Marketing Viral e Epidêmico  Tendências e Conceitos Autor: Prof. Sandro Magaldi
Nossa Agenda  (Não necessariamente nessa ordem…) <ul><li>Definições </li></ul><ul><li>Estratégias </li></ul><ul><li>Ferram...
Então, Vamos Começar Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
Primeiro Desafio: As  Definições Desafio proveniente da ‘idade’ destes termos e estratégias A maioria são sinônimos ou par...
Marketing Viral ou Epidêmico ‘ E stratégia que encoraja indivíduos da sociedade a repassar uma mensagem de marketing para ...
Alguns Autores de Referência <ul><li>Seth Godin  </li></ul><ul><ul><li>Marketing Idéia-Vírus </li></ul></ul><ul><li>Malcol...
Conceito da ‘Idéias-Vírus’ (Godin) Não existe marketing viral que não esteja apoiado em uma ‘Idéia-Vírus’ Uma ‘Idéia-Vírus...
Buzz Marketing A organização organizacional do rumor, do boca a boca, em favor de uma marca ou de um produto A melhor mane...
Buzz Marketing Desenvolver uma estratégia de  Buzz Marketing  significa, antes de mais nada, transformar seus clientes em ...
Alguns Autores de Referência <ul><li>Georger Chetochine </li></ul><ul><ul><li>Buzz Marketing </li></ul></ul><ul><li>Emanue...
Outras modalidades afins <ul><li>Stealth Marketing </li></ul><ul><li>Marketing de Guerrilha </li></ul><ul><li>Marketing de...
Pausa para Reflexão Estas definições fazem sentido?  São completas? Existem diferenças significativas entre elas?  Versão:...
Más, e o Boca a Boca, onde ele se enquadra nesse contexto?? Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
Não existe Marketing Viral sem boca a boca. Ainda que o  buzz  não seja o boca a boca, sem boca a boca o  buzz  não é poss...
Uma comparação ilustrativa All Star (80’s) x Nike (90’s) <ul><li>All Star </li></ul><ul><ul><li>Contaminação ocasional no ...
O fato é que tanto o boca a boca, quanto estratégias de  Buzz  sempre existiram Vamos relembrar o caso do lançamento do Po...
Lançamento do Post-it (1978/1980) <ul><li>Problema </li></ul><ul><li>As pessoas não sabiam o que fazer com aqueles bloquin...
Execução da Estratégia <ul><li>1978 </li></ul><ul><ul><li>Blitz de Boise </li></ul></ul><ul><ul><li>Profissionais de marke...
Más então porque essas estratégias estão tão em evidência nos dias atuais???? Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Ma...
A Resposta está no Comportamento do Consumidor  Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
As implicações da Era da Informação  Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
Aldeia Global… <ul><li>Lei de Metcalfe : Em uma rede de 1.000 participantes, há 499.5 mil interações possíveis </li></ul><...
O efeito ‘rede de transmissão’ é o impulsionador mais conhecido do Marketing Viral Conclusão Como as pessoas estão mais co...
Mas o fenômeno não se explica apenas pelo efeito ‘rede’  <ul><li>A ascensão  da  WEB 2.0   alterou o modo como as pessoas ...
O impulsionador do Marketing Viral nos últimos tempos As Bruxas de Blair Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
AS Bruxas de Blair <ul><li>1999 </li></ul><ul><ul><li>Custos de Produção: US$ 22.000 </li></ul></ul><ul><ul><li>Arrecadaçã...
AS Bruxas de Blair Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
AS Bruxas de Blair <ul><li>Principais Ações </li></ul><ul><ul><li>Curiosity Gap: A história é verídica ou uma lenda?? </li...
AS Bruxas de Blair Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
AS Bruxas de Blair Como resultado principal, antes do lançamento do filme havia se criado uma  comunidade de clientes inte...
Outro Fator decorrente da Revolução Tecnológica <ul><li>Os consumidores nunca tiveram tantos meios para se expressar </li>...
A mídia tradicional em cheque No marketing de interrupção tradicional, o profissional de marketing dirige-se para tantos c...
