SlideShare uma empresa Scribd logo

A escala de dó maior

O documento discute o conceito de escala musical, explicando que uma escala é uma sequência de sons consecutivos limitada por uma oitava e definida por intervalos específicos entre as notas. Detalha os modos ou inversões da escala de Dó Maior e fornece curiosidades sobre tetracordes e a numeração dos graus da escala.

1 de 7
Baixar para ler offline
Escola Padre José Rota
Ano lectivo 2010/2011
5º 2 nº 18
Índice
Introdução - O que é uma Escala?
 Modos ou Inversões da Escala de Dó
Maior
 Conclusão - Curiosidades
 Bibliografia

O que é uma Escala?







Uma Escala é uma sequência de sons consecutivos em movimento ascendente (do
mais grave para o mais agudo) e descendente (do mais agudo para o mais grave),
limitada pela oitava, cuja nota representativa é o centro de atracção. Esta
sequência de notas têm um “desenho” característico, ou seja, obedecem a uma
estrutura que determina a distância exacta ( um intervalo) entre cada som e o
próximo. Consequentemente, a estrutura também define os intervalos entre cada
som e o centro de atracção (que é o primeiro grau).
Duas escalas são distinguidas uma da outra por:
o número de notas que tem; e a distância entre seus graus.
Por exemplo, sete diferentes escalas podem ser construídas com as sete notas
naturais (sem os acidentes)
as notas dó – ré – mi – fá – sol – lá – si – dó tocadas nesta sequência formam uma
escala ascendente (escala de dó maior). Para formarmos outras escalas,
precisamos usar os acidentes.

cont.
O que é uma Escala?







(sustenidos ou bemóis, conforme o caso) para ajustar os intervalos. Por exemplo, a
escala de fá maior tem as notas fá – sol – lá – si bemol - dó – ré – mi – fá.
Podemos representar este exemplo por uma escada. A nota dó é o primeiro
degrau, a nota ré é o segundo degrau, mi é o terceiro degrau e assim por diante.
Esta é uma escala maior; uma escala menor teria outra configuração, pois a
distância entre os seus graus é diferente.
E a escala de dó maior é uma escala diatônica de sete notas em modo maior, um
dos modos musicais utilizados atualmente na música tonal. A sequência de tons e
semitons dessa escala obedece à seguinte ordem:
Tom - Tom - Semitom - Tom - Tom - Tom – Semitom. A partir da escala maior é que
são formados os acordes maiores. A escala fundamental do modo maior é a escala
de Dó maior, uma vez que a relação de intervalos desse modo pode ser obtida
nesta escala sem a necessiade de nenhuma alteração de altura.
Modos ou Inversões na Escala
de Dó Maior




Antes de prosseguirmos na ideia da visualização da Escala e seus respectivos Modos ou
Inversões , penso que existe uma explicação , ainda que superficial e breve ( por não ser
o objectivo aqui o estudo Histórico ,Físico e Cosmológico deste assunto ), porém
necessária, a qual se tenha alguma referência de como surgiram os tais Modos(Jônio ou
Jônico , Dórico, Frígio, Lídio, Mixolídio , Eólio ou Aeólio e Lócrio) .
Conforme já é do conhecimento comum, os nomes destes Modos são Gregos e parecem
surgir na Cultura Grega Antiga ( há citações em textos de diálogos do Filósofo Sócrates
com outros Filósofos no livro de Platão , intitulado "A Republica" ) óbviamente a.C. na
qual se fundamentam não só a nossa Musica bem como todo o conceito de Arte e
Cultura Ocidentais. Entretanto, mais recentemente descobriu –se que embora os nomes
pudessem ser Gregos a ascendência e descendência dos Modos não eram
correspondentes àqueles adotados já no Periodo Eclesiástico da nossa história pelo Papa
Gregório I que no século VI (DC), portanto já na Idade Média , organizou a musica
Liturgica e os Modos nela empregados , daí o nome; Modos Litúrgicos ou Modos
Eclesiásticos ( que cujo modelo é básico para o chamado Canto Gregoriano também
conhecido como Canto - Chão que é a musica oficial do culto católico). A Musica
chamada Liturgica tinha objetivos exclusivamente religiosos em contra partida à
chamada " Musica Profana ou Mundana " que tinha por fim apenas expressar os
sentimentos e outros aspectos da vida humana que não os religiosos e daí a
conceituação do Clero da época.
Curiosidades








