SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 65
Baixar para ler offline
Métodos	
  de	
  Design	
  
   Uma	
  abordagem	
  para	
  estudos	
  de	
  viabilidade	
  
                         em	
  projetos	
  de	
  so3ware	
  
@_al3	
  
     Alessandro	
  Lima	
  
Interac8on	
  Designer	
  |	
  Educa8on	
  Analyst	
  




                                             Fonte	
  imagem:	
  h9p://bandybum.com/?page_id=12	
  
REQUISITOS	
  
Será	
  que	
  o	
  sistema	
  contribui	
  para	
  os	
  
objeFvos	
  da	
  organização?	
  




                          h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade	
  
Dadas	
  as	
  restrições	
  tecnológicas,	
  
organizacionais	
  (econômicas,	
  políFcas,	
  
ambientais,	
  recursos	
  disponíveis)	
  e	
  
temporais	
  associadas	
  ao	
  projeto,	
  será	
  que	
  
o	
  sistema	
  pode	
  ser	
  implementado?	
  



                          h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade	
  
Caso	
  haja	
  necessidade	
  de	
  integração	
  
entre	
  diferentes	
  sistemas,	
  será	
  que	
  
esta	
  é	
  possível?	
  
	
  


                       h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade	
  
h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade	
  
A	
  quem	
  
perguntamos?	
  
STAKEHOLDERS	
  
Processo	
  de	
  Design	
  


Todo	
  processo	
  de	
  Design	
  é	
  tanto	
  um	
  Processo	
  
Cria8vo	
  como	
  um	
  um	
  processo	
  de	
  Solução	
  de	
  
Problema.	
  (Lobach,	
  1976)	
  




                                       h9p://www.machsources.com/suppliers/jinshengtai/products/20934.html	
  
Processo	
  de	
  Design	
  

É	
  um	
  conjunto	
  de	
  Operações	
  necessárias,	
  
dispostas	
  em	
  ordem	
  lógica,	
  que	
  nos	
  leva	
  de	
  
forma	
  confiável	
  e	
  segura	
  à	
  solução	
  de	
  um	
  
problema.	
  (Munari,	
  2000).	
  
UCD	
  
User	
  Centered	
  Design	
  
UCD	
  

“Além	
  da	
  forma	
  dsica	
  e	
  funções	
  mecânicas,	
  os	
  
    objetos	
  assumem	
  forma	
  social	
  e	
  funções	
  
                                                  simbólicas”.
                                                                	
  
                                            Donald	
  Norman	
  




                              h9p://www.slideshare.net/efileno/aula1-­‐minicurso-­‐sobre-­‐design-­‐centrado-­‐no-­‐usurio	
  
h9p://wi.hexagram.ca/?p=67	
  
Lembram	
  que	
  
perguntei	
  a	
  
quem	
  perguntar?	
  
Entrevista	
  

É	
  uma	
  longa	
  conversa	
  que	
  explora	
  os	
  valores,	
  
desejos,	
  frustrações	
  e	
  aspirações	
  do	
  
entrevistado.	
  




                                           h9p://viniciuskrause.com/blog/?tag=design-­‐centrado-­‐no-­‐usuario	
  
Entrevista	
  
Muitas	
  vezes,	
  o	
  que	
  as	
  pessoas	
  dizem	
  que	
  fazem	
  
e	
  o	
  que	
  realmente	
  fazem	
  não	
  são	
  a	
  mesma	
  
coisa.	
  Assim	
  é	
  importante	
  não	
  basear	
  a	
  
entrevista	
  apenas	
  em	
  perguntas	
  diretas.	
  




                                             h9p://www.ideo.com/work/human-­‐centered-­‐design-­‐toolkit/	
  
Entrevista	
  
Ser	
  longa	
  o	
  suficiente	
  para	
  fazer	
  o	
  entrevistado	
  
se	
  senFr	
  realmente	
  ouvido	
  e	
  que	
  lhe	
  permita	
  ir	
  
além	
  de	
  Scripts	
  ensaiados.	
  
Entrevista	
  
Ser	
  focada	
  o	
  suficiente	
  para	
  que	
  você	
  sinta	
  que	
  
está	
  obtendo	
  informações	
  úteis	
  para	
  direcionar	
  
seu	
  desafio	
  de	
  design.	
  
Entrevista	
  
Ser	
  generalista	
  o	
  suficiente	
  para	
  que	
  você	
  a	
  
sinta	
  como	
  uma	
  conversação	
  aberta	
  que	
  o	
  pode	
  
levar	
  a	
  ter	
  idéias	
  inesperadas.	
  
