SlideShare uma empresa Scribd logo

Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar

pauta de atpc

1 de 12
Baixar para ler offline
1
“Não há palavra verdadeira que não seja práxis”, afirma
Paulo Freire, definindo práxis como “reflexão e ação
verdadeiramente transformadora da realidade, fonte de
conhecimento reflexivo e criação” (1975, pp.91 e 108). Para
Freire, “educação é um ato de amor, por isso um ato de
coragem” (1970, p. 96). Em “Refletir para agir”, vamos
reiterar a você, a proposta de cometer juntos esse ato de
amor e coragem
O que as palavras“conflito” e “violência”significam para
você?
Um convite a comparar os significados que gestores,
professores, alunos e famílias dão a “conflito” e “violência”
àqueles atribuídos pelas Ciências Sociais. Escolas em
equilíbrio com episódios de crise ou escolas nas quais o
equilíbrio se rompeu: modos de agir.
6 de março
SEMANA 03
ATPC ENSINO
FUNDAMENTAL
CICLO
INTERMEDIÁRIO E
ANOS FINAIS,
ENSINO MÉDIO –
6.3.2017 A 10.3.2017
2
Pauta da Semana:
1. Solicito entregar até 30.4.2017 o PLANO DE AULA 2017, referente aos
componentes curriculares, série/ anoque você ministra. Foi entregue na reunião de
Planejamento.
2. Nesse encontro apresentamos uma síntese da obra "Conflitos na escola: modos de
transformar - Dicas para refletir e exemplos de como lidar" organizada pela
educadora Cláudia Ceccon. Nesse livro, os autores nos mostram um olhar diferente
sobre a existência de conflitos no ambiente educacional. Violência na Escola Um guia
para pais e professores Caren Ruotti, Renato Alves e Viviane de Oliveira Cubas Andhep –
Associação Nacional de Direitos Humanos, Pesquisa e Pósgraduação/ Imprensa Ofi
cial/SP
3. Final do 1º Bimestre dia 13.04.2017
4. Informes da Escola de Formação de Professores e Diretoria de Ensino DEMAUA
O que as palavras “conflito” e “violência” significam para você?
1.1 – História da vida real
3
Se você perguntasse aos educadores presentes nessa cena: “Existem conflitos na
sua escola?”, a resposta seria provavelmente: “Não”. E, se você perguntasse: “E
violência?”, talvez ouvisse como resposta: “Há alguns casos isolados… a comunidade,
você sabe, tem sérios problemas... famílias desestruturadas... jovens problemáticos... há
sempre as laranjas podres da cesta...”.
Por que tentamos esconder, negar ou ignorar os conflitos? Será porque já fazem
de tal maneira parte da rotina que nem sequer nos damos conta de que eles existem?
Especialistas do Centro de Estudos sobre a Violência asseguram que isso é um
fato comum nas escolas brasileiras. Seus líderes negam a existência de conflitos e das
violências que resultam da inabilidade em manejá-los, “seja para preservar a imagem da
instituição e seus funcionários, seja como uma estratégia de sobrevivência quando
confrontados com a incapacidade para lidar com os problemas diá- rios” (Ruotti, 2007, p.
51).
Não apenas as lideranças, mas a comunidade escolar em geral reluta a admitir o
conflito ou a violência. Conversando com um grupo de estudantes, familiares de alunos e
profissionais da Educação, Psicologia e Sociologia, os autores deste livro ouviram
algumas explicações complementares: “Porque é muito difícil assumir responsabilidade”
(estudante); “Por medo. Pela sensação de ameaça”(psicólogo); “Devido à incompetência
para lidar com o assunto” (professor).
A primeira condição indispensável para lidar com conflitos e prevenir violências
é... reconhecer que eles existem. Depois, é preciso diferenciar conflito de violência. E,
finalmente – o que leva mais tempo –, desenvolver as competências necessárias para
transformar conflitos em oportunidades de aprendizagem e mudança.
1.2 – Contribuição da teoria
1.2.1 – Conflito! Compare suas ideias com as de alguns especialistas.
Educadores, estudantes e membros da comunidade, cada um tem uma opinião
diferente sobre o que é conflito, dependendo da idade, do nível social, da posição que
ocupa na escola ou na cidade.
4
O que é conflito para você? Pense por um instante... Que pensamentos e emoções
lhe ocorrem quando você lê a palavra conflito? Faça uma lista, e depois compare o que
você escreveu ao conteúdo do box abaixo.
Observou o ponto em comum entre essas conceituações? Como você pode notar,
nossos autores concordam em uma coisa: conflitos têm origem em diferenças. Eles
existem dentro de nós, pois razões e emoções diferentes, e por vezes contraditórias, nos
habitam. Eles existem entre nós, pois não há nenhum indivíduo igual ao outro. Conflitos
são inerentes às interações e, portanto, não podem ser eliminados. De fato, seres humanos
interagem dispondo de diferentes condições, recursos, bens, diretrizes, valores, normas,
procedimentos, interpretações, sempre procurando chegar a um mínimo de equidade.
Onde existe diversidade, movimento e diálogo, existe conflito Conflitos provocam
mudanças. Pense, por exemplo, nos conflitos históricos entre quem acreditava em raças
