Caso clínico

721 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
721
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caso clínico

  1. 1. Hospital da Criança Conceição – Residência Médica em Pediatria Preceptor : Dr Luis Telmo Vargas R1 Sarah Sella Langer
  2. 2. Identificação : SMF, 11 anos, sexo feminino, parda, procedente de Alvorada; HMA: Paciente com tumefação em região distal de úmero E percebida há 15 dias(abril 2013). Tumefação dolorosa ao toque, hiperemiada, edemaciada e com calor local. Nega febre desde aparecimento da lesão. Nega traumas no local. Ao Exame Fisico: BEG, chorosa, MUC, AAA; Ar: MV+, S/RA Acv: BRNF, 2t, s/s Aabd: RHA+, depressível, s/VCM Membro superior E: limitação de movimento durante a flexão e abdução do braço E, área endurecida hiperemiada e com calor local, bastante dor ao exame da região.
  3. 3. HMP Admitida nesta unidade hospitalar em fevereiro de 2013 por quadro de edema, hiperemia em região de tornozelo E, acompanhada de febre.Durante internação começou com quadro de dor em ombro E, foi realizada ecografia da articulação que evidenciou uma provável tenossinuvite sugerindo complementação da investigação com ressonância magnética de ombro. Nesta mesma internação recebeu oxacilina por 11 dias. Recebeu alta com eritromicina para completar mais 10 dias de tratamento de celulite em membro inferior E. Realizou ressonância no final de março de 2013 e as imagens sugeriam lesões líticas na extremidade proximal do úmero E, procurou então novamente o HCC.
  4. 4. Investigação: 1. Realizadas novas radiografias de membro superior E e solicitada avaliação do traumatologista. 2. Solicitados exames laboratoriais. Exames Laboratoriais: Exames Valores Hb 11,3 Ht 34,1 VCM 77,3 RDW 13,2 LEUC 8630 SEG 61,8 BAST -
  5. 5. Exames Laboratoriais: Exames Valores LINF 30,8 PLAQ 388000 Sódio 136 Potássio 4,7 Magnésio 2,0 Cálcio 10,1 Uréia 22 Creatinina 0,5 VHS 39 LDH 348 Albumina 4,4
  6. 6. Exames Laboratoriais: Exames Valores VDRL SNR Anti HIV SNR Rubéola IgG SR Rubéola IgM SNR Toxo IgG SNR Toxo IgM SNR Citomegalovírus IgG SR Citomegalovírus IgM SNR TAP 88% RNI 1,1 KTTP 36 TGO/TGP 14/6
  7. 7. Condutas: Iniciado tratamento para Osteomielite com Oxacilina e solicitada Hemoculturas 2 amostras e cintilografia óssea; Exames: Exames HMC 1 amostra Trichosporon asahii HMC 2 amostra NEG
  8. 8. Condutas: Investigar imunodeficiências ou neoplasia. Mantido tratamento com oxacilina e iniciada associação de Anfotericina B e Voriconazol. Aguardando Cintilografia óssea. Exames: Exames IgA IgE IgM IgG FAN PCR 214 14,2 192 1710 SR 1:160 3,96 VHS 33
  9. 9. Condutas: Cintilografia óssea: sugere biópsia para complementação com biópsia para definição entre osteomielite e osteossarcoma; Exames: HMC em 23/04 Cocos gram positivos aglomerados resistentes a oxacilina; Trocado antibiótico para vancomicina; Biópsia 24/04 Não evidencia sinais de malignidade e sim de processo infeccioso. Conduta: Segue tratamento por 21 dias com Anfotericina B complexo lipídico e Voriconazol até 3 HMC negativas para crescimento de fungo e 21 dias de Vancomicina. Recebe alta com ciprofloxacino para seguir tratamento em casa.
  10. 10. Epidemiologia: Incidência anual 1: 5000 a 1:10000  2x mais frequente em meninos que em meninas  Pico de idade ate os dois anos de idade e outro após os sete até os nove anos de idade
  11. 11. Fisiopatologia:  Infecção causada por bactérias piogênicas que acometem o tecido ósseo após disseminação pela circulação hematogênica;  Traumas locais parecem ter relação com aumento de casos de osteomielite; Sítios preferenciais:  Metáfises com maior velocidade de crescimento (metáfise distal da tíbia e fêmur)  Recém nascidos podem apresentar focos múltiplos;  72% acontecem em membro inferior Sinais Clínicos:  Febre Perda de Função do Membro  Sensibilidade local  Edema local
  12. 12. Exames complementares:  Radiografia óssea  Cintilografia óssea  Leucocitose e VHS aumentados inespecíficos  PCR  HMC Agentes etiológicos:  Staphylococcus aureus  Streptococcus grupo B  Streptococcus pneumoniae  Salmonella sp – anemia falciforme  Haemophilus sp – não vacinados
  13. 13. Tratamento  Oxacilina 150mg/kg/dia dividido em 4 ou 6 doses  Cefazolina 100mg/kg/ dia – sensibilidade a penicilina Clindamicina 25-40mg/kg/dia - MRSA  Vancomicina 40mg/kg/dia - MRSA  Ampicilina 100-120mg/kg/dia – Salmonella sp  Cloranfenicol 100-120mg/kg/dia – Salmonella sp  Drenagem cirúrgica se suspeita de abscesso periosteal ! Tempo de Tratamento  3 semanas de ATB endovenoso e 3 semanas de ATB via oral  Estudos de protocolo curto com 4 dias de ATB endovenoso e 23 dias de ATB via oral mostraram 95,2% de cura em 6 meses
  14. 14. Epidemiologia: Tumor ósseo primário mais frequente nas crianças, adolescentes e adultos jovens  5% das doenças malignas na infância e adolescência Pico de aparecimento na segunda década de vida
  15. 15. Prognóstico:  Local do tumor primário  Tamanho  Metátases  Sexo  Idade  Alterações citogenéticas  Subtipo histológico  Resposta ao tratamento quimioterápico pré operatório Sítios preferenciais:  Metáfises de ossos longos (fêmur, joelho) Sinais e Sintomas:  Dor  Massa local  Não são frequentes fraturas patológicas
  16. 16. Exames complementares:  Radiografia óssea  Ressonância magnética  Cintilografia óssea com tecnécio  Fosfatase alcalina  BIÓPSIA Tratamento:  Quimioterapia neoadjuvante pré-operatória  Cirurgia  Quimioterapia pós operatória
  17. 17. Radiografia do fêmur, de frente (A) e perfil (B), de uma criança portadora de osteossarcoma. Note a metástase salteada ("skip metastasis") na região proximal da diáfise do fêmur. Retirado de http://www.unifesp.br/dorto-onco/livro/tumor3p4.htm
  18. 18. Radiografia da metade distal do fêmur em frente (A) e perfil (B) de um paciente portador de osteossarcoma Retirado de http://www.unifesp.br/dorto-onco/livro/tumor3p4.htm
  19. 19. PUCCINI, Pedro Fiorini; FERRARINI, Maria Aparecida G.; IAZZETTI, Antônio Vladir. Osteomielite hematogênica aguda em Pediatria: análise de casos atendidos em hospital universitário. Rev. paul. pediatr., São Paulo, v. 30, n. 3, Sept. 2012 . Projeto Diretrizes, Ministério da Saúde Osteomielite Hematogênica Aguda, outubro de 2007; Manual de tumores ósseos UNIFESP
  20. 20. OBRIGADA!

×