Tratamento de águas residuais

2.711 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.711
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
107
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tratamento de águas residuais

  1. 1. Tratamento deÁguas Residuais
  2. 2. A Água A água é um bem essencial à vida e à sobrevivência dos seresvivos mas um bem escasso que urge racionar ereaproveitar, havendo vários métodos para tratar a água paraconsumo humano e as águas residuais, resultantes dos esgotos. Por ser essencial e existirem reservas limitadas, a água é cada vezmais estratégica. Discute-se o seu uso racional, a sua temida eaparentemente inevitável escassez e a degradação das suasreservas, pois dela depende a qualidade de vida no planeta. A construção de estações de tratamento de águas residuais éessencial para a manutenção da qualidade das águas dos rios e daspraias, bem como para a manutenção da vida dos organismosdesses ambientes. A água, depois de tratada, é lançada de novonos rios e os resíduos podem ser lançados em aterros sanitários ouutilizados como fertilizantes.
  3. 3. Águas Residuais são as águas residuais de serviços e instalações residenciais e essencialmente provenientes do metabolismosão todas as águas residuais humano e de actividadesprovenientes de instalações Domésticas domésticas.utilizadas para todo o tipode comércio ou indústriaque não sejam de origemdoméstica ou deescoamento pluvial. Águas Residuais Urbanas Industriais são as águas residuais domésticas ou a mistura de águas residuais domésticas com águas residuais industriais e/ou águas de escoamento pluvial.
  4. 4. ETAR Cada câmara municipal possui uma redede condutas por onde a água éencaminhada para as habitações. Já emcasa, utilizamos a água nas mais diversastarefas diárias. Esta água, chamada de águaresidual, fica imprópria para consumo esegue agora um trajecto diferente. Ela éencaminhada para uma ETAR, uma Estaçãode Tratamento de Águas Residuais, ondevai passar por um processo rigoroso detratamento. O tratamento de águas residuais numaETAR deve consistir em quatro fases: Tratamento preliminar Tratamento primário Tratamento secundário Tratamento terciário
  5. 5. Tratamento preliminar A água residual que chega à ETAR passapor um tratamento preliminar queconsiste numa filtração. Aqui a águaresidual passa através de umas grades queretêm os materiais sólidos de grandesdimensões. Tratamento primário No tratamento primário a matéria poluente é separada da água por sedimentação nos sedimentadores primários. Este processo exclusivamente de acção física pode, em alguns casos, ser ajudado pela adição de agentes químicos que através de uma coagulação/ floculação possibilitam a obtenção de flocos de matéria poluente de maiores dimensões e assim mais facilmente decantáveis.
  6. 6. Tratamento secundário No tratamento secundário a matéria poluentecoloidal é degradada por microorganismos noschamados reactores biológicos. Estes reactores sãoconstituídos por microorganismos aeróbios, por issosão arejados. O efluente saído do reactor biológico éconstituído por uma grande quantidade demicroorganismos. Os microorganismos sofremseguidamente um processo de sedimentação. Tratamento terciário No tratamento terciário a água passa por um tanque de desinfecção onde será desinfectada com cloro, ozono e através de raios ultravioletas. Retorno ao meio hídrico Depois de tratada, a água é finalmente transportada edireccionada para os rios ou para o oceano, sem queapresente perigos de contaminação.
  7. 7. O que é a biodiversidade? A biodiversidade ou diversidade biológica é a“variabilidade entre organismos vivos de todas asorigens [...]; compreende a diversidade dentro decada espécie, entre espécies e dos ecossistemas”(Convenção da Diversidade Biológica). A biodiversidade está distribuída heterogeneamente na Terra, com áreas de grande diversidade (os chamados “hot spots”, como as florestas tropicais e os recifes de corais), outras com pouca diversidade (como os desertos e as regiões polares) e ainda outras, com alguma diversidade. Dos 25 “hot spots” no mundo, apenas dois encontram-se parcialmente na Europa: na bacia mediterrânea e no Cáucaso.
  8. 8. BiodiversidadeA biodiversidade traduz-se na quantidade de espécies deseres vivos existentes no planeta.Ainda se conhece pouco sobre a biodiversidade do planeta.Calcula-se que existam entre 10 a 20 milhões deespécies, das quais só 10% estão estudadas a nívelcientífico!O principal impacto da perda da biodiversidade é aextinção das espécies que são irrecuperáveis.O Homem é o principal responsável da perda dabiodiversidade. As espécies têm sido exterminadas demaneira muito rápida pela acção humana, com uma taxade extermínio 50 a 100 vezes superior aos índices deextinção por causa natural.
  9. 9. BiodiversidadeA acção do homem e suas consequências na biodiversidade do planeta: Eliminação ou alteração do habitat pelo homem - é o principal factor da diminuição da biodiversidade. A eliminação de vegetação local para construção de casas ou para actividades agropecuárias altera o meio ambiente. Super-exploração comercial - ameaça muitas espécies marinhas e algumas terrestres; Poluição das águas, solo e ar - matam os organismos; Introdução de espécies exóticas - ameaçam os locais por predação, competição ou alteração do habitat natural. Devido essencialmente a actividades humanas como a agricultura, a pesca, a indústria, os transportes e a urbanização de extensas partes do território, entre outras, observa-se que os ecossistemas e as espécies se encontram, a um nível global, cada vez mais ameaçadas, com a consequente diminuição da biodiversidade.
  10. 10. Preservação da Biodiversidade O conceito de conservação da natureza tem vindo a evoluir no sentido demanutenção da biodiversidade.
  11. 11. Paisagens Geológicas
  12. 12. Paisagens geológicas O nosso planeta é incrivelmente velho para ospadrões de tempo humanos, tem cerca de quatro mil eseiscentos milhões de anos. Graníticas Magmáticas Basálticas Calcárias Paisagens ou Cársicas Sedimentares Arenosas Chaminés - de Metamórficas - Fada
  13. 13. Paisagens MagmáticasPaisagem Granítica: Elevações irregulares de  Planaltos extensos forte inclinação  Rios sinuosos Cabeços de rochas com  Solos pouco profundos e fracturas profundas – pobres Diaclases  Árvores agrupadas em Blocos arredondados pequenos bosques dispersos ao acaso – Caos de Blocos  Inúmeros abrigos para animais
  14. 14. Paisagens MagmáticasPaisagem Basáltica:  Zonas aplanadas Elevações de forte inclinação  Rios sinuosos Cones vulcânicos  Vegetação muito densa e Afloramentos agrestes – variada Colunas basálticas  Grande diversidade de fauna prismáticas
  15. 15. Paisagens SedimentaresPaisagem Calcária ou Cársica:  Água circula em profundidade Nas rochas calcárias, as águas  Superfície – paisagem árida ricas em dióxido de carbono dissolvem o calcário - Grutas Os minerais dissolvidos depositam-se posteriormente formando estalactites, estalagmites e colunas
  16. 16. Paisagens Sedimentares Chaminés-de-fada:Paisagem Arenosa:  Fragmentos de rochas  Frequente no litoral  Dunas – protegem os mais duras protegem as ecossistemas em que se inserem do avanço do mar rochas sobre as quais se e do vento encontram, da acção das águas de precipitação
  17. 17. Paisagens Metamórficas Encontram-se frequentemente no centro das cadeias montanhosas (desfiladeiros e ravinas), com rochas metamórficas de xistosidade bem patente Água corre por todo o lado, fazendo sulcos no solo
  18. 18. Trabalho realizado por: Ana Marta, nº1 Beatriz Custódio, nº2 Diana Lavado, nº7Fim

×