superiores e inferiores e quem acreditava em uma única, a raça humana; ou entre os que
5
diziam que as doenças eram transmitidas por miasmas e os que defendiam a ideia da
existência de micróbios. Por trás de cada conquista humana na ciência, arte, política,
economia, existe conflito
Para Michael Fullan, o conflito, bem gerenciado, é essencial à mudança e ao
aperfeiçoamento também da escola: “O grupo que percebe o conflito como uma
oportunidade para aprender alguma coisa (em vez de algo a ser evitado, ou uma ‘deixa’
para cada um se entrincheirar em sua própria posição), é o grupo que vai progredir. Não
se pode ter aprendizagem organizacional sem aprendizagem individual, e não se pode
aprender em grupo sem processar conflitos” (1993, p. 36).
Conflitos entre ideias e abordagens fazem parte do diálogo em um grupo de
pessoas que valoriza a diferença e deseja ampliar sua compreensão da realidade e
melhorar o seu fazer. “E o que é o diálogo?”, pergunta Paulo Freire. “É uma relação
horizontal de A com B. ... Nutre-se do amor, da humildade, da esperança, da fé, da
confiança” (1970, p. 107).
Na educação que Freire denomina bancária, o que existe é o antidiálogo. Um fala
(deposita ou transfere conhecimento), e o outro recebe, sem poder contestar, essa
transferência. Aquele que tem mais poder não se comunica, mas impõe comunicados.
O que parece ausência de conflito em um grupo pode estar sinalizando ausência
de diálogo. As decisões são tomadas pelos chefes, enquanto os demais permanecem
apáticos. Não existe confiança suficiente entre as pessoas para que possam expor
divergências. Não é que o conflito não exista: ele está lá, mas não é explicitado. Fica
envenenando as relações até explodir em violência psicológica, verbal ou física, como
acontece na cena retratada na “História da vida real” deste capítulo.
Paz não é ausência de conflito, mas uma permanente negociação em busca de
“conquistar, superar e transformar conflitos” (Muller, 2006, p. 27). Em grupos que
colaboram, que cooperam, o conflito é essencial para que as decisões resultem da escuta
mútua e da negociação das diferenças. Poucos, no entanto, compreendem o potencial
positivo do conflito nas interações humanas: a maioria tenta evitá-lo.
Aqui no Brasil, há razões de ordem cultural e histórica para a tendência a fugir do
conflito. É muito forte o mito do “homem cordial” (Holanda, 1998), e a expressão direta
de discordância ainda é sentida como manifestação de hostilidade, grosseria ou, pelo
menos, de distanciamento. Algo que vai contra o desejo de aproximação, intimidade,
segurança, enfim, de manter a aparência de harmonia. Na realidade, durante quase toda a
6
história brasileira, a sociedade foi dividida entre senhores e escravos, sendo que os
últimos jamais poderiam confrontar abertamente os primeiros sem se expor a punições, à
tortura e à morte. Algo dessa atitude permanece na cultura do país mais de um século
depois da abolição oficial da escravatura.
Conflitos, em si, são neutros; suas manifestações construtivas ou
destrutivas dependem da forma como lidamos com eles.
Por que, ainda hoje, entre nós, o conflito tem uma conotação mais negativa que
positiva?
Porque todo o seu potencial construtivo e criativo desaparece, quando ele é
ignorado ou mal administrado. E, na maioria das vezes, é o que acontece. Em
organizações como escolas, por exemplo, conflitos “varridos para debaixo do tapete”
drenam a energia da equipe, bloqueiam o trabalho colaborativo e fazem os ressentimentos
crescer e se acumular, podendo exprimir-se de maneira violenta.
Já quando se entra de cabeça no conflito, mas sem saber como lidar com ele, o
resultado também é desastroso. Isso porque o foco não é compreender quais os diferentes
interesses, aspirações e desejos em jogo, negociar e resolver a questão em pauta, mas
atacar e destruir os outros (simbolicamente ou não), vistos como “aqueles cujos desejos
vão contra os meus desejos, cujos interesses conflitam com os meus interesses, cujas
ambições se contrapõem às minhas ambições, cujos planos estragam os meus planos,
cujas liberdades ameaçam a minha liberdade, cujos direitos limitam o meu direito”
(Muller, 2006, p. 22). Nesse caso, a linguagem utilizada é ofensiva, cheia de afirmações
dogmáticas. Não há interesse em fazer perguntas e ouvir os demais; pressupõe-se que já
se sabe o que eles sentem, pensam e querem. É assim que o conflito transforma-se em
confronto. O diálogo se encerra. Desgaste psicológico, comportamentos agressivos,
violências são alguns dos produtos dessa abordagem.
A boa notícia é que vem se desenvolvendo, através dos tempos, um amplo
repertório de formas para lidar positiva e produtivamente com os conflitos inerentes à
vida diária. E esse repertório está à disposição de quem quiser construir uma cultura do
diálogo e da paz também nas escolas.

