Métodos	  de	  Design	     Uma	  abordagem	  para	  estudos	  de	  viabilidade	                           em	  projetos	  ...
@_al3	       Alessandro	  Lima	  Interac8on	  Designer	  |	  Educa8on	  Analyst	                                          ...
REQUISITOS	  
Será	  que	  o	  sistema	  contribui	  para	  os	  objeFvos	  da	  organização?	                            h"p://pt.wikip...
Dadas	  as	  restrições	  tecnológicas,	  organizacionais	  (econômicas,	  políFcas,	  ambientais,	  recursos	  disponívei...
Caso	  haja	  necessidade	  de	  integração	  entre	  diferentes	  sistemas,	  será	  que	  esta	  é	  possível?	  	      ...
h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade	  
A	  quem	  perguntamos?	  
STAKEHOLDERS	  
Processo	  de	  Design	  Todo	  processo	  de	  Design	  é	  tanto	  um	  Processo	  Cria8vo	  como	  um	  um	  processo	 ...
Processo	  de	  Design	  É	  um	  conjunto	  de	  Operações	  necessárias,	  dispostas	  em	  ordem	  lógica,	  que	  nos	...
UCD	  User	  Centered	  Design	  
UCD	  “Além	  da	  forma	  dsica	  e	  funções	  mecânicas,	  os	      objetos	  assumem	  forma	  social	  e	  funções	  ...
h9p://wi.hexagram.ca/?p=67	  
Lembram	  que	  perguntei	  a	  quem	  perguntar?	  
Entrevista	  É	  uma	  longa	  conversa	  que	  explora	  os	  valores,	  desejos,	  frustrações	  e	  aspirações	  do	  e...
Entrevista	  Muitas	  vezes,	  o	  que	  as	  pessoas	  dizem	  que	  fazem	  e	  o	  que	  realmente	  fazem	  não	  são	...
Entrevista	  Ser	  longa	  o	  suficiente	  para	  fazer	  o	  entrevistado	  se	  senFr	  realmente	  ouvido	  e	  que	  l...
Entrevista	  Ser	  focada	  o	  suficiente	  para	  que	  você	  sinta	  que	  está	  obtendo	  informações	  úteis	  para	...
Entrevista	  Ser	  generalista	  o	  suficiente	  para	  que	  você	  a	  sinta	  como	  uma	  conversação	  aberta	  que	 ...
Entrevista	  Gerar	  um	  verdadeiro	  bate	  e	  volta	  que	  o	  faça	  senFr	  como	  em	  uma	  conversa	  que	  faci...
Entrevista	  Fazer	  com	  que	  os	  entrevistados	  sintam	  que	  a	  entrevista	  é	  sobre	  eles,	  não	  sobre	  o	...
Preparação	  da	  Entrevista	  
Produza	  uma	  lista	  de	  tópicos	       rela8vos	  ao	  seu	  desafio	        estratégico	  para	  serem	      cobertos...
Descubra	  quem	  pode	  responder	  perguntas	  sobre	  estes	  tópicos.	  
Perguntas	  de	  Abertura	  Aqueça	  os	  par>cipantes	  com	  perguntas	  que	  lhes	  sejam	  confortáveis.	  	  1.	  Da...
Perguntas	  de	  Expansão	  Sugira	  uma	  linha	  de	  pensamento	  mais	  ampla,	  mesmo	  aspiracional,	  à	  qual	  el...
Perguntas	  de	  Sondagem	  em	                 profundidade	  Mergulhe	  fundo	  no	  desafio	  em	  questão	  e	  sugira	...
Personas	  h9p://andrejacobporrolio.blogspot.com/2010_04_01_archive.html	  
Personas	  São	  arqué8pos	  de	  pessoas	  que	  estão	  envolvidas	  com	  o	  produto	  ou	  serviço.	  
Personas	  A	  observação	  e	  entrevista	  com	  os	  usuários	  servem	  de	  input	  para	  criação	  das	  personas.	  
Personas	  As	  personas	  possuem	  caracterísFcas	  dsicas	  e	  comportamentais	  dos	  usuários	  reais	  do	  produto...
Personas	  •  Alinhamento	  do	  Fme	  durante	  o	  projeto	  •  Facilita	  a	  tomada	  de	  decisões	  e	  mudanças	   ...
