Renan Elias
Sandro Espírito Santo
 Pesquisa desenvolvida por WAGNER JOSÉ
QUIRICI;
 Entender o desenvolvimento de APL no
cenário econômico atual e seus imp...
Cenário econômico atual:
 Acirrada competição entre países e regiões
do mundo pela disputa de investimentos e
renda;
 re...
 A localidade passa a ter papel de destaque,
apresentando competitividade e gerando
desenvolvimento econômico local e do ...
Para que as empresas adquiram
competitividade real e sustentada é
necessária à busca pela “eficiência coletiva”
(SCHMITZ, ...
 O conceito de arranjo produtivo local
 “Aglomerados de agentes econômicos, políticos
e sociais, localizados em um mesmo...
Importantes para países em desenvolvimento:
 Preserva as estruturas locais de produção;
 Capacita a localidade a competi...
Objetivos da pesquisa
Objetivo Geral - Formular um modelo
conceitual que auxilie gestores locais na
sistematização dos pro...
Objetivos Específicos:
 Identificação dos fatores determinantes para o
surgimento de arranjos produtivos locais;
 Caract...
Objetivos Específicos:
 Levantamento das alternativas metodológicas
de planejamento e gestão de arranjos;
 Formulação de...
ReferencialTeórico:
 Nova Geografia Econômica (KRUGMAN,
1998);
 Economia dos Negócios (PORTER, 1998);
 Economia Regiona...
Fatores Determinantes:
 Fatores Determinantes Associados às
Externalidades;
 Fatores Determinantes Associados às
Interna...
Dinâmica dos Arranjos produtivos
Caracterização dos Arranjos Produtivos
Elementos Relevantes de Suporte
 Conhecer as alternativas metodológicas;
 Fazer a opção mais conveniente para certo
prop...
 Roteiro de Questões para formulação do
Modelo Conceitual
A figura 08 a seguir resume as premissas, o problema e os objet...
Fatores Determinantes:
 FD1: Externalidades expontâneas, não planejadas
determinam as vantagens locacionais e as
potencia...
QUESTÕESGERAIS
 QG0:Porquê, onde, como e quando empresas se aglomeraram
geograficamente?
 QG1: Qual a origem do agrument...
Modelo Conceitual para o desenvolvimento de arranjos produtivos
 Conclusão
 O Modelo Conceitual nos moldes do modelo
proposto representa uma contribuição
relevante na sistematização do...
 Obrigado
Referência:
 QUIRICI,Wagner José. Modelo conceitual para o desenvolvimento de
arranjos produtivos locais. 2006. Dissertaç...
Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs
Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs
Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs
Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs
Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs
Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs
Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs
Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs
Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs

544 visualizações

Publicada em

Trabalho apresentado na disciplina de Arranjos Produtivos Locais, na FATEC Mogi das Cruzes, Setembro de 2013

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
544
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modelo conceitual para o desenvolvimento de APLs