Recomendados

Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...
Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...
Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...francisleide
 
II Encontro LicEdu UAb - Mesa Redonda 4
II Encontro LicEdu UAb - Mesa Redonda 4II Encontro LicEdu UAb - Mesa Redonda 4
II Encontro LicEdu UAb - Mesa Redonda 4Teresa Cardoso
 
Aula mediação de conflitos - Prof. Adriana Ramos
Aula mediação de conflitos - Prof. Adriana RamosAula mediação de conflitos - Prof. Adriana Ramos
Aula mediação de conflitos - Prof. Adriana Ramosportalrespeitarepreciso
 
Monografia conflitos na escola e a mediação
Monografia  conflitos na escola e a mediaçãoMonografia  conflitos na escola e a mediação
Monografia conflitos na escola e a mediaçãoElvys Marinho
 
Mediação escolar introdução
Mediação escolar introduçãoMediação escolar introdução
Mediação escolar introduçãoM Luísa Santos
 
Intervenção da psicologia na educação ou escola
Intervenção da psicologia na educação ou escolaIntervenção da psicologia na educação ou escola
Intervenção da psicologia na educação ou escolaEraldo Fonseca
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

intervenção escolar
 intervenção escolar intervenção escolar
intervenção escolar
 
Educação transformadora
Educação transformadoraEducação transformadora
Educação transformadora
 
AF 3º
AF 3º AF 3º
AF 3º
 
anglo-redacao-temas
anglo-redacao-temasanglo-redacao-temas
anglo-redacao-temas
 
Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250
Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250
Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250
 
Pra discutir
Pra discutirPra discutir
Pra discutir
 
A dinâmica das relações humanas e sua influência no processo ensino-aprendizagem
A dinâmica das relações humanas e sua influência no processo ensino-aprendizagemA dinâmica das relações humanas e sua influência no processo ensino-aprendizagem
A dinâmica das relações humanas e sua influência no processo ensino-aprendizagem
 
19 março
19 março19 março
19 março
 
Atividade de projeto interdisciplinar
Atividade de projeto interdisciplinarAtividade de projeto interdisciplinar
Atividade de projeto interdisciplinar
 
Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-0
Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-0Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-0
Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-0
 
J. scott 2 igualdade e diferença
J. scott 2 igualdade e diferençaJ. scott 2 igualdade e diferença
J. scott 2 igualdade e diferença
 
20 março
20 março20 março
20 março
 
AF - 1º
AF - 1º AF - 1º
AF - 1º
 
Mario moreno
Mario morenoMario moreno
Mario moreno
 
Cantinflas
CantinflasCantinflas
Cantinflas
 
Dissertacao arroyo jan2008
Dissertacao arroyo jan2008Dissertacao arroyo jan2008
Dissertacao arroyo jan2008
 
Apresentação do trabalho senac
Apresentação do trabalho senacApresentação do trabalho senac
Apresentação do trabalho senac
 
