Carater revelacao espirita

442 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
442
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Carater revelacao espirita

  1. 1. Caráter da Revelação EspíritaCosme Massi
  2. 2. A Gênese, os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo (Janeiro de 1868, capítulo I)1 - Pode o Espiritismo ser considerado uma revelação?2 - Neste caso, qual o seu caráter?
  3. 3. Revelação - significados Revelar - do latim revelareLiteralmente, sair de sob o véuFiguradamente, descobrir, dar a conhecer uma coisa secreta ou desconhecidaNo sentido especial da fé religiosa, a revelação se diz mais particularmente das coisas espirituais
  4. 4. Revelação - significadosGenericamente, a palavra revelação seemprega a respeito de qualquer coisa ignotaque é divulgada.“Deste ponto de vista, todas as ciências quenos fazem conhecer os mistérios daNatureza são revelações e pode dizer-seque há para a Humanidade uma revelaçãoincessante.”
  5. 5. “ A característica essencial de qualquer revelação tem que ser a verdade. Revelar um segredo é tornar conhecido um fato; se é falso, já não é um fato e, por conseqüência, não existe revelação. Toda revelação desmentida por fatos deixa de o ser, se for atribuída a Deus. Não podendo Deus mentir, nem se enganar, ela não pode emanar dele: deve ser considerada produto de uma concepção humana.”
  6. 6. Tipos de Revelação (1) Revelação PessoalCaracterísticas: obra pessoal; transitória; eivada de erros; sujeita a modificação; apropriada ao tempo e ao meio; implica a passividade absoluta e é aceita sem verificação, sem exame, nem discussão.
  7. 7. Tipos de Revelação (2) Revelação científicaCaracterísticas: obra de muitos homens, segundo metodologia experimental própria; universal, exige observação, pesquisa, raciocínio e exame permanentes; essencialmente progressiva.
  8. 8. Tipos de Revelação (3) Revelação DivinaCaracterística: eterna verdade.“ O caráter essencial da revelação divina é o da eterna verdade. Toda revelação eivada de erros ou sujeita a modificação não pode emanar de Deus.”
  9. 9. Revelações Primeira Revelação: MoisésTipo: Divina e Pessoal“Moisés, como profeta, revelou aos homens a existência de um Deus único, Soberano Senhor e Orientador de todas as coisas; promulgou a lei do Sinai e lançou as bases da verdadeira fé. Como homem, foi o legislador do povo pelo qual essa primitiva fé, purificando-se, havia de espalhar-se por sobre a Terra.
  10. 10. Revelações Segunda Revelação: JesusTipo: Divina“O Cristo, tomando da antiga lei o que é eterno e divino e rejeitando o que era transitório, puramente disciplinar e de concepção humana, acrescentou a revelação da vida futura, de que Moisés não falara, assim como a das penas e recompensas que aguardam o homem depois da morte.”
  11. 11. Revelações Terceira Revelação: EspiritismoTipo: Divina e Científica“Por sua natureza, a revelação espírita tem duplo caráter: participa ao mesmo tempo da revelação divina e da revelação científica.”
  12. 12. Terceira Revelação: EspiritismoDivina: “porque foi providencial o seuaparecimento e não o resultado da iniciativa,nem de um desígnio premeditado do homem;porque os pontos fundamentais da doutrinaprovêm do ensino que deram os Espíritosencarregados por Deus de esclarecer oshomens acerca de coisas que eles ignoravam,que não podiam aprender por si mesmos e quelhes importa conhecer, hoje que estão aptos acompreendê-las.”
  13. 13. Terceira Revelação: Espiritismo Científica: “por não ser esse ensino privilégio de indivíduo algum, mas ministrado a todos do mesmo modo; por não serem os que o transmitem e os que o recebem seres passivos, dispensados do trabalho da observação e da pesquisa, por não renunciarem ao raciocínio e ao livre-arbítrio; porque não lhes é interdito o exame, mas, ao contrário, recomendado; (continua)
