O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Rogério Mugnaini - SciELO: Seu espaço e impacto na produção brasileira e mundial

Rogério Mugnaini - SciELO: Seu espaço e impacto na produção brasileira e mundial

Baixar para ler offline

Este painel aborda a aplicação dos métodos bibliométricos e cientométricos aplicados na avaliação dos periódicos e das pesquisas que publicam.

A mensuração de impacto de periódicos científicos por meio de citações tem origem nas atividades dos documentalistas do final do século XIX, no intuito de organizar as publicações de áreas específicas. Os desdobramentos destes esforços logo lançaram mão de abordagens quantitativas visando a compreensão de tendências, que permitiram estabelecer, por exemplo, o núcleo de periódicos e autores nas diversas áreas, tornando-se insumo importante para historiadores e sociólogos da ciência.

No que diz respeito ao tratamento da informação científica, os ensaios da primeira metade do século XX se materializaram em um sistema que ofereceria uma nova forma de recuperação da informação – no sentido diacrônico –, permitindo identificar a relação que a literatura passa a estabelecer a partir da publicação de um artigo. A esta relação, que expressa a repercussão de um novo conhecimento na literatura, não levou muito tempo para se atribuir a ideia de impacto científico, cuja expressão se dá através da citação. O índice de citação então revoluciona a maneira de acessar a literatura na segunda metade do mesmo século, ao mesmo tempo em que se torna uma fonte exclusiva para os indicadores de impacto, que a partir dali passariam a representar a ciência mundial em processos avaliativos ao redor do mundo.

Na virada para o século XXI, diversos fatores – como o custo das assinaturas, a sub representatividade da literatura científica de países cujo idioma não é o inglês, assim como as diferentes práticas de comunicação científica entre áreas do conhecimento – deram lugar a iniciativas que visavam fontes de informação mais abrangentes, e que ao mesmo tempo viabilizassem o acesso livre à informação científica. Contudo, além da questão do acesso, a já estabelecida necessidade de mensuração de impacto não poderia ser ignorada, a fim de prover os consolidados processos de avaliação da produção científica com indicadores mais adequados.

Neste sentido, é preciso que as novas fontes de informação, tirando proveito das novas metodologias propostas pela comunidade especialista em métodos quantitativos de avaliação da ciência, possam contribuir com indicadores que tornem a avaliação da produção científica nacional (brasileira) mais condizente com a realidade nacional. Logrando este feito, espera-se que as discussões do grupo contribuam não apenas para evidenciar o melhor do que tem sido produzido localmente, mas permitir que periódicos científicos editados nacionalmente, em particular, os da Rede SciELO, tenham seu impacto reconhecido, viabilizando uma circulação do conhecimento científico global e inclusiva.

Ementa
Fontes de informação para geração de indicadores de impacto; especificidade da cultura de comunicação científica nas diferentes áreas, especialmente as Ciências Humanas e Sociais...

Este painel aborda a aplicação dos métodos bibliométricos e cientométricos aplicados na avaliação dos periódicos e das pesquisas que publicam.

A mensuração de impacto de periódicos científicos por meio de citações tem origem nas atividades dos documentalistas do final do século XIX, no intuito de organizar as publicações de áreas específicas. Os desdobramentos destes esforços logo lançaram mão de abordagens quantitativas visando a compreensão de tendências, que permitiram estabelecer, por exemplo, o núcleo de periódicos e autores nas diversas áreas, tornando-se insumo importante para historiadores e sociólogos da ciência.

No que diz respeito ao tratamento da informação científica, os ensaios da primeira metade do século XX se materializaram em um sistema que ofereceria uma nova forma de recuperação da informação – no sentido diacrônico –, permitindo identificar a relação que a literatura passa a estabelecer a partir da publicação de um artigo. A esta relação, que expressa a repercussão de um novo conhecimento na literatura, não levou muito tempo para se atribuir a ideia de impacto científico, cuja expressão se dá através da citação. O índice de citação então revoluciona a maneira de acessar a literatura na segunda metade do mesmo século, ao mesmo tempo em que se torna uma fonte exclusiva para os indicadores de impacto, que a partir dali passariam a representar a ciência mundial em processos avaliativos ao redor do mundo.

Na virada para o século XXI, diversos fatores – como o custo das assinaturas, a sub representatividade da literatura científica de países cujo idioma não é o inglês, assim como as diferentes práticas de comunicação científica entre áreas do conhecimento – deram lugar a iniciativas que visavam fontes de informação mais abrangentes, e que ao mesmo tempo viabilizassem o acesso livre à informação científica. Contudo, além da questão do acesso, a já estabelecida necessidade de mensuração de impacto não poderia ser ignorada, a fim de prover os consolidados processos de avaliação da produção científica com indicadores mais adequados.