Educação Inclusiva
Educação InclusivaEducação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Metodo FreirianoRes03 31
Metodo FreirianoRes03 31Metodo FreirianoRes03 31
Metodo FreirianoRes03 31
 
Um livro uma_historia_portugal
Um livro uma_historia_portugalUm livro uma_historia_portugal
Um livro uma_historia_portugal
 

Destaque

As Garantias do direito do trabalho e os desafios para os novos tempos
As Garantias do direito do trabalho e os desafios para os novos temposAs Garantias do direito do trabalho e os desafios para os novos tempos
As Garantias do direito do trabalho e os desafios para os novos temposAnna Paula
 
RM session 1: ORM platform
RM session 1: ORM platformRM session 1: ORM platform
RM session 1: ORM platformLéna Nussbaumer
 
курсы автоматизация бюджетирования
курсы автоматизация бюджетированиякурсы автоматизация бюджетирования
курсы автоматизация бюджетированияVladislav Safronov
 
Acessórios para smartphone - ELFO
Acessórios para smartphone - ELFOAcessórios para smartphone - ELFO
Acessórios para smartphone - ELFOCustomic
 
Видеоаналитика и Internet of Things
Видеоаналитика и Internet of ThingsВидеоаналитика и Internet of Things
Видеоаналитика и Internet of Thingssoft-point
 
по несанкции в фб
по несанкции в фбпо несанкции в фб
по несанкции в фбafeell
 
5 Examples of Recent Change in Health and Healthcare
5 Examples of Recent Change in Health and Healthcare5 Examples of Recent Change in Health and Healthcare
5 Examples of Recent Change in Health and HealthcareJennifer Zelmer
 
Diseño estación de bombeo
Diseño estación de bombeoDiseño estación de bombeo
Diseño estación de bombeobea CG
 
Estandares sociales y naturales
Estandares  sociales y naturalesEstandares  sociales y naturales
Estandares sociales y naturalesMimi Susa
 
Estados físicos da água.
Estados físicos da água.Estados físicos da água.
Estados físicos da água.Tânia Maria
 
Spread sheets and linkedin
Spread sheets and linkedinSpread sheets and linkedin
Spread sheets and linkedinMartin Castellon
 
Exodus 35-40 and Numbers 1-8
Exodus 35-40 and Numbers 1-8Exodus 35-40 and Numbers 1-8
Exodus 35-40 and Numbers 1-8pegbaker
 
Jornal de unidade fevereiro - março 2017
Jornal de unidade   fevereiro - março  2017 Jornal de unidade   fevereiro - março  2017
Jornal de unidade fevereiro - março 2017 rosecleide torres
 
Problemas de olimpiadas 5º matemáticas recreativas 1
Problemas de olimpiadas 5º matemáticas recreativas  1Problemas de olimpiadas 5º matemáticas recreativas  1
Problemas de olimpiadas 5º matemáticas recreativas 1Rony Gutierrez
 

Destaque (20)

As Garantias do direito do trabalho e os desafios para os novos tempos
As Garantias do direito do trabalho e os desafios para os novos temposAs Garantias do direito do trabalho e os desafios para os novos tempos
As Garantias do direito do trabalho e os desafios para os novos tempos
 
Tarea 13 power point presentación de un tema
Tarea 13 power point presentación de un temaTarea 13 power point presentación de un tema
Tarea 13 power point presentación de un tema
 
RM session 1: ORM platform
RM session 1: ORM platformRM session 1: ORM platform
RM session 1: ORM platform
 
курсы автоматизация бюджетирования
курсы автоматизация бюджетированиякурсы автоматизация бюджетирования
курсы автоматизация бюджетирования
 
Acessórios para smartphone - ELFO
Acessórios para smartphone - ELFOAcessórios para smartphone - ELFO
Acessórios para smartphone - ELFO
 
Paises
PaisesPaises
Paises
 
Видеоаналитика и Internet of Things
Видеоаналитика и Internet of ThingsВидеоаналитика и Internet of Things
Видеоаналитика и Internet of Things
 
Presentazione open data
Presentazione open dataPresentazione open data
Presentazione open data
 
Sobrepeso y obesidad (1)
Sobrepeso y obesidad (1)Sobrepeso y obesidad (1)
Sobrepeso y obesidad (1)
 
по несанкции в фб
по несанкции в фбпо несанкции в фб
по несанкции в фб
 
5 Examples of Recent Change in Health and Healthcare
5 Examples of Recent Change in Health and Healthcare5 Examples of Recent Change in Health and Healthcare
5 Examples of Recent Change in Health and Healthcare
 
Diseño estación de bombeo
Diseño estación de bombeoDiseño estación de bombeo
Diseño estación de bombeo
 
Estandares sociales y naturales
Estandares  sociales y naturalesEstandares  sociales y naturales
Estandares sociales y naturales
 
Estados físicos da água.
Estados físicos da água.Estados físicos da água.
Estados físicos da água.
 
