Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba                                      Credenciado pela Portaria do Dirigent...
Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba                                         Credenciado pela Portaria do Dirig...
Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba                                      Credenciado pela Portaria do Dirigent...
Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba                                      Credenciado pela Portaria do Dirigent...
Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba                                      Credenciado pela Portaria do Dirigent...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 01

820 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
820
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 01

  1. 1. Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba Credenciado pela Portaria do Dirigente Regional de Pindamonhangaba de 30/03/2007, publicada no D.O.P.E.SP. em 31/03/2007.Disciplina: Administração dos Serviços de Enfermagem.1. As teorias da administração e os serviços de enfermagem.As teorias da administração versam sobre cinco variáveis: tarefas, pessoas,estrutura, ambiente e tecnologia. Mas fatores sociais, políticos e econômicosinfluenciaram em diferentes momentos da história, o pensamentoadministrativo. Podemos citar como exemplos desta influência:A Igreja católicaO sistema hierárquico e o poder centralizado em uma única pessoa sãoinfluências típicas da estrutura da Igreja.A Organização MilitarAlém da estrutura linear similar aquela encontrada na Igreja, a dicotomia entreo pensar e o fazer aparecem na Organização Militar. Com a criação do EstadoMaior para assessorar o comando, houve um distanciamento entre a estratégiae a execução. Entretanto, nem Napoleão permitia que seus subordinadospartissem para a batalha sem o conhecimento dos objetivos dela.A influência dos economistasPela influência dos economistas surge o liberalismo econômico, que pregava alivre concorrência. A partir da segunda metade do século XIX, inicia-se umnovo capitalismo, com produção em larga escala. Surgem novos conflitos nasorganizações, e a racionalização do trabalho passa a ser a tônica do processode produção.A revolução industrialA máquina a vapor, inventada por James Watt (1736-1819), marcou o início daprimeira revolução industrial. Esta invenção foi o fator determinante para amecanização da indústria e da agricultura, e do desenvolvimento do sistemafabril, de transporte e de comunicações. esProf . Nilson Carvalho e Luciana Augusto. Página 1 de 61
  2. 2. Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba Credenciado pela Portaria do Dirigente Regional de Pindamonhangaba de 30/03/2007, publicada no D.O.P.E.SP. em 31/03/2007.Disciplina: Administração dos Serviços de Enfermagem.A substituição do ferro pelo aço, a invenção do motor a combustão, aeletricidade e os derivados do petróleo caracterizaram uma nova forma deprodução entre 1860 e 1914.É nessa fase que surge o capitalismo financeiro. Com o surgimento dasfábricas começa a demanda por pessoal preparado para atender esta novamodalidade de produção.Surge uma nova classe social: O Proletariado1. Estes entram em conflito comos donos do capital em razão das péssimas condições de trabalho. Em 1802 écriada, pelo governo inglês, a primeira legislação trabalhista.1.1. O início da administração científica.Embora se considere que a administração científica tenha tido o seu início em1900, com Frederick Winslow Taylor o pensamento administrativo nela contidoremonta ao ano de 1776, quando Adam Smith já preconizava a aplicação dosprincípios da especialização do trabalho, do controle dos resultados e daremuneração do operário. Podemos afirmar que mesmo Smith foi influenciadopor estudiosos como Aristóteles (384-22 a.C.), que estudou a organização doEstado, Francis Bacon (1561-1626), fundador da lógica moderna, e RenéDescartes (1596-1650), que criou as coordenadas cartesianas2, cujo princípioda análise da decomposição determinou o princípio da divisão do trabalho, daordem e da hierarquia.1.2. As teorias da administração e a enfermagemTabela 1: A Teoria Científica A Teoria Na Enfermagem Críticas Desenvolvida por Taylor, A elaboração de técnicas e A especialização do propunha o aumento da procedimentos, as escalas empregado não significa produção pela eficiência do diárias de divisão de aumento de produção.1 Classe ou estado dos proletários, dos trabalhadores.2 É um esquema reticulado necessário para especificar pontos num determinado "espaço" com dimensões. esProf . Nilson Carvalho e Luciana Augusto. Página 2 de 61
  3. 3. Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba Credenciado pela Portaria do Dirigente Regional de Pindamonhangaba de 30/03/2007, publicada no D.O.P.E.SP. em 31/03/2007.Disciplina: Administração dos Serviços de Enfermagem. A Teoria Na Enfermagem Críticas nível operacional. atividades são evidências do Caracterização do ser Preconizavam a divisão do sistema de padronização humano como peça da trabalho, a especialização do proposto pela Teoria engrenagem e não como um operário e a padronização Científica. A assistência de ser humano. Esta teoria não das atividades. Os operários enfermagem é fragmentada considerou a influência do sabiam cada vez menos do em atividades, a cada um é grupo no comportamento dos todo e cada vez mais a determinada uma tarefa. operários. É uma teoria respeito da parte que lhe Dessa forma cada executor essencialmente prescritiva e cabia. Nasce aqui o conceito se distancia do tratamento normativa. do “HOMEM ECONÔMICO” para se fixar na tarefa.Tabela 2: Teoria Clássica A Teoria Na Enfermagem Críticas Henry Fayol (1841-1925) e Os organogramas Ter caráter prescritivo e seus