zonas de vertente

15.091 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.091
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.454
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
180
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

zonas de vertente

  1. 1. Zonas de vertente
  2. 2. Introdução Ao longo deste trabalho vamos abordar o tema: “Zonas de Vertente”  que escolhemos após uma consciente reflexão por causa do enorme interesse que nos suscitou. Este tema demonstrou-se, para nós, como o tema mais actual e que poderia ser mais útil para os  membros do grupo visto que alguns dos membros do grupo vivem em zonas com estas características e pretendem, por isso, dar a conhecer os riscos e cuidados a ter nesses locais. A escolha deste local foi baseada na curiosidade e interesse revelados pelos membros do grupo na zona onde vive um dos elementos do nosso grupo. Para além de ser do nosso distrito (Viseu), enquadra-se na temática a abordar neste tema pois é uma região rica em zonas de vertente.
  3. 3. <ul><ul><li>Terra de montes de xisto e aldeias em pequenos terraços a meio das encostas, o concelho de São João da Pesqueira possui uma extensa zona enquadrada na Região Demarcada do Douro. </li></ul></ul>
  4. 5. <ul><ul><li>Movimento de massa é um fenómeno que consiste </li></ul></ul><ul><ul><li>no deslocamento de materiais sólidos ao longo de </li></ul></ul><ul><ul><li>uma vertente. </li></ul></ul><ul><ul><li>Os movimentos de massa estão condicionados por : </li></ul></ul><ul><li>tipo e características das rochas; </li></ul><ul><li>orientação e inclinação das camadas; </li></ul><ul><li>o grau de alteração e fracturação das rochas; </li></ul><ul><li>a presença/ausência de vegetação. </li></ul><ul><li>precipitação; </li></ul><ul><li>a acção do homem ; </li></ul><ul><li>a ocorrência de sismos ; </li></ul><ul><li>a ocorrência de tempestades em zonas costeiras. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Pode -se afirmar que o tipo de rocha e as características da vertente são factores determinantes na possibilidade de se dar um movimento de massa: </li></ul><ul><li>rochas que apresentem uma menor resistência a fracturas tendem a quebrar-se e a originar um movimento de massa; </li></ul><ul><li>a existência de fracturas e poros nas rochas vai facilitar a acção dos agentes de meteoriz aç ão e erosão. </li></ul>
  6. 7. Medidas a tomar em conta que podem evitar um grande número de movimentos de massa. <ul><li>O ordenamento de território; </li></ul><ul><li>A construção de estruturas de suporte capazes de suportarem as vertentes e evitar a destruição da vegetação nestas zonas; </li></ul><ul><li>Evitar a poluição nestas zonas. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Quais os perigos de viver numa zona de vertente como esta? </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Devemos ter muito em conta a zona quando pensamos em construir casa, pois se escolhermos uma zona de vertente corremos muitos riscos tais como: </li></ul><ul><li>Destruição dos alicerces da casa o que vai provocar o arrasamento da casa </li></ul><ul><li>Abertura de fendas nas paredes </li></ul><ul><li>Aluimentos de terrenos </li></ul><ul><li>E se forem movimentos muito bruscos </li></ul><ul><li>podem trazer a destruição de várias habitações. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>E esses movimentos também trazem malefícios para os animais, porque esses movimentos destroem os seus habitats e também o seu alimento, pois quando existem derrocadas por vezes caem em cima de ervas, e de outros que servem de alimento para os animais e para nós por vezes. </li></ul>
  10. 11. O que são zonas de vertente? <ul><li>são constituída essencialmente por materiais rochosos; </li></ul><ul><li>podem possuir vegetação; </li></ul><ul><li>apresentam um declive acentuado; </li></ul><ul><li>estão sujeita à acção de processos de meteorização e erosão. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>O conjunto de processos de meteorização e erosão podem </li></ul><ul><li>originar movimentos de massa (é um fenómeno que consiste </li></ul><ul><li>no deslocamento de materiais sólidos ao longo de uma </li></ul><ul><li>vertente). </li></ul><ul><li>- A Meteorização é o conjunto de processos que provoca a </li></ul><ul><li>modificação das características iniciais das rochas, através </li></ul><ul><li>de factores químicos e físicos, que ocorrem à superfície </li></ul><ul><li>- A Erosão corresponde a vários processos físicos, que </li></ul><ul><li>permitem remover os materiais resultantes da meteorização, transporta-os para outros locais e desgasta-os durante o </li></ul><ul><li>movimento. </li></ul>
  12. 13. A meteorização pode evidenciar através dos seguintes processos físicos: <ul><li>Acção da água; </li></ul><ul><li>Acção do gelo (ou crioclastia); </li></ul><ul><li>Acção do calor (ou termoclastia); </li></ul><ul><li>Acção dos seres vivos; </li></ul><ul><li>Crescimento de minerais (ou haloclastia); </li></ul><ul><li>Alívio de pressão. </li></ul>
  13. 14. Após a meteorização tem inicio a erosão, que fica a dever-se principalmente: <ul><li>à acção hídrica, essencialmente provocada pela água das chuvas mas também a erosão provocada pelo mar (abrasão), nas arribas </li></ul><ul><li>à acção da força da gravidade aos próprios movimentos de massas; </li></ul>
  14. 15. <ul><li>Contudo, existem medi das a tomar em conta que podem evitar um grande número de movimento s de massa: o ordenamento de território, a construção de estrut uras de suporte capazes de suportarem as vertentes e evitar a destru ição da vegetação nestas zonas (o que implica especial cuidado no que to ca à prevenção de incêndios – evitar a poluição nestas zonas, por exem plo). </li></ul>
  15. 16. Bibliografia <ul><li>http:// nuieee.fe.up.pt /~ee04165/rui/ zonasdevertente / </li></ul><ul><li>www.infopedia.pt / zonas-de-vertente </li></ul><ul><li>www.sjpesqueira.pt / </li></ul><ul><li>pt.wikipedia.org/wiki/São_João_da_Pesqueira </li></ul><ul><li>http:// images.google.pt /images?q=montanhas&hl=pt-PT&um=1&ie=UTF-8&sa=X&oi=images&ct=title </li></ul>
  16. 17. Trabalho elaborado por: <ul><li>Filipa Daniela nº5 </li></ul><ul><li>Maura Gomes nº 11 </li></ul><ul><li>Rafael Lourenço nº14 11ºC </li></ul><ul><li>Sandra Rodrigues nº16 </li></ul><ul><li>Sandrina Costa nº18 </li></ul><ul><li>Disciplina: Geologia </li></ul><ul><li>Professora: Arminda Sousa </li></ul><ul><li>Escola Secundária de Viriato </li></ul><ul><li>2007/2008 </li></ul>

×