  14. 14. Terceira Revelação: EspiritismoCientífica: porque a doutrina não foi ditadacompleta, nem imposta à crença cega; porqueé deduzida, pelo trabalho do homem, daobservação dos fatos que os Espíritos lhepõem sob os olhos e das instruções que lhedão, instruções que ele estuda, comenta,compara, a fim de tirar ele próprio as ilações eaplicações.”
  15. 15. Terceira Revelação: Espiritismo“Numa palavra, o que caracterizaa revelação espírita é o serdivina a sua origem e dainiciativa dos Espíritos, sendo asua elaboração fruto do trabalhodo homem.”
  16. 16. Em resumo: Qual o caráter daRevelação Espírita?(1) Divina: a) aparecimento providencial b) os pontos fundamentais foram ensinados pelo espíritos
  17. 17. Em resumo: Qual o caráter da Revelação Espírita?(2) Científica: a) ensino ministrado a todos - Coletiva b) trabalho de observação e pesquisa c) raciocínio e livre-arbítrio d) recomenda o exame e) não foi ditada completa, nem imposta à crença cega - Progressiva
  18. 18. “Como meio de elaboração, o Espiritismoprocede exatamente da mesma forma que asciências positivas, aplicando o métodoexperimental. Fatos novos se apresentam,que não podem ser explicados pelas leisconhecidas; ele os observa, compara, analisae, remontando dos efeitos às causas, chega àlei que os rege; depois, deduz-lhes asconseqüências e busca as aplicações úteis.”
  19. 19. “É, pois, rigorosamente exato dizer-se que oEspiritismo é uma ciência de observação e nãoproduto da imaginação. As ciências só fizeramprogressos importantes depois que seusestudos se basearam sobre o métodoexperimental; até então, acreditou-se que essemétodo também só era aplicável à matéria, aopasso que o é também às coisas metafísicas.”
  20. 20. “O Espiritismo e a Ciência secompletam reciprocamente; aCiência, sem o Espiritismo, se achana impossibilidade de explicarcertos fenômenos só pelas leis damatéria; ao Espiritismo, sem aCiência, faltariam apoio e controle.”
  21. 21. “A primeira revelação teve a suapersonificação em Moisés, a segunda noCristo, a terceira não a tem em indivíduoalgum. As duas primeiras foram individuais, aterceira coletiva, aí está um caráter essencial.Ela é coletiva no sentido de não ser feita oudada como privilégio a pessoa alguma;ninguém, por conseqüência, pode inculcar-secomo seu profeta exclusivo;... Ela não proveiode nenhum culto especial, a fim de servir umdia, a todos, de ponto de ligação.”
  22. 22. “Os Espíritos não ensinam senão justamenteo que é mister para guiá-lo no caminho daverdade, mas abstêm-se de revelar o que ohomem pode descobrir por si mesmo,deixando-lhe o cuidado de discutir, verificar esubmeter tudo ao cadinho da razão, deixandomesmo, muitas vezes, que adquiraexperiência à sua custa. Fornece-lhe oprincípio, os materiais; cabe-lhe a eleaproveitá-los e pô-los em obra.
  23. 23. “O Espiritismo, pois, não estabelece comoprincípio absoluto senão o que se achaevidentemente demonstrado, ou o queressalta logicamente da observação.Entendendo com todos os ramos da economiasocial, aos quais dá o apoio das suas própriasdescobertas, assimilará sempre todas asdoutrinas progressivas, de qualquer ordemque sejam, desde que hajam assumido oestado de verdades práticas e abandonado odomínio da utopia, sem o que se suicidaria.”
  24. 24. Deixando de ser o que é, mentiria àsua origem e ao seu fim providencial.Caminhando de par com o progresso,o Espiritismo jamais seráultrapassado, porque, se novasdescobertas lhe demonstrassem estarem erro acerca de um ponto qualquer,ele se modificaria nesse ponto. Seuma verdade nova se revelar, ele aaceitará.

×