Sandra Godoi - BM06 - 9/10 semana

287 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
287
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sandra Godoi - BM06 - 9/10 semana

  1. 1. ANÁLISE TRANSACIONAL A Análise Transacional nos fornece um modelo descritivo do funcionamento da personalidadehumana que nos permite compreender de forma simples e objetiva como nosso Ego secomporta em diferentes circunstâncias.EGO:Ego é a denominação usada para representar o todo da personalidade, que se manifesta naforma como sentimos, pensamos, agimos, reagimos e nos relacionamos.ESTADO-DE-EGO:O Ego pode assumir diferentes estados de acordo com as necessidades de cada momento ede acordo com a maneira como estamos programados para nos conduzir diante de cadasituação.Nós possuímos três estados-de-ego que são fontes separadas e distintas decomportamento.Os estados-de-ego são denominados coloquialmente de PAI,ADULTO,CRIANÇA (usamos letras maiúsculas quando nos referimos a um estado-de-ego ou,abreviadamente, P, A, C para distinguir de pai, adulto e criança no sentido comum daspalavras). ESTADO-DE-EGO PAI: Contém as atitudes e comportamentos incorporados de fontes exteriores, primordialmente os pais biológicos. Se revela em pensamentos e comportamentos típicos de figuras paternas (pai e mãe) expressando autoridade, na forma de críticas e repreensões, e apoio ou proteção. Interiormente é percebido na forma de mensagens que continuam a influenciar nosso comportamento. ESTADO-DE-EGO ADULTO: Está orientado para a realidade, coleta e processamento objetivo de informação. É organizado, adaptável, inteligente, e funciona testando a realidade, avaliando possibilidades e decidindo racionalmente. ESTADO-DE-EGO CRIANÇA: Contém todos os impulsos que aparecem normalmente em uma criança. Também recordações de experiências remotas e condicionamentos. ESTADO-DE-EGO PAI: O PAI é formado por incorporações de atitudes e mensagens dos pais e de todas as pessoas significativas da infância que correspondam afetivamente a uma figura paterna: avós, tios, irmãos mais velhos, professores, etc. Algumas mensagens parentais são encorajadoras , outras ao contrário. Podem ser positivas ou negativas funcionando como permissão ou proibição, incentivo ou desestímulo, valorização ou desvalorização. 1
  2. 2. ESTADO-DE-EGO CRIANÇA: A CRIANÇA é formada pela parte da personalidade que permanece eternamente funcionando como uma criança real, é um resíduo da criança que todos fomos um dia.Cada pessoa tem uma infância singular, portanto a CRIANÇA de cada um é diferentemente estruturada. A CRIANÇA contém as emoções e os correspondentes psicológicos do corpo (sensações e imagem corporal)inclusive a sexualidade.É o centro energético, criativo e motor da personalidade .A criança é depositária dos aspectos profundos e íntimos da personalidade e constitui sua única parte autêntica, tudo o mais dela é derivado. ESTADO-DE-EGO ADULTO: O ADULTO é o estado que torna a sobrevivência possível para o ser humano civilizado.Age basicamente através do teste de realidade, seleciona racionalmente as ações mais efetivas e as que devem ser seguidas por condicionamento (filtragem).É capaz de reavaliar conceitos e modificar atitudes de acordo com as necessidades das circunstâncias reinantes.É dotado de autonomia e capacidade de decisão.As funções de teste de realidade e estimativa de riscos servem ao propósito de minimizar a possibilidade de fracasso.A qualidade das decisões depende não só da inteligência da pessoa mas, também, de quão bem informado está o ADULTO (que é o depositário de nosso conhecimento objetivo, técnico, científico e avaliador da experiência) e de quão bem é capaz de selecionar e usar as informações e influências do PAI e da CRIANÇA. O ADULTO é o executivo da personalidade.Um ADULTO saudável deve ser livre das influênciasnegativas ou irrelevantes do PAI e da CRIANÇA.Ele pára, olha e ouve por si mesmo, pensa antesde agir e assume total responsabilidade por seus pensamentos, sentimentos e ações.Um adultosaudável também é capaz de permitir que o PAI ou a CRIANÇA assuma