comprometimento.
  • Planos detalhados nos dão uma super segurança.
  • Mas a habilidade de replanejamento constante é muito mais valiosa a na atual economia.

    Como disse Darwin, o futuro não é dos mais fortes, mas dos mais adaptáveis.
  • A maioria dessas idéias vem de um documento chamado “Manifesto Ágil”

    http://www.manifestoagil.com.br
  • E, sob a luz do Manifesto Ágil, estamos mudando nossas técnicas de engenharia...
  • ... e de gestão de projetos.
  • E, o que aos olhos de uns é o anarquismo instaurado, pra gente tem trazido resultados extremamente positivos.
  • E esse é um case de sucesso em adoção de métodos ágeis que temos na empresa e que já foi apresentado nuns 4 eventos nacionais e internacionais.

    Fizemos da Aeronáutica, órgão historicamente formal, burocratizado e baseado em tecnologia Rational, num grande centro de difusão do pensamento ágil.
  • Então, é preciso desfazer alguns mitos.
  • E prova disso são algumas movimentações pró-agilidade que estão acontecendo no mercado, como:
    - A migração da IBM para a filosofia ágil (internamente, a IBM só usa Scrum)
    - A aproximação do SEI (Carnegie Mellon) dos métodos ágeis
    - E a tentativa de compatibilização do PMI com os pensamentos ágeis
  • E prova disso são algumas movimentações pró-agilidade que estão acontecendo no mercado, como:
    - A migração da IBM para a filosofia ágil (internamente, a IBM só usa Scrum)
    - A aproximação do SEI (Carnegie Mellon) dos métodos ágeis
    - E a tentativa de compatibilização do PMI com os pensamentos ágeis
  • E até o governo tá entrando na maré ágil....
  • Logo, é apenas uma questão de tempo até que esta nova escola do pensamento chegue até nós.
  • E com essa história, acumulamos bons clientes, públicos e privados.
  • E várias parcerias, políticas e comerciais.
  • Em especial, representamos no Brasil a empresa japonesa ChangeVision, criadora do JUDE, e hoje uma grande referência em desenvolvimento de ferramentas de apoio a práticas ágeis, na figura de seu fundador, Kenji Hiranabe.
  • Em especial, representamos no Brasil a empresa japonesa ChangeVision, criadora do JUDE, e hoje uma grande referência em desenvolvimento de ferramentas de apoio a práticas ágeis, na figura de seu fundador, Kenji Hiranabe.
  • Hoje, nossa lista de títulos está ainda maior, apesar de darmos cada vez menos valor a esta cultura.
  • Um fato curioso foi que, em 2004, abrimos uma frente paralela de desenvolvimento de soluções móveis, que não durou muito...
  • ...apesar dos prêmios conquistados:

    - Concurso da Motorola/Nextel em 2001
    - Concurso da Nokia em 2003
    - Concurso da Revista WebMobile em 2004
  • ...apesar dos prêmios conquistados:

    - Concurso da Motorola/Nextel em 2001
    - Concurso da Nokia em 2003
    - Concurso da Revista WebMobile em 2004
  • - Então, analisando historicamente, nosso discurso alternou-se entre ferramentas Rational, Software Livre e Métodos Ágeis de desenvolvimento e gestão de software.
    - Se antes éramos um mundo exclusivamente Java, hoje somos poliglotas.
    - E abraçamos algumas ferramentas que nos dão apoio à proposta comercial
    - Que é: desenvolvimento de apps, implantação de portais, monitoração de ambientes, consultoria SOA e BI.
    - E, pra qualquer um desses assuntos, fazemos o desenvolvimento sob encomenda, consultoria, treinamento...
  • Caso seja do interesse o aprofundamento em algum dos temas apresentados, podemos fazer apresentações específicas em...
  • Se quiserem saber mais sobre a SEA, visite nosso site.
  • Um abraço :-)

