Cartografia - A ciência dos mapas - slides

511 visualizações

Publicada em

Geografia - Cartografia - processo inicial para o Ensino Médio.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
511
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cartografia - A ciência dos mapas - slides

  1. 1. Prof. Armando S. Neto www.geoarmando.blogspot.com.br
  2. 2. O conceito de mapa deriva do termo latim mappa. Trata-se de uma representação gráfica e métrica de uma porção territorial sobre uma superfície bidimensional, geralmente plana, embora também possa ser esférica como é o caso dos globos terrestres. Os mapas nos trazem informações importantes em relação ao espaço onde vivemos. Como exemplo, temos as coordenadas geográficas, que são os pontos onde as latitudes se cruzam com as longitudes, indicando um ponto exato no planeta.
  3. 3. A = 40ºN 80ºO B = 20ºS 40ºO C = 60ºN 40º L Agora, pense um pouco... Quais são as coordenadas geográficas dos pontos D e E? Aguarde para ver as respostas... D = 20ºN 20ºL E = 40ºN 100ºL
  4. 4. O meridiano Inicial é considerado ponto de referência na determinação dos fusos horários. A Terra é uma circunferência perfeita, medindo 360°. Durante 24 horas o planeta realiza o movimento de Rotação e ilumina a cada uma hora, uma faixa de 15º. O espaço de 15° ou uma hora é chamado de fuso horário. A Rotação se faz no sentido de oeste para leste: à oeste as horas atrasam-se e à leste as horas adiantam-se. Por ser uma esfera, os raios solares não atingem o nosso planeta simultaneamente. Graças à rotação da Terra, o sol incide sobre diferentes longitudes a cada momento. Por isso temos os diferentes fusos horários.
  5. 5. FUSO INICIAL AS HORAS ADIANTAM (+)AS HORAS ATRASAM (-)
  6. 6. Após algumas mudanças, atualmente o Brasil possui 4 fusos horários. O primeiro (onde se localiza a ilha de Fernando de Noronha) está há duas horas a menos do fuso inicial. O horário oficial do Brasil é o horário de Brasília (em verde no mapa).
  7. 7. PLANISFÉRIO GLOBO TERRESTRE (REPRESENTANDO UMA ESFERA) Nosso planeta é uma esfera, portanto, é impossível representá-lo em uma área plana sem que ocorram algumas distorções. Por isso, todo e qualquer planisfério apresentará algum tipo de erro. As diversas projeções cartográficas minimizam alguns desses erros, mas é impossível eliminá-los completamente! Veja a seguir os principais tipos de projeções cartográficas!
  8. 8. CILÍNDRICA: O plano da projeção é um cilindro envolvendo a esfera terrestre. Depois de realizada a projeção dos paralelos e meridianos do globo para o cilindro, este é aberto ao longo de um meridiano, tornando-se um plano sobre o qual será desenhado o mapa. CÔNICA: a superfície terrestre é representada sobre um cone imaginário envolvendo a esfera terrestre. Os paralelos formam círculos concêntricos e os meridianos são linhas retas convergentes para os polos. Nessa projeção, as distorções aumentam conforme se afastam do paralelo de contato com o cone. PLANA OU AZIMUTAL: a superfície é representada sobre um plano tangente à esfera terrestre. Os paralelos são círculos concêntricos e os meridianos retos, que se irradiam do polo. As deformações aumentam com o distanciamento do ponto de tangência. É utilizada principalmente, para representar as regiões polares e países na posição central.
  9. 9. Entre as projeções cilíndricas, as duas mais conhecidas são: A projeção de Mercator é a mais antiga, tendo sido criada no século XVI, quando se iniciou o processo de expansão mercantil europeu.  Reflete, portanto, uma ideologia eurocentrista – para a Europa convergiam os espaços da produção e circulação desde o século XVI até a II Guerra Mundial.  Mercator fez uma projeção cilíndrica na qual as formas dos continentes são mantidas, mas os tamanhos relativos estão distorcidos. Por exemplo, no mapa ao lado, temos a impressão de que a Groenlândia é maior do que a América do Sul, o que não é verdade.  Ideologicamente é uma projeção geopolítica de países subdesenvolvidos, ou seja, os países e continentes são representados relativamente com seu tamanho real, expondo uma idéia de igualdade internacional.  Na projeção de Peters, as distâncias e as formas das superfícies foram distorcidas, a fim de enfatizar os tamanhos das áreas representadas cartograficamente.  Os países e continentes situados em baixas latitudes ficam alongados no sentido N-S, enquanto os situados em altas latitudes ficam como que esgarçados no sentido L-O.
  10. 10. Os mapas são representações planas e reduzidas da superfície terrestre ou de parte dela. A escala cartográfica indica a relação entre a dimensão do objeto representado e sua medida real. A escala cartográfica pode ser indicada de forma GRÁFICA ou de forma NUMÉRICA. Esta é uma escala gráfica. Este gráfico indica que cada centímetro no mapa equivale a 50 quilômetros na realidade. Portanto, se a distância entre dois lugares nesse mapa for de 8 cm, logo, a distância real entre esses dois pontos será de 400 km (50 x 8 = 400).
  11. 11. Temos aqui um outro tipo de escala: a escala numérica. No mapa A a escala é de 1 por 170 milhões (1:170.000.000). Isso significa que, nesse mapa, 1 cm equivale a 170 milhões de centímetros na realidade. Entretanto, as grandes distâncias não são medidas em centímetros, mas em quilômetros. 170 milhões de centímetros equivalem a 1.700 km. Então, neste caso, um centímetro é igual a 1.700 km. No mapa A temos uma escala PEQUENA (pois o mapa foi reduzido 170.000.000 de vezes, portanto, observa- se poucos detalhes nele). No mapa C temos uma escala GRANDE (pois o mapa foi reduzido 60.000.000 de vezes, portanto, observa- se mais detalhes nele).
  12. 12. Você sabe o que é uma ANAMORFOSE? É um mapa que não tem como objetivo mostrar suas reais dimensões territoriais. Em uma anamorfose os tamanhos dos países / continentes variam de acordo com o fenômeno que se pretende mostrar. Veja a seguir uma anamorfose de pobreza crônica mundial. Observamos que a pobreza crônica é muito grande na África e grande parte da Ásia. Na América do Norte, Europa e Oceania é pequena.
  13. 13. A ANAMORFOSE ABAIXO APRESENTA A CONCENTRAÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL ENTRE OS ANOS DE 1950 E 2100.

×