o controle dapersonalidade quando for adequado às circunstâncias, mantendo-se vigilante para assumir ocomando sempre que necessário. SUBESTADOS-DE-EGO:Cada estado-de-ego possui três sub-divisões ou subestados que são adotados de acordo comas circunstâncias. SUBESTADOS DO PAI: PAI PROTETOR (PP): Contém as atitudes do PAI do tipo protetoras, tais como: atenção, compreensão, apoio, incentivo, orientação, consolo, atendimento à saúde, cuidados em geral, orientação, elogios, valorização, permissão. Exemplos: "Você está cançado, porque não deita um pouco?" "Deixe que eu lhe faço uma massagem onde dói." "Não brinque no meio da rua, é perigoso". 2
  3. 3. PAI CRÍTICO (PC): O PC reúne os aspectos moralistas, julgador, punitivo do pai.Trata de apontar os erros, aplicar castigos, fazer proibições e estabelecer limites. É a instância que introduz a idéia de culpa e os valores sociais básicos, do certo e do errado. Exemplos: "Só pode brincar depois de fazer as lições". "Não minta, mentira tem perna curta". "Não quero saber de conversa na aula hoje". Tanto o PP quanto o PC possui aspectos positivos e negativos.A proteção é até certo ponto necessária e adequada..É a proteção do PAI que dá à criança a sensação de segurança e confiança que vaiacompanhá-la, ou não, ao longo de toda a vida.A proteção se torna negativa quando excessiva(super-proteção) de forma a atrapalhar o crescimento emocional e instrumental da criançaimpedindo o desenvolvimento de um ADULTO suficiente. A proteção e o apoio são adequadosquando se restringem às áreas que ainda estão foras do domínio do indivíduo ou para as quaiseste esteja incapacitado transitoriamente.A regra básica é não fazer nada que a criança já sejacapaz de fazer por si mesma (a menos que seja uma carícia eventual).O PC se torna negativoquando excessivamente rígido, agressivo ou punitivo.O aspecto mais negativo do PC costumaser, também, denominado de PAI BRUXO, o qual reúne as atitudes do PAI que incutem culpaexcessiva, medo e dúvida aterrorizando a criança acima dos limites que ela podesuportar.Muitos problemas de personalidade são devidos a distorções do PAI dos pais.Paismuito críticos geram uma criança tímida e retraída.Pais super-proterores tornam a criançadependente e insegura.Pais afetivamente carentes geram uma criança culpada. Pais omissosou ausentes deixam a criança confusa.Pais muito exigentes e perfeccionistas geram umacriança indecisa, hesitante. E assim por diantePAI PRECONCEITUOSO:Esta instância do PAI reúne as idéias pré-concebidas que tendem a se tornar pontos deinflexibilidade do caráter que dificultam a mudança.É o caso dos preconceitos raciais,religiosos, classistas e machistas ou feministas, tipo: "Homem não chora", "Lugar de mulher éna cozinha", "Os homens são todos iguais", "Mulheres são menos inteligentes", "Todo homemé infiel", "Homens não sabem cuidar de crianças", "Mulheres são barbeiras na direção".Há umcaso extremado de distorção do PAI, é o famoso dono-da-verdade, ou sabe-tudo, que nãoaceita divergência ou questionamento.Adota atitudes tais como:"Aqui quem manda sou eu". "Éassim que eu quero, e está acabado", "Eu sou assim e pronto","Assunto encerrado", "Não meresponda".Estes pais tendem a gerar comportamentos diferentes e extremos de acordo com otemperamento básico da criança: o extremamente rebelde, desafiador, revoltado, ou o oposto,extremamente submisso e obediente, o concordino. No primeiro caso a rebeldia passa a ser aúnica forma viável de alcançar autonomia.A submissão se torna uma forma de dependênciaaliada a um sentimento de incapacidade para a autonomia. 3