Spread sheets and linkedin
Spread sheets and linkedinSpread sheets and linkedin
Spread sheets and linkedin
 
Exodus 35-40 and Numbers 1-8
Exodus 35-40 and Numbers 1-8Exodus 35-40 and Numbers 1-8
Exodus 35-40 and Numbers 1-8
 
Portafolio
Portafolio Portafolio
Portafolio
 
Digital citizenship
Digital citizenshipDigital citizenship
Digital citizenship
 
Jornal de unidade fevereiro - março 2017
Jornal de unidade   fevereiro - março  2017 Jornal de unidade   fevereiro - março  2017
Jornal de unidade fevereiro - março 2017
 
Problemas de olimpiadas 5º matemáticas recreativas 1
Problemas de olimpiadas 5º matemáticas recreativas  1Problemas de olimpiadas 5º matemáticas recreativas  1
Problemas de olimpiadas 5º matemáticas recreativas 1
 

Semelhante a Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar

Apresentação em slide para Oficina de (In)discplina e Mediação de Conflitos n...
Apresentação em slide para Oficina de (In)discplina e Mediação de Conflitos n...Apresentação em slide para Oficina de (In)discplina e Mediação de Conflitos n...
Apresentação em slide para Oficina de (In)discplina e Mediação de Conflitos n...francisleide
 
Power Point Mediação
Power Point MediaçãoPower Point Mediação
Power Point Mediaçãotlvp
 
comunicação não violenta
comunicação não violentacomunicação não violenta
comunicação não violentaDeniseMachado55
 
Escola sem partido ou escola do partido único?
Escola sem partido ou escola do partido único?Escola sem partido ou escola do partido único?
Escola sem partido ou escola do partido único?Arare Carvalho Júnior
 
Ficha de trabalho - imprimir.doc
Ficha de trabalho - imprimir.docFicha de trabalho - imprimir.doc
Ficha de trabalho - imprimir.doccavievora
 
Inclusão escolar a igualdade e a diferença vistas pela psicanáliseok
Inclusão escolar a igualdade e a diferença vistas pela psicanáliseokInclusão escolar a igualdade e a diferença vistas pela psicanáliseok
Inclusão escolar a igualdade e a diferença vistas pela psicanáliseokCLIP_ColegioOswald
 
Conflito organizacional
Conflito organizacional Conflito organizacional
Conflito organizacional Lukas Oliveira
 
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptxCONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptxJosimar Reis
 
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...Alexandre da Rosa
 
Lidando com a agressividade do outro
Lidando com a agressividade do outroLidando com a agressividade do outro
Lidando com a agressividade do outroNit Portal Social
 
Introdução à Comunicação Não Violenta Na Escola
Introdução à Comunicação Não Violenta Na EscolaIntrodução à Comunicação Não Violenta Na Escola
Introdução à Comunicação Não Violenta Na EscolaJosé Paulo Santos
 
Gestão de conflitos
Gestão de conflitos Gestão de conflitos
Gestão de conflitos lupinna
 
MEDIAÇÃO E RESOLUÇÃO PACÍFICA DE CONFLITOS
MEDIAÇÃO E RESOLUÇÃO PACÍFICA DE CONFLITOS MEDIAÇÃO E RESOLUÇÃO PACÍFICA DE CONFLITOS
MEDIAÇÃO E RESOLUÇÃO PACÍFICA DE CONFLITOS Peaceglobalnet
 

Semelhante a Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar (20)

Apresentação em slide para Oficina de (In)discplina e Mediação de Conflitos n...
Apresentação em slide para Oficina de (In)discplina e Mediação de Conflitos n...Apresentação em slide para Oficina de (In)discplina e Mediação de Conflitos n...
Apresentação em slide para Oficina de (In)discplina e Mediação de Conflitos n...
 
