0051 travamento seguran%e7a-92sld

3.720 visualizações

Publicada em

0051 travamento seguran%e7a-92sld

  1. 1. Lockout-Tagout(Trancar e Avisar)
  2. 2. •Regulamentar o uso e guarda dechaves de multiplo uso, querestrinja acessos em algumasoperações especificas, tais comoajustes de máquinas, manobrasem cubículos de alta tensão.
  3. 3. •Regulamentar o uso e guarda de chavesde multiplo uso, que restrinja acessos emalgumas operações especificas, tais comoajustes de máquinas, manobras emcubículos de alta tensão.
  4. 4. ABRANGÊNCIACumprimento obrigatório a todos osempregados, quando da necessidade deintervenção em máquinas, equipamentose instalações, nos casos de : Manutenção  “Set up” Ajustes Gerais  Novas Instalações Outras Situações
  5. 5. DEFINIÇÕESENERGIA:Qualquer fonte de alimentação demáquinas, equipamentos ou sistemas. Asmais usuais são: elétrica, pneumática,mecânica e térmica.
  6. 6. ENERGIA RESIDUAL:Energia latente que pode se apresentarapós o desligamento da fonte dealimentação.(Ex: gravitacional, estática, térmica,pressão residual, etc).
  7. 7. ENERGIA ZERO:Condição do equipamento, instalação ousistema, onde todas as formas de energiaestão bloqueadas e ou desativadas.
  8. 8. • Definições Energia Elétrica: compreende-se como energia elétrica perigosa a vida, para efeito desta norma, às que se enquadram como baixa, média e alta tensão aonde o perigo tornar-se-á imediato por contato ou na transformação em energia cinética e/ou térmica e seus subprodutos .
  9. 9. Mecânica : Resultado típico de ação / reação de transformação de energia primária, tem como exemplo o movimento de partes unidas com objetivo de realizar um trabalho.
  10. 10. Química: Diversos elementosquímicos encontrados nanatureza possuemcaracterísticas que, associada aoutras substâncias químicassimples e/ou compostas,permitem a liberação deenergia em diferentes formas.
  11. 11. Hidráulica: É uma das maisdifundidas fontes de energia emuito empregada namovimentação de cargas eprovedora de “força” para amovimentação de braços epistões.Uma empilhadeira é umexemplo clássico do uso destetipo de energia.
  12. 12. Energia Residual: Este é um tipo espacial que compreende basicamente qualquer tipo de energia que possa ser acumulada através de confinamento e/ou reação. Uma tubulação de arcomprimido, um pistão hidráulico,tubulação de água ou outro fluido
  13. 13. Energia Pneumática: Este tipo de energia éempregado para prover movimentação rápida de partes de uma máquina ou equipamento, movimentação de pistões, motores, pressurização decâmaras diversas e etc.
  14. 14. DISPOSITIVO DE BLOQUEIO:Qualquer dispositivo que previnafisicamente a transmissão ou liberação deenergia, não se limitando a cortadores decircuitos elétricos, tendo ainda dispositivospara bloqueio de válvulas, registros,chaves, etc.
  15. 15. Lockout é um método de bloqueio doequipamento de forma que esta não entre emmovimento colocando os trabalhadores emriscos de acidentes. É a colocação dodispositivo de lockout em um dispositivo deisolamento de energia com o objetivo degarantir que o equipamento, sob controle,não possa ser operada ou entre em operaçãoaté que o dispositivo de lockout sejaremovido.
  16. 16. Tagout é a colocação da etiqueta de aviso no dispositivode isolamento de energia do equipamento para indicarou alertar que o dispositivo de isolamento de energia e oequipamento sob o controle não possam ser operadosou abertos sem antes ter a liberação intencional dotrabalhador autorizado.
  17. 17. DISPOSITIVO DE LOCKOUT Quaisquer dispositivos tais como cadeados, trancas, etc usados para "travar" o dispositivo de isolamento de energia em posição desligada ou na posição segura.DISPOSITIVO DE LOCKOUT INDIVIDUAL É o dispositivo de lockout que pertence a um único trabalhador autorizado e somente ele deverá ter acesso e utilizá-lo.
  18. 18. DISPOSITIVO DE TAGOUT São placas de aviso e meios de fixação, que quando fixados ao dispositivo de isolamento de energia indica que o equipamento não deve ser operado até que a placa e/ou dispositivo de lockout sejam removidos.