É nesse contexto que o Marketing Viral emerge Aumenta a orientação da empresa para o cliente, na medida em que o marketing...
Marketing Viral x Tradicional <ul><li>Marketing Viral é o oposto de força bruta (menos ‘ push ’ mais ‘ pull ’). Quanto mai...
Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>GP Brasil de Fórmula 1 2006 </li></ul><ul><li>Um modelo da Red Bul percorre à...
Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>Lançamento em 1987 na Aústria </li></ul><ul><li>Produto inovador = Posicionam...
Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>Equipes de formação de consumidores ajudavam a alimentar o boca a boca </li><...
Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>Os anúncios em mídia só reforçam o posicionamento da marca </li></ul><ul><li>...
Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>Mesmo uma empresa habituada a desenvolver ações com esse perfil pode cometer ...
Marketing Viral x Tradicional <ul><li>Na realidade essa confrontação não deve existir </li></ul><ul><li>As estratégias de ...
Algumas considerações a respeito do Marketing Viral <ul><li>Aumenta a orientação da empresa ao cliente </li></ul><ul><li>F...
Aspectos Peculiares do Marketing Viral: Controle x Autonomia <ul><li>Conteúdo da Mensagem </li></ul><ul><li>Custo e Alcanc...
Princípios Básicos do Marketing Viral <ul><li>Satisfação do Cliente ( case Google ) </li></ul><ul><li>Segmentação </li></u...
Elementos  para a Construção de uma Ação Viral Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
Elementos para uma ação Viral <ul><li>Meio </li></ul><ul><li>Fluidez </li></ul><ul><li>Colméia </li></ul><ul><li>Agentes C...
Meio (Onde) <ul><li>Uma idéia precisa ser encapsulada em um meio </li></ul><ul><li>O meio determina o quanto o vírus pode ...
Meio Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
Fluidez (Como) <ul><li>Que facilidades existem para que no usuário de ponta espalhe um vírus de idéia em particular? </li>...
Um vírus de idéia adora um vácuo… <ul><li>Se uma idéia ocupa um lugar na cabeça do consumidor, outra não pode coexistir em...
Colméia (Quem) <ul><li>Conceito de Comunidade, Segmentação </li></ul><ul><li>Sentido de Pertencer do Consumidor </li></ul>...
Colméia O poder da Rede  <ul><li>Lei do Pequeno Número (Robin Dunbar e George Miller) </li></ul><ul><li>Artigo ‘The Magica...
Colméia Segmentação e Alvos Programados  George Moore Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi Inovadores Adeptos...
Colméia Os perfis de Consumidores   <ul><li>Inovadores  </li></ul><ul><li>Pessoas que estão procurando novos produtos em u...
Colméia Os perfis de Consumidores   <ul><li>Pragmáticos </li></ul><ul><li>Englobam o início do “mercado de massa” </li></u...
Colméia Os perfis de Consumidores   <ul><li>Retardatários ou Céticos </li></ul><ul><li>Abrangem as pessoas que relutam em ...
Agentes Contaminadores (Os vendedores)   <ul><li>Algumas pessoas têm mais chances de propagar uma idéia do que outras </li...
Agentes Contaminadores A visão de Gladwell   <ul><li>Uma ação de Marketing Viral bem sucedida deve contar com 3 públicos e...
Persistência (como aumentar longevidade) <ul><li>Algumas idéias têm vida longa. Outras não </li></ul><ul><li>É importante ...
Amplificador (como aumentar o impacto) <ul><li>Uma diferença básica entre o boca a boca e o vírus de idéia é que o primeir...
Recomendações  Virais Versão: Janeiro 2007  Autor: Prof. Sandro Magaldi
Cinco Maneiras de se Ativar um Vírus <ul><li>Fique totalmente virótico </li></ul><ul><li>b) Pague aos promíscuos </li></ul...
Passo a Passo, táticas do vírus da idéia (Godin) <ul><ul><li>Faça-o merecedor de se tornar um vírus </li></ul></ul><ul><ul...
Passo a Passo, táticas do vírus da idéia (Godin) <ul><ul><li>6. Uma vez que o consumidor ofereceu sua atenção, peça permis...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação Marketing Epidêmico

2.047 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Diversão e humor
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.047
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Trabalhar Caso Tropa de Elite
  • NOVO SLIDE
  • Apresentação Marketing Epidêmico

    1. 1. Marketing Viral e Epidêmico Tendências e Conceitos Autor: Prof. Sandro Magaldi
    2. 2. Nossa Agenda (Não necessariamente nessa ordem…) <ul><li>Definições </li></ul><ul><li>Estratégias </li></ul><ul><li>Ferramentas </li></ul><ul><li>CASES PRÁTICOS </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    3. 3. Então, Vamos Começar Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    4. 4. Primeiro Desafio: As Definições Desafio proveniente da ‘idade’ destes termos e estratégias A maioria são sinônimos ou partes que se complementam Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    5. 5. Marketing Viral ou Epidêmico ‘ E stratégia que encoraja indivíduos da sociedade a repassar uma mensagem de marketing para outros, criando potencial para o crescimento exponencial tanto na exposição como na influência da mensagem. Como os vírus reais, tais estratégias aproveitam o fenômeno da rápida multiplicação para levar uma mensagem a milhares pessoas’ (Arthur D. Little) Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    6. 6. Alguns Autores de Referência <ul><li>Seth Godin </li></ul><ul><ul><li>Marketing Idéia-Vírus </li></ul></ul><ul><li>Malcolm Gladwell </li></ul><ul><ul><li>Tipping Point (Ponto de DesEquilíbrio) </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    7. 7. Conceito da ‘Idéias-Vírus’ (Godin) Não existe marketing viral que não esteja apoiado em uma ‘Idéia-Vírus’ Uma ‘Idéia-Vírus’ é uma idéia intrigante, irresistível, que chama a atenção como um ioiô no recreio da escola É uma idéia que desejam compartilhar, uma emoção que nos força a compartilhar Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    8. 8. Buzz Marketing A organização organizacional do rumor, do boca a boca, em favor de uma marca ou de um produto A melhor maneira de vender produtos é os consumidores comentarem entre si sobre os produtos e serviços, e eles mesmos difundirem a aura, as vantagens da marca, sem passar pelas formas clássicas, agressivas de marketing de interrupção (Emanuel Rosen) Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    9. 9. Buzz Marketing Desenvolver uma estratégia de Buzz Marketing significa, antes de mais nada, transformar seus clientes em evangelistas ( Ben McConnel e Jackie Huba) Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    10. 10. Alguns Autores de Referência <ul><li>Georger Chetochine </li></ul><ul><ul><li>Buzz Marketing </li></ul></ul><ul><li>Emanuel Rosen </li></ul><ul><ul><li>Anatomy of Buzz </li></ul></ul><ul><li>Ben McConnel e Jackie Huba </li></ul><ul><ul><li>Buzzmarketing: criando clientes evangelistas </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    11. 11. Outras modalidades afins <ul><li>Stealth Marketing </li></ul><ul><li>Marketing de Guerrilha </li></ul><ul><li>Marketing de Permissão </li></ul><ul><li>“ Cauda Longa” </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    12. 12. Pausa para Reflexão Estas definições fazem sentido? São completas? Existem diferenças significativas entre elas? Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    13. 13. Más, e o Boca a Boca, onde ele se enquadra nesse contexto?? Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    14. 14. Não existe Marketing Viral sem boca a boca. Ainda que o buzz não seja o boca a boca, sem boca a boca o buzz não é possível Mesmo no contexto do Marketing pode existir Boca a Boca sem que isso represente alguma estratégia de Marketing Viral… Vejam esse Exemplo da Volkswagen Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    15. 15. Uma comparação ilustrativa All Star (80’s) x Nike (90’s) <ul><li>All Star </li></ul><ul><ul><li>Contaminação ocasional no grupo de jovens dos anos 80 </li></ul></ul><ul><ul><li>Boca a Boca clássico </li></ul></ul><ul><li>Nike </li></ul><ul><ul><li>Estratégias agressivas de divulgação de seu negócio </li></ul></ul><ul><ul><li>Forte foco em patrocínio de atletas </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias que suportam e incentivam o Marketing Viral (caso Tiger Woods) </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    16. 16. O fato é que tanto o boca a boca, quanto estratégias de Buzz sempre existiram Vamos relembrar o caso do lançamento do Post-it Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    17. 17. Lançamento do Post-it (1978/1980) <ul><li>Problema </li></ul><ul><li>As pessoas não sabiam o que fazer com aqueles bloquinhos amarelos </li></ul><ul><li>Poucos queriam pagar por um produto que competia com o papel de rascunho gratuito </li></ul><ul><li>Estratégia Principal da 3M </li></ul><ul><li>Fazer demonstração e permitir degustação do produto </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    18. 18. Execução da Estratégia <ul><li>1978 </li></ul><ul><ul><li>Blitz de Boise </li></ul></ul><ul><ul><li>Profissionais de marketing encheram o mercado de artigos para escritório com o produto em um mercado piloto (Boise, Idaho) </li></ul></ul><ul><ul><li>90% dos consumidores que experimentavam o produto mostravam-se interessados em comprá-lo </li></ul></ul><ul><li>1980 – Lançamento Nacional </li></ul><ul><ul><li>Secretária do Presidente da 3M enviou um Post-it para suas correspondentes das 500 maiores empresas da Fortune 500 </li></ul></ul><ul><li>1981 </li></ul><ul><ul><li>Post-it foi chamado de ‘novo produto de destaque nos EUA’ </li></ul></ul><ul><li>1990 </li></ul><ul><ul><li>Post-it é um dos cinco artigos para escritório mais vendidos dos EUA </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    19. 19. Más então porque essas estratégias estão tão em evidência nos dias atuais???? Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    20. 20. A Resposta está no Comportamento do Consumidor Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    21. 21. As implicações da Era da Informação Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    22. 22. Aldeia Global… <ul><li>Lei de Metcalfe : Em uma rede de 1.000 participantes, há 499.5 mil interações possíveis </li></ul><ul><li>1900 as pessoas se comunicavam regularmente com 10 a 20 pessoas (pessoalmente ou por carta) </li></ul><ul><li>Em 1990 com 50 a 100 graças a telefonia fixa </li></ul><ul><li>Em 2000 com 100 a 300 pessoas graças a telefonia fixa, móvel e Internet </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    23. 23. O efeito ‘rede de transmissão’ é o impulsionador mais conhecido do Marketing Viral Conclusão Como as pessoas estão mais conectadas do que nunca O potencial de transmissão de mensagens cresce em escala Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    24. 24. Mas o fenômeno não se explica apenas pelo efeito ‘rede’ <ul><li>A ascensão da WEB 2.0 alterou o modo como as pessoas interagem com o mundo </li></ul><ul><li>Blog </li></ul><ul><li>Wikis </li></ul><ul><li>Sites de Relacionamento </li></ul><ul><li>Sites de Compartilhamento de Imagem </li></ul><ul><li>Mundo Virtual </li></ul><ul><li>Podcasting e Vidcasting </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    25. 25. O impulsionador do Marketing Viral nos últimos tempos As Bruxas de Blair Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    26. 26. AS Bruxas de Blair <ul><li>1999 </li></ul><ul><ul><li>Custos de Produção: US$ 22.000 </li></ul></ul><ul><ul><li>Arrecadação: US$ 250 Milhões </li></ul></ul><ul><li>Estratégia de marketing do projeto </li></ul><ul><ul><li>Viral </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Roteiro </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cast </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Divulgação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mídia </li></ul></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    27. 27. AS Bruxas de Blair Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    28. 28. AS Bruxas de Blair <ul><li>Principais Ações </li></ul><ul><ul><li>Curiosity Gap: A história é verídica ou uma lenda?? </li></ul></ul><ul><ul><li>Um ano antes do lançamento do filme (1998) foram criados os chamados “rabbit holes” submetidos a comunidade com frequência </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ações on line com as páginas do diário dos estudantes protagonistas do projeto, entrevistas com autoridades e cidadões do local etc </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Documentário no Sci Fi sobre a “Lenda de Blair” </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Trailer teaser </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Djs discutiam a lenda em seus programas de rádio </li></ul></ul></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    29. 29. AS Bruxas de Blair Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    30. 30. AS Bruxas de Blair Como resultado principal, antes do lançamento do filme havia se criado uma comunidade de clientes interessados e intrigados a respeito da produção O restante foi gerado pelo boca a boca Trecho de artigo na Exame sobre Buzz Marketing Os pioneiros do buzz marketing procuravam repetir a trajetória extraordinária do filme A Bruxa de Blair, uma produção quase amadora que custou 25 000 dólares e arrecadou uma soma dez vezes maior nas bilheterias. O principal trunfo dos criadores do filme foi divulgar a história em um site de internet como se fosse real -- as imagens seriam tudo o que restou de uma expedição que investigava a lenda de uma bruxa em uma floresta. Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    31. 31. Outro Fator decorrente da Revolução Tecnológica <ul><li>Os consumidores nunca tiveram tantos meios para se expressar </li></ul><ul><li>O monopólio de mídias convencionais migra para os consumidores </li></ul><ul><li>Acessibilidade + Declínio da influência das mídias convencionais gera uma nova dinâmica de expressão pessoal </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    32. 32. A mídia tradicional em cheque No marketing de interrupção tradicional, o profissional de marketing dirige-se para tantos consumidores quanto for possível, sem nenhum intermediário a não ser a empresa de mídia Ao criar um vírus de idéia, o anunciante cria um meio no qual a idéia pode se reproduzir e se espalhar. É o vírus que faz o trabalho não o profissional de marketinG Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi ANUNCIANTE CONSUMIDORES ANUNCIANTE CONSUMIDORES
    33. 33. É nesse contexto que o Marketing Viral emerge Aumenta a orientação da empresa para o cliente, na medida em que o marketing é feito pelo cliente e para o cliente Ferramenta de marketing e de inovação que retornou devido a evolução da tecnologia e muitos setores industriais têm descoberto sua relevância para o negócio Mais do que uma campanha de comunicação, é uma estratégia de marketing com seu próprio mix que pode se integrar ao mix de marketing da organização, muito bem adaptada ao lançamento de novos produtos ou serviços Pode ser uma ferramenta poderosa para lançar inovações em um prazo muito limitado e com custos baixos Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    34. 34. Marketing Viral x Tradicional <ul><li>Marketing Viral é o oposto de força bruta (menos ‘ push ’ mais ‘ pull ’). Quanto mais força você utiliza, menos viral será a ação </li></ul><ul><li>Um dos maiores riscos da utilização de abordagens virais: utilizar o mesmo raciocínio utilizado para as estratégias tradicionais só mudando os meios de impacto ao cliente </li></ul><ul><li>Uma estratégia viral não é como produzir um comercial de 30’ e aguardar os resultados. É como uma maratona onde são utilizadas diversas estratégias, mídias e muita criatividade para engajar uma audiência tanto tempo quanto possível </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    35. 35. Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>GP Brasil de Fórmula 1 2006 </li></ul><ul><li>Um modelo da Red Bul percorre às 5h30 da </li></ul><ul><li>manhã em SP 7 KM (do Teatro Municipal ao </li></ul><ul><li>Parque do Ibirapuera) em 3 minutos </li></ul><ul><li>As fotos do carro com a logomarca da empresa </li></ul><ul><li>foram divulgadas nas principais mídias do país </li></ul><ul><li>(devido ao fato inédito) </li></ul><ul><li>O filme da performance no You Tube recebeu mais de 550.00 downloads </li></ul><ul><li>No GP o melhor resultado obtido pela empresa foi um 12º lugar com o piloto holandês Robert Doornbos. O outro piloto, David Coulthard, nem terminou a prova </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    36. 36. Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>Lançamento em 1987 na Aústria </li></ul><ul><li>Produto inovador = Posicionamento Complexo </li></ul><ul><li>Segmentação Inicial </li></ul><ul><ul><li>Clubbers </li></ul></ul><ul><ul><li>Identificação dos bares que ditam tendências </li></ul></ul><ul><ul><li>Cinco locais foram identificados e alvo de ação promocional agressiva </li></ul></ul><ul><ul><li>Negativa a demais solicitações fora do target </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    37. 37. Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>Equipes de formação de consumidores ajudavam a alimentar o boca a boca </li></ul><ul><ul><li>Recrutamento de Estudantes nas Universidades </li></ul></ul><ul><ul><li>Ação de Guerrilha junto a profissionais que ‘precisassem de energia’ em suas atividades (motoristas de caminhão, trabalhadores de plantão, estudantes, atletas, clubbers) </li></ul></ul><ul><li>Patrocínio a eventos esportivos radicais (snowboard, motocross, skate etc): ‘Bebida Radical’ </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    38. 38. Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>Os anúncios em mídia só reforçam o posicionamento da marca </li></ul><ul><li>A Red Bul criou uma nova categoria de bebidas energizantes </li></ul><ul><ul><li>Em 2 anos a categoria já representava 4% de todas as bebidas não alcoólicas dos EUA </li></ul></ul><ul><ul><li>Nesse período houve o aumento de vendas de 1 Bilhão de latas anuais </li></ul></ul><ul><ul><li>Nos EUA domina 65% do mercado com o mínimo de publicidade </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    39. 39. Red Bul: o Mestre do Marketing Viral <ul><li>Mesmo uma empresa habituada a desenvolver ações com esse perfil pode cometer gafes cujas consequências podem ser desastrosas: </li></ul><ul><ul><li>O caso da blitz na cratera do Metro em São Paulo </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    40. 40. Marketing Viral x Tradicional <ul><li>Na realidade essa confrontação não deve existir </li></ul><ul><li>As estratégias de Marketing de uma organização devem fazer parte de um esforço único (risco da fragmentação) </li></ul><ul><li>Considerando o Comportamento do Consumidor as estratégias devem ser potencializadas com o uso dos diversos meio em sinergia </li></ul><ul><li>Um exemplo de Comunicaçã Integrada: Case Chocolate Twix </li></ul><ul><ul><li>Comercial de TV + Celular + Cinema + Ações de Guerrilha </li></ul></ul><ul><ul><li>Mais 90.000 downloads no You Tube </li></ul></ul><ul><ul><li>Recordista de downloadas na Claro </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    41. 41. Algumas considerações a respeito do Marketing Viral <ul><li>Aumenta a orientação da empresa ao cliente </li></ul><ul><li>Ferramenta de Marketing e Inovação </li></ul><ul><li>Mais do que uma campanha de comunicação, é uma estratégia de marketing completa que, com seu próprio mix, deve ser integrada a estratégia corporativa da organização </li></ul><ul><li>É uma ferramenta poderosa para lançar inovações </li></ul><ul><li>Pode ser uma estratégia que envolve custos baixos </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    42. 42. Aspectos Peculiares do Marketing Viral: Controle x Autonomia <ul><li>Conteúdo da Mensagem </li></ul><ul><li>Custo e Alcance da Audiência </li></ul><ul><li>Tipo de Produto ou Serviço e circunstância </li></ul><ul><li>Resultados Indesejados </li></ul><ul><li>Grau de Eficiência das Diferentes Técnicas </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    43. 43. Princípios Básicos do Marketing Viral <ul><li>Satisfação do Cliente ( case Google ) </li></ul><ul><li>Segmentação </li></ul><ul><li>Simplicidade da Mensagem </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    44. 44. Elementos para a Construção de uma Ação Viral Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    45. 45. Elementos para uma ação Viral <ul><li>Meio </li></ul><ul><li>Fluidez </li></ul><ul><li>Colméia </li></ul><ul><li>Agentes Contaminadores </li></ul><ul><li>Persistência </li></ul><ul><li>Amplificador </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    46. 46. Meio (Onde) <ul><li>Uma idéia precisa ser encapsulada em um meio </li></ul><ul><li>O meio determina o quanto o vírus pode fluir assim como a velocidade de seu crescimento </li></ul><ul><li>O meio não se restringe a mídia </li></ul><ul><li>São todos os elementos que conduzem o conceito do vírus de idéia a outras pessoas </li></ul><ul><li>Caso Blackberry </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    47. 47. Meio Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    48. 48. Fluidez (Como) <ul><li>Que facilidades existem para que no usuário de ponta espalhe um vírus de idéia em particular? </li></ul><ul><li>Relação óbvia entre fluidez e capacidade de contágio </li></ul><ul><li>Os vírus mais fluidos se alastram por si só </li></ul><ul><li>Produtos com alta qualidade intrínseca e inovadores têm alta capacidade de fluidez (despertam curiosidade e atração junto aos consumidores) </li></ul><ul><li>Caso Hot Mail </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    49. 49. Um vírus de idéia adora um vácuo… <ul><li>Se uma idéia ocupa um lugar na cabeça do consumidor, outra não pode coexistir em paz </li></ul><ul><li>Diferenciação e Relevância da solução em relação a percepção do consumidor </li></ul><ul><ul><ul><li>Se o conceito não for percebido como relevante ou diferenciado pelo consumidor, não há fluidez (falta interesse para sua propagação) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Este é um conceito chave para entender Marketing Viral </li></ul></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    50. 50. Colméia (Quem) <ul><li>Conceito de Comunidade, Segmentação </li></ul><ul><li>Sentido de Pertencer do Consumidor </li></ul><ul><li>A Colméia deve respeitar o valor essencial do vírus a ser propagado </li></ul><ul><li>Idealmente a Colméia deve ter um vácuo a ser atendido </li></ul><ul><li>Atenção a capacidade de contágio do Grupo selecionado </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    51. 51. Colméia O poder da Rede <ul><li>Lei do Pequeno Número (Robin Dunbar e George Miller) </li></ul><ul><li>Artigo ‘The Magical Number Seven’ </li></ul><ul><ul><li>Demonstra que 150 pessoas são suficientes para iniciar um movimento de idéias de alcance ilimitado </li></ul></ul><ul><li>Stanley Milgran afirma que os conhecimentos que travamos no ambiente profissional são provenientes do contato com, no máximo, seis ou sete pessoas (são elas que nos apresentam a pessoas que nos apresentam a outras pessoas e assim sucessivamente) </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    52. 52. Colméia Segmentação e Alvos Programados George Moore Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi Inovadores Adeptos Iniciais Maioria Inicial Maioria Tardia Retardatários O Ciclo de Vida da Adoção de Produto
    53. 53. Colméia Os perfis de Consumidores <ul><li>Inovadores </li></ul><ul><li>Pessoas que estão procurando novos produtos em um mercado específico </li></ul><ul><li>Esse segmento depende da natureza do produto: as pessoas que procuram novas tecnologias são diferentes das que estão atrás de uma nova moda ou novos destinos de viagem. </li></ul><ul><li>Adeptos Iniciais </li></ul><ul><li>São os verdadeiros revolucionários </li></ul><ul><li> Ao explorar o novo, acreditam que poderão obter uma vantagem competitiva em relação à velha ordem </li></ul><ul><li>Esses dois grupos representam de 5% a 10% da população total </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    54. 54. Colméia Os perfis de Consumidores <ul><li>Pragmáticos </li></ul><ul><li>Englobam o início do “mercado de massa” </li></ul><ul><li>Eles estão prontos para comprar qualquer produto novo se acreditarem que vale o que custa </li></ul><ul><li>Adotam inovações somente após um histórico comprovado de melhoria de produtividade, incluindo fortes referências de pessoas em quem confiam. </li></ul><ul><li>Conservadores </li></ul><ul><li>Mostram-se pessimistas quanto à capacidade de obter algum valor dos investimentos em tecnologia, e só realizam sob pressão </li></ul><ul><li>São muito sensíveis a preços, altamente céticos e muito exigentes. </li></ul><ul><li>Estão prontos para comprar um produto se o produto ou a marca estiverem estabelecidos </li></ul><ul><li>Esses dois grupos representam de 55% a 65% da população total </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    55. 55. Colméia Os perfis de Consumidores <ul><li>Retardatários ou Céticos </li></ul><ul><li>Abrangem as pessoas que relutam em comprar qualquer produto novo, seja por problema de orçamento, seja por algum temor (medo de tecnologia, medo de uma aparência diferente) </li></ul><ul><li>Adoram desafiar a badalação e a adulação do marketing de alta tecnologia </li></ul><ul><li>Esse grupo representa de 30% a 35% da população total </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    56. 56. Agentes Contaminadores (Os vendedores) <ul><li>Algumas pessoas têm mais chances de propagar uma idéia do que outras </li></ul><ul><li>Identificar e cortejar agentes contaminadores é um fator-chave para uma estratégia viral </li></ul><ul><li>Existem 2 tipos de agentes contaminadores: </li></ul><ul><ul><li>Agentes Contaminadores Promíscuos </li></ul></ul><ul><ul><li>Agentes Contaminadores Poderosos </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    57. 57. Agentes Contaminadores A visão de Gladwell <ul><li>Uma ação de Marketing Viral bem sucedida deve contar com 3 públicos estratégicos </li></ul><ul><ul><li>Mavens </li></ul></ul><ul><ul><li>Conectors </li></ul></ul><ul><ul><li>Vendedores </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    58. 58. Persistência (como aumentar longevidade) <ul><li>Algumas idéias têm vida longa. Outras não </li></ul><ul><li>É importante o desenvolvimento de uma série de estratégias que irão impactar o consumidor com consistência ao longo do tempo </li></ul><ul><li>Caso Blair </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    59. 59. Amplificador (como aumentar o impacto) <ul><li>Uma diferença básica entre o boca a boca e o vírus de idéia é que o primeiro desaparece enquanto o segundo cresce cada vez mais </li></ul><ul><li>Isso ocorre devido a elementos que amplificam a mensagem mais e mais </li></ul><ul><li>Pode ser a mídia digital, escrita, eletrônica ou qualquer outro elemento dessa natureza </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    60. 60. Recomendações Virais Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    61. 61. Cinco Maneiras de se Ativar um Vírus <ul><li>Fique totalmente virótico </li></ul><ul><li>b) Pague aos promíscuos </li></ul><ul><li>c) Possibilite fluidez aos poderosos </li></ul><ul><li>d) Aumente digitalmente o boca a boca </li></ul><ul><li>e) Dê recompensa aos amigos dos promíscuos (que adotarem sua idéia) </li></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    62. 62. Passo a Passo, táticas do vírus da idéia (Godin) <ul><ul><li>Faça-o merecedor de se tornar um vírus </li></ul></ul><ul><ul><li>Identifique a colméia </li></ul></ul><ul><ul><li>Exponha a idéia </li></ul></ul><ul><ul><li>Defina o que você quer que os contaminadores digam </li></ul></ul><ul><ul><li>Dê aos contaminadores as ferramentas de que eles precisam para espalhar o vírus </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi
    63. 63. Passo a Passo, táticas do vírus da idéia (Godin) <ul><ul><li>6. Uma vez que o consumidor ofereceu sua atenção, peça permissão </li></ul></ul><ul><ul><li>7. Deixe pasma a sua platéia para que ela venha reforçar o seu vírus e mantenha crescendo </li></ul></ul><ul><ul><li>8. Admita que poucos vírus duram para sempre. Abrace o ciclo de vida do vírus. </li></ul></ul>Versão: Janeiro 2007 Autor: Prof. Sandro Magaldi

    ×