Personas	  •  O	  número	  de	  personas	  de	  ser	  sempre	  entre	  3	     e	  7.	  •  Uma	  grande	  quanFdade	  de	  ...
Personas	  •  Alan	  Cooper,	  precussor	  da	  técnica	  de	     personas	  orienta	  a	  uFlização	  de	  7	  personas	 ...
h9p://wiki.openmoko.org/images/3/31/	  
Cenários	  
Cenários	  •  Excelente	  técnica	  para	  análise	  e	  validação	  dos	     Requisitos	  •  São	  histórias	  que	  cont...
Cenários	  •  Aplicando	  as	  Personas	  aos	  Cenários	  estamos	     definindo	  um	  Contexto	  de	  Uso.	  •  Quanto	 ...
Toca	  o	   play!	  	  Desenvolver	  uma	  persona	  e	  um	  cenário	  de	  uso	  para	  um	  aplicaFvo	  de	  consulta	 ...
Geração	  de	  Alterna8vas	  
Mapas	  Mentais	  •  Tony	  Buzan,	  foi	  o	  criador	  desta	  técnica.	  •  A	  função	  do	  mapa	  mental	  é	  aumen...
Toca	  o	   play!	  	  Criar	  um	  mapa	  mental	  para	  o	  problema.	  [Consultar	  notas	  em	  qualquer	  lugar]	  
Método	  635	  Similar	  ao	  Brainstorming	  clássico	  mais	  com	  ambiente	  mais	  controlado.	  	  Grupos	  de	  6	 ...
Método	  635	  Cada	  integrante	  terá	  5	  minutos	  para	  escrever	  suas	  idéias	  	  A	  cada	  período	  de	  5	 ...
Método	  635	  A	  cada	  período	  de	  5	  minutos	  o	  integrante	  passar	  sua	  folha	  para	  o	  colega	  ao	  la...
Método	  635	  118	  idéias	  em	   30	  minutos	  
Ferramentas	             h9p://freenuts.com/top-­‐10-­‐free-­‐online-­‐mind-­‐mapping-­‐tools/	  
Seleção	  de	  AlternaFvas	  
ProtóFpo	  em	  Papel	  
ProtóFpo	  em	  Papel	  •  ProtóFpos	  em	  papel	  se	  caracterizam	  como:	     –  Uma	  forma	  rápida	  de	  expressa...
PAPER-­‐IN-­‐SCREEN	  PROTOTYPING	        A        desenhe	  os	                 sketchs	                                 ...
PAPER-­‐IN-­‐SCREEN	  PROTOTYPING	  
ProtóFpo	  Navegacional	  
Ferramentas	         h9p://www.1stwebdesigner.com/design/wireframing-­‐mockup-­‐prototyping-­‐tools-­‐plan-­‐designs/	  
Toca	  o	   play!	  Desenvolver	  ProtóFpo	  em	  Papel.	  Do	  aplicaFvo	  de	  Consulta	  de	  Notas.	  
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software

1.774 visualizações

Publicada em

Palestra para a turma de Sistemas de Informação da Faculdade Maurício de Nassau em Recife. Ano 2010.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.774
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de software

  1. 1. Métodos  de  Design   Uma  abordagem  para  estudos  de  viabilidade   em  projetos  de  so3ware  
  2. 2. @_al3   Alessandro  Lima  Interac8on  Designer  |  Educa8on  Analyst   Fonte  imagem:  h9p://bandybum.com/?page_id=12  
  3. 3. REQUISITOS  
  4. 4. Será  que  o  sistema  contribui  para  os  objeFvos  da  organização?   h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade  
  5. 5. Dadas  as  restrições  tecnológicas,  organizacionais  (econômicas,  políFcas,  ambientais,  recursos  disponíveis)  e  temporais  associadas  ao  projeto,  será  que  o  sistema  pode  ser  implementado?   h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade  
  6. 6. Caso  haja  necessidade  de  integração  entre  diferentes  sistemas,  será  que  esta  é  possível?     h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade  
  7. 7. h"p://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_requisitos#Estudos_de_viabilidade  
  8. 8. A  quem  perguntamos?  