  4. 4. SUBESTADOS DA CRIANÇA CRIANÇA LIVRE OU NATURAL ( CN): A CN é formada pelas características primárias de uma criança virgem de influências sociais.A CN é livre, impulsiva, expontânea, intuitiva, alegre, divertida, brincalhona, criativa, age e reage na busca do prazer e da satisfação das necessidades instintivas.A CN também se manifesta de forma positiva ou negativa.A CN sem limites, insuficientemente socializada, se torna inconveniente, desrespeitosa, inconsequente, não sabe conter seus impulsos (age primeiro, pensa depois), não sabe a hora de interromper a brincadeira. CRIANÇA ADAPTADA OU SUBMISSA (CA): Esta instância da CRIANÇA surge como resultado da aplicação dos instrumentos sociais de repressão, imposição de limites, introjeção de normas, proibições, princípios de ordem, respeito às leis e à autoridade.É obediente , cordata, dócil, gentil, bem comportada.É o aspecto socilalizado, domesticado da CRIANÇA. O aspecto negativo da CA é a CRIANÇA SUBMISSA(CS) a qual é resultado do uso inadequado, excessivo ou abusivo dos métodos de socialização.A CS é demasiadamente medrosa, tímida, insegura, confusa, dependente, sempre em função das distorções do PAI das figuras parentais da infância, PC ou PB excessivamente rígido.Este é o cado da maioria dos transtornos emocionais genericamente conhecidos como Neuroses.CRIANÇA REBELDE (CR):Contém os comportamentos da criança que são provenientes daspartes mais primitivas da nossa estrutura neurológica, estruturasestas chamadas de reptilianas, pois permanecem iguais ao cérebrodos répteis.Contém impulsos agressivos violentos de ataque oucomportamento defensivo de fuga e evitação, usados da luta diretapela sobrevivência.É esta instância da criança que se nega aobedecer, que não sabe esperar pela gratificação dos desejos, quefaz birra e agride quando é frustrada.É um animal selvagemindomado. Aspectos positivos da CR: é graças à ela que somoscapazes de no rebelar quando tentam nos impor a submissão deforma indevida.É a CR que se revolta contra as injustiças, contra oautoritarismo, contra as atitudes ditatoriais e o abuso de poder, sejados pais, professores e futuramente dos patrões, chefes egovernantes.Por isto os grevistas são tão barulhentos, eles seencontram naquele instante no estado de CRIANÇA REBELDE.Já osaspectos negativos se referem à resistência ao processo normal,necessário, de socialização.É a criança que se nega a tomar banho,que não quer alimentar-se nas horas certas, que não aceita limites.Éo adulto que resiste a cumprir horários, que reluta em assumircompromissos e responsabilidades, que não cumpre os deveres.Ocaso extremos são as personalidades anti-sociais, os psicopatas e 4criminosos.
  5. 5. PEQUENO PROFESSOR (PQP): Esta instância é o germe do ADULTO na criança.O PqP é curioso, intuitivo, criativo, tem um impulso natural para explorar o mundo, levantar e resolver problemas.O PqP começa a se manifestar desde os primeiros meses de idade quando a criança começa a experimentar tudo, a querer mexer em tudo, e mais tarde quando começa a querer saber o porque de tudo.É de onde se origina a nossa criatividade inata que é a característica que mais nos diferencia dos demais mamíferos superiores. Inclui a intuição e a curiosidade que são a base de toda a pesquisa e descoberta científicas.Todas as invenções humanas são obra do PEQUENO PROFESSOR instrumentado pelos conhecimentos e capacidade analítica do ADULTO, o qual não possui criatividade própria, nada podendo criar sem a inventividade inata da criança representada pelo PEQUENO PROFESSOR. COMENTÁRIO FINAL SOBRE A CRIANÇA:É importante compreender que o ego CRIANÇA não é sinônimo de aspectos imaturos dapersonalidade.Aquilo que costuma se denominar de imaturidade (ou criancice, na formapejorativa) está relacionado com os aspectos negativos do estado-de-ego CRIANÇA, os quaisdevem, dentro do possível, ser eliminados da personalidade adulta. Os aspectos positivos da CRIANÇA, ao contrário, são e devem ser mantidos pelo resto davida.Mais do que isto, a CRIANÇA POSITIVA é a parte mais importante de nossapersonalidade, que norteia a construção de nossa identidade.É através da CRIANÇA quefazemos as nossas escolhas mais legítmas e genuínas, que decidimos sobre o que realmentenos agrada e desagrada, enfim, sobre o que de fato faz diferença para o nosso sentimento desatisfação com a vida.Uma pessoa feliz é uma pessoa com um ego CRIANÇA saudável.Opoeta português Fernando Pessoa se refere a este fato de forma magistral em um de seuspoemas (por falar nisto, é da criança que provém a nossa capacidade poética e artística): 5

×