O Tetracorde é uma escala de quatro notas contidas no limite do quarto grau.
Os tetracordes eram usados para construir melodias na música grega antiga.
Existiam três tipos de tetracordes gregos:
Diatônico, com intervalos de: Semitom - Tom - Tom
Cromático, com intervalos de: Semitom - Semitom - Tom e meio
Enarmônico, com intervalos de: Quarto de tom - Quarto de Tom - 2 tons
As notas dó – ré – mi – fá – sol – lá – si – dó se forem tocadas nesta sequência
formam uma escala ascendente que é a escala de dó maior
e cada um destes sons (dó – ré – mi – fá – sol – lá – si – dó) é chamado de grau da
escala, e é numerado conforme a sua posição a partir do centro de atração.
Bibliografia





http://pt.scribd.com/search?query=Escala+Diat%C3%B4nica++Maior
http://www.musicaeadoracao.com.br/tecnicos/teoria_musical/teoria_cintra/escal
a_2.htm
http://www.musicaeadoracao.com.br/tecnicos/tecnica_vocal/perguntas/pergunta
_54.htm
http://www.wesleycaesar.mus.br/escala3.htm

Recomendados

A escala de dó maior
A escala de dó maiorA escala de dó maior
A escala de dó maiorMisterytu8
 
2 aula notao_musical_e_digitao
2 aula notao_musical_e_digitao2 aula notao_musical_e_digitao
2 aula notao_musical_e_digitaoSaulo Gomes
 
Teoria elementar
Teoria  elementarTeoria  elementar
Teoria elementarSaulo Gomes
 
Intervalos Musicais
Intervalos MusicaisIntervalos Musicais
Intervalos MusicaisNatan Campos
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a A escala de dó maior

Livro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenLivro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenRogerio Lima
 
Apostila modos--gregos_pdf
 Apostila modos--gregos_pdf Apostila modos--gregos_pdf
Apostila modos--gregos_pdfEliezer REIS
 
Apostila modos--gregos_pdf
 Apostila modos--gregos_pdf Apostila modos--gregos_pdf
Apostila modos--gregos_pdfEliezer REIS
 
Apostila modos--gregos_pdf
 Apostila modos--gregos_pdf Apostila modos--gregos_pdf
Apostila modos--gregos_pdfAugusto Santos
 
Aula de Fabiane Viana Dantas - Educação Musical
Aula de Fabiane Viana Dantas - Educação MusicalAula de Fabiane Viana Dantas - Educação Musical
Aula de Fabiane Viana Dantas - Educação Musicalfabianedantas
 
Curso de Harmonização
Curso de HarmonizaçãoCurso de Harmonização
Curso de Harmonizaçãocczclaudia
 
Notação musical
Notação musicalNotação musical
Notação musicalNando Costa
 
Apostila Iniciação Musical - Elsaby Antunes
Apostila Iniciação Musical - Elsaby AntunesApostila Iniciação Musical - Elsaby Antunes
Apostila Iniciação Musical - Elsaby AntunesPartitura de Banda
 
Apostila iniciacao musical
Apostila iniciacao musicalApostila iniciacao musical
Apostila iniciacao musicalSaulo Gomes
 
Introdução à Música
Introdução à MúsicaIntrodução à Música
Introdução à MúsicaIvanilson Lima
 
Curso de Canto Gregoriano - Portugal
Curso de Canto Gregoriano - PortugalCurso de Canto Gregoriano - Portugal
Curso de Canto Gregoriano - PortugalAltair Costa
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Henrique Antunes
 
A MúSica, As Notas E A Escala
A MúSica, As Notas E A EscalaA MúSica, As Notas E A Escala
A MúSica, As Notas E A EscalaHOME
 

Semelhante a A escala de dó maior (20)

Livro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenLivro digital paulo zuben
Livro digital paulo zuben
 
Apostila modos--gregos_pdf
 Apostila modos--gregos_pdf Apostila modos--gregos_pdf
Apostila modos--gregos_pdf
 
Apostila modos--gregos_pdf
 Apostila modos--gregos_pdf Apostila modos--gregos_pdf
Apostila modos--gregos_pdf
 
Modos Gregos
Modos GregosModos Gregos
Modos Gregos
 
Apostila modos gregos
Apostila modos gregosApostila modos gregos
Apostila modos gregos
 
Apostila modos--gregos_pdf
 Apostila modos--gregos_pdf Apostila modos--gregos_pdf
Apostila modos--gregos_pdf
 
Apostila modos--gregos_pdf
 Apostila modos--gregos_pdf Apostila modos--gregos_pdf
Apostila modos--gregos_pdf
 