  9. 9. STAKEHOLDERS  
  10. 10. Processo  de  Design  Todo  processo  de  Design  é  tanto  um  Processo  Cria8vo  como  um  um  processo  de  Solução  de  Problema.  (Lobach,  1976)   h9p://www.machsources.com/suppliers/jinshengtai/products/20934.html  
  11. 11. Processo  de  Design  É  um  conjunto  de  Operações  necessárias,  dispostas  em  ordem  lógica,  que  nos  leva  de  forma  confiável  e  segura  à  solução  de  um  problema.  (Munari,  2000).  
  12. 12. UCD  User  Centered  Design  
  13. 13. UCD  “Além  da  forma  dsica  e  funções  mecânicas,  os   objetos  assumem  forma  social  e  funções   simbólicas”.   Donald  Norman   h9p://www.slideshare.net/efileno/aula1-­‐minicurso-­‐sobre-­‐design-­‐centrado-­‐no-­‐usurio  
  14. 14. h9p://wi.hexagram.ca/?p=67  
  15. 15. Lembram  que  perguntei  a  quem  perguntar?  
  16. 16. Entrevista  É  uma  longa  conversa  que  explora  os  valores,  desejos,  frustrações  e  aspirações  do  entrevistado.   h9p://viniciuskrause.com/blog/?tag=design-­‐centrado-­‐no-­‐usuario  
  17. 17. Entrevista  Muitas  vezes,  o  que  as  pessoas  dizem  que  fazem  e  o  que  realmente  fazem  não  são  a  mesma  coisa.  Assim  é  importante  não  basear  a  entrevista  apenas  em  perguntas  diretas.   h9p://www.ideo.com/work/human-­‐centered-­‐design-­‐toolkit/  
  18. 18. Entrevista  Ser  longa  o  suficiente  para  fazer  o  entrevistado  se  senFr  realmente  ouvido  e  que  lhe  permita  ir  além  de  Scripts  ensaiados.  
  19. 19. Entrevista  Ser  focada  o  suficiente  para  que  você  sinta  que  está  obtendo  informações  úteis  para  direcionar  seu  desafio  de  design.  
  20. 20. Entrevista  Ser  generalista  o  suficiente  para  que  você  a  sinta  como  uma  conversação  aberta  que  o  pode  levar  a  ter  idéias  inesperadas.  
  21. 21. Entrevista  Gerar  um  verdadeiro  bate  e  volta  que  o  faça  senFr  como  em  uma  conversa  que  facilita  a  entrevista.  
  22. 22. Entrevista  Fazer  com  que  os  entrevistados  sintam  que  a  entrevista  é  sobre  eles,  não  sobre  o  produto,  serviço  ou  organização  que  você  está  representando.  
  23. 23. Preparação  da  Entrevista  
  24. 24. Produza  uma  lista  de  tópicos   rela8vos  ao  seu  desafio   estratégico  para  serem   cobertos  na  pesquisa  de   campo.  
  25. 25. Descubra  quem  pode  responder  perguntas  sobre  estes  tópicos.  
  26. 26. Perguntas  de  Abertura  Aqueça  os  par>cipantes  com  perguntas  que  lhes  sejam  confortáveis.    1.  Dados  demográficos  dos  moradores?  2.  Quem  faz  o  quê?  3.  Histórias  de  um  passado  recente  
  27. 27. Perguntas  de  Expansão  Sugira  uma  linha  de  pensamento  mais  ampla,  mesmo  aspiracional,  à  qual  eles  podem  não  estar  acostumados  em  seu  dia  a  dia.    4.  Aspirações  para  o  futuro  5.  Questões  de  caráter  amplo  e  sistemáFco  
  28. 28. Perguntas  de  Sondagem  em   profundidade  Mergulhe  fundo  no  desafio  em  questão  e  sugira  cenários  hipoté>cos.    6.  Fontes  de  renda  7.  Perguntas  específicas  ao  desafio  de  inovação  8.  Para  perguntas  abstratas  use  cenários  dialéFcos  para  facilitar  a  resposta.  
  29. 29. Personas  h9p://andrejacobporrolio.blogspot.com/2010_04_01_archive.html  
  30. 30. Personas  São  arqué8pos  de  pessoas  que  estão  envolvidas  com  o  produto  ou  serviço.  
  31. 31. Personas  A  observação  e  entrevista  com  os  usuários  servem  de  input  para  criação  das  personas.  