15 março
15 março15 março
15 março
 
16 março
16 março16 março
16 março
 
Power Point Mediação
Power Point MediaçãoPower Point Mediação
Power Point Mediação
 
comunicação não violenta
comunicação não violentacomunicação não violenta
comunicação não violenta
 
Conflito
ConflitoConflito
Conflito
 
Escola sem partido ou escola do partido único?
Escola sem partido ou escola do partido único?Escola sem partido ou escola do partido único?
Escola sem partido ou escola do partido único?
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
SLIDES CONFLITOS SOCIAIS.pptx
SLIDES CONFLITOS SOCIAIS.pptxSLIDES CONFLITOS SOCIAIS.pptx
SLIDES CONFLITOS SOCIAIS.pptx
 
Ficha de trabalho - imprimir.doc
Ficha de trabalho - imprimir.docFicha de trabalho - imprimir.doc
Ficha de trabalho - imprimir.doc
 
Inclusão escolar a igualdade e a diferença vistas pela psicanáliseok
Inclusão escolar a igualdade e a diferença vistas pela psicanáliseokInclusão escolar a igualdade e a diferença vistas pela psicanáliseok
Inclusão escolar a igualdade e a diferença vistas pela psicanáliseok
 
Conflito organizacional
Conflito organizacional Conflito organizacional
Conflito organizacional
 
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptxCONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
 
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Ca...
 
Lidando com a agressividade do outro
Lidando com a agressividade do outroLidando com a agressividade do outro
Lidando com a agressividade do outro
 
Introdução à Comunicação Não Violenta Na Escola
Introdução à Comunicação Não Violenta Na EscolaIntrodução à Comunicação Não Violenta Na Escola
Introdução à Comunicação Não Violenta Na Escola
 
Gestão de conflitos
Gestão de conflitosGestão de conflitos
Gestão de conflitos
 
Gestão de conflitos
Gestão de conflitos Gestão de conflitos
Gestão de conflitos
 
MEDIAÇÃO E RESOLUÇÃO PACÍFICA DE CONFLITOS
MEDIAÇÃO E RESOLUÇÃO PACÍFICA DE CONFLITOS MEDIAÇÃO E RESOLUÇÃO PACÍFICA DE CONFLITOS
MEDIAÇÃO E RESOLUÇÃO PACÍFICA DE CONFLITOS
 

Último

1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...manoelaarmani
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...manoelaarmani
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 

Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar

  • 1. 1 “Não há palavra verdadeira que não seja práxis”, afirma Paulo Freire, definindo práxis como “reflexão e ação verdadeiramente transformadora da realidade, fonte de conhecimento reflexivo e criação” (1975, pp.91 e 108). Para Freire, “educação é um ato de amor, por isso um ato de coragem” (1970, p. 96). Em “Refletir para agir”, vamos reiterar a você, a proposta de cometer juntos esse ato de amor e coragem O que as palavras“conflito” e “violência”significam para você? Um convite a comparar os significados que gestores, professores, alunos e famílias dão a “conflito” e “violência” àqueles atribuídos pelas Ciências Sociais. Escolas em equilíbrio com episódios de crise ou escolas nas quais o equilíbrio se rompeu: modos de agir. 6 de março SEMANA 03 ATPC ENSINO FUNDAMENTAL CICLO INTERMEDIÁRIO E ANOS FINAIS, ENSINO MÉDIO – 6.3.2017 A 10.3.2017
  • 2. 2 Pauta da Semana: 1. Solicito entregar até 30.4.2017 o PLANO DE AULA 2017, referente aos componentes curriculares, série/ anoque você ministra. Foi entregue na reunião de Planejamento. 2. Nesse encontro apresentamos uma síntese da obra "Conflitos na escola: modos de transformar - Dicas para refletir e exemplos de como lidar" organizada pela educadora Cláudia Ceccon. Nesse livro, os autores nos mostram um olhar diferente sobre a existência de conflitos no ambiente educacional. Violência na Escola Um guia para pais e professores Caren Ruotti, Renato Alves e Viviane de Oliveira Cubas Andhep – Associação Nacional de Direitos Humanos, Pesquisa e Pósgraduação/ Imprensa Ofi cial/SP 3. Final do 1º Bimestre dia 13.04.2017 4. Informes da Escola de Formação de Professores e Diretoria de Ensino DEMAUA O que as palavras “conflito” e “violência” significam para você? 1.1 – História da vida real
  • 3. 3 Se você perguntasse aos educadores presentes nessa cena: “Existem conflitos na sua escola?”, a resposta seria provavelmente: “Não”. E, se você perguntasse: “E violência?”, talvez ouvisse como resposta: “Há alguns casos isolados… a comunidade, você sabe, tem sérios problemas... famílias desestruturadas... jovens problemáticos... há sempre as laranjas podres da cesta...”. Por que tentamos esconder, negar ou ignorar os conflitos? Será porque já fazem de tal maneira parte da rotina que nem sequer nos damos conta de que eles existem? Especialistas do Centro de Estudos sobre a Violência asseguram que isso é um fato comum nas escolas brasileiras. Seus líderes negam a existência de conflitos e das violências que resultam da inabilidade em manejá-los, “seja para preservar a imagem da instituição e seus funcionários, seja como uma estratégia de sobrevivência quando confrontados com a incapacidade para lidar com os problemas diá- rios” (Ruotti, 2007, p. 51). Não apenas as lideranças, mas a comunidade escolar em geral reluta a admitir o conflito ou a violência. Conversando com um grupo de estudantes, familiares de alunos e profissionais da Educação, Psicologia e Sociologia, os autores deste livro ouviram algumas explicações complementares: “Porque é muito difícil assumir responsabilidade” (estudante); “Por medo. Pela sensação de ameaça”(psicólogo); “Devido à incompetência para lidar com o assunto” (professor). A primeira condição indispensável para lidar com conflitos e prevenir violências é... reconhecer que eles existem. Depois, é preciso diferenciar conflito de violência. E, finalmente – o que leva mais tempo –, desenvolver as competências necessárias para transformar conflitos em oportunidades de aprendizagem e mudança. 1.2 – Contribuição da teoria 1.2.1 – Conflito! Compare suas ideias com as de alguns especialistas. Educadores, estudantes e membros da comunidade, cada um tem uma opinião diferente sobre o que é conflito, dependendo da idade, do nível social, da posição que ocupa na escola ou na cidade.
  • 4. 4 O que é conflito para você? Pense por um instante... Que pensamentos e emoções lhe ocorrem quando você lê a palavra conflito? Faça uma lista, e depois compare o que você escreveu ao conteúdo do box abaixo. Observou o ponto em comum entre essas conceituações? Como você pode notar, nossos autores concordam em uma coisa: conflitos têm origem em diferenças. Eles existem dentro de nós, pois razões e emoções diferentes, e por vezes contraditórias, nos habitam. Eles existem entre nós, pois não há nenhum indivíduo igual ao outro. Conflitos são inerentes às interações e, portanto, não podem ser eliminados. De fato, seres humanos interagem dispondo de diferentes condições, recursos, bens, diretrizes, valores, normas, procedimentos, interpretações, sempre procurando chegar a um mínimo de equidade. Onde existe diversidade, movimento e diálogo, existe conflito Conflitos provocam mudanças. Pense, por exemplo, nos conflitos históricos entre quem acreditava em raças superiores e inferiores e quem acreditava em uma única, a raça humana; ou entre os que