Entrevista	
  
Gerar	
  um	
  verdadeiro	
  bate	
  e	
  volta	
  que	
  o	
  faça	
  
senFr	
  como	
  em	
  uma	
  conversa	
  que	
  facilita	
  a	
  
entrevista.	
  
Entrevista	
  
Fazer	
  com	
  que	
  os	
  entrevistados	
  sintam	
  que	
  a	
  
entrevista	
  é	
  sobre	
  eles,	
  não	
  sobre	
  o	
  produto,	
  
serviço	
  ou	
  organização	
  que	
  você	
  está	
  
representando.	
  
Preparação	
  da	
  Entrevista	
  
Produza	
  uma	
  lista	
  de	
  tópicos	
  
     rela8vos	
  ao	
  seu	
  desafio	
  
      estratégico	
  para	
  serem	
  
    cobertos	
  na	
  pesquisa	
  de	
  
                                campo.	
  
Descubra	
  quem	
  pode	
  responder	
  perguntas	
  sobre	
  
estes	
  tópicos.	
  
Perguntas	
  de	
  Abertura	
  
Aqueça	
  os	
  par>cipantes	
  com	
  perguntas	
  que	
  lhes	
  
sejam	
  confortáveis.	
  
	
  
1.	
  Dados	
  demográficos	
  dos	
  moradores?	
  
2.	
  Quem	
  faz	
  o	
  quê?	
  
3.	
  Histórias	
  de	
  um	
  passado	
  recente	
  
Perguntas	
  de	
  Expansão	
  
Sugira	
  uma	
  linha	
  de	
  pensamento	
  mais	
  ampla,	
  
mesmo	
  aspiracional,	
  à	
  qual	
  eles	
  podem	
  não	
  
estar	
  acostumados	
  em	
  seu	
  dia	
  a	
  dia.	
  
	
  
4.	
  Aspirações	
  para	
  o	
  futuro	
  
5.	
  Questões	
  de	
  caráter	
  amplo	
  e	
  sistemáFco	
  
Perguntas	
  de	
  Sondagem	
  em	
  
               profundidade	
  
Mergulhe	
  fundo	
  no	
  desafio	
  em	
  questão	
  e	
  sugira	
  
cenários	
  hipoté>cos.	
  
	
  
6.	
  Fontes	
  de	
  renda	
  
7.	
  Perguntas	
  específicas	
  ao	
  desafio	
  de	
  inovação	
  
8.	
  Para	
  perguntas	
  abstratas	
  use	
  cenários	
  
dialéFcos	
  para	
  facilitar	
  a	
  resposta.	
  
Personas	
  
h9p://andrejacobporrolio.blogspot.com/2010_04_01_archive.html	
  
Personas	
  



São	
  arqué8pos	
  de	
  pessoas	
  que	
  estão	
  
envolvidas	
  com	
  o	
  produto	
  ou	
  serviço.	
  
Personas	
  



A	
  observação	
  e	
  entrevista	
  com	
  os	
  
usuários	
  servem	
  de	
  input	
  para	
  criação	
  das	
  
personas.	
  
Personas	
  
As	
  personas	
  possuem	
  caracterísFcas	
  dsicas	
  e	
  
comportamentais	
  dos	
  usuários	
  reais	
  do	
  produto.	
  
  •  Nome	
  
  •  Gostos	
  
  •  Conhecimentos	
  
  •  Hábitos	
  coFdianos	
  
  •  Outros	
  dados	
  relevantes	
  
Personas	
  
•  Alinhamento	
  do	
  Fme	
  durante	
  o	
  projeto	
  

•  Facilita	
  a	
  tomada	
  de	
  decisões	
  e	
  mudanças	
  
   evitando	
  novas	
  interações	
  com	
  usuário	
  reais	
  

•  Mantém	
  as	
  necessidades	
  do	
  usuário	
  como	
  
   foco	
  
Personas	
  
•  O	
  número	
  de	
  personas	
  de	
  ser	
  sempre	
  entre	
  3	
  
   e	
  7.	
  

•  Uma	
  grande	
  quanFdade	
  de	
  personas	
  pode	
  
   gerar	
  conflitos	
  

•  As	
  personas	
  dever	
  ser	
  criadas	
  com	
  base	
  em	
  
   dados	
  reais;	
  “Ela	
  é	
  um	
  ser	
  humano”.	
  