  19. 19. É uma ação, através de um bloqueador específico, quegarante que o dispositivo de isolação de energia e oequipamento sob controle não possam ser operados atéque o bloqueador seja removido.
  20. 20. OBJETIVOSALVAGUARDAR PESSOAS DA LIBERAÇÃOINESPERADA DE ENERGIA ENQUANTOEXECUTAM SERVIÇOS OU MANUTENÇÃO EMMÁQUINAS, EQUIPAMENTOS OUCOMPONENTES DOPROCESSO
  21. 21. OBJETIVO• Definir conceitos, ações eresponsabilidades para o travamento defontes de energia, assegurando que narealização de trabalhos com máquinas,equipamentos e instalações, estes estejamtotalmente desenergizados.
  22. 22. Procedimento de entrada NR 10.5.1“Somente serão consideradas desenergizadasas instalações elétricas liberadas para serviçomediante os procedimentos apropriadosobedecida a sequência abaixo:”
  23. 23. Procedimento de entrada NR 10.5.1Seccionamento;Impedimento de reenergização;Constatação de ausência de tensão;Instalação de aterramento temporário comequipotencialização dos condutores dos circuitos;Proteção dos elementos energizados existentes na zonacontrolada;Instalação da sinalização de impedimento deenergização.
  24. 24. Procedimento de entrada NR 10.5.1“O estado de instalação desenergizado deve ser mantido até a autorização para reenergização, devendo ser reenergizadarespeitando a sequência dos procedimentos abaixo:”
  25. 25. Procedimento de entrada NR 10.5.1Retirada de todas as ferramentas, equipamentos eutensílios;Retirada da zona controlada de todos os trabalhadoresnão envolvidos no processo de energização;Remoção do aterramento temporário daequipotencialização e das proteções adicionais;Remoção da sinalização de impedimento deenergização;Destravamento, se houver, e religação dos dispositivosde seccionamento.
  26. 26. Procedimento de entrada NR 10.5.1“As medidas constantes das alíneas apresentadas nos itens 10.5.1 e 10.5.2 podem ser alteradas,substituídas, ampliadas ou eliminadas, em função das peculiaridades de cada situação, por profissional legalmente habilitado, autorizado e mediante justificativa técnica previamente formalizada, desde que seja mantido o mesmo nível de segurança originalmente preconizado:”
  27. 27. PREPARAÇÃO• Identifique a energia envolvida (tipos, fontes e perigos)• Identifique os tipos de dispositivos de controleexistentes (válvulas, chaves comutadoras, botoeiras, etc)
  28. 28. COMUNICAÇÃO INICIAL• Ao pessoal afetado que o serviço ou manutenção serárealizado;• Que a máquina ou equipamento será desligado ebloqueado.
  29. 29. DESLIGAMENTO•Desligue a máquina ou equipamento através de todos osdispositivos existentes, tais como:Botoeira de parada, chave liga - desliga, válvulas, etc..
  30. 30. ISOLAMENTOIsole todas as fontes de energia da máquina ouequipamento desativando os dispositivos normalmenteutilizados:Chaves gerais, válvulas mestras, etc
  31. 31. BLOQUEIO E IDENTIFICAÇÃO• Bloqueie as fontes de energia com dispositivosadequados e afixe a etiqueta devidamente preenchida
  32. 32. DESCARGA DE ENERGIA RESIDUAL OU RE-ACUMULADA• Carga estática de capacitores;• Trechos de tubulações ainda pressurizados;• Partes mecânicas móveis;• Calor em partes aquecidas.Utilize: aterramento, bloqueio de partes móveis, calço depeças suspensas, drenagem e purga de tubulações,resfriamento de partes aquecidas.
  33. 33. VERIFICAR O ISOLAMENTOAssegure-se que ninguém esteja exposto ou em contatocom o equipamento;Verifique a isolação do equipamento, operando a botoeira(na posição LIGA) ou outro dispositivo de controle.Utilize instrumentos de medição se necessário.
  34. 34. EXECUÇÃO DO TRABALHOÉ garantido que há um estado de “energia nula” ou“energia zero”.Autorizados podem executar os serviços, com totalsegurança, no equipamento.
  35. 35. APÓS ENCERRADO SERVIÇOQUANDO O SERVIÇO OU MANUTENÇÃO FORCONCLUÍDO E A MÁQUINA OU EQUIPAMENTOESTIVER PRONTO PARA RETORNAR ÀOPERAÇÃO NORMAL, ENTÃO PROCEDA DOSEGUINTE MODO...