  32. 32. Personas  As  personas  possuem  caracterísFcas  dsicas  e  comportamentais  dos  usuários  reais  do  produto.   •  Nome   •  Gostos   •  Conhecimentos   •  Hábitos  coFdianos   •  Outros  dados  relevantes  
  33. 33. Personas  •  Alinhamento  do  Fme  durante  o  projeto  •  Facilita  a  tomada  de  decisões  e  mudanças   evitando  novas  interações  com  usuário  reais  •  Mantém  as  necessidades  do  usuário  como   foco  
  34. 34. Personas  •  O  número  de  personas  de  ser  sempre  entre  3   e  7.  •  Uma  grande  quanFdade  de  personas  pode   gerar  conflitos  •  As  personas  dever  ser  criadas  com  base  em   dados  reais;  “Ela  é  um  ser  humano”.  
  35. 35. Personas  •  Alan  Cooper,  precussor  da  técnica  de   personas  orienta  a  uFlização  de  7  personas   por  projeto.  •  Ele  enfaFza,  nunca  faça  reuso  de  personas.   Uma  persona,  é  projetada  para  as   peculiaridades  do  projeto.  
  36. 36. h9p://wiki.openmoko.org/images/3/31/  
  37. 37. Cenários  
  38. 38. Cenários  •  Excelente  técnica  para  análise  e  validação  dos   Requisitos  •  São  histórias  que  contextualizam  o  uso  dos   artefatos/produtos  ou  serviços.  •  Assim  como  as  personas,  Cenários  devem  ser   baseados  em  dados  reais.  
  39. 39. Cenários  •  Aplicando  as  Personas  aos  Cenários  estamos   definindo  um  Contexto  de  Uso.  •  Quanto  mais  eleborada  e  fiel  aos  dados   levantados  for  a  Persona,  mais  acerFvo  será   seu  Cenário.  
  40. 40. Toca  o   play!    Desenvolver  uma  persona  e  um  cenário  de  uso  para  um  aplicaFvo  de  consulta  de  notas  para  smartphone.  
  41. 41. Geração  de  Alterna8vas  
  42. 42. Mapas  Mentais  •  Tony  Buzan,  foi  o  criador  desta  técnica.  •  A  função  do  mapa  mental  é  aumentar  o   pontencial  cerebral.  •  O  Mapa  Mental  é  a  expressão     gráfica  do  “Pensamento     Irradiante”  
  43. 43. Toca  o   play!    Criar  um  mapa  mental  para  o  problema.  [Consultar  notas  em  qualquer  lugar]  
  44. 44. Método  635  Similar  ao  Brainstorming  clássico  mais  com  ambiente  mais  controlado.    Grupos  de  6  integrantes  deverão  escrever  3  idéias  sobre  um  problema/tema  a  ser  tratado.  
  45. 45. Método  635  Cada  integrante  terá  5  minutos  para  escrever  suas  idéias    A  cada  período  de  5  minutos  o  integrante  passar  sua  folha  para  o  colega  ao  lado  até  completar  todo  o  ciclo  
  46. 46. Método  635  A  cada  período  de  5  minutos  o  integrante  passar  sua  folha  para  o  colega  ao  lado  até  completar  todo  o  ciclo  
  47. 47. Método  635  118  idéias  em   30  minutos  
  48. 48. Ferramentas   h9p://freenuts.com/top-­‐10-­‐free-­‐online-­‐mind-­‐mapping-­‐tools/  
  49. 49. Seleção  de  AlternaFvas  
  50. 50. ProtóFpo  em  Papel  
  51. 51. ProtóFpo  em  Papel  •  ProtóFpos  em  papel  se  caracterizam  como:   –  Uma  forma  rápida  de  expressar  e  testar  o  design     –  Pode  ser  usado  também  como  uma  ferramenta  de   comunicação  para  facilitar  o  entendimento  de  um   design.    
  52. 52. PAPER-­‐IN-­‐SCREEN  PROTOTYPING   A desenhe  os   sketchs   C B oFmize   digitalize  D F E transfira  organize   teste  
  53. 53. PAPER-­‐IN-­‐SCREEN  PROTOTYPING  
  54. 54. ProtóFpo  Navegacional  
  55. 55. Ferramentas   h9p://www.1stwebdesigner.com/design/wireframing-­‐mockup-­‐prototyping-­‐tools-­‐plan-­‐designs/  
  56. 56. Toca  o   play!  Desenvolver  ProtóFpo  em  Papel.  Do  aplicaFvo  de  Consulta  de  Notas.  

×