O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Próximos SlideShares
What to Upload to SlideShare
What to Upload to SlideShare
Carregando em…3
×
1 de 31

José Leopoldo Ferreira Antunes - Caminhos da internacionalização dos periódicos de saúde coletiva

0

Compartilhar

Baixar para ler offline

Os periódicos de saúde coletiva da Rede SciELO acumulam notável experiência na articulação de seus objetivos, interesses, funções, expectativas e sustentabilidade operacional e financeira, a partir de uma ampla diversidade de origens institucionais, áreas temáticas prioritárias, práticas editoriais e posicionamentos sobre o papel dos periódicos no progresso e comunicação da pesquisa. Essa condição dota a sistematização da gestão, operação e políticas editoriais dos periódicos de saúde coletiva com enorme potencial para contribuir para o avanço da discussão sobre o futuro dos periódicos e do próprio Programa SciELO, em especial no que se refere ao aperfeiçoamento editorial e o alinhamento com as boas práticas de comunicação da ciência aberta.

As propostas de aperfeiçoamento editorial e de adoção das inovações de comunicação preconizam o aumento da eficiência e desempenho dos periódicos no cumprimento das suas funções. Os periódicos de saúde coletiva abarcam um amplo leque de objetos de pesquisa, de públicos e de campos de influência e impacto, como são o avanço da pesquisa e do ensino no âmbito acadêmico, o avanço da atenção à saúde no âmbito dos sistemas e serviços de saúde públicos e privados incluindo a atenção individual por especialistas assim como na formulação de políticas públicas, e, finalmente, ao informar a cidadania no sentido de decisões baseadas nas melhores evidências da pesquisa científica.

O escopo proposto do Grupo de Trabalho de Periódicos de Saúde Coletiva abrange três dimensões importantes. Primeiro, a experiência da articulação entre periódicos. Segundo, a contribuição dos periódicos para o avanço da pesquisa, da atenção à saúde, para informar políticas, tomada de decisão de autoridades e da cidadania. Terceiro, estender [generalizar] a relevância dos periódicos temáticos de saúde coletiva para a função dos periódicos editados nacionalmente em geral por comunidades de pesquisadores, sem fins lucrativos, que, em diferentes condições, contribuem para o avanço do conhecimento e da capacidade nacional de criar, comunicar e usar conhecimento científico.

Audiolivros relacionados

Gratuito durante 30 dias do Scribd

Ver tudo

José Leopoldo Ferreira Antunes - Caminhos da internacionalização dos periódicos de saúde coletiva

  1. 1. José Leopoldo Ferreira Antunes leopoldo@usp.br Faculdade de Saúde Pública/USP Editor Científico da Revista de Saúde Pública (Scielo) Editor Associado de Oral Diseases (Wiley)
  2. 2. - Afiliação de autores estrangeiros - Afiliação de revisores ad hoc estrangeiros - Afiliação de editores científicos e associados estrangeiros Internacionalização ou estrangeirização?
  3. 3. As revistas vão financiar o intercâmbio de pesquisadores, as bolsas-sanduíche, as duplas titulações? São as revistas que têm de responder pela pouca internacionalização da ciência no país?
  4. 4. Monumento instalado em 26/05/2017 no Castelo de Vajdahunyad, em Budapeste, Hungria. Homenagem aos revisores ad hoc. Igor Chirikov; Escola Superior de Economia da Universidade Nacional de Pesquisa de Moscou

×