Personas	
  
•  Alan	
  Cooper,	
  precussor	
  da	
  técnica	
  de	
  
   personas	
  orienta	
  a	
  uFlização	
  de	
  7	
  personas	
  
   por	
  projeto.	
  

•  Ele	
  enfaFza,	
  nunca	
  faça	
  reuso	
  de	
  personas.	
  
   Uma	
  persona,	
  é	
  projetada	
  para	
  as	
  
   peculiaridades	
  do	
  projeto.	
  
h9p://wiki.openmoko.org/images/3/31/	
  
Cenários	
  
Cenários	
  
•  Excelente	
  técnica	
  para	
  análise	
  e	
  validação	
  dos	
  
   Requisitos	
  

•  São	
  histórias	
  que	
  contextualizam	
  o	
  uso	
  dos	
  
   artefatos/produtos	
  ou	
  serviços.	
  

•  Assim	
  como	
  as	
  personas,	
  Cenários	
  devem	
  ser	
  
   baseados	
  em	
  dados	
  reais.	
  
Cenários	
  
•  Aplicando	
  as	
  Personas	
  aos	
  Cenários	
  estamos	
  
   definindo	
  um	
  Contexto	
  de	
  Uso.	
  

•  Quanto	
  mais	
  eleborada	
  e	
  fiel	
  aos	
  dados	
  
   levantados	
  for	
  a	
  Persona,	
  mais	
  acerFvo	
  será	
  
   seu	
  Cenário.	
  
Toca	
  o	
  
 play!	
  
	
  
Desenvolver	
  uma	
  
persona	
  e	
  um	
  
cenário	
  de	
  uso	
  para	
  
um	
  aplicaFvo	
  de	
  
consulta	
  de	
  notas	
  
para	
  smartphone.	
  
Geração	
  de	
  Alterna8vas	
  
Mapas	
  Mentais	
  
•  Tony	
  Buzan,	
  foi	
  o	
  criador	
  desta	
  técnica.	
  

•  A	
  função	
  do	
  mapa	
  mental	
  é	
  aumentar	
  o	
  
   pontencial	
  cerebral.	
  
•  O	
  Mapa	
  Mental	
  é	
  a	
  expressão	
  	
  
   gráfica	
  do	
  “Pensamento	
  	
  
   Irradiante”	
  
Toca	
  o	
  
 play!	
  
	
  
Criar	
  um	
  mapa	
  
mental	
  para	
  o	
  
problema.	
  
[Consultar	
  notas	
  em	
  
qualquer	
  lugar]	
  
Método	
  635	
  


Similar	
  ao	
  Brainstorming	
  clássico	
  mais	
  com	
  
ambiente	
  mais	
  controlado.	
  
	
  
Grupos	
  de	
  6	
  integrantes	
  deverão	
  escrever	
  3	
  
idéias	
  sobre	
  um	
  problema/tema	
  a	
  ser	
  tratado.	
  
Método	
  635	
  

Cada	
  integrante	
  terá	
  5	
  minutos	
  para	
  escrever	
  
suas	
  idéias	
  
	
  
A	
  cada	
  período	
  de	
  5	
  minutos	
  o	
  integrante	
  passar	
  
sua	
  folha	
  para	
  o	
  colega	
  ao	
  lado	
  até	
  completar	
  
todo	
  o	
  ciclo	
  
Método	
  635	
  



A	
  cada	
  período	
  de	
  5	
  minutos	
  o	
  integrante	
  passar	
  
sua	
  folha	
  para	
  o	
  colega	
  ao	
  lado	
  até	
  completar	
  
todo	
  o	
  ciclo	
  
Método	
  635	
  



118	
  idéias	
  em	
  
 30	
  minutos	
  
Ferramentas	
  




           h9p://freenuts.com/top-­‐10-­‐free-­‐online-­‐mind-­‐mapping-­‐tools/	
  
Seleção	
  de	
  AlternaFvas	
  
ProtóFpo	
  em	
  Papel	
  
ProtóFpo	
  em	
  Papel	
  
•  ProtóFpos	
  em	
  papel	
  se	
  caracterizam	
  como:	
  

   –  Uma	
  forma	
  rápida	
  de	
  expressar	
  e	
  testar	
  o	
  design	
  	
  

   –  Pode	
  ser	
  usado	
  também	
  como	
  uma	
  ferramenta	
  de	
  
      comunicação	
  para	
  facilitar	
  o	
  entendimento	
  de	
  um	
  
      design.	
  	
