O slideshow foi denunciado.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE – FURG
ESCOLA DE ENGENHARIA
NÚCLEO DE EXPRESSÃO GRÁFICA

Desenho Arquitetônico
UNIDADE ...
FOLHAS
formatos padrões
As Normas Brasileiras de Desenho Técnico estabelecem como
padrão a série “A”. A NBR 10.068 tem o o...
FOLHAS
formatos padrões
Os formatos da série “A” tem como base o Formato A0, cujas
dimensões guardam entre si a mesma rela...
FOLHAS
formatos padrões

Prof. Me. Sinval Xavier
FOLHAS
dobradura dos formatos padrões

A0

Prof. Me. Sinval Xavier
FOLHAS
dobradura dos formatos padrões

A1

Prof. Me. Sinval Xavier
FOLHAS
dobradura dos formatos padrões

Prof. Me. Sinval Xavier
FOLHAS
outros formatos
Na prática, quando permitido pelos órgãos de análise e
aprovação, é comum a utilização de formatos ...
CARIMBO, LEGENDA ou SELO
Em um projeto de Arquitetura ou Engenharia, faz-se necessário a
identificação
de
alguns
elementos...
CARIMBO, LEGENDA ou SELO
EXEMPLOS

Prof. Me. Sinval Xavier
ORGANIZAÇÃO DAS FOLHAS
Os desenhos devem ser organizados dentro das pranchas (folhas)
seguindo-se a seguinte ordem:
1º - Q...
ORGANIZAÇÃO DAS FOLHAS
Sempre que possível as pranchas devem possuir todas o mesmo
tamanho, organizando-se os desenhos den...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Da unidade 10

12.681 visualizações

Publicada em

Da unidade 10

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE – FURG ESCOLA DE ENGENHARIA NÚCLEO DE EXPRESSÃO GRÁFICA Desenho Arquitetônico UNIDADE 10 FOLHAS DE DESENHO Prof. Me. Sinval Xavier
  2. 2. FOLHAS formatos padrões As Normas Brasileiras de Desenho Técnico estabelecem como padrão a série “A”. A NBR 10.068 tem o objetivo de padronizar as dimensões, layout, dobraduras e a posição da legenda, garantindo desta forma uniformidade e legibilidade aos desenhos. Os itens a serem observados na NBR, são os seguintes: • posição e dimensões da legenda (selo ou carimbo); • margens; • marcas de centro (ver NBR); • escala métrica de referência (ver NBR); • sistema de referência por malhas (ver NBR); • marcas de corte (ver NBR). Prof. Me. Sinval Xavier
  3. 3. FOLHAS formatos padrões Os formatos da série “A” tem como base o Formato A0, cujas dimensões guardam entre si a mesma relação que existe entre o lado de um quadrado e sua diagonal (841 2 =1189), e que corresponde a um retângulo de área igual a 1 m2. Prof. Me. Sinval Xavier
  4. 4. FOLHAS formatos padrões Prof. Me. Sinval Xavier
  5. 5. FOLHAS dobradura dos formatos padrões A0 Prof. Me. Sinval Xavier
  6. 6. FOLHAS dobradura dos formatos padrões A1 Prof. Me. Sinval Xavier
  7. 7. FOLHAS dobradura dos formatos padrões Prof. Me. Sinval Xavier
  8. 8. FOLHAS outros formatos Na prática, quando permitido pelos órgãos de análise e aprovação, é comum a utilização de formatos de folhas fora dos padrões ABNT, de forma a melhor adequar o tamanho da folha as dimensões do projeto. A dobradura dessas folhas deve seguir o padrão da norma, da seguinte maneira: - uma dobra na esquerda de 210mm; - dobras consecutivas da direita para a esquerda de 185mm, até restar um pedaço de folha de dimensão menor do que 370mm, que deve ser dobrado em dois; - dobras consecutivas, de baixo para cima, de 297mm, até restar um pedaço de folha dimensão menor do que 297mm. Prof. Me. Sinval Xavier
  9. 9. CARIMBO, LEGENDA ou SELO Em um projeto de Arquitetura ou Engenharia, faz-se necessário a identificação de alguns elementos, tais como: tipo de projeto, endereço, autor do projeto, responsável técnico pela obra, proprietário, conteúdo da prancha, escalas empregadas, data, número da prancha, número total de pranchas, espaço reservado para a aprovação da prefeitura e pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia CREA, entre outros. ESPAÇO PARA APROVAÇÕES SELO Prof. Me. Sinval Xavier
  10. 10. CARIMBO, LEGENDA ou SELO EXEMPLOS Prof. Me. Sinval Xavier
  11. 11. ORGANIZAÇÃO DAS FOLHAS Os desenhos devem ser organizados dentro das pranchas (folhas) seguindo-se a seguinte ordem: 1º - Quadro de áreas e índices; 2º - Planta de situação; 3º - Planta de localização; 4º - Planta de cobertura; 5º - Planta baixa; 6º - Cortes; 7º - Fachadas; 8º - Perspectivas (quando houverem); 9º - Detalhes (quando houverem). Prof. Me. Sinval Xavier
  12. 12. ORGANIZAÇÃO DAS FOLHAS Sempre que possível as pranchas devem possuir todas o mesmo tamanho, organizando-se os desenhos dentro das mesmas de forma seqüencial. Os desenhos não devem ficar excessivamente próximos (entre eles e com as margens) e nem excessivamente afastados. Todos os desenhos devem ser numerados (por prancha), com título e indicação da escala, para tanto a norma recomenda a utilização da seguinte simbologia: A numeração e o titulo do desenho de ser colocada logo abaixo a esse (não muito próxima, não muito afastada). Uma prancha pode conter um ou mais desenho. Prof. Me. Sinval Xavier

×