Neste sentido, é preciso que as novas fontes de informação, tirando proveito das novas metodologias propostas pela comunidade especialista em métodos quantitativos de avaliação da ciência, possam contribuir com indicadores que tornem a avaliação da produção científica nacional (brasileira) mais condizente com a realidade nacional. Logrando este feito, espera-se que as discussões do grupo contribuam não apenas para evidenciar o melhor do que tem sido produzido localmente, mas permitir que periódicos científicos editados nacionalmente, em particular, os da Rede SciELO, tenham seu impacto reconhecido, viabilizando uma circulação do conhecimento científico global e inclusiva.

Ementa
Fontes de informação para geração de indicadores de impacto; especificidade da cultura de comunicação científica nas diferentes áreas, especialmente as Ciências Humanas e Sociais...

Mais Conteúdo rRelacionado

Mais de SciELO - Scientific Electronic Library Online

Livros relacionados

Gratuito durante 30 dias do Scribd

Ver tudo

Audiolivros relacionados

Gratuito durante 30 dias do Scribd

Ver tudo

Rogério Mugnaini - SciELO: Seu espaço e impacto na produção brasileira e mundial

  1. 1. SciELO: Seu espaço e impacto na produção brasileira e mundial Rogério Mugnaini Departamento de Informação e Cultura Escola de Comunicações e Artes Universidade de São Paulo
  2. 2. Os antecedentes dos antecedentes! Garfield, respondendo a críticas feitas por Spinak (1995) a seu artigo (GARFIELD, 1995) sobre análises quantitativas de produção científica latino-americana, recomenda a criação de um SCI latino-americano, todavia alerta para o fato de que os cientistas desses países não deixarão de enviar seus melhores trabalhos para revistas internacionais.
  3. 3. 152,477 38% 247,356 62% Artigos com participação de brasileiros SciELO WoS 2,750,751 25.6% 8,008,528 74.4% Referências SciELO WoS 1,277,411 26.4% 3,552,458 73.6% Citações SciELO WoS 1998-2012
  4. 4. Produção por área, % no Q1 JCR e % em periódicos brasileiros 0 15,000 30,000 45,000 60,000 75,000 90,000 0% 15% 30% 45% 60% 75% 90% % Revs. Nacs. % Prod. Q1 Tot. Arts
  5. 5. 93.2% 59.5% 70.4% 1.6% 8.1% 6.0% 5.3% 32.4% 23.6% SciELO WoS SciELO + WoS Paises dos autores dos artigos BRAZIL USA Foreign
  6. 6. 0 140,000 280,000 420,000 560,000 700,000 BR + Foreign BR BR + Foreign BR BR + Foreign BR BR + Foreign BR WoSSciELOWoSSciELO WoSSciELO Fluxo de citações dos artigos brasileiros na SciELO e WoS All_cits BRAZIL_citing Citados Citante Citante Citados 5% 40% 4% 51% WoS BR + Foreign WoS BR SciELO BR + Foreign SciELO BR
  7. 7. Database Cited Not cited Total SciELO 682 17 699 WoS 5.873 2.420 8.293 234.7 206.0 Citations/Journal SciELO WoS Citação a periódicos nos quais os artigos de brasileiros foram publicados
  8. 8. [A] [B] Distribuição das citações (janela de até 2 anos) Artigos de brasileiros publicados em periódico [A] SciELO ou [B] WoS Segundo área do artigo citado e base e país do autor do artigo citante.
  9. 9. % de citações de brasileiros Area Colab. WoS SciELO BR + Foreign 59,1% 74,3% BR 83,4% 95,2% BR + Foreign 35,6% 67,4% BR 51,6% 90,2% BR + Foreign 43,5% 68,3% BR 48,3% 83,3% BR + Foreign 26,7% 60,6% BR 65,2% 92,7% AGRICULTURAL SCIENCES CLINICAL MEDICINE PSYCHIATRY/PSYCHOLOGY SOCIAL SCIENCES, GENERAL Somente artigos de brasileiros publicados em periódicos SciELO
  10. 10. Area Citing Colab. USA SPAIN COLOMBIA BR + Foreign 6,2% 5,2% BR 3,6% 1,0% BR + Foreign 3,9% 4,6% BR 0,8% 0,4% BR + Foreign 15,4% 4,8% BR 11,1% 1,9% BR + Foreign 3,8% 2,1% BR 1,4% 0,7% BR + Foreign 7,3% 3,4% BR 11,9% 7,6% BR + Foreign 7,1% 6,4% BR 5,8% 4,9% BR + Foreign 14,7% 6,2% BR 10,3% 1,5% BR + Foreign 4,8% 7,3% BR 1,1% 0,7% CLINICAL MEDICINE PSYCHIATRY/PSYCHOLOGY SOCIAL SCIENCES, GENERAL WoS SciELO WoS SciELO AGRICULTURAL SCIENCES WoS SciELO WoS SciELO Países que mais citam (%) Somente artigos de brasileiros publicados em periódicos SciELO
  11. 11. Rogério Mugnaini mugnaini@usp.br Rogério Mugnaini | SciELO 20 anos 24 Set. 2018

×