  
PAPER-­‐IN-­‐SCREEN	
  PROTOTYPING	
  
      A        desenhe	
  os	
  
               sketchs	
  
                                                         C
                        B



                                                         oFmize	
  
                         digitalize	
  


D                                                        F
                               E          transfira	
  



organize	
  
                                                                      teste	
  
PAPER-­‐IN-­‐SCREEN	
  PROTOTYPING	
  
ProtóFpo	
  Navegacional	
  
Ferramentas	
  




       h9p://www.1stwebdesigner.com/design/wireframing-­‐mockup-­‐prototyping-­‐tools-­‐plan-­‐designs/	
  
Toca	
  o	
  
 play!	
  
Desenvolver	
  
ProtóFpo	
  em	
  Papel.	
  
Do	
  aplicaFvo	
  de	
  
Consulta	
  de	
  Notas.	
  
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 07 metodologia munari
Aula 07   metodologia munariAula 07   metodologia munari
Aula 07 metodologia munariMarcio Duarte
 
Aula01 conceito design
Aula01 conceito designAula01 conceito design
Aula01 conceito designpaulo_batista
 
História do Design - Apresentação - Hd00
História do Design - Apresentação - Hd00História do Design - Apresentação - Hd00
História do Design - Apresentação - Hd00Valdir Soares
 
(Breve) Introdução ao Design
(Breve) Introdução ao Design(Breve) Introdução ao Design
(Breve) Introdução ao DesignMarcio Duarte
 
Introdução a Projeto Gráfico.
Introdução a Projeto Gráfico.Introdução a Projeto Gráfico.
Introdução a Projeto Gráfico.Wunderman
 
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de InovaçãoDesign Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de InovaçãoMaristela Meireles
 
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2Fábio Gonçalves
 
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Léo Dias
 
Aula 4 - Comunicação Gráfica e Design
Aula 4  - Comunicação Gráfica e DesignAula 4  - Comunicação Gráfica e Design
Aula 4 - Comunicação Gráfica e DesignCíntia Dal Bello
 
Livro Design Thinking, Inovação em Negócios
Livro Design Thinking, Inovação em NegóciosLivro Design Thinking, Inovação em Negócios
Livro Design Thinking, Inovação em NegóciosBeto Lima Branding
 
Introdução design thinking
Introdução design thinkingIntrodução design thinking
Introdução design thinkingJoana Cerejo
 
Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking Beto Lima Branding
 

Mais procurados (20)

Aula 07 metodologia munari
Aula 07   metodologia munariAula 07   metodologia munari
Aula 07 metodologia munari
 
Aula01 conceito design
Aula01 conceito designAula01 conceito design
Aula01 conceito design
 
Aula 05 Briefing
Aula 05   BriefingAula 05   Briefing
Aula 05 Briefing
 
História do Design - Apresentação - Hd00
História do Design - Apresentação - Hd00História do Design - Apresentação - Hd00
História do Design - Apresentação - Hd00
 
(Breve) Introdução ao Design
(Breve) Introdução ao Design(Breve) Introdução ao Design
(Breve) Introdução ao Design
 
Introdução a Projeto Gráfico.
Introdução a Projeto Gráfico.Introdução a Projeto Gráfico.
Introdução a Projeto Gráfico.
 
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de InovaçãoDesign Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
 
Briefing de Design
Briefing de DesignBriefing de Design
Briefing de Design
 
Direção de arte
Direção de arteDireção de arte
Direção de arte
 
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
 
Design Editorial | Elementos Editoriais
Design Editorial | Elementos EditoriaisDesign Editorial | Elementos Editoriais
Design Editorial | Elementos Editoriais
 
Design Editorial | Introdução
Design Editorial | IntroduçãoDesign Editorial | Introdução
Design Editorial | Introdução
 
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
 
Introdução ao Briefing
Introdução ao BriefingIntrodução ao Briefing
Introdução ao Briefing
 
Aula 4 - Comunicação Gráfica e Design
Aula 4  - Comunicação Gráfica e DesignAula 4  - Comunicação Gráfica e Design
Aula 4 - Comunicação Gráfica e Design
 
Livro Design Thinking, Inovação em Negócios
Livro Design Thinking, Inovação em NegóciosLivro Design Thinking, Inovação em Negócios
Livro Design Thinking, Inovação em Negócios
 
METODOLOGIA DE DESIGN
METODOLOGIA DE DESIGNMETODOLOGIA DE DESIGN
METODOLOGIA DE DESIGN
 
Introdução design thinking
Introdução design thinkingIntrodução design thinking
Introdução design thinking
 
Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking
 
Conceitos de Design
Conceitos de DesignConceitos de Design
Conceitos de Design
 

Destaque

Da Criação ao Design 360
Da Criação ao Design 360Da Criação ao Design 360
Da Criação ao Design 360Bruno Duarte
 
NOVO CONCEITO DE ARQUITETURA
NOVO CONCEITO DE ARQUITETURA NOVO CONCEITO DE ARQUITETURA
NOVO CONCEITO DE ARQUITETURA Vitor Muniz
 
Processo de criação de design
Processo de criação de designProcesso de criação de design
Processo de criação de designInfoBranding
 
Livro sketch up-design-de-moveis
Livro sketch up-design-de-moveisLivro sketch up-design-de-moveis
Livro sketch up-design-de-moveisLúcia Rosas
 
| Aula inaugural Profa. Suzete UTFPR
| Aula inaugural Profa. Suzete UTFPR| Aula inaugural Profa. Suzete UTFPR
| Aula inaugural Profa. Suzete UTFPRLeticia Sa
 
Design De MóVeis
Design De MóVeisDesign De MóVeis
Design De MóVeisrukka
 
Forma Ambientes Planejados
Forma Ambientes PlanejadosForma Ambientes Planejados
Forma Ambientes PlanejadosEverton Pacceli
 
Introdução ao Design de interface para dispositivos móveis
Introdução ao Design de interface para dispositivos móveisIntrodução ao Design de interface para dispositivos móveis
Introdução ao Design de interface para dispositivos móveisEdson Luiz
 
Blender e SketchUp
Blender e SketchUpBlender e SketchUp
Blender e SketchUpdfelinto
 
O processo de criação - Design - InfoBranding
O processo de criação - Design - InfoBrandingO processo de criação - Design - InfoBranding
O processo de criação - Design - InfoBrandingLeticia Ikeda
 
Apresentação Institucional Italínea
Apresentação Institucional ItalíneaApresentação Institucional Italínea
Apresentação Institucional ItalíneaItalínea Móveis
 

Destaque (20)

Forma função design
Forma função designForma função design
Forma função design
 
Design
DesignDesign
Design
 
Design e Mobilidade
Design e MobilidadeDesign e Mobilidade
Design e Mobilidade
 
Da Criação ao Design 360
Da Criação ao Design 360Da Criação ao Design 360
Da Criação ao Design 360
 
NOVO CONCEITO DE ARQUITETURA
NOVO CONCEITO DE ARQUITETURA NOVO CONCEITO DE ARQUITETURA
NOVO CONCEITO DE ARQUITETURA
 
design de móveis
design de móveisdesign de móveis
design de móveis
 
*
**
*
 
Casadesign moveis-planejados
Casadesign moveis-planejadosCasadesign moveis-planejados
Casadesign moveis-planejados
 
Móveis Planejados Recife
Móveis Planejados RecifeMóveis Planejados Recife
Móveis Planejados Recife
 
Processo de criação de design
Processo de criação de designProcesso de criação de design
Processo de criação de design
 
Livro sketch up-design-de-moveis
Livro sketch up-design-de-moveisLivro sketch up-design-de-moveis
Livro sketch up-design-de-moveis
 
| Aula inaugural Profa. Suzete UTFPR
| Aula inaugural Profa. Suzete UTFPR| Aula inaugural Profa. Suzete UTFPR
| Aula inaugural Profa. Suzete UTFPR
 
Design De MóVeis
Design De MóVeisDesign De MóVeis
Design De MóVeis
 
Forma Ambientes Planejados
Forma Ambientes PlanejadosForma Ambientes Planejados
Forma Ambientes Planejados
 
Todeschini Santo Amaro
Todeschini Santo AmaroTodeschini Santo Amaro
Todeschini Santo Amaro
 
Introdução ao Design de interface para dispositivos móveis
Introdução ao Design de interface para dispositivos móveisIntrodução ao Design de interface para dispositivos móveis
Introdução ao Design de interface para dispositivos móveis
 
Google Sketchup
Google SketchupGoogle Sketchup
Google Sketchup
 
Blender e SketchUp
Blender e SketchUpBlender e SketchUp
Blender e SketchUp
 
O processo de criação - Design - InfoBranding
O processo de criação - Design - InfoBrandingO processo de criação - Design - InfoBranding
O processo de criação - Design - InfoBranding
 
Apresentação Institucional Italínea
Apresentação Institucional ItalíneaApresentação Institucional Italínea
Apresentação Institucional Italínea
 