  • 5. 5 diziam que as doenças eram transmitidas por miasmas e os que defendiam a ideia da existência de micróbios. Por trás de cada conquista humana na ciência, arte, política, economia, existe conflito Para Michael Fullan, o conflito, bem gerenciado, é essencial à mudança e ao aperfeiçoamento também da escola: “O grupo que percebe o conflito como uma oportunidade para aprender alguma coisa (em vez de algo a ser evitado, ou uma ‘deixa’ para cada um se entrincheirar em sua própria posição), é o grupo que vai progredir. Não se pode ter aprendizagem organizacional sem aprendizagem individual, e não se pode aprender em grupo sem processar conflitos” (1993, p. 36). Conflitos entre ideias e abordagens fazem parte do diálogo em um grupo de pessoas que valoriza a diferença e deseja ampliar sua compreensão da realidade e melhorar o seu fazer. “E o que é o diálogo?”, pergunta Paulo Freire. “É uma relação horizontal de A com B. ... Nutre-se do amor, da humildade, da esperança, da fé, da confiança” (1970, p. 107). Na educação que Freire denomina bancária, o que existe é o antidiálogo. Um fala (deposita ou transfere conhecimento), e o outro recebe, sem poder contestar, essa transferência. Aquele que tem mais poder não se comunica, mas impõe comunicados. O que parece ausência de conflito em um grupo pode estar sinalizando ausência de diálogo. As decisões são tomadas pelos chefes, enquanto os demais permanecem apáticos. Não existe confiança suficiente entre as pessoas para que possam expor divergências. Não é que o conflito não exista: ele está lá, mas não é explicitado. Fica envenenando as relações até explodir em violência psicológica, verbal ou física, como acontece na cena retratada na “História da vida real” deste capítulo. Paz não é ausência de conflito, mas uma permanente negociação em busca de “conquistar, superar e transformar conflitos” (Muller, 2006, p. 27). Em grupos que colaboram, que cooperam, o conflito é essencial para que as decisões resultem da escuta mútua e da negociação das diferenças. Poucos, no entanto, compreendem o potencial positivo do conflito nas interações humanas: a maioria tenta evitá-lo. Aqui no Brasil, há razões de ordem cultural e histórica para a tendência a fugir do conflito. É muito forte o mito do “homem cordial” (Holanda, 1998), e a expressão direta de discordância ainda é sentida como manifestação de hostilidade, grosseria ou, pelo menos, de distanciamento. Algo que vai contra o desejo de aproximação, intimidade, segurança, enfim, de manter a aparência de harmonia. Na realidade, durante quase toda a
  • 6. 6 história brasileira, a sociedade foi dividida entre senhores e escravos, sendo que os últimos jamais poderiam confrontar abertamente os primeiros sem se expor a punições, à tortura e à morte. Algo dessa atitude permanece na cultura do país mais de um século depois da abolição oficial da escravatura. Conflitos, em si, são neutros; suas manifestações construtivas ou destrutivas dependem da forma como lidamos com eles. Por que, ainda hoje, entre nós, o conflito tem uma conotação mais negativa que positiva? Porque todo o seu potencial construtivo e criativo desaparece, quando ele é ignorado ou mal administrado. E, na maioria das vezes, é o que acontece. Em organizações como escolas, por exemplo, conflitos “varridos para debaixo do tapete” drenam a energia da equipe, bloqueiam o trabalho colaborativo e fazem os ressentimentos crescer e se acumular, podendo exprimir-se de maneira violenta. Já quando se entra de cabeça no conflito, mas sem saber como lidar com ele, o resultado também é desastroso. Isso porque o foco não é compreender quais os diferentes interesses, aspirações e desejos em jogo, negociar e resolver a questão em pauta, mas atacar e destruir os outros (simbolicamente ou não), vistos como “aqueles cujos desejos vão contra os meus desejos, cujos interesses conflitam com os meus interesses, cujas ambições se contrapõem às minhas ambições, cujos planos estragam os meus planos, cujas liberdades ameaçam a minha liberdade, cujos direitos limitam o meu direito” (Muller, 2006, p. 22). Nesse caso, a linguagem utilizada é ofensiva, cheia de afirmações dogmáticas. Não há interesse em fazer perguntas e ouvir os demais; pressupõe-se que já se sabe o que eles sentem, pensam e querem. É assim que o conflito transforma-se em confronto. O diálogo se encerra. Desgaste psicológico, comportamentos agressivos, violências são alguns dos produtos dessa abordagem. A boa notícia é que vem se desenvolvendo, através dos tempos, um amplo repertório de formas para lidar positiva e produtivamente com os conflitos inerentes à vida diária. E esse repertório está à disposição de quem quiser construir uma cultura do diálogo e da paz também nas escolas.
  • 7. 7
  • 8. 8
  • 9. 9
  • 10. 10
  • 11. 11 Em grupo responda e entregue assinado ao coordenador Eu quero saber de você: Como os conflitos estão sendo resolvidos em nossa escola? Você achou interessante algumas ideias propostas pela escola Campos Salles?
  • 12. 12 Em grupo responda e entregue assinado ao coordenador Eu quero saber de você: Como os conflitos estão sendo resolvidos em nossa escola? Você achou interessante algumas ideias propostas pela escola Campos Salles? Venhaseconectar! Os testes para a sua escola entrar para o “Tô na Rede” já começaram. Oportunidade! FFLCH-USP oferece curso sobre ensino do vocabulário aos professores da rede. Inscrições até 07/03. Novasturmas Inscreva-se para os testes do Programa de Formação Continuada de Professores de Língua Inglesa: Teacher Development Online. Até 10/03.