seguidores comumente encontrados nos normativo por determinar desenvolveram esta teoria serviços de enfermagem com regras e normas o que visava a eficiência da mostram linhas de comportamento do organização pela adoção de subordinação integral, administrador. Não uma estrutura adequada. definidas e compatíveis com preocupa-se com a estrutura Seus princípios gerais o poder atribuído, pela informal constituída pelas levavam em conta à variável organização, às pessoas que pessoas e suas relações. pessoa. Definiu o conceito integram esse serviço. As da função de administrar: pessoas e as relações de Prever, organizar, coordenar, trabalho não são comandar e controlar. devidamente consideradas, Trouxe o conceito da as propostas de trabalho horizontalização da resultam em atividades hierarquia. rotineiras com avaliações exclusivamente quantitativas.Tabela 3: Teoria das Relações Humanas A Teoria Na Enfermagem Críticas Desenvolvida em 1924 por A comunicação adequada Ser uma forma paternalista Elton Mayo. A teoria das entre os membros da de administração, onde os Relações Humanas passou a enfermagem ou do grupo conflitos entre empregado e tratar, entre outros, de temas multiprofissional foi sendo administração eram relativos à motivação considerada fator relevante abafados ou ignorados. É humana, à liderança, à para a continuidade e considerada uma ideologia comunicação e à dinâmica otimização da assistência. manipulatória. de grupo. Os conceitos clássicos de autoridade passaram a ser contestados. Nasce aqui o conceito do “HOMEM SOCIAL”Tabela 4: Teoria Burocrática A Teoria Na Enfermagem Críticas Max Weber (1864-1920), A valorização das normas e Valorização maior para sociólogo alemão, estudou regras é o enfoque que mais normas e regras do que para esProf . Nilson Carvalho e Luciana Augusto. Página 3 de 61
  4. 4. Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba Credenciado pela Portaria do Dirigente Regional de Pindamonhangaba de 30/03/2007, publicada no D.O.P.E.SP. em 31/03/2007.Disciplina: Administração dos Serviços de Enfermagem. A Teoria Na Enfermagem Críticas as organizações sob o ponto tem influenciado a prática da o contingente humano; de vista estruturalista. Seus enfermagem. Impessoalidade no estudos visavam organizar a relacionamento humano. empresa e controlar suas atividades. Sua proposta só se aplicou na administração ao redor dos anos 1940. Esta teoria destacava a eficiência como objetivo básico, detalhando como as tarefas deveriam ser feitas. A determinação de procedimentos e rotinas é evidente.Tabela 5: Teoria Comportamentalista A Teoria Na Enfermagem Críticas Preocupação com os É comum ver na A principal crítica a esta processos e o administração de pessoal da teoria está na relatividade da comportamento enfermagem a aplicação do Teoria da Motivação organizacional. Esta teoria estilo X de liderança. Humana, questiona-se o fato visava a maneira satisfatória Comprava-se isto facilmente de todos os indivíduos de realizar o trabalho e não o observando-se a possuírem as mesmas trabalho satisfatório. Aqui foi centralização das decisões e necessidades, e estas serem aplicada também a teoria da do poder na cúpula passíveis de hierarquização. motivação com base na administrativa. A adoção do Pirâmide das Necessidades, estilo Y precisa ser concebida por Maslow. Aqui precedida de uma ampla também foram aplicadas os discussão sobre os valores princípios de MacGregor, que estão implícitos nesses que concebeu o estilo dos pressupostos. administradores em dois tipos: X ou Y. Estilos que deveriam ser adotados em razão do corpo funcional a ser dirigido. Nasce aqui o conceito do “HOMEM ADMINISTRATIVO”Tabela 6: Teoria de Sistemas A Teoria Na Enfermagem Críticas A teoria de Sistema baseia- Nas organizações de saúde Quanto às críticas, a Teoria se no conceito de “HOMEM e nos serviços de de Sistemas ainda não foi FUNCIONAL”, que se enfermagem encontramos alvo delas, isto ocorre por caracteriza pelo estruturas com ser uma teoria recente e relacionamento interpessoal características da Teoria de coerente com a visão com outras pessoas como Sistemas. É assim que o estrutural típica dos países um sistema aberto. Ainda subsistema organizacional capitalistas da atualidade. segundo essa teoria, as seleciona e aceita, do organizações são sistema maior, apenas consideradas um sistema de insumos compatíveis com esProf . Nilson Carvalho e Luciana Augusto. Página 4 de 61
  5. 5. Colégio Técnico da Faculdade de Pindamonhangaba Credenciado pela Portaria do Dirigente Regional de Pindamonhangaba de 30/03/2007, publicada no D.O.P.E.SP. em 31/03/2007.Disciplina: Administração dos Serviços de Enfermagem. A Teoria Na Enfermagem Críticas papéis, e os indivíduos suas políticas e diretrizes. constituem os atores que desempenham esses papéis.Tabela 7: Teoria Contingencial A Teoria Na Enfermagem Críticas Segundo esta teoria existe O sistema econômico, as Aspectos negativos na uma relação funcional entre propostas sociais, o regime adoção dos princípios as variáveis ambientais e político, os planos e norteadores dessa teoria técnico-administrativas. Os programas educacionais e ainda não são passíveis de departamentos de uma de saúde interferem, avaliação. Um ponto organização interagem com diretamente, no desempenho favorável a esta teoria é o o ambiente externo a das instituições de saúde. fato dela não admitir organização. A esta cabe Moldando sua filosofia e conceitos absolutos, mas sim unir os esforços das suas estabelecendo suas relativos. partes divididas para a políticas, diretrizes e consecução dos objetivos. estrutura administrativa. Não deixando de utilizar de maneira eficiente a tecnologia disponível e necessária para a eficácia de seus resultados. esProf . Nilson Carvalho e Luciana Augusto. Página 5 de 61

×