Semelhante a Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software

Fase de Imersão com Design Thinking
Fase de Imersão com Design ThinkingFase de Imersão com Design Thinking
Fase de Imersão com Design ThinkingUFPA
 
Desig thinking e confiança criativa
Desig thinking e confiança criativaDesig thinking e confiança criativa
Desig thinking e confiança criativaColaborativismo
 
Laboratório Web 2013-2014 - Etapas na Produção: Análise e Pesquisa
Laboratório Web 2013-2014 - Etapas na Produção: Análise e PesquisaLaboratório Web 2013-2014 - Etapas na Produção: Análise e Pesquisa
Laboratório Web 2013-2014 - Etapas na Produção: Análise e PesquisaRicardo Pereira Rodrigues
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service DesignErico Fileno
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service DesignErico Fileno
 
Metodologia ativação projetos prototipação slideshare
Metodologia ativação projetos prototipação slideshareMetodologia ativação projetos prototipação slideshare
Metodologia ativação projetos prototipação slideshareDobra Inova
 
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.Jane Vita
 
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuárioDesign de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuárioLuiz Henrique Pinho de Sá
 
InovaSession - Design Thinking 2012
InovaSession - Design Thinking 2012InovaSession - Design Thinking 2012
InovaSession - Design Thinking 2012rcmello13
 
Weme School | Design Thinking
Weme School | Design ThinkingWeme School | Design Thinking
Weme School | Design ThinkingFernanda Bisso
 
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidade
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidadeDesign thinking para quem trabalha em agências de publicidade
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidadeBruno Araldi
 
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para AndroidIntrodução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para AndroidNelson Vasconcelos
 
Projetos centrados no usuário
Projetos centrados no usuárioProjetos centrados no usuário
Projetos centrados no usuáriotalkitbr
 
Apresentação_TDC_Design_Thinking_2019.pdf
Apresentação_TDC_Design_Thinking_2019.pdfApresentação_TDC_Design_Thinking_2019.pdf
Apresentação_TDC_Design_Thinking_2019.pdfALLYSONALVESCARVALHO
 
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintEmpreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintAna Paula Batista
 
User Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUser Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUTFPR
 

Semelhante a Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software (20)

Fase de Imersão com Design Thinking
Fase de Imersão com Design ThinkingFase de Imersão com Design Thinking
Fase de Imersão com Design Thinking
 
Desig thinking e confiança criativa
Desig thinking e confiança criativaDesig thinking e confiança criativa
Desig thinking e confiança criativa
 
Laboratório Web 2013-2014 - Etapas na Produção: Análise e Pesquisa
Laboratório Web 2013-2014 - Etapas na Produção: Análise e PesquisaLaboratório Web 2013-2014 - Etapas na Produção: Análise e Pesquisa
Laboratório Web 2013-2014 - Etapas na Produção: Análise e Pesquisa
 
Design thinking E-info
Design thinking E-infoDesign thinking E-info
Design thinking E-info
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
 
Metodologia ativação projetos prototipação slideshare
Metodologia ativação projetos prototipação slideshareMetodologia ativação projetos prototipação slideshare
Metodologia ativação projetos prototipação slideshare
 
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
 
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuárioDesign de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
 
InovaSession - Design Thinking 2012
InovaSession - Design Thinking 2012InovaSession - Design Thinking 2012
InovaSession - Design Thinking 2012
 
Framework de Design Thinking
Framework de Design ThinkingFramework de Design Thinking
Framework de Design Thinking
 
Weme School | Design Thinking
Weme School | Design ThinkingWeme School | Design Thinking
Weme School | Design Thinking
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidade
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidadeDesign thinking para quem trabalha em agências de publicidade
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidade
 
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para AndroidIntrodução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
 
Projetos centrados no usuário
Projetos centrados no usuárioProjetos centrados no usuário
Projetos centrados no usuário
 
5 - A pesquisa.ppt
5 - A pesquisa.ppt5 - A pesquisa.ppt
5 - A pesquisa.ppt
 
Apresentação_TDC_Design_Thinking_2019.pdf
Apresentação_TDC_Design_Thinking_2019.pdfApresentação_TDC_Design_Thinking_2019.pdf
Apresentação_TDC_Design_Thinking_2019.pdf
 
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintEmpreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
 
User Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUser Experience Boot Camp
User Experience Boot Camp
 

Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software

  • 1. Métodos  de  Design   Uma  abordagem  para  estudos  de  viabilidade   em  projetos  de  so3ware  
  • 2. @_al3   Alessandro  Lima   Interac8on  Designer  |  Educa8on  Analyst   Fonte  imagem:  h9p://bandybum.com/?page_id=12  
  • 4.
  • 5. Será  que  o  sistema  contribui  para  os   objeFvos  da  organização?   h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade  
  • 6. Dadas  as  restrições  tecnológicas,   organizacionais  (econômicas,  políFcas,   ambientais,  recursos  disponíveis)  e   temporais  associadas  ao  projeto,  será  que   o  sistema  pode  ser  implementado?   h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade  
  • 7. Caso  haja  necessidade  de  integração   entre  diferentes  sistemas,  será  que   esta  é  possível?     h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade  
  • 8.
  • 12.
  • 13. Processo  de  Design   Todo  processo  de  Design  é  tanto  um  Processo   Cria8vo  como  um  um  processo  de  Solução  de   Problema.  (Lobach,  1976)   h9p://www.machsources.com/suppliers/jinshengtai/products/20934.html  
  • 14. Processo  de  Design   É  um  conjunto  de  Operações  necessárias,   dispostas  em  ordem  lógica,  que  nos  leva  de   forma  confiável  e  segura  à  solução  de  um   problema.  (Munari,  2000).  
  • 15.
  • 16. UCD   User  Centered  Design  
  • 17. UCD   “Além  da  forma  dsica  e  funções  mecânicas,  os   objetos  assumem  forma  social  e  funções   simbólicas”.   Donald  Norman   h9p://www.slideshare.net/efileno/aula1-­‐minicurso-­‐sobre-­‐design-­‐centrado-­‐no-­‐usurio  
  • 19.
  • 20. Lembram  que   perguntei  a   quem  perguntar?  
  • 21.
  • 22. Entrevista   É  uma  longa  conversa  que  explora  os  valores,   desejos,  frustrações  e  aspirações  do   entrevistado.   h9p://viniciuskrause.com/blog/?tag=design-­‐centrado-­‐no-­‐usuario  
  • 23. Entrevista   Muitas  vezes,  o  que  as  pessoas  dizem  que  fazem   e  o  que  realmente  fazem  não  são  a  mesma   coisa.  Assim  é  importante  não  basear  a   entrevista  apenas  em  perguntas  diretas.   h9p://www.ideo.com/work/human-­‐centered-­‐design-­‐toolkit/  
  • 24. Entrevista   Ser  longa  o  suficiente  para  fazer  o  entrevistado   se  senFr  realmente  ouvido  e  que  lhe  permita  ir   além  de  Scripts  ensaiados.  
  • 25. Entrevista   Ser  focada  o  suficiente  para  que  você  sinta  que   está  obtendo  informações  úteis  para  direcionar   seu  desafio  de  design.  
  • 26. Entrevista   Ser  generalista  o  suficiente  para  que  você  a   sinta  como  uma  conversação  aberta  que  o  pode   levar  a  ter  idéias  inesperadas.  
  • 27. Entrevista   Gerar  um  verdadeiro  bate  e  volta  que  o  faça   senFr  como  em  uma  conversa  que  facilita  a   entrevista.  
  • 28. Entrevista   Fazer  com  que  os  entrevistados  sintam  que  a   entrevista  é  sobre  eles,  não  sobre  o  produto,   serviço  ou  organização  que  você  está   representando.  
  • 30. Produza  uma  lista  de  tópicos   rela8vos  ao  seu  desafio   estratégico  para  serem   cobertos  na  pesquisa  de   campo.  
  • 31. Descubra  quem  pode  responder  perguntas  sobre   estes  tópicos.  
  • 32. Perguntas  de  Abertura   Aqueça  os  par>cipantes  com  perguntas  que  lhes   sejam  confortáveis.     1.  Dados  demográficos  dos  moradores?   2.  Quem  faz  o  quê?   3.  Histórias  de  um  passado  recente  
  • 33. Perguntas  de  Expansão   Sugira  uma  linha  de  pensamento  mais  ampla,   mesmo  aspiracional,  à  qual  eles  podem  não   estar  acostumados  em  seu  dia  a  dia.     4.  Aspirações  para  o  futuro   5.  Questões  de  caráter  amplo  e  sistemáFco  