  • SEA Institucional

    1. 1. Apresentação Institucional
    2. 2. 2
    3. 3. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    4. 4. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    5. 5. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    6. 6. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    7. 7. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    8. 8. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    9. 9. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    10. 10. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    11. 11. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    12. 12. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 3
    13. 13. 2003 2004 2005 4
    14. 14. Sun Certified Business Component Developer for J2EE 1.3 Sun Certfied Enterprise Architect for Java2 Platform, Enterprise Edition Technology Sun Certfied Web Component Developer for Java 2 Platform, Enterprise Edition Sun Certified Developer for the Java 2 Platform Sun Certified Programmer for Java2 Platfom Sun Certified Instructor for Java2 Platform Rational Certified Consultant in RUP Rational Certified Consultant in Implementing RUP Rational Certified Consultant in Requirements Management with Use Cases 5
    15. 15. 6
    16. 16. 7
    17. 17. 8
    18. 18. 9
    19. 19. 10
    20. 20. 11
    21. 21. 12
    22. 22. 13
    23. 23. 14
    24. 24. 15
    25. 25. 16
    26. 26. JBoss Enterprise Application Platform JBoss Communications Platform JBoss Enterprise Portal Platform JBoss Enterprise SOA Platform MetaMatrix Enterprise Data Services Platform JBoss Operations Network 17
    27. 27. Subscrição 18
    28. 28. Subscrição 19
    29. 29. ? 20
    30. 30. 21
    31. 31. 22
    32. 32. 23
    33. 33. 24
    34. 34. 25
    35. 35. 26
    36. 36. 27
    37. 37. 28
    38. 38. 29
    39. 39. útil! 29
    40. 40. 30
    41. 41. 31
    42. 42. 32
    43. 43. 33
    44. 44. 34
    45. 45. XP Comunicação Simplicidade Feedback Coragem 35
    46. 46. 36
    47. 47. 38
    48. 48. Mitos #1 Documentação não é importante #2 Só para _____ pequeno(a)(os)(as) #3 Não há prazos #4 Só para equipes seniores ... 39
    49. 49. 40
    50. 50. 40
    51. 51. 40
    52. 52. 41
    53. 53. 42
    54. 54. Clientes 43
    55. 55. Parceiras 44
    56. 56. 45
    57. 57. 45
    58. 58. 45
    59. 59. Certificados JBoss SOA Platform Certified JBoss Administrator Certified JBoss Developer Certified Red Hat Certified Engineer - RHCE Red Hat Certified - RHCT Sun Certified Business Component Developer for J2EE 1.3 Sun Certfied Enterprise Architect for Java2 Platform, Enterprise Edition Technology Sun Certfied Web Component Developer for Java 2 Platform, Enterprise Edition Sun Certified Developer for the Java 2 Platform Sun Certified Programmer for Java2 Platfom Sun Certified Instructor for Java2 Platform Rational Certified Consultant in RUP Rational Certified Consultant in Implementing RUP Rational Certified Consultant in Requirements Management with Use Cases Project Management Professional – PMP ITIL Fundamentals Professional MPS-BR P1 46
    60. 60. 2004 2005 2006 47
    61. 61. 48
    62. 62. 48
    63. 63. 48
    64. 64. Soluções Estratégicas Aplicadas à TI Monitoração Portal Aplicativos SOA BI Zimbra Liferay Alfresco Pentaho RedHat/JBoss Java Python Ruby Rational SWL Agile 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 to to ria óg ia ol nc en en lto ica cn rê vim am su Te asfe on ein l vo C Tr Tr en es 49 D
    65. 65. Próximos Passos • O Pensamento Ágil • XP/Scrum • Guerrilha SOA • JBoss Enterprise Middleware • JBoss Operations Network • Submarine/Liferay • OpenSEA • Ruby/Rails 50
    66. 66. 51
    67. 67. 52
    68. 68. Q&A

    ×