  1. 1. Renan Elias Sandro Espírito Santo
  2. 2.  Pesquisa desenvolvida por WAGNER JOSÉ QUIRICI;  Entender o desenvolvimento de APL no cenário econômico atual e seus impactos sobre as economias nacionais, regionais e locais.
  3. 3. Cenário econômico atual:  Acirrada competição entre países e regiões do mundo pela disputa de investimentos e renda;  reestruturação do Estado, transferência de várias responsabilidades aos estados e municípios, reforçando a importância das forças locais
  4. 4.  A localidade passa a ter papel de destaque, apresentando competitividade e gerando desenvolvimento econômico local e do país;  O mesmo setor produtivo, concentrado em uma área geográfica delimitada por traços históricos, culturais e sociais comuns, têm potencial para adquirir vantagens competitivas.(Mas só isso não é suficiente)
  5. 5. Para que as empresas adquiram competitividade real e sustentada é necessária à busca pela “eficiência coletiva” (SCHMITZ, 1997). Fundamental:  apresentar especialização ;  ganhos de escala
  6. 6.  O conceito de arranjo produtivo local  “Aglomerados de agentes econômicos, políticos e sociais, localizados em um mesmo território, operando com foco em atividades correlacionadas e que apresentam vínculos expressivos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem.”  Incluem diversas outras instituições públicas e privadas voltadas à formação e capacitação de recursos humanos, pesquisa, desenvolvimento e engenharia, promoção e financiamento.
  7. 7. Importantes para países em desenvolvimento:  Preserva as estruturas locais de produção;  Capacita a localidade a competir e inovar, penetrando em mercados globalizados;  Auxilia pequenas e médias empresas a ultrapassar conhecidas barreiras ao crescimento;
  8. 8. Objetivos da pesquisa Objetivo Geral - Formular um modelo conceitual que auxilie gestores locais na sistematização dos processos de organização, planejamento e de gestão de arranjos produtivos, contribuindo dessa forma para o seu desenvolvimento e consolidação.
  9. 9. Objetivos Específicos:  Identificação dos fatores determinantes para o surgimento de arranjos produtivos locais;  Caracterização do perfil e do potencial de arranjos produtivos emergentes;  Determinação da dinâmica de desenvolvimento dos arranjos produtivos locais;  Levantamento das alternativas de organização do sistema de gestão de arranjos;
  10. 10. Objetivos Específicos:  Levantamento das alternativas metodológicas de planejamento e gestão de arranjos;  Formulação de modelo conceitual para desenvolvimento de arranjos produtivos.  Verificação da compatibilidade e aplicabilidade do modelo conceitual;  Verificação das contribuições e limitações do modelo conceitual;
  11. 11. ReferencialTeórico:  Nova Geografia Econômica (KRUGMAN, 1998);  Economia dos Negócios (PORTER, 1998);  Economia Regional (SCOTT, 1998);  Economia da Inovação (AUDRETSCH, 1998):;  Pequenas Empresas e Distritos Industriais (SCHIMTZ, 1997; 1999);
  12. 12. Fatores Determinantes:  Fatores Determinantes Associados às Externalidades;  Fatores Determinantes Associados às Internalidades.
  13. 13. Dinâmica dos Arranjos produtivos
  14. 14. Caracterização dos Arranjos Produtivos
  15. 15. Elementos Relevantes de Suporte  Conhecer as alternativas metodológicas;  Fazer a opção mais conveniente para certo propósito, em dada situação;  Utilizar uma como cheque da outra, e, principalmente;  Ter sempre presente as limitações e complementariedade da cada uma delas tomadas de per si.
  16. 16.  Roteiro de Questões para formulação do Modelo Conceitual A figura 08 a seguir resume as premissas, o problema e os objetivos do estudo. PREMISSA ESPECÌFICA •O fenômeno da formação de arranjos produtivos locais pode ser induzido e sustentado com a adoção de um modelo conceitual adequado PROBLEMA •Como podem ser estruturadas as atividades e decisões relevantes para o planejamento e o desenvolvimento de arranjos produtivos emergentes? PREMISSA GERAL •Aglomerações geográfica de empresas que conseguem evoluir para estruturas de arranjos produtivos locais ganham competitividade e capacidade de inserção no mercado nacional e internacional, contribuindo de forma relevante para o desenvolvimento regional OBJETIVOS •Formular um modelo conceitual para identificar e desenvolver as potencialidades locais para novos arranjos produtivos •Demonstrar através de pesquisa a validade, a aplicabilidade e a capacidade do modelo conceitual de produzir resultados relevantes
  17. 17. Fatores Determinantes:  FD1: Externalidades expontâneas, não planejadas determinam as vantagens locacionais e as potencialidades locais para ocorrência de aglomeração  FD2: Internalidades atuando sobre as externalidades conseguem gerar eficiência coletiva, economia de escala e inovação radicais resultando em vantagens competitivas para expansão para novos mercado  FD3: Agentes locais atuando intencionalmente conseguem através da cooperação privada e das políticas publicas promover o desenvolvimento das aglomerações
  18. 18. QUESTÕESGERAIS  QG0:Porquê, onde, como e quando empresas se aglomeraram geograficamente?  QG1: Qual a origem do agrumento (Porquê)  QG2: Qual é a sua localização? (Onde?)  QG3: Quais são suas vantagens competitívas? (Como?)  QG2: Qual é a sua dinâmica? (Quando?)
  19. 19. Modelo Conceitual para o desenvolvimento de arranjos produtivos
  20. 20.  Conclusão  O Modelo Conceitual nos moldes do modelo proposto representa uma contribuição relevante na sistematização dos processos de organização, planejamento e de gestão de arranjos produtivos, contribuindo dessa forma para o seu desenvolvimento e consolidação.
  21. 21.  Obrigado
  22. 22. Referência:  QUIRICI,Wagner José. Modelo conceitual para o desenvolvimento de arranjos produtivos locais. 2006. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-18062007- 153505/>. Acesso em: 2013-09-18.

×