  36. 36. RESTABELECER A ENERGIA Certifique-se que todas as proteções foramdesinstaladas e o equipamento está seguro para voltar aoperar; Assegure-se que ninguém esteja em contato com omesmo; Confirme que os controles ou botoeira estejam naposição DESLIGA ou neutra;
  37. 37. RESTABELECER A ENERGIA Cada seus dispositivos de bloqueio e etiquetas decampo; Deve ser removido pelo mesmo que o aplicou Proceda ao acionamento e efetue testes para garantirque tudo está em perfeito funcionamento.
  38. 38. • Travamento para disjuntores e interruptores elétricos
  39. 39. • Travamento para disjuntores e interruptores elétricos
  40. 40. • Travamento para disjuntores e interruptores elétricos
  41. 41. • Travamento para disjuntores e interruptores elétricos
  42. 42. • Travamento para disjuntores e interruptores elétricos
  43. 43. • Travamento para disjuntores e interruptores elétricos
  44. 44. • Travamento para disjuntores e interruptores elétricos
  45. 45. • Travamento para disjuntores e interruptores elétricos
  46. 46. • Travamento multiplo
  47. 47. • Travamento multiplo
  48. 48. • Travamento multiplo
  49. 49. • Travamento multiplo
  50. 50. Examplo de lockout/tagout 20
  51. 51. • Travamento paraplugs elétricos
  52. 52. • Travamento paraplugs elétricos
  53. 53. • Travamento para válvulas tipo “registro”
  54. 54. CADEADO DE SEGURANÇA:Fechadura portátil, numerada com oregistro do empregado habilitado.Deve ser acoplado diretamente noequipamento a ser bloqueado (painel,válvula, etc.).(ex: dispositivo para múltiplos cadeados;cabos de aço; bloqueadores mecânicos,etc.)
  55. 55. • Dispositivo para multiplos cadeados e cabo de aço
  56. 56. • Cadeados de segurança
  57. 57. É uma ação, através de uma etiqueta específica,que indica que o dispositivo de isolação deenergia e o equipamento sob controle nãopossam ser operados até que a etiqueta sejaremovida.DISPOSITIVO DE IDENTIFICAÇÃO (TAGOUT)É uma etiqueta à prova de tempo, indelével, quesuporta tração de até 22 Kgf, fixada porabraçadeira auto travante não reutilizável
  58. 58. •Cartões deTravamento
  59. 59. OBSERVAÇÕES: Durante as mudanças deturno, os equipamentos que precisam sermantidos sem energia não devem ficardesbloqueados. Portanto a nova equipe queestiver assumindo o trabalho deverá substituiros dispositivos de bloqueio, o cadeado desegurança e o cartão de travamento.
  60. 60. RESPONSABILIDADESRESPONSABILIDADESCHEFIA DO SETOR SOLICITANTE:CHEFIA DO SETOR SOLICITANTE:• Solicitar por escrito o tipo de serviço a ser• Solicitar por escrito o tipo de serviço a serexecutado (O.R./O.S.).executado (O.R./O.S.).• Comunicar e envolver todos os afetados com a• Comunicar e envolver todos os afetados com aparalisação do equipamento.paralisação do equipamento.
  61. 61. CHEFIA DO SETOR SOLICITADO:CHEFIA DO SETOR SOLICITADO:• Analisar o serviço que esta sendo solicitado.• Analisar o serviço que esta sendo solicitado.• Comunicar outras áreas envolvidas (outras• Comunicar outras áreas envolvidas (outrasmanutenções).manutenções).• Controlar o cadeado de terceiros (fornecimento e• Controlar o cadeado de terceiros (fornecimento eguarda).guarda).
  62. 62. EMPREGADOS HABILITADOS:• Aplicar corretamente todas as etapas doprocedimento.• Manter a guarda das chaves dos cadeadosde segurança e etiquetas.• Inspecionar o local após o desbloqueio,para liberação do serviço.
  63. 63. SUPERVISOR DAS ÁREAS DEMANUTENÇÃO:• Fazer com que todos os subordinadoscumpram a diretriz.• Fornecer os meios (suprimentos)necessários para o travamento de energias,incluindo os terceiros no caso deenvolvimento dos mesmos.
  64. 64. DISPOSIÇÕES FINAIS:DISPOSIÇÕES FINAIS:• Em todos os serviços que envolvam aumento de• Em todos os serviços que envolvam aumento decarga em qualquer tipo de energia, o solicitantecarga em qualquer tipo de energia, o solicitantedeverá informar às áreas de Engenharia dedeverá informar às áreas de Engenharia deFábrica e Engenharia de Construções e Utilidades,Fábrica e Engenharia de Construções e Utilidades,para aprovação.para aprovação.
  65. 65. •Nas trocas de turno, onde deva permanecer o•Nas trocas de turno, onde deva permanecer obloqueio, a equipe que esta saindo deverá manterbloqueio, a equipe que esta saindo deverá manterseus cadeados no local até que o responsável peloseus cadeados no local até que o responsável pelosetor (encarregado, lider, etc.) se dirija ao localsetor (encarregado, lider, etc.) se dirija ao localonde esta aplicado o bloqueio e libere os mesmosonde esta aplicado o bloqueio e libere os mesmoscom auxílio de chave mestra sob suacom auxílio de chave mestra sob suaresponsabilicade, para em seguida ser aplicado osresponsabilicade, para em seguida ser aplicado oscadeados da equipe que esta assumindo o serviço.cadeados da equipe que esta assumindo o serviço.•Obs: a guarda dos cadeados retirados é de•Obs: a guarda dos cadeados retirados é deresponsábilidade do encarregado, lider, etc. queresponsábilidade do encarregado, lider, etc. querealizou o desbloqueio.realizou o desbloqueio.
  66. 66. •Áreas de Engenharia e Manutenção na aquisição•Áreas de Engenharia e Manutenção na aquisiçãode novos equipamentos, os mesmos deverão serde novos equipamentos, os mesmos deverão serprovidos de meios para travamento de energia.providos de meios para travamento de energia.
  67. 67. PLANO DE AÇÃO:PLANO DE AÇÃO:• Levantamento dos meios de travamento• Levantamento dos meios de travamentonecessários e quantidades.( cadeado, cartão, travanecessários e quantidades.( cadeado, cartão, travamultipla, dispositivos, etc.)multipla, dispositivos, etc.)• Levantamento do número de empregados• Levantamento do número de empregadosenvolvidos e necessidade de treinamento.envolvidos e necessidade de treinamento.• Levantamento dos equipamentos que necessitam• Levantamento dos equipamentos que necessitamde adequação para a utilização do sistema dede adequação para a utilização do sistema detravamento de fontes de energia.travamento de fontes de energia.
  68. 68. EXEMPLO DE “ ESTAÇÃO DE BLOQUEIO ” PARA GUARDA DOSEQUIPAMENTOS :
  69. 69. EXEMPLO DE “ ESTAÇÃO DE BLOQUEIO ” PARA GUARDA DOSEQUIPAMENTOS :
  70. 70. EXEMPLO DE “ ESTAÇÃO DE BLOQUEIO ” PARA GUARDA DOSEQUIPAMENTOS :
  71. 71. 1999 NEC® DesligamentoDesligamento da chavegeral M
  72. 72. 1999 NEC® 430-102(b) Motor DesligadoDesligamento da chavegeral Barreira Separação painel de comando M
  73. 73. 1999 NEC®Apenas um ponto da Motor Desligadodesconexão da rede Barreira ...Nâo existe separação M
  74. 74. Examplo - Instalação sem desconexãoPonto de bloqueio M
  75. 75. Examplo - Instalação sem desconexãoPonto de bloqueio M
  76. 76. Examplo - Instalação sem desconexãoPonto de bloqueio M
  77. 77. Examplo - Instalação sem desconexãoPonto de bloqueio M
  78. 78. Examplo - Instalação sem desconexãoPonto de bloqueio M
  79. 79. Examplo - Instalação sem desconexãoPonto de bloqueio M
  80. 80. Examplo - Instalação sem desconexãoWorker Reenergizes M
  81. 81. Examplo - Instalação sem desconexãoReenergized M 500 feet
  82. 82. Examplo - Instalação sem desconexãoReenergized M
  83. 83. Examplo - Instalação com desconexão M
  84. 84. Examplo - Instalação com desconexão M
  85. 85. Lockde circuitoLock electrico de painel Lock de plug
  86. 86. Bloqueio fisicosTruck Prensas
  87. 87. LEMBRE-SE SEMPRE CUMPRA OS PROCEDIMENTOS SEMPRE CUMPRA OS PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA, DE SEGURANÇA,QUEM FAZ SUA SEGURANÇA É VOCÊ MESMO.QUEM FAZ SUA SEGURANÇA É VOCÊ MESMO.

×