Aula de Fabiane Viana Dantas - Educação Musical
Aula de Fabiane Viana Dantas - Educação MusicalAula de Fabiane Viana Dantas - Educação Musical
Aula de Fabiane Viana Dantas - Educação Musical
 
Harmonização
HarmonizaçãoHarmonização
Harmonização
 
Curso de Harmonização
Curso de HarmonizaçãoCurso de Harmonização
Curso de Harmonização
 
Notação musical
Notação musicalNotação musical
Notação musical
 
Apostila Iniciação Musical - Elsaby Antunes
Apostila Iniciação Musical - Elsaby AntunesApostila Iniciação Musical - Elsaby Antunes
Apostila Iniciação Musical - Elsaby Antunes
 
Apostila iniciacao musical
Apostila iniciacao musicalApostila iniciacao musical
Apostila iniciacao musical
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musical
 
Canto Gregoriano
Canto GregorianoCanto Gregoriano
Canto Gregoriano
 
Introdução à Música
Introdução à MúsicaIntrodução à Música
Introdução à Música
 
Curso de Canto Gregoriano - Portugal
Curso de Canto Gregoriano - PortugalCurso de Canto Gregoriano - Portugal
Curso de Canto Gregoriano - Portugal
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
 
teoriamusical-160407030341.pdf
teoriamusical-160407030341.pdfteoriamusical-160407030341.pdf
teoriamusical-160407030341.pdf
 
A MúSica, As Notas E A Escala
A MúSica, As Notas E A EscalaA MúSica, As Notas E A Escala
A MúSica, As Notas E A Escala
 

Mais de Sasuke Sakura

Mais de Sasuke Sakura (20)

Estatística
Estatística Estatística
Estatística
 
Era Paleozóica
Era PaleozóicaEra Paleozóica
Era Paleozóica
 
Relatório de ciências
Relatório de ciências Relatório de ciências
Relatório de ciências
 
Facebook
Facebook Facebook
Facebook
 
Estrutura interna da Terra
Estrutura interna da TerraEstrutura interna da Terra
Estrutura interna da Terra
 
Estatística
Estatística Estatística
Estatística
 
Doping
Doping Doping
Doping
 
Cientista
CientistaCientista
Cientista
 
A vizinha
A vizinha A vizinha
A vizinha
 
A nossa estatística (2)
A nossa estatística (2)A nossa estatística (2)
A nossa estatística (2)
 
A nossa estatística
A nossa estatística  A nossa estatística
A nossa estatística
 
A célula
A célula A célula
A célula
 
Um conflito inesperado
Um conflito inesperadoUm conflito inesperado
Um conflito inesperado
 
Resultados (Vulcanismo)
Resultados (Vulcanismo)Resultados (Vulcanismo)
Resultados (Vulcanismo)
 
Resultados 3 (Vulcanismo)
Resultados 3 (Vulcanismo)Resultados 3 (Vulcanismo)
Resultados 3 (Vulcanismo)
 
Resultados 2 (Vulcanismo)
Resultados 2 (Vulcanismo)Resultados 2 (Vulcanismo)
Resultados 2 (Vulcanismo)
 
Material (Vulcanismo)
Material (Vulcanismo)Material (Vulcanismo)
Material (Vulcanismo)
 
Material 3 (Vulcanismo)
Material 3 (Vulcanismo)Material 3 (Vulcanismo)
Material 3 (Vulcanismo)
 
Material 2 (Vulcanismo)
Material 2 (Vulcanismo)Material 2 (Vulcanismo)
Material 2 (Vulcanismo)
 
Introdução (Vulcanismo)
Introdução (Vulcanismo)Introdução (Vulcanismo)
Introdução (Vulcanismo)
 

Último

Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Prime Assessoria
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...excellenceeducaciona
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...excellenceeducaciona
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioIsabelPereira2010
 
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...Prime Assessoria
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...azulassessoriaacadem3
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...azulassessoriaacadem3
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...GraceDavino
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...apoioacademicoead
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdfCludiaFrancklim
 
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...Prime Assessoria
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Prime Assessoria
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIAHenrique Pontes
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...excellenceeducaciona
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Prime Assessoria
 

Último (20)

Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
 
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 

A escala de dó maior

  • 1. Escola Padre José Rota Ano lectivo 2010/2011 5º 2 nº 18
  • 2. Índice Introdução - O que é uma Escala?  Modos ou Inversões da Escala de Dó Maior  Conclusão - Curiosidades  Bibliografia 
  • 3. O que é uma Escala?      Uma Escala é uma sequência de sons consecutivos em movimento ascendente (do mais grave para o mais agudo) e descendente (do mais agudo para o mais grave), limitada pela oitava, cuja nota representativa é o centro de atracção. Esta sequência de notas têm um “desenho” característico, ou seja, obedecem a uma estrutura que determina a distância exacta ( um intervalo) entre cada som e o próximo. Consequentemente, a estrutura também define os intervalos entre cada som e o centro de atracção (que é o primeiro grau). Duas escalas são distinguidas uma da outra por: o número de notas que tem; e a distância entre seus graus. Por exemplo, sete diferentes escalas podem ser construídas com as sete notas naturais (sem os acidentes) as notas dó – ré – mi – fá – sol – lá – si – dó tocadas nesta sequência formam uma escala ascendente (escala de dó maior). Para formarmos outras escalas, precisamos usar os acidentes. cont.
  • 4. O que é uma Escala?     (sustenidos ou bemóis, conforme o caso) para ajustar os intervalos. Por exemplo, a escala de fá maior tem as notas fá – sol – lá – si bemol - dó – ré – mi – fá. Podemos representar este exemplo por uma escada. A nota dó é o primeiro degrau, a nota ré é o segundo degrau, mi é o terceiro degrau e assim por diante. Esta é uma escala maior; uma escala menor teria outra configuração, pois a distância entre os seus graus é diferente. E a escala de dó maior é uma escala diatônica de sete notas em modo maior, um dos modos musicais utilizados atualmente na música tonal. A sequência de tons e semitons dessa escala obedece à seguinte ordem: Tom - Tom - Semitom - Tom - Tom - Tom – Semitom. A partir da escala maior é que são formados os acordes maiores. A escala fundamental do modo maior é a escala de Dó maior, uma vez que a relação de intervalos desse modo pode ser obtida nesta escala sem a necessiade de nenhuma alteração de altura.
  • 5. Modos ou Inversões na Escala de Dó Maior   Antes de prosseguirmos na ideia da visualização da Escala e seus respectivos Modos ou Inversões , penso que existe uma explicação , ainda que superficial e breve ( por não ser o objectivo aqui o estudo Histórico ,Físico e Cosmológico deste assunto ), porém necessária, a qual se tenha alguma referência de como surgiram os tais Modos(Jônio ou Jônico , Dórico, Frígio, Lídio, Mixolídio , Eólio ou Aeólio e Lócrio) . Conforme já é do conhecimento comum, os nomes destes Modos são Gregos e parecem surgir na Cultura Grega Antiga ( há citações em textos de diálogos do Filósofo Sócrates com outros Filósofos no livro de Platão , intitulado "A Republica" ) óbviamente a.C. na qual se fundamentam não só a nossa Musica bem como todo o conceito de Arte e Cultura Ocidentais. Entretanto, mais recentemente descobriu –se que embora os nomes pudessem ser Gregos a ascendência e descendência dos Modos não eram correspondentes àqueles adotados já no Periodo Eclesiástico da nossa história pelo Papa Gregório I que no século VI (DC), portanto já na Idade Média , organizou a musica Liturgica e os Modos nela empregados , daí o nome; Modos Litúrgicos ou Modos Eclesiásticos ( que cujo modelo é básico para o chamado Canto Gregoriano também conhecido como Canto - Chão que é a musica oficial do culto católico). A Musica chamada Liturgica tinha objetivos exclusivamente religiosos em contra partida à chamada " Musica Profana ou Mundana " que tinha por fim apenas expressar os sentimentos e outros aspectos da vida humana que não os religiosos e daí a conceituação do Clero da época.
  • 6. Curiosidades        O Tetracorde é uma escala de quatro notas contidas no limite do quarto grau. Os tetracordes eram usados para construir melodias na música grega antiga. Existiam três tipos de tetracordes gregos: Diatônico, com intervalos de: Semitom - Tom - Tom Cromático, com intervalos de: Semitom - Semitom - Tom e meio Enarmônico, com intervalos de: Quarto de tom - Quarto de Tom - 2 tons As notas dó – ré – mi – fá – sol – lá – si – dó se forem tocadas nesta sequência formam uma escala ascendente que é a escala de dó maior e cada um destes sons (dó – ré – mi – fá – sol – lá – si – dó) é chamado de grau da escala, e é numerado conforme a sua posição a partir do centro de atração.