  • 34. Perguntas  de  Sondagem  em   profundidade   Mergulhe  fundo  no  desafio  em  questão  e  sugira   cenários  hipoté>cos.     6.  Fontes  de  renda   7.  Perguntas  específicas  ao  desafio  de  inovação   8.  Para  perguntas  abstratas  use  cenários   dialéFcos  para  facilitar  a  resposta.  
  • 36. Personas   São  arqué8pos  de  pessoas  que  estão   envolvidas  com  o  produto  ou  serviço.  
  • 37. Personas   A  observação  e  entrevista  com  os   usuários  servem  de  input  para  criação  das   personas.  
  • 38. Personas   As  personas  possuem  caracterísFcas  dsicas  e   comportamentais  dos  usuários  reais  do  produto.   •  Nome   •  Gostos   •  Conhecimentos   •  Hábitos  coFdianos   •  Outros  dados  relevantes  
  • 39. Personas   •  Alinhamento  do  Fme  durante  o  projeto   •  Facilita  a  tomada  de  decisões  e  mudanças   evitando  novas  interações  com  usuário  reais   •  Mantém  as  necessidades  do  usuário  como   foco  
  • 40. Personas   •  O  número  de  personas  de  ser  sempre  entre  3   e  7.   •  Uma  grande  quanFdade  de  personas  pode   gerar  conflitos   •  As  personas  dever  ser  criadas  com  base  em   dados  reais;  “Ela  é  um  ser  humano”.  
  • 41. Personas   •  Alan  Cooper,  precussor  da  técnica  de   personas  orienta  a  uFlização  de  7  personas   por  projeto.   •  Ele  enfaFza,  nunca  faça  reuso  de  personas.   Uma  persona,  é  projetada  para  as   peculiaridades  do  projeto.  
  • 44. Cenários   •  Excelente  técnica  para  análise  e  validação  dos   Requisitos   •  São  histórias  que  contextualizam  o  uso  dos   artefatos/produtos  ou  serviços.   •  Assim  como  as  personas,  Cenários  devem  ser   baseados  em  dados  reais.  
  • 45. Cenários   •  Aplicando  as  Personas  aos  Cenários  estamos   definindo  um  Contexto  de  Uso.   •  Quanto  mais  eleborada  e  fiel  aos  dados   levantados  for  a  Persona,  mais  acerFvo  será   seu  Cenário.  
  • 46. Toca  o   play!     Desenvolver  uma   persona  e  um   cenário  de  uso  para   um  aplicaFvo  de   consulta  de  notas   para  smartphone.  
  • 48. Mapas  Mentais   •  Tony  Buzan,  foi  o  criador  desta  técnica.   •  A  função  do  mapa  mental  é  aumentar  o   pontencial  cerebral.   •  O  Mapa  Mental  é  a  expressão     gráfica  do  “Pensamento     Irradiante”  
  • 49.
  • 50. Toca  o   play!     Criar  um  mapa   mental  para  o   problema.   [Consultar  notas  em   qualquer  lugar]  
  • 51. Método  635   Similar  ao  Brainstorming  clássico  mais  com   ambiente  mais  controlado.     Grupos  de  6  integrantes  deverão  escrever  3   idéias  sobre  um  problema/tema  a  ser  tratado.  
  • 52. Método  635   Cada  integrante  terá  5  minutos  para  escrever   suas  idéias     A  cada  período  de  5  minutos  o  integrante  passar   sua  folha  para  o  colega  ao  lado  até  completar   todo  o  ciclo  
  • 53. Método  635   A  cada  período  de  5  minutos  o  integrante  passar   sua  folha  para  o  colega  ao  lado  até  completar   todo  o  ciclo  
  • 54. Método  635   118  idéias  em   30  minutos  
  • 55. Ferramentas   h9p://freenuts.com/top-­‐10-­‐free-­‐online-­‐mind-­‐mapping-­‐tools/  
  • 57.
  • 59. ProtóFpo  em  Papel   •  ProtóFpos  em  papel  se  caracterizam  como:   –  Uma  forma  rápida  de  expressar  e  testar  o  design     –  Pode  ser  usado  também  como  uma  ferramenta  de   comunicação  para  facilitar  o  entendimento  de  um   design.    
  • 60. PAPER-­‐IN-­‐SCREEN  PROTOTYPING   A desenhe  os   sketchs   C B oFmize   digitalize   D F E transfira   organize   teste  
  • 63. Ferramentas   h9p://www.1stwebdesigner.com/design/wireframing-­‐mockup-­‐prototyping-­‐tools-­‐plan-­‐designs/  
  • 64. Toca  o   play!   Desenvolver   ProtóFpo  em  Papel.   Do  aplicaFvo